Horário de verão

Horário de verão Everaldo Rodrigues




Resenhas - Horário de verão


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Dallas 22/09/2017

Crianças, rituais, possessão e horror cósmico. O que esperar de tudo isso? Eu conto.
Mais que uma história de horror envolvendo crianças. Uma lição de amor.
O plot é simples e brutal. Três meninos que no auge da infância, entre brincadeiras e passeios de bicicleta por estradinhas de terra, precisarão usar a força e a inteligencia para lutar contra um mal maior. E como sabemos, o mal mora nos detalhes.
Carlos mora sozinho com sua avó, Dona Mônica, sua unica família. Com o passar do tempo, entendemos que, na verdade, a doença de dona Mônica não é um simples mal da idade, mas sim uma entidade maligna e muito antiga que está se apossando e se nutrindo dela.
Carlos vai contar com a ajuda dos amigos Paulo e Samuel para combater esse mal. Mas como se derrota algo que não se vê? É ai que começam os pesadelos.
Everaldo Rodrigues nos despeja uma enxurrada de homenagens e referencias de grandes obras onde o horror e a amizade caminham de mãos dadas com personagens infantis. Como por exemplo, vemos a influencia e inspiração de Stephen King em trabalhos como IT e O corpo (Conto retirado do livro Quatro estações). Só quem já leu obras como essas podem entender a nostalgia de crianças andando de bicicleta pela cidade tentando reunir as peças do quebra-cabeças para resolver o grande problema.
Everaldo Rodrigues nos brinda com todas essas referencias num estilo próprio e cativante que irá te deixar sedento por mais.
Não só vemos a influencia de Stephen King na obra, como também notamos as peculiaridades de HP. Lovecraft em sua parcela de horror cósmico abordada. Toda a explicação de onde vem essa entidade milenar, ou como surge, se manifesta e como seria possível derrotá-la, é visivelmente uma referencia a esse grande autor clássico do horror.
E por fim, temos o estilo próprio do autor. Everaldo Rodrigues faz; não apenas em Horário de verão, mas em praticamente todos os seus livros, uma coisa que particularmente gosto muito. Ele nos mostra que boas histórias jamais serão somente preto no branco. Nada é uma coisa só. O que seria da luta de Paulo, Carlos e Samuel contra o maleficio, sem abordar todo o calor de uma amizade verdadeira?
O amor puro e sem preconceitos dos personagens valem mais que toda as cenas de dona Mônica levitando ou gritando palavrões.
O autor mescla tão bem os universos, fantasia com realidade... Terror e amizade... Amor e crueldade...Que ao findar a leitura passamos a nos perguntar: Mas afinal de contas, a vida não é mesmo assim? Pois não temo apenas um tipo de problema e sim varias coisas se juntam de formas diferentes formando um Monstro. E o que pode ser feito para derrotá-lo? Acreditar, confiar, amar e agir.
Portanto, Horário de verão é uma obra muito difícil de ser esquecida. Entre histórias de bruxas e monstros, há uma grande trama contada da forma mais simples possível, e mesmo assim deixa para trás aquele gostinho de conspiração.
Ajuste seu relógio, pois o horário de verão está chegando.
Resenha em vídeo abaixo. Por Pulp Fictions com Lucas Dallas


site: https://www.youtube.com/watch?v=QE---ZumdoQ
comentários(0)comente



Lya 23/07/2017

Livro muito bem escrito, história envolvente com personagens carismáticos. A única coisa que posso dizer que não gostei tanto foi que a história secundária acabou ficando um pouco extensa mas nada que prejudique muito o livro. Tive medo de que o final ficasse meio aberto e não respondesse todas as minhas perguntas mas não foi o que aconteceu.
A melhor parte pra mim foi que, por o livro ser nacional, a gente acaba se identificando muito mais com o cenário e com os personagens. Recomendo.
comentários(0)comente



Scariot 24/07/2019

Original, forte e surpreendente
Sabe aquele livro que você começa e não quer terminar de ler? Aquele livro que te prende desde o começo, com uma trama original, com personagens cativantes que te fazem sentir um aperto no coração com as situações? Pois bem, esse livro se encaixa em tudo isso.
A trama do livro segue três amigos, Paulo (o narrador da história), Samuel e Carlos. Eles são colegas em uma escola particular numa pequena cidade de São Paulo. São as vítimas dos valentões, Paulo por ser nerd, Samuel por ser gordo e Carlos por ser pobre e morar com sua vó em uma casinha distante da cidade, e ai que tudo começa, com a vó de Carlos.
Eu não sei até que ponto dá para se falar da obra sem dar spoiler, mas ela envolve amizade, entidade milenar maligna e poderes mediúnicos.
Tem cenas realmente fortes, fazia tempo que eu não sentia calafrio lendo alguma coisa, e com uma cena nesse livro eu senti.
O livro tem um que de Conta Comigo do King e uma pegada Lovecraftiana na metade final.
No livro tem uma história que a vó de Carlos conta para as crianças, que é muito boa, poderia ser um conto isolado de tão boa que é.
Pois bem, corram pro kindle de vocês e leiam, vocês não irão se arrepender.
Everaldo é um escritor de mão cheia. Li dois livros dele e adorei os dois. Posso dizer que ele não me decepciona.
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3