Simplesmente o Paraíso

Simplesmente o Paraíso Julia Quinn




Resenhas - Simplesmente o paraíso


131 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Sonali 15/12/2017

Mais uma historia dessa autora proclamada, o enredo , o desenvolvimento e bom , gostei da protagonista do seu pensar e sentimento de ter uma família , para não ser sozinha e nosso galã foi tbm um tanto guardião com a nossa Honoria
Recomendo
E estou ansiosa para a sequencia dessa serie
comentários(0)comente



Stefanny @farejandolivros 13/12/2017

#resenhafarejandolivros | "Simplesmente o Paraíso" | Julia Quinn | @editoraarqueiro⠀
Simplesmente o Paraíso é o primeiro livro da quadrilogia Quarteto Smythe-Smith da autora Julia Quinn.⠀

Nesse primeiro livro conhecemos Honória, uma dama da sociedade inglesa que está desesperada atrás de um marido. Ela procura muito mais que um anel 💍 em seu dedo, procura uma casa que fosse sua e, além disso, arrumar um marido significava não ter mais que se apresentar no recital anual das Smythe-Smiths. O recital era uma tradição de sua família onde as filhas Smythe-Smiths deveriam aprender a tocar um instrumento para que, quando fosse a vez delas, juntassem-se ao quarteto e lá permaneceriam até encontrar um marido. O fato dela e das primas serem horríveis não mudava o fato de Honória adorar se apresentar com elas, sempre com um enorme sorriso no rosto. ⠀

Enquanto Honória está em sua busca desesperada por um marido, Marcus Holroyd está encarregado de uma missão. Ao fugir do país, Daniel Smythe-Smith, amigo de infância de Marcus, fez-o prometer que cuidara de sua irmã Honória, impedindo que ela casasse com pretendente inadequado. Marcus cumpri bem seu papel de protetor e cuida para que os maus pretendentes se afastem rapidamente, o problema é que ninguém parece bom o bastante, ninguém a conhece tão bem, como ele conhece, ninguém sabe do que ela gosta, como ele sabe, ninguém sabe as aflições que ela sente, como ele sente também.⠀
Durante os planos de Honória para conquistar um marido, Marcus aparece e estraga toda a situação que ela tinha planejado, porém algo entre os dois, a partir desse momento começa a aflorar. E um sentimento maior que amizade começa a surgir.⠀

"Precisa beija-la. Tinha que fazer isso. Era tão básico e elementar quando sua respiração, seu sangue, sua alma. E quando a beijou...⠀
A terra parou de girar.⠀
Os pássaros pararam de cantar.⠀
Tudo no mundo ficou suspenso, a não ser por ele, ela e o beijo muito leve que os unia."⠀

Esse foi o primeiro livro da Julia Quinn que li e fiquei completamente apaixonada. A leitura é leve, fluida e muito envolvente. Fiquei encantada com a escrita da autora e com seus personagens cativantes. Quero ler os próximos logo.

site: https://www.instagram.com/p/BbrwjUYgPuD/?taken-by=farejandolivros
comentários(0)comente



Juentrepáginas 16/11/2017

Antes que se casem é tradição que as moças formem um quarteto para que possam se apresentar no recital, ao se casarem são substituídas por damas de outras famílias. Honoria Smythe-Smith é uma violinista com um talento quase nulo, porém seu carisma nas apresentações  se ressalta. Ela deseja encontrar um marido pois depois da fuga do irmão que ela adorava- Daniel- começou a se sentir só.
Antes de deixar o país seu irmão pediu para Marcus Holroyd cuidar dela, e isso incluía afastar pretendentes inadequados. O que nem Marcus e nem Honoria imaginavam, era que ambos se colocariam em perigo e que se aproximariam bem mais do que como  apenas amigos.

É um livro maravilhoso ! Um  romance de época  com drama, cenas engraçadas de se imaginar e muita paixão. História levíssima  que prende  o leitor nas primeiras páginas,a autora sabe detalhar os locais que a história passa de maneira incrível,e isso torna a leitura ainda mais deliciosa.

Em suma, Simplesmente o Paraíso vale MUITO a pena, eu que a pouco descobri gostar desse gênero simplesmente amei.
comentários(0)comente



Camila 16/11/2017

Gostei muito!
Dificilmente eu leio romances de época, sendo que esse foi o primeiro livro da Julia Quinn que eu li. Até chegar próximo da página 30 eu tive minhas dúvidas se iria gostar, mas depois o livro tomou um rumo totalmente diferente, tão fofo e gostoso que a leitura acabou sendo muito rápida e leve. Com certeza vou adquirir os outros livros da série. Amei muito!
comentários(0)comente



Marlene 13/11/2017

Simplesmente o Paraíso
Simplesmente o Paraíso foi, sem sombra de dúvidas, o romance mais fofo que eu já li da autora Julia Quinn, ela é conhecida por ter uma pegada um tanto sensual nos seus livros, mesmo se tratando de romances de época, entretanto esse livro não foi assim, a autora trouxe uma história mais leve e um romance que evoluiu através de uma bonita amizade entre os personagens.

Desde a série os Bridgertons, conhecemos a tradição da família Smythe-Smith. Eles reúnem anualmente quatro de suas jovens damas, com idades elegíveis para se casar, para tocar no quarteto e torturar entreter a sociedade londrina.

Nesse primeiro livro, iremos conhecer a história da Honoria Smythe-Smith, que é a violinista do quarteto, ela está em plena consciência da sua falta de talento para música, por isso precisa se casar, porque só o casamento pode livrar ela dessa tortura, que é tocar em um quarteto sem talento algum para a música.

Odiava ser o centro da atenções, mas, por Deus, desejava ser o centro da atenção de Honoria.
Marcus sempre foi muito tímido e muito discreto, cresceu sendo filho único e isso fez com que tivesse uma infância solicitaria, isso muda quando ele conhece Daniel, seu melhor amigo e companheiro de diversão. Pela primeira vez, Marcus sabia o que era fazer parte de uma família grande e barulhenta, indo nos feriados escolares a residência dos Smythe-Smith, ele sentia que enfim tinha encontrado o seu lugar.

Por ser melhor amigo do seu irmão, Marcus sempre foi uma constante na vida e infância de Honoria, por isso no decorrer dos anos, surgiu uma amizade em entre eles. Então quando Daniel, seu irmão, é obrigado a deixar o país, ele incumbiu Marcus da missão de proteger sua irmãzinha dos caça dotes e homens que não a faram feliz. Porém, o que Daniel não contava, é que para Marcus ninguém é bom o suficiente para ela, exceto, talvez, ele.

Inclinou-se para a frente, tomou o rosto dela entre as mãos e capturou sua boca em um beijo apaixonado. Honoria se sentiu arder, então derreter e quase evaporar. Teve que se controlar para não rir alto de tanta alegria e se ergueu na ponta dos pés para tentar chegar mais perto.
Honoria é uma jovem determinada, e desde pequena mostrou que não está disposta a abrir mão dos seus ideais, por isso bola um plano mirabolante para conseguir a atenção de um jovem pretendente, porém, Marcus acaba sendo vítima de sua artimanha e sofre um pequeno acidente, que não só colocou sua vida em risco, como também seu coração.

[ - Minhas Impressões - ]

Simplesmente o Paraíso traz de volta uma trama que começou a se desenvolver em Os Bridgertons, e novamente a autora trouxe um romance bonito e de tirar o fôlego. É quase impossível não se apaixonar por essa família, esse quarteto e esses personagens.

Personagens esses que vieram de mundos tão diferentes, mas, que aprenderam a amar e abrir seus corações para as coisas novas. O ponto alto da trama para mim, foi a personalidade do Marcus. Porque, como já é costumeiro em romances de época, sempre encontramos mocinhos bonitos que são galanteadores e que vivem rodeados de mulheres, porém, Marcus não é assim, ele tem seus medos e inseguranças, principalmente quando precisa declarar seu amor por uma certa dama.

— Eu estava pensando que este momento é simplesmente o paraíso.
Ele ficou em silêncio por um instante, depois sussurrou, tão baixo que Honoria não teve certeza se ouvira direito:
— O paraíso não poderia se comparar a este momento.

Julia Quinn, deixou uma importante lição sobre a família e quão é importante é essa união. Honoria não gosta de se apresentar para a sociedade londrina, porque sabe que todas elas carecem de um pouco de talento, todavia, ela é muito feliz participando dos ensaios com suas primas e valoriza isso acima de tudo, porque, se elas estão juntas, as demais coisas são apenas detalhes.

Os personagens secundários foram de grande participação na trama, como a mãe de Honoria, que apesar de ainda sofrer muito com o afastamento do filho, a apoiou em um momento difícil, onde Honoria se via perdida e com medo de perder, aquele que seria o dono do seu coração.

Não podemos deixar de falar também no quarteto Smythe-Smith, composto por Honoria, Sarah, Iris e Daisy. Cada uma tem uma personalidade distinta, mas também muito encantadora, Sarah por exemplo, não ver a hora de se casar e sair do quarteto e é conhecida por ser muito dramática e Iris que por ter seus cabelos loiros e rosto angelical, sempre é subestimada pela maioria de seus conhecidos. Todas tiveram grande participação da trama e para nosso divertimento, talento nenhum para a música.

Marcus não conseguiria de modo algum descrever o som produzido pelos quatro instrumentos na sala de ensaio das Smythe-Smiths. Não sabia nem se havia palavras para descrevê-lo, ao menos não de forma educada. Abominava a ideia de chamar aquilo de música; na verdade, era mais uma tortura do que qualquer outra coisa.

A trama, apesar de ser bem clichê, teve destaque pelo desenvolvimento do romance entre os personagens, a escrita da autora é bem leve e fluída e por isso as páginas passaram sem que eu percebesse. Essa série é composta por quatro livros, em que cada um apresenta um casal diferente, porém, para melhor entendimento, os livros devem ser lidos na ordem.

Eu recomendo para quem gosta de um romance fofo e personagens encantadores.
comentários(0)comente



Fabi 07/11/2017

MEDIANO
''Todo homem solteiro está procurando uma esposa. Só que eles nem sempre sabem disso.''

Julia Quinn é sinônimo de leitura gostosinha de ler.
A série Os Bridgertons é maravilhosa, daí o meu interesse de ler mais obras dessa autora.
O Quarteto Smythe-Smit é citado na série Os Bridgertons como sendo um quarteto de quatro meninas nada talentosas que literalmente torturam os ouvidos da plateia.
Honoria Smythe-Smith tem 21 anos e como toda garota da época anseia em encontrar um marido. Ela avalia Gregory Bridgerton como sendo um ótimo candidato. Não sente amor por ele, mas o considera um futuro bom marido.
A garota desde seus 6 anos de idade sempre viveu acompanhando seu irmão Daniel e o melhor amigo dele Marcus. Devido a uma confusão, Daniel teve que ir embora para a Itália e deixou Honoria sobre responsabilidade de Marcus.
Desde então, Marcus sempre esteve por perto, observando ela e avaliando os cavalheiros que se aproximavam. Se o sujeito fosse alguém que estava interessado somente em seu dote ou fosse velho demais para ela, Marcus dava um jeito de afugentá-lo.
Honoria e Marcus compartilham uma amizade, pouco atípica, fruto dos anos que se conhecem e que o torna parte da família.
Os dois são amigos, mas nada de muito próximos. Sempre veem um ao outro em eventos, mas desde o infortúnio de Daniel não são como antes. Honoria sempre vê Marcus a observando e avalia essa atitude como se ele estivesse julgando ela.
Mas tudo isso irá mudar quando um pequeno acidente irá fazer eles se aproximarem e descobrirem o amor.
Simplesmente o paraíso não foi para mim uma leitura fantástica, digna de suspirar. Contudo o livro não é de todo ruim.
O fato de eles se apaixonarem tão rapidamente me incomodou. Faltou uma construção, um desenvolvimento na história para que eles pudessem perceber que gostavam um do outro.
Marcus também não foi o mocinho literário que me fez cair de amores. Ele é bem contido, tímido como relata o livro.
Gostei das participações de Colin e Lady Danbury na história. =)
Mesmo assim valeu o tempo que li este livro. Espero que o próximo da série seja mais desenvolvido e acima de tudo cativante.
Mila.Mesquita 07/11/2017minha estante
Bom saber. Pq eu iria com muito sede ao pote na leitura. Vou mais contida agora.


Fabi 07/11/2017minha estante
Leia este livro sem mts expectativas Mila. Ele é bem simples e tb fofinho. Nada mais além disso;


Mila.Mesquita 07/11/2017minha estante
É que quando vc ler a série dos Bridgestons, qq livro depois da autora sempre irei com expectativa. Mais dessa vez vou esperar só uma leitura ok. Mais justo. Rs


Fabi 08/11/2017minha estante
Sei como é. Vc ao ler um livro d determinado autor (a) imagina q o livro tb vai te agradar. Pena q n é sempre assim...


Mila.Mesquita 10/11/2017minha estante
; )




Eu Pratico Livroterapia 14/10/2017

Simplesmente o Paraíso
Marcus é amigo de Daniel desde criança, quando se conheceram na escola onde estudavam, desde sempre, passava as férias com a família do amigo, já que ele, de família só tinha o pai e este era ausente demais. Assim ele faz amizade com toda a família do amigo, inclusive com Honoria, irmã mais nova e diga-se de passagem, quando criança, uma chatinha...

Honoria é a irmã mais nova de Daniel e mais um monte de irmãos, pertencente à família Smythe-Smith que conhecemos na série Os Bridgertons, a família tem a quase vinte anos, um quarteto, que leva o mesmo nome, Smythe-Smith. Neste quarteto só as meninas solteiras tocam, quando casam, são substituídas e desde o ano anterior Honoria faz parte das musicistas. É de opinião geral que ninguém, jamais toca bem, elas são horríveis, mas Honoria não se importa, é uma tradição de família e para ela isso é o que conta, então, a cada ano, no dia da apresentação do Quarteto, ela coloca um sorriso maravilhoso no rosto e se apresenta para toda a Londres.


Mas bom, ela e Marcus estão sem se ver a um certo tempo, já que Daniel fez uma enorme besteira e foi banido de Londres, deixando Marcus sem um motivo para conviver tanto com a família, mas na temporada dos bailes ele aparece, só para "botar pra correr" qualquer pretendente que Honoria tenha. Isso porque antes de partir Daniel pediu que Marcus tomasse conta da irmã.

Junto com as primas, Honoria vai para a casa de campo vizinha a de Marcus para passar uns dias e lá eles se encontram, Marcus sofre um acidente e fica gravemente enfermo fazendo com que a moça abandone tudo para cuidar dele, claro, leva sua mãe junto, o que foi muito bom já que foi por causa dos conhecimentos dela que ele não morreu.

Durante o tempo que ela toma conta dele, um novo sentimento começa a surgir, ele está quase sempre desacordado, e ela tem a oportunidade de conhecer o lado mais vulnerável dele, ao acordar, ele que começa a ver a moça de outra forma. E isso nos garante um romance bem bonitinho, mas bem morninho.

As cenas e o diálogos divertidos da autora estão presentes mas o romance foi, pra mim, bem mais fraco do que o habitual. Bonitinho, cinco estrelas e eu favoritei porque mesmo sendo mais fraco, eu adoro mesmo a escrita dela. Mas não encontramos cenas memoráveis como encontramos nos livros da série Os Bridgertons. Da mesma forma, as cenas mais picantes também não aparecem por aqui, é tudo bem mais morno, bem mais superficial. Nada que se possa dizer que faz o livro ruim, só...diferente!

De toda forma, indico a leitura, os personagens são bem construídos, encontramos velhos conhecidos de leituras anteriores, o livro é lindo, com a diagramação perfeita, a capa maravilhosa e um casal divertido e apaixonante!


site: http://www.eupraticolivroterapia.com.br/2017/10/simplesmente-o-paraiso-julia-quinn.html
comentários(0)comente



Laura 06/10/2017

Eu esperava mais.
Isso mesmo, eu esperava mais. Principalmente por ser um livro da Julia Quinn que é uma ótima escritora. Porem o livro não é ruim, longe disso, é só "inho" fofinho, levinho, bonitinho, morninho. De qualquer maneira merece 3 estrelas e vou continuar com a serie, já que como disse a autora é boa e o próximo pode ser melhor, além do fato que amo romances de época e ler nunca é uma perda de tempo.
Patricia 06/10/2017minha estante
Concordo com vc




Romane 29/09/2017

Há muito percebi que não sei fazer resenhas sem dar spoiller, então desisti delas. Mas posso, claro, comentar o que achei do livro. Não vou repetir a sinopse porque o site disponibiliza. Posso dizer que gostei muito, claro, mas apesar de ter rido muito, eu achei que faltou algo que não sei o que é, e por causa desse algo que desconheço ele perdeu uma estrela. Eu esperei muito por ele, muito dele, e achei que faltou esse algo desconhecido.Só por isso mesmo, porque o casal é aquele tipo de casal de pessoas que eu gosto. Qual tipo de pessoa? Aquele tipo que não é idiota, não se faz, não delira com absurdos, não se ofende por besteira, são inteligentes o suficientes pra compreender o outro. E isso, percebi é uma das principais razões pelas quais eu amo os livros da Julia. Porque são pessoas coerentes, os personagens conseguem ser racionais e emotivos ao mesmo tempo. Como sempre, foi uma grata leitura.
comentários(0)comente



Carolina Lima (@naestantetem) 26/09/2017

Delicadeza em formato de livro
"Ele sentiu o peito apertado e tentou respirar. Não queria encarar o fato de que podia olhar para uma flor e determinar o ponto exato onde a pétala combinava com os olhos de Honoria." Honoria é filha caçula de sua família e por ainda ser solteira, faz parte do Quarteto Smythe-Smith, estilo inimigas do ritmo, junto a suas primas.

Como era de costume, na época em que se passa a história, 1800 e "bláu", todas as mulheres solteiras e suas mães só pensavam em encontrar pretendentes adequados para bons casamentos.

Porém, no começo, com Honoria foi um pouco diferente pois, após um delicado incidente, sua mãe ficou um pouco ausente em sua tarefa com a filha. Mas não ficou desamparada e por ser de uma família grande, ela não era tão frágil.

Em paralelo, havia a presença de seu amigo de infância, o sério e sem senso de humor, Marcus Holroyd, muito empenhado em afastar possíveis pretendentes que julgava serem inadequados para Honoria. Claro, sem ela estar ciente.
.
Bom, eu gostaria de ter lido antes os livros dos Bridgertons pois, alguns personagens aparecem consideráveis vezes nesse livro e sinto que caí em spoilers. ? Mas, vida que segue.

Essa foi uma história beeeem leve, sem fortes emoções e um cadinho previsível (típico de romances de época). Curto mais intensidades. Mas ao mesmo tempo, Simplesmente o paraíso cativou um espacinho no meu coração e já quero ler os demais livros desse Quarteto.??
comentários(0)comente



Bia 19/09/2017

Morno
"Simplesmente o Paraíso" é o primeiro de uma série de quatro livros, intitulados "Quarteto Smythe-Smith". Como o próprio nome indica, essa é uma saga focada em um grupo de garotas solteiras, que juntas formam uma desafinada e terrível banda musical dos anos 1800.
E nessa obra inicial, iremos acompanhar a estória de Honoria, que após ver ser irmão ser praticamente expulso do país por ter cometido uma bobagem na mesa de jogos, ganha secretamente um novo protetor: o melhor amigo de infância da família, Marcus Holroyd.
Marcus e Daniel (irmão de Honoria) se conhecem desde pequenos, e a presença do rapaz na casa dos Smythe-Smith era basicamente obrigatória. Fato que acabou transformando o moço em praticamente um membro da família.
Portanto, quando o mocinho é acometido por uma grave doença, Honoria e sua mãe partem desesperadamente em seu encontro. E na angústia de curar o rapaz de sua terrível febre alta, sentimentos adormecidos acabam aflorando tanto em Honoria quanto em Marcus, já que é durante esse sombrio período, que eles acabam descobrindo a verdadeira natureza de suas afeições.
Encerra-se assim a breve sinopse da obra e inicia-se agora o momento opinião. Verdade seja dita, "Simplesmente o Paraíso" não foi a melhor obra de Julia Quinn.
Se analisarmos criticamente o enredo criado pela autora, é possível perceber que até mesmo em uma música da Taylor Swift acontece mais coisa do que nesse livro (veja por exemplo a canção "Mine" da moça: em menos de 3 minutos ela já visualizou o primeiro encontro; beijo; namoro; casamento; briga; dificuldades financeiras; superação e ainda por cima, ela consegue finalizar tudo com um final feliz).
Já Julia Quinn, apesar de criar um romance digno de músicas melosas, peca bastante em desenvolver uma estória interessante. Basicamente, uns 40% do livro, o leitor acompanha Honoria cuidando de Marcus e foi impossível não associar todos esses capítulos com o livro "Sedução ao Amanhecer" de Lisa Kleypas (onde Kev fica cuidando de Win por um longo período de tempo).
Porém no livro de Kleypas, essa avalanche de cenas hospitalares faziam mais sentido e tinham mais impacto para o leitor (afinal, Win estava gravemente doente desde o início da série). Já na obra de Julia Quinn, elas me entediaram um pouquinho, assim como os capítulos que envolviam as outras garotas do quarteto.
Porque, infelizmente, tirando a enfermidade de Marcus, nada remotamente interessante ocorreu nessa narrativa. Não tínhamos vilões, nem empecilhos para o amor dos protagonistas ou qualquer personagem secundário que despertasse o interesse do leitor em dar continuidade nos outros livros da série. As meninas do grupo musical eram tão parecidas, que tive até dificuldade em diferenciá-las. E nem mesmo o leve crossover com um certo menino Bridgerton conseguiu me animar (sad but true).
Talvez o único diferencial desse livro, e fato que pode conquistar alguns leitores, é a personalidade de Marcus, o qual é descrito como sendo um mocinho extremamente tímido e acanhando. Então o romance entre ele e Honoria, segue o típico desenvolver daqueles amores de infância e beira quase o juvenil (aliás, existe livro jovem adulto muito mais picante e com mais cenas de sexo do que nessa obra, veja por exemplo "Princesa de Papel" de Erin Watt).
Diferente dos protagonistas masculinos libertinos, os quais estão sempre buscando agarrar as mocinhas e aproveitar-se desses encontros furtivos, Marcus e Honoria quase não tiveram contato físico. E o romance limitou-se a conversas meigas e momentos bem romantizados, como uma valsa digna do filme "Cinderela", no desfecho da obra.
Ainda que bem escrito e com protagonistas bonitinhos e afetuosos, infelizmente esse livro não funcionou para mim. Sempre tenho um problema com esses romances onde os protagonistas se conhecem na infância, pois o enrendo frequentemente torna-se idealizado e açucarado demais para o meu próprio gosto.
Sem mencionar, que além da semelhança dessa obra com outras do gênero, Julia Quinn acabou repetindo o mesmo plot de seu próprio livro "A História De Um Grande Amor", o que deixou tudo mais previsível do que o necessário.
De todos os clichês pertinentes aos romances de época, eu ainda continuo fiel aqueles onde temos libertinos rústicos que faltam fazer malabarismos de circos com as mocinhas. Homens, que se pendurar uma corda em algum lugar no teto, eles fazem até umas piruetas no ar com a garota só para poder se aproveitar do momento (*insira aqui o emoji do bracinho forte de musculação*). Afinal, esses rapazes conseguem até mesmo salvar um enredo mais pobrezinho, só dando o ar de sua graça.
Em conclusão, se você está com vontade de ler um romance bem fofinho, leve e com poucas cenas de paixão tórrida; agarre com as duas mãos "Simplesmente o Paraíso" de Julia Quinn. É diversão garantida.

+ Para mais resenhas acesse o blog abaixo

site: beahreads.blogspot.com.br
Jaque - Achei o Livro 20/09/2017minha estante
Super concordo! Dei a mesma nota nesse livro. Casal que não me conquistou, muito paradinho...


Bia 20/09/2017minha estante
Ele foi bem fraquinho mesmo. Dizem q o 3º dessa série é o melhor, dps darei uma chance à ele, pra ver se gosto mais .)




Maravilhosas Descobertas 17/09/2017

SIMPLESMENTE O PARAÍSO, DE JULIA QUINN
Este ano mais uma série da famosa autora de romances de época Julia Quinn foi lançado aqui no Brasil. Na verdade, de forma bem inovadora, a editora Arqueiro lançou os quatro livros da série simultaneamente, de forma separadas ou dentro de um box único simplesmente encantador, que vou mostrar mais na frente. Dentro do universo literário da autora, qualquer leitor de sua série mais famosa, Os Bridgertons, já ouviu falar do concerto anual das Smythe-Smiths. Onde quatro jovens solteiras da família tocam instrumentos em um evento que reúne diversos membros da sociedade. O que é normal, se não fosse por um detalhe: todas tocam muito mal, e costumam massacrar qualquer peça musical que tocam. Apesar disso o evento é sempre movimentado e ninguém fala nada de errado a qualquer membro da família.

Assim, a autora decidiu criar histórias para esse quarteto tão popular em suas obras. Começando por este livro, Simplesmente o Paraíso, que foca em Honoria Smythe-Smiths, uma jovem que está ciente de sua falta de talento ao violino, mas que entende a importância de uma tradição familiar. Caminhando para sua terceira temporada em Londres, e segunda entre o quarteto musical, ela tem esperanças de finalmente conseguir um bom casamento, e que seu irmão Daniel consiga voltar para a Inglaterra após fugir de um outro nobre vingativo. Já Marcus, um conde quieto, é o melhor amigo do irmão de Honoria, e sempre conviveu com ela, desde que eram muito novos.

Apesar de uma agradável amizade, nunca houve nada de especial entre Marcus e ela, até que ele promete ao amigo Daniel que vai zelar por sua irmã, e discretamente impedir que ela cometa algum erro na escolha de um marido. Mas uma série de acontecimentos aproximam Honoria e Marcus, e eles percebem que seus sentimentos podem não ser tão fraternais quanto pensavam.

Temos aqui mais uma série da Julia Quinn, com todas as características comuns a seus livros: romance, humor, perspicácia e personagens cativantes. Honoria é uma personagem que o leitor logo se identifica, ela é inteligente, bem humorada e com o desejo de ajudar. Marcus é tímido e retraído, mas sempre se soltou com a família Smythe-Smiths. É muito legal, ver como ele e Honoria possuem uma intimidade incomum entre membros da sociedade, que não são parentes ou casados. E essa relação vai crescendo, e a cada momento o leitor torce para que eles fiquem juntos logo.

Por sinal, as coisas demoram para realmente acontecer entre o casal, algo que é comum aos livros da Julia Quinn, mas como sempre digo, não causam nenhuma sensação de maçante ao livro. Achei o livro muito divertido, principalmente quando envolvia as quatro moças do quarteto, Iris, Sarah e Daisy. A ideia de todas saberem que são péssimas instrumentistas, e de que o publico também sabe, mas mesmo assim todos participam do evento é engraçado só de pensar.

Resumidamente, achei o livro um doce, muito delicado, com uma dose certa de romance e diversão. Não é o meu livro favorito da autora, talvez por não ter nenhuma grande reviravolta na história, mas ainda assim é um ótimo livro de romance, e que dá inicio a mais uma série da autora, que promete conquistar corações.



site: http://www.maravilhosasdescobertas.com.br/2017/09/simplesmente-o-paraiso-de-julia-quinn.html
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 04/09/2017

Resenha - Simplesmente o Paraíso / Dreams & Books
"O mundo era um lugar melhor só por saber que Marcus estava nele."

Julia Quinn foi a escritora responsável por me fazer amar romances de época. Eu já tinha lido alguns, mas foi através da série Os Bridgertons que me joguei de vez nesse gênero. Eu ri, chorei e me apaixonei a cada página, a cada livro e estava mais do que ansiosa para começar uma nova série da autora.

Assim que soube da publicação do quarteto Smithe-Smith fiquei deslumbrada e ansiosa para fazer a leitura! Só estava a espera de uma oportunidade para começar a ler.

Então, a oportunidade chegou e não pensei duas vezes antes de mergulhar profundamente na leitura de Simplesmente o Paraíso.

"Quando a beijou...
A Terra parou de girar.
Os pássaros pararam de cantar.
Tudo no mundo ficou em suspenso, a não ser por ele, ela e o beijo muito leve que os unia."

Simplesmente o Paraíso é um daqueles livros que prendem logo nas primeiras linhas. Eu me vi sorrindo e me apaixonando já na orelha do livro e tive a certeza de que a história não iria me decepcionar. E realmente não decepcionou.

O primeiro livro do quarteto conquistou e encantou desde o começo. Comecei a leitura consciente de que só iria largar o livro quando lesse a última frase e foi isso o que aconteceu.

Eu fui puxada para aquele universo e não tinha nenhum plano de sair de lá. A escrita envolvente, fluida e apaixonante da Julia Quinn torna a experiência da leitura a mais perfeita possível.

"—Talvez você seja meu porto seguro.
(...) Ele estava feliz por ela estar ali. Tinha a sensação de que Honória também era um porto seguro para ele."

Foi realmente maravilhoso poder voltar para esse lugar, foi incrível ter menções aos Bridgertons e a outros personagens tão peculiares e encantadores que conquistaram na série anterior. Confesso que a fangirl que existe em mim não conseguiu se controlar e a cada menção ou aparição de um Bridgerton eu me via dando gritinhos de empolgação! Foi maravilhoso sorrir e sentir saudades deles!

Eu realmente não tenho o que reclamar de Simplesmente o Paraíso. A história é maravilhosa, os personagens são incríveis e impossíveis de não amar. Destaque para os protagonistas; a troca de um herói libertino para um tímido foi mais do que acertada e a protagonista forte, inteligente e carismática ganhou meu coração de cara. O romance dos dois é tão doce e singelo... como não torcer por eles?

"Precisava beijá-la.
Tinha que fazer isso.
Era tão básico e elementar quanto sua respiração, seu sangue, sua alma."

A diagramação está impecável! Com essa capa lindíssima, orelhas e páginas amareladas, como a editora poderia errar?

Falando em erros, não achei nenhum erro de digitação, concordância ou coerência. E o tamanho da fonte é ideal para uma leitura confortável.

"Honoria ainda estava com ele.
E Marcus tinha a estranha sensação de que sempre estaria."

Após todas essas considerações só me resta recomendar e até mesmo implorar para que você dê uma oportunidade a esse livro! Simplesmente o Paraíso entrou para a lista daqueles livros que eu gostaria que todos lessem!

Tenho certeza que essa autora, essa obra, esses personagens e essa história vão ter um lugarzinho garantido no seu coração. No meu com certeza, eles já têm. :)

" — Eu estava pensando que este momento é simplesmente o paraíso.
Ele ficou em silêncio por um instante, depois sussurrou, tão baixo que Honória não teve certeza se ouvira direito:
— O paraíso não poderia se comparar a este momento."

site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Sthefane Boecker 12/08/2017

Simplesmente o paraíso
Honoria é uma das piores violinistas da história, e faz parte do Quarteto de musicistas mais horrível que qualquer plateia já viu: O quarteto Smythe- Smith.
Todo ano, é uma tradição familiar, que 4 jovens solteiras da família Smythe- Smith se apresentem, mesmo que o talento musical das jovens seja inexistente.
Mas Horonia cumpre com seu dever sem reclamar, e torce pra encontrar um homem que não se importe com o constrangimento que é obrigada (embora ame o Quarteto!) a passar anualmente. Um homem que tenha o mesmo senso de humor que seu melhor amigo: Marcus.
?
Marcus é o melhor amigo do irmão mais velho de Honoria, e também seu amigo, e na ausência do irmão da moça, se encarrega da tarefa de impedi-la de se casar com um homem qualquer.
Honoria não gosta nada disso. Mas o jovem Marcus é tão divertido que ela opita por não o afastar, não queria perder sua amizade e companhia. Os assuntos deles eram tão sinceros e leves, e juntos eles não precisavam de máscaras, além disso: Marcus fora a todos os consertos das Smythe- Smith, que tipo de pessoa iria àquelas apresentações desastrosas?
?
No entanto, ao passo que Marcus espanta os suspeitos pretendentes da vida de sua amiga, vai se atentar a um fato: certo sentimento começa a arder em seu peito. Estaria ele apaixonado por Honoria?
?
Simplesmente o paraíso é um livro leve, que trata de uma paixão real, uma vez que Marcus e Honoria não se conhecem de um dia para o outro, mas são amigos desde a infância.
No decorrer da leitura, podemos ver o progresso dos dois como amigos, e é quase imperceptível a paixão nascendo. Acontece de forma gradativa e simples. É extremamente original o constrangimento deles ao se apaixonarem, devido à amizade que antes já nutriam.
A autora também trás muito divertimento nos diálogos entre os personagens, que são caracterizados como bem humorados, e descritos exatamente dessa forma no livro.
Eu SIMPLESMENTE me apaixonei por Simplesmente o paraíso.
?
Eu super indico pra quem gosta de livros com romances bem construídos, e também com amizade e muito bom humor.
comentários(0)comente



Cheli 07/08/2017

Lindooo
Esse é o primeiro volume da série, cada volume conta a história de um casal diferente, todas integrantes do famoso Quarteto Smythe-Smith, o grupo mais desafinado e charmoso de Londres.
Muuuuito fofo, amei, amei, amei... Um romance bem leve. Aquela velha e nada cansativa história que o casal se conhece desde criança e quando crescem, acabam descobrindo sentimentos escondidinhos, aflorando quando menos se espera... Super Recomendo
comentários(0)comente



131 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |