Matéria Escura

Matéria Escura Blake Crouch




Resenhas - Matéria escura


135 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Carolina.Aleluia 19/04/2018

Inebriante!
É possível tratar de assuntos plenamente introspectivos, dando universalidade ao tema é tudo isso permeado por ficção científica? Sim! "Matéria Escura" trata de amor, expectativas, desejo, ambição - tudo o que vivemos o nosso dia a dia - com um pano de fundo fantástico, ficcional (pelo menos até agora rs). Esse fusão inesperada, mas esplêndida nós faz mais próximos dos personagens, de suas dores e angústias, bem como perplexos diantes do novo mundo que nos é mostrado. Com um caminhar frenético e extremamente humano esse livro me cativou e me instigou a lê-lo em pouco mais que um dia. Incrível!
comentários(0)comente



Fabi 19/04/2018

LIVRO DOIDO. SÓ PODERIA AMAR NÉ? \O/
Ano passado quando lançou este livro, eu bati o olho na sinopse e já fiquei interessada em ler. Mas como não achei a capa das mais atrativas, fui adiando a leitura.
Até que finalmente, eu tomei vergonha na cara e o li! \o/
Melhor escolha que fiz minha gente!
O livro é a minha cara. Doido, daqueles que te dá um nó na cabeça e que mesmo assim você fica em êxtase.
No começo já saquei quem era lá o cara que sequestrou o personagem, mas não imaginava o rumo que essa história teria. =O
Isso de multiverso, você viajar para outras dimensões, para mim não me é estranho. Em fevereiro li a trilogia Firebird e amei isso de vários universos.
Matéria escura não merece palmas por alguma grande revelação, e sim pelo seu maravilhoso desenvolvimento. Começou bom e a cada capítulo a leitura foi ficando melhor. Os capítulos são longos, porém com uma leitura que me prendeu, não vi problema nisso.
Se recomendo? Mas é CLARO QUE SIM! Amigo leitor, mesmo que você como eu não seja fã de ficção científica, garanto que irá gostar deste livro.
#5Estrelas. #Favoritado.

''Não posso deixar de pensar que somos mais do que a soma total de nossas escolhas e que todos os caminhos que poderíamos ter trilhado influem de algum modo na matemática da nossa identidade.''
Flávia Fernandes Sousa 19/04/2018minha estante
Vou colocar na lista! Não lembro de já ter lido ficção científica, vou começar por esse.




steph (@devaneiosdepapel) 11/04/2018

Matéria Escura
É difícil existir uma pessoa totalmente satisfeita com a própria vida e as com as decisões que toma. Todos temos momentos em que nos fazemos a famigerada pergunta: “E se…?”, quando pensamos em algum acontecimento do passado. Matéria Escura aborda exatamente estas possibilidades e como as consequências de nossas decisões vão se formando de acordo com o que escolhemos.

Não acho que seja spoiler falar o tema principal da obra, mas mesmo assim vou tentar não entregá-lo durante a resenha. É um tema que eu particularmente gosto bastante e que pode funcionar muito se for feito de maneira correta, como é o que acontece em Matéria Escura.

Blake Crouch tem uma narrativa bem visual; os primeiros capítulos se parecem muito com um roteiro de filme e a gente já fica preso à história de imediato, sem vontade de parar a leitura. Depois do ritmo frenético do início, o enredo dá uma freada, mas sem perder o clima de mistério que acompanha o livro todo.

É meio difícil falar sobre os personagens sem entregar parte do enredo, mas o que posso dizer é que Jason é um ótimo protagonista. Um pouco clichê do gênero de ficção científica, mas que consegue se destacar devido ao seu amor pela família e sua determinação. Os personagens secundários deixaram um pouco a desejar; a maioria foi pouco aprofundada e senti falta de conhecer melhor o background de alguns deles.

O que me deixou um pouco decepcionada foi a resolução final do mistério. Acho que o autor foi meio preguiçoso ao resolver um problema tão complicado de maneira tão simplista. O final, apesar de fechado, dá margens para uma continuação. Talvez ele tenha feito desta maneira porque desde a concepção do livro os direitos já estavam vendidos para a Sony e a obra se tornará um longa-metragem em breve.

De qualquer forma, eu recomendo Matéria Escura para qualquer um, até para os que não são muito fãs de sci-fi. As explicações mais teóricas são expostas de maneira simples e sem subestimar a inteligência do leitor, e o ritmo acelerado consegue manter a curiosidade aguçada a cada capítulo que passa.

site: http://www.dear-book.net/2018/03/resenha-materia-escura-blake-crouch.html
comentários(0)comente



Ghtaufner 09/04/2018

Enigmático do início ao fim
Um bom livro. Trama bem amarrada e com reviravoltas surpreendentes! Confesso que algumas pontas soltas me deixaram com um pé atrás. Talvez possam ser resolvidas em um segundo volume, mas ainda assim, Matéria Escura me surpreendeu a cada parágrafo. De certo modo, a ideia central que traz o livro (e se você tivesse a oportunidade de fazer aquilo que não fez, viver uma vida que escolheu não viver. Faria? Viveria?) é inteiramente aplicável ao cotidiano. Todos já fizemos essa pergunta um dia, e a melhor escolha é aquela que tomamos e não nos arrependemos.
Aguardo a adaptação para as telonas, e espero que não manchem a história.
comentários(0)comente



Loloveggie 09/04/2018

Diferente e fantástico
Um livro completamente diferente de tudo que li até hoje, não surpreendente. Com o ar bem "quântico", o livro mescla aspectos bem familiares, escolhas e uma natureza diferente de leitura.
comentários(0)comente



Anna Bonnie 20/03/2018

Maravilhoso!!
Um dos melhores livros que li até hoje.
Natalia.Kolesar 20/03/2018minha estante
Adoro tuas dicas, Anna!


Anna Bonnie 20/03/2018minha estante
Obrigada amore ?


Raquel Simão 16/04/2018minha estante
Anna, tb amei! Te adicionei ;)




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Italo.Teixeira 10/03/2018

Cheguei até esse livro devido ao barulho que ele fez na internet. Nada muito estrondoso, mas o suficiente para chamar minha atenção. Vendo um review sem spoilers no Youtube, imagina a história um pouco diferente do que encontrei ao ler. Agradável surpresa, pois foi realmente bom.
É uma boa ficção científica, com ritmo rápido, aquele ar que best-sellers tem, com ação desenfreada do início ao fim. Em resumo: justamente o que eu precisava para me recuperar das partes chatas de "A Feast for Crows"que também estou lendo.
O enredo possui vários furos (imprecisões científicas, mecanismo dos mundos não muito bem explicados...), o que torna evidente a distância deste para os grandes clássicos do gênero. Mas o que mais me incomodou foi a forma como o autor simplesmente se desfaz dos personagens, deixando-os ao longo da jornada, sem olhar para trás.
Obviamente, não é só de pontos negativos que vive essa obra. As questões e possibilidades levantadas aqui são de fazer baixar o livro por alguns segundos para divagar um pouco mais por esses questões (como toda boa obra de ficção científica). O livro trata sobre arrependimentos, escolhas que nos marcam (e até das mais triviais). Trata da identidade (O que nos define? Será que é somente a matéria que nos constitui? Se é como que pensamos e sentimos? Será a forma como interagimos com o ambiente? Nossas escolhas?), me fazendo relembrar do paradoxo do navio de Teseu. Trata do destino/livre arbítrio.
Gostei também de outro tema aqui presente: Como o "quase"incomoda mais do que o "muito".
Enfim, ótima pedida para quem busca uma leitura rápida para pegar ritmo.
comentários(0)comente



Mariana.Novaes 07/03/2018

O que dizer desse livro??
Não tem como descrever pessoal, apenas sentir. QUE LIVRO!!!!!!! Eu to chocada de como esse livro é bom e muito diferente de tudo que já li. O melhor do gênero sem dúvida nenhuma!!!!!! Entrou para os favoritos com louvor. Queridos e queridas, apenas leiam e sejam felizes.
comentários(0)comente



Thatha 05/03/2018

Parecia bom, mas foi chato e previsível.
O tema estava tão interessante, mas desanimou demais quando começou a focar no amor obsessivo do protagonista pela esposa completamente genérica e rasa, e pelo filho mais genérico e raso ainda. Também desanimou a solução estilo filme da sessão da tarde. Os discursos próximos do fim me fizeram revirar os olhos, de tão clichês.
Thiago A. 09/03/2018minha estante
Concordo plenamente. Uma premissa extremamente interessante, mas levada a cabo com muita negligência. Depois de certo ponto, tudo se torna um clichê, piegas demais, enfim. Acabei me arrependendo muito de ter lido.




Cris 24/02/2018

A proposta do tema é até interessante, abordando o multiverso, que atualmente é Hype de produções como Dark e Stranger Things, até o ritmo deste livro se assemelha a uma série, porém nos dois terços finais, a narrativa se esvai em clichês e opções óbvias, provavelmente pra facilitar a adaptação de um roteiro para o cinema. Vale como leitura passageira, mas nos dá muito menos do que aquilo que promete.
comentários(0)comente



hanny.saraiva 22/02/2018

Um bom feijão com arroz, nada além, nem um ovo estrelado.
"Uma tarde de verão em que o ar prenuncia uma tempestade: ozônio e relâmpagos.˜

Identidades multifacetadas, corrida contra o tempo e mundos paralelos. Quantas histórias já não vimos com esse mesmo enredo? Tudo em nome da família, bem hollywoodiano. Apesar de possuir uma narrativa eletrizante, é um livro mais do mesmo.
comentários(0)comente



Camille.Pezzino 16/02/2018

ÀS VERSÕES QUE PODERÍAMOS SER
Como você define as escolhas que toma durante o decorrer da sua vida? Há escolhas que, definitivamente, parecem-lhe tão marcantes que não podem mais ser desfeitas; há outras, no entanto, que soam ínfimas em uma imensidão tão profunda quanto o céu estrelado e que, no fundo, mostram-se nada, mas ainda possuem a capacidade de ser tudo.

Alguma vez, na vida, você já se perguntou o que ocorreria se você tivesse tomado outro caminho até o shopping? Resolvesse ir à festa com seus amigos ao invés de ficar lendo um livro em casa? Essas pequenas decisões podem não parecer tão significantes à primeira vista, porém, podem ser tudo.

Jason Dessen, o protagonista do livro Matéria Escura, consegue compreender a fundo como essa ideia funciona e, ao seu lado, vamos desbravar o que a física desencadeia quando falamos sobre multiversos.

A explicação no livro é baseada em uma teoria que eu gosto de chamar "Teoria do Gato Zumbi", embora esse seja o nome que eu dei para ela na época em que a conheci, quando uma amiga e meu irmão tentavam me explicar a ideia dela após terem uma aula sobre no mestrado. Ela me parece cada vez mais viral na literatura, utilizada até mesmo nos quadrinhos da DC Comics.

RESTO DA RESENHA NO SITE: https://www.caneta-tinteiro.com/l/resenha-25-as-versoes-que-poderiamos-ser/

site: https://www.caneta-tinteiro.com/l/resenha-25-as-versoes-que-poderiamos-ser/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Pati 22/02/2018minha estante
Eu tbm não paro de pensar nela...?


Loloveggie 09/04/2018minha estante
Cadê Amanda, gente!? KKK




Gisele @abducaoliteraria 12/02/2018

"A coisa mais bela que podemos experimentar é o mistério”". - Einstein.
QUE TIRO FOI ESSE?
Juro que tentei iniciar essa resenha de várias formas, mas essa é a primeira frase que me vem à mente quando penso nesse livro, acreditem se quiser. Um dos porquês de gostar tanto de livros de sci-fi, é a infinita possibilidade que este gênero nos apresenta. De futuro, de tecnologia, de humanidade, de vida.

Matéria Escura foi a primeira surpresa do ano. Um livro que, apesar de estar interessada nele já algum tempo, não sabia bem o que esperar.

"Aqui neste momento, feliz e ligeiramente embriagado na minha cozinha, nem imagino que hoje à noite tudo isso acabará. Será o fim de tudo que conheço, tudo que amo".

Jason Dessen é um físico nuclear de muito potencial, que tem ao seu lado uma família amorosa, trabalha como professor numa universidade pequena e leva uma boa vida. Mas como qualquer outra pessoa, também tem suas frustrações. Num dia comum, ele está voltando para casa quando é interceptado por um homem mascarado, que o obriga a fazer uma série de coisas estranhas. O desconhecido acaba por levá-lo a uma usina abandonada e injeta nele uma droga misteriosa que o apaga em poucos instantes.

Quando acorda, Jason está num lugar completamente diferente, cercado por estranhos, mas que aparentemente o conhecem há bastante tempo. Eles conhecem Jason Dessen, o gênio, físico brilhante e premiado que leva uma vida completamente diferente do Jason professor, marido e pai. É aí que as coisas perdem o sentido e a vida dele vira de cabeça para baixo.

A escrita de Blake Crouch é extremamente fluida e envolvente. Você se prende ao personagem principal logo nas primeiras páginas e segue se importando com ele até o final do livro, compreendendo suas motivações e torcendo para tudo dar certo.

A história aborda uma das teorias da física quântica que eu mais gosto, por isso quando comecei a entender sobre o que se tratava, a empolgação veio de imediato. Como um bom thriller psicológico, o autor narra uma história recheada de tensão e mistério, com inúmeros momentos de clímax.

"E se as pessoas soubessem o que eu sei?"

Até um pouco mais da metade do livro, eu estava bastante envolvida com a história e os personagens, mas não esperava nada do que estava por vir. Em determinado momento existe uma reviravolta que eu simplesmente fechei o livro e encarei o teto. WHAAAT? Como aquilo poderia estar acontecendo? Senti minha cabeça explodir. Não pela história apresentar um plot inimaginável, mas a magnitude que ela alcança me deixou bastante surpresa, diante de um problema complexo, que precisaria de uma resolução ainda mais difícil.

Daí em diante, a história segue com uma série de acontecimentos e surpresas que danificaram meu cérebro. Então eu temi, porque das duas uma, ou o autor iria resolver o problema alcançando um desfecho com maestria, ou ele acabaria por dar um tiro no pé.

Apesar de uma coisinha aqui e outra ali não terem me agradado no livro como um todo, o final foi incrível e satisfatório, uma saída infalível para fechar o livro com chave de ouro.

Além da narrativa, que é um fator extremamente positivo do livro, Black Crouch esclarece os elementos científicos de forma simples e com bastante clareza, o que faz com que você não se sinta perdido durante as explicações.

"Até tudo desabar, não fazemos ideia do que realmente temos, de como tudo se encaixa de maneira tão precária e perfeita".

Em outras palavras, Matéria Escura pode ser descrito como alucinante, intenso e desesperador. Tudo isso com uma narrativa que te absorve, prende e não te deixa se afastar do livro até acabar. Estou até agora impactada pelos acontecimentos, sem conseguir tirar a história da cabeça. Fora que consegui enxergar claramente ela sendo adaptada para o cinema, o que na minha opinião, não irá demorar.

Vale destacar também que o livro é lindíssimo, com capa dura e uma edição super caprichada. Você que gosta de livros de ficção científica, tenho certeza que gostará desse livro. Mas, se você não é muito próximo do gênero, acredito que seja uma boa forma de começar. Super recomendo!

site: http://abducaoliteraria.com.br/
comentários(0)comente



135 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |