O Sol Também é Uma Estrela

O Sol Também é Uma Estrela Nicola Yoon




Resenhas - O Sol Também é Uma Estrela


56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


LOHS 24/05/2017

Maravilhoso!
Nicola Yoon: você é simplesmente incrível. Sério, gente, o trabalho dessa mulher é esplêndido. O sol também é uma estrela é o segundo livro da autora lançado aqui no Brasil. O primeiro, Tudo e todas as coisas (lançado primeiramente pela Novo Conceito, e já com segunda edição pela Editora Arqueiro) estreará com uma adaptação cinematográfica em 19 de maio nos Estados Unidos.

O sol também é uma estrela é um romance que realmente me tocou. Eu o achei lindo, intenso e muito verdadeiro. Eu me apaixonei pelo Daniel e pela Natasha e por todas as outras narrações que aparecem ao longo desse pequeno grande livro e tenho certeza que você também irá.
Não está muito convencida? Vem comigo nessa resenha cheia de amor.

"Para minha mãe e meu pai, que me ensinaram
sobre os sonhos e como alcançá-los." Dedicatória

Natasha é uma pessoa objetiva, ela acredita na ciência, na lógica e em dados concretos. Ela, seu pai, sua mãe e seu irmão mais novo são jamaicanos e vivem nos EUA há 10 anos como imigrantes ilegais. No entanto, o pai de Natasha é responsável pela carta avisando-os que eles precisam deixar o solo americano hoje às 22h. A família já está de malas prontas, porém Natasha não desistirá assim tão fácil da única vida que faz sentido para ela.

"Hoje é minha última chance de convencer alguém - ou o destino - a me ajudar a descobrir um modo de ficar nos Estados Unidos.
Só ara esclarecer: não acredito no destino. Mas estou desesperada." Natasha, p. 12

Daniel é um poeta, ele acredita em uma força superior, o Destino, talvez (eu chamo de cosmos) e é uma pessoa adorável e calma. Seus pais são coreanos, logo, ele é coreano; porém nasceu e cresceu nos Estados Unidos. Ele leva sua relação com os pais da melhor maneira possível, porém seu irmão é definitivamente um problema. Quando o mais velho foi suspenso de Harvard, todas as expectativas dos pais pousam sobre os ombros de Daniel, que hoje, enfrentará a entrevista que decidirá seu futuro em Yale.

"Como pode ficar tão à vontade expondo o coração?" Natasha, p. 90

Esse livro é intenso. É a história do dia que Natasha e Daniel passam juntos. Mostra como toda a mágica acontece entre eles. A narrativa aborda, além do romance mais fofo que você lerá hoje, questões como preconceito, imigração, suicídio, traição, família, autoaceitação e a busca pelos sonhos. "Para a maioria dos imigrantes, mudar para um país novo é um ato de fé." família, p. 20 Nicola nos apresenta personagens e se mantém fiel a eles até o final e foi essa constância que me cativou. A escrita de Nicola foi realmente especial.

Talvez por vermos tudo em um dia, os acontecimentos sejam todos mais intensos. Por eles serem jovens, talvez tudo pareça mais definitivo. E nosso envolvimento com esses dois se torne mais real. Eu sei que fiquei desejando um Daniel na minha frente. E também de ter a chance de experimentar um dia como o que eles dividiram.

O dia que eles passam juntos será baseado na decisão de Daniel para fazer Natasha se apaixonar por ele. Daniel é sincero a cada momento e está decidido de que o universo juntou os dois e eles são feitos um para o outro. Mas ela será deportada e ele tem uma entrevista para admissão. Natasha, por mais pragmática que possa ser, percebe que algo realmente pode estar acontecendo entre os dois. E é lindo ver como eles funcionarão.

"- E se eu dissesse que poderia fazer com que você se apaixonasse por mim cientificamente?
- Eu acharia ridículo. E muito." Daniel e Natasha, p. 69

Paralelamente ao romance, veremos Natasha apresentar sua história para o melhor advogado de imigração da cidade, enquanto Daniel espera por ela, o amor de sua vida. Essa sinceridade, essa entrega de Daniel é parte do grande motivo desse livro ter me cativado. Afinal, tudo o que queremos é encontrar aleatoriamente a pessoa com quem nascemos para ficar, certo?

"Ela abre a mão e vai segurar a minha. Ela deveria segurar a minha mão. Deveríamos passar juntos por este mundo. Vejo isso nos olhos dela. Somos feitos um para o outro. Tenho certeza disso como não tenho certeza de mais nada." Daniel, p. 85

Seremos apresentados também às histórias de seu pai e de sua família. O que os diferentes pontos de vista desse livro me permitiram perceber foi que a história nem sempre é apenas dos nossos protagonistas. Existem outras pessoas orbitando ao redor delas, e estas afetam a história que lemos da mesma forma que nossos protagonistas afetam a história dos "secundários". E isso apenas reforça a visão de Daniel de mundo, ou seja, o livro - na minha opinião - foi uma ode aos sonhadores e a essa força maior que existe no universo. Sendo você uma racional como Natasha, ou não, é impossível simplesmente deixar passar todas as incríveis coincidências.

"- Vocês sonhadores, acham que o Universo existe para vocês e para sua paixão.
- É melhor do que não ter paixão nenhuma." Natasha e Daniel, p. 160

Outro ponto que mexeu bastante comigo foi a presença e o papel dos pais na vida de Natasha e Daniel. "Meu pai é moldado pela lembrança de coisas que nunca vou conhecer." Daniel, p. 193 E isso é algo que eu sinto muito a respeito do meu próprio pai. Às vezes há pequenos vislumbres pelas histórias que ele compartilha, mas eu não o conheço a fundo. Eu provavelmente sei mais a respeito da minha melhor amiga do que eu sei a respeito do meu pai. Aprender a enxergar meus pais como outros seres humanos e não Meu Pai e Minha Mãe foi algo que aprendi apenas recentemente e, devo dizer, não completamente.

Perto do final já, em um dos momentos mais lindos do livro, Nicola cria a atmosfera perfeita para nos mostrar que, sim, uma sequência de coincidências pode ser muito mais do que apenas um fato corriqueiro. Natasha e Daniel procuram um ao outro e terminam diametralmente opostos, passando - em diferentes momentos - pela mesma musicista, pelo mesmo casal, pelo mesmo flash mob.

Depois disso, não contarei mais nada. O dia que eles passaram juntos talvez tenha sido mais significativo e intenso que muitos relacionamentos modernos. A vida dos dois foi moldada por aqueles momentos que compartilharam. "E se formos apenas um desvio na história de outra pessoa?" Natasha, p. 248 Será que a luta de Natasha para permanecer no país terá sucesso? Será que Daniel comparecerá à entrevista que moldará seu futuro como médico em Yale? Leiam, leiam, leiam.

Eu sei que fui mudada por esse livro e espero que vocês também deem uma chance a essa história apaixonante. Fica aqui registrado o meu pedido para uma continuação. Porque, sem or, não sei lidar com finais "abertos".

"- Dá pra imaginar se todo mundo tivesse o poder de mexer na vida de todo mundo? Caos.
Mas, claro, esse é o problema. Nós já temos esse poder sobre os outros."

site: http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/2017/05/o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Ana Luiza 23/05/2017

Divertido, poético e apaixonante!
A HISTÓRIA
Natasha não é do tipo que acredita em milagres, mas ela bem que podia se aproveitar de um. Apesar de ter nascido na Jamaica, a garota cresceu nos Estados Unidos. Contudo, sua família imigrou de forma ilegal e, agora que seu pai estragou tudo mais uma vez, eles estão sendo deportados de volta. Natasha e a família precisam deixar Nova York em 12 horas, contudo, a garota não quer aceitar o destino e decide aproveitar o tempo que lhe resta para tentar consertar as coisas.

“- E se eu dissesse que poderia fazer com que você se apaixonasse por mim cientificamente?
- Eu acharia ridículo – respondo. - E muito.” Natasha, pág. 69

Daniel é filho de imigrantes coreanos, mas nasceu e cresceu nos Estados Unidos. Assim, está preso em um limbo: para os pais, ele nunca será suficientemente coreano, mas, para o resto do país, ele também não é 100% americano. Mas Daniel não se importa com esse tipo de coisa: ele já aprendeu a aceitar as coisas como são. Por exemplo, por mais que ame poesia e não saiba se realmente quer ir para a faculdade, ele vai seguir o desejo dos pais e se tornar um médico na Universidade de Harvard. Mas, para isso, Daniel precisa comparecer a uma entrevista com um ex-aluno de Harvard, algo que ele não está nem um pouco ansioso para fazer.

E é no pior dia da vida de Natasha e no dia que vai decidir o futuro de Daniel que eles se conhecem, mas não exatamente ao acaso. Um variado número de fatores (e pessoas) os levam a estar na mesma rua, na mesma hora, mas, é a atração física que faz Daniel tentar uma chance com a garota mais bonita que ele já viu. Contudo, Natasha não está nem um pouco interessada em conhecer alguém, ainda mais quando pode estar bem longe do país em menos de 12 horas. Mas, Daniel, que nunca foi do tipo corajoso, resolve não desistir e propõem, logo quando percebe que Natasha não acredita em destino e paixão à primeira vista como ele, que eles façam um pequeno experimento que, de acordo com a ciência, os levaria a se apaixonar.

“- Que bom que você acha engraçado – declara ele.
- Qual é! Tragédia é um negócio engraçado.
- Estamos numa tragédia? - pergunta ele, agora com um sorriso legal.
- Claro. A vida não é isso? No fim, todos nós morremos.” Natasha, pág. 118

Natasha, que acredita em fatos e em ciência, logo percebe que Daniel, um poeta, não combina em nada com ela, mas acaba aceitando o desafio. Assim, eles andam juntos por Nova York, tentando descobrir o que será de seu futuro, ao mesmo tempo em que conhecem um ao outro. Natasha é completamente racional, enquanto Daniel é um romântico, mas eles acabam se dando bem, mesmo tendo tudo para dar errado. Mas será que um dia de paixão, aventuras e confissões será o suficiente para garantir que eles tenham um felizes para sempre?

(...)

CONCLUSÕES FINAIS
O Sol Também É Uma Estrela é aquele tipo de livro para se devorar de uma vez só, mas que acaba ficando na sua mente por muito tempo depois do fim da leitura. A partir de um início aparentemente clichê, o livro nos entrega personagens únicos e fortes, além de representativos, e uma história de amor jovem emocionante. Abordando temas como racismo, cultura jamaicana e coreana, o medo do futuro, as dificuldades das relações familiares, sonhos, desejos e medos da juventude, O Sol Também É Uma Estrela se torna uma obra surpreendente, marcante e muito cativante.

Com muitas risadas, suspiros e algumas lágrimas, a obra nos leva a refletir e mostra como nosso mundo caótico e incerto guarda pequenas alegrias e momentos especiais, além de pessoas apaixonantes, que fazem a vida não só valer a pena, como algo belo e especial. O Sol Também É Uma Estrela foi uma leitura que me deixou inspirada, apaixonada pela vida e suas possibilidades, além de bastante curiosa para conhecer mais obras da autora. E claro que recomendo esse livro para todos!

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2017/05/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela-nicola-yoon.html
comentários(0)comente



Thalia 22/05/2017

Essa é uma história única que não é somente focada no romance, mas, por trás toca em assuntos como racismo, cultura negra e cultura coreana. E o mais incrível é que é contada por três pontos de vista: o de Natasha, Daniel e do Universo. Vale a pena a leitura.
comentários(0)comente



Caverna 21/05/2017

Natasha está tendo um péssimo dia. Ela e sua família são jamaicanos vivendo ilegalmente nos Estados Unidos. Eles foram parar lá graças ao pai, que estava atrás de seu sonho de atuar em peças teatrais. E graças ao pai, novamente, eles foram descobertos e serão deportados à noite. Natasha odeia que o pai tenha sido tão descuidado, mas mais do que isso, não aceita que terão de voltar para Jamaica, um lugar de onde ela possui poucas recordações. Eles teriam que mudar tudo. Os hábitos, a cultura, as expressões. E Natasha estava cansada de ser arrastada pelos erros do pai. Cansada de ver a família desmoronando graças aos sonhos grandiosos dele. Natasha um dia fora uma sonhadora também, mas não mais.

Em busca de formas para salvar a família, Natasha marca um horário com um advogado de imigrações. E para piorar só um pouquinho o dia, Natasha encontra no caminho o seu ex-namorado, junto da menina com quem ele a traiu. A garota está roubando discos da loja, e Natasha não é a única que percebe e fica inconformada com o que vê. É assim que ela conhece Daniel.

Os pais de Daniel são coreanos que imigraram para os Estados Unidos e tiveram dois filhos, Daniel e Charles. Mesmo estando num país diferente, eles carregam consigo as tradições, e esperam que os filhos também as sigam. Mas não é o que acontece. Charles foi expulso da faculdade, perdendo o posto de melhor filho, e agora cabe a Daniel dar orgulho aos pais, cortando o cabelo, casando com uma coreana, e comparecendo à entrevista que o garantirá uma vaga na faculdade de medicina. No entanto, Daniel não quer nada disso. Ele gosta do seu cabelo grande, gosta de escrever poesias, e não deseja se tornar médico.

Depois que conhece Natasha, Daniel sabe que vai ter que decepcionar os pais mais ainda, pois ele está apaixonado por uma negra.

É exatamente isso. Daniel se apaixona à primeira vista por Natasha. Diz que foram destinados um ao outro, e que até o final do dia, ele a convencerá de que também está apaixonada por ele.

Em apenas 8 horas, muitas coisas acontecerão entre/com Daniel e Natasha. Os dois possuem crenças e pensamentos muito diferentes. Enquanto Natasha é cética e realista, Daniel é sonhador. Ambos ensinam uma nova perspectiva de enxergar as coisas ao outro, e aos poucos, com tudo o que acontece com eles durante aquele dia envolvendo os pais de Daniel e a deportação de Natasha, o sentimento vai crescendo de uma forma inexplicável.

Mas no fim das contas, será que Natasha conseguirá salvar a família e ter mais alguns dias como americana? Será que Daniel vai ter coragem de enfrentar a família? Será que foi mesmo o destino que os uniu?

Decidi ler essa obra por conta de Tudo e todas as coisas, livro escrito pela mesma autora, e que eu gostei bastante. Num geral, a premissa é muito interessante, principalmente por contar a realidade que muitos imigrantes vivem, além de tratar também sobre preconceito, esteriótipos e nos trazer reflexões com as conversas de Daniel e Natasha.

Os capítulos são curtos e intercalados entre o Daniel e a Natasha. Também temos histórias paralelas em alguns capítulos, que contam sobre personagens secundários que fizeram parte da jornada do casal, e que de alguma maneira, eles mudaram a vida dessas pessoas também. Achei bem legal essa parte, mostrar o impacto que temos na vida de outra pessoa, mesmo que brevemente. Como nossas palavras e ações podem fazer toda a diferença.

E um fato que eu adorei: As músicas! Natasha é fã de Nirvana e Chris Cornell, então eu super botei a trilha sonora pra tocar e entrei no clima né. Amooo hahaha e o Daniel ainda canta ABBA uma hora no karaokê. Livros com músicas me ganham fácil!

A ideia de a história se passar num único dia me lembrou outras do estilo que já li, como A Improvável Teoria de Ana e Zack, e os livros da Jennifer E. Smith (principalmente A Probabilidade Estatísticado Amor à Primeira Vista). Adoro livros assim onde o amor vai crescendo proporcionalmente num dia só, mas não é o que acontece com O sol também é uma estrela.

Eu achei que foi justamente o romance forçado que estragou a história. Eu ficaria assustada no lugar da Natasha pelo amor descomunal do Daniel. Se encantar com uma pessoa, se sentir atraído por ela, sentir que tem uma conexão, ok. Mas foi um pouquinho demais essa paixão. E acho que sim, o destino os uniu por um motivo, mas não por eles serem alma gêmeas ou coisa do tipo. O destino os uniu para que eles aprendessem e amadurecessem. Se eles não tivessem se conhecido, o futuro certamente seria diferente. Mas o encontro os tornou mais fortes, fizeram com que eles refletissem sobre como estavam vivendo e o que deveriam fazer para reverter aquilo. Não sei, acho que o papel do destino foi torná-los pessoas melhores, mais experientes e corajosas.

Em suma, apesar do romance um pouco exagerado, O sol também é uma estrela é uma história magnífica de luta, autodescoberta e superação. Uma história para aquecer o seu coração.

site: http://caverna-literaria.blogspot.com.br/2017/05/o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Book.Obsession 14/05/2017

Resenha feita pela Camila de Moraes para o Blog Book Obsession
Sabe aquele livro que você precisa pra vida? Esse é um deles.

Natasha é uma garota que veio da Jamaica para os Estados Unidos com sua mãe para encontrar seu pai ainda bem novinha. Agora ela vive em uma corrida contra o tempo para permanecer no país, já que estão prestes a serem deportados, após seu pai se envolver em um acidente e dirigir embriagado.

Daniel, é americano, filho de pais coreanos estabelecidos no Estados Unidos. Consegue uma chance que poucos tem oportunidade de ter. Mesmo querendo ser poeta, seus pais insistem que ele vá na entrevista para ingressar na universidade Yale e fazer medicina.

Com destinos completamente diferentes, Natasha e Daniel acabam se conhecendo na rua e em meio a uma conversa, surge a teoria de Daniel, que acredita que consegue fazer a jovem se apaixonar por ele se fizerem perguntas específicas para ambos.
No início, a jovem que está correndo para encontrar o advogado, acaba não aceitando, justamente por não acreditar em amor e não ter tempo pra isso. Porém, o rapaz insiste e a conversa flui e o destino pode acabar mudando completamente o que seria um dia decisivo para ambos os personagens.

"Os seres humanos não são criaturas razoáveis. Em vez de governados pela lógica, somos governados pelas emoções. O mundo seria um lugar mais feliz se o oposto fosse verdade. Por exemplo, baseada num único telefonema, comecei a esperar um milagre. E nem acredito em Deus."

Em meio a trama e ao drama de Natasha e Daniel, a autora também acrescenta as narrativas de outros personagens na história e elas se encaixam tão perfeitamente que fica impossível não levar a reflexão, principalmente pelos pontos abordados que são reais e dentro da realidade do cotidiano da sociedade como: adversidade cultural, preconceito racial, opções sexuais, imigração, religião, amor ao próximo e a busca eterna em conhecer a si.

O sol também é uma estrela é um Young adult que me ganhou como leitora pela intensidade de como esses assuntos me levaram a questionamentos que muitas vezes deixamos passar pela correria do dia a dia e aguçaram a minha reflexão. Se você ainda não teve oportunidade de ler, faça assim que possível, tenho certeza que será despido de pré-conceitos.

Não precisava dizer, mas vale ressaltar que a escrita da autora foi um show à parte e a capa é tão linda que fica impossível não admirá-la, ficou um ótimo trabalho.

Não vejo a hora de poder ler seu próximo lançamento “Tudo e todas as coisas” que chega às livrarias dia 16/05 pela Editora Arqueiro.

site: http://bookobsessionresenhas.blogspot.com.br/2017/05/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Ana 12/05/2017

Eu sempre acreditei em destino, mas não da forma como a maioria das pessoas pensam que é, que a gente já nasce com um destino traçado e pronto, acabou. Penso que as nossas escolhas que escrevem o nosso futuro e que cada mera decisão que tomamos pode desencadear um evento que não podemos nem imaginar. Talvez a maioria das pessoas pensem que Daniel e Natasha se encontraram por uma mera coincidência, mas como eu disse antes, sempre acreditei em destino.

Natasha nasceu na Jamaica, mas foi para os Estados Unidos como imigrante ilegal aos oito anos de idade, junto com a sua família. Ela é a típica garota pé no chão que não acredita em sonhos, muito menos em destino, e prefere se apegar à fatos científicos. Daniel é natural dos Estados Unidos, mas é filho de coreanos; sempre foi um filho exemplar e ótimo aluno, e ainda assim consegue ser sonhador e um ótimo poeta, pelo menos longe da vista dos pais. Os dois não poderiam ser mais opostos, não é mesmo?

Daniel tem uma entrevista marcada para tentar na Segunda Melhor Escolha, segundo os seus pais, a Yale. Seria fantástico se isso fosse realmente o que o menino quer. Já Natasha está tentando com todas as suas forças, nas suas últimas 12h nos Estados Unidos, revogar a decisão do juiz de deportar a sua família do país. É nesse dia em especial que os nossos protagonistas se conhecem e, mesmo que sem querer, mudam o curso da vida um do outro e de todos as pessoas que se envolvem com eles.

Eu simplesmente não tenho palavras para descrever o quão bonito é esse livro. Em O Sol Também é Uma Estrela acompanhamos o dia de Daniel e Natasha, em capítulos alternados. Tais capítulos são bem curtinhos, o que possibilita uma leitura rápida e fluida. Não bastasse isso, a narrativa da Nicola Yoon é a coisa mais gostosa do mundo. Não sei explicar para vocês, mas é poética e séria ao mesmo tempo, incrível. Temos também, em meio aos capítulos narrados por Natasha e Daniel, capítulos em terceira pessoa sobre os personagens que aparecem na história e algumas explicações para eventos que acontecem no livro, tudo tão lindo que só fez acrescentar.

Não existem coincidências nesse livro. Tudo acontece porque os personagens escolheram certos caminhos. O mais legal de tudo foi acompanhar o "lado de fora" de toda a situação. Por exemplo, nos capítulos em terceira pessoa, vimos o que aquele dia significou para a segurança de um prédio, para o advogado de Tasha, para a secretária do advogado... Quer dizer, todas as ações dos protagonistas afetaram a vida das pessoas que tiveram contato com eles, de uma forma ou de outra. Isso pra mim foi a parte mais poética e maravilhosa do livro.

Não nego que achei o romance um pouco rápido demais, afinal, tudo aconteceu em apenas um dia. Mas parando pra pensar, o livro não é exatamente sobre isso? Cada página me arrancava um sorrisinho e meu Deus, o final foi devastador. Acho que eu nunca li um final tão bonito em toda a minha vida literária. Não nego que O Sol Também é Uma Estrela tem uma fórmula estereotipada, mas sinceramente, foi o clichê mais surpreende que algum autor ousou escrever.

site: http://www.roendolivros.com.br/
comentários(0)comente



Milena 11/05/2017

Resenha
Hoje vim falar com vocês sobre o novo livro da Nicola Yoon, "O sol também é uma estrela".
A história toda se passa em apenas um dia, que muda pra sempre a vida de Natasha e Daniel (e da Irene também).
A Natasha é uma imigrante ilegal jamaicana, que está prestes a ser deportada. Mesmo sendo imigrante, sente que sua casa é os EUA, onde vive a 9 anos com sua família. Sempre muito apegada a ciência, ela não acredita no amor.
Daniel é um imigrante coreano, que tira o dia livre para descansar antes da grande entrevista para receber uma carta de recomendação para Yale. Daniel quer ser poeta, seus pais querem q ele seja médico.
Nesse dia muda tudo. O livro aborda os pontos​ de visão dos dois, hora estamos na cabeça de Natasha, hora na de Daniel, hora lendo uma história do passado de alguém interligado (que são meus capítulos favoritos).
Abordando pontos sobre a dificuldade de ser um imigrante, das esperanças, os preconceitos e esteriótipos.
PARTICULARMENTE, eu, não gostei do livro, achei a história meio arrastada e forçada. Mas, assim como em "Tudo e todas as coisas", a escrita da Nicola é fluida e a edição é linda. Eu achei a arte de capa muito perfeitinha.

️ E vocês? Gostaram?
Querem descobrir oq acontece com Natasha e Daniel? Se conseguirão realizar seus sonhos? Se ela será deportada?

site: https://www.instagram.com/p/BT7XN2_AzBF/
amanda 12/05/2017minha estante
eu tb não gostei muito do livro




Erika 10/05/2017

Uma linha tênue entre destino e coincidência
Essa foi minha primeira experiência com a escrita direta e, ao mesmo tempo, delicada da Nicole. Repleta de referências externas e explicações bem colocadas sobre os assuntos que surgem no livro, a história te leva num ritmo satisfatório e divertido.

O cenário é aquela Nova York que bem conhecemos pelos filmes e séries (alguns também conhecem por terem ido, o que não é o meu infeliz caso). Movimentada, cercada por arranha céus e cheia do caos que somente um aglomerado de pessoas de todos os cantos de mundo, suas luzes e seus meios de transportes podem explicar. É naquela cidade tumultuada e encantadora que Natasha se vê privada de viver seu sonho americano. Nossa protagonista, dona de um dos muitos pontos de vista que teremos ao longo da história, é uma imigrante ilegal, que nasceu na Jamaica, mas que cresceu na América e pouco conhece de sua terra natal.

Alternando o ponto de vista com o nosso outro protagonista, Daniel, um jovem de descendência coreana, que tenta trilhar sua vida independente da vontade e ditadura dos pais. Acompanhamos seus dilemas, seus sonhos e suas vontades em capítulos curtos, que trazem uma dinâmica essencial à história. As páginas vão passando, e nós conhecemos até mesmo os coadjuvantes que cercam os momentos passados por Natasha e Daniel, que se encontram nas ruas de NY por força do destino.

Alguns desses personagens trazem uma história triste dentro de si, como é o caso do pai de Natasha, Samuel Kingsley, onde seus sonhos não realizados e consequentes frustrações acabam acarretando a infelicidade de sua família e em sua deportação dos Estados Unidos. Conhecemos, através do ponto de vista de uma segurança chamada Irene, sua solidão e vontade de cometer suicídio, e como Natasha, sem querer e perceber, acaba ajudando-a em seu sofrimento.

Além dos pontos de vista convencionais, encontramos momentos onde são explicadas a história dos cabelos afros e o porquê dos coreanos monopolizarem sua industria de relaxamento; descobrimos as sensações por detrás do que consideramos "amor", tudo de uma forma muito inteligente e instigante.

Claro que a ideia de predestinação entre os personagens e sua maneira de se encontrarem em uma Nova York gigantesca, e juntos enfrentarem os problemas e se apaixonarem soa um pouco pitoresca, pra não dizer inacreditável. No entanto, mesmo assim, entendi que o intuito era frisar a improbabilidade disso (apesar da crença da autora) e dar uma inocência à composição da trama. A constante exploração da oposição entre as características dos personagens também enfatizou isso: Enquanto Natasha desacredita o amor e impõe a ciência; Daniel é um romântico inveterado, poeta e sonhador.

O final do livro mostrou a linha tênue entre destino e coincidência, mas mesmo assim trouxe um calorzinho no coração depois dos acontecimentos. É uma leitura despretensiosa, que serve para te fazer rir em alguns momentos e refletir sobre alguns temas pertinentes que são retratados a todo tempo. Para quem busca uma leitura fluída e agradável, esse livro é o certo!

site: https://literaturativa.wixsite.com/blogfolheando
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 08/05/2017

Adorei, mas o final....
Oie gente! Hoje vou falar desse livro que li em um dia e que já estava indicando a todos os meus amigos até ler o final. Sim, o final me deixou meia decepcionada com essa história. Vou tentar contar nessa resenha como adorei essa história, mesmo ainda de mal com a autora pelo final.

"Fato Observável: a gente nunca deveria tentar a possibilidade remota. Melhora estudas as chances e tentar a possibilidade do provável. Mas, se a remota é a única, é preciso tentar."


O Sol Também é uma Estrela é o livro da autora Nicola Yoon, lançando pela Editora Arqueiro. Já li o outro livro dela que é Tudo e Todas as Coisas e tinha gostado bastante. Já com es expectativas lá em cima comecei a leitura e por quase todo o livro a autora conseguiu superar. Os finais dela são o que me pegam e fiquei torcendo o livro para um final que não veio.

O livro conta a história de Natasha e Daniel. Natasha é uma jamaicana que está para ser deportada dos E.U.A e vai fazer de tudo para conseguir reverter isso. Daniel um coreano que é um bom filho e está preste a fazer uma entrevista para ser aceito na Yale. O destino dos dois se cruzam e tudo entre eles vai acontecer em 1 dia. Os dois são muito diferentes, será que é o destino que os uniu? Essa pergunta que me fiz o livro inteiro. O destino também chega para dar a sua palavra. Um livro diferente de tudo que já li e que ainda estou tentando digerir essa história rsrs.

Natasha é uma garota que acredita na ciência, não em sorte e muito menos no amor. Sua família tem menos de 12 horas para deixar o país, mas ela não contava se apaixonar por Daniel. Natasha é da Jamaicana, negra e tem cabelos black uma mocinha forte e decidida.

"Somos capazes de grandes vidas. De uma grande história. Por que aceitar menos? Por que escolher a coisa prática, a coisa corriqueira? Nós nascemos para sonhar e fazer as coisas com as quias sonhamos."

Daniel é um bom filho e bom aluno. Ele sonha em ser poeta, mas seus pais querem que ele seja médico. Quando ele se apaixona por Natasha ela vai repensar isso e com ela vai ver que o destino tem algo maravilhoso para ele. Coreano e de cabelos longos ele é totalmente diferente de Natasha. Mas como diz um velho ditado: os opostos se atraem.

Resenha completa no blog

site: https://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2017/05/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Alyssa @culpadoslivros 07/05/2017

O sol também é uma estrela traz a bela e envolvente história de dois adolescentes que se conhecem em um dia que era tudo, menos comum, sem saber que aquele momento mudaria para sempre a vida, não só deles, como de todos que encontraram.

A primeira é Natasha, uma garota inteligente, de opinião forte e que acredita apenas no que é comprovado cientificamente; filha de imigrantes ilegais vindos da Jamaica, Natasha nem ao menos se lembra de como era a vida antes de Nova York, não que isso importe, pois esse é o dia em que ela e sua família serão deportados de volta a seu país natal.

O segundo é Daniel, um bom garoto e bom aluno; filho de imigrantes coreanos legalizados que exigem que ele faça medicina em uma das melhores faculdades dos Estados Unidos. O menino reprime sua vontade de ser poeta e no dia da sua entrevista para ingressar em Yale, um inesperado encontro - que Daniel acredita fielmente que tenha sido reservado pelo destino - muda tudo.

E assim, Natasha e Daniel se conhecem numa rua movimentada de Nova York e, mesmo sendo completamente opostos, protagonizam um dia de encontros e desencontros, na descoberta do amor e do destino.

Com capítulos curtíssimos, divididos entre os dois protagonistas e por vezes, pessoas que encontram, de modo que aprendamos um pouquinho sobre a pessoa e como aquele encontro impactou sua vida, a narrativa é simplesmente deliciosa de acompanhar. O livro bem-humorado e cheio de emoções é mais do que se espera dos clássicos YA.
Nicola Yoon surpreende e encanta, tanto que com apenas dois livros lançados, já é uma de minhas autoras favoritas. O sol também é uma estrela é leitura obrigatória para todos aqueles que acreditam no poder do amor e na influência do Universo. E ainda mais obrigatório, para aqueles que não acreditam!

site: http://www.instagram.com/culpadoslivros/
comentários(0)comente



Leitora Viciada 04/05/2017

Resenha para o blog Leitora Viciada www.leitoraviciada.com
Nicola Yoon é jamaicana e cresceu nos Estados Unidos. Seu primeiro livro, Tudo e Todas as Coisas (Everything, Everything), permaneceu mais de 40 semanas na lista dos mais vendidos do The New York Times e sua adaptação cinematográfica estreia em junho. A Editora Arqueiro o relança em maio no Brasil com nova capa. O segundo livro de Nicola Yoon está disponível desde março e é uma leitura genial: O Sol Também É uma Estrela (The Sun Is Also a Star), considerado um dos melhores livros de 2016 pela Publisher’s Weekly, pela Amazon e pelos leitores do Goodreads. Foi finalista do National Book Awards 2016.
É uma obra Young Adult sobre o amor, especialmente aquele à primeira vista. Sobre como o destino age e interfere diretamente nas vidas das pessoas. A sensação que a leitura transmite é a de que não existem coincidências; que as coisas não acontecem por acaso; que o universo interliga tudo e todos; e que podem existir explicações científicas sobre isso. Existe um número quase infinito de futuros à nossa espera e tudo depende de um emaranhado de escolhas e ações dos indivíduos relacionados. Estamos todos interligados no universo como uma teia e o resultado é o destino, responsável por momentos únicos. Já pensou como esses momentos são criados? Como uma série de acontecimentos, pessoas e decisões foram responsáveis por um instante especial? É assim que os protagonistas Natasha e Daniel se encontram.

Para ler toda a resenha acesse o Leitora Viciada. -> leitoraviciada.com
Faço isso para me proteger de plágios, pois lá o texto não pode ser copiado devido a proteção no script. Obrigada pela compreensão.

site: http://www.leitoraviciada.com/2017/05/o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Fabi 01/05/2017

LIVRO QUE VOCÊ ABRAÇA QUANDO TERMINA
''Mas apaixonar-se não se compara à formação do Universo. Nem de longe.''

O Sol é uma estrela é um livro que desde que lançou, eu queria muito lê-lo.
Quem não sabe, a autora tem outro livro publicado, chamado Tudo e todas as coisas, um amorzinho aliás. ;)
Por eu ter amado o outro livro da Nicola Yoon, desconfiava que também amaria este. E foi dito e feito pessoal! S2
Este livro tem um quê de especial em relação a outros livros que já li. O Universo, também participa dos capítulos deste livro. Estranho? No começo achei, mas os capítulos em que O Universo narra acontecimentos, se tornam parte fundamental na história.
Natasha é jamaicana e acredita somente na ciência, em fatos reais. Ela está para ser deportada dos Estados Unidos, devido estar no país de forma ilegal. Sonhar se apaixonar por um garoto em um único dia, jamais esteve em seus planos.
Daniel tem o sonho de ser um poeta, escreve poemas, um romântico incurável. Ele é pressionado pelos pais para estudar, ser um médico, mesmo ele não querendo isso. Quando ele vê Natasha pela primeira vez, segue ela, imaginando que ela possa ser algum sinal em sua vida.
A família de cada personagem é conflitante. A da Natasha, o problema é seu pai. Ele não dá muito a mínima para a família, só pensa no seu sucesso profissional. Natasha está tentando de alguma forma conseguir um jeito de ficar no país devido o seu pai ter sido o culpado de descobrirem que eles estão ilegalmente nos EUA.
Enquanto a de Daniel é preconceituosa, seu irmão não vai muito com a cara dele.
O sol também é uma estrela, trata de muitos temas atuais. Imigração, Preconceito, Suicídio....
Daniel propõe a Natasha de fazer ela se apaixonar por ele em apenas um dia. Ela não acredita que ele conseguirá fazer ela amar ele. Aos poucos, os dois vão se conhecendo melhor e Natasha começa a enxergar Daniel por dentro.
O problema é a deportação dela. Daniel não sabe que sua amada está para ir embora neste mesmo dia. Natasha segue com todas as suas forças, tentando de um jeito permanecer no país. Agora mais ainda, quando ela acredita ter conhecido o amor.
Uma leitura super gostosa de ler, com capítulos bem curtos. Casal jovens que possuem carga dramática, sempre me chamam atenção. Ah e no final, você terá uma belíssima surpresa. Terminei este livro, com vontade de abraçar ele. Tão lindinho.... *.* S2
Existem infinitos Universos, em um deles, eu não teria lido O sol também é uma estrela, nem teria feito esta resenha. Mas neste Universo eu li e amei ele, e você está aqui lendo a resenha.
Eu adorei essa coisa do Universo hahaha. Achei super interessante. E garanto que você irá achar.
Recomendo sem sombra de dúvidas o livro. Quero reler ele daqui uns tempos. Nicola Yoon aguardo novos lançamentos seus. Sua escrita me cativa desde a primeira página *.*
Deem uma chance a este livro, garanto que irá se apaixonar por ele. =)
Vários trechos eu adorei em O sol também é uma estrela, segue alguns abaixo ;)

''Para fazer uma coisa simples como uma torta de maçã, você precisa criar o mundo inteiro.''

''É melhor ver a vida como ela é, e não como a gente quer que seja. As coisas não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem.''

''As pessoas passam a vida inteira procurando o amor. Mas como a gente vai confiar numa coisa que pode acabar tão subitamente quanto começa?''

''[...]o amor tem uma meia-vida infinitesimalmente pequena que decai até o nada. E quando acaba é como se nunca tivesse existido.''

''Quando nossos olhos se encontram, sinto uma espécie de déjà vu, mas, em vez de parecer que estou repetindo alguma coisa do passado, parece que experimento algo que vai acontecer no futuro. ''

''Sei que não existe isso de 'feitos um para o outro,' no entanto fico imaginado se talvez não esteja errada.''

''Somos capazes de grandes vidas. De uma grande história. Por que aceitar menos? Por que escolher a coisa prática, a coisa corriqueira? Nós nascemos para sonhar e fazer as coisas com as quais sonhamos.''

''[...]as estrelas são mais do que simplesmente poéticas.
Se for preciso, você pode se orientar por elas.''
Mi 01/05/2017minha estante
E eu acho super lindinha sua resenha ;) *.* :)
Ficou taaaao fofinha. :) :) :)


Fabi 01/05/2017minha estante
entao neh....eu disse que a sua resenha seria mais elaborada kkkkkkkkkkk
foquei mais foi no romance, e claro nas frases =)
Obgd Mi :)


Mi 01/05/2017minha estante
Q isso... kkk
Eu realmente amei a resenha ( Principalmente as frases ;) , já até salvei aqui kkk )


Fabi 01/05/2017minha estante
kkkk livros q tem frases lindas, sempre viram meus favoritos
temos que indicar ele a Stefani lkkkkkkk


Mi 01/05/2017minha estante
Ela vai ter que ler, nós duas estamos falando super bem do livro ( favoritamos e tudo ).


Fabi 01/05/2017minha estante
nao tem como ela n gostar kkkkkkkk


Stefani 07/05/2017minha estante
Ah meninas agora vou ter q ler ne kkkk, vcs 2 elogiando tanto ai não tem como nao entrar pra minha listinha =D
Obrigada pela dica meninas, vou adicionar aqui, só vou demorar pra ler pq to participando de um desafio literario, ai tenho uns livros pra ler, mas assim q eu terminar vou ler esse livro sim. Obrigada por lembrarem de mim =D . bjos.


Mi 07/05/2017minha estante
Ae :) :) :) :) :)


Fabi 08/05/2017minha estante
ebaaaa!
Leia sim Stefani ele é lindinho e fofo S2
sempre estamos lembrando d vc, nos leitores adoramos indicar livros vc sabe kkkkkk


Stefani 08/05/2017minha estante
Kkkk sim indicar livros é maravilhoso!
Obrigada pelo carinho amigas queridas! =D


Fabi 09/05/2017minha estante
=) =)




Thaisa 01/05/2017

Uma leitura que te faz acreditar que quando tem que ser o universo conspira ao seu favor!
Apesar de ter gostado muito de Tudo e Todas as coisas e de ter ouvido muitas opiniões positivas sobre esse livro, não comecei o livro com grandes expectativas. Dramas adolescentes não fazem muito meu estilo, mas, mais uma vez Nicola Yoon me surpreendeu.
Se você acredita que hoje é o pior dia de sua vida, espere até conhecer Natasha Kingsley!
Imigrante ilegal nos Estados Unidos desde os 8 anos de idade, Natasha se vê diante do seu pior pesadelo. Ela tem apenas algumas horas disponíveis para arrumar suas malas e ser deportada, junto com toda a sua família para a Jamaica. Prestes a terminar o ensino médio, Tasha não quer ter que deixar todos os seus sonhos, amigos e uma vida (que foi construída) para trás. Ela já precisou fazer isso quando era criança e a lembrança não é nada agradável. É por isso que ela tenta seu último recurso e vai em busca de ajuda. Talvez essa seja sua última chance de permanecer no país. O que ela não esperava era conhecer alguém no meio do caminho...
Daniel é um coreano-americano que quer ser poeta mas precisa aceitar aquilo que seus pais querem para ele, que é ser um médico bem sucedido. Mesmo contra a sua vontade, ele se dirige para o local de sua entrevista para ser aceito na Universidade de Yale e o rapaz não fazia ideia do que o destino reservou para ele nesse dia tão importante.
O livro é narrado em primeira pessoa e vai intercalando entre os pontos de vista de Daniel e Natasha. Conhecemos dois mundos totalmente diferentes que acabam se cruzando em um determinado momento.
Com uma narrativa leve, singela e as vezes poética, a autora aborda temas bem pesados como o preconceito, as diferenças culturais, suicídio, traição, depressão, bullying, dentre outros, de uma forma sutil, mas que passa  a mensagem que a autora quer, levando o leitor a refletir bastante sobre todos os temas abordados e as consequências de nossos atos sobre a vida de outra pessoa. Essa é uma característica da escrita de Nicola e dá muito certo nos livros dela, não é à toa que ela é  best-seller.
A construção dos personagens foi muito bem feita e é possível sentir o crescimento de cada um deles no decorrer da leitura. E por falar em personagens... além dos nossos protagonistas, também conhecemos histórias paralelas de outros personagens que aparecem na trama. A primeira vista parece que nada daquilo tem importância, mas conforme a leitura avança, percebemos que cada um deles tem um enorme significado na vida de nossos mocinhos.
A escrita da Nicola é encantadora. O livro conseguiu me arrancar muitas lágrimas, não por ele ser triste, mas por ele me fazer refletir e por realmente ser tocante. Está mais do que recomendado para quem gosta de livros Jovem Adulto e para quem está em busca de uma leitura leve e agradável.

Resenha publicada no blog Minha Contracapa:

site: http://minhacontracapa.com.br/2017/05/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela-de-nicola-yoon/
comentários(0)comente



Mi 01/05/2017

"Quando nossos olhos se encontram, sinto uma espécie de déjà vu, mas, em vez de parecer que estou repetindo alguma coisa do passado, parece que experimento algo que vai acontecer no futuro."
"Por que estou pensando em romance com um cara que nunca mais vou ver? Meu futuro vai ser decidido em cinco
minutos."

A vida de Natasha começa a ruir, quando a notícia de deportação chega em sua porta: Em 12 horas, ela - seus pais e seu irmão mais novo - terão que largar toda a sua vida em Nova York, e voltar pra Jamaica.
Imigrantes ilegais, não há muito o que se fazer. Esperança? Fé ? Natasha não é uma pessoa que acredita no invisível, ela é racional ao extremo, pés no chão. Só acredita no que pode ser comprovado cientificamente, nos fatos. Milagres ? Bem...ela não acha que existam, todavia gostaria que um deles, do tipo que a deixasse no EUA acontecesse.

"Hoje é minha última chance de tentar convencer alguém - ou o destino - a me ajudar a descobrir um modo de ficar nos Estados Unidos.
Só para esclarecer: não acredito no destino. Mas estou desesperada."

A última chance dela se manter com a sua família no EUA, é convencendo o Serviço de Imigração e Cidadania.

Daniel, é um garoto que passou boa parte da sua vida vivendo à sombra do irmão mais velho, Charlie.
Charlie, é o cara que extrapolou o limite da perfeição; ele é bom em todas as coisas: Matemática, Química, História ( etc. ), Esportes, além de ter aparência do príncipe dos sonhos de qualquer garota.
Então quando o cara perfeito é suspenso de uma das melhores faculdades (Harvard ), parece que a vida de Daniel vai ganhar novos rumos.
Não é questão de inveja, torcer pelo fracasso do irmão, é que simplesmente Charlie nunca foi um bom irmão, sempre foi um completo idiota - cretino, que adora práticar bullying.

Com o fracasso do irmão, todas as expectativas caíram nos ombros de Daniel. Um amante por poesia, se vê agora obrigado a largar sua grande paixão, para se dedicar 100% aos estudos, e a sua futura - e indesejada - carreira de médico.

"Eu daria tudo para desejar de verdade a vida que meus pais querem para mim. As coisas seriam mais
fáceis se a carreira de medicina me empolgasse. "

O encontro desses dois jovens acontece de forma inesperada.
O primeiro a ter consciência do outro é Daniel. Antes de por os seus olhos em Natasha, ele estava num Trem, onde ouvirá o condutor contar sobre a grande importância de Deus em sua vida.

"Senhoras e Senhores. Este trem está fora de Serviços. Façam um Favor a si mesmos. Saiam daqui. Vocês vão encontrar Deus se procurarem por ele."

Depois dessa mensagem, Daniel continuou seguindo o seu caminho ao barbeiro ( e mantendo seu olhar atento, a qualquer sinal divino), até o momento em que os seus olhos recaem na garota com fones de ouvido.
E ao observa-la , ele acredita que ela seja o sinal, e começa a segui-la.

Natasha toma ciência da presença de Daniel, quando sem ao menos perceber dirige a palavra a ele.
Mesmo o primeiro contato entre os dois terem durado só alguns minutos, foi momento suficiente para um interesse mútuo ter sido desenvolvimento, porém Natasha logo sai da presença do garoto asiático de terno - e - gravata - vermelha, ela sabe que não tem tempo pra nenhuma paixonite, só que bem...Daniel está determinado em conhece-la.

" O amor não é uma religião. Ele existe, quer você acredite ou não."

Uma garota da ciência que não acredita no amor.
O garoto com a alma de poeta, que fará de tudo para provar a existência, e a enormidade do amor.
E uma deportação à vista.
O que será que o destino reserva para esses dois ?

" Será que ele precisa mesmo que eu fale que todos os segundos importam?
Que nosso Universo surgiu no intervalo de uma respiração ? "

Fugindo um pouco da história, falando sobre imigrantes ( Podem pular essa parte, para as considerações finais) :

" Para a maioria dos imigrantes, mudar para um país novo é um ato de fé."

Achei fenomenal a história ter como um dos protagonistas um imigrante.
O livro veio em um momento perfeito , no qual o assunto está muito presente.
A Natasha como imigrante ilegal, terá que voltar ao país de origem, no entanto para minha pessoa, não acho isso. ..digamos totalmente certo.
Claro, é uma questão de pontos de vista e cada um tem o seu e pensa como bem entende, mas enfim estou deixando claro a minha posição.
Eu sei que quando se é imigrante ilegal, é algo mais complicado ( por causa da falta de documentação ), porém o que custa fazer uma verificação da pessoa ( dá uma de FBI sabe? kk e pesquisar sobre a vida deles no país em questão)
e se caso a pessoa não estiver fazendo nada grave, não deixa-la simplesmente seguir com a sua vida, pois ela não está fazendo nada de mal
Aos que são meio temerosos,
entendo completamente que muitos imigrantes ilegais, foram causadores de atos nada agradáveis, todavia acredito que não se deva generalizar uma classe. Exemplo: O Estado Islâmico é o causador de diversas mortes e ações terrorista, porem não quer dizer que nenhum: Sírio, Iraniano ( imigrantes do oriente médio ) , mereça uma chance de recomeçar.
Talvez eu possa estar inquivocada em muita das minhas observações, mas o que eu posso fazer, se eu acredito muito em que Jonh Locke diz: Que todo ser humano deve ter o direito a vida, a liberdade e a propriedade (moradia ).
Não há muitas alternativas para eles, se caso o país natal deles não lhe oferecem o que deveria ser de direito, não há outra saída , à não ser irem em busca de um lugar que lhe ofereça isso.

Há também a outra questão, o desemprego que pode vir com essa grande demanda de imigrantes.
Não vou mentir, falando que não vai - ou não poderá - ocorrer. É uma situação complicada, mas o que se pode fazer ? irão deixar várias pessoas, famílias largadas a própria sorte? Eles não iriam largar sua terra natal, se arriscarem num país desconhecido ( até enfrentar uma nova língua), por vontade própria.
Para as pessoas, e governantes que torcem o nariz pros imigrantes, só falo: Se põem no lugar deles, vê se vocês não fariam de tudo, para criar os seus em um lugar filhos
(Sorry pelo testão kkkkk )


Considerações Finais:

Uma das coisas que eu mais gosto nos livros da Nicola Yoon, é que ela procura sempre inovar, colocar personagens que foge do grande padrão ( loiros, esbeltos, dos olhos claros ).Não to falando de racismo e tal, só acho muito válido, quando um autor(a), faz inclusão de personagens com descendência e nacionalidades diferentes da maioria dos livros.

" O que me importa é você, e tenho certeza de que o amor basta para superar toda essa baboseira. E é baboseira. Toda essa preocupação. A fala sobre choque de culturas, preservar a cultura e o que vai acontecer com os filhos. Tudo cem por cento pura baboseira e não ligo a mínima."

É mais uma questão de representatividade, sabe? Eu não me sinto inferior, por ser morena-negra , porém é importante ler algo com algum protagonista negro forte.
Há uma certa escassez de autores que fogem do tradicional, principalmente na literatura infantil, a qual acredito que deveria ter ainda mais, pois nessa fase, há sempre aquelas crianças que já sofreram bullying por causa da cor da pele. Pra essa criança vê um personagem parecido com ela, sendo bem sucedido, feliz na vida, é uma algo revigorante, animador para ela.
Por isso que gosto muito dos livros dessa autora, da Jennifer Niven e Amy Harmon, pois elas sempre procuram incluir negros, deficientes, índios, gordinhos nos seus livros.
Enfim, escrevem livros sobre pessoas que raríssimas vezes são protagonistas.

"Ele acha que meu cabelo cheira a chuva de primavera. Estou tentando mesmo permanecer impassível e não me deixar afetar. Lembro que não gosto de linguagem poética. Não gosto de poesia. Não gosto de pessoas que gostam de poesia. Mas também não estou morta por dentro."

E por fim, eu não poderia terminar a resenha sem citar a Irene (Uma guarda que a Natasha teve contato )
Ela é uma mulher bem solitária, que vê no trabalho não só uma fonte de renda, porém um " Porto seguro " , esperança. O momento em que está prestando serviço, é a melhor parte
do seu dia, pois ela está tendo contato com outro ser humano, o momento que ela não estar imersa no seu mar de solidão.
Poucos dão importância para ela, uns sequer lhe dão um "Bom dia" , mal sabe eles que só um olhar , um olhar, faz uma grande diferença no dia dela.

E o que isso nos ensina? ( dando uma de professora kkk )
Que cara.. não custa nada ser gentil, né? As vezes o seu próximo pode tá na pior, mas só um "Oi" ; " Obrigado ", pode ser um momento de calmaria, na tempestade que se encontra a sua vida
Que apenas um sorriso seu, pode ter o mesmo efeito do que um abraço.

Ahh..Tem tanta coisa que eu gostaria de citar sobre esse livro ( sério kkkk ), mas a resenha ja está beeeem grandinha kkk
Enfim, super indico esse livro para vocês.

"Corações não se partem
Só param de funcionar
Como um velho relógio de outro tempo, sem peças para o concerto "

Bjss e até a próxima ;) ;) ;)

"De tudo que o dia de hoje poderia ter se tornado, eu não poderia prever isto. Mas agora tenho certeza de que cada acontecimento teve como proposito me trazer para ela, para nós, para este momento - e para este momento nos levar para o resto da nossa vida."
Richy 01/05/2017minha estante
Nossa eu sou louco pra ler esse livro S2


Mi 01/05/2017minha estante
Em um dia você lê ele, a história vai alterando de pontos de vista.
Tem páginas, que tem uns 3 parágrafos por exemplo.
Uma leitura super rápida e gostosa de se ler


Richy 01/05/2017minha estante
Que bom! *.*


Fabi 01/05/2017minha estante
E não disse que ia ficar elaborada? haha
Vc soube expressar muitíssimo bem, sobre as questões de imigração e até da situação da Irene...
Um livro que aborda assim tantos assuntos atuais e importantes, deve mt ser lido
Sua resenha ficou elaborada como eu já disse, passou a mensagem do que o livro traz e mais importante ainda, vc deu sua opinião em relação ao que grande parte do livro gira: Imigração.
Parabéns!


Mi 01/05/2017minha estante
Ownt Obrigada :) :) :)
O que um livro bom não faz ?
Como vc disse. .esse livro aborda tanta coisa, tantos assunto,em poucas páginas. Achei um livro tao inteligente.
E a Irene, foi uma personagem que nem teve muito destaque, mas as poucas vezes que apareceu, me despertou um interesse sobre a sua pessoa

#PorMaisLivrosDaNicola


Fabi 01/05/2017minha estante
=) Apóio essa causa tb #PorMaisLivrosDaNicola
Estou órfã agora sem novos livros dela hahaha


Mi 01/05/2017minha estante
Somos 2 :( :( :(


Fabi 01/05/2017minha estante
:( :'(


Stefani 07/05/2017minha estante
Resenha ótima Mi, apontou ate a questão humana da Imigração, concordo com teu ponto de vista, gostei, parabens amiga =D


Mi 07/05/2017minha estante
Ownt.
Obrigada ; ) :) :) :)




Juliana.Kuster 29/04/2017

Para acabar com o preconceito literário com livros jovens adultos
Preciso admitir que tenho sim problema com livros do gênero jovem adulto, acho tudo bem clichê. Entretanto venho buscando ler livros desse gênero justamente pra saber "qual é que é". Nesse sentido adorei O sol também é uma estrela, claro que ele segue algumas características de livros desse gênero, que não me apetecem muito -particularmente falando- como instalove e soluções simples, porém a trama acabou me envolvendo e trouxe algumas reflexões existenciais bem básicas, porém funcionais no livro. No fim achei um amorzinho, gostei muito e o livro acabou me motivando a procurar mais livros desse gênero.
comentários(0)comente



56 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4