Felicidade Invisível: Conto

Felicidade Invisível: Conto Lari Azevedo




Resenhas - Felicidade Invisível: Conto


28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Queria Estar Lendo 13/04/2017

Resenha: Felicidade Invisível
Felicidade Invisível é um conto que funciona como prequel da série Os Guardiões de Crainn Chiara, da autora Lari Azevedo que é parceira do blog e nos cedeu um ebook para resenha. Lari também é autora, junto ao Guilherme Cepada, dos livros Minha Vida Dava Uma Série e Minha Vida Dava Um Livro.

O conto tem apenas 56 páginas e nos apresenta Maeve, uma descendente de irlandeses que vive com sua família no Brasil. Mas os MacCleury são muito mais do que uma simples família de origem irlandesa, eles possuem uma missão: eles são os guardiões da felicidade, e portanto devem armazenar momentos de extrema felicidade em suas FELIS, que são globos de vidro semelhantes as nossas bolas de natal, e pendurá-las na Crainn Chiara, a Arvore da Felicidade, para que então, na véspera de Natal, esses momentos de felicidade armazenados possam se espalhar por todo o mundo.

Apresentado o lado fantástico da história, vamos voltar à protagonista. Maeve é uma jovem guardiã e está em busca da criação da sua primeira FELIS, e ela não deseja que seja qualquer momento de felicidade. Maeve quer algo especial, e por isso está acompanhando Henrique já há algum tempo. Henrique é um engenheiro que está treinando para a sua primeira apresentação de dança, e Maeve está encantada com a felicidade natural e genuína que ele exala.

Após um descuido da protagonista Henrique acaba por notá-la e dali pra frente os dois criam uma relação de amizade e interesse amoroso que culmina, obviamente, em um romance especialmente natalino. Afinal, o Natal é um tema recorrente do conto.

Meus problemas com o conto se iniciaram especialmente neste ponto, no quesito romance. Entendo que por ser tratar de algo curto os acontecimentos se dão de maneira mais apressada, mas não me senti envolvida em nenhum momento pelo relacionamento dos dois. Faltou profundidade para um amor, talvez um desenvolvimento maior na amizade dos dois tivesse sido uma escolha melhor a ser feita neste momento. Outro ponto que complicou bastante a leitura pra mim foi o excesso de lágrimas, chora-se com uma facilidade sem fim, e eu não acredito que este tenha sido um recurso empregado da melhor maneira, especialmente por ser um conto onde tudo acontece de maneira tão rápida e superficial.

Maeve como protagonista teve também seus problemas, em alguns momentos eu pensava nela como um ser mais voltado para o universo fantástico mas em outros ela era simplesmente uma garota comum, essa oscilação não permitiu que eu enxergasse a personagem e me conectasse com ela. Existe uma certa imaturidade na mesma, também, mas que assim como a questão das lágrimas e a fácil capacidade para emoção eu preferi interpretar como algo relacionado ao seu lado fantástico, ainda que eu não ache que essa tenha sido a real intenção da autora.

Felicidade Invisível é uma leitura extremamente rápida e é o pontapé inicial de uma série que, feito os ajustes necessários, tem tudo para agradar. A Lari conseguiu unir a ideia de tradição e cultura com elementos novos e fantásticos de uma forma que te faz acreditar naquilo e querer cada vez mais descobrir mais a respeito. O plot da história é realmente muito bom, as falhas ficam por conta da narrativa e dos detalhes citados acima. Acredito muito no potencial de Os Guardiões de Crainn Chiara, e espero que a autora possa entregar a grande história que o universo criado por ela merece.
comentários(0)comente



Nath 07/12/2018

Delicado, tocante e recheado de amor
É uma linda história de amor e não só de amor romântico, trata de amor em família, de amor próprio, de amor no coração para irradiar a todos ao nosso redor. É também uma história que mostra o que é felicidade: que é um sentimento único, dependente da situação e dos seres envolvidos. Mostra que não é preciso muito para encontrar a felicidade, mas que você deve lutar por ela e por tudo que a rodeia: amor, paz, amizade, boas ações...

E para quem gosta de ler ouvindo música, a autora criou uma playlist que vai fazer você mergulhar ainda mais dentro da estória.

Vale muito a pena ler e conhecer o trabalho dela!

site: https://www.lariazevedo.com.br/
comentários(0)comente



Veh - @minhas_escriturass 25/12/2016

Resenha - Felicidade Invisível
Um conto apaixonante que só consegui parar de ler, quando terminei.

E JÁ QUERO O LIVRO PARA ONTEM!!

Maeve é uma Guardiã da Felicidade, e é responsável junto com sua família a armazenar momentos de extrema felicidade em globos de vidros, porém seu tempo para completar a missão está acabando, e ela é a única de sua família que não conseguiu preencher nenhum globo ainda.

Mais será que a Guardiã da Felicidade é feliz?

"Talvez seja por isso que sou chamada a ovelha. A decepção de toda a familia."

Maeve começa a acompanhar (usando de um de seus poderes - a invisibilidade) o fofíssimo Henrique (Rique), um rapaz doce que sofre os preconceitos dentro de sua familia por gostar de dançar, e para não decepcionar sua família, acaba vivendo uma vida que o deixa infeliz.

"Imagina filho meu usar aquelas roupas coladas". "Filho meu tem que ser alguém na vida. Dançar é coisa de mulherzinha".

Maeve vê muito mais no Rique do que ele pode imaginar, e ela no fundo sabe que ele é sua verdadeira missão para juntos encontrarem a verdadeira felicidade. E é desse encontro de vida de aparências, aonde a tristeza é mascarada, para satisfazer a felicidade dos outros, que Maeve e Rique descobrem o verdadeiro significado desta linda palavra e os desafios que enfrentaram para poder mantê-la.

Enfim eu amei a história, é uma leitura deliciosa e super apoio o lançamento do livro, quem ler verá que a Lari trouxe uma enorme delicadeza na narrativa e eu amei o enredo ser relacionado a cultura celta, uma cultura da qual não estou habituada, e achei nessas poucas páginas, muito linda e já quero conhecer mais. Tenho certeza que quem ler sentirá o mesmo que eu senti e agora ficaremos na expectativa de mais novidades que ela trará desse lindo universo.
Lari Azevedo 25/12/2016minha estante
GENTE!!!

Que resenha mais linda e com tanto amor.

AMEI AMEI AMEI
Obrigada por ter se aventurado nessa história e pelo carinho que sempre tem comigo. ?




Mari Scotti 25/12/2016

Deveria virar livro!
Desde que li esse conto no watpadd, eu falo para a Lari que é necessário se tornar livro! Eu amo fantasia, mas não me considero criativa o suficiente para criar, do zero, uma fantasia tão inovadora quanto essa. Qualquer pessoa acreditaria que a lenda existe. Que é celta. Que lá na Escócia as pessoas sabem que na a felicidade é coletada para ser elevada em uma árvore na noite de Natal.
Eu acreditei!
O conto é maravilhoso, uma belíssima amostra do que a Lari tem guardado dentro de si. Uma grande escritora, com certeza!
Maeve e Henrique vão te surpreender, com certeza.
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
MARI,

Eu não sei nem como te agradecer por tanto carinho e amor! Obrigada por estar junto nessa comigo!




Luana Moraes 28/12/2016

Cadê o livro???? rsrsr
No ano passado, Lari Azevedo presenteou os fãs com um conto de natal que os deixou suspirando e querendo mais. Este ano a autora surpreendeu a todos quando resolveu lançar uma versão estendida da história na Amazon e não demorou para ocupar a seleta livros de MAIS VENDIDOS da Amazon.

Maeve MacCleury é descendente de uma família irlandesa gigantesca que possui um raro dom com relação a magia, ela é uma guardiã da FELICIDADE, ou melhor ela é uma Crainn Chiara.
Durante todo o ano os momentos de extrema felicidade são coletados e armazenados em bolas de vidro que serão liberados na noite mais mágica do ano, a véspera de Natal, onde todas as pessoas estão envolvidas por uma extrema alegria e felicidade.
Os irmãos de Maeve já colheram seus momentos e armazenam em várias bolinhas, enquanto Maeve não coletou nenhuma, mas tem esperança de que vai conseguir.

Henrique é um jovem que sofre preconceito por parte de seus pais, eles não acreditam que dançar seja coisa de “homem”, mas ele vai lutar por seus preconceitos para realizar seu sonho de ser bailarina.

Maeve e Henrique estão destinados a mudar a vida um do outro para sempre.

Felicidade Invisível contém uma história única, a autora criou uma mitologia Celta, não há nenhuma história como essa. Por se passar em um mundo desconhecido aos leitores, a autora conseguiu um grande domínio daquilo que propôs, algo novo e único, é possível perceber claramente que houve muitas pesquisas e atenção por parte de Lari, afinal criar algo novo é assustador. Mas, saibam que ela superou todas as minhas expectativas e vai superar as suas também.

A narração em primeira pessoa feita pela Maeve, foi primordial para que eu mergulhasse de cabeça nessa história encantada envolvendo uma família, uma disputa de natal e o primeiro amor. A celebração ao amor e a vida, uma das mensagens mais lindas do livro.

Enquanto lia Felicidade Invisível, fui até a Irlanda e acreditei piamente que a Felicidade é coletada, que os momentos de extrema alegria merecem ficar guardados na Felis e depois ser liberado ao mundo. E foi mágico!
Você nunca mais verá o natal da mesma forma após esse conto. Obrigado Lari, por Maeve, Henrique e essa história de amor belissima.

Depois de terminar Felicidade Invisível eu quero apenas poder mergulhar na história completa, Lari escreva o livro logo.
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
OBAAAAAAAA
Fico feliz que você tenha gostado!

O livro está sendo escrito já!!! OBA OBA!

Obrigada pelo seu carinho amora!




Diana Canaverde 29/12/2016

Blog Minhas Escrituras
"Eu o estou vendo pela janela.
A forma como ele se mexe de acordo com cada nota da música irlandesa que toca, em alto e bom som, no estúdio de dança é divino. Ele é lindo, mas não é só isso. A forma como ele consegue refletir apenas com o corpo as notas da música é a coisa mais magnífica que eu já vi. E olha que já vi de tudo."

Olá povooo!

Felicidade invisível é um conto paralelo ao próximo livro da Lari, e este conto é especial de natal para os leitores e fãs da autora. E claro para você que ficou curioso!

Confesso que desde que a Lari começou a comentar deste conto eu fiquei extremamente curiosa. Eu quis ler, mesmo fugindo completamente da minha zona de conforto: Por ser tema de natal, eu não curto ler nada desta temática. #mejulguem

Mas, por ser da Lari que é uma pessoa incrível e que eu amei conhecer pessoalmente, após nossos encontros nos eventos literários da vida, resolvi ler, porque é nacional e sim porque ela me encanta a cada dia que passa.

Maeve é uma guardiã, ela e sua família são descendentes irlandeses e que possuem um raro dom com a magia. Eles guardam a felicidade.

Todos os anos eles coletam os momentos de felicidade das pessoas e armazena numa espécie de globo de vidro e estes globos, são colocados em um enorme pinheiro que representa um final de ano bom, onde possa ser transmitido amor e felicidade para todo o mundo. Isso acontece sempre na véspera de natal.

"Nós, somos responsáveis por armazenar momentos de extrema felicidade em globos de vidro, parecida com as bolas de natal, que vocês utilizam para enfeitar suas árvores."

Maeve sente-se apreensiva, porque seus irmãos já tem algumas bolas e ela não tem nenhuma e o natal se aproxima a cada dia e ela não consegue capitar um momento de extrema felicidade para colocar em suas bolas.

"Tenho apenas sessenta e cinco dias para a véspera de natal. Meus dois irmãos estão com pelo menos cinco bolas cada um, e eu não consegui nem uma."

Ela conhece Henrique, ela o observa e acompanha seus ensaios. Ele é um dançarino e está próximo de fazer uma grande apresentação. Maeve sente nele momentos de felicidade, mas ainda não é suficiente para ser coletado.

Henrique sofre porque seus pais não aceitam seu gosto pela dança, seu pai acha que isso não é coisa de homem, acha que ele está perdendo tempo. Henrique se forma e consegue a sua independência financeira, somente assim, ele pode realizar seu grande sonho.

O destino de Henrique e Maeve se cruzam e uma grande amizade se inicia. Maeve é uma garota sensível, mas corajosa, ela entende o que deve fazer e faz de tudo para conseguir, mas de uma forma honesta, apenas pensando no bem maior.

Eu gostei muito da forma como a Lari conduziu o conto. Ela desenvolveu os personagens super bem. Me senti conectada com Maeve de uma forma como se fôssemos amigas de uma vida inteira. O Henrique me cativou pela sua maneira simples. Ele é um rapaz de coração bom, que pensa no próximo e no bem estar das pessoas. Então se encantar com ele é fácil, você sente que convive com ele e pode participar de sua vida, como se realmente fizesse parte dela.

Lari apesar da fantasia, criou personagens reais, com sonhos, desejo de uma vida melhor, independência, pensamentos de um futuro e até faculdade. Todos nós temos esse tipo de sentimento e pensamento certo?

O conto fluiu de maneira rápida e de fácil entendimento, quando percebi ele tinha acabado e eu fiquei com a aquela sensação de quero mais. Só espero que a Lari não demore muito a trazer mais desta história, que me senti encantada e cativada em continuar lendo.

Eu recomendo demais a leitura, você pode sentir a conexão com os personagens assim que iniciar a leitura. Os capítulos iniciam-se com letras de músicas e quando eu vi Enya, fiquei mais apaixonada ainda. Geralmente não me prendo a Playlist, mas até nisso a Lari conseguiu me prender, eu só posso dizer, que procurem pelo conto na Amazon, pois está com um preço bem acessível e delicie-se.

"O pouco que eu o tinha visto, notei o seu bom coração. Não era só a felicidade que ele emanava. Eu conseguia ver sua aura. E ela estava sempre em tons claros."

Xero no coração de todos!!

site: http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
OBAAAAA!!!

Que felicidade saber que você gostou desse mundo meio louco! Obrigada pelo seu carinho!!!




Blog De Bem Com a Leitura 11/01/2017

Maeve é descendente de uma antiga família irlandesa e é uma guardiã da felicidade. Os guardiões são responsáveis por coletar momentos de felicidade, aquela felicidade autêntica e incontestável. Esses momentos são armazenados em globos de cristal e na véspera de Natal eles são colocados em um enorme pinheiro escocês, sem que nada os prenda, simplesmente são atraídos pelo pinheiro!

Quando chega a meia-noite os globos se soltam da árvore e se elevam, em seguida explodem em lindas luzes brilhantes. As folhas do pinheiro absorvem essa luz e, através da raiz, espalham a felicidade pelo mundo. Os ancestrais de Maeve acreditavam que as raízes de todas as árvores do mundo estão conectadas, sendo assim, quando o pinheiro absorve os momentos de felicidade eles são transmitidos para as demais árvores e o sentimento é liberado junto com o oxigênio.

No entanto, o tempo foi passando e a humanidade foi ficando cada vez mais egoísta, a felicidade verdadeira foi diminuindo e a quantidade de árvores e plantas também. Com a felicidade em risco, a família de guardiões precisou se dividir e cada um levou uma muda do antigo pinheiro, para que fosse plantada no jardim da nova casa e voltassem a semear a felicidade. Todo Natal eles seguem com a tradição e prendem o globo de cristal no pinheiro.

Maeve ainda não encheu nenhuma Felis, seu apelido para os globos de cristal, mas está bem perto de conseguir a sua primeira. Há algum tempo ela está sentindo a felicidade de um jovem chamado Henrique e, desde então, ela o vem seguindo. Maeve tem o poder de ficar invisível, para que possa observar os momentos de alegria sem ser notada ou para que não atrapalhe. Mas ela se empolgou tanto com um momento maravilhoso que presenciou, que acabou se esquecendo de ficar invisível e, assim, Henrique a viu.

Henrique é formado em engenharia civil e apaixonado por dança. Sua família é extremamente preconceituosa e não aceita que ele dance, mas ele segue com o seu sonho e batalha para conseguir se aperfeiçoar, vence diariamente a batalha contra o preconceito. Embora não seja homossexual, Henrique também sofre com rótulos e opiniões maldosas. Agora, ele se prepara para a sua primeira apresentação.
"Sabe quando você tem algo dentro do seu coração e é tão forte que dói? Ele consegue colocar todo esse sentimento nessa coreografia. Ele simplesmente nasceu para dança, está emanando felicidade."
É quando Henrique está ensaiando que Maeve esquece de ficar invisível e acaba sendo vista por ele. Imediatamente uma amizade surge entre eles, uma cumplicidade. Um vai ajudar o outro de maneira diferente e cada vez mais a Maeve se aproxima de encher a sua Felis.

Leia mais no link http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/2017/01/resenha-felicidade-invisivel.html

site: www.vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
Morrendo de amores com essa resenha!!!

Muito obrigada pelo seu carinho e fico muito feliz que você tenha gostado!




May 18/01/2017

“Já percebeu que, sempre que chega o Natal, uma felicidade entra em nossos corações? Felicidade essa que nos prepara para encarar mais um ano.”
Encantador, esta é a palavra que define o conto Felicidade Invisível da autora Larissa Azevedo, que nos traz um belíssimo conto de Natal recheado de mágica e encanto, que aquece nosso coração e nos deixa ansiosos para conferir seu futuro projeto, uma obra de fantasia.

O conto me conquistou primeiramente pela capa, e depois de ler a obra todo o seu conteúdo me deixou encantada, pois a Larissa efetuou um trabalho maravilhoso na diagramação do mesmo. Com trechos de músicas irlandesas a cada início de capítulo, e todos os detalhes pensados – desde uma troca de mensagens via whatsapp, – o conto está uma verdadeira obra de arte.

A trama nos apresenta Maeve MacCleury, uma garota que descende de uma família muito especial e tradicional: os guardiões da felicidade. Sua missão é encher globos de cristais com este sentimento, a felicidade, para levar ao mundo a magia do Natal. Entretanto com o passar dos anos e as novas tecnologias surgindo, o mundo foi modificando-se e encontrar momentos genuínos de felicidade tem se tornado cada dia mais difícil. O objetivo de Maeve é então encontrar um momento de felicidade para coletar na sua bola de cristal, ela e seus irmãos precisam coletar para ganhar uma competição entre famílias e agradar a seu pai. E nessa jornada Maeve conhecerá Henrique, um bailarino que emana uma aura pura de amor e alegria – especialmente quando está fazendo aquilo que mais ama: dançar. Maeve é atraída para ele como um imã e juntos eles descobrirão como é sentir este momento de felicidade único e ela perceberá o quão importante é seu trabalho como guardiã, que vai muito além de uma competição familiar e tem o poder de salvar o mundo da frieza em que se encontra.

Como mencionei acima, este conto introduz uma nova série de fantasia que a autora está trabalhando e já me deixou extremamente curiosa com o que está por vir, pois em Felicidade Invisível somos apresentados a um conto de natal poderoso, que enche nosso coração de alegria, deixa um sorriso no rosto e nos mantém grudados na leitura do início ao fim. Aqui temos aventura, magia, fantasia, músicas, romance e muito, mas muito amor.

“... eu não sabia que o amor era assim, uma dor profunda, mas que acalma cada célula do meu corpo.”

“Quando algo está predestinado a ser, nunca duvide, vai ser e do melhor jeito possível.”

“... Nossos problemas nos fortalecem e nos fazem pessoas melhores.”


Este foi meu primeiro contato com o trabalho da Lari Azevedo e, além de ter gostado muito do que encontrei, já fiquei super ansiosa e curiosa com este novo trabalho de fantasia (um dos meus gêneros favoritos da vida) denominado Felicidade Obscura, conto mais que recomendado.

Link da resenha no Blog: http://mayeosvicios.blogspot.com.br/2017/01/resenha-felicidade-invisivel-by-lari.html

site: http://mayeosvicios.blogspot.com.br/2017/01/resenha-felicidade-invisivel-by-lari.html
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
May, sua linda!

Muito obrigada pelo seu retorno. Fico muito feliz em saber que você tenha gostado da Maeve e seu mundo!




Angel 19/01/2017

Lindo!
Maeve faz parte de uma das famílias guardiãs de Crainn Chiara.
Mora no Brasil com os pais e irmãos, outras famílias estão espalhadas pelo mundo com o mesmo objetivo: armazenar os momentos de felicidade, porém nem os guardiões ficaram imunes às coisas que tornam este mundo tão feio, egoísmo, vaidade e transformaram o legado das famílias em uma espécie de competição.

Mas não Maeve. Ela tem uma pureza, algo difícil de explicar em palavras, e faltando poucos dias para o Natal, ela ainda não conseguiu preencher nenhuma Felis (como ela chama o globo onde armazena os momentos de felicidade).

Ela vem acompanhando Henrique, um dançarino que em breve terá sua primeira apresentação, e acredita que para ele será um momento de extrema felicidade.

Henrique não sabia de sua existência, até que por um descuido ela fica visível para ele (ela tem esse dom de ficar invisível) e os dois acabam criando um laço de amizade.

Essa amizade deles já nasce de uma forma bonita e vai crescendo mais a cada dia, cada compartilhamento, e logo um já passa a apoiar e saber muito sobre o outro.

O conto é narrado pela Maeve, e li em alguns minutos, pois além de curtinho, a escrita da Lari é uma delícia de tão fluída!!


Uma atmosfera mágica cerca a história.
É impossível não gostar da Maeve e do Henrique, que são duas pessoas lindas, que apesar das adversidades ainda mantém essa fé no mundo, digamos assim, pois não tenho outra expressão para explicar.

Já quero muito mais dessa história que me deixou apaixonada e com gosto de quero mais, e me deixou com muita vontade de conhecer mais essa cultura linda que é a celta.




site: http://a-libri.blogspot.com.br/2017/01/resenha-felicidade-invisivel-larissa.html
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
SEGURA ESSE AMOR TODO!

Obrigada pelo seu carinho e fico muito feliz que você tenha gostado!




"Ana Paula" 26/01/2017

Felicidade Invisível é um conto que precede o primeiro livro da série Os Guardiões de Crainn Chiara, que tem seu lançamento previsto para julho de 2017.
Nele, vamos conhecer Maeve, uma garota de 22 anos que é descendente dos guardiões celtas. Maeve e sua família são responsáveis por capturar felicidade e, no dia de natal, espalha-la pelo mundo. Como isso acontece? Bem, vocês terão que ler para descobrir!

"Nós, somos responsáveis por armazenar momentos de extrema felicidade em globos de vidro, parecida com bolas de Natal, que vocês utilizam para enfeitar suas árvores. Algo que foi copiado de nós, celtas, diga-se de passagem."

Maeve é uma personagem ingênua e insegura. Ela acredita no que faz e é isso que torna esse conto mágico! Maeve precisa encontrar a maior felicidade para colocar na Crainn Chiara no natal já que, ela não tem nenhuma e seus irmãos gêmeos, já somam 5 cada. Maeve ainda tem que lidar com o gêmeo do mau e com seu pai que, pelo que parece, é possessivo e ciumento. Mas Maeve vai contar com a ajuda de um humano lindo que vai ensinar muitos sentimentos a ela.

O conto é curto mas trás uma boa ideia do que podemos esperar do primeiro livro. Eu confesso que adorei o enredo ser baseado na mitologia celta. Eu não conheço muito sobre, mas sou curiosa e adoro saber mais e mais. Li uns dois livros sobre os celtas e só consegui ficar mais curiosa ainda sobre eles.

"AI MEU DEUS! AI MEU DEUS!
Como aceitei sair com a pessoa que estou observando há QUARENTA dias? Isso não é normal! Eu sei que minha vida toda não é lá muito normal, mas sair com ele passa dos limites! Respira, Maeve, Respira!"

A narrativa é em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Maeve, o que foi muito bom pois conhecemos a sua missão e seus sentimentos como se fossem nossos.
E o que dizer dessa capa? Linda demais, e o melhor de tudo? Essa capa é uma cena do livro!!!! Simplesmente perfeita!
A escrita da Larissa é suave e romântica no ponto certo. Gosto disso, só achei Maeve muito menina pra idade que tem.
Minha leitura foi feita através do ebook cedido pela autora e a diagramação está linda demais, com detalhes nos capítulos e trechos de letras de músicas no começo dos mesmos. Encontrei alguns erros de revisão, mas nada que prejudicasse minha leitura.

" Quando algo está predestinado a ser, nunca duvide, vai ser e do melhor jeito possível."

Do mais, claro que índico a leitura. Vale a pena conhecer esse mundo mágico e lindo que a autora criou para nós.

site: http://livrosdeelite.blogspot.com.br/2017/01/resenha-de-contos-felicidade-invisivel.html#.WInVI1UrLDc
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
Fico muito Feliz que você tenha gostado!




Kethlyn Galdino 29/01/2017

Um conto encantador!
Resenha/Opinião:


Maeve é uma moça jovem, um encanto de moça. Diferente de outras mulheres ela tem algo especial, sua família em si é especial.
Os MacCleury são Guardiões da Felicidade. Durante o ano eles precisavam colocar em um globo de vidro a felicidade das pessoas. Um sentimento muito bom, algo que seja extremamente positivo, para ser mais especial ainda, basta ser um momento único que tenha motivado esse sentimento.
Diferente dos seus irmãos que pegam qualquer felicidade e as colocam dentro do Globo de Vidro, Maeve quer algo único, uma felicidade maior, um sentimento mais profundo... Seu tempo está acabando e mesmo assim ela não desisti. Maeve espera o Henrique proporcionar a ela o que procura.
Seu coração diz claramente que tem algo maior por vir.

Nem tudo que é fácil vale a pena, e nem tudo que é difícil é impossível.

A protagonista me encantou com seu coração.
A Maeve é doce, gentil, uma mulher do bem que acaba se apaixonando por Henrique, ela foi designada a encher sua "Felis" ou "Globo de Vidro" com um momento de felicidade dele.
Apesar do erro de não se manter invisível diante dele, (que acaba acontecendo sem a intenção) proporciona a ela momentos fofos de tirar suspiros de nós leitores.
Eles se tornam amigos após o pequeno deslize de Maeve, juntos percebem que existe uma fio invisível ligando um ao outro...
O conto é delicado, leve, amorzinho e lindo. De fato um encanto do começo ao fim.
Para mim é sempre um desafio resenhar um conto sem dar spoilers... Nem queiram saber quantas vezes tive que reescrever essa resenha. Kkk
Super indico o conto para vocês, juro que vão ficar querendo mais quando terminarem.

site: https://parbataibooks.blogspot.com.br/2017/01/resenha-felicidade-invisivel.html
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
Owwwn, que resenha mais linda!




Poliana 03/02/2017

Maravilhoso e encantador
Felicidade Invisível não só é o conto da série "Os Guardiões de Crainn Chiara" (Uma nova série de livros que a Lari Azevedo está trabalhando), como também é o conto celta de natal mais lindo do mundo!

Não que eu já tenha lido um conto assim antes...

Na verdade, eu nunca li nada com tema céltico e me surpreendi e me encantei quando conheci Maeve, a personagem principal do conto que a Lari escreveu.

Maeve MacCleury é uma família gigante e tradicional irlandesa. Ela tem dois irmãos - que são gêmeos -, é a mais nova da família MacCleury e faz parte da quinquagésima geração dos chamados Guardiões da Felicidade.

Os guardiões da felicidade são os responsáveis por armazenar, em bolas de vidro (similares as bolas de natal), os maiores momentos de felicidades existentes. Eles passam o ano todo fazendo isso, juntando felicidade em bolas de vidro (Maeve as apelidou carinhosamente de FELIS) para, na véspera de natal, serem colocadas em um pinheiro escocês chamado pelos deuses de Crainn Chiara, a árvore da felicidade.

Depois de colocarem, no dia 24 de dezembro, as Felis na Crainn Chiara eles esperam que o relógio marque meia noite para ver o brilho luminoso que sai das Felis para serem absorvidas pelas folhas do pinheiro, que distribui a felicidade das Felis para o mundo por meio de suas raízes.

Contudo, conforme os anos foram se passando a civilização foi ficando cada vez mais séria e egoísta. Momentos de felicidade verdadeira estavam cada vez mais raros tornando o trabalho dos guardiões da felicidade cada vez mais difíceis. Alem disso, as árvores - principalmente o pinheiro escocês - se tornaram uma raridade.

Desta forma, buscando a solução do problema, o tataravô de Maeve mandou seus cinco filhos levarem mudas da Crainn Chiara para cinco diferentes pontos da Terra e formarem ali suas famílias a fim de juntar o maior número de Felis possíveis. Entretanto, a raridade e a falta de felicidade no mundo fizeram com que os guardiões iniciassem uma "competição" para ver quem juntava mais Felis.

Na casa de Maeve não é diferente. A competição existe e todos passam o ano contanto quantas Felis cada um já juntou. Todavia, Maeve pensa diferente e isso se faz vísivel do início ao final.

Em Felicidade Invisível Maeve será guiada pelo seu desejo de conhecer o felicidade plena até Henrique. O que pode surgir disso você só vai descobrir lendo!

Larissa Azevedo criou um pontinho de felicidade plena em meio ao caos em que vivemos e convida você a abraçar e acolher esse pontinho na sua vida! Eu adorei conhecer essa felicidade. Ela iluminou meu coração e me encheu de alegria, paz e amor. Você com certeza não se arrependerá de conhecer essa luz que guiará seu coração para o lado bom da vida!

site: http://pagsdaminhavidaliteraria.blogspot.com.br/2017/02/felicidade-invisivel-resenha.html
Lari Azevedo 19/02/2017minha estante
OBA!!!!!/
Fico muito feliz que tenha gostado!

Obrigada pelo seu carinho e amor!




Luciano 16/09/2019

O amor tem luz própria
A Larissa escreveu uma história plana e direta sobre se apaixonar, sem grandes conflitos ao menos nesse conto. Segue quase como uma linha reta mas mesmo assim é capaz de te prender por uma única e importante razão que é a do amor vindo do acaso entre Maeve e Henrique.

O amor é o idealizado e sempre visto pelos olhos de Maeve. Ela enxerga Henrique como alguém especial e ele se revela mesmo como alguém apaixonante durante o conto inteiro. "Ele tem luz própria", ela diria, mas o amor também. Quando você se apaixona, a sensação é de verdade que o outro ilumine sua vida. E é isso, a simplicidade desse ato de se apaixonar ganha forma e aquece seu coração, independente da construção da saga ou da história. Amor, idealizado, perfeito, ingênuo e como gostaríamos que fosse.

O conto geral, das famílias e dos Guardiões se mantém em segundo plano, é um episódio de uma série em construção. Eu senti falta de conflitos, além dos pequenos episódios familiares, mas acredito que é algo que se desenvolve adiante em outros contos da série. Assim como o segundo plano dos Guardiões, Maeve também se deixa de lado em vários momentos. Henrique se torna realmente um personagem interessante, aos olhos dela até mais crível do que a sua própria realidade fantástica. O que o amor não faz?

No fim o livro faz o mesmo papel das esferas mágicas e talvez ilumine uma manhã com um pouco de alegria e de um amor a primeira vista, como nos filmes de romance que um dia já foram populares.

Eu particularmente acho difícil acreditar em um amor assim, imediato e tão simples, os personagens vivem para este sentimento. Mas se bobear é disso que a vida precisa também, luz e calor de um amor tão mágico quanto o dos personagens.
comentários(0)comente



THAY 04/06/2017

APRECIAREI O NATAL COM OUTROS OLHOS APÓS ESSA LEITURA
"Já percebeu que, sempre que chega o natal , uma felicidade entra em nossos corações ? Felicidade essa que nos prepara para encarar mais um ano."

Eis que na véspera de natal do ano passado ,fomos surpreendido pela autora Larissa Azevedo com seu conto de miteológia celta "Felicidade Invisível", primeiro volume composto a série Os Guardiões de Crainn Chiara que está sendo desenvolvido pela própria autora.

Maeve MacCleury é uma guardiã da felicidade , filha caçula de Brendon e Caylie MacCleury são descentes á uma família tradicional Irlandesa. Junto com sua família ( Guardiões da Felicidade) todos tem uma missão a cumprir, eles são responsáveis em armazenar momentos de felicidades em globos de vidro. As bolas com momentos de felicidade são guardados durante um período e apenas na véspera de natal quandos as dozes baladadas da meia noite tocar os globos de vidros são fixados em enormes pinheiros escocês e em seguida automaticamente elas se explodem distribuindo felicidade para o mundo. Mas, o que era pra ser uma celebração familiar se tornou uma competição acirrada entre as família. Por conta de momentos de felicidade ficarem mais escassos durante décadas cada família recebeu algo simbólico para poder voltar a espalhar momentos de felicidade pelo mundo.

Enquanto seus dois irmãos gêmeos Adam e Liam procuravam acirradamente pelos globos de vidro Maeve espionava Henrique. Mas , quem era Henrique ?

"A forma como ele se mexe de acordo com cada nota da música Irlandesa que toca , em alto em bom som, no estúdio de dança é divino. A forma como ele consegue reflertir apenas com o corpo as notas da música e a coisa mais magnifica que eu já vi. E olha que eu já vi de tudo."

Henrique trassou os caminhos de Maeve de forma inesperada , aos seus vinte e seis anos é formado em Engenharia Cível curso forçado pelos seus próprios pais . Mas , a dança sempre foi sua paixão e em breve esta preste de realizar sua primeira apresentação.

" Vi momento felizes , mas foi só. Nada que fosse digno de colocar dentro da Felis. Nome carinhoso que dei para as bolas que armazenam esses momentos."

Maeve infelizmente não conseguiu coletar nenhuma das suas Felis ao contrario de seus dois irmãos que já estava com seis globos de vidro. Mas , pra Maeve o importante não era quantidade e sim qualidade pois desejava que o mundo estivesse carregado de felicidade pois as pessoas estava precisando.

Será que Maeve e Henrique iram concluir seus objetivos?

O conto é narrada em primeira pessoa protagonizado pela propria Maeve MacCleury que vive no século XXI , mais que nunca deixa de lado suas tradições que sua família carrega.
É incrivel ver como a autora soube construir e deselvolver a história , uma leitura leve e fluida que parece ser real , com muita delicadeza e atenção nos presonagens e principalmnete com a cultura celta . É a primeira vez que tenho contato com a cultura celta e confesso que me surpreendeu bastante , tanto com a história quanto a cultura.
Felicidade define por esse lindo trabalho que esta sendo desenvolvendo por uma pessoa maravilhosa que considero muito. É a minha primeira vez que tenho contato com o gênero que diga se de passagem foi incrível e inesperado. Adorei o conto e é minha primeira leitura que li rapidinho ficando aquele gostinho de que mais. Espero encontrar em breve a Série Os Guardiões de Crainn Chiar nas maiores livrarias do Brasil pois esse trabalho merece ser visto por muitos leitores e quem sabe chegar até a Irlanda. Prometo ver o natal com outros olhos a partir dessa leitura. #RECOMENDOOOO

site: https://www.instagram.com/esboideias/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Jeniffer Ferreira 16/03/2017

Leve e encantador.
Felicidade Invisível é um conto com Mitologia Celta, que se passa em época de natal, escrito por Larissa Azevedo, coautora dos livros interativos da Série Minha Vida (Minha vida Dava um Livro, Minha Vida Dava uma Série). Seu conto faz parte de uma nova série de fantasia que será lançada em breve, Os Guardiões de Crainn Chiara, e promete muitas emoções e aventuras.

O que Maeve mais tem feito em seus últimos dias é vigiar Henrique, um dançarino por paixão e, que vem treinando para uma apresentação de dança. Com seu jeito único e inocente, ela se vê encantada pelo jovem que esbanja o que ela mais precisa para cumprir seu propósito em mais um ano – Felicidade verdadeira. Como guardiã da felicidade, é tudo que ela necessita para poder realizar com sucesso mais um natal, e é claro, provar a sua família que também é capaz de exercer o seu papel e espalhar todos os sentimentos bons a humanidade. Mas por causa de um descuido, Maeve se vê mais próxima de Henrique, o que não devia acontecer, fazendo-a tomar decisões que jamais pensou tomar...

O conto é bem romântico, ideal para quem ama de coração o gênero, e descritivo. Lari conseguiu resumir bem em 56 páginas um pouco sobre tudo da sua nova série de fantasia. O livro é narrado em 1° pessoa, no presente e aos olhos de Maeve, o que nos faz ser a protagonista e entrar de cabeça em sua breve jornada.

Felicidade Invisível é uma leitura rápida, fácil, e que te deixa com vontade de ler mais. Saber mais.

******
Você pode visualizar a resenha completa em meu blog... :)

site: http://leiaeescrevablog.blogspot.com.br/2017/02/eu-li-felicidade-invisivel.html
comentários(0)comente



28 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2