O Sol Também é Uma Estrela

O Sol Também é Uma Estrela Nicola Yoon




Resenhas - O Sol Também é Uma Estrela


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Juliane Nantes 17/08/2017

Fato observável: adorei esses fatos observáveis! haha
"As pessoas passam a vida inteira procurando o amor. Mas como a gente vai confiar numa coisa que pode acabar tão subitamente quanto começa?"

Muitas questões de Natasha são parecidas com as minhas. Ao mesmo tempo que sou romântica e sonhadora, sou extremamente prática, realista.

"Sou do tipo chorão por contágio. Sabe quando uma pessoa começa a bocejar e todo mundo também começa? Sou assim, só que com o choro;"

Fato observável: Ri com essa frase, pois sou exatamente como o Daniel. haha

"[...] coração poético não é de confiança. É volúvel e leva a gente a se desviar do caminho. Ele vai dizer que tudo que a gente precisa é de amor e sonhos. Não vai dizer nada sobre comida, água, abrigo e dinheiro. Vai dizer que essa pessoa que está à sua frente, a que atraiu seu olhar por algum motivo, é a Certa. E ele é. E ela é. A Certa. Por enquanto, até que o coração dele ou dela decida se voltar para outra pessoa ou outra coisa. O coração poético não é confiável em termos de decisões de longo prazo."

Que frase!
Admito que sempre pensei em algo parecido. Meu lado realista domando, claro!

"Talvez parte de se apaixonar por alguém também seja se apaixonar por si mesmo. Gosto de quem sou com ela. Gosto de dizer o que estou pensando. Gosto de prosseguir apesar dos obstáculos que ela coloca. Normalmente eu desistiria, mas não hoje."

Gosto de ver o personagem masculino contando a história (pedi indicações de livros assim e obtive poucas).
E adorei ver o lado de todos os personagens, achei bem interessante.

"Às vezes o mundo da gente balança com tanta força que é difícil imaginar que quem está ao redor não perceba também."

Enfim, gostei do livro, achei um amorzinho o diálogo de Natasha e Daniel desde quando se encontraram *-*
Só achei o final meio rápido, talvez, mas ainda assim gostei.
comentários(0)comente



Fabi | @psamoleitura 17/08/2017

{resenha feita no blog PS Amo Leitura}
"Natasha: ela não acredita no amor. Acredita na ciência. Mora no EUA desde quando tinha 8 anos e seus pais vieram da Jamaica, porém estão ilegalmente vivendo no país e prestes a serem deportados.

Daniel: ele acredita no amor e não na ciência. Nasceu no EUA, mas é de uma família coreana. Seus pais querem que ele curse uma faculdade de medicina para ter um carreira que ele mesmo nunca teve, mas seu maior sonho é ser escritor.

"O sol também é uma estrela" vai contar a história no ponto de vista de Daniel e Natasha. São diferentes, mas ao mesmo tempo completamente parecidos. Não se conhecem até o momento em que Daniel acaba seguindo Natasha por uma loja e ajudando-a com seu ex namorado.

Depois dessa ajuda, Daniel segue para a sua entrevista para a faculdade e Natasha segue para seu horário com o advogado. Porém Natasha está na frente de Daniel. Mesmo ela achando que ele está a seguindo, ele a salva novamente - dessa vez de quase ser atropelada. E então ela decide que passar algumas horas que possui vaga com ele não seria uma má ideia.

E foi assim que eles se conheceram e descobriram sentimentos inexplicáveis. Mas será mesmo que apenas o amor será capaz de sobreviver?

Que livro mais fofo! Esse livro foi o meu segundo contato com a autora - sendo o primeiro "tudo e todas as coisas" - e mais uma vez tenho que dizer que amei essa leitura!

O livro flui com perfeita facilidade. Possui algumas frases impactantes e que também te faz refletir sobre a vida, mas o que eu mais gosto e admiro na escrita da Nicola, é apresentar personagens de diferentes raças/etnias. Ela realmente sabe abordar tudo perfeitamente!

Por mais que eu tenha amado esse livro, infelizmente o final me decepcionou um pouco. Após todos os acontecimentos eu confesso que esperava um final diferente, porém foi muito "sessão da tarde". Clichê? Talvez. Mas acredito que poderia ter sido diferente e melhor. Não consigo compreender como uma história tão emocionante como essa tenha tido um final como aquele.

De qualquer forma, todos precisam conhecer a história de Natasha e Daniel. Um livro repleto de reflexões e ensinamentos, que te fará suspirar e preencherá o seu coração."

site: http://psamoleitura.blogspot.com.br/2017/07/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



vivigommes 14/08/2017

Esperei muito...
Realmente com o tema que tem, esperei muito desse livro... Essas histórias paralelas me deixaram extremamente irritada e sei que teve lições de vida, mas, por favor.... Já li livros fascinantes e esse é de longe um dos piores que já li. Com muito custo consegui terminar. A autora não é objetiva... Muita coisa poderia ter tirado e firmado uma história agradável e cativante. Isso na minha opinião.
comentários(0)comente



Guil 12/08/2017

Favoritei
Com a forma que essa história cativante foi contada, eu sinceramente não consegui largar o livro até descobrir como ela terminava, e por isso favoritei.
comentários(0)comente



a world to read 11/08/2017

O Sol Também é uma Estrela, Nicola Yoon
Em um único dia a vida das pessoas pode mudar de forma irreparável. Ações impulsivas, atitudes completamente impensadas e o emaranhado que é viver uma sociedade tão ampla. Natasha e Daniel percebem essas coisas um com o outro, e vamos aprendendo com eles o sentido de ser perseverante, ver oportunidades e tentar. Um dia são 24 horas completas, fato que pode fazer tudo mudar, ainda mais se formos abertos quanto a isso.


Natasha é uma imigrante ilegal que se mudou da Jamaica muito pequena. Ela mal se lembra de quem era lá, tudo que conhece é sua identidade enquanto cidadã americana, enquanto alguém que teve uma vida moldada para as oportunidades da vida em Nova York. A conhecemos em seu provável último dia nos Estados Unidos, a conhecemos tentando seus últimos recursos para ficar no lugar que chama de casa, quando ela vai se encontrar com alguém do Serviço de Imigração que pode salvar seu dia.

Já Daniel é o segundo filho de um casal de coreanos que foi para os Estados Unidos atrás de melhoria, atrás de novas e boas oportunidades para seus filhos. Charlie, o irmão mais velho de Daniel é sempre o melhor, o perfeito, e graças a uma falha que ocasiona em um afastamento momentâneo em Harvard, cria-se uma pressão nunca antes sentida nas costas de Daniel. Ele não deve falhar, ele deve ser um grande médico formado em uma grande universidade. Na verdade, ele quer ser um poeta, mas há obrigações que um americo-coreano tem com sua família.

Resenha completa em:

site: http://aworldtoread.com/2017/07/31/o-sol-tambem-e-uma-estrela-nicola-yoon/
comentários(0)comente



Tatiana.Souza 06/08/2017

Simples, tocante e reflexivo
Eu sinceramente nem sei por onde começar. Simplesmente amo quando histórias doces e simples chegam a mim através de livros como esse é me tocam lá no fundo da alma.
Esse livro não é somente sobre amor, encontro.. é sobre o nosso dia a dia, como todos nós conectamos, como podemos fazer a diferença na vida dos outros.
Super recomendo a leitura, que é super fluida e tocante.
comentários(0)comente



KAMI 05/08/2017

o amor existe a segunda vista
meu deus, ler esse livro me fez me sentir muito piegas no começo, mas no decorrer da história fui entendendo mais as coisas e ao final, ele me fez acreditar ainda mais em destino e todo esse blá blá blá, adoro o fato de a história toda se desenrolar em apenas um dia, Nicola fez essa história como ninguém poderia fazer ??
comentários(0)comente



Marina 03/08/2017

Muito bom!
A história se passa praticamente no período de 1 dia. É um enredo singelo, um pouco triste e romântico. A escrita é muito simples, um pouco adolescente até. Daqueles livros que quem gosta de frases bonitas enche de post it. Eu enchi! O final é muito bom, a medida perfeita de nem tão felizes pra sempre e nem tão trágico. Recomendo!
comentários(0)comente



Caminhadaliteraria 31/07/2017

Amei
Natasha é uma jamaicana que vive ilegalmente nos Estados Unidos, não acredita que tudo acontece por uma razão, e que tudo pode ser explicado cientificamente, inclusive o amor. Já Daniel, um coreano-americano, e poeta incurável, acredita que tudo acontece por um motivo e que todos podem sonhar. Quando eles se conhecem, tudo em que acreditam é posto a prova... Até se apaixonarem. No entanto o que Daniel não sabia era que Natasha estaria sendo deportada naquele mesmo dia.
Será que tudo o que aconteceu foi uma mera coincidência, ou eles estavam mesmo destinado um ao outro?
Uma escrita leve, com um história bem trabalhada e muito bem escrita, que nos faz conhecer não somente os protagonistas, mas suas famílias e histórias de personagens que de alguma maneira estavam ligados à Natasha ou Daniel. Uma história que fala sobre sonhos, amor, preconceitos e de como as nossas escolhas podem mudar nossas vidas.
" Têm a sensação de que a duração de um dia é mutável, e que do início jamais dá para ver o final. Têm a sensação de que o amor muda todas as coisas o tempo todo. É para isso que existe o amor."

https://www.instagram.com/p/BXOzo-Qgzci/
comentários(0)comente



Felipe Alado 28/07/2017

Emocionante e Surpreendente
Uma história muito bonita, cheia de reflexões e pontos de vista, não só inesperados, mas que acabam educando a gente também! Ajudam a pensar um pouco fora da caixa e também a prestar atenção em quem está a nossa volta e que acabam influenciando, de forma direta ou indireta, nossos dias e por consequência nossa vida!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



arlete.augusto.1 23/07/2017

Encantador!
Incrível a maneira como Nicola Yoon nos transporta para dentro dessa história leve, bem humorada, mas que aborda temas profundos como imigração, preconceito, conflito de gerações. A forma original de contar essa história também é cativante. Daqueles romances que você começa a ler e não consegue parar.
Um dia pode mudar a vida?
comentários(0)comente



zoni 17/07/2017

Nicola Yoon obrigado por você existir e por escrever tão bem. VOCÊ É DIVINA, E SUAS HISTÓRIAS ME COMOVEM DE UMA FORMA QUE NEM CONSIGO ACREDITAR. Ok, eu não consegui me controlar.

O sol também é uma estrela tem um tema tão extraordinário que me fazia pensar milhões de coisas e viver aquela história. Nicola nos dá personagens tão cativantes que eu comecei a acreditar que eles existiam e que eu estava ali juntos a eles.

Eu estou pensando no que escrever, mas só me vem a cabeça FANTÁSTICO, FANTÁSTICO AAAAAAA FANTÁSTICO.

A única coisa que me irritou um pouco foi o final, aquele plot twist que ai meu deus. Poderia ter passado sem, teria sido melhor se tivesse passado sem. Mas no geral eu amei o livro e estará no meu top 10 dos melhores do ano!
comentários(0)comente



Thami 13/07/2017

O sol também é uma estrela
O sol também é uma estrela, escrito pela autora Nicola Yoon e publicado pela Editora Arqueiro em 2017, é um livro sobre o destino e a ciência, duas coisas completamente diferentes.

"Ele acha que meu cabelo cheira a chuva de primavera. Estou tentando mesmo permanecer impassível e não me deixar afetar . Lembro que não gosto de linguagem poética. Não gosto de poesia. Nem gosto de pessoas que gostam de poesia. Mas também não estou morta por dentro." (p. 123)

Natasha é jamaicana, mas vive como imigrante ilegal em Nova York. Seu pai, em um momento em que estava dirigindo embriagado, acabou contando para um policial a situação ilegal de sua família, por conta disso, eles serão deportados no final do dia. Natasha ama a cidade onde vive, ama o universo científico, é bastante racional e não quer voltar para a Jamaica, a culpa disso é de seu pai, ela o detesta.

Daniel é coreano e americano. Ele vive em Nova York com sua família coreana. O garoto tem um péssimo relacionamento com seu irmão, Charles, que é um idiota. Daniel gosta mesmo é de escrever poesias, mas está prestes a fazer uma entrevista para começar a faculdade de Medicina, que é a vontade de seus pais, principalmente seu pai. Ele acredita no amor, em Deus e no destino.

O sol também é uma estrela se passa em um único dia. Natasha e Daniel se conhecem por obra do destino (ou do acaso), no dia em que ela será deportada. O garoto gosta dela logo de cara, e propõe à ela que façam um teste cientifico, já que ela aparenta gostar tanto da ciência, que fará com que eles se apaixonem um pelo outro até o final do dia. Ela topa. Será que dará certo? Eles se apaixonarão um pelo outro? Mas Natasha vai embora no final do dia... Como Daniel poderá reagir?



Decidi solicitar O sol também é uma estrela pois li Tudo e todas as coisas e adorei. Cheguei à conclusão de que prefiro Tudo e todas as coisas, mas O sol também é uma estrela é um livro maravilhoso!

"Estudos demonstram que as pupilas das pessoas que se sentem mutuamente atraídas dilatam por causa da presença de dopamina. Outros estudos sugerem que riscas nos olhos podem indicar tendências de personalidade, e que talvez os olhos sejam afinal de contas uma espécie de janelas para a alma." (p. 226)

A primeira consideração que tenho a fazer é sobre a estrutura do texto. A autora construiu uma história muito consistente que se passa durante um único dia. A narração varia entre Natasha e Daniel, mas também existem capítulos em terceira pessoa com informações cientificas muito bacanas e alguns capítulos são reservados para os personagens secundários da história, aqueles que poderiam ser insignificantes, mas Yoon se encarregou de dar um significado maior para todos eles. Por exemplo, a garçonete que atendeu Natasha e Daniel tem uma história, e essa história é contada pela autora. O mesmo acontece com a recepcionista, o advogado, a segurança Irene, etc. Todos têm uma história, que é contada, ainda que brevemente. Achei isso sensacional, simplesmente incrível! E há uma explicação para tudo, por exemplo, Natasha não é assim tão racional por acaso, há algo por trás disso.

"Crescer e ver os defeitos dos pais é como perder a fé. Não acredito mais em Deus. Também não acredito no meu pai." (p. 177)

O sol também é uma estrela têm capítulos curtos e envolventes. A autora aborda uma série de assuntos sérios em meio a uma história gostosa de um dia estranho entre dois jovens. O preconceito é um assunto presente no livro, tratado de forma sutil, bem como aquela questão de seguirmos uma profissão somente porque a nossa família quer. Também refletimos sobre o destino: ele existe mesmo? Ou tudo acontece por acaso? Mas, quero dar ênfase a um tema em especial: a família. Nicola Yoon escreveu sobre coisas que todos nós pensamos sobre os nossos familiares, mas nunca falamos. Isso me fez refletir de uma forma indescritível. Palmas para Yoon.

"Mas não podíamos culpá-la. De forma nenhuma. Meu pai vinha desperdiçando a vida em sonhos havia anos. Vivia naquelas peças e não no mundo real. Ainda vive. Minha mãe não tinha mais tempo para sonhar. Nem eu." (p. 171)

Os protagonistas são adoráveis. Eu me apaixonei pelo casal e por suas diferenças. Eles são completamente diferentes, e é muito bacana ver como eles se relacionam por conta disso, como aprendem um com o outro, ainda que sejam tão jovens. E os demais personagens se encaixaram perfeitamente na história, todos têm uma personalidade bem delimitada, todos foram bem construídos.

Apesar de tudo, eu ainda acredito no amor. E já desconfiava do final. Mas nem tudo é imprevisível, e algumas vezes, a previsibilidade nos protege. De modo geral, a história é condizente com seu gênero e condição. Gostei muito do livro e me sinto satisfeita.


site: http://thamirisdondossola.blogspot.com.br/2017/07/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



desencaixados 12/07/2017

História muito boa!
Natasha é uma garota jamaicana que aos 8 anos de idade mudou para Estado Unidos com sua mãe, mas infelizmente toda sua família se tornou ilegal por ficar mais tempo que foi permitido no país. A pobra garota levava uma vida totalmente fechada e guiada pela ciência que ela tanto ama, mas só que um acidente foi gravemente acontecido resultando na deportação dela, do seu irmão e de seus pais de volta para Jamaica.

Apesar de ser totalmente conformada com a situação, Natasha não estava querendo retornar para seu país natal, até porque a menina adotou as tradições norte-americanas e tinha previsto e preparado todo o seu futuro nos Estados Unidos. Ainda com muita esperança de permanecer no país, Natasha corre atrás de ajuda no último dia do prazo que foi estabelecido para sua família retornar para Jamaica.

"— Não acha que é hora de desistir, Tasha? Não acha que o que está fazendo é inútil. (página 11)"

Determinada em mudar a sua ficha no país, a jamaicana é indicada para um dos melhores advogados de imigrantes de Nova York. E é nesse caminho feito para chegar ao prédio do profissional que ela encontra Daniel, um coreano nascido nos Estados Unidos que segue as tradições coreanas.

Daniel sempre teve uma infância submissa ao irmão mais velho e muitas das vezes era “invisível” na família, para se destacar profissionalmente e ter orgulho para falar da sua vida na mesa durante as refeições ele estuda para seguir a carreira de medicina — decisão escolhida pelo pai. Também em Nova York indo ao prédio onde seria realizado sua entrevista para a faculdade ele seguia o trajeto, e é nessa tão famosa rua que o destino entrelaça Natasha e Daniel. Por um lado ela está lutando para continuar sua singela vida no país, por outro ele está a caminho do seu futuro que permanece ao país e por cima de tudo isso o universo está conspirando a favor de todos.



O Sol Também é uma Estrela, de Nicola Yoon e publicado pela Editora Arqueiro é um livro que trata de dois jovens para resolver assuntos sérios em 24 horas. O livro é uma chuva de romance e humor, esse é o segundo livro da autora que já recebeu vários prêmios de admiração.

Creio eu que muitas pessoas já conhecem o livro pelo sucesso que ele fez na pré-venda e durante os primeiros meses de venda, até hoje vejo pessoas que fizeram a leitura delirando na história de Natasha e Daniel, mas infelizmente eu não tive a capacidade de fazer a leitura tão rápida quanto os outros devido a minha ressaca literária. Só que hoje venho trazer nessa resenha alguns fatores que não vi nenhum amigo comentando durante a exposição das suas opiniões.

Apesar de O Sol Também é uma Estrela ter um grande foco no relacionamento de Natasha e Daniel — o romance da história — eu acho que o foco da autora não foi falar sobre o amor envolvido entre os dois, mas sim sobre pessoas, pois a forma que todos aqueles que estavam responsáveis pelo destino de ambos tiveram uma grande influências positivas e/ou negativas devido outras pessoas ficou bem destacado no livro. E essa é uma questão filosófica muito interessante, pois é dessa forma que nossa vida é seguida, nós somos resultados de influenciadores que influenciaram quem nos influenciou e o resultado é muito relativo, sem falar que a situação de cada pessoa que nos manipulou ou foi manipulada muitas das vezes são por causa de um acontecimento momentâneo que a abalou — sim, estou falando de pessoas que se deixam ser levadas pela emoção do momento —, talvez essa explicação fique confusa para algumas pessoas, mas não é só sobre esse quesito de seres humanos que o livro trata.

"Os seres humanos não são criaturas razoáveis. Em vez de governados pela lógica, somos governador pelas emoções. O mundo seria um lugar mais feliz se o oposto fosse verdade. Por exemplo, baseada num único telefonema, comecei a esperar um milagre. E nem acredito em Deus. (página 43)"

Além da manipulação momentânea Nicola Yoon também ressaltou MUITO a diversidade durante a história. Natasha é jamaicana, usa penteado afro e é negra, Daniel é coreano, branco e segue um padrão de vida TOTALMENTE diferente da sua nova “amiga”. Os dois tornam amigos em questão de minutos e segue um dia inteiro se apaixonando e conhecendo a cultura do outro, apesar da diversidade a autora conseguiu utilizar essa ideia para quebrar os esteriótipos de jamaicanos e coreanos, até porque Natasha não é maconheira — muitos tem essa imagem de jamaicano —, ela não escuta somente reggae e entre outros detalhes que só lendo é possível assemelhar, por outro lado, Daniel não pretende ser uma pessoa extremamente inteligente — coreanos tendem se dedicar toda a sua vida para serem bem-sucedidos —, ele não é de exatas e sim um poetista e, além disso, procura muito quebrar a cultura coreana que o pai o estabelece.

Durante a leitura do livro nós temos acesso a 3 — ou mais — perspectivas, entre elas são de Natasha, Daniel e o Universo. Sim, o Universo faz parte da história é nele que temos mais conhecimento sobre os personagens terciários e tudo que aconteceu antes daquele dia. Nicola Yoon utilizou a perspectiva do Universo para contar a história do cabelo afro, e até hoje eu estou parabenizando essa mulher por me manter informado sobre esse passado que influenciou TANTA gente, sempre busquei respostas, mas nunca encontrei. Além da história sobre o cabelo afro, ela utiliza Natasha com seus conhecimentos científicos para falar sobre a ciência e acaba quebrando alguns paradigmas, enfim, Nicola Yoon está entrando para a minha lista de autores favoritos pelo fato dela representar e incluir em seu livro muitos assuntos não discutidos e tampados pela sociedade e grandes influenciadores.

Como o livro é passado em um único dia, algumas pessoas se irritam com o fato do romance entre os dois serem tão apressado. Eu particularmente não gosto de histórias com amores a primeira vista e conquistas muito fáceis, só que entre os dois foi um relacionamento tão agradável e sincero que não é muito cabível a gente não “shippar”, além disso, se quem leu for enxergar profundamente consegue ter uma base e uma explicação sobre o relacionamento previsto e tão rápido.



Por tudo que vocês leram da minha resenha até aqui pode soar que o livro é muito positivo, só que tem algumas pequenas coisinhas que me incomodaram durante a leitura. Eu não vou citar quais são, até porque seria spoiler — quem quiser saber pode entrar em contato conosco —, mas independente disso eu não deixo de amar imensamente a história dessas duas pessoas maravilhosas que mudaram a minha visão de vida alheia e de pessoas, AAAAAH, eu não sei como descrever como estou grato pela Editora Arqueiro ter me apresentado essa obra.

Focando na parte editorial eu simplesmente não tenho nada o que reclamar. A capa do livro é maravilhosa, ela é simples e as cores utilizadas foram bem escolhidas. A diagramação está impecável e muito confortável para uma leitura agradável, sem falar que os capítulos curtos são grandes influências para uma leitura mais rápida e de acordo com o cronograma da história — o livro se passa em média de 24 horas. É como eu disse, não tenho nada o que reclamar, muito pelo contrário, só o que elogiar.

Eu ainda não fiz a leitura de Tudo e Todas as Coisas que também foi escrito por Nicola Yoon e esse ano (2017) teve uma adaptação cinematográfica, mas já li algumas resenhas e ouvir opiniões de amigos sobre a obra. Algumas foram positivas e outras um pouco neutra, e eu sou aquele tipo de pessoa que não é levada pela opinião dos outros, gosto de ler e tirar as minhas próprias conclusões. Então, podem anotar na agendinha de vocês, em breve farei a leitura de Tudo e Todas as Coisas e resenharei para vocês, caso eu goste farei um sorteio de O Sol Também é uma Estrela e Tudo e Todas as Coisas.

Ficou bem nítido que eu indico essa obra para todo mundo, talvez eu não consiga estabelecer uma faixa etária certa para fazer a leitura desse livro, mas se você tiver vontade, faça. Ele não tem nenhum conteúdo sexual explícito — caso tenha me desculpe —, além disso, tem um romance muito profundo e leve ao mesmo tempo um humor inexplicável que consegue arrancar risadas de todo mundo.

site: http://desencaixados.com/resenhas/resenha-o-sol-tambem-e-um-estrela/
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7