O Sol Também é Uma Estrela

O Sol Também é Uma Estrela Nicola Yoon




Resenhas - O Sol Também é Uma Estrela


37 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Blog De Bem Com a Leitura 25/04/2017

Natasha está nos Estados Unidos desde os seus oito anos de idade. A família mora no país ilegalmente e há alguns meses o seu pai se envolveu em um acidente de trânsito enquanto estava bêbado e isso gerou problemas para a família. Agora ela tem menos de um dia para tentar encontrar uma solução, Natasha não quer abandonar a sua vida, não consegue aceitar o fato de ter que ir para um país desconhecido e sem amigos.

"-Não diga que vou ficar bem. Eu não conheço aquele lugar. Estou aqui desde os 8 anos. Não conheço ninguém na Jamaica. Não tenho sotaque. Não conheço a minha família de lá, pelo menos não como a gente deveria conhecer a família. Estou no último ano do colégio. E o baile de formatura, a cerimônia e meus amigos?"

Durante toda a semana ela foi Serviço de Imigração e Cidadania dos Estados Unidos (USCIS), Natasha está desesperada e tenta fazer tudo o que está ao seu alcance para impedir a deportação. Na sua última chance ela recebe a mesma resposta, a deportação está mantida. Mas alguém lhe dá o telefone de um advogado conhecido como "solucionador" e um fio de esperança surge para ela.

"Ninguém quer acreditar que a vida é aleatória. Meu pai diz que não sabe de onde vem o meu ceticismo; mas não sou cética. Sou realista. É melhor ver a vida como ela é, e não como a gente quer que seja. As coisas não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem."

Daniel é descendente de coreanos, ele e o seu irmão são americanos mas a família é muito tradicional e rígida. O que os seus pais querem é que ele entre para Yale e seja médico. Só que Daniel gosta mesmo é de escrever poemas, ele é um sonhador, um romântico e não consegue dizer aos pais que ser médico não é o seu sonho e sim o deles, ele simplesmente aceita.

Daniel tem uma entrevista marcada com um ex-aluno que pode recomendá-lo, se for bem na entrevista ele poderá ser aceito em Yale. Ele sai um pouco mais cedo de casa e uma série de fatores contribuem para que ele e Natasha se esbarrem pelo caminho. Um trem, a mochila dela, uma loja de música, um motorista... Uma segurança, uma palavra, um telefonema, um acidente... Tudo está relacionado ao tempo. milésimos de segundos fazem a diferença.

Quando os dois caminhos se cruzam, Daniel sabe que algo está para acontecer. Ele sente que a Natasha é diferente, sente que eles dois se encontrarem não é mero acaso. Daniel sabe que está diante da mulher de sua vida, sabe também que soa muito clichê dizer que se apaixonou por ela à primeira vista mas não se importa com mais nada. Ele quer apenas que ela acredite e lhe dê uma chance. Só que Natasha não acredita no amor e em nada que a ciência não possa provar.

Mas o maior problema não é a sua descrença, é a sua deportação. Ela fala que ele não pode se apaixonar por ela, fala que não acredita no amor, fala que sua vida é complicada e nada disso o impede de tentar. Eles acabam passando o dia juntos e quanto mais o tempo passa mais Natasha percebe que poderia se apaixonar por ele.

"Sei que não existe isso de 'feitos um para o outro', no entanto fico imaginando se talvez não esteja errada."

Leia mais no link > http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/2017/04/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html

site: www.vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br
comentários(0)comente



klau 23/04/2017

"A coisa sobre a queda é você não tem nenhum controle quando cai."

Nem sempre temos controle sobre nossa vida, e mesmo que não acreditemos no destino. Ele tem maneiras bem diferentes de mostrar quem é que manda. Natasha pode até pensar que ela tem tudo definido em sua vida, até receber a noticia que seria deportada para a Jamaica. Sua vida toma perspectivas diferentes, quanto tempo até que cada uma das pessoas que ela conhecia demorariam para esquece - la ? A vida é tão curta , que muitas vezes , na correria, esquecemos de observar o que realmente importa, por que ...

"As pessoas cometem erros o tempo todo. Pequenas, como chegar na linha de check-out errado. Ou com a senhora com cem cupons e um talão de cheques.

Às vezes você faz médias. Você vai para a faculdade de medicina em vez de perseguir a sua paixão.

Às vezes você faz grandes.

Você desiste."

Ai vem a questão , se você desistir, nem sempre terá outra chance. Esse é um daquel

site: https://klaumusicwithbooks.wordpress.com/
comentários(0)comente



Consumindo Saga 21/04/2017

Ainda não foi dessa vez que me apaixonei por essa autora...


Assim como minha última resenha, essa será feito unicamente porque sou obrigado a enviar uma review para editora rsrs. Eu não gostei tanto desse livro ao ponto de fazer uma resenha dele, mas vamos lá.

Eu tive grandes problemas com minha primeira leitura da autora “Tudo e Todas as Coisas”, então eu já vim com muito receio em seu segundo romance “O sol também é uma Estrela”. Os livros da Nicola são exatamente dos meus gêneros favoritos, eu poderia ler Jovem/Adulto por toda minha vida numa boa. Eu acho esse gênero muito divertido e dramático ao mesmo tempo, que seria basicamente o resumo da minha personalidade rsrs. Eu só tinha grandes expectativas para essa leitura, porque todos os booktubers que eu sigo idolatraram esse segundo livro da Nicola e eu imaginei que havia chegado o grande momento de eu me apaixonar por um livro dela. Mas não foi o que aconteceu novamente...

Eu acho que a Nicola tem boas histórias para contar, mas não sabe muito bem como fazer isso. Quando eu leio um livro dela, eu me esforço para não ficar comparando com outros livros do mesmo gênero que eu já li na vida. Mas é inevitável perceber o quanto ela tem parágrafos cansativos comparando com outros romances jovens. Principalmente nesse livro, ela faz capítulos com coisas que não acrescentaram nada na história dos protagonistas. Em um certo momento a protagonista vai conversar com uma recepcionista, de repente no próximo capítulo a narração é feita pela recepcionista falando da própria vida. Não desmerecendo a personagem, mas o que me importa, ou o que irá acrescentar na trama principal um capítulo sobre a vida da recepcionista. E isso acontece por diversas vezes com pessoas que ninguém se importa, eu como leitor não tenho o mínimo interesse em saber o que está acontecendo com personagens que só são citados durante a história. Se eles fossem importantes, ou tivesse alguma relevância, mas não, vários capítulos estão lá só por estar. Eu achei completamente desnecessário.

Outra coisa que me irrita muito na autora, é a forma que ela enrola para fluir a história. Os livros dela tem poucos diálogos e muitas estrofes preenchidas apenas pelos pensamentos dos personagens. Isso só faz a narração ser cansativa e tediosa. Eu por vários vezes só passei os olhos pelos parágrafos. Tinha parágrafos falando de ciência e religião, chatos chatos chatos. E imagino que essa autora seja atéia porque é a segunda personagem que eu leio dela que não acredita em Deus e durante o livro em algum momento ela vai falar de religião e pôr seu ponto de vista sobre a criação do universo. A protagonista acreditar em Deus ou não, não muda de modo algum a trama do livro, então não sei porque a autora insiste nisso. Mas enfim..
Meus pontos positivos sobre O sol também é uma Estrela são vários também. A escrita da autora é bem rápida de ler (apesar dos problemas com a narrativa que eu já falei), dá para ler esse livro em um dia com certeza (em um feriado se você tiver tempo). Eu gostei muito do romance também, o livro todo se passa em um dia e no final do dia os protagonistas já estavam dizendo “Eu te Amo” um para o outro, mas o romance foi tão bem construído e fofo que eu acreditei naquele amor de um dia.

Eu posso não ter curtido muita coisa nesse livro, mas a última página é sensacional, a autora fez algo tão mágico e maravilhoso que meu coração já estava em pedaços com aquele final, mas o epílogo foi destruidor, amei muito. É claro que muitos leitores podem não gostar desse lance “amor a primeira vista” então entendo completamente quem não se interessar em ler o livro.

Apesar de toda minha opinião sobre a escrita e a forma como a autora conduz a história, os protagonistas são muito fofos e dá muita vontade de conhecê-los na vida real. Eu com certeza me apeguei mil vezes mais a eles do que ao casal de Tudo e todas as Coisas. Essa seria uma adaptação que eu amaria assistir nos cinemas.

Mas aqui está um enigma pessoal, apesar de eu não ter curtido muito os dois livros da autora (até agora lançados), eu pretendo continuar lendo seus futuros lançamentos até encontrar o livro dela que irá roubar meu coração.

No blog tem as fotos do kit que a arqueiro enviou #maravilhosoooo

site: http://lumenseries.blogspot.com.br/2017/04/resenha-o-sol-tambem-e-um-estrela.html
comentários(0)comente



Suzane 21/04/2017

O amor sempre muda tudo!
Esse é um daqueles livros que você já começa com uma super expectativa, afinal a divulgação dele foi incrível e Nicola já escreveu outro livro muito amado pelo público, Tudo e Todas as Coisas, do qual eu também estou precisando muito ler também!

O Sol Também é uma Estrela conta a história de Natasha, que aos 8 anos de idade se mudou da Jamaica para os Estados Unidos com sua família, onde o seu pai buscaria seu sonho de ser ator de sucesso. A família de Natasha se tornou imigrante ilegal e tudo estava indo muito bem até que seu pai embrigado resolve contar toda sua história a um policial. Agora, com 17 anos, Natasha e sua família estão prestes a serem deportados, deixando seu lar e tudo que amam para trás.


Natasha não se conforma com a situação e vai atrás de ajuda de advogados de imigração para tentar cancelar a ordem. Os Estados Unidos é seu lar, tudo que ela conhece e ama, todos os seus planos estão ali e ela não desistiria com tanta facilidade. E é nesse momento que ela conhece Daniel...
"Adoro essa parte de conhecer outra pessoa. A forma como cada informação nova, cada expressão nova, parece mágica."

Daniel é um jovem filho de imigrantes coreanos, porém ele e seu irmão nasceram americanos. Daniel é sonhador, ama poesia e acredita fielmente no amor e no destino, porém seu pai já desenhou todo seu futuro, ele vai para a universidade de Yale e se tornará um médico de sucesso, e quanto a isso não tem discussão. Já o irmão de Daniel, Charlie, é a decepção da família, daqueles que faz de tudo para contrariar a família e suas tradições.

Com seu futuro já traçado pelo seu pai, Daniel está indo para uma entrevista de admissão na faculdade, extremamente frustrado, afinal não é aquilo que quer, imagine trabalhar a vida inteira com algo que não é sua paixão? Mas que outra alternativa ele tem? Então lá está ele indo de encontro ao futuro que não escolheu. E é nesse momento que ele conhece Natasha...

Natasha e Daniel são o extremo oposto: Natasha acredita na ciência, em fatos, tudo tem explicação e tudo é prático! Já Daniel é romântico, sonhador e apaixonante, e tem certeza que eles estão destinados um ao outro. E é nessa vibe que eles acabam passando o dia inteiro juntos, um dia que jamais esquecerão.

Conhecemos os dois mais a fundo, suas crenças, suas dores, suas família, e confesso que mesmo eles sendo extremamente diferentes, eu concordei com ambos em vários pontos, é um livro que você não se identifica só com Natasha ou só com Daniel, você se identifica com tudo, com os acontecimentos, e percebe que todos tem razão, que todos podem estar certos em algum ponto, e isso é incrível!

"Quando nossos olhos se encontram, sinto uma espécie de déjà vu, mas, em vez de parecer que estou repetindo alguma coisa do passado, parece que experimento algo que vai acontecer no futuro."
Mas Natasha está muito cética quanto a serem destinados um ao outro, primeiro que ela provavelmente será deportada essa noite, e segundo que ela é Jamaicana e ele Coreano, como podem ficar juntos? As pessoas irão falar, seus pais irão proibir, tudo está contra eles, mas Daniel simplesmente não se importa, o que importa é a felicidade deles, e não a opinião dos outros.

O livro é incrível, é dividido em capítulos onde Natasha e Daniel narram, e quando eles interagem com outras pessoas aparecem capítulos delas explicando suas histórias e seus motivos, e isso é incrível pois antes de julgarmos nós entendemos o porque eles agiram assim e nos compadecemos. Tudo no livro é uma grande reflexão, ele aborda assuntos importantíssimos e atuais. Perfeito!

O final foi previsível e ao mesmo tempo surpreendente. Como pode você querer ler mais e ainda assim achar o desfecho perfeito? Eu estou numa mistura de emoções inexplicável. Eu passei a pensar nos personagens como se fossem meus conhecidos, e imaginando o que será que estão fazendo agora, se estão bem e felizes. Nicola criou personagens reais, fortes e intensos, o romance é muito doce e tranquilo, mas quem disse que pra ser inesquecível precisa ser feroz? Eu não estou sabendo lidar com a falta que Natasha e Daniel estão me fazendo. Aliás, o amor sempre muda tudo!


site: http://www.memoriasdeumaleitora.com.br/2017/04/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Portal JuLund 20/04/2017

O Sol Também é uma Estrela, @editoraarqueiro
Eu achei muito bonitinha a sinopse desse livro. Ela parece aquela típica história clichê, onde um dos protagonistas não acredita no amor e o outro faz de tudo para que essa pessoa mude de ideia e se apaixone. No final, é claro que os dois ficam juntos, como no último capítulo da novela.

Mas O Sol Também é uma Estrela não é assim. É claro que temos Natasha, uma garota cética para o amor, e Daniel, um poeta incorrigível. Só que ambos são jovens de 17 anos que possuem uma vida nada fácil, e que está prestes a mudar, acredita-se que para o pior. Quando o destino (ou o acaso) os une, um tenta fazer com que o outro acredite no que ele crê. Só resta saber quem vencerá.
Natasha é jamaicana, mas passou a maior parte de sua vida nos Estados Unidos. Este é o seu país, para ela, então a garota recebe com grande choque a notícia de que a família inteira será deportada e ela terá de voltar para a Jamaica, local que ela nem se recorda mais. Suas lembranças são todas americanas. Ela não aceita a ideia e tenta de todas as formas mudar a situação da família, até no último momento procurando advogados e outros profissionais para que as esperanças não morram.

Resenha completa no

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/resenha-de-o-sol-tambem-e-uma-estrela-editoraarqueiro
comentários(0)comente



Carla Brandão 20/04/2017

Nova York. Dois adolescentes estão dando início a um dia que pode definir os rumos de suas vidas. Natasha é jamaicana e faz parte de uma família de imigrantes. Morando nos Estados Unidos desde os 8 anos de idade, está prestes a ser deportada ao seu país de origem desde que a situação ilegal da família foi descoberta. Mas ela não está pronta para desistir e tem um encontro marcado com um advogado conhecido por conseguir reverter situações como a sua.

Daniel é americano, filho de pais coreanos que conseguiram construir uma vida bem sucedida nos Estados Unidos. Por já terem passado por muitas dificuldades, acreditam que a medicina trará melhores oportunidades e um caminho sem preocupações para os filhos. Daniel não quer ser médico, mas tem um encontro marcado com um entrevistador de Yale.

O caminho dos dois desconhecidos acaba se cruzando depois de uma série de fatos que a cética e racional Natasha descreveria como coincidências e o sonhador Daniel como destino. Dado o encontro, tem início um dia que marcará suas jovens vidas para sempre.

O sol também é uma estrela narra as 12 horas que nossos protagonistas compartilharam. Diferente da maioria dos livros, ele não é dividido em capítulos. A narrativa é em primeira pessoa e alterna as visões de Natasha e de Daniel, permitindo que o leitor saiba não só tudo o que cada um pensa sobre as situações de forma mais completa, como também consiga entender a personalidade de ambos sem precisar de descrições.

Nicola Yoon conseguiu escrever uma história que se passa em apenas um dia sem que o desenvolvimento se tornasse muito corrido ou, o que é pior, arrastado. A trama é cheia de acontecimentos, mas todos eles são trabalhados no ritmo certo. Grande parte do texto consiste em diálogos, coerentes com a idade dos personagens, mas inteligentes e bem escritos.

Agora você deve estar se perguntando: "tem romance?", e eu te respondo que tem, sim. Desde a primeira vez que Daniel coloca os olhos em Natasha, a beleza da menina chama a sua atenção. Algumas conversas depois, ela aconselha o menino de gravata que escreve poesias em um caderninho a não se apaixonar por ela. Daniel acredita que certas pessoas estão destinadas a ficarem juntas, no final feliz, no amor romântico. Natasha acha que a paixão não passa de reações químicas do organismo, que o amor não é confiável, já que começa e termina, e que não existe isso de felizes para sempre. Além do mais, ao que tudo indica, no fim do dia ela e sua família voarão para longe.

A forma como a autora construiu a relação dos dois tornou tudo muito fácil de acreditar. Ambos são jovens e estão passando por situações importantes, definidoras de boa parte de seu futuro. Em um dia tão importante, acabaram encontrando um no outro um suporte que nem sabiam que precisavam. As muitas conversas ao longo do dia foram pouco a pouco se tornando mais profundas e reveladoras, fazendo com que a intimidade e a ligação entre eles crescesse gradualmente. Nada parece forçado, e quando me dei conta já estava torcendo para que tudo desse certo.

A escrita de Nicola deixa claro que ela tem muito de seu personagem Daniel. Várias vezes ao longo da trama nos deparamos com alguma ação ou alguma situação aparentemente sem importância e lá na frente vemos que aquilo teve uma consequência. Um gesto, uma fala... Tudo importa! Quantas vezes mudamos ou temos nossa vida mudada por algo que fizemos ou fizeram por nós de forma totalmente despretensiosa.

O final do livro foi uma mistura da personalidade do casal de protagonistas: coerente e realista como Natasha, mas, como acredita Daniel, mostrando que o que tem que acontecer, acontece. Não importa quanto tempo passe.


site: https://blog-entre-aspas.blogspot.com.br/2017/04/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



chrisakie 18/04/2017

O amor está em todo lugar!
"Para a maioria dos imigrantes, mudar para um país novo é um ato de fé."

12 horas para Natasha ser deportada. Ela é uma imigrante ilegal. Foi para Estados Unidos aos 8 anos com sua família para que o pai pudesse realizar o sonho americano. Não acredita em amor, em Deus, mas apenas em Ciência. Mas ela precisa de um milagre para poder permanecer no país onde ela cresceu.

Daniel é descendente de coreanos, mas nasceu nos Estados Unidos. Com pais extremamente tradicionais e um irmão que tem aversão às origens, ele tenta atender aos anseios deles mas o coração dele sonha com uma outra vida. E hoje será um dia importante. Terá uma entrevista com um ex-aluno da faculdade Yale.

Só que devido a uma sucessão de acontecimentos, os dois acabam se encontrando. E esse encontro poderá mudar totalmente a visão deles sobre tudo...

"O amor não é uma religião. Ele existe, quer você acredite ou não."

Os dois são diferentes, mas ambos se sentem como se não pertencessem a lugar nenhum. O Daniel, sonhador e romântico, chega de mansinho e abala todas as estruturas rígidas e científicas de Natasha. Os capítulos alternam-se entre narrativa dos dois e são intercalados pelas histórias das pessoas que tem contato com o casal.

É um livro que consegue tratar sobre vários assuntos em um único volume: amor, religião, família, carreira. Tudo acontece em um dia, como se vivessem um amor de uma vida inteira em um único dia. Mas talvez o amor seja isso mesmo. Não importa o tempo, mas sim a intensidade com que se vive o sentimento e como isso interfere em nossas vidas...

"... O amor muda todas as coisas o tempo todo."

site: https://www.instagram.com/p/BSj_6nIFKLA/
comentários(0)comente



Sil 18/04/2017

RECOMENDO SIM!
Olá amigos,
Recentemente li um dos livros mais fofos ever, que foi capaz de destruir e remontar meu coração despedaçado.

Estou falando de o sol também é uma estrela. Nele nós temos Natasha, uma garota prática, direta, que acredita na ciência, e que não é nada sentimental. Temos Daniel, romântico, sonhador, que acredita em destino e coincidências. E nós temos o universo, acompanhando tudo e seguindo seu curso conforme as decisões de cada indivíduo que nele vive. Nossa história é narrada pelo ponto de vista desses três personagens.

Natasha está vivendo seu ultimo dia nos EUA, pois na manhã seguinte ela e sua família serão deportados para a Jamaica, seu país de origem. Daniel tem um encontro importante hoje, fará uma entrevista para ser aceito em Yale, no curso de medicina.

Por várias coincidências que nós vamos ficando á par conforme a narrativa, Daniel repara e se aproxima de Natasha. Natasha, sabendo do seu futuro certo, não quer papo por não ter tempo á perder. Mas existem coisas que precisam acontecer do contrário o mundo sai do eixo. E acaba acontecendo: eles se apaixonam. E com isso, precisam lidar com o que está prestes á acontecer: a separação.

A história é focada no instalove de Daniel e Natasha. Eu particularmente não gosto de livros assim, mas como eu já sabia que isso acontecia no livro, me preparei psicologicamente e com isso a coisa toda fluiu perfeitamente. Então se você também não gosta de paixão relâmpago, mas ficou interessado no livro, tenha em mente que existe o instalove, mas que ele definitivamente não é clichê. A autora abordou o tema de uma forma diferente e bem humorada. O livro acontece em um dia, e com isso ficamos sabendo de todas as coisas que precisaram acontecer, para que Daniel e Natasha se apaixonassem.

Escrito pela jamaicana Nicola Yoon, o sol tamém é um estrela, é bem direto e rápido, existem parágrafos curtíssimos, a autora não é de ficar enchendo linguiça. E o resultado foi que eu simplesmente amei esse livro.
Uma das coisas que eu nunca havia pensado á respeito, é que para fazer uma torta de maçã, todo o universo precisou ser criado.

Os personagens são fofos, carismáticos e muito bem desenvolvidos. A autora abordou temas como preconceito racial, preconceito estético, egoísmo, indecisão e suicídio.
A capa do livro é emborrachada e a arte é de deixar o queixo no chão. Ganhou um lugar especial na minha estante.
Fui completa e definitivamente conquistada.

Abraços

PS: a autora acredita em amor á primeira vista.

site: www.revelandosentimentos.com.br
May 18/04/2017minha estante
Quero mt lê lo


Sil 18/04/2017minha estante
Espero que você goste tanto quanto eu gostei :D


May 18/04/2017minha estante
se for tão bom como "Tudo e todas as coisas" vou amar.


Sil 18/04/2017minha estante
Esse eu não li, mas ouvi falar que "o sol também é um estrela" é melhor. Se for verdade, me conta. Beijos




Cris.Antonia 18/04/2017

Bateu aquela bad...
Gente que livro! Nicola não me decepcionou nem um pouco!
Frases do livro que gostei :
"É melhor ver a vida como ela é, e não como a gente quer que seja. As coisas não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem."
"koi no yokan. Não significa exatamente amor à primeira vista. É mais parecido com amor à segunda vista. É a sensação que a gente tem quando conhece uma pessoa por quem vai se apaixonar. Talvez você não a ame imediatamente, mas é inevitável que acabe amando."
"Somos palha seca e tempestade de raios. Fósforo aceso e papel. Placas de Perigo de Incêndio e uma floresta esperando para pegar fogo."
"O problema de se apaixonar, de cair de quatro, é que a gente não tem o controle da queda."
"Não acha engraçado que nossas lembranças prediletas tenham a ver com as pessoas de quem nós menos gostamos agora? ? pergunto.
? Talvez seja por isso que a gente não gosta mais delas. A distância entre quem elas eram e quem são agora cresceu tanto que não temos esperança de recuperar essas pessoas."
"O que me importa é você, e tenho certeza de que o amor basta para superar toda essa baboseira. E é baboseira. Toda essa preocupação. A fala sobre choque de culturas, preservar a cultura e o que vai acontecer com os filhos. Tudo cem por cento pura baboseira e não ligo a mínima."
comentários(0)comente



Yuki 17/04/2017

FATO OBSERVÁVEL: o sol também é uma estrela.
O encontro de Daniel e Natasha pode ter sido algo predestinado ou uma coincidência, o Universo pode ter dado uma forcinha ou foi apenas uma reação de suas escolhas, seja o que for não importa, porque esse encontro aconteceu e, agora, ambos têm apenas um dia para aproveitá-lo.

“Donald não sabe direito o que o Universo estava tentando dizer ao lhe tirar a filha única, mas o que aprendeu foi o seguinte: ninguém pode colocar preço em todas as perdas. E outra coisa: todas as nossas histórias futuras podem ser destruídas num único instante.”

Natasha é uma imigrante ilegal da Jamaica nos Estados Unidos e ao invés de estar em casa, arrumando as malas para ser deportada, ela está lutando para ficar, tentando arrumar um jeito de não ser mandada embora, porque aquele país é seu país, é seu lar.

Daniel é um americano-coreano de primeira geração, ou seja, é filho de pais coreanos nascido nos Estados Unidos, ou seja, seu dever é ser médico. Mas ele não quer medicina. Ele é um artista, um poeta.

Não existe muito o que se dizer além disso, porque o livro é sobre duas pessoas que se encontram, que são perfeitas uma para a outra, mas que não tem tempo para serem perfeitas uma para outra, todos os segundos estão contados, todos os segundos contam.

“Será que ele precisa mesmo que eu fale que todos os segundos importam?
Que nosso Universo surgiu no intervalo de uma respiração?”

No meio do caminho, várias histórias são contadas sobre vários personagens, histórias que aconteceram e ainda vão acontecer, histórias que se entrelaçam e se modificam, histórias que importam independente de quem seja, sobre o que seja.

Tudo gera uma reação, tudo foi causado por alguma outra coisa que aconteceu antes. Não existe uma coisa intocada, é como o primeiro capítulo do livro diz: "se você quiser fazer uma torta de maçã desde o início, precisa primeiro inventar o Universo".

"As pessoas cometem erros o tempo todo. Erros pequenos, como pegar a fila errada para a caixa do supermercado. A fila onde está a mulher com cem cupons de desconto e um talão de cheques.
Às vezes a gente comete erros de tamanho médio. Vai para a faculdade de medicina em vez de ir atrás da nossa paixão.
Às vezes comete erros grandes.
Desiste."

Essa não é a história que eu imaginei quando comecei a ler, o protagonismo não está nem nos personagens que acreditei. Daniel e Natasha são personagens de outra história, uma história mais importante – ao menos para mim isso foi assim: a Vida.

Aprenda com os erros, aprenda com as coisas ruins que acontecem e, de alguma forma, existem pessoas que tentam fazer a mesma coisa para os outros, fazê-los sentir a mesma dor que sentiu, mas também existe pessoas que tentam evitar que algo desse tipo aconteça.

O sol também é uma estrela é aquele livro que até ler o último capítulo, está na última folha, na última frase, palavra, letra... você ainda fica esperando pela felicidade, pelo “e viveram felizes para sempre”.

"Durante o dia inteiro acreditei que estávamos destinados um ao outro. Que todos os lugares e pessoas, e todas as coincidências, estavam nos empurrando para ficarmos juntos para sempre. Mas talvez isso não seja verdade. E se essa coisa entre nós estivesse destinada a durar somente um dia? E se formos as pessoas intermediárias um do outro, uma parada na estrada que ruma a outro lugar? E se formos apenas um desvio na história de outra pessoa?"

FATO OBSERVÁVEL: o sol também é uma estrela. O sol também é uma estrela e existem várias no céu. O sol também é uma estrela, mas você pensa que ele é a mais importante e se esquece que existe várias outras iguais a ele. O sol também é uma estrela, mas ele é a mais importante porque é a nossa estrela. Você também é uma estrela. Você sempre pensa que sua história é a mais importante de todas, mas é apenas uma no meio de tantas; você pensa que é mais uma em meio a tantas, mas você é você e isso é importante.

site: http://sougeeksim.blogspot.com/2017/04/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Nainha 17/04/2017

Li o primeiro livro da autora Nicola Yoon e me apaixonei pela escrita dela. Em O sol também é uma estrela temos a história de Natasha, uma garota que vai ser deportada para a Jamaica junto com sua família. Ela acredita em fatos concretos e na ciência, e não quer ir embora dos Estados Unidos.
“Hoje é minha última chance de tentar convencer alguém – ou o destino – a me ajudar a descobrir um modo de ficar nos Estados Unidos.” Pág. 12
Porém, Natasha vai conhecer Daniel, um garoto filho de coreanos. Daniel é voltado para as Artes, quer ser um poeta. Ele sempre cumpriu as expectativas de seus pais sendo um bom aluno, mas ele quer algo mais, algo que nunca se permitiu ser.
A química entre os dois vai ser grande, mesmo Natasha achando que não é possível sentir algo tão forte por alguém que acabou de conhecer. Ela vai perceber que algumas coisas na vida não podem ser explicadas cientificamente.
“Sei que não existe isso de ‘feitos um para o outro', no entanto fico imaginando se talvez não esteja errada.” Pág. 86
O livro é dividido entre a perspectiva de Natasha e Daniel, e também em partes que falam de personagens que aparecem no decorrer da história. Como a história é contada por diferentes lados podemos perceber que o acaso pode mudar e ou influenciar a vida de uma pessoa.
O livro nos dá a perspectiva de que coisas inevitáveis acontecem em nossas vidas e que um pequeno ato pode mudar a vida de uma pessoa. A história toda passa em apenas um dia e percebemos o quanto acontecimentos que acontecem em um instante podem influenciar nossa vida.
O final do livro é emocionante, mas algumas situações são deixadas em aberto e ficamos imaginando o que vai realmente acontecer com os personagens.
“A vida nem sempre acontece como a gente planeja.” Pág. 214

site: https://eternamente-princesa.blogspot.com.br/2017/04/livro-o-sol-tambem-e-uma-estrela-nicola.html
comentários(0)comente



Carlos 17/04/2017

Romance emocionante
Muitos cientistas acreditam que tudo, todas as coisas, estão interligadas em algum nível. E que, por causa disso, tudo afeta tudo, de forma direta ou indireta. Eu escrevi um conto, na época do Natal, que demonstra essa conectividade, e você pode ler AQUI!

Mas, resumindo, suas decisões, por mais inconsequentes que pareçam, podem, e afetam, algum evento no futuro. Se você deixar de ir em uma festa, pode deixar de conhecer a garota, ou garoto, de sua vida. Ou pode conhecer. Você parar para olhar uma vitrine, pode impedir que seja atropelado alguns metros na frente, ou, se não parar, o inverso. Você virar à esquerda, ao invés de virar à direita, pode conduzir sua vida em sentidos totalmente diferentes, ou fazer isso com outra pessoa.

Em essência, são essas escolhas, que muitos chamam de coincidências, que conduzem a vida de Natasha e Daniel, até o momento em que eles se encontram. Natasha é natural da Jamaica e está, juntamente com seus pais, de forma ilegal nos Estados Unidos; Daniel é descendente de coreanos, tem um irmão prepotente, problemático e sem caráter, além de um pai intransigente quanto aos costumes do seu país. Natasha é racional, deseja ser uma cientista. Daniel escreve poesias e almeja coisas da alma. Natasha e família estão para serem deportados por causa de um erro de seu pai. Daniel se apaixona por Natasha. E, nas páginas seguintes a eles se conhecerem, Daniel tenta mostrar para Natasha, que ela também pode se apaixonar por ele. É a razão contra a emoção. A objetividade contra a subjetividade. E, sinceramente? É lindo de se acompanhar.

Eu li algumas resenhas de pessoas reclamando dessas coincidências. Como disse acima, não são coincidências. São atos perpetrados por pessoas, que o leitor acompanha por todas as ramificações que eles criam. Quando você tem a possibilidade, ou capacidade, de vislumbrar toda a teia que une nossas escolhas do dia a dia, você percebe a ligação que elas criam em todos nós. É disso que O SOL TAMBÉM É UMA ESTRELA trata. O que acompanhamos na história de Natasha e Daniel, e o que ocorre ao redor deles, é um reflexo do que ocorre com a gente, mas sem que possamos ver o que nós causamos nas outras pessoas, ou no que elas causam na nossa vida. É um conceito difícil de ser compreendido, ainda mais hoje em dia, onde todos parecem se preocupar apenas com o próprio umbigo.

A narrativa de Yoon é igual à de seu livro anterior, TUDO E TODAS AS COISAS. Capítulos curtos, às vezes com apenas uma página, e alternados entre os dois personagens, algumas explicações e a visão de personagens secundários. Mas a forma como ela faz isso, desta vez, é muito, muito melhor, mais firme, mais dinâmica, mais convincente, mais apaixonante.

Por exemplo, em determinado momento, Natasha cruza com uma segurança no edifício do governo que deporta os imigrantes ilegais. Acontece algo, totalmente corriqueiro, sem importância. No capítulo seguinte, acompanhamos o motivo desse algo sob o ponto de vista da segurança do edifício. E no fim do livro, acompanhamos o que esse pequeno fato isolado significou para a segurança anos depois. É surpreendente! Por quê? Porque é real. Quem nunca passou por alguma coisa, aparentemente sem significado para todos, menos para você? Algo que ninguém percebe, apenas você? E esse algo é lembrado por você anos depois, algo que, de alguma forma, incitou você tomar decisões que podem ter contribuído para mudar o caminho de sua vida.

O mesmo acontece com mais alguns personagens, com maior ou menor importância, durante o dia em que Natasha e Daniel se apaixonam. Nem tudo são eles que causam. Algumas coisas, são os atos dos outros que provocam e acabam afetando a vida do casal. Coisas como, simplesmente, não atender uma ligação, ou esquecer de um compromisso, de uma reunião. E é muito interessante acompanhar o que essas pequenas ações, ou falta delas, podem afetar outras pessoas.

Tudo isso é narrado pela autora na ordem certa em que precisam ser narradas, não necessariamente em uma ordem cronológica. E essa escolha, faz com que o leitor seja surpreendido em diversos momentos, principalmente na última página, quando a esperança de um final feliz se torna quase impossível de acontecer. A autora prova que não. O inesperado, a consequência de algo muitos anos antes, não tem prazo de validade, reflete-se no futuro como ondas provocadas por uma pedra que caiu no meio de um lago. Elas vão se espalhando, até atingirem a margem. Ou apenas esperam o momento certo para que duas pessoas possam, finalmente, encontrarem a felicidade.

Uma confissão: chorei muito no final desse livro, mas não de tristeza.

site: http://www.gettub.com.br/2017/03/o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Acordei Com Vontade de Ler 16/04/2017

O Sol Também é uma Estrela nos apresenta Natasha que aos oito anos de idade foi para os Estados Unidos de maneira ilegal. Sua família acaba sofrendo com a ameaça de ser deportada e isso os assusta muito, claro!
Mas sabe quando o destino se alinha com suas necessidades e seus desejos ocultos? Então é isso que ocorre neste livro. Apesar de Natasha ser uma cética nata ela acaba conhecendo Daniel que é seu completo oposto e ele acredita que estão destinados. Daniel é romântico, sonhador, apaixonante.. Tem um futuro promissor pela frente e está prestes a entrar em Yale quando topa com Natasha e tenta fazer com que ela acredite em algo inimaginável para ela - Amor a primeira vista, destino ou sei lá como prefiram chamar! Só que Natasha será deportada em até 12h o que será que Nicola Yoon tem para nos contar sobre essa história?
Um é cético o outro sonhador, poético e crente! Será que realmente os opostos se atraem?
A história flui muito rápida e dessas que quando percebemos, já terminamos.
Os capítulos são divididos entre personagens, então temos a oportunidade de vivenciar com eles seus sentimentos e sensações. Não se trata apenas de Natasha e Daniel, ma envolve outros personagens e situações.. Envolve amizade, amor, drama, e oportunidades! Nicola Yoon escreve com maestria e conquista o público com uma história maravilhosa e encantadora!
O Sol Também é Uma Estrela é uma história para românticos e para sonhadores!
O amor está a espreita, basta deixar que ele entre!
Daniel e Natasha tem uma histórias dessas que nos faz suspirar, torcer e amar!
Quem não quer algo assim na vida, não faz ideia do que é o amor e do que ele é capaz!

site: http://www.acordeicomvontadedeler.com/2017/04/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



Flávia 15/04/2017

Se você é da teoria de que TUDO neste universo está conectado, você vai adora este livro .
O Sol Também É Uma Estrela conta a história de Natasha e Daniel. Seus mundos vão colide - ela é cientista, todas as teorias e fatos. Ele é um poeta, todas as palavras e emoções.

Natasha acredita na ciência e nos fatos, para ela não há sorte muito menos destino . E certamente desacredita em sonhos que nunca se tornarão realidade. Ela definitivamente não é o tipo de garota que conhece um garoto bonito nas ruas de Nova York e se apaixona por ele apenas 12 horas antes de sua família ser deportada para a Jamaica.

" Meu Deus . Me salve dos caras legais e sinceros que setem as coisas de modo profundo." - Natasha

Daniel sempre foi o bom filho, o bom aluno, vivendo de acordo com as expectativas de seus pais imigrantes. Mas quando ele vê Natasha, ele esquece tudo isso. Algo sobre ela o faz pensar que o destino tem algo extraordinário para eles. Com o tempo contra eles, esses dois jovens podem encontrar o caminho para o final feliz?


" Minha lógica é completamente questionável ,mas ela não me questiona. Em vez disso,pega a minha mão e sorri . Talvez eu ainda a transforme em alguém que acredita., "
- Daniel

Natasha e Daniel se conhecem inteiramente por acidente,acaso ou quem sabe destino, neste dia tão importante de suas vidas.Ele está a caminho da sua entrevista de admissão em Yale. O único problema é que Daniel não quer seguir o caminho que seus pais escolheram para ele, e se tornar o futuro Doutor Daniel Jae Ho Bae. Ele tem seus próprios sonhos e deseja fugir de uma vida repleta de expectativas.
Natasha está determinada a passar seu último dia na América lutando para ficar. Ela está a caminho para se encontrar com um advogado de imigração para defender seu caso.

E, apesar de suas diferenças, eles sentem uma atração instantânea e intensa. Daniel tenta provar para Natasha que o amor à primeira vista é possível. Mas mesmo que seja, com a deportação iminente de Natasha , pode esta história particular ter um final feliz?

As narrativas de primeira pessoa de Daniel e Natasha são intercaladas com histórias pessoais das pessoas que eles encontram ao longo do dia, com as perspectivas de personagens aleatórios,alguns deles são realmente emocionantes .Gostei bastante quando esses personagens apareceram ,mostrando que todos à nossa volta tem uma história,têm suas próprias vidas e problemas para lidar.

Opostos se atraem neste livro encantador, que acontece durante um período de doze horas.Eu simplesmente adorei a ideia de um romântico e uma racionalista se unindo dessa maneira.


" Ninguém quer acreditar que a vida é aleatória . Meu pai diz que não sabe de onde vem meu ceticismo;mas não sou cética.Sou realista.É melhor ver a vida como ela é , e não como a gente quer que seja . As coisas não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem . Pág 34 "

Personagens contrastantes só acrescentam para criam uma bela história sobre como duas pessoas caminham para encontrar o equilíbrio no mundo e como uma pessoa pode mudá-lo para sempre.Os personagens de Nicola descobrem que as coisas nem sempre vão como planejado. Em pontos de vista alternados, Nicola explora o encontro entre dois jovens rumo a vida adulta. Enfatizando como a vida é realmente complicada, dependente de tantos pequenos fatores, e podem mudar em um instante .

Toda a vida de Natasha foi construída na América, mas ela está sendo forçada a sair por causa do erro de seu pai .Não foi sua decisão entrar nos Estados Unidos com um visto de viagem e ficar quando só tinha 8 anos .Há uma autenticidade honesta sobre a experiência dos imigrantes nos Estados Unidos,os aspectos de imigração eram bem feitos e realistas.Quando se analisa de perto a imigração, é um sistema inerentemente falho e cruel.


Este livro é baseado na própria vida de Nicola Yoon, como uma imigrante jamaicana casada com um Coreano-Americano.

O Sol Também É Uma Estrela , transcende a história típica garoto encontra garota ,Nicola a transformou em um história envolvente sobre o impacto que uma pessoa pode ter sobre aqueles ao seu , é uma mistura inteligente que aborda assuntos atuais que desafia o leitor a pensar sobre a identidade,a ciência, o amor,a família e o universo .Um livro de leitura rápida e fluida.


Autora :
Nicola Yoon é autora do best-seller, Everything, Everything, "Tudo e todas as coisas",cuja adaptação para o cinema estreia este ano(2017).O Sol Também é uma Estrela publicado no Brasil pela Editora Arqueiro é o seu segundo livro . Ele foi considerado Melhor Livro Do Ano por Publisher's Weekly e Amazon .

Super recomendado .


site: http://myronbolitarloversbr.blogspot.com.br/2017/04/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html?m=1
comentários(0)comente



Fernando Lafaiete 14/04/2017

Importante e sútil!
O Sol também é uma estrela é um livro sútil e respeitoso. É um excelente começo para pessoas que querem começar a ler sobre temas mais pesados. A autora aborda temas complicados de maneira muito respeitosa e sem exageros narrativos.

Acompanhamos a estória de dois jovens muito diferentes que se conhecem em um dia meio conturbado para ambos. Natasha é Jamaicana e está sendo deportado dos Estados Unidos. Ela é totalmente racional. E Daniel é Coreano e está sendo pressionado pelos pais para ir estudar medicina em Yale. E ele é totalmente passional. Essas caracteríticas são importantes, porque são as mesmas que irão moldar toda a interação entre eles, o que é muito gostosinho de acompanhar.

Toda a narrativa se passa em um único dia. E os temas apresentados pela autora, são inseridos na estória de maneira breve e até superficial, mas que funciona muito bem para o tipo de estória que ela decidiu contar.

Racismo, machismo, imigração, pressão familiar, relacionamento entre pais e filhos, além de relacionamento entre irmãos, infidelidade e suicídio. São muitos temas, mas que faz total sentido quando você os percebe durante o desenvolvimento da estória.

Não comece esta leitura esperando aprofundamento nos temas que eu citei acima. Pois como eu mencionei anteriormente, estes assuntos são inseridos mas são passageiros. Os mesmos não são o foco da estória, apesar de serem muito importantes para o desenvolvimento tanto dos personagens quanto da narrativa.

Embarque nesta leitura tendo consciência de que ele é um livro voltado para o público jovem e é romance. A relação entre os protagonistas obviamente é o foco do livro e como tudo se passa em um fatídico dia, preciso alertar que o romance não teria como ser outro a não ser insta-love.

O plot é muito simples, mas muito bem desenvolvido pela Nicola Yoon. A escrita é muito acessível para qualquer pessoa que decidir ler este livro. E a estrutura é muito bacana também. Os capítulos não são intercalados somente entre os personagens centrais.Temos capítulos que são pequenos resumos sobre a vida dos personagens secundários também, o que nos dá uma visão mais geral do porque deles terem agido de determinada maneira. Esta escolha da autora foi genial, pois é importante termos este panorama. Afinal de contas, as atitudes dos personagens coadjuvantes afetam diretamente a vida dos protagonistas.

O sol também é uma estrela é a sutileza em forma de livro, com um clima bem sessão da tarde (mas de maneira positiva) e uma narrativa que transborda respeito tanto com os temas abordados quanto com os leitores.

Muito bom ter um livro deste voltado para os jovens... Eu realmente espero que as pessoas consigam enxergar a importância dele na literatura juvenil!
Driih (@dinbookerland) 20/04/2017minha estante
Quero muito ler este!!


Fernando Lafaiete 20/04/2017minha estante
Leia mesmo Driih... é bem legalzinho e divertido!




37 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3