Codinome Lady V

Codinome Lady V Lorraine Heath




Resenhas - Codinome Lady V


63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Meu Vicio em Livros 17/08/2017

AMEI!!
Minerva Dodger tem vinte e oito anos e está cansada dos pretendentes sem futuro que aparecem no seu caminho e que só estão interessados no seu dote imenso. Estas cenas no decorrer da história são hilárias. Todos querem uma esposa perfeita, como um objeto decorativo, que não tenha opiniões próprias e ela está bem longe de ser o que eles precisam. Ela quer ser feliz e conhecer o prazer que só um homem pode oferecer. Por isto, com a ajuda da cunhada ela consegue um convite para o clube de Nightingale, onde as mulheres podem encontrar um amante mantendo o anonimato por trás das máscaras. Achando que lá é o lugar perfeito para encontrar o que precisa, Minerva não pensa duas vezes e vai até lá, dando de cara com os olhos azuis do Duque de Ashebury. LEIA A RESENHA COMPLETA NO LINK: http://www.meuvicioemlivros.com/2017/08/resenha-codinome-lady-v-os-sedutores-de.html

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2017/08/resenha-codinome-lady-v-os-sedutores-de.html
comentários(0)comente



Jéssica Spuzzillo @pintandoasletras 16/08/2017

Resenha: Codinome Lady V
#ResenhadaJess – Codinome Lady V – Lorraine Heath – 4/5*
.
“Em algum momento ou outro, nós todos somos pecadores, todos temos algo a esconder”
.
Minerva Dodger, é filha de um dos homens mais ricos de Londres. Depois de seis temporadas sem chamar atenção de nenhum pretendente que quisesse se casar por amor e não por dinheiro, ela desiste e se conforma que vai ficar solteira para sempre.
.
Apesar disso, ela gostaria de sentir o prazer de ser desejada por um homem. Então, contrariando todas as regras da sociedade, ela decide visitar um clube chamado NighTingale, onde as moças de Londres têm a oportunidade de compartilhar seus desejos mais profundos no anonimato. Com uma máscara e um novo nome, Lady V conhece o encantador Duque de Ashebury.
.
A atração entre eles é imediata e as faíscas voam, mas enquanto Minerva se apega ao anonimato, Ashe está decidido a descobrir quem é essa mulher que mexeu com a sua cabeça.
.
Uma relação lenta e quente começa a ser construída, será que se transformará em amor?
.
Eu gostei muito da Minerva, ela é independente e corajosa, porém não tem medo de admitir que possui algumas vulnerabilidades. As suas incertezas sobre as artimanhas femininas a tornaram cativante e engraçada.
.
E amei Ashe, por trás da sua armadura de rapaz bonito, libertino e encantador, se esconde um menino que sofreu muito por conta da morte dos pais, que não acredita no amor por causa do que aconteceu com o seu guardião, torci muito para que ele deixasse ser amado. Também gostei de alguns personagens de apoio e espero vê-los com suas próprias histórias.
.
Não houve drama desnecessário nessa história e isso foi um dos fatos que mais amei, mesmo quando surge um mal-entendido, felizmente ele é resolvido com rapidez. Minha única queixa foi o final ter terminado de forma abrupta, senti falta de mais.
.
Essa história é tudo que podemos desejar de um romance histórico, apaixonado, divertido e que derrete nossos corações.
.
Estou ansiosa para ler os outros livros da série “Os Sedutores de Havisham” adorei a personalidade do Edward, quero muito o livro dele! @editoragutenberg não nos deixe esperar tanto, por favor!

site: www.pintandoasletras.com.br / https://www.instagram.com/pintandoasletras
comentários(0)comente



Janise 16/08/2017

Codinome Lady V

Um clichê excelente, onde a mocinha feia, inteligente e com um dote vultuoso, desiste de casar, e, onde um libertino depois que tem um encontro com a mocinha fica encantado.
A escrita é excelente, flui feito água abaixo. A história é envolvente e difícil de largar a leitura. Os personagens são ótimos e carismáticos
Minerva não é considerada uma moça bonita, mas é muito inteligente, o que é um problema para a época. Seu comportamento não é igual ao das mocinhas recatadas e fúteis da época. Ela conversa sobre tudo e se coloca de igual a igual com o homem. Mas nada vulgar nem feminista, longe disso. Mesmo assim isso afasta os homens. Bem, na verdade, ela teve muitos pedidos de casamento, mas o que eles queriam era o dote dela que era mais que generoso.
Cansada dos caças dotes e querendo ter uma experiência com um homem, ela decide a ir em um local especial, onde sua identidade seria preservada, inclusive com uso de máscara. Na verdade é um puteiro chique.
E lá nesse pute… ops, nesse clube, Minerva se envolve com o Duque de Ashebury. Um homem lindo e maravilhoso que não quer envolvimento e nem repete mulher, isso até experimentar de Minerva, que usa o codinome de Lady V.
Algumas coisas acontecem até tudo acertar entre eles. A mudança e a descoberta do amor entre eles, apesar de rápido, é gradativo. Eles combinam.
Não tem grandes dramas e nem mimimi, o que é um alívio. É um livro doce para as românticas.
E foi assim.
Bjoo.


site: https://janiselendo.blogspot.com.br/2017/08/codinome-lady-v-lorraine-heath.html
comentários(0)comente



Maria - Blog Pétalas de Liberdade 10/08/2017

Resenha para o blog Pétalas de Liberdade
"Minerva fechou a mão ao redor da resposta aos seus sonhos. O tempo de ser cautelosa já tinha passado. Ela ansiava por uma noite da qual se lembraria." (página 25)

Vocês sabem que eu sou apaixonada por romances de época, né? Então, quando vi que a editora Gutenberg publicaria "Codinome Lady V", li a sinopse e fiquei encantada pela capa, quis demais ler esse livro. Aproveitei uma promoção relâmpago na Amazon e comprei pouco depois do lançamento. E o que acontece quando se vai com muita sede ao pote? Pois é, eu gostei de "Codinome Lady V", mas não superou minhas expectativas.

Com narração em terceira pessoa, conheceremos Minerva Dodger, que após seis temporadas ainda não tinha se casado. Ela era filha de Jack Dodger, que, ao contrário da esposa, não era um aristocrata, mas era um homem muito rico que havia dado um dote enorme para a filha. Esse dote fazia com que somente os caçadores de fortuna se interessassem em lhe propor casamento, apenas por causa do dinheiro, e as propostas iam ficando cada vez piores com o passar dos anos.

"- Nós não gostamos da ideia de você não se casar - a mãe interveio -, de ficar sozinha.
- Eu não vou ficar sozinha. Tenho amigos. Tenho família. Não preciso de um marido para completar minha vida." (página 239)

Minerva não era considerada bonita para os padrões da época, nem se comportava de forma submissa como esperavam que as moças se comportassem. Minerva era inteligente, tinha a mesma vocação para negócios que o pai, e não se sujeitaria a um casamento sem amor após ver como os pais se amavam e como o irmão e a melhor amiga dela também tinham um casamento baseado nesse sentimento. Mas Minerva queria saber como era ser desejada, como era se sentir valorizada não por seu dote, e por isso decidiu ir até um clube chamado Nightingale, onde mulheres poderiam encontrar amantes em segredo, mesmo que fossem amantes de uma noite só, sem manchar sua reputação. Eis que ela encontrou o Duque de Ashebury!

Ashebury (ou simplesmente "Ashe") ficou órfão ainda criança, e foi morar com mais dois garotos órfãos na Mansão Havisham, onde já havia um garoto. Os quatro se tornaram amigos desde então. Adultos, viajam pelo mundo em aventuras. Agora que Ashe estava na cidade, ficou fascinado ao encontrar uma misteriosa mulher no Clube Nightingale, uma mulher mascarada que se apresentou como Lady V, e mexeu com ele. Agora, Ashe precisava descobrir quem era aquela mulher.

"O perfume de verbena ainda o envolvia. Se ela não fosse Lady V, ele comeria seu chapéu na Trafalgar Square." (página 93)

Como vocês devem imaginar, Lady V foi o apelido que Minerva usou, e ela também ficou balançada por Ashe, mas ele nunca havia reparado nela antes do encontro no clube. Eis que a curiosidade de Ashe e a atração de ambos fará com que finalmente se aproximem, mas além de problemas do passado que atormentam Ashe, ele descobre que sua situação financeira não está boa, mas Minerva jamais se casaria com um caçador de fortunas. O que lhes digo é que o final feliz desses dois será bem trabalhoso.

"Com a aversão que tinha a caçadores de fortuna, como Minerva iria entender que ele não era nada disso?" (página 204)

Acredito que a abordagem humana dada aos personagens seja o maior acerto da autora. A história se passa por volta de 1878, em uma data mais recente do que a maioria dos romances de época que li, e é bem visível como a diferença entre nobres e ricos não nobres já estava ruindo, assim como é possível perceber que as mulheres tinham um pouquinho mais de liberdade. Com isso, foi possível que Minerva expressasse ainda mais as suas qualidades. Eu gostei muito da forma como ela tinha amigos do sexo masculino, e de como eles recorriam a ela em questões de negócios. Jack Dodger, o pai da protagonista, também roubou a cena em vários momentos. A forma como ele amava a filha e como colocava a felicidade dela acima de qualquer convenção da época é encantadora, ainda nos dias atuais Jack Dodger é um exemplo de pai. E Ashe também foi um personagem interessante e bem construído, a relação dele com os outros três garotos com quem viveu na Mansão Havisham (e com o dono da casa) é um dos pontos altos da obra.

"(...) Ele deu um sorriso compreensivo para a filha. - Case-se com um açougueiro, um padeiro, um fabricante de velas. Ou não se case. Eu não ligo. Nem sua mãe. Tudo o que nós sempre quisemos é que você seja feliz." (página 98)

"- Meu Deus! Não, papai!Meu dote já é grande o bastante para atrair caçadores de fortuna do outro lado do oceano. Tem mais a ver comigo. Não sou o tipo de mulher por quem os homens se apaixonam. Eles não me acham muito dócil.
- Se não a admiram, que se danem. Não mude por nenhum deles.
Jack Dodger defenderia seus filhos até a morte. Minerva o amava por isso." (página 97)

Agora, vamos falar sobre os aspectos que foram diferentes das minhas expectativas. Primeiramente, achei alguns personagens masculinos muito saidinhos, cantando as moças de um jeito meio descarado, eu não imagino pessoas se expressando dessa forma em pleno século dezenove. Há muitos personagens no livro, e fuçando no Goodreads (espécie de Skoob gringo) eu descobri que esse não é o primeiro livro da autora, que há um livro sobre os pais da Minerva, sobre a melhor amiga dela e sobre outros personagens de "Codinome Lady V", e isso faz com que durante a leitura fique aquele "gostinho de quero mais", há uma curiosidade de conhecer melhor como Jack Dodger, um plebeu, desafiou a nobreza para se casar com a mãe de Minerva, fica uma vontade de saber mais sobre a vida dos quatro garotos em Havisham... Parte dessa curiosidade pode ser sanada com a publicação de mais livros da autora no país, mas se eu já tivesse lido algum desses livros, estaria mais habituada com o ambiente em que a obra se passa.

Sobre o aspecto físico, a editora Gutenberg trouxe uma capa linda (todo mundo que viu o livro na minha casa ficou encantado pela capa), páginas amareladas, detalhes no início de cada capítulo, letras, fonte e diagramação de bom tamanho. Em tradução literal, o título original "Falling Into Bed with a Duke" ficaria como "Caindo na cama com um duque", mas "Codinome Lady V" ficou bem mais interessante, concordam?

Enfim, fica a minha recomendação para quem procura um romance de época que se passa numa época posterior a da maioria dos romances de época, com tudo de bom que os livros do gênero possuem: diversão, romance, além de uma história que realmente prende o leitor.

site: http://petalasdeliberdade.blogspot.com/2017/07/resenha-livro-codinome-lady-v-lorraine.html
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 07/08/2017

Quando comecei a ler, eu esperava algo bem clichê e muito voltado para o erótico. Até que me enganei. O livro tem aquele toque sensual, mas de uma forma mais cuidadosa, eu gostei bastante da forma como foi desenvolvido isso, sem ser voraz ou mesmo vulgar.

(...)

Embora pareça tudo muito clichê – e, convenhamos, em um romance de época, é bem difícil fugir deles – eu gostei muito do desenrolar da trama. Mesmo com suas suspeitas sobre a identidade de lady V, Ashe acaba se interessando por Minerva, enxergando além das aparências e do dinheiro dela. O que a encantou ainda mais. Porém, não podemos esquecer que ele descobre que está em dificuldade financeira e isso pode fazer com que suas chances com Minerva fiquem quase nulas.

Minerva nunca se achou bonita, principalmente depois de várias propostas de casamento vindas de homens que demonstravam que queriam seu dote. Era algo que beirava ao ridículo, pessoas fazendo proposta do tipo “olha só, eu me caso com você, te dou meu nome, você não será mais a solteirona da década e, em troca, você me dá seu dinheiro!” Eu ficava abismada com as coisas que lia a respeito disso. Por isso, demorou a acreditar que Ashe estivesse realmente gostando dela.

(...)

A química entre o casal principal é ótima, gostei muito dos dois personagens. Embora Ashe tenha me decepcionado um pouco quando percebeu sua situação financeira, mas a verdade é que ele já estava um pouco apaixonado por Minerva quando isso aconteceu.

Os personagens secundários também são perfeitos! Nem vou falar muito deles, porque já tinha percebido uma brecha para um segundo romance – antes eu pensava que esse livro era “filho único”, mas descobri que é uma série! Acredito que no total são quatro livros + um prequel + talvez alguma side history.

Recomendo a leitura, foi rápida e bem fluida. Para quem gosta do gênero, torna-se indispensável.

***Resenha completa no blog***

site: http://poressaspaginas.com/resenha-codinome-lady-v#more-25390
comentários(0)comente



Dani Paiva 30/07/2017

Lady V-irgem Minerva e Duque Libertino Ashe
Essa capa brasileira me conquistou real... me arrebatou... nao tive chances!
Palmas pra editora Gutenberg! Agora estamos com altas expectativas pro lançamento dos outros livros desse SpinOff (sim, SpinOff! Existe um universo principal contado na serie "Scandalous Gentlemen of St. James", em que o livro #1 eh sobre a Grace e o duque Lovingdon - melhor amiga e meio-irmão da Minerva).


Sobre a história?
Sabe aquela Lady V-irgem e solteirona e a frente do seu tempo e que fala o que pensa e que decide descobrir os prazeres do ato de reprodução sem se casar e que tem um dote gordo? Esta eh a Minerva.
Sabe aquele aristocrata libertino e safadenho e com algum trauma no passado e que adora provocar a mocinha e que no final precisa de um dote? Este eh o Duque Ashe.

Esses dois vão se unir em um clube chamado Nightingale e ela vai usar essa máscara maravilhosa da capa durante seus encontros as encondidas com o boy.

Essa Lorraine Heath sabe transformar um mega clichê em um romance de época com diálogos afiados e um cenário superenvolvente! Favoritei na minha estante pq foi uma leitura curtinha e que me prendeu do inicio ao fim!
Recomendadissimoooo!

Agora... estou tensa pra ler o próximo livro que será o daquele gemeo libertino Edward. Pela sinopse, já estou chorando pela tragedia com o gêmeo bom... buá buá buá...


/////////////////////////////////

SpinOff "Os Sedutores de Havisham":

#1 Falling Into Bed with a Duke  (Codinome Lady V)
#2 The Earl Takes All (em inglês)
#3 The Viscount and the Vixen (em inglês)
Conto #3.5 When the Marquess Falls (em inglês)
comentários(0)comente



Ani 30/07/2017

Codinome Lady V é o primeiro volume da série Os Sedutores de Havisham da autora Lorraine Heath. Nele, nós conhecemos Minerva Dodger uma jovem que está cansada de recusar pretendes que só estão interessados em seu dote. Sempre muito prática, ela está convicta da sua solteirice e não quer abrir mão da liberdade de ser quem é.




Criada por uma família mais “liberal”, ela sempre teve opinião sobre diversos assuntos e nunca se calou para agradar nenhum pretendente, aliás, por causa disso, ela sempre se tornou assunto nas rodas de conversa.
Minerva só aceitará se casar caso encontre um amor verdadeiro, igual ao de seus pais, e sabe que isso vai ser difícil tendo em vista o número de homens falidos e interesseiros que existem na alta sociedade. Louca para sentir os prazeres da carne, ela resolve conhecer o Clube Nightingale, um lugar repleto de mistério que permite que mulheres tenham seus amantes. Para isso, elas devem usar máscaras e codinomes e nunca contar para ninguém o que acontece lá.

“Acontece que eu tenho opiniões e acredito ter o direito de manifestá-las.”

Decidida em ter sua primeira vez, Minerva se torna Lady V e vai até o Clube, lá ela desperta o interesse do Duque de Ashebury, ele a convida para o quarto e ela fica extremamente feliz, mas não pretende deixar que ele descubra quem ela é.
O Duque se sente encantado pela jovem que se mostra tão decidida e cheia de opiniões e tenta de qualquer forma descobrir quem ela é.




É quase impossível não se encantar por Ashe, além de lindo, ele possui diversas histórias que fazem todas as damas suspirarem. Ele teria qualquer mulher que desejasse, o que faz com que Minerva comece a desconfiar quando ele passa a cortejá-la fora do Clube também.
Durante o dia ela é Minerva Dodger e a noite é Lady V e mesmo com diversos fatos mostrando que ela pode ser sim, desejável, a jovem não consegue se deixar levar por uma paixão.

“Por que é aceitável que os homens sejam libertinos, mas não que as mulheres possam usufruir das mesmas liberdades?”

Esse foi o meu primeiro contato com a escrita da autora e foi tão envolvente que eu consegui ler a obra em dois dias. Eu sou uma grande fã dos romances de época e de todas as obras que já li do gênero, acredito que Minerva foi a personagem mais determinada que já vi. A autora conseguiu descrever ela maravilhosamente bem e não houve quebra no caráter dela durante o decorrer do enredo, o que eu achei incrível! Os personagens são adoráveis o que faz com a leitura seja mais rápida que o normal.




Me encantei com a história e me arrependi de ter demorado tanto para ler. Espero que os próximos volumes cheguem logo ao Brasil e que Minerva esteja neles. Já disse que adorei ela?
Sobre a parte gráfica a capa condiz com a Lady V e eu achei bem bonita! Sobre a diagramação, eu achei simples e agradável, folhas amareladas, fonte e espaçamento bons, dando um conforto maior para leitura.
Em suma, Codinome Lady V é um romance de época que possuí a melhor protagonista que já conheci (e melhor família de protagonista também), muito envolvente e engraçado. Para os fãs do gênero é uma ótima pedida! Agradeço a Gutenberg por ceder o volume para leitura.

“Em algum momento ou outro, nós todos somos pecadores, todos temos algo a esconder.”

site: http://www.entrechocolatesemusicas.com/2017/07/codinome-lady-v-lorraine-heath.html
Michele 04/08/2017minha estante
undefined




Laisa.Moreira 23/07/2017

Personagens envolventes...
Leitura leve com personagens inesquecíveis. Amor, delicadeza, é claro aquela super pitada de indecoro...rs
Minerva mocinha de personalidade forte!
Ashe mocinho de arrancar inúmeros suspiros...
Kelly Martinez 23/07/2017minha estante
Eu amei esse livro.... tão fofinho!


Kelly Martinez 23/07/2017minha estante
Dei 4 estrelas...


Laisa.Moreira 24/07/2017minha estante
Eu tb dei 4 estrelas....agora esperar os próximos da série ;)




Sam 13/07/2017

Valeu a pena te ler!!! Demorei demais mas preciso deixar registrado que esse livro é o passatempo perfeito pra momentos de chatice extrema e com essa capa então... Portanto é só abrir esse belo exemplar.. tapar a "cara" e ter paz e diversão por um bom tempo....
Míriam Pimenta 13/07/2017minha estante
Um livro pra descontrair, com uma história cativante.


Drica 10/08/2017minha estante
Tbm concordo, Sam. É uma história deliciosa...




Tainara 08/07/2017

Lady V
Entãooooooooooooooooo.
Depois de muito tempo resolvi ler esse livro que estava na minha biblioteca e na minha meta de leitura do ano passado mas por ter outros na frente fui deixando ele para "trás" e não estou arrependida pois o livro foi NORMAL.

Nada de extraordinário.

O amor deles não me conquistou.

Esperava mais dessa história mas estou com excelentes expectativas para a história do Locke e já estou odiando a história do Edward mas abaixo irei explicar o porquê.

Minerva é filha de Jack (um cara que conseguiu sua fortuna com cassino, sendo que ele veio da ruas), esse é um detalhe que tinha que ser dito, ok?! Jack sendo um bom pai deu um grande dote a Minerva e logo vários cavalheiros querem se casar com ela só que tem um pequeno problema, Minerva quer casar por amor como seu meio irmão e como seus pais, só que tem mais um problema, Minerva não tem a beleza estabelecida pela sociedade, o que faz seus predentes querer casar com ela pelo seu dote. Ela tem problemas de auto estima, não se ver bonita e acha que todos só querem estar perto dela por causa do seu dote (o que não deixa de ser uma verdade ao longo da estória ).

Ashe é um duque que passou por um problema na sua infância: a perda dos seus pais em um acidente de trem e por causa disso foi mandado para ser criando pelo Marquês que é meio lele da cuca e lá ele conheceu Locke (filho do marquês e que de primeiro momento, pela descrição feita pela autora, parecia um pequeno Tarzan, só veio ele na minha cabeça). Passado 20 anos eles se tornam os Diabos de Havisham (acho que é assim que se escreve) e toda a sociedade que estar perto deles, as mulheres querem ser suas salvadoras e os homens seus amigos.

Até aí uma descrição dos dois personagens principal, agora eles se encontram porque Minerva decidi perder sua virgindade já que nunca irá se casar ( na sua cabeça ela tem essa verdade totalmente afirmativa, será que fui redundante?) e é aí que sua vida e a de Ashe de encontram, bom o resto é estória. Agora só lendo pra saber o que acontece.

A escrita da autora é boa, o que faz a estória ser rápida e leve e até divertida em certos pontos. A Minerva na sua ideia foi firme até não poder mais e o Ashe no seu amor fez algo que achei digno de um romance.

Tem seus pontos negativos também, tipo: o Ashe bateu o olho na Minerva sem a máscara e já tinha praticamente certeza que era ela, a moça da máscara branca de penas? Como isso produção? Eu tenho que ver a pessoa no claro umas 5 vezes para me lembrar da fuça dela, ele viu apenas uma vez, depois da meia noite, de máscara, que é sem roupa, com luzes fraca de velas (como ele descreve) e com luzes a gás ele consegue praticamente reconhece-la. Que é isso em produção? Olhar aguçado o do Ashe. A Minerva com a baixa estima dela também ficou bem cansativo mas eu lutei para entender-lá.


Mas apesar desses pontos positivos e negativos (so achei esses dois)eu achei a estória muito morna, bem normal, nada que me fizesse suspirar e amar como os livros da Julia Quinn e Lisa Kleypas e Carina Rissi e Lucy Vargas e Rubanne Damas.

Neste livro já temos mais ou menos uma ideia do que irá acontecer no livro do Edward e tenho que dizer que já estou no ódio porque ela vai PUTA SPOILER...










































Matar o Nick.

Para que a estória do Edward aconteça.

Já odeio.

Mas sem sombra de dúvida estou na expectativa pelo a estória do pequeno Tarzan Locke.

Dei 4.5 porque o conjunto da obra é muito boa, não é porque a obra não me conquistou que irei desvalorizar dando uma pontuação baixa né?
comentários(0)comente



Três Leitoras 15/06/2017

Resenha: Condinome Lady V
Começamos o livro com uma nota noticiada no Times em 1858, que relata uma terrível colisão entre trens, mas não consegui encontrar dados para levantar a veracidade da notícia e assim engajar essa história em um fato histórico, o que seria maravilhoso!

O acidente relata a morte dos pais de Ashe, que tornou-se conde de Ashebury sob a tutela do Marquês de Marsden, um homem completamente esquisito com uma casa praticamente mal assombrada e seus costumes malucos. Mas iremos descobrir mais sobre isso.

Minerva é mais uma solteirona britânica em meados de 1880 (foquem nesta data minha gente 137 anos atrás). Considerada feia, ou pelo menos sem nenhum atrativo, não conseguiu conquistar nenhum homem, a não ser aqueles que estavam atrás de seu dote generoso... Ambição falando mais alto há anos luz.

Herdeira de um pobre homem que não tinha título algum, toda sua conquista foi mediante seu suor, que soube muito bem das suas dificuldades e limitações, e assim, incentivando sempre sua filha a agir com o coração, sem medo de ficar solteira, seguindo sempre suas convicções. Um homem admirável como poucos que vemos nos livros de época.

Minerva é uma mulher muito além do seu tempo. Assim, um dia resolve que ao menos gostaria de saber como é ser tocada por um homem de verdade, sem interesse no que ela tem.

Continue lendo no link

site: http://www.tresleitoras.com.br/2017/05/resenha-condinome-lady-v.html
comentários(0)comente



Veruska 13/06/2017

Um livro atraente
CODINOME LADY V
Minerva Dodger nunca se achou bonita - e os cavalheiros da Sociedade compartilhavam da mesma opinião. Mas o seu dote, ao contrário, era atraente, e não lhe faltaram pretendentes. Minerva, porém, é inteligente, sagaz e ousada o suficiente para não se contentar com um casamento sem amor. Passadas seis Temporadas, ela chega à conclusão de que não se casará, mas quer saber o que ocorre entre um homem e uma mulher dentro de quatro paredes, ainda que por uma única noite. É quando decide ir ao secreto clube Nightingale, onde mulheres mascaradas buscam prazeres no anonimato. Lá, aquela bela mulher de máscara branca, que atende pelo codinome Lady V, fisga a atenção do charmoso Duque de Ashebury, um dos Diabos de Havisham, deixando-o intrigado.
O que se desenvolve a partir de então é um desenrolar envolvente em uma leitura deliciosa, que lhe prende do começo ao fim.
Após ler toda a coleção de Os Bridgerton, achei que nenhum romance de época me empolgaria tanto - que só encontraria mais do mesmo de sempre.
Mas a capa belíssima capturou meu olhar, e o enredo de uma donzela mascarada vagueando por um clube pecaminoso despertou a curiosidade.
Só achei que o clima de mistério quanto à identidade secreta de Minerva poderia ter durado algumas páginas mais, o que não compromete a minha opinião: vale a leitura. Trata-se do primeiro volume da série Os Sedutores de Havisham, cujos protagonistas já foram apresentados neste livro. Já ansiosa pelo próximo volume!
Título: Codinome Lady V
Autora: Lorraine Heath
Editora: Gutenberg
Páginas: 256
Tainara 03/07/2017minha estante
Muitos séries de época boa também. Procura por Lisa Kleypas, Madeline Hunter, Carina Rissi, Rubanne Damas, Catherine Munoz, Loretta Chase e tem muito mais. Eu amo romance de época! Sou uma romântica incurável para eles.


Veruska 04/07/2017minha estante
Obrigada, Tainara! Vou procurar!




Tai Nitta 02/06/2017

" - Sombras podem esconder muitos pecados.
- Você não me parece uma pecadora, ou alguém que teria algo a esconder.
- Em algum momento ou outro, nós todos somos pecadores, todos temos algo a esconder."


Ashe destruiu meu coração. Marcado por uma tragédia horrível que o condenou desde a infância a responsabilidade de um título e aos demônios que o atormentavam em sonhos, ele foi simplesmente maravilhoso e confuso. Acho que a autora não trabalhou muito esse lado, de colocá-lo "em paz" com esse passado, ficou um tanto superficial, mas não o suficiente para tirar a emoção de todo o sofrimento dele, de toda saudade. Para mim ele foi um personagem adorável, mas que me confundia muito. Eu não conseguia prever se naquele momento ele estava agindo por sinceridade aos seus sentimentos ou se tudo tinha a ver com o interesse em salvar seu título da ruína.
Seria emocionante, se eu não ficasse tão nervosa com tudo isso.

Minerva é aquela personagem desinibida, desprovida de toda futilidade que movia a sociedade. Ela busca unicamente o amor e prova que seu dote nunca lhe traria isso.
Ela não é uma megera, é apenas mal interpretada, pois conversar sobre o tempo não lhe agrada como política ou negócios, além de sua boa capacidade para reconhecer um "caça dote". Essa personagem vai entrar na listinha de personagens favoritas.

Romântico, dramático e engraçado. Combinação perfeita!


"Ela era a lua e as estrelas. O sol e a chuva. Eu não gostava tanto dela como gostava do modo que eu era quando estava com ela. Eu era otimista, invencível. Mais generoso, mais amável. Ela extraía o melhor de mim. Ela também extrai o melhor de você?"

"É melhor evitar as sombras. - O irmão dela disse. - Você pode acabar dando com a cara em um punho."
comentários(0)comente



Tracinhas 29/05/2017

por Juliana Arruda
Codinome Lady V conta a história da Minerva, uma garota que está cansada de ser cortejada por causa do seu — imenso — dote. Ela quer saber como é ser desejada por ser quem é, ela quer sentir-se sendo amada; e é por isso que ela acaba parando no Clube Nightingale, um lugar secreto onde mulheres podem encontrar amantes sem que sujem a sua reputação (afinal, elas ficam mascaradas — dificilmente os homens saberiam quem ela é mascarada).

Então, assim que coloca os pés dentro do clube, Minerva logo é abordada pelo Duque de Ashebury, um lindo aristocrata que não precisa se preocupar com fortunas (porque a dele vai muito bem, obrigada). É por esse motivo que a Minerva acaba seguindo o Duque: ele não está atrás do seu dote, não sabe quem ela é por detrás da máscara — e, principalmente, por ele ser conhecido como o “deus do sexo”, afinal, sempre há boatos de que suas amantes nunca se decepcionam — então, nada mais justo do que Minerva fazer aquilo com alguém e que sabia fazer (e muito bem).

Duque de Ashebury, o Ashe, voltou para Londres depois de uma longa viagem, mas foge de temporadas porque não aguenta as matronas o tempo todo no seu pé. De qualquer maneira, ele acaba parando no Clube Nightingale na intenção de curtir um pouco. Ou melhor, de esquecer um pouco sobre os pesadelos que sempre lhe tiram o sono: acidentes com carruagem, corpos mortos… Sim, ele tem esses pesadelos desde a morte repentina dos seus pais. Um trauma de infância que ainda não tinha sido superado.

Então, para acabar com aqueles pesadelos, ele só precisava encontrar uma beleza feminina perfeita, com belas proporções, curvas e etc, para passar a noite. E é justamente no clube onde ele encontra a mulher perfeita: Lady V. Bem, ele só não sabe que é a garota em questão é justamente a mulher ardilosa, insuportável e de língua afiada chamada Minerva.

Quando eles se conhecem, sabem que há uma conexão muito forte — e por isso para Ashe não é difícil descobrir que a Lady V em questão é justamente a Minerva. Elas têm as mesmas proporções, as deliciosas curvas, o mesmo tamanho e a curiosidade no olhar… Ainda assim, muita coisa acontece para que algo entre eles realmente aconteça.

Quando o Ashe descobre que um errado investimento de sua fortuna lhe deixa com os cofres vazios, cabe a ele se casar com uma mulher com o dote muito recheado para não deixar que seu título seja arruinado por irresponsabilidades. E, bem, a Minerva é aquela com quem ele poderia se casar, afinal, ela lhe desperta interesse, o faz rir — e ainda é rica. Se for para se casar com alguém, ela é a primeira e única da lista. O único problema é fazer com que ela se case com ele — já que Minerva não confia nos cavalheiros que estão atrás do seu dote.

O livro é engraçado, doce e muito fofo. É a minha primeira leitura de uma obra dessa autora e me surpreendi com o modo de como ela desenvolveu a história: a narrativa é sem correria, sem pressa, com o enredo bem trabalhado nos seus pontos altos e baixos. Recomendo esta história e espero que se divirtam.

site: http://jatracei.com/post/161196950172/resenha-255-codinone-lady-v
comentários(0)comente



klau 27/05/2017

"Os tornozelos de uma senhora não devem ser mostrados"

"E ainda neste momento você está descalço."



Alguns livros te prendem do inicio ao fim, amo romances de época, principalmente quando as mocinhas fogem do esteriotipo de belas e recatadas, no fundo somos todas românticas incorrigiveis, a espera de um mocinho sedutor . No caso temos Minerva que é a prota que tu respeita, aquela que não fica parada e corre atraz do que quer. Com opiniões bem formadas e distintas do resto da sociedade, tem seu destaque por sempre falar o que pensa por isso ela é descartada como boa moça e muitos só estão atraz de seu dote , ouvindo assim as mais variadas e barbáras formas de cortejo.

''– Eu tenho uma propriedade muito grande, Srta. Dodger. É certo que ela precisa de alguns reparos, mas o seu dote irá restaurá-la. E lá estava, declarada, afinal, a razão da presença dele em sua sala de visitas. – Mas veja bem, Sheridan, eu vou junto com meu dote. Mais do que isso, eu vou exatamente como sou. Com minhas próprias ideias, não necessariamente as do meu marido. Tenho meus próprios interesses, que, de novo, podem não ser os do meu marido. Mas eu quero que ele respeite minhas opiniões e meus interesses. Eu quero ser capaz de conversar com ele sabendo que sou ouvida. – Eu lhe darei filhos.''

Ou seja em 90% das vezes que Minerva recebeu um pretendente a reação era quase a mesma. Então não a culpo por arregaçar as mangas e ir atras do que realmente ela queria. Neste ponto temos Ash o infame Duque de Ashebury ...

site: https://klaumusicwithbooks.wordpress.com/
comentários(0)comente



63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5