Simplesmente o Paraíso

Simplesmente o Paraíso Julia Quinn




Resenhas - Simplesmente o paraíso


118 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Sthefane Boecker 12/08/2017

Simplesmente o paraíso
Honoria é uma das piores violinistas da história, e faz parte do Quarteto de musicistas mais horrível que qualquer plateia já viu: O quarteto Smythe- Smith.
Todo ano, é uma tradição familiar, que 4 jovens solteiras da família Smythe- Smith se apresentem, mesmo que o talento musical das jovens seja inexistente.
Mas Horonia cumpre com seu dever sem reclamar, e torce pra encontrar um homem que não se importe com o constrangimento que é obrigada (embora ame o Quarteto!) a passar anualmente. Um homem que tenha o mesmo senso de humor que seu melhor amigo: Marcus.
?
Marcus é o melhor amigo do irmão mais velho de Honoria, e também seu amigo, e na ausência do irmão da moça, se encarrega da tarefa de impedi-la de se casar com um homem qualquer.
Honoria não gosta nada disso. Mas o jovem Marcus é tão divertido que ela opita por não o afastar, não queria perder sua amizade e companhia. Os assuntos deles eram tão sinceros e leves, e juntos eles não precisavam de máscaras, além disso: Marcus fora a todos os consertos das Smythe- Smith, que tipo de pessoa iria àquelas apresentações desastrosas?
?
No entanto, ao passo que Marcus espanta os suspeitos pretendentes da vida de sua amiga, vai se atentar a um fato: certo sentimento começa a arder em seu peito. Estaria ele apaixonado por Honoria?
?
Simplesmente o paraíso é um livro leve, que trata de uma paixão real, uma vez que Marcus e Honoria não se conhecem de um dia para o outro, mas são amigos desde a infância.
No decorrer da leitura, podemos ver o progresso dos dois como amigos, e é quase imperceptível a paixão nascendo. Acontece de forma gradativa e simples. É extremamente original o constrangimento deles ao se apaixonarem, devido à amizade que antes já nutriam.
A autora também trás muito divertimento nos diálogos entre os personagens, que são caracterizados como bem humorados, e descritos exatamente dessa forma no livro.
Eu SIMPLESMENTE me apaixonei por Simplesmente o paraíso.
?
Eu super indico pra quem gosta de livros com romances bem construídos, e também com amizade e muito bom humor.
comentários(0)comente



Cheli 07/08/2017

Lindooo
Esse é o primeiro volume da série, cada volume conta a história de um casal diferente, todas integrantes do famoso Quarteto Smythe-Smith, o grupo mais desafinado e charmoso de Londres.
Muuuuito fofo, amei, amei, amei... Um romance bem leve. Aquela velha e nada cansativa história que o casal se conhece desde criança e quando crescem, acabam descobrindo sentimentos escondidinhos, aflorando quando menos se espera... Super Recomendo
comentários(0)comente



cfvarellanunes 04/08/2017

Simplesmente o Paraíso é o primeiro volume da série 'Quarteto Smythe-Smith. Nele conhecemos Honoria e Marcus, um casalzinho muito fofo e divertido. -

Marcus sempre foi melhor amigo de Daniel, irmão de Honoria, e ao deixar o país Daniel deixou Marcus encarregado de cuidar de sua irmã mais nova e com essa incumbência, Marcus afastava todos os pretendentes de Honoria. -

Honoria, por outro lado, estava se preparando para a temporada social de Londres em buscar de um marido e ensaiando para o grande concerto anual das Smythe-Smiths e ela era uma das violinistas e sempre se apresentava com um grande sorriso nos lábios. Entretanto, ela e suas primas eram tão ruins que ansiavam se casarem logo para não ter que participar dessa tradição familiar, ou devo chamar de vergonha familiar, por mais um ano.

No meio do caminho, Honoria e Marcus podem descobrir que são muito mais que grande amigos e, enfim, descobrirem que o faltava para o seu grande final feliz.

Eu adorei a história, dei boas risadas, bem altas admito, e suspirei em algumas cenas. O bom humor da Julia Quinn estava em quase todas as páginas. Honoria é uma personagem cheia de vida e bem humorada e Marcus é totalmente o oposto dela, porém consegue se soltar na presença de Honoria. -

Porém - sempre tem um porém, haha -, senti falta de mais romance. Senti falta de mais frases que nos fazem suspirar e que aquece o coração de tanto amor. Quando o romance começou a acontecer a história terminou e eu fiquei chupando dedo, haha.

Mas tirando isso o livro é maravilhoso. Leve e agradável demais. Com a famosa escrita da Julia Quinn que faz qualquer um se apaixonar.

Gostei tanto que já comecei o segundo volume, louca para saber o que Daniel vai aprontar. Esse livro promete... promete muuuuuito.

site: https://www.instagram.com/focanaresenha/
comentários(0)comente



Dessa_csn 02/08/2017

Gente, o que falar !? Só que eu levei 4 dias para ler os 4 livros? HAuahUHA Estava muito ansiosa pelo meu box, e quando ele chegou.. por mim valeria só pelo Kit que veio, tudo muito lindo. Com exceção da capa do 2º livro, amei todas as outras.

Como vimos na sinopse, Marcus e Honoria se conhecem desde pequenos. Quando Daniel é exilado do país, pede que Marcus fique de olho na irmã dele.

Honoria acha que Marcus está diferente durante a temporada dela, e desde que assumiu o titulo do pai se tornou uma pessoa fria. Logo mantem certa distância dele, até porque, na cabeça dela, ele desaprova suas atitudes.

Em uma visita no interior com algumas de suas amigas, Honoria fica numa propriedade vizinha a propriedade a de Marcus. Como Honoria quer se casar logo porque se sente sozinha, arma uma armadilha para Gregory Bridgerton (sim, para ele!), ela faz um falso buraco disfarçado para que ela “caia acidentalmente” e ele possa salva-la. Acontece que Marcus está observando tudo, inclusive ela treinando como deve “cair”. Marcus não aguenta e começa a rir alto da cena, Honoria acaba ouvindo e ele entregando sua posição. Tudo acontece muito rápido, mas... Honoria tropeça, Marcus tenta segurar…Só que ele é quem finca o pé no falso buraco e os dois acabam um por cima do outro.. Quase acontece um beijo entre eles, será? Marcus se levanta muito rápido e acaba fincando o pé novamente no tal buraco e dessa vez, machuca de verdade o tornozelo.

Honoria ajuda a levar Marcus até uma parte do caminho e depois avisa para que algum criado vá lá buscá-lo. No dia seguinte, Honoria quer ir visitá-lo, já que ambos pegaram chuva e ela quer saber como está o seu tornozelo. Durante a visita, Marcus aparenta estar gripado, mas nada que bons cuidados e repouso não sarem.

Honoria já retornou a Londres e se passaram alguns dias, quando recebe uma carta da governanta de Marcus, ele está entre a vida e a morte.

O restante da história, vocês sabem né!? Vão ter que ler.. O livro é muito, muito bom. E como outros livros da Julia, tem aquela leitura gostosa de se fazer e que te prende até o final.

De todos os romances de Julia, eu queria muito uma história com amor de infância, não é bem isso que temos nesse livro, porém Marcus e Honoria se conhecem desde pequenos e possuem muitas histórias em comum. Por mim, teriam livros de todas as primas e primos Smythe-Smiths!

Conheça o meu blog, e encontre outras resenhas! https://nadafutil.net/

site: https://nadafutil.net/
comentários(0)comente



Elis 28/07/2017

Desculpa aos fãs, mas achei a história semelhante a Lisa Kleypas, mas isso pode ter ocorrido porque são romances históricos.

Honoria é uma personagem que ganha o seu encanto, afinal perceber que ama alguém, que conhece a vida toda deve ser meio chocante.
Pois percebemos que eles se teem como irmãos. Casar naquela época (1824) não era fácil. Como saber quem era um bom partido baseado somente em títulos e conversas alheias?

Marcus um amigo da família, moço tímido, porem uma companhia em que se podia confiar; se vê diante de um amor que não sabe explicar, mas que no entanto não pode perder. Afinal ficou responsável pela donzela enquanto o melhor amigo esta fora do país devido a uma ameaça de vida.
Marcus é livrado da morte graças a Honoria e sua mãe, agora ele precisa correr antes que ela se case com alguém indecente. Ele é um dos solteiros mais cobiçados devido ao seu título e fortuna.

Gostei da ousadia da autora, pois creio que algo assim não aconteceria normalmente naquela época, afinal o que nos prende em suas páginas é a dúvida de se eles conseguirão ficar juntos, já que temos alguns problemas pelo caminho. E uma tremenda antecipação de fatos, que no fim somente a Honoria, o Marcus e nós leitores temos conhecimento.

Não posso dizer que sou fã da série, no entanto passei horas agradáveis em companhia de personagens encantadores.


site: https://www.instagram.com/p/BWAsitzljOr/?taken-by=elis_eccher
comentários(0)comente



Tribo do Livro 21/07/2017

Simplesmente o Paraíso mais um de Julia Quinn
#EuLeioArqueiro
Um dos meus romances de época favorito é “O Duque e eu" de Julia Quinn, que iniciou a série Bridgerton. Eu amo esse livro. Amo o estilo amigável da escrita, o calor da família - e convenhamos, a representação de uma mãe sã e amorosa e uma família que realmente gosta uns dos outros em um romance de época, é incrível. Então, quando soube que o próximo livro de Julia Quinn era sobre a família Smythe-Smith, anfitriões de música infamemente ruim da série Bridgerton, fiquei curiosa. Honoria Smythe-Smith é solitária, já que seus irmãos mais velhos se casaram e se mudaram, e sua casa está em silêncio e não tão divertida quanto era quando criança. Seu irmão mais velho, Daniel, deixou a Inglaterra em desgraça alguns anos atrás. A mãe de Honoria está deprimida sobre isso, e Honoria gostaria muito de se casar e ter uma família própria. Ela sente falta de ter uma família à sua volta - uma família grande e cheia de vivacidade.
O enredo desta história é realmente muito simples e direto. Honoria que ser casar, porém há algo que ela nem imagina. Um pedido especial de seu irmão a um amigo da família , Marcos Holroyd. Marcus e Honoria conhecem-se desde muito cedo. Ele teve uma infância muito solitária até que foi para a escola, onde teve a sorte de ser o colega de quarto de Daniel Smythe-Smith. Daniel era encantador, confortável e amigo de todos , então, através dele, Marcus encontrou amigos e, por isso começou a visitar a casa de Daniel, de uma família extensa e barulhenta. Por não possuir uma família, Marcus valoriza sua conexão com a família de Daniel mais do que qualquer coisa em sua vida. Ele também tem que defender uma promessa que fez a Daniel antes que este deixasse a Inglaterra e, como resultado, observou Honoria o máximo que pôde.
Gostei de Honoria: ela quer se casar e ter uma família. Ela não é uma iconoclasta, mas também não quer se prender só a tradição . Ela está procurando alguém que seja uma boa combinação para ela e tenta não se desesperar, com seus erros e acertos tudo é profundamente valioso para ela. Por sua vez Marcus é tímido, sua timidez o molda e ele não muda muito ao longo da história. Na verdade, um dos temas da narrativa gira em torno de Marcus, sobre como a timidez pode ser confundida com raiva ou hostilidade. Mas ele tem algumas influências constantes em sua vida, e a família Smythe-Smith é uma delas. Então ele demora um pouco a perceber seus próprios sentimentos por Honoria, mesmo aqueles que podem estar motivando sua dedicação ao cuidar dela enquanto Daniel está ausente. O desejo de Marcus por Honoria não é apenas carnal ou esmagadoramente quente.
Ao longo da narrativa perceberemos este conflito dentro dele, e isso o aterroriza, porquê ele pensa que perderá sua família adotiva. Há uma castidade com seus sentimentos por Honoria, porque eles eram amigos por tanto tempo, e a mantém tão estimada que está quase envergonhado por seus próprios sentimentos sexuais por ela. Marcus é um exemplo perfeito do herói taciturno emocionalmente que Quinn escreve tão bem. Esta é história de amigos que se tornam amados, amantes. É tranquila, doce, lírica e por vezes muito tocante, sem um grande conflito. É amigável e calorosa, e o conflito entre Marcus e Honoria não é tanto "se", "como", mas "quando" e "será satisfatório". Marcus e Honoria compartilham um amor por doces que é tão adorável. Eles se conhecem muito bem - exceto que não percebem o quão bem se adequam.
Se você gosta de conflitos intensos, este não é o livro para você. Se você gosta de angústia, este não é o livro para você. Se você gosta de eventos em grande escala e muito drama, com emoções escuras e doloridas, este não é o livro para você. Porém se você quer doçura, candura, amizade, lealdade, amor de descoberta e um toque de sexualidade , sim, este livro é para você. “Simplesmente o paraíso” é uma confeitaria efervescente, agradável e apreciada em uma só sessão. Foi quente, agradável e engraçado - há algumas cenas onde ri alto, provocando olhares estranhos no trem - mas não cheias de muita turbulência, o que presta, creio eu, ao sentimento arejado e agradável disso . Não há um grande risco pessoal para os personagens, e sendo assim , não há um grande risco pessoal para o leitor. No coração, este livro é sobre dois personagens que querem ter uma família, e não tem certeza de que eles serão capazes de atingir isso para ambos . Eles vêm de criações muito diferentes, mas ambos valorizam e entendem o conceito, o problema e a recompensa de fazer parte de uma família, porém a família é definida. Em última análise, eles têm que descobrir se podem ser a família um do outro. Como sempre Julia Quinn nos presenteia com diálogos espirituosos e bem humorados. Uma marca registrada desta autora.

site: https://www.facebook.com/notes/tribo-do-livro/simplesmente-o-para%C3%ADso-mais-um-de-julia-quinn/1451425724942291/
comentários(0)comente



@mamaetalendo 07/07/2017

Depois de uma série inteira dos Bridgertons, não aguentei e realmente virei fã de Julia Quinn. Na série, os eventos musicais dos Smythe-Smith estiveram presentes e viraram essa nova série! Legal é que alguns personagens apareceram: Lady Danbury, Greg Bridgerton e Colin Bridgerton! O livro é fofo, leve, romântico, divertido e sensual! Recomendo demais! ? sinopse: Honoria Smythe-Smith é parte do famoso quarteto musical Smythe-Smith, embora não se engane e saiba que o dito quarteto carece sequer do menor sentido musical e tem esperanças postas que esta seja a última vez que se submeta a semelhante humilhação. Esta será sua temporada e com um pouco de sorte conseguirá um marido. Durante um jantar, põe seus olhos em Gregory Bridgerton, um dos mais jovens da família Bridgerton. Sabe que não está apaixonada, mas ele parece uma opção mais que válida. Marcus Holroyd é o melhor amigo do irmão de Honoria, Daniel, que vive exilado na Italia. Ele prometeu olhar por ela e leva suas responsabilidades muito seriamente. Odeia Londres e durante toda a temporada, permaneceu vigilante e intermediou quando acreditava que o pretendente não era o adequado. Honoria e Marcus compartilham uma amizade, pouco atípica, fruto dos anos que se conhecem e que o torna parte da família. Entretanto, um desafortunado acidente faz que ambos repensem sua relação e encontrem a maneira de confrontar o que surge entre eles, se tiverem coragem suficiente. #juliaquinn #osbridgertons #smythesmith #honoria #marcus #arqueiro #instabook #bookaholic #booklivers #book #book #ler #leitura #lerevida #leiamais #lersempre #livros #literatura #indico #instalivro #instalivros #mamaetalendo
comentários(0)comente



Cris Paiva 07/07/2017

Adorei a ideia da editora de lançar os 4 livros da Julia Quinn juntos. As histórias são muito fofas e assim que você termina a primeira já morre de vontade de ler a próxima.

Honória não está muita sorte em suas temporadas, ela não entende direito o porque dos pretendentes fugirem dela. Tudo bem que ela não está perdendo muita coisa, mas mesmo assim, é estranho!
Essa fuga dos pretendentes na verdade é culpa do Marcus. Ele é o melhor amigo do irmão da Honória, Daniel, e ele prometeu ao amigo cuidar dela para que nenhum caça-dotes se aproveite dela. O problema é que ele age de maneira meio indiscriminada...

Os dois sempre foram amigos, mas quando cresceram se tornaram meio distantes, só se veem nas festas e como o Marcus é tímido e caladão o relacionamento não progride. Tudo muda quando a Honória vai passar uma temporada no campo, numa casa vizinha a dele. Quando ela tenta fisgar um pretendente (Gregory Bridgerton para ser mais exata) acaba acertando no Marcus, e o pobre acaba sofrendo um acidente por culpa dela.

O casal é muito fofo! A Honória é um tanto ingênua demais, e o Marcus é extremamente tímido e introvertido. A relação dele vai se desenvolvendo aos trancos e barrancos, mas é muito lindo de ver como ele a apóia, inclusive está sempre sentado na primeira fileira quando tem um concerto dos Smythe-Smithe, e quem conhece a fama do quarteto sabe que isso só pode ser uma prova de amor!
Claire Scorzi 07/07/2017minha estante
Herói tímido já é uma saudável mudança dos mulherengos habituais que pululam nesse gênero de livro. rs


Verônica 09/08/2017minha estante
Vou ler, gostô muito das sias indicações!




Desi Lyra 03/07/2017

ARREBATADOR. EXTASIANTE. PURO. DE TAMANHA BELEZA QUE ME DEIXA SEM PALAVRAS.
Eu nunca pensei que fosse dizer isso senhoras e senhores, mas parece que eu, DESIRÉE LYRA, fique SEM PALAVRAS.

Termino esse livro com lágrimas rolando pelo rosto. Não por algum acontecimento específico dessa vez, não, mas PELO LIVRO EM SI.

Honória é maravilhosa, fiel, sensível, engraçada e de uma força que ela mesma desconhece.

E Marcus, ah Marcus, COMO NÃO SE APAIXONAR POR VOCÊ? Tanto amor dentro de si!
Ele é, sem dúvidas, um dos melhores personagens da Julia Quinn.

Eu sou completamente enlouquecida pelos Bridgertons, vivo dizendo que eles são minha família, mas nenhum Bridgerton que li antes me preparou para o que encontrei e senti em Simplesmente o Paraíso.
Ele é completamente diferente. É de uma delicadeza, de uma pureza, de uma simplicidade e profundeza de sentimentos, é AVASSALADOR.

Acho que o que mais me atordoou, foi a FACILIDADE DO AMOR. Quantas vezes arrancamos o cabelo desesperadas porque o mocinho ou a mocinha começam a fazer tudo errado?

EU NÃO ESTAVA PREPARADA PRA UM AMOR TÃO GRANDE SER TÃO SIMPLES E FÁCIL.

O amor é fácil, nós e nossas amadas autoras que gostamos de complicar. Eles se amam, aceitam esse amor, e querem viver tal amor em sua plenitude! ISSO É FANTÁSTICO!

Acho que nunca vi o nascer e crescer de um amor ser retratado de forma tão leve, tocante e REAL. PRINCIPALMENTE REAL. Por alguns instantes eu esqueci que lia um livro e só queria que Marcus e Honória se casassem logo e me desem uma dúzia de sobrinhos.

Sinto que começo a me perder nas poucas palavras que consegui botar pra fora.
Eu amo meus Bridgertons, sempre amarei.

MAS SINTO QUE ESSA É A OBRA PRIMA DA VIDA DA TIA JÚLIA,.

Só queria ser ryca pra dar esse livro pra cada pessoa que conheço.

Acho que só posso terminar com a primeira frase que veio em minha mente quando terminei o livro,

EU VIVI PRA LER ISSO. EU VIVI PRA LER ISSO.

EU VIVI PRA LER ISSO SENHORAS E SENHORES. E Julia Quinn, OBRIGADA
Monique 03/07/2017minha estante
Mega ansiosa pra ler!!!


Desi Lyra 04/07/2017minha estante
Eu tô na onda até agora, to terminando o segundo, QUE TBM EH MARAVILHOOOOOOSOOOOOOOOO!!!!




elida.marinho.7 30/06/2017

Resenha: Simplesmente o paraiso- Julia Quinn
Em simplesmente o paraíso vamos conhecer Honoria Smythe-Smith, uma moça muito encantadora, e graciosa até em momentos constrangedores. A família Smythe-Smith segue uma tradição há anos, onde a mesma reúne quatro damas que estão se aproximando da idade de casar para participar de apresentações musicais: O famoso quarteto Smythe-Smith. ⠀

Honoria é a atual violinista do quarteto, e embora seja desafinada e péssima ela se apresenta com graça e com sorriso na rosto, pois ela sabe o quanto é importante a tradição da família.


Honoria estava em busca de um marido, queria muito casar e ter alguém do seu lado para cuidar. No entanto, a sua busca estava mais difícil do que ela pensava. Os homens pareciam ter algum problema com ela, pois eles a cortejavam e depois sumiam sem dá explicação alguma.


Marcus Holroyd é um homem bastante cobiçado pelas mulheres nos bailes londrinos que ele frequenta. No entanto, ele não gosta nenhum pouco de fazer parte desses jogos sociais. Só frequenta para cumprir a promessa que seu melhor amigo Daniel lhe submetera, a de vigiar Honoria e cuidar para que ela não casasse com qualquer homem que surgisse. ⠀

Durante uma de suas vigiadas, Marcos flagra Honoria armando algo para fisgar um marido, ele teria que descobrir quem era a vítima, e iria cumprir com a promessa. No entanto, o que ele não esperava, era que ele acabaria caindo na armação de Honoria por acidente. E que a partir desse momento muitas coisas estavam prestes a acontecer.


Depois do ocorrido, Marcos acaba machucando-se e o que parecia ser um machucado simples tornou-se em algo maior. Logo ele estava sob os cuidados de Honoria, recebendo toda ajuda e contribuição possível para sua recuperação. Um simples auxilio que contribuiu para o começo de uma linda história de amor entre os dois.

Adoro romances de época, são estórias fantásticas e com muito glamour. Os bailes, os vestidos, e todo esse universo lindo. A Julia Quinn é maravilhosa, a escrita dela é sensacional! Os personagens que ela cria, todos eles encantadores, amo demais. Os livros dela são sem dúvida muito cativadores. Esse livro está mais que recomendado!
comentários(0)comente



Danielle.Honorato 28/06/2017

Olá amores!
Hoje trouxe para vocês uma leitura de época. Resolvi nesse mês de junho começar com o #projetoJQ. E para isso, eu escolhi ler primeiro o Quarteto dos Smythe-Smith.
Ainda não tinha lido nada da autora, apesar de já ter a coleção completa dos BRIDGERTONS a algum tempo na estante...

Marcus Holroyd é filho único e sempre foi deixado de lado pelos pais. Quando foi para um colégio interno, conseguiu fazer apenas um amigo. Um grande amigo. E aos finais de semana, ao invés de ir para casa, Marcus ia para a casa de seu amigo Daniel.
Daniel tem cinco irmãs, quatro delas já são moças; apenas Honoria é criança. A diferença de idade entre eles é de seis anos; por conta disso, Daniel nunca deixa Honoria brincar com eles. Mas ela é tenaz, e nunca aceita um não dos meninos. Os segue para todos os lugares. É um verdadeiro carrapato.
O tempo passa e Marcus agora é conde. Seu melhor amigo Daniel foi exilado do país e Marcus ficou com a missão de cuidar para que Honoria não se casasse com ninguém que não fosse bom o bastante para ela.


¨Prometa-me agora que estamos parados no porto e o navio está prestes a partir: olhe por Honoria, por favor ?
Cuide para que ela não se case com imbecil.¨
É claro que Marcus concordara. O que mais poderia dizer ? Mas ele nunca contara a Honoria sobre a promessa do irmão.¨ ( pg. 29 )


Achei a leitura bem simples e confesso que no começo do livro pensei que nem estivesse lendo um romance de época, pois achei a narrativa da autora bem contemporânea.
Me diverti muito com as primas, as que formam o quarteto do concerto; tem umas que dariam ou fariam qualquer coisa para não tocar nesse recital. E uma em particular inventa que está doente. E a governanta de suas primas menores é ¨obrigada¨a se apresentar no lugar de Sarah.
Aí você se pergunta: E elas eram tão ruins assim? - Sim. Podem acreditar que sim. Até pensei que nas últimas páginas alguma iria salvar o recital, mas isso não acontece.
Também é muito gostoso de se ver a relação entre Honoria e Marcus. Ele é super tímido e ambos não conseguem enxergar a paixão que a cada dia cresce entre eles. É lógico que todos ao redor já percebeu, menos os dois.


¨Os olhos dele eram cálidos, de um castanho cor de chocolate, e carregado de emoção. Algo se acendeu no íntimo deles, algo que Honoria não reconheceu direito, e lentamente, muito lentamente, os lábios de Marcus vieram ao encontro dos dela.¨ ( pg. 151 )


A parte mais tensa do livro é quando Marcus machuca a perna. E por conta desse ferimento quase perde a vida. E é um amor ver Honoria velando e cuidando dele por tanto tempo.

Cansado de esconder seus sentimentos, Marcus finalmente decide abrir seu coração para Honoria. E é no recital que ele se declara, pedindo sua mão.
No final há um grande mal entendido. Daniel chega de viagem e flagra os dois se beijando. É soco pra todos os lados, mas no final tudo se resolve , já que Marcus tem a intenção de se casar.


¨A apresentação fora tão terrível quanto ela temera. Na verdade, era bem possível que tivesse sido a pior na história dos concertos das Smythe-Smiths, e isso não era pouco.¨ ( pg.127 )


Achei que a autora deixou tudo para as últimas páginas...
E eu fiquei apreensiva, achando que não iria caber tudo naquelas poucas páginas. Ufa! 😀
Mais para nossa alegria, temos Epílogo.
No final do livro também temos os nomes de todas do quarteto do início até o presente momento.
comentários(0)comente



Ines 27/06/2017

Tão lindo
Terminei esse livro suspirando! Sem dúvida, o mundo seria beeeeem melhor se existisse mais Marcus's ! Vale a pena ler. Mal posso esperar para ler o próximo volume.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



GabiCrivellente 20/06/2017

RESENHA – SIMPLESMENTE O PARAÍSO (JULIA QUINN)
Leitores, este é o primeiro livro da série “Quarteto Smythe-Smith”. Para quem acompanhou a série “Os Bridgertons”, deve ter percebido que esse quarteto aparece muito por lá. Para quem não sabe, anualmente, a família Smythe-Smith promove um recital. Esse recital é uma tradição da família, em que todas as filhas Smythe-Smith aprendem (ou não) a tocar, desde cedo um instrumento para quando forem apresentadas à sociedade, elas comporem um quarteto. Uma vez formado esse quarteto, a moça permanece até encontrar um marido. O problema é que elas são todas desafinadas. Porém, como é uma tradição, elas não têm como escapar da apresentação.
Aqui no livro vamos conhecer a Honoria Smythe-Smith, violinista do quarteto. A família dela lembra os Bridgertons, por ser grande e afetuosa. Tanto é que ela tinha cinco irmãos e trinta primos. Quando criança, ela era muito apegada ao seu irmão Daniel. Ela queria estar sempre próxima dele. Inclusive, o apelido que ele deu a ela foi de “carrapato”.
O Daniel, que era uns cinco anos mais velho que ela, formou uma grande amizade, ainda na escola, com o Marcus Holroyd, herdeiro do condado de Chatteris. O Marcus sempre ficava com a família Smythe-Smith nas férias. Tendo em vista que sua mãe havia falecido quando era menino e o pai não era muito afetuoso.
Por conta de um jogo de cartas, em que foi acusado de roubar, o Daniel foi ameaçado de morte e, por causa disso, ele teve que fugir para a Itália. Como a Honoria era a sua única irmã que ainda não havia se casado, ele pediu ao Marcus que cuidasse dela e que não a deixasse se casar com nenhum imbecil.
Já o Marcus, que sempre gostou da família do amigo, passou a frequentar as festas de Londres para afastar os pretendentes indesejáveis da Honoria.
Um belo dia, a Honoria resolveu ir à casa de campo da sua amiga Cecily Royle com as suas primas, Sarah, que também era sua melhor amiga, e Iris. A casa da Cecily era vizinha da casa do Marcus. Como ele era um conde solteiro e bonito, ele se tornou um ótimo partido para as jovens solteiras. Então, a mãe da amiga quis aproveitar a amizade de longa data que a Honoria tinha com ele e fazer uma festa. Como o Marcus queria observar os pretendentes da Honoria, ele resolveu não ir à festa, já que não gostava muito de festas, mas aparecer durante o dia com a desculpa que passeava pelas terras da vizinhança. Todavia, aconteceu um acidente com ele, e por conta desse acidente os dois se aproximaram muito.
Obviamente, não contarei mais nada aqui nessa resenha. Só digo que o livro foi uma delícia de ser lido. O casal é muito fofo e me peguei com um sorriso imaginando a apresentação do recital. Ah, lembrei de uma coisa! A tia avó do Marcus é a condessa Danbury, uma personagem que aparece em quase todos os livros dos Bridgertons. Agora não me recordo se o Marcus apareceu em algum dos livros, mas é provável que sim e que eu não tenha percebido L
A Julia Quinn, autora do livro, começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons. É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.
Julia Quinn
Livro autografado
O livro possui 23 capítulos e é narrado de forma linear cronológica. Ele foi escrito pelo ponto de vista do Marcus e da Honoria, em primeira pessoa. Após o epílogo, é apresentada uma relação com a formação de todos os quartetos que já existiram na família, desde 1807 até 1825, quando a Honoria participou.
Como sou muito fã da Julia já vou pegar o meu próximo livro da série, “Uma noite como esta”, que conta a história do Daniel e da Anne Wynter, governanta que trabalhava na casa da Sarah.
Por fim, gostaria de causar uma invejinha em vocês e dizer que o meu exemplar do livro foi autografado pela Julia Quinn, quando ela esteve aqui em Brasília. Agora, pensem em uma pessoa feliz com este livro.

SAIBA MAIS:

site: http://academialiterariadf.blogspot.com.br/2017/04/resenha-simplesmente-o-paraiso-julia.html
comentários(0)comente



118 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |