Sobreviventes do Caos

Sobreviventes do Caos Bianca Gulim




Resenhas - 2323 - Sobreviventes do Caos


33 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Nath 15/08/2017

Resenha do blog Pobre Leitora
Sobreviventes do Caos é o primeiro volume de uma distopia nacional, criada pela autora Bianca Gulim. É um livro com uma premissa interessante e que desperta no leitor a vontade de saber logo de tudo.

O ano é 2323 e a humanidade foi quase inteiramente dizimada por um vírus mortal e consequentemente pela guerra. Os poucos que sobraram se juntaram e formaram grupos que estão espalhados por aí e vivem sob suas próprias regras. Não há tecnologia e alguns recursos que consideramos básicos. Celine é a líder dos guerreiros de um desses grupos, enquanto seu irmão Julio é o líder. Eles assumiram essas posições depois de seus pais terem sido mortos e desde então fazem de tudo pela sobrevivência de seu povo.
Depois de uma aliança com os Aligortes, um povo inferior e inimigo, Celine começa a descobrir uma rede de mentiras que envolve grupos e coisas que ela jamais imaginou ou teve acesso, e pode por tudo a perder.

[...]

Quanto a trama posso dizer que sinto que vem coisa grande por aí. Por ser o primeiro livro nós começamos a ser apresentados a esse mundo e esses povos, mas não temos tantas informações assim, até porque temos a visão de Celine da história e ela mesma não sabe de tanta coisa quanto acha. O final é surpreendente e fiquei louca pra saber mais. O livro é cheio e ação e tensão, cenas de batalhas bem descritas e emocionantes.

[...]
LEIA A RESENHA COMPLETA NO LINK

site: http://pobreleitora.blogspot.com.br/2017/08/resenha-sobreviventes-do-caos-bianca.html
comentários(0)comente



Palavras Imaginárias 30/07/2017

Sobreviventes do Caos - Resenha Palavras Imaginas
No ano de 2222 um vírus letal se espalha pelos países. A morte acontece setenta e duas horas após a infecção. Guerras acontecem e associadas à morte pela doença reduzem drasticamente a população da Terra. Os que restam tentam sobreviver e recomeçar a vida em meio ao caos.
Já em 2323 a sociedade se reestrutura em forma de grupos que dominam determinados territórios. Cada grupo tem seus próprios líderes, guerreiros, ideais e leis. A população está dividida entre aligortes, povo da areia, fortaleza e o povo de Celine, a protagonista.
Celine é líder dos guerreiros enquanto seu irmão Julio mantém a paz e a segurança de sua comunidade. Os dois irmãos tiveram que aprender desde muito cedo a se cuidarem sozinhos, ficaram órfãos e precisaram tomar decisões no lugar do antigo líder, o pai deles. Celine tem apenas dezenove anos e se vê com a responsabilidade de tomar atitudes que influenciam o bem-estar e a segurança de todos ao seu redor." Veja o resto da resenha no nosso blog palavrasimaginarias.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Cristiane 03/07/2017

“Tenha cuidado, Celine. Não deixe a raiva cegar você. Lembre-se, identifique a fraqueza do seu adversário antes de atacá-lo.”

Eu sou o tipo de pessoa que gosta demais de distopias e principalmente, de livros que a história se passa depois de uma grande catástrofe na terra, que é o caso de “Sobreviventes do Caos”. Acredito que meu interesse por esse tipo de história, é pelo simples fato de imaginar que um dia podemos passar por algo parecido, e que eu quero estar preparada para enfrentar algo assim. Parece loucura, mas não sabemos como será o amanhã.

No ano de 2222, um vírus assolou a terra. Um vírus letal que matava quem havia sido contaminado em apenas 72 horas. O tempo de ação era muito rápido, e para descobrir uma possível cura, era impossível em tão pouco tempo. Remédios foram desenvolvidos para que prolongasse a vida dos contaminados, a fim de descobrir a cura. Mas, a ganância, e o egoísmo fizeram com que a busca pela cura fosse mais difícil. Além do vírus, a guerra entre os povos se espalha pelo mundo fazendo com que assim, milhões de pessoas fossem dizimas. Os sobreviventes teriam que recomeçar suas vidas mesmo depois de tantas destruições.

Ano 2323, vamos conhecer Celine, uma garota de personalidade forte e que não deixa ninguém subestima-la por ser mulher, muito pelo contrário. Ela é a líder dos guerreiros do seu povo, mas está passando por um momento difícil. Seu irmão, seu único parente ainda vivo, saiu há alguns dias para ir até a fortaleza esclarecer que eles não tinham iniciado nenhuma guerra, mas desde então, nenhuma noticia sobre o bem estar de Julio chegou até ela. Seu maior medo é que algo tenha acontecido e a falta de noticias a deixa ainda mais preocupada.

Celine tem certeza que tem algo pairando no ar, mas não sabe exatamente o que é. Darion seu melhor amigo e Max seu amigo/ficante pedem para que ela fique mais tranquila, mas depois de tudo que a garota já passou, tranquilidade está fora de questão. Então, ela decide que vai atrás de seu irmão, sozinha ou com a ajuda de seus amigos, não importa como, mas ela vai descobrir o que está realmente acontecendo.

Mas, antes do que ela imaginava, sua tranquilidade acaba por completo. Ela descobre que o povo aligorte estava tramando uma armadilha, mesmo depois de terem sido acolhidos por Julio, irmão de Celine, após sofrerem um ataque do povo da areia, que eram bem mais numerosos e mais habilidosos que os aligortes. O líder do povo aligorte chamado Jafar, afirma que fez um acordo com o líder do povo da areia, mesmo depois de eles terem sido atacados por eles. Para o azar da garota, mesmo sabendo de tudo isso, ela está presa em uma jaula junto com Luke e Savanna, depois de ter sido pega espionando seu próprio acampamento. Os dois são irmãos e fazem parte do povo da areia, o que a deixa muito confusa. Como Jafar prende pessoas do povo da areia sendo que eles fizeram uma aliança? Celine fica muito intrigada com isso, e começa a pensar que Jafar deve estar mentindo sobre a aliança com o povo da areia.

A personalidade de Celine é admirável. Mesmo depois de passar por tantas dificuldades e situações difíceis, ela se mantém forte em seu objetivo de proteger seu povo, mas tudo isso tem se mostrado cada vez mais difícil. Mesmo tendo perdido a mãe muito cedo, por causa do pai dela que foi considerado um traidor, ela sabe que não pode se deixar abalar por qualquer coisa, nem muito menos mostrar suas fraquezas para os demais.

A linguagem que é usada na história é bem jovem, digamos assim, você vai encontrar palavrões como forma de expressar sentimentos, quantidade e insatisfação. Como eu normalmente costumo falar palavrões para me expressar, eu me senti bem à vontade com a leitura, o que fez com que tudo fluísse bem naturalmente. Tinha horas que parecia até uma conversa entre eu e meus amigos, de tão a vontade que fiquei com a escrita dessa maneira.

Celine e Max estão muito envolvidos um com o outro, mas isso pode mostrar problema em alguns momentos. A garota confia demais em Max, e acredito eu, que a longo prazo isso pode ser um problema.

Como se trata de uma trilogia, o final foi surpreendente, com uma revelação incrível, que abriu uma margem gigantesca para especulações do que vai acontecer no próximo livro. Eu fiquei de queixo caído com o final sério. Eu imaginei tantas coisas, mas nada parecido com o que a autora escreveu. Conseguiu me surpreender tanto, que eu já estou doida esperando o próximo livro. Para quem gosta de distopias, esse livro está recheado de ação e revira voltas o que faz você não ter vontade de parar de ler.

site: http://www.sugestoesdelivros.com/2017/06/resenha-sobreviventes-do-caos-trilogia.html#.WVrdfYQrLIU
comentários(0)comente



Nic @cortedelivros 07/06/2017

Um senhor livro!
Genteeee, se vc curte uma distopia, chega junto pq eu tenho uma aqui pra te recomendar, li e aprovei.
Em Sobreviventes do Caos encontraremos um mundo que foi devastado por um vírus que saiu matando geral. No ano 2323 se formaram vários grupos de sobreviventes e eles não são tão pacíficos entre si, tem uma vibe meio The Walking Dead (sem zumbi, é claro)

O livro é narrado pela Celine, que é bem carismática e badass.. Ela é a responsável por seu grupo e logo no começo do livro rola a morte de um personagem mto íntimo dela que já deixou minhas estruturas abaladas.. O grupo que ela comandava foi atacado por outro que eles haviam oferecido abrigo então Celine dá o fora dali e vai de encontro com os fugitivos de outro grupo (do deserto). No meio de todo esse vai e vem que citei rola mta cena de ação, que são muito bem escritas e sem aquele excesso de descrição (ponto positivo)

O interesse amoroso Celine, Max aka gostoso delícia supremo é extremamente ciumento, chega a ser doentiu às vezes, MAS ela sabe por ele no lugar, ela não é sonsa nem retardada e é quem manda nessa relação. Já vou avisando que eles têm muita química e graças a dios tem momentos hot (um vivaaaa \o/). Uma coisa que me incomdou foi o instalove do Luke (fugitivo do grupo do deserto), ele se apaixou rápido demais pela Celine e o Darion (bff da Cel) tá na friendzon ou seja.. Mta gente quer a Cel mas ela é toda do Max.

A Celine passa por tanta coisa e em nenhum momento ela toma decisões estúpidas ou egoístas, ela está sempre pensando no bem estar dos seus companheiros.
O final do livro é incrível pq acontece uma revelação que mudará TUDO e que me deixou doida pela continuação! O gancho é gigantescooo e de arrancar os cabelos! Fora algumas falas que achei forçadas (todas vindas do Luke) o livro é mara! é rápido de ser ler e a trama cativa muito.
comentários(0)comente



Evy 06/06/2017

Trilogia 2323 - Sobreviventes do Caos
Tudo se inicia no ano de 2222, com o surgimento de um vírus letal, que em pouco tempo havia devastado boa parte da raça humana. Havia uma cura, uma medicação cuja posse estava nas mãos dos Estados Unidos. Com o desespero em exterminar o vírus países começaram a invadir os EUA e junto ao caos e o sofrimento iniciou-se uma guerra mundial.

Em 2223 a guerra havia terminado uma boa parte do trabalho da praga. Poucos sobreviventes restaram espalhados pelos continentes e cada dia que passava eles tentavam levar a vida em frente.

"É tarde e ainda chove. Saio para a noite mesmo assim, deixando a chuva me molhar. Dizem que água da chuva purifica. Quem sabe? Não custa tentar."

Entre os sobreviventes foram criados grupos, formando assim o povo da Fortaleza, o povo da Areia e os Aligortes. Cada qual com seu líder e locais de refugio e sobrevivência.

Celine, a protagonista, é a líder dos guerreiros do seu povo. Ela é arqueira e tem uma personalidade bem forte. O livro é uma distopia narrado por ela, onde nos é mostrado com detalhes e escrita simples e leve sobre os acontecimentos, desde seu relacionamento pessoal com outro personagem até a forma como ela planeja e demonstra sua liderança. Conseguimos entrar na história e visualizar tanto os personagens como o cenário, assim como podemos sentir as emoções pela qual cada um passa.

Somos apresentados a mais alguns personagens, como Darion, melhor amigo de Celine e Max, que seria como um namorado, porém os dois não tem nada assumido em público, mas em algumas partes percebemos que eles possuem uma intensa relação.

"Olho para Darion e vejo o quanto ele está decidido. Sei que ele tem um plano pronto em sua mente e eu estou louca para participar dele."

Desde pequena Celine e seu irmão, Júlio, foram ensinados a lutar para se defender e se tornarem fortes quando passassem a liderar o grupo. Havia se passado um tempo desde que Júlio seguiu caminho para a Fortaleza. A garota já estava preocupada e de alguma forma ou de outra queria ir atrás de Júlio. O que ela não esperava era ter alguém que traísse seu grupo e que ela fosse sequestrada.

Neste sequestro, Celine conhece Luke e sua irmã, além de descobrir algo terrível. A história se segue com a fuga dos três das mãos dos traidores e o final é surpreendente. É algo que não imaginamos.

Venha conhecer esta história e esperar pelos próximos volumes!

site: http://cantaremverso.blogspot.com.br/2017/05/resenha-sobreviventes-do-caos.html
comentários(0)comente



umalivraria 30/05/2017

Amei!!
Ano 2222
Um vírus mortal atinge metade da população do mundo, após a contração da doença, só restava setenta e duas horas ao infectado.

O Estados Unidos desenvolve uma medicação que ameniza os sintomas, prolongando a busca de uma cura.

Logo criou-se o caos, pois o governo americano decidiu usar o remédio somente nos cidadãos americanos, causando desespero em outros países. A guerra começou e terminou o que a doença havia iniciado, a extinção da humanidade.

Ano 2323
Doentes assassinados e saudáveis poupados.

Os sobreviventes se dividiram em povos, cada um com seus guerreiros, sobrevivendo como podiam na floresta e no deserto. Tudo havia sido destruído.

Os aligortes fingiam querer a paz, mas lutavam por poder, totalmente gananciosos. O povo da areia, que vivia no deserto, matavam sem dó. Para controlar e manter a ordem, a Fortaleza existia. Um povo com a tecnologia avançada e, mesmo a favor da paz, usava a violência para punir quem não seguia suas leias.

No meio disso, conhecemos Celine. Uma garota estrategista e forte, líder dos guerreiros de seu povo. Seu irmão desaparecido, foi atrás de ajuda da Fortaleza, mas não havia retornado e a preocupação surgia em todo alojamento.

Celine não confia em ninguém e seu instinto de guerreira não falha.

Júlio, seu irmão, antes de desaparecer formou uma aliança estranha com os aligortes e a garota não entende o que ele quis fazer com isso, já que alianças são difíceis. Logo ela e seu povo são vítimas de uma enorme traição.

Sem os seus pais e Júlio, nossa princesa guerreira terá que tomar decisões importantes para defender quem ama.

Distopia é um dos meus gêneros favoritos, acho genial criar uma história que acontece no futuro, mas sempre com a possibilidade daquilo realmente acontecer no presente. Deu pra entender?

O fato é, toda distopia nos traz algo reflexivo sobre o mundo que vivemos, será que realmente estamos indo no caminho certo? Será que podemos confiar no governo? Como tudo vai estar no futuro?

Bianca tem uma escrita bem única, você não sossega até saber o final. Os personagens são bem construídos, dos vilões aos mocinhos. Existe romance, cenas hot, mas o livro foca na dificuldade que eles enfrentam em viver naquelas condições.

O interessante é que cada povo tem sua cultura e o leitor conhece cada uma.

Você ama e odeia.
Quer xingar e abraçar.
Ajudar e atrapalhar.
Oito ou oitenta.

Foi uma leitura incrível e bem fluída, realmente recomendo. ❤

site: https://www.instagram.com/umalivraria/ - http://umalivrariaaa.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Jhonatan A. 29/05/2017

A distopia nacional que faltava nas minhas leituras.
Sempre gostei de distopias e não sei exatamente o motivo, talvez por vivermos numa - ou estarmos caminhando para ela. Aqui no blog está resenhado algumas das que mais fizeram sucessos ultimamente. Quando tive a oportunidade de ler uma distopia nacional fiquei muito contente e não perdi tempo. Foi um mexilhão de sensações, algo ótimo.

A população da Terra fora destruída em 2322 por um vírus letal, restando apenas poucos sobreviventes. No ano seguinte, com alguma recuperação, passam-se a formar povoados distintos para dar continuidade a vida após esse desastre apocalíptico. De certa forma pode parecer comum ter este início, porém o restante se sobressai em diversos aspectos.

Celine é uma princesa guerreira, de personalidade forte, impaciente e mandona. Vê seu distrito ameaçado após uma invasão de inimigos. Seu irmão, que até então era o líder, e grande parte de seu grupo encontra-se sumidos ou rendido aos intrusos.

Porém estes não são os únicos problemas de Celine, em meio a narrativa ela vai soltando tudo o que a machuca. Cada perca familiar, cada dor. Pai, mãe, recentemente irmão e agora seu povo em risco. O ponto alto da narrativa é a superação dos obstáculos da personagem, traições ocorrentes e romances em meio a guerra.

"As pessoas que eu amo morrem aos poucos. Uma de cada vez. Às vezes, a vida se encarrega de manter uma morte afastada da outra."

Apesar do avanço em anos, com exceção da Fortaleza, os demais grupos tinham recursos escassos, isolamentos e dificuldade de comunicação. Tudo isso contribui para o desconhecimento de adversários ou péssimo conhecimento do que os esperava.

A escrita é bem elaborada e não houve rédeas quando se tratou de ousadia. A trama é narrada em primeira pessoa, o que facilita aos leitores ter os sentimentos do protagonista direcionados a nós. Algumas passagens do livro poderiam ser reduzidas, mas isso é algo que não atrapalha a leitura.

O livro digital pertence a uma trilogia e o primeiro está disponível na Amazon para quem tiver interesse.

site: http://clicheimperial.blogspot.com.br/2017/05/resenha-sobreviventes-do-caos-bianca.html
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 15/05/2017

Originalmente postada em https://balaiodebabados.blogspot.com.br
Livro bom é aquele que você diz que vai ler só o primeiro capítulo e, quando se espanta, já passou da metade. Foi isso que aconteceu comigo em Sobreviventes do Caos.

Sobreviventes do Caos dá muito jus a esse título. Somos apresentados a um mundo devastado após uma doença se espalhar e agora é cada um por si e God por todos. E é assim que conhecemos Celine.

Com certeza Celine e eu seríamos boas amigas. Gente, cada palavra que saia da boca dessa garota jurava que era eu falando ali. Celine é irônica, dá uma de Simba rindo na cara do perigo e não ganhou o apelido de princesa guerreira à toa. (#sdds Xena inclusive) Líder dos seus guerreiros, quando necessário, Celine vai à luta e não precisa de ninguém para defendê-la. OK que algumas vezes ela dá uma de impulsiva, mas sabe reconhecer seus erros. Todas as suas ações têm como objetivo manter seu povo a salvo.

Apesar do livro ser narrado por Celine, a história também foca nos personagens secundários. Além de bem construídos, eles foram também bem trabalhados, até alguns que apareçam por pouco tempo. Dou destaque aqui aos boys Max, Darion e Luke. De personalidades super diferentes, os três são pessoas bastante especiais para Celine e também tem como objetivo manter seu povo a salvo.

Apesar de não ser o foco aqui, também temos uma pitada de romance sexy sem ser vulgar. Isso é bem equilibrado com as cenas de lutas – e que cenas, senhores – ação, algumas bem tensas de te deixar com os nervos à flor da pele e algumas bem amorzinhos de deixar suspirando. E essa mistura faz com que a leitura seja bastante prazerosa. Fora que, a cada capítulo, você fica na ansiedade pra saber o que vai acontecer em seguida.

Sendo o primeiro de uma trilogia, durante a história vamos sabendo de algumas informações sobre como está o mundo agora. Apesar das muitas informações, elas não são jogadas de uma vez na nossa cara, o que achei ótimo. Dentre essas informações, boa parte delas falam sobre os povos que habitam esse mundo - divididos entre povos da floresta (galerê da Celine e Darion), povo da areia (galerê do Luke), aligortes (aka embustes ambulantes) e o povo da fortaleza (galerê do Max). Bianca soube caracterizar bem esses povos - tanto no modo de viver quanto na organização - e é bem perceptível a diferença entre eles quando se encontram.

Outro fato que colaborou muito para a leitura foi a escrita da Bianca. Super fluída e fácil, foi assim que me vi lendo mais que um capítulo e só parando porque minha enxaqueca resolveu dar as caras. O que mais ajudou na leitura foi a linguagem fácil e jovial que condiz com a idade dos personagens. Não temos uma menina de 19 anos com um vocabulário todo rebuscado de alguém que nasceu na década de 20 por exemplo.

Os acontecimentos do livro ocorrem num espaço relativamente curto de dias, mas tudo bem trabalhada e crível. As cenas de lutas e ações são bem escritas e descritas e me deixaram de coração na mão. Falando em coração na mão, o que foi aqueles capítulos finais? Não conseguia parar de ler até saber como tudo ia ser resolvido. Bianca sabe mesmo como brincar com nossos sentimentos, principalmente com aquele final. Que final, senhores! Só sei que já quero o próximo.

Apesar de ser de um gênero um tanto saturado na literatura, super aconselho a dar uma chance a Sobreviventes do Caos.

Leia mais resenhas em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/

site: https://balaiodebabados.blogspot.com.br/2017/05/resenha-165-sobreviventes-do-caos.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Da Silva 26/04/2017

A garota de personalidade forte, um mundo pós-apocalíptico e a guerra entre os povos sobreviventes, o que você seria capaz de fazer para defender aqueles que você ama?
2323 – Sobreviventes do caos é um livro nacional escrito por Bianca Gulim, disponível na amazon, que nos prova o quanto uma distopia pode lhe causar um turbilhão de sentimentos. A leitura é de fácil entendimento, o difícil é parar de ler e conseguir ficar esperando a continuação.

A trama narra um mundo pós-apocalíptico, devastado por um vírus letal, onde os povos lutam pela sobrevivência e evitam derramamento de sangue, mas sempre existem pessoas do contra, claro. Celine, uma jovem garota, se vê obrigada a fazer o possível para proteger o seu povo e a sua família, às vezes tendo de agir contra as suas próprias vontades.

“– Todo ataque é estranho, Celine. O que falta é amor no coração dessas pessoas.”

O livro é escrito em primeira pessoa, sendo possível compreender a difícil personalidade da protagonista, seus medos e desejos. A vida de Celine é cercada de acontecimentos trágicos, colocando em cheque a força e a capacidade da personagem em conseguir superar ou tentar conviver com as tristezas que a rondam.

As cenas de ação do livro são impactantes e nos instiga a continuar lendo cada capítulo como se fosse o último. O romance não é recorrente, sendo um complemente e que não podia ser oculto. Os dramas e eventos ocorridos no livro nos emocionam, são diversas sensações que se torna difícil retrair as lágrimas.

A escritora soube utilizar as palavras certas para descrever as melhores cenas do livro, mostrando o seu talento e lealdade com o restante da trama. Soube ousar ao colocar vários palavrões na narrativa, deixando-a mais próxima da realidade vivida entre os adolescentes.
Se você procura por uma boa distopia e quer se emocionar do inicio ao fim, então 2323 – Sobreviventes do caos é a opção perfeita para lhe proporcionar uma leitura fenomenal. Venha se aventurar ao lado de Celine, Luke, Max e Darion.


site: valorizandoosescritoresbrasileiros.blogspot.com
comentários(0)comente



Nedi 19/04/2017

Para quem gosta deste gênero de livros e com uma heroína pra lá de durona e que não tem medo de encarar os desafios, 2323: Sobreviventes do Caos será um prato cheio.
No ano de 2222 um vírus letal dizimou a população da terra e somente os que conseguiram escapar sobreviveram. Em 2323 o planeta conseguiu se livrar do vírus e os poucos sobreviventes que restam estão divididos em povoados: a fortaleza, povoado maior, com tecnologia e auto intitulados pacificadores (através da morte dos desordeiros). Povo da Areia, conhecidos por sua cara pintada, vivem no deserto, tamanho desconhecido. Aligortes, povoado não muito grande, não são estrategistas nem bons guerreiros. E por último, o Povoado de Julio e nossa heroína Celina, povo guerreiro e estrategista, são cerca de 80 pessoas.

Julio é o líder do povoado e está desaparecido depois de sair sozinho em missão até a Fortaleza. Celine é a irmã de Julio e líder dos guerreiros. Extremamente inteligente, ela foi torturada aos 9 anos e viu sua mãe ser assassinada após seu pai trair o povo. Devido a isso, Celine se tornou uma forte, decidida, treinou duro e pode ganhar de qualquer homem em um combate, afinal, força bruta não é tudo.
[...]

Para conferir o resto da resenha, acesse o blog e aproveite e deixa lá seu comentário ;)

site: https://paginaebooks.wordpress.com/2017/01/20/resenha-2323-sobreviventes-do-caos-trilogia-2323-1/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mineli 17/04/2017

Pedacinho da resenha:
[...] "É perfeito. A história é fascinante, envolvente e sinceramente... Não sei o que dizer dele! Celine virou uma inspiração para mim!! Q guerreira, heim? É uma princesa, lutadora, forte, GUERREIRA! Max, gnt, o q é aquele homem?? Os guerreiros, todos eles... São maravilhosos, eu amei. E, não posso dar spoilers aqui, mas que FINAL!!! Parabéns, Bianca. O meu único ponto crítico em relação a história é o tempo em que ela se passa, às vezes fiquei um pouco confusa. Mas é um ótimo livro!! [...]
Veja a continuação da resenha no meu blog.

site: www.poematizadoblog.blogspot.com
comentários(0)comente



Anne 06/04/2017

E se metade da população da terra fosse dizimada por um vírus letal? E se a única matéria prima disponível para a cura estivesse sob proteção dos EUA ? Em sobreviventes do caos (primeiro livro da trilogia 2323) é exatamente isso o que acontece . Para piorar a situação, os Estados Unidos decide não compartilhar o medicamento com o resto do mundo, gerando uma guerra mundial e resultando em um planeta totalmente diferente do que conhecemos .
Os sobreviventes se organizaram em povoados e, quatro são mencionados no livro : Povo da areia , populares por sua bravura e caras pintadas de preto ; Os Aligortes conhecidos por sua
brutalidade , porém muito ruins em estratégia; A Fortaleza, único povoado possuidor de armas de fogo, tecnologia e consideravelmente mais poderosos , sendo geralmente o apaziguador de brigas. O último povo é conhecido pelas suas estratégias e por ser um povo extremamente guerreiro. Celine , a protagonista , pertence a essa tribo.
Celine perdeu a mãe ainda muito nova e culpa pai o pai por esse acontecimento. Dessa forma , acabou sendo cuidada e treinada pelo irmão Júlio , que se tornou o líder do povo e ela, líder dos guerreiros . No entanto , logo no inicio do livro Júlio sai do alojamento e há dias não manda noticias, deixando o povo sobre responsabilidade de Celine , Dario e Max (um ex integrante da Fortaleza ) .
Em meio ao sumiço de Júlio , o alojamento da tribo de Celine é tomado e ela acaba prisioneira , dividindo a cela com um jovem do povo da areia ( leiam lindo) e uma menininha .
Como Celine escapará ? Quem a prendeu e por quê? Como defender o seu povo ? Essa parte eu não conto , vocês terão que descobrir sozinhos .
comentários(0)comente



Ygo 05/04/2017

Resenha Mergulhando Na Leitura
Em seu livro de estreia, Bianca Gulim trilhou um caminho que não é mais novidade no mundo literário, mas que eu particularmente adoro: apostou em uma protagonista mulher, forte, determinada e corajosa, dentre outras virtudes. Celine é a heroína e a condutora da história. Aliás, o fato de ser narrada em primeira pessoa torna a obra ainda mais dela. Sim, amigos, ela é a dona do jogo!

Líder de seu povo, a guerreira tinha tudo para cair na caricatura. Celine poderia, de fato, existir na vida real? Eu me fiz essa pergunta no decorrer do livro e cheguei à conclusão de que o perfil dela foi desenhado bem próximo da realidade. Ela se despiu da armadura de “mulher de ferro” em alguns momentos do livro, deixando à mostra suas inseguranças e medos. Acontece que, por já ter sofrido muito, ela considera o ataque a sua melhor defesa, então, suas atitudes são compreensíveis.

Sendo assim, quem poderia desarmá-la? A resposta é clichê: um grande amor. Desde o começo, eu já senti que havia uma grande tensão entre Celine e Max, que certamente iria se desenvolver nos capítulos seguintes. E assim foi. A autora foi mesclando cenas de lutas e embates, que perpassaram boa parte do livro, com algumas partes bem quentes envolvendo o casal citado, sem ser apelativa e vulgar.

Bianca tem uma escrita muito correta e agradável.

site: Acesse: https://ymaia.blogspot.com.br/2017/04/resenha-sobreviventes-do-caos.html
comentários(0)comente



33 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3