Meu menino vadio

Meu menino vadio Luiz Fernando Vianna




Resenhas - Meu menino vadio


17 encontrados | exibindo 16 a 17
1 | 2


day 02/03/2017

maravilhoso!
"Todo pai de autista é meio autista. Talvez um tanto mais do que meio." (from "Meu menino vadio: Histórias de um garoto autista e seu pai estranho" by Luiz Fernando Vianna)

O livro conta a história de Henrique,um adolescente autista e de seu pai ,que juntos percorrem todos os dias as dificuldades e desafios que o autismo traz com ele.
O livro me tocou bastante,pois parece o grito preso na garganta de tantos pais e mães ,assim como eu que cuidam e amam desesperadamente seus filhos com autismo.
Para mim que sou mãe de uma menina adolescente autista,achei o livro real,triste e verdadeiro.
Assim como khadija (minha filha) Henrique também teve seu diagnóstico aos 4 anos de idade,começando ai as intervenções e terapias que nós como pais corremos tanto atrás.
O autor conta a rotina repetitiva e as vezes exaustiva que leva com seu filho,o preconceito ainda muito forte em nossa sociedade que nos deixa as vezes enfraquecidos e as vezes mais corajosos de jogar na cara da sociedade,que nossos filhos existem e que vão fazer parte do mundo,quer as pessoas gostem ou não.

"Diante dos olhares estranhos de quem vê nossos filhos como mal-educados, temos reações variadas: ignoramos, damos um sorriso amarelo, fazemos cara feia ou partimos para cima. Tudo depende do momento, do humor. Ao menos comigo é assim, e não deve ser muito diferente com outros que passam por isso. É comum Henrique estar com" (from "Meu menino vadio: Histórias de um garoto autista e seu pai estranho" by Luiz Fernando Vianna)
O livro nos traduz de forma assustadora...assim como o pai do Henrique ,também me pego nas mesmas dúvidas...será que faço pouco? será que se eu tentar algo novo ,minha filha pode evoluir?
E assim ,vamos arrastando uma pesada corrente de dúvidas e culpa ,pela vida.
Todos nós estamos sujeitos a ter um filho,ou um parente com alguma deficiência ,então livros como esse nos ensinam,a olhar a deficiência com outros olhos,pois certamente um dia cada um de vocês irão se deparar na família,nos amigos o nascimento de uma pessoa deficiente.

"Como também ressalta Ana Nunes, quem viver o suficiente não escapará de ter por perto, entre familiares ou amigos, gente com algum tipo de deficiência. É só aguardar. No entanto, em vez de esperar sentada, a pessoa pode se mexer e fazer algo. Nem que seja reprimir a cara de nojo." (from "Meu menino vadio: Histórias de um garoto autista e seu pai estranho" by Luiz Fernando Vianna)
Assim como Khadija ,Henrique também não é verbal,repete várias frases que gosta,como dormir,comer,banho etc...isso é chamado de ECOLALIA ,eles falam tantas frases que pra gente parece não terem nenhum sentido,porém nós que os conhecemos já podemos ter pistas de algo,quando eles repetem certas frases.
As vezes também me pergunto...pra quer falar tanto em um mundo tão cheio de gente que acha que sabe demais?
a falta de verbalidade de khadija dói as vezes,mais prefiro até ela assim,do que como tantos idiotas úteis que esses dias tem sem manifestado na internet e na vida.
E por que ser mais um a tagarelar num mundo em que tanto se fala? E para que se fala tanto? Não guardamos segredos, mas gritamos Não registramos momentos na memória, mas fotografamos. Não refletimos, mas opinamos. Quando a barra pesar (depressão, filho autista, câncer, Alzheimer), o que as pessoas vão fazer com o monte de bytes de felicidade postiça que armazenam em seus arquivos? Ainda há os fascistas de gabinete, que se sentam diante de um computador para espalhar ódio, nas redes antissociais, por tudo o que seja diferente. Diante disso, deve ser melhor ficar em silêncio, como Henrique. E eu? Por que também não? O que meu filho diria se pudesse ler o que escrevo sobre ele?" (from "Meu menino vadio: Histórias de um garoto autista e seu pai estranho" by Luiz Fernando Vianna)
Assim como o pai do Henrique ,umas das coisas que mais temo é a morte...
Me pego pensando assim como ele,quem vai cuidar da minha menina? Esse é um sofrimento que todo pai e mãe de autista deve ter durante toda a vida.
Pois ,sabemos da fragilidade dos nossos filhos ,e será que alguém vai suprir todo cuidado,amor e dedicação que nós temos?

"Já passei da metade da vida, talvez dois terços. A saúde emite os primeiros sinais de enfraquecimento. Amigos da mesma idade dão alguns sustos, pessoas próximas de mais idade começam a desaparecer. O tempo está correndo, e cresce o medo que persegue todo pai de alguém com deficiência: o de morrer antes do filho. Se vier a acontecer, gostaria de lhe deixar como mensagem o verso de Cartola: “Fiz por você o que pude.” Mas não será verdade. Fiz muito pouco. Verdade será que o amei bastante. Foi difícil, mas não foi sacrifício. Pai de autista sofre um bocado. No entanto, ama demais também. Em silêncio, gritando ou escrevendo, ofereço minha dor e meu amor para os que estão abertos para aceitar Henrique. Não estarão me fazendo um favor. Conhecerão mais a si mesmos e talvez se transformem em pessoas melhores. Pode valer o esforço." (from "Meu menino vadio: Histórias de um garoto autista e seu pai estranho" by Luiz Fernando Vianna)

O que posso realmente falar desse livro,é que ele tem muito amor em cada capítulo,frase ,virgula ou ponto...
Por mais que o autismo assuste alguns,cause estranheza em muitos,nós somos loucos pelos nossos filhos,é um amor tão grande,que deixamos de viver nossa vida pra viver a vida deles,nos isolamos com eles,choramos suas angústias e também explodimos de amor a cada gesto de carinho e amor que eles nos transmitem .


Termino esse livro,com a certeza que aprendi muito com ele,me fez refletir bastante e acho que todos deveriam ler esse livro,para tentar entender um pouquinho a nossa vida ,angústias,medos e alegrias.

"copio Argemiro Garcia: “Duvido que ele venha a se tornar um canalha. Isto nunca ouvi falar que um autista fosse.”" (from "Meu menino vadio: Histórias de um garoto autista e seu pai estranho" by Luiz Fernando Vianna)

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Annie - @queriaseralice 28/02/2017

“Ser responsável por uma pessoa com autismo é lidar com a culpa por não poder fazer mais. E aceitar, se esta for a verdade, que está fazendo tudo a seu alcance. O autoflagelo e a resignação são acolhedores, e não é difícil entregar-se a eles.”⠀

Tenho o hábito de ler livros que tratam de assuntos que deveriam ser do interesse e conhecimento de todos – embora não sejam – por acreditar que eles podem me tornar um ser humano melhor.⠀

O autismo ainda é, infelizmente, um tema pouco abordado, tanto na ficção quanto na vida real. Em Meu menino vadio temos o relato extremamente sensível do pai de um garoto autista, que enfrenta dificuldades pra tentar entender seu filho.⠀

Henrique foi diagnosticado com autismo aos 4 anos. Possui dificuldade de comunicação e interação social. Gosta de desenhos animados, tem o vocabulário limitado e certos momentos de agressividade.⠀

Luiz desabafa sobre querer entender o silêncio de Henrique e nem sempre conseguir. Sobre o quanto a sociedade fere simplesmente por não aceitar e incluir as diferenças.⠀

Considero esse livro essencial, principalmente pra quem julga o próximo o tempo todo e não pratica a empatia, algo tão importante e singular.



site: https://www.instagram.com/p/BRE5V9zFwoC/
day 02/03/2017minha estante
Acabei de ler. Minha filha é autista.
Achei o livro muito bom.
Tua resenha é maravilhosa.


Annie - @queriaseralice 07/03/2017minha estante
Muito obrigada, Day! ?


day 26/03/2017minha estante
^^




17 encontrados | exibindo 16 a 17
1 | 2