Codinome Lady V

Codinome Lady V Lorraine Heath




Resenhas - Codinome Lady V


41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Lay 25/04/2017

Codinome Lady V. (Os Sedutores de Havidham #1) - Lorraine Heath
Meu primeiro livro da Lorraine e só posso dizer: amei! Sou louca por romance histórico e essa é uma história divertida, sensual, romântica e os personagens são apaixonantes. Adorei a mocinha, nada de chiliques e nenhum pouco cansativa.
Agora, o duque de Ashebury... que homem viu?!, me apaixonei por ele. Mas, vamos ao que interessa.

1878
Nicholson Lambert, Duque de Ashebury, é lindo, talentoso, inteligente, sedutor, libertino e está de volta a Londres depois de mais umas de suas aventuras com seus amigos, Edward e Locksley.

Ashe é um homem que sofreu muito na infância após perder os pais em um acidente trágico de trem quando tinha oito anos, não só ele, mas seus dois amigos perderam seus pais, os Gêmeos Albert (o Conde de Greyling) e Edward, sendo obrigados a irem morar com o Marquês de Marsden (que havia enlouquecido após a morte da esposa), na Mansão Havisham. Lá conheceram o Visconde de Locksley, e os quatro, em meio a tragédia se tornaram irmãos.
Cada um deles ainda tem que lidar com os fantasmas do passado. Mesmo depois de ter se passado vinte anos, Ashe ainda é assombrado por pesadelos, era difícil encontrar paz, há anos não tinha uma noite inteira de sono. Até conhecer Lady V.

Srta. Minerva Dodger, filha de um dos homens mais ricos da Inglaterra, irmã de um duque, com um dote que todos os homens desejam, mas, infelizmente, é apenas o dote que eles querem e não a esposa que vai junto com ele. Minerva é uma jovem decidida, inteligente, franca, tem a mente aberta (não é como as mocinhas da sua idade que só sabiam fingir desmaios e aquelas baboseiras todas), é boa nos negócios, sabe se defender, fala o que pensa, só não é tão bonita quanto as outras debutantes e já aceitou isso. Já aceitou a solteirice. Como não tinha nada a perder, decidiu que queria saber como era estar com um homem, ao menos uma vez, se sentir desejada, por ela mesma, não por seu dinheiro. Então, vai até o Clube Nightingale, um lugar onde os aristocratas vão para encontrar amantes e pessoas dispostas a uma noite de prazer.

Ashe está no clube Nightingale a procura de uma mulher que satisfaça todos os seus desejos naquela noite. Uma mulher vestida de seda branca, com uma máscara lhe chama a atenção, ela parece meio hesitante, como se fosse a primeira vez ali. Ele sabe que a regra é a mulher abordar os homens, mas ele a quer e, seguir regras nunca foi seu ponto forte.

Quando Minerva é abordada por ninguém menos do que o duque de Ashebury, ela não sabe como reagir, já que ele é absurdamente lindo e agora a está seduzindo. Usando o Codinome Lady V (Lady Virgem, mas isso ela não contaria a ele), Minerva decide que nada melhor do ter sua primeira vez com um homem que tem uma vasta experiência com as mulheres, apesar da apreensão, sabia que ele cuidaria dela.

Só que quando Minerva, ou melhor, Lady V, descobre que Ashe primeiro quer tirar uma foto dela (mas não dela toda, apenas de suas pernas), ela não entende muito bem esse desejo dele, e resolve não atender ao seu pedido.

" - Espero que você consiga sua fotografia. Acredito que quando voltar para o clube você conseguirá encontrar uma mulher disposta a posar. Ele meneou lentamente a cabeça. - Não. Você era o que eu queria está noite. Nunca aceito substitutas."

Quando Lady V. recusa seu pedido de fotografá-la ele fica decepcionado, mas entende. Por algum motivo, ele está fascinado pela mulher, conversar com ela não é nada entediante, ela na verdade é...revigorante. Determinado a tê-la ao menos na cama, ele resolve deixar as partes da foto pra lá, é quando ela diz que é virgem. Ele, como nunca deflorou uma mulher antes, diz que ela não será a primeira. E quando ele vai acompanhá-la até a carruagem, ela lhe pede um beijo, porque ao menos ela gostaria de saber como era. Ele nunca havia desejado tanto uma mulher como desejava Lady V, e custe o que custar ele descobriria sua identidade.

"Ashe ainda estava ciente do aroma dela que persistia em seus dedos; do gosto dela em seu paladar."

O caso dos dois começa na primeira noite dela no clube, e não para por aí. Ashe desconfia que Lady V seja a Srta. Minerva Dodger, ele não consegue tirá-la da cabeça, então passa a cortejá-la, e muitas coisas vão acontecendo ao longo dos encontros deles, tanto no clube como nos círculos em que frequentam.

"Mas ela já tinha decidido que quando a hora chegasse, Ashe seria o homem que ela queria. Que ele também a quisesse, só selava o acordo. - Você não vai para a cama com virgens. - Minerva o lembrou. - Decidi abrir uma exceção. Que Deus me ajude. Não consigo parar de pensar em você. - Então a boca de Ashe desceu sobre a dela outra vez, exigente e decidida, como se pretendesse devorar cada pedacinho dela."

E o amor não demorará a florecer entre os dois, mas para isso Minerva tem de deixar suas desconfianças de lado e, Ashe seu orgulho.

"-Eu quero você...desesperadamente. Mas quero conhecê-la por completo."

Que história linda, super me diverti, me apaixonei, encantada pela família da Minerva, todos incríveis e estou muito curiosa pra saber sobre os outros: O Visconde de Locksley e o Edward o irmão gêmeo do Conde de Greyling, já que são sempre citados e cada um deles parece ter muitos segredos. Eu super recomendo, eu amei e espero que vocês também. Boa Leitura!
comentários(0)comente



Larissa.Filgueiras 25/04/2017

Trama muito bem construída, mas se você está procurando por algum drama não vai encontrar neste livro. É um romance super leve com uma personagem forte e de opinião própria. Adorei a personalidade de lady Minerva. A autora focou bastante na protagonista, eu acabei só sentindo um pouco por não ter se aprofundado mais na relação do Ashe com os amigos e não entendi também alguns trechos que o Edward se tornou o narrador. Acredito que sirva para explicar algo do próximo livro. No mais a leitura valeu muito a pena!!!
comentários(0)comente



Leituras e Delírios 24/04/2017

Codinome Lady V foi meu primeiro contato com essa autora, confesso que escolhi esse livro pela capa e me surpreendi positivamente com a escrita de Lorraine Heath. A publicação brasileira é da editora Gutenberg.

Minerva Dodger está cansada de esperar, já conformada com o status de solteirona, ela quer começar a viver sem o fardo de ter de procurar um marido, então ela pede a cunhada o endereço de um clube onde muitas solteironas e mulheres casadas vão para encontrar um amante. Sim, ela quer perder seu cartão V, estourar sua cereja, perder seu lacre. Por uma noite ela quer se sentir desejada como nunca antes. Então protegida por uma máscara, Minerva se autointitula Lady V e sai a procura de um parceiro. O duque de Ashebury perdeu os pais muito cedo em um acidente de trem, ele e mais dois irmãos foram tutelados por um nobre louco e isso teve consequências na vida deles. Ashe tem gostos peculiares e Lady V desperta um sentimento que vai além do desejo nele. Quando ele descobre que está a beira da falência e que precisa se casar, ele terá de abrir mão desse sentimento para assegurar o dote de Minerva Dodger.

A escrita de Lorraine é muito divertida, fluida e rápida, na verdade no final você fica com vontade de ler mais devagar por que não quer que o livro termine. Nas últimas cinquenta páginas eu já estava com saudade de Minerva e Ashe e estava com "pena" de terminar o livro, pois ainda não tenho o segundo da série em mãos para ler.

Minerva é uma mocinha bem diferente da que temos em romances de época, geralmente as mocinhas estão atrás de um casamento, essa mocinha não, ela quer amor e como só conseguiu atrair caçadores de fortunas atrás de seu dote considerável, ela desistiu. Então quando ela vai ao clube de cavalheiros com a intenção de perder a virgindade, ela vai sabendo o que quer e não quer um marido.

Resenha completa no blog!

site: http://www.leiturasedelirios.com.br/2017/04/codinome-lady-v-lorraine-heath-os.html
comentários(0)comente



Ana Luiza 19/04/2017

A HISTÓRIA
Minerva Dodger não é uma Lady de verdade, mas foi criada como uma. Contudo, Minerva não foi educada só para sorrir e dançar em bailes, mas para ser uma pessoa de personalidade e opinião própria. E é justamente por ser tão dona de si mesma que Minerva não é desejada pelos cavalheiros do seu meio. Contudo, o que não lhe falta são propostas de casamento de caçadores de fortunas, nobres empobrecidos que veem Minerva apenas por seu dote escandalosamente grandioso.

Mas Minerva, uma mulher que gosta de discutir tanto romances quanto notícias e que se interessa por finanças e investimentos, não quer se casar só para ganhar um título de nobreza. A mulher quer amor: alguém que a ame e a deseje por quem ela é. Entretanto, após seis temporadas, ela já aprendeu que não é a mulher que vai despertar o amor de nenhum cavalheiro. Contudo, Minerva quer, pelo menos uma vez, despertar o desejo em alguém. E é por isso que Minerva vai ao Clube Nightingale, um exclusivo lugar de encontro para damas e cavalheiros que querem se divertir e ter prazer sem correr o risco de terem sua reputação manchada. É assim, usando apenas um fino vestido de seda branco e uma máscara branca, que Minerva se envolve com o Duque de Ashebury, sob o pseudônimo de Lady V.

Todo mundo sabe que Ashe, um dos órfãos criados por um marquês louco e apelidados de Diabos de Havisham, é um homem extremamente bonito e sedutor. Contudo, poucas pessoas sabem que, além de mulheres e viagens, Ashe é apaixonado por fotografia e que seu hobby secreto é fotografar as belas mulheres com quem ele se envolve. E quando ele coloca seus olhos na dama de branco, no Clube Nightingale, ele sabe que precisa tê-la diante a sua câmera e na sua cama.

Minerva fica deleitada que um homem bonito e interessante como Ashe esteja a desejando, contudo, quando ele pede para fotografar as suas pernas, algo, para ela, demasiadamente escandaloso, Minerva percebe que não tem coragem nem para as fotos, muito menos para se entregar a um estranho que não ama. Assim, ela foge de Ashe, o que o deixa obcecado pela tal Lady V. Contudo, tudo se complica quando, fora do Clube Nightingale, Ashe se aproxima de Minerva e começa a cortejá-la. Será que ele descobriu quem ela é?

“- (…) Por que é aceitável que os homens sejam libertinos, mas não que as mulheres possam usufruir das mesmas liberdades?” Minerva, pág. 22

Ashe estava decidido a encontrar a Lady V, mas quando Minerva chama sua atenção e ele percebe que ela é muito mais interessante do que ele pensava, Ashe percebe que, mais do que a busca por Lady V, ele estava, sem saber, buscando pela mulher da sua vida. Contudo, Ashe acredita que é uma pessoa impossível de amar e Minerva não aceita, nem merece, nada menos do que amor. Será que há um final feliz para os dois? Ou traumas do passado, segredos e máscaras vão ficar entre eles?

A SÉRIE
Codinome Lady V é o primeiro dos três volumes da série Os Sedutores de Havisham. Na saga de Lorraine Heath, os Sedutores, também chamados de Diabos, de Havisham são quatro jovens nobres, criados na mansão de Havisham por um marquês que enlouqueceu após a morte da esposa. O primeiro livro, Codinome Lady V, conta a história de amor do Duque de Ashebury e Minerva Dodger. O segundo livro, The Earl Takes All, traz o complicado amor de Edward Alcott e a viúva de seu irmão gêmeo, Lady Julia. E o terceiro e último livro, The Viscount and the Vixen, aborda o romance do Viscount Locksley e Portia Gadstone.

(...)

CONCLUSÕES FINAIS
Uma leitura rápida e gostosa, Codinome Lady V é um romance de época apaixonante e divertido. Com uma mocinha forte e um mocinho apaixonante, a obra fala bastante, em meio a uma história de amor fofa, sobre empoderamento e liberdade das mulheres, assim como sobre fotografia. O livro tem lá seus clichês e é um pouco parado, em comparação a outros do gênero, mas supriu todas as minhas expectativas. Codinome Lady V foi uma leitura intrigante e sensual, que me deixou curiosa pelos próximos livros da série, assim como por mais obras da autora.

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO NO BLOG:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2017/04/resenha-codinome-lady-v-lorraine-heath.html
comentários(0)comente



Bruna 18/04/2017

Ter dinheiro nem sempre ajuda. Isso foi o que a Srta. Minerva Dodger descobriu na pele, ao perceber que seu dote absurdamente elevado não ajudou em nada sua busca por um marido. Após várias temporadas frustrantes, nas quais foi perseguida por caçadores de dote sem noção, ela decidiu que não vai mesmo se casar e que chegou a hora de se aventurar e aproveitar a vida. Para isso, se filia ao Nightingale, um clube exclusivo, no qual mulheres da alta sociedade podem encontrar amantes. Com uma máscara branca e o codinome de Lady V (de virgem mesmo, hahaha), ela inicia sua aventura e se surpreende quando imediatamente chama a atenção do Duque de Ashebury, que fica fascinado por essa misteriosa mulher.

Ashebury, ou apenas Ashe, é bem conhecido em Londres não apenas por sua importante posição social, mas também por sua criação atípica. Órfão ainda na infância, após um trágico acidente de trem tirar a vida de seus pais, ele foi criado em Havisham pelo Marquês de Marsden, que tinha fama de ser louco. Desta forma ele cresceu livre e sem restrições com o filho do marques e com os irmãos Grayling e Edward, também órfãos do acidente de trem. A criação atípica dos meninos os tornaram unidos como irmãos, e adultos loucos por aventuras.

E foi após retornar de um safári na África que Ashe se deparou com a misteriosa Lady V, ao mesmo tempo em que descobre que suas finanças estão em ruínas, devido a péssimos investimentos ocasionados pelo problema que ele tem de compreender números e matemática. Pouco após conhecer Lady V no clube, ele encontra Srta. Minerva em um evento social, e desconfia que as duas possam ser a mesma mulher, então decide cortejar Minerva, como uma forma de se salvar da falência, e também tentar descobrir se ela é a fascinante Lady V.

Bom, acho que já chega de falar do livro, pois qualquer coisa além disso pode virar spoiler. A sinopse em si já falou demais, hahahaha.

Codinome Lady V foi um livro que me surpreendeu. Eu esperava algo mais ousado e até mesmo
voltado para o erótico, devido a premissa envolvendo um clube exclusivo de encontros sexuais. Mas não é. Então, que não curte eróticos pode ficar tranquilo. O livro é divertido e tem uma boa dose de sensualidade. Mas tudo muito bem construído e conduzido. E o sexo está presente, mas em pequenas doses, cenas não muito descritivas, e sempre no momento certo. Gostei dessa surpresa, que deixou o foco maior nos protagonistas e na construção de seu relacionamento.

Eu ri muito durante a leitura. Há algumas passagens ótimas, mesmo que algumas beirem o absurdo, como a burrice dos pretendentes de Minerva ao tentar pedir sua mão. Teve de tudo, até mesmo um que deixou claro que queria se casar com ela porque ela era rica, mas que ia usar esse dinheiro para manter a mulher que ama como amante. E foi justamente o dote de Miranda que gerou a minha única irritação com o livro, que foi o fato de Ashe também estar interessado em dar o golpe do baú. Apesar de todo o seu interesse e fascínio, ele só começou a cortejar Miranda pra valer quando descobriu que estava falindo, e mesmo ao final do livro a profundidade de seus sentimentos não me convenceram tanto assim.

Mas, apesar de Ashe ter me irritado um bocado, Miranda foi uma protagonista ótima! Forte, corajosa, e bem ousada. Ela até mesmo escreveu um livro para ajudar jovens herdeiras a identificar caçadores de dote. Os amigos de Ashe também me deixaram curiosa, principalmente o Visconde de Locksley, o filho do marques louco, então aguardo as continuações com ansiedade.

A diagramação da Gutenberg está muito bem feita, assim como a tradução e revisão. Porém, o tenho que destacar que a capa está linda de morrer! Esse foi um livro que me conquistou pela capa, sem dúvida, porque decidi que queria ao ver, sem nem ler nada a respeito, hahaha, e não me arrependo, pois foi uma leitura muito boa.

site: http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/2017/03/resenha-codinome-lady-v-lorraine-heath.html
comentários(0)comente



LauraPops 14/04/2017

Apaixonante!
Minerva tem seu jeito intenso de ser, de personalidade forte e criação sincera e amorosa, ela sempre quis ser amada independente de seu imenso dote, mas gosto de acreditar no destino, que ele é engraçado e gosta de pregar peças. Por curiosidade, Minerva acaba ficando mais íntima de Ashe, mas o mais surpreendente é que ambos não esperavam tal aproximação, mas ele se vê perdido num desejo intenso e ela, bem ela é Minerva a forte e destemida mulher que não leva desaforos para casa!

O que posso concluir é que esse livro da início a série de uma forma apaixonante e que estou ansiosa para os próximos livros de Os Sedutores de Havisham.
comentários(0)comente



Dri 08/04/2017

Gostei da autora.
Este foi o meu primeiro livro de Lorraine Heath, gostei muito da escrita da autora e com certeza lerei outros. Mas esse apesar de ter gostado, não me envolveu a ponto de amar. Gostei muito do início, depois ficou ...hum, morno, e da metade ao final melhorou um pouco - amei o epílogo. O livro com certeza não é ruim, de forma alguma. O enredo flui rápido, mas o livro em si, o que senti, foi que faltou aquela conexão intensa com a história, com o contexto, os sentimentos... A mocinha é a frente de sua época, é determinada, inteligente, um pouco contraditória, não achei ela irritante nem chata, o mocinho um típico libertino com seus traumas, mas algo ali não diferenciou. Não senti a química entre os dois, não me convenceu, não me cativou. Achei os personagens secundários mais interessantes. Em suma, foi uma leitura light, sem grandes emoções e de certa forma, até interessante. Apenas gostei.
comentários(0)comente



Acordei Com Vontade de Ler 08/04/2017

"Codinome Lady V" é o primeiro livro da série os Sedutores de Havisham, da autora Lorraine Heath e tem como protagonistas Minerva Dodger e o Duque de Ashebury. O prólogo, que se passa em novembro de 1858 explica perfeitamente a escolha do título da série, pois conta a história de três garotinhos que ficaram órfãos: Nicholson Lambert (o Duque de Ashebury), Albert (o conde de Greyling) e seu irmão gêmeo, Edward. Os três fazem uma longa viagem de Londres até Dartmoor, para a Mansão Havisham, onde irão morar com o Marquês de Marsden e seu filho Locksley. Dessa forma, entende-se que a série irá girar em torno desses quatro jovens que cresceram juntos e se veem como irmãos.
A história desse primeiro livro de passa em Londres, no ano de 1878. A srta Dodger é filha de Jack Dodger, um homem que conseguiu suas riquezas com cassinos e empreendimentos. A combinação do dinheiro por parte do pai e o status social da mãe a torna uma mulher desejável para a sociedade, e o dote oferecido para o seu pretendente é extraordinário. Porém, isso complica muito a vida de Minerva, que vive rodeada de interesseiros, mas que não gostam do fato dela ser uma mulher inteligente, que fala o que pensa e entende de assuntos que estão além dos seus deveres (segundo a sociedade). Além disso, Minerva não é considerada uma beldade, o que faz com que as más línguas vejam como ponto positivo apenas o dinheiro.
Para Minerva, um casamento de interesses não é aceitável e resignada de que não irá encontrar o seu final feliz, ela pretende aproveitar ao máximo os prazeres da carne.
"...Grace, em toda minha vida eu nunca senti como é ser desejada por um homem. E embora eu tenha consciência de que ele não vá saber que sou eu, que tudo que realmente deseja é o meu corpo, vai ser o meu corpo que ele irá tocar, o meu corpo que lhe dará prazer, o meu corpo que sentirá prazer." (p. 24/25)
Contando com a ajuda de sua melhor amiga e cunhada, a Duquesa de Lovingdon, Minerva consegue informações sobre o Clube Nightingale. É um Clube especial, onde mulheres da alta sociedade podem perambular livremente e ter encontros secretos com homens que não são seus maridos. Com a identidade das mulheres preservadas, elas podem dar vazão aos seus desejos mais íntimos, sem julgamentos ou repressões.
"Boatos sobre a existência do secreto Clube Nightingale se espalhavam por Londres havia anos, mas sua localização era um segredo muito bem guardado, porque acreditava-se que suas proprietárias fossem membros da aristocracia - mulheres casadas que tinham estabelecido um lugar onde outras, assim como elas, pudessem encontrar discretamente com seus amantes, sem que os maridos ficassem sabendo dessas atividades ilícitas. Os objetivos do clube evoluíram ao longo dos anos, de modo que mesmo aquelas que não tinham amantes poderiam conseguir um por uma noite." (p. 22)
Logo em sua primeira ida ao Clube, Minerva chama a atenção de Ashebury. Durante o flerte, ele percebe que essa misteriosa dama é uma mulher passional e perspicaz. Pela primeira vez em sua vida, Ashebury se vê intrigado por uma mulher: a misteriosa Lady V.
Minerva sabe muito bem quem Ashebury é. As fofocas nos salões sobre sua fama com as mulheres são inesgotáveis. Socialmente, ele nunca prestou a atenção em Minerva, então ela fica envaidecida quando ele flerta com ela no Clube e se dá conta de que ter sua identidade preservada tem suas vantagens.
Após o encontro no Clube, parece que os dois se esbarram constantemente na sociedade e pela primeira vez, Ashebury a nota e fica encantado com a mente ágil e graça de Minerva.
O primeiro livro da série da Lorraine Heath tem todos os ingredientes para agradar aos leitores. Os protagonistas são carismáticos, a mocinha não é indefesa e sabe muito bem se cuidar, há química entre os dois e os demais personagens enriquecem o enredo da mesma forma que os protagonistas.
O enredo é muito bem desenvolvido e conta a história dos dois personagens, além de dar uma prévia sobre os próximos protagonistas.
Ashebury é um homem que teve um começo de vida difícil. Ficar órfão tão cedo e ter que se adaptar a realidade da mansão de Havisham não é o que poderíamos chamar de "normal". Seu passado moldou sua personalidade e ele é lembrado diariamente desse fato.
Minerva também não teve uma criação convencional. O casamento dos seus pais é um casamento real, baseado em amor e desde jovem foi instigada a questionar e discutir assuntos como política e economia. Aprendeu a se defender quando necessário, a jogar e a apreciar pequenos detalhes que a maior parte da alta sociedade londrina ignora diariamente.
"Codinome Lady V" é um romance, mas também fala sobre família, amizade e aventuras. A escrita da autora é dinâmica e fluida, o texto é bem humorado e os diálogos são afiados. Não se trata de um romance histórico onde a mocinha aceita tudo de bom grado. Pelo contrário. Minerva vai trilhar o seu próprio caminho e é dona do próprio corpo e mente.
O trabalho editorial realizado pela Gutenberg está fantástico. Encontrei apenas um errinho de digitação na página 13, mas nada que interferisse na compreensão do texto. Apesar de não gostar muito de capas com rostos, admito que essa capa está linda e tem detalhes que combinam perfeitamente com o enredo.
"- Lady V. - Ela respondeu.- Victoria? - Ele arqueou a sobrancelha.Virgem. Não que ela fosse admitir isso para um homem que, provavelmente, tinha deflorado metade da cristandade." (p. 33)

site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/2017/03/resenha-codinome-lady-v-os-sedutores-de.html
comentários(0)comente



Jaque 23/03/2017

Minerva é uma mulher muito à frente do seu tempo e por esse motivo ela afasta qualquer candidato à marido. Ela fala absolutamente tudo o que pensa e entende de assuntos que eram apenas permitidos aos homens discutir.
Além disso, ela não chama a atenção pela beleza. Perto das outras mulheres da sociedade ela é uma moça muito comum, que passa despercebida nos bailes e eventos.
Porém, seu dote extremamente generoso atrai inúmeros cavalheiros oportunistas que querem tirar o pé da lama ou aumentar sua fortuna.
Depois de receber um pedido mais estranho que outro e no mínimo ofensivos, ela desiste de vez e se assume solteirona. Contudo ela quer conhecer os prazeres que um homem pode proporcionar e mais que tudo, quer ser desejada como mulher e não como fonte de dinheiro.
Então ela decide ir ao clube de mulheres Nightingale, lugar onde elas podem realizar suas fantasias, encontrar amantes e desfrutar da luxúria sem que ninguém saiba quem são, pois todas usam máscaras.
Logo de cara ela encontra o mais libertino de todos, o Duque de Ashebury, frequentador do lugar que imediatamente se sente atraído por ela. Estranho que para quem nunca havia notado a existência dela, ali de máscara ele se encantou.

Esse começo foi muito gostoso, a leitura fluiu rapidamente. Porém passado esse alvoroço inicial, a estória decaiu muito na minha opinião e o casal não me convenceu.
Poucos diálogos e muita, mas muita narrativa sempre girando em torno do mesmo assunto, incansavelmente. Ashe só pensava em levá-la para a cama e seus pensamentos eram somente sobre isso. Minerva que tanto me cativou pela sua atitude, após um tempo perdeu a graça e começou a fazer muito doce. Acabou me cansando!
A estória tinha tudo para ser incrível, mas a autora tirou a diversão. Ashe logo desconfia quem é a mascarada, e para quem nunca notou aquela mulher antes, achei que não convenceu. Também achei que faltou humor, joguinhos, mistério....
E quando tudo parecia certo, algo acontece e ele é posto contra a parede. Aí nessa hora ele se saiu horrivelmente, muito canalha.
No entanto, alguns outros personagens me interessaram mais. Espero outras estórias :-)
Enfim, mais uma vez eu vou contra a maioria. Não funcionou pra mim, mas essa é apenas minha opinião e o livro não pode ser baseado nela. Afinal, gosto é muito particular ;-)
Espero que você goste!

site: http://acheiolivroperdiosono.blogspot.com.br/2017/03/codinome-lady-v-lorraine-heath-os.html
Cris Paiva 23/03/2017minha estante
Eu estava com pé atrás com o livro desde que li a resenha. Não gosto de história onde tudo gira em torno das cenas hots, fica cansativo.


Jaque 23/03/2017minha estante
Eu não curti Cris. Achei que faltou leveza, faltou cenas de descobertas dos dois, de amadurecimento da relação..... mas faço parte da minoria né? rsrs


Cris Paiva 24/03/2017minha estante
Sei não, acho que sou do mesmo time que você




Paula.Souza 21/03/2017

Eu ameii
Se pudesse eu daria 10, Historia maravilhosa com personagens fascinantes.
não tem como não se apaixonar por esse romance ..
comentários(0)comente



ELB 20/03/2017

Every Little Book
Minerva Dodger é o que se pode classificar como uma solteirona. Afinal, apesar do seu generoso dote, ainda não conseguiu um marido, mesmo tendo participado de incontáveis temporadas em Londres. Na verdade, não a interessa um homem que case com ela por interesse ou conveniência; ela quer um homem que a ame e lhe desperte paixão. E que aceite que ela se expresse livremente, sem ser tolhida só pelo fato de ser mulher.

Já conformada em permanecer solteira, ela decide não morrer virgem, sem conhecer o prazer nos braços de um homem. Dessa forma, ela consegue acesso ao Clube Nightingale, onde homens e mulheres podem livremente usufruírem dos prazeres do sexo. Assim, com o rosto escondido sob uma máscara, ela ousadamente adentra o clube, para chamar imediatamente a atenção do Duque Ashebury.

Ash, como popularmente é conhecido, compõe junto com seus amigos um grupo de aventureiros que faz várias viagens pelo mundo. Isso é um fator para que se crie uma aura de mistério em torno de si, que chama atenção da sociedade, curiosa para saber seus feitos em lugares nunca imaginados por ela. Combinado com seu jeito sedutor, é fácil para ele conquistar uma mulher. Mas nunca esperou ficar preso a uma mascarada que lhe desperta uma intensa paixão, mesmo sem ver seu rosto e conhecê-la apenas por um codinome: Lady V.

Fora do Clube Nightingale, nos respeitáveis salões de baile, uma outra mulher lhe desperta a atenção: Minerva Dodge, a quem os homens temiam chegar perto para não ser ferido pelas suas opiniões sinceras sobre a sociedade e o mundo dos negócios, predominantemente masculino. Só os mais desesperados pelo seu dote se atreviam a se aproximar. No entanto, curiosamente Minerva o atrai com sua sinceridade e seu modo de agir. E mais: desperta sua paixão como uma determinada lady mascarada...

“Desde o começo, algo nela era diferente. Desde o começo, algo nela o atraía. Desde o começo, ela conseguiu, de algum modo, inserir-se na trama da existência dele.”
Minerva vê-se cada vez mais envolvida pelo sedutor Duque Ashebury. E o melhor: ele não parece estar atrás do seu dote e respeita suas opiniões. Melhor que isso? Sim, ele desperta sua paixão, supre a necessidade dela de ter um homem lhe despertando os mais básicos desejos femininos. O que poderia sair errado, se ela se entregar?

A não ser negociações malfeitas, investimentos errados... e a necessidade de ter dinheiro para recuperar certa fortuna com determinado dote...



Lorraine Heath é uma das minhas queridas escritoras de romance de época, e não me decepcionei com esse livro.

Podemos dizer que Minerva é uma jovem à frente do seu tempo, uma feminista, digamos assim, e sua educação contribuiu muito para isso. Seus pais sempre a motivaram a ser o que é, então ela não aceitará um marido que espere menos dela. Ela faz questão de opinar sobre variados negócios, sua mente brilhante a fez ver muito além. Obviamente, em uma sociedade em que a mulher é vista como alguém que só tem direitos a casar e ter filhos, ela é vista como alguém inadequada.

Eu realmente amo quando a história mostra mocinhas assim, fortes, à frente do seu tempo, e Lorraine nos presenteia com essa personagem cativante, determinada e divertida. Para ela, não há “mimimi”. Ou as coisas acontecem, ou não.

Quanto a Ash, eu realmente o amei. Seu passado doloroso lhe deixou traumas, mas ele soube contorná-los. Sua personalidade também é marcante, única. Diferente dos outros homens que só veem o superficial, ele consegue ver a essência de Minerva de uma forma única. E é justamente isso que o faz se apaixonar, ser cativado pela sua presença.

Os dois formam um casal perfeito. O encontro dos dois é repleto de diálogos inteligentes, momentos de sedução e a quantidade certa de paixão para embalar a leitura do leitor.

Com uma narrativa envolvente e ótimos personagens, Codinome Lady V realmente agrada quem ama romances de época.

site: http://www.everylittlebook.com.br/2017/02/resenhacodinome-lady-v-lorraine-heath.html
comentários(0)comente



Patty Santos 18/03/2017

Memorável
"Mas veja bem, Sheridan, eu vou junto com meu dote. Mais do que isso, eu vou exatamente como sou. Com minhas próprias ideias, não necessariamente as do meu marido. Tenho meus próprios interesses, que, de novo, podem não ser as do meu marido. Mas eu quero que ele respeite minhas opiniões e meus interesses. Eu quero ser capaz de conversar com ele sabendo que sou ouvida."
Codinome Lady V é o primeiro livro da série Os Sedutores de Havisham da autora Lorraine Health lançado pela editora Gutenberg. E também foi uma agradável surpresa pra essa blogueira aqui. Não é segredo que eu sou apaixonada por romances de época, e agora caí nas graças de Lorraine, com seus personagens fortes e bem construídos.

A série gira em torno de quatro amigos, Nick (Duque de Ashebury), Grey (Conde de Greyling), Edward seu irmão gêmeo e Lorde Locksley. Os caminhos dos quatro se cruzaram ainda na infância, quando um acidente vitimou os pais de Nick e dos irmãos Grey e Edward, tendo sido enviados para a tutela do Marquês de Marsden, eles conhecem Locksley, filho do Marquês. Apesar de prover abrigo e educação os três órfãos e a seu filho, o Marquês de Marsden está longe de ser uma pessoa capaz de cuidar de alguém, o homem vive assombrado pela morte da esposa, e assim os quatro meninos cresceram sem muitas regras ou com uma referência forte de família.

O tempo passou, os meninos tornaram-se rapazes e agora são considerados solteiros muitos cobiçados. Nick ou Lorde Ashe como é conhecido, é aventureiro, possui uma paixão singular pela fotografia e é capaz de conquistar, sem nunca se envolver, qualquer mulher que desejar. O que ele não desconfia é que uma jovem em particular, munida de muita ousadia irá preencher seus pensamentos e lhe tirar o sossego.

Casar-se por amor, com alguém que respeite nossas opiniões e nos aceite como somos, com todas nossas qualidades e defeitos parece algo trivial, porém para Minerva Dodger é algo complicado. Dona de um dote bem elevado, ela praticamente é invisível para os homens e viu suas chances de encontrar um verdadeiro amor minguar, após varias temporadas frustadas cercadas de homens interessados única e exclusivamente em seu dinheiro.

Cansada dessa situação Minerva toma a decisão de permanecer solteira, porém essa decisão vem acompanhada do fato dela também não querer se privar de uma verdadeira noite de amor. Minerva quer descobrir como é se sentir verdadeiramente desejada por um homem. O Clube Nightingale pode ser o lugar perfeito para Minerva alcançar seu objetivo. O clube oferece o anonimato para as mulheres que querem encontrar amantes. E é nele que protegida pela máscara e o codinome Lady V (daí o nome do livro), Minerva irá despertar o interesse de um tal Lorde Ashe.

"...Grace, em toda minha vida eu nunca senti como é ser desejada por um homem. E embora eu tenha consciência de que ele não vá saber que sou eu, que tudo que realmente deseja é o meu corpo, vai ser o meu corpo que ele irá tocar, o meu corpo que lhe dará prazer, o meu corpo que sentirá prazer."

Fascinado pela noite de amor que tiveram, o Duque de Ashebury quer a todo custo descobrir a verdadeira identidade de Lady V, ele desconfia de quem possa ser, e para confirmar suas teorias ele começa a cortejar Minerva em sociedade. Encantada com o fato de ser desejada, Minerva se surpreende com o interesse de Nick por ela fora do clube. Ele planeja unir o útil ao agradável, casar com uma mulher de opinião e de quebra garantir um dote substancial, que será a salvação de todos seus problemas financeiros. O desafio será convencer Minerva que ele não está interessando apenas em seu dote.

Estou simplesmente apaixonada pela escrita de Lorraine Heath, Codinome Lady V é narrado em terceira pessoa de forma única, leve e divertida. Minerva é uma personagem fantástica, uma mulher forte, inteligente, não é do tipo de mocinha que fica choramingando pelos cantos, ela sabe o que quer, e o que merece e não aceita menos que isso. Sua língua afiada e pensamentos feministas eram um escândalo para a época, mas nossa protagonista é firme e decidida. Amei sua construção, torci por ela, e me identifiquei em alguns momentos com suas decisões.

Lorde Ashe é um aventureiro, e se utiliza desse espírito e charme em suas conquistas, adorei o fato dele não ser o homem perfeito, a autora enfatizou o quanto à perda dos pais na infância o influenciou na vida adulta. Ele é sem sombra de dúvida o sonho de consumo de várias mulheres. Mesmo tendo me decepcionado um pouco ao cogitar usar o dote de Minerva como sua salvação financeira. Mas como disse antes, ele não é perfeito.

Eu me surpreendi muito com essa história, achei que teríamos algo mais hot, devido ao enunciado. Um clube secreto que propicia encontros sexuais, um escândalo não é mesmo? Mas não, Codinome Lady V tem a dose correta de romance e sensualidade. As cenas de sexo são bem descritas e coerentes com o ritmo e os acontecimentos da história. Ri muito lendo esse livro, as cenas em que os pretendentes de Minerva fazem os pedidos de casamentos são tão absurdas que se tornam hilárias.

Em um universo povoado por ótimos livros, Codinome Lady V conseguiu se destacar ao transformar algo previsível em algo memorável. O tipo de livro capaz de fazer o leitor sonhar, suspirar, rir e se apaixonar tudo ao mesmo tempo. Aguardando ansiosamente pela continuação. É claro que indico a leitura, alguém ainda tem alguma dúvida?

"Ela o abraçou apertado. Ashe tinha dito que não existia falsidade na cama dele, mas era difícil acreditar naquelas palavras, ainda que ele as pronunciasse com tanta convicção. Por que ela não podia ter tudo aquilo sem máscara e sombras?"

site: http://www.coracaodetinta.com.br/2017/03/resenha-376-codinome-lady-v-lorraine.html
comentários(0)comente



Leh Golz 17/03/2017

Misterioso e sedutor
Codinome Lady V é o primeiro volume da série Os sedutores de Havisham, e mais um romance de época da Editora Gutenberg que veio para arrasar. Aqui conhecemos Minerva Dodger, uma dama solteira que recusa a se casar com homens que só querem o seu dote. O que ela quer é amor. Depois de várias temporadas frustadas e cercadas de homens interesseiros, Minerva decide que, embora não se case, não irá abrir mão dos prazeres de uma noite de núpcias. O Clube Nightingale é ideal para seu propósito. O local permite que mulheres tenham seus amantes, mantendo o anonimato e não manchando sua reputação. E é lá que Minerva - protegida por uma máscara e o codinome Lady V - desperta o interesse do Duque de Ashebury. Feliz por finalmente se sentir desejada, ela se surpreende quando ele começa cortejá-la fora do local, mas não pode permitir que ele descubra sua identidade. Fascinado pela noite de amor que tiveram, Ashe quer unir o útil ao agradável - casar com a mulher de língua afiada e decisiva que conheceu e ainda levar o vultoso dote e salvar sua fortuna. Porém, não será uma tarefa fácil convencer Minerva e sua experiência com pretendentes caçadores de dotes.

"Ela o abraçou apertado. Ashe tinha dito que não existia falsidade na cama dele, mas era difícil acreditar naquelas palavras, ainda que ele as pronunciasse com tanta convicção. Por que ela não podia ter tudo aquilo sem máscara e sombras?" (p. 143)

Meu primeiro contato com a escrita da autora e já fiquei apaixonada. A narrativa em terceira pessoa tem fluidez, leveza e muita sedução. Lorraine nos convence a entrar na história e desfrutar de seus personagens. Gostei da construção de Minerva, tão decisiva a não se casar a não ser por amor. Sem contar que amei sua língua afiada e me diverti muito. Ashe é mais um libertino como tantos outros, mas gostei da forma respeitosa que sempre a tratou. Claro que tudo é bem romantizado, porém, para mim, aí é que está a graça - poder sonhar que existiam homens que poderiam fazer sacrifícios pelas damas que amavam.

Uma das coisas que mais gostei no livro e que agradará com certeza quem já ama o gênero é a sedução que rola entre os personagens. É tudo bem devagar, a seu tempo e isso me encantou. Achei bastante criativo por parte da autora a criação do Clube Nightingale. Isso foi ousado e encheu o casal de mistério e charme. E isso nos leva ao ponto positivo - cenas hot escritas com sutileza e sensualidade.

É comum em romances de época conhecermos os costumes e o machismo tão presente do século XIX. Essa questão foi ainda mais enfatizada nesse livro, o que tornou-o ainda mais interessante. Os pedidos de casamentos que Minerva recebia eram ridículos. Para não quebrar o encanto, vou deixar que leiam, pasmem e se "divertiam" com todos esses pedidos machistas. O fato é que a criação dessa protagonista trouxe força a história. Uma mulher com uma personalidade que a maioria dos homens não queria. E, embora Minerva tenha mesmo uma língua bastante afiada para o seu tempo, tolo era o homem que não enxergava que isso não tirava sua feminilidade, delicadeza e um coração clamando por amor e paixão. Mas a postura altiva de Minerva diante das injustiças da sociedade, era o que faziam os homens somente terem interesse em seu dote. E foi justamente essa desilusão que levou nossa protagonista a recorrer ao Clube Nightingale, a fim de desfrutar do prazer que somente os homens "tinham direito". Mesmo que o machismo ainda exista hoje, meu Deus, como era difícil a vida de uma mulher no século XIX!

Codinome Lady V ganhou as cinco estrelas e minha recomendação. É romantizado e previsível? É. Mas também tem uma crítica fortíssima sobre as injustiças de uma sociedade machista, e vale imensamente a pena conhecer essa mocinha tão decisiva. Além disso, a sedução e mistério que ronda o casal é agradável de acompanhar e faz o leitor se divertir muito. Um romance de época ousado e com muito romantismo. Quero mais dos sedutores de Havisham!


site: http://livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br/2017/02/resenha-codinome-lady-v.html
comentários(0)comente



Andréa 16/03/2017

www.fundofalso.com
"- Eu não acho que exista um homem capaz de me aceitar como eu sou. Pelo menos não na aristocracia. Não onde o comportamento apropriado é tão importante e é esperado que as mulheres se submetam ao marido em todas as questões. Não tenho talento para me submeter."

Minerva é mais uma solteirona britânica em meados de 1880. Considerada feia, ou pelo menos sem nenhum atrativo, não conseguiu conquistar nenhum homem, a não ser aqueles que estavam atrás de seu dote generoso. Filha de um homem que cresceu na vida por esforço próprio, sem nenhum titulo ou herança de familia, um homem muito esclarecido pelas dificuldades que a vida lhe impôs, incentivando sempre sua filha a agir com o coração, sem medo de ficar solteira, seguindo sempre suas convicções. Um homem admirável como poucos que vemos nos livros de época.

Minerva descrente de seu futuro, resolve que ao menos gostaria de saber como é ser tocada por um homem, e assim ela descobre com a ajuda da cunhada, o endereço de um clube noturno vip, onde as mulheres mascaradas podem manter encontros carnais com direito a tudo, sem expor suas identidades.

"Seu espirito competitivo, que mais de um cavalheiro tinha considerado nada atraente, estava chegando ao nível máximo Não era o desejo de toda mulher ser inesquecível?"

"Não era algo completo ou perfeito, profundo ou duradouro. Mas era calor e fogo, urgência e necessidade. Ela aceitava."

Ousada não é mesmo? O tipo de mocinha que eu torço para ter existido na vida real! Para complementar a atmosfera de "coisa proibida" até em seus momentos sociais ela geralmente está dentro do cassino de seu pai, jogando (e roubando) nas cartas.

No inicio da livro temos uma nota noticiada no Times em 1858, que relata uma terrível colisão entre trens, mas não consegui encontrar dados para levantar a veracidade da notícia e assim engajar essa história em um fato histórico, o que seria maravilhoso!

O acidente relata a morte dos pais de Ashe, que tornou-se conde de Ashebury sob a tutela do marquês de Marsden.

Ashebury cresceu assombrado por lembranças do passado, criadas pela imaginação de uma criança de oito anos frente a morte terrivelmente trágica dos únicos parentes que tinha. Se não fosse a companhia dos filhos do marquês, teria sido engolido pela solidão.

O marquês negligenciou completamente o crescimento dos livros e de seu afilhado, e a principio acumulamos implicância com o mesmo, mas no desenrolar da história notamos que a solidão que ele carrega pela perda da esposa, iria contribuir para o crescimento de nosso conde.

Então temos de um lado uma atmosfera libertina, sensual, onde sentimos aquele ambiente de "bordel" e do outro um sentimento carregado, assombroso e solitário. Esse encontro faz do livro algo totalmente viciante! Com pontos a favor para a fotografia da época voltada para a arte, o tabu da virgindade e sem esquecer da condição financeira, algo muito importante na época (e sempre né rs). Ashe está falido, apaixonado pela desconhecida do Clube Nightingale, e suspeitando que a solteirona que precisa agarrar o dote para sair do buraco, seja a mesma pessoa!
Ainda tem um sub tema, Ashe tem discalculia, que é algo parecido com dislexia, só que envolve conceitos numéricos. O que na época, ainda não era conhecido.

"- Eu não seria tão grosseira a ponto de suar. Eu poderia estar levemente coberta de orvalho."

A escrita da autora é extremamente divertida, os diálogos são inteligentes e ácidos. Apesar de alguns "enroscos" na tradução, fica evidente a sagacidade da autora. Puxando aqui e ali o machismo da época em cenas onde o prazer deveria ser mútuo.

"Os homens estavam estavam completamente vestidos, com calças paletós, coletes, camisas e gravatas com nós muito bem dados. Por que eles não eram obrigados a vestir trajes com os quais se sentiriam quase nus? Talvez porque a roupa de um cavalheiro não apelasse tanto à imaginação como a de uma mulher. Ainda assim, aquilo parecia muito injusto. Era certo que, se tivessem a opção, as mulheres gostariam de admirar braços musculosos e peitos nus."

Pesquisando brevemente, descobri que esse livro pertence a uma segunda série, onde a primeira conta a história de personagens que aparecem nesse, entre eles o pai de Minerva. Essa série tem o nome original de Diabos de Havisham, e acredito que a editora mudou para não ficar tão impactante (mas eu seria atraída muito mais fácil pelo titulo original!) assim como o nome desse livro que na verdade seria Caindo Na Cama com o Duque! Ual!

Curiosidade: o Clube libertino Nightingale foi baseado em um real chamado Parrot Club de 1850.

site: http://www.fundofalso.com/2017/02/resenha-codinome-lady-v-lorraine-heath.html
comentários(0)comente



Caroline 14/03/2017

Tão gostoso de se ler!
Por mais mais mocinhas como a Minerva! \o/
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3