O Sol Também é Uma Estrela

O Sol Também é Uma Estrela Nicola Yoon




Resenhas - O Sol Também é Uma Estrela


78 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Igor Izard // @igorizard 25/06/2017

"O amor sempre muda tudo." 🌟🌟🌟🌟🌟
Natasha é uma garota marrenta que não acredita em destino. Ela acredita na ciência e em fatos comprovados. Ela está bem longe de acreditar em contos de fadas.

Daniel é um garoto estudioso e que está sempre fazendo a vontade dos pais. Ele tem alma de poeta, embora não a use muito.

Mas isso está prestes a mudar.

Natasha está a poucas horas de ser deportada com a família para a Jamaica.

Daniel tem uma entrevista que o fará entrar para a faculdade de medicina.

É quando eles se cruzam numa rua movimentada de Nova York.

Um dia decisivo que pode mudar a vida dos dois jovens para sempre.

O sol e as estrelas e dois jovens de mundos diferentes que se conhecem nas ruas de Nova York quando suas vidas estão prestes a mudar de forma irreversível.

Assim é O Sol Também é Uma Estrela. Um livro poético e emocionante, com dois corações pulsantes, repleto de dor e esperança.

O livro aborda temas como destino, sonhos, confiança, preconceito. Questões familiares e culturais. O amor que pode surgir de onde menos e quando menos esperamos.

A forma como a autora aborda tais temas nos faz pensar sobre nós mesmos. Sobre nosso futuro e as escolhas que fazemos.

Mais uma vez Nicola Yoon conseguiu tocar minha alma, e isso é gratificante.

Acima de tudo, seja quem você é. Não pense em matar seus sonhos. Não podemos fazer isso.

Os pais sabem mesmo o que é melhor para seus filhos?

Natasha e Daniel são personagens apaixonantes. Torci e sofri junto com eles o tempo todo. Queria que eles resolvessem seus dilemas. Que ficassem juntos.

O preconceito e a distância podem ser uma barreira para muitas coisas.

Serão uma barreira também para o amor de Natasha e Daniel?

Afinal, ela será mesmo deportada para a Jamaica?

Ele entrará para a faculdade de medicina?

O amor é um eterno ponto de interrogação. A vida é um enorme ponto de interrogação. Viva o agora. Mesmo que não dure para sempre. Mesmo que machuque. O agora é sempre o melhor.

O final do livro superou minhas expectativas. Me emocionou e me fez querer mais.

site: https://www.instagram.com/igorizard/
comentários(0)comente



Kelly 24/06/2017

Um romance inesquecível

Essa
é minha primeira experiência com a escrita da Nicola e posso dizer com todo meu coração que Uol!!! Depois de A química que há entre nós, achei que ia demorar um pouco para encontrar algo tão surpreendentemente sensível, mas não demorei.


"As pessoas passam a vida inteira procurando o amor. Mas como a gente vai confiar numa coisa que pode acabar tão subitamente quanto começa?"

Natasha Kingsley está tendo um péssimo dia, graças ao seu pai, descobriram a condição ilegal deles nos EUA e ela precisa correr contra o tempo para tentar reverter isso.

Daniel Bae, tem uma família bem difícil, filho de coreanos legítimos, seu pai não se importa com o que ele deseja, ele só quer que o filho seja médico e tenha uma vida melhor, mas não é isso que ele quer! Daniel sonha em ser poeta, e no fim? Nem sabe se é isso mesmo, só sabe que aos 17 anos não deveria ter que decidir sua vida, mas ainda sim, ele está seguindo para uma entrevista de admissão, para fazer medicina em uma boa faculdade.

Depois de vários acontecimentos do "destino" esses dois se encontram, e contra tudo que é possível, vão passar um dia inesquecível, e mais uma vez, contra todas as possibilidades irão se amar de forma simples e rápida, mas não menos sincera nas poucas horas que terão.


"O amor não é uma religião. Ele existe quer você acredite ou não."

As coisas vão acontecendo e os desfechos vão aproximando os dois de forma mútua, tudo muito bem construído, de uma forma real, Daniel e Natasha se aproximam e passam por um dia questionável!!! Ela a água, ele o óleo, estão fadados a não se aproximarem ou se amarem. Ela pratica e direta, sincera e até mesmo pessimista. Ele, sonhador, romântico, poeta, o completo oposto dela que almeja a ciência.

São tantos diálogos lindos, tantas imposições postas, uma batalha real entre o amor e a ciência, uma cheia de explicações e o outro apenas alusões. Durante toda a leitura me senti como se estivesse assistindo os dois lados da minha personalidade discutirem, como seu meu lado sonhador quisesse mostrar a razão para o o meu lado pessimista e racional, e o mesmo não se deixasse vencer. Natasha é prática e racional, Daniel é sonhador e apaixonado, dois elementos químicos complexos e diferentes que vencem as probabilidades e se unem. Às vezes também via minha própria relação espelhada no casal, meu noivo super pratico, realista e calculista, e eu sonhadora, apaixonada e avuada kkkkkkk isso gera discussões a beça!!

Durante todo o enredo, cada personagem que passa pela vida dos protagonistas tem algum problema, não porque a autora goste de problemas, mas talvez porque nós os temos, a questão é, nos tornamos tão insensíveis que somos incapazes de ver ou imaginar os problemas alheios? De pensar antes de xingar? Na minha opinião? Sim caros leitores, nos tornamos.

Tenho como exemplo Irene,uma personagem delicada, aparece poucas vezes, mas representa de forma perfeita a sensibilidade do alheio. A falta de conhecimento, e o fato de que nem tudo é o que parece. Apesar de parecer mau humorada, grossa, ela é apenas uma pessoa solitária, depressiva, esperando por uma ajuda que não vem.

A escrita da Nicola é impecável, surpreendente, apaixonante e sensível ao extremo, me faltam elogios para essa escritora que foi direto para o hall das queridas!!! O livro tem uma pegada de romance com muita realidade, filosofia, ciência e conscientização humana. Os personagens são extremamente maduros, e se não fossem as já conhecidas incertezas da idade ou a sinopse, eu me esqueceria completamente que eles são apenas adolescentes.


"Acho que todas as nossas partes boas estão conectadas em algum nível. A parte que divide com outra pessoa o último biscoito de chocolate do pacote, que faz doação para uma instituição de caridade, que dá um dólar para um músico de rua, que trabalha como voluntária, que chora com os comerciais da Apple, que diz eu te amo e eu te perdoo. Acho que isso é Deus. Deus é a conexão com a melhor parte de nós."

E com relação ao final, só posso dizer que a mensagem para mim foi clara como uma placa em neon. Quando tem que ser, será!

A escrita da autora é leve e contagiante, os capítulos são curtos e isso facilita muito a leitura, além claro, do livro ser narrado hora em terceira pessoa hora em primeira. As primeiras são divididas entre Daniel é Natasha que vão descrevendo seu dia e seu sentimento, a terceira apresenta aqueles personagens que seriam rapidamente esquecidos se não fosse a autora.

A edição nem preciso falar né? Perfeição define! Capa linda, diagramação impecável, revisão perfeita.

Para quem curtiu romances como Zack e Mia, Eleanor e Park, A química que há entre nós, Um mais Um e mais alguns, vai amar a leitura!!

site: http://paraisodasideas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 24/06/2017

Essa
é minha primeira experiência com a escrita da Nicola e posso dizer com todo meu coração que Uol!!! Depois de A química que há entre nós, achei que ia demorar um pouco para encontrar algo tão surpreendentemente sensível, mas não demorei.


"As pessoas passam a vida inteira procurando o amor. Mas como a gente vai confiar numa coisa que pode acabar tão subitamente quanto começa?"

Natasha Kingsley está tendo um péssimo dia, graças ao seu pai, descobriram a condição ilegal deles nos EUA e ela precisa correr contra o tempo para tentar reverter isso.

Daniel Bae, tem uma família bem difícil, filho de coreanos legítimos, seu pai não se importa com o que ele deseja, ele só quer que o filho seja médico e tenha uma vida melhor, mas não é isso que ele quer! Daniel sonha em ser poeta, e no fim? Nem sabe se é isso mesmo, só sabe que aos 17 anos não deveria ter que decidir sua vida, mas ainda sim, ele está seguindo para uma entrevista de admissão, para fazer medicina em uma boa faculdade.

Depois de vários acontecimentos do "destino" esses dois se encontram, e contra tudo que é possível, vão passar um dia inesquecível, e mais uma vez, contra todas as possibilidades irão se amar de forma simples e rápida, mas não menos sincera nas poucas horas que terão.


"O amor não é uma religião. Ele existe quer você acredite ou não."

As coisas vão acontecendo e os desfechos vão aproximando os dois de forma mútua, tudo muito bem construído, de uma forma real, Daniel e Natasha se aproximam e passam por um dia questionável!!! Ela a água, ele o óleo, estão fadados a não se aproximarem ou se amarem. Ela pratica e direta, sincera e até mesmo pessimista. Ele, sonhador, romântico, poeta, o completo oposto dela que almeja a ciência.

São tantos diálogos lindos, tantas imposições postas, uma batalha real entre o amor e a ciência, uma cheia de explicações e o outro apenas alusões. Durante toda a leitura me senti como se estivesse assistindo os dois lados da minha personalidade discutirem, como seu meu lado sonhador quisesse mostrar a razão para o o meu lado pessimista e racional, e o mesmo não se deixasse vencer. Natasha é prática e racional, Daniel é sonhador e apaixonado, dois elementos químicos complexos e diferentes que vencem as probabilidades e se unem. Às vezes também via minha própria relação espelhada no casal, meu noivo super pratico, realista e calculista, e eu sonhadora, apaixonada e avuada kkkkkkk isso gera discussões a beça!!

Durante todo o enredo, cada personagem que passa pela vida dos protagonistas tem algum problema, não porque a autora goste de problemas, mas talvez porque nós os temos, a questão é, nos tornamos tão insensíveis que somos incapazes de ver ou imaginar os problemas alheios? De pensar antes de xingar? Na minha opinião? Sim caros leitores, nos tornamos.

Tenho como exemplo Irene,uma personagem delicada, aparece poucas vezes, mas representa de forma perfeita a sensibilidade do alheio. A falta de conhecimento, e o fato de que nem tudo é o que parece. Apesar de parecer mau humorada, grossa, ela é apenas uma pessoa solitária, depressiva, esperando por uma ajuda que não vem.

A escrita da Nicola é impecável, surpreendente, apaixonante e sensível ao extremo, me faltam elogios para essa escritora que foi direto para o hall das queridas!!! O livro tem uma pegada de romance com muita realidade, filosofia, ciência e conscientização humana. Os personagens são extremamente maduros, e se não fossem as já conhecidas incertezas da idade ou a sinopse, eu me esqueceria completamente que eles são apenas adolescentes.


"Acho que todas as nossas partes boas estão conectadas em algum nível. A parte que divide com outra pessoa o último biscoito de chocolate do pacote, que faz doação para uma instituição de caridade, que dá um dólar para um músico de rua, que trabalha como voluntária, que chora com os comerciais da Apple, que diz eu te amo e eu te perdoo. Acho que isso é Deus. Deus é a conexão com a melhor parte de nós."

E com relação ao final, só posso dizer que a mensagem para mim foi clara como uma placa em neon. Quando tem que ser, será!

A escrita da autora é leve e contagiante, os capítulos são curtos e isso facilita muito a leitura, além claro, do livro ser narrado hora em terceira pessoa hora em primeira. As primeiras são divididas entre Daniel é Natasha que vão descrevendo seu dia e seu sentimento, a terceira apresenta aqueles personagens que seriam rapidamente esquecidos se não fosse a autora.

A edição nem preciso falar né? Perfeição define! Capa linda, diagramação impecável, revisão perfeita.

Para quem curtiu romances como Zack e Mia, Eleanor e Park, A química que há entre nós, Um mais Um e mais alguns, vai amar a leitura!!


site: http://paraisodasideas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Nessa Januth 23/06/2017

Charlie, irmão de Daniel, dois anos mais velho e foi expulso de Harvard. Há tempos Daniel devia ser igual seu irmão, agora não mais. Daniel é coreano e pretende ir para Yale estudar medicina, mas ele gosta mesmo de poesia. Cortar seu rabo de cavalo será a menor das mudanças que terá que fazer.
Por outro lado, Natasha, seu irmão Peter de 9 anos e seus pais são imigrantes ilegais e estão sendo deportados de volta para a Jamaica por seu pai ter dirigido bêbado. Tasha não pisa naquele país desde os 8 anos, quando decidiram encontrar o pai nos EUA, onde pretendia seguir carreira de ator.
Acreditando em destino ou não, os dois acabam se conhecendo numa loja de discos, onde o ex de Natasha e a menina com a qual ele a traiu tentavam furtar uns discos.
Ele é um romântico sonhador e ela uma realista que se baseia em provas concretas e fatos científicos.
O livro é narrado por vários pontos de vista diferentes: da Natasha, de Daniel e de outros personagens secundários, como se o universo conspirasse para que eles ficassem juntos.
É interessante que a história toda se passe em apenas um único dia e que a escrita seja tão fluida e objetiva de forma que prende o leitor até a última página sem deixar pontas soltas.
comentários(0)comente



LauraaMachado 21/06/2017

Me surpreendeu
Acho que uma das melhores coisas da vida é se apaixonar por um livro que você achava que seria só mais um. Eu comprei este, porque ia viajar e não tinha mais nenhum para ler. Só tinha lido o prólogo quando uma trilogia que eu quero muito ler chegou aqui em casa. Quase adiei ler este pela trilogia. Mas resolvi ler, falando para mim mesma que seria rápido e um livro qualquer mesmo.

Já comecei a me surpreender com o livro (no prólogo, para ser bem honesta) quando a narrativa se expandiu daquele básico de intercalar entre os dois personagens principais. No começo, isso até parece um pouco estranho, mas fica muito interessante depois de um tempo. Principalmente, porque é como se o próprio universo estivesse narrando a história! Contando sentimentos e vidas de pessoas diferentes.

O ponto alto são os personagens, sem estereótipos ou personalidades e histórias rasas. Eles são tão únicos, daqueles que te surpreendem só nas respostas que dão, nos diálogos naturais e diferentes, que eu consegui me apegar a eles logo no começo. Principalmente à Natasha. Não sabia antes que o livro inteiro se passa em um único dia e que conta um pouco de praticamente todas as pessoas que cruzam caminho com eles e mostra a diferença que um dia pode fazer. E eu amei isso.

Amei também como tudo está conectado, como a história parece ser feita de destino e acaso ao mesmo tempo! Como me fez sorrir, ficar com frio na barriga e chorar por uma história que se passou em menos de 24 horas.

A escrita da Nicola Yoon não é especialmente única e tocante, mas é natural e viciante! Li o livro em dois dias só porque tinha que trabalhar, dormir e comer. Queria terminar em um. No meio dele, já coloquei na minha lista de favoritos e dos que algum dia ainda vou reler. Se mais livros como esse existissem, o mundo seria bem incrível.

O Sol Também É uma Estrela é do tipo de livro que faz os contemporâneos ainda valerem a pena! Tão épico quanto uma distopia, maravilhoso como um romance histórico. Se alguém não se apaixonar por ele, tem que ler de novo.
Andréa Araújo 21/06/2017minha estante
Sério. Eu deveria parar de ler as suas resenhas!!! Como assim??? Esse era um livro que eu super não esperava nada, ai eu leio essa resenha e ja quero comprar! Vou ter que correr para ler todos os que tenho para ter esse!




chayaleluia 20/06/2017

"Não acredito no amor. O amor não é uma religião. Ele existe, quer você acredite ou não."

Já pensou se a pessoa que está do seu lado passou na sua vida apenas por um desvio, por uma coincidência, um atraso ou o destino escolheu a dedo para ela entrar em sua vida?

Natasha: acredita na ciência e nos fatos. Não é o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto que encontra numa rua movimentada de Nova York. E está a 12 horas para ser deportada junto com sua família para Jamaica.

Daniel: Acredita de olhos fechados no amor, é coreano, poeta e sonhador.

O que fazer quando dois opostos se esbarram na rua e o universo resolve junta-los e provar que um precisa do outro?

O livro já começa tenso Natasha está para ser deportada, mas em meio ao seu ceticismo ela ainda acredita em um milagre. Daniel, tem sérios problemas em relação ao seu futuro e ao seu irmão. Nessa confusão toda eles se encontram e um vai provar tentar provar ao outro se é o destino ou apenas coincidências que fizeram eles se esbarrarem.

O livro tem uma diversidade e tanta, aborda racismo, a família e seus problemas, o padrão da sociedade, a cultura coreana e a solidão. Conhecemos o lado dos imigrantes e de como é pesado viver assim. O livro também tem um personagem fundamental a Irene, ela é o início, meio e fim de tudo.

Nicola nos deixa sonhar com um país melhor e sem julgamentos, mesmo a história se passando em um dia, a gente sente que já conhece eles há anos e compartilhamos do mesmo medo e acreditamos na mesma esperança.

Os capítulos são intercalados entre Natasha, Daniel e também entre personagens que cruzam os caminhos deles, o que mais gostei no livro, assim podemos conhecer o motivo da ação de cada um.

Nicola de novo me surpreendeu e me fez se apaixonar por seus personagens, com uma narrativa fluída e apaixonante ela aborda assuntos pesados com uma leveza incrível e sensata. Terminei a leitura amando mais o Universo, Deus, a Ciência e acreditando ainda mais no Amor.

O Sol Também É Uma Estrela é fantástico e todos tem que ler!

IG: @readinglover

site: https://www.instagram.com/p/BVlF9FpgNj4/?taken-by=readinglover
comentários(0)comente



Carol 19/06/2017

Inspiração
''É melhor ver a vida como ela é, e não como a gente quer que seja. As coisas não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem.''

Dois opostos podem se atrair? É possível conhecer a pessoa certa na hora errada?
É com essas indagações que nos aventuramos na história de Natasha e Daniel.

Natasha é a pessoa de exatas que não acredita em acaso ou destino, ela é racional, científica e prática. Já Daniel é o ser de humanas (como não amar?), alma de poeta, romântico incurável, acredita no destino e em como ele é responsável pelas nossas vidas.

Logo que vê Natasha pela primeira vez, o coreano Daniel que esta se encaminhando para uma entrevista na Yale para ser a pessoa bem sucedida e sensata que seus pais tanto sonham, sente uma atração inexplicável pela garota e começa a segui-la, porém sem imaginar que esse é o último dia da garota nos Estados Unidos, ela e sua família serão deportados de volta para a Jamaica por um erro de seu pai, após viverem ilegalmente no país há anos.

Um único dia! É o que eles possuem, será quem em tão pouco tempo uma verdadeira história de amor pode surgir?

O livro "O sol também é uma estrela" foi escrito pela Nicola Yoon e eu estava super curiosa para lê-lo. A história se passa nesse dia tão importante na vida dos dois personagens, cada um por seu motivo, e a narração é em primeira pessoa, mostrando o ponto de vista do casal de forma aleatória, algumas vezes também vemos personagens secundários narrando ou uma análise histórica de algumas palavras. Esses detalhes fazem com que seja impossível não se apaixonar pela escrita da autora, que é daquele tipo que te prende desde o início.

Eu AMO livros do gênero Jovem Adulto, mas nesse caso não consegui me conectar com toda a história de amor narrada por ele, acredito sim que em pouco tempo conseguimos criar relações verdadeiras com alguém, mas dessa vez não me convenceu 100%.

Natasha para mim foi um diferencial dessa história e seu enredo se adapta ao mundo jovem, mas também faz com o que livro seja interessante a um adulto, pois é uma trama que nos remete a nossa vida, nossos sonhos, expectativas e nossas famílias.

Se eu recomendo? É uma história inspiradora e ótima para quem quer se curar daquela Ressaca Literária lendo algo leve e bem escrito.

site: www.nossaressacaliteraria.com.br
comentários(0)comente



La Tomás 16/06/2017

Representatividade, diversidade e intensidade
A primeira coisa que eu gostaria de falar é: DIVERSIDADE. Eu nem me lembro da última vez que peguei um livro e o protagonista não era branco, ou não tinha olhos claros e cabelo liso.

Esse livro, que começa já derrubando forninhos, conta a história de Natasha e sua família, prestes a serem deportados para a Jamaica - o país de origem. Ela tem muita dificuldade de aceitar isso, por achar tão injusto a forma como tudo aconteceu... Seu pai, bêbado, contou sua história de imigrante ilegal, sem querer, a um policial. Dois meses depois, as malas estavam prontas. Ela só tem mais um dia nos EUA, mas quer lutar até o último minuto por sua pequena chance em permanecer ali.

Do outro lado, temos Daniel, um coreano com sérios questionamentos sobre o seu futuro. Quem foi que disse que a gente só é bem sucedido se faz faculdade e segue uma carreira?

No meio desse turbilhão de sentimentos, os dois irão usar aquele dia como uma oportunidade do destino... Não somente para que conheçam um ao outro, mas também para que cada um se conheça melhor.

Esse livro é diversidade pura até nos mínimos detalhes! A temática é super delicada, mas Nicola Yoon abordou de uma forma respeitosa e sensível, em uma linguagem simples e apaixonante. O que é visto nessas páginas não deixa de ser a realidade e o medo constante de muitos imigrantes e por isso a leitura se tornou tão intensa (na minha opinião).

Eu amei o quanto cada um ajudou o outro. O livro me mostrou o quanto nós fazemos diferença na vida de alguém... A diferença que um simples abraço, ou um “eu te entendo”, ou somente um “obrigada” pode fazer. Adorei acompanhar o amadurecimento desses personagens que se tornaram cativantes durante a leitura.

Os capítulos são curtos e a história é bem direta, narrada pelo Daniel ou pela Natasha - alguns capítulos contam a história de personagens secundários. Como várias pessoas narram, você consegue ver o ponto de vista de cada um - isso enriquece tanto a história! Eu amo! Tudo é feito de forma simples, em uma linguagem tão funcional. A leitura voa!

Me senti abraçada por esse livro até a última linha. Quero recomendar pra todo mundo, não importa a idade, o sexo, a cultura... Leia e se apaixone por essa história também!

site: https://www.instagram.com/_maniadelivro/
comentários(0)comente



Patrícia Morais/@sistersbookaholic 16/06/2017

O sol também é uma estrela, e é mais importante para nós.
" Quando nossos olhos se encontram, sinto uma espécie de déjà vu, mas, em vez de parecer que estou repetindo alguma coisa do passado, parece que experimento algo que vai acontecer no futuro." Pág 59


Natasha acredita na ciência, não acredita na sorte e nem no destino e tem uma explicação científica para tudo, ela nasceu na Jamaica, foi para os EUA quando tinha oito anos, é imigrante ilegal e sua família vai ser deportada no dia seguinte. Daniel é um sonhador, adora poesia, mais se sente encurralado nas expectativas de seus pais, seus pais são Coreanos e rígidos, já planejaram todo o futuro de seus filhos.


“Sei que não existe isso de “feitos um para o outro“, no entanto fico imaginando se talvez não esteja errada. Pág 86


O livro não fala só sobre duas pessoas que se encontram e se apaixonam em um dia, também fala sobre o racismo, sobre o padrão da sociedade de que só é bonito quem tem cabelo liso, vemos um pouco sobre a Cultura Coreana. Ao abordar sobre Imigrantes ilegais, vemos o outro lado da história, quando falamos em imigrantes pensamos sobre pessoas ruins que estão burlando a lei, Nicola nos mostra que nem sempre é assim, vemos pessoas boas com grandes sonhos, que pensam em buscar um futuro melhor em um país desconhecido, com uma cultura totalmente diferente do que estão acostumados. Mesmo a história se passando em um dia, consegui sentir a paixão que os dois começam a nutrir um pelo outro.


" _Claro, mas por que não existem mais poemas sobre o sol? O sol também é uma estrela, e é mais importante para nós. Só isso deveria valer um ou dois poemas." Pág 147


Os capítulos são intercalados entre Natasha, Daniel e também entre personagens que cruzam seus caminhos, como seu irmão e algumas pessoas que eles conhecem ao decorrer do dia, o que para mim foi um ponto positivo, fiquei encantada em conhecer um pouco sobre cada um que cruzou o caminho de Daniel e Natasha. Adorei conhecer a família dos dois, e gostei bastante da forma como Nicola nos faz sentir conectados na história e nos faz entender os motivos para ação de cada um. Nicola novamente me fez apaixonar por seus personagens, amei tanto Daniel quanto a Natasha. Recomendo!!!


site: @sistersbookaholic
comentários(0)comente



Nath Correia @bibliotecadanath 14/06/2017

O sol também é uma estrela / Nicola Yoon / Ed. Arqueiro / 276 páginas / 5 de 5
Natasha é uma adolescente jamaicana de 17 anos que ama ciências e não acredita em destino. Dona de uma mente prática e analítica, não acredita em amor à primeira vista e não perde tempo com sonhos não virarão realidade. Prestes a ser deportada com sua família, a garota conhece Daniel no pior dia da sua vida e se apaixonar por ele não está nos seus planos...

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Daniel é um adolescente americano descendente de uma família tradicional coreana que sonha em ser poeta e poder seguir seus sonhos mas, para isso, precisaria ir contra as expectativas dos seus pais. Filho exemplar e aluno dedicado, Daniel conhece Natasha no dia de sua entrevista para a universidade que definirá todo o seu futuro. Estaria o destino planejando algo diferente para ele?

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Gente, que livro maravilhoso! Nicola Yoon mais uma vez acertou em tudo! O livro é apresentando sob o ponto de vista de três personagens: Daniel, Natasha e o Destino e foi uma escolha acertadíssima pois nos permite perceber como uma determinada atitude/ação pode influenciar uma vida e alterar seu futuro tanto de modo positivo quanto negativo. A escrita da autora é maravilhosa, extremamente fluida e envolvente fazendo com que as páginas voem sem o leitor sentir.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O que falar dos temas abordados no livro: a imigração ilegal e sua repercussão na vida de quem imigra; o preconceito com o que é diferente mostrado no racismo e no machismo vistos no livro; a projeção dos sonhos frustrados dos pais em seus filhos, moldando seus futuros sem se importar com as suas escolhas; a abordagem de diferentes culturas, costumes e da influência do meio e da sociedade ao moldar a pessoa que cada um se tornará.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O amor à primeira vista dos protagonistas me incomodou um pouco no começo do livro mas a partir do momento que entendi que eles precisavam de um apoio, de alguém que os entendessem, que os aceitassem como eles realmente eram sem questionamentos ou julgamentos...o amor fez todo o sentido! Finalizo dizendo: leiam esse livro e se apaixonem pelo Universo e todas as suas infinitas possibilidades!

site: https://www.instagram.com/bibliotecadanath/
comentários(0)comente



Ananda 09/06/2017

Aqueles livros reflexivos..
"Há uma expressão japonesa da qual eu gosto: Koi no yokan. Não significa exatamente amor à primeira vista. É mais parecido com amor a segunda vista. É a sensação que a gente tem quando conhece uma pessoa por quem vai se apaixonar. Talvez você não a ame imediatamente, mas é inevitável que acabe amando."

O Sol também é uma estrela nos traz a história de dois adolescentes que se conhecem em um dia aparentemente normal em Nova York mas que os muda para sempre. De um lado temos Natasha, uma garota jamaicana que vive nos Estados Unidos a anos ilegalmente com os pais que por um deslize do Pai foram descobertos e estão prestes a serem deportados de volta para a Jamaica. Uma série de eventos ruins da vida, mudam Natasha e ela se tornou uma garota incrédula a respeito de quase tudo, a única coisa em que acredita com exatidão é na ciência. Do outro lado temos Daniel, um garoto coreano-americano, filho de imigrantes coreanos, que está prestes a ir numa entrevista para entrar na universidade de Yale e se tornar médico como seus pais planejaram. Daniel é doce, sonhador, artístico e um verdadeiro poeta.

Duas pessoas diferentes que se "esbarram" por "acaso" e que se apaixonam. Bom, Daniel que se apaixona de cara por Natasha e tem como missão conquista-la em apenas um dia. É uma tarefa difícil considerando que Natasha não acredita no amor e muito menos em amor à primeira vista. Mas Daniel é persistente e usa de tudo que pode para conseguir cumprir essa missão impossível.

Os dois vivem momentos esplêndidos enquanto Daniel tenta adiar a entrevista pois não quer ser médico, e Natasha tenta de tudo que pode conseguir não ser deportada para a Jamaica.

O livro tem aquela aura de angústia pois ficamos naquela expectativa em saber se Natasha vai conseguir ou não ser deportada, e no meio disso tudo ela tenta não se deixar abalar pelo meteorito que foi Daniel caindo em sua vida justamente num momento tão crítico. A Autora aborda diversos assuntos ao longo do livro como a cultura asiática e jamaicana. O fato de que asiáticos não admitem relacionamento de asiáticos com estrangeiros e principalmente se forem negros. As notas de "roda-pé" em algumas paginas onde vemos também a vida de pessoas aleatorias que esbarram em Daniel e Natasha ao longo do dia romântico deles.

Não curti muito o Plot Twist do livro apesar de que já meio que esperava que aquilo fosse acontecer e por isso que me levou a dar 4 estrelas. Mas gostei de ver culturas sendo mudadas aqui. Amo o fato da protagonista ser negra que é uma coisa que vemos pouco em livros hoje em dia. Mas gostei muito muito mesmo da Natasha e do Daniel. O que me incomodou um pouco foi a amargura da Natasha que as vezes era radical demais. Mas até entendi o ponto de vista Dela, sofreu muito na vida que chegou aquele ponto.

Em resumo, o livro é muito bonito, romântico é verdadeiro. As vezes achamos que vamos ficar com uma pessoa para o resto de nossas vidas, mas às vezes o amor verdadeiro não precisa durar a vida inteira pra ser eterno, às vezes só precisamos de um dia.
comentários(0)comente



Thaís @uma_dica_de_leitora 09/06/2017

Um livro poético, apaixonante e super fofo
"Talvez parte de se apaixonar por alguém seja também seja se apaixone por si mesmo."

Natasha acredita na ciência. Ela não acredita em destino e nem que sonhos possam se tornar realidade. Mora ilegalmente nos Estados Unidos e está correndo atrás de um advogado para não ser deportada para Jamaica. Ela só tem algumas horas, até que..

Daniel é americano com descendência coreana. Ama poesia e seu sonho é ser poeta. Ele acredita no amor e que seus sonhos possam virar realidade. Daniel está indo para uma entrevista, está tentando uma faculdade de medicina para agradar seus pais e ter a vida estável que seu pai sempre sonhou para ele, até que...

Os dois acabam se encontrando e se apaixonando a "primeira vista" - Natasha não admite de imediato. Esses dois são o oposto um do outro. Vários problemas acontecem e eles acabam passando o dia juntos. Daniel está disposto a fazer Natasha acreditar no amor.

"O problema de se apaixonar, de cair de quatro, é que a gente não tem o controle da queda."

Não me senti conectada com a história logo de início, o livro foi me envolvendo aos poucos e me fazendo entender a profundidade dos sentimentos que os personagens foram criando em poucas horas. Natasha e Daniel são aquele exemplo nato que o amor pode surgir quando menos esperamos, e apesar do tempo ele não é superficial, pelo contrário, ele pode ser duradouro e vencer as barreiras do tempo? e distância.

Nicola Yoon me surpreendeu mais uma vez. A forma que ela escolheu pra narrar a história foi para mim o ponto alto. Tudo nesse livro inspira poesia, reflexão. Além disso o livro é cheio de assuntos polêmico e Nicola fez questão de mostrar tudo dá forma mais clara possível. Os pequenos capítulos sobre os personagens secundários também me agradaram bastante, fiquei muito feliz com o formato que a autora trouxe para a história.
comentários(0)comente



Fernanda | @psiuvemler 08/06/2017

O Sol Também é Uma Estrela | Blog Psiu, vem ler!
Natasha e Daniel não poderiam ser mais diferentes. Ela só acredita em fatos que podem ser comprovados através de experimentos ou estudos, e seu grande sonho é ser cientista de dados. Daniel já tem toda a vida planejada: iria terminar o ensino médio e cursaria medicina. Lutaria para ser bem sucedido na área e seria o orgulho dos pais. O problema é que esses são os sonhos de seus pais, não dele. Só o que ele deseja é ser poeta, mas, com medo de contrariar a família, acaba resignando-se a um sonho que não pertence a ele.
A família de Natasha se mudou para os Estados Unidos quando a menina tinha apenas oito anos e vivem no país desde então. Saíram da Jamaica para seguir o sonho do pai de ser ator, mas a idade vai pesando, as portas vão se fechando e o homem fica acomodado, deixando para a esposa a responsabilidade de trabalhar e sustentar a família. No entanto, eles vivem no país de forma ilegal, pois o visto durava apenas dois meses, e esse crime é descoberto por um deslize do pai, fazendo com que a família recebesse a intimação de deportação urgente.
A menos de 24 horas de precisar partir, Natasha faz o que pode para tentar permanecer nos Estados Unidos, cumprir todos os planos que havia feito e não ter a vida destruída pelos erros do pai. E a primeira coisa que ela faz é procurar a ajuda no prédio do Serviço de Imigração e Cidadania dos Estados Unidos.
Daniel é coreano-americano e vive sob a constante pressão dos pais, que só desejam que ele se torne alguém na vida. Sua mãe abandonou os sonhos para formar uma família e seu pai faz de tudo para que Daniel e seu irmão, Charlie, não tivessem a mesma vida que eles tiveram, por isso não é aceitável que Daniel escolha alguma profissão inferior à medicina. Seus pais queriam a todo custo que ele ingressasse em Harvard, a melhor escola, a mesma de seu irmão, mas, pela primeira vez, ele bateu o pé e fez suas próprias escolhas. É por isso que passamos a acompanhar a trajetória dele até uma entrevista que decidirá se ele será aluno da Universidade Yale ou não.
Os caminhos dos nossos personagens se cruzam de uma maneira fantástica e até assustadora. O encontro deles depende de muita coisa e é legal perceber que vários acontecimentos possibilitaram que eles estivessem no mesmo lugar e na mesma hora. O compromisso dos dois era no mesmo prédio, mas em horários diferentes, então muitos desvios foram necessários para que eles se encontrassem e, quando isso aconteceu, foi lindo demais.
Tanto Daniel quanto Natasha já possuíam ideias bem fixas sobre o futuro e sobre aquilo que escolheriam seguir, mas, após se conhecerem, vários questionamentos passaram a tomar conta de seus pensamentos, de modo que eles passaram a se perguntar o que era certo fazer e o que não era. E o mais legal disso tudo é que todo o desenrolar da história aconteceu em apenas um dia. Eles saíram de suas casas, destinados a chegarem a seu destino, sem nem ter consciência da existência um do outro, enfrentaram várias distrações ao longo do caminho, esbarraram-se e ali surgiu o relacionamento.
O ponto é que, mesmo tudo acontecendo em menos de 24 horas, a escrita da autora, de alguma forma, fez com que tudo fosse natural, espontâneo; em nenhum momento achei que aquilo era um absurdo, pois dava para acreditar que, em algum lugar do mundo, alguém poderia passar por aquilo. A relação de Daniel com Natasha foi muito fofa, porque, conforme as páginas foram passando, tínhamos a sensação de que eles se conheciam há anos!
O livro aborda diversos assuntos, que vão desde a imposição dos pais em relação ao futuro dos filhos até racismo, uma vez que os pais de Daniel queriam que seus filhos se relacionassem apenas com garotas coreanas e ficaram chocados quando ele apresentou uma garota jamaicana de cabelo afro – inclusive, um dos desejos da personagem era pintar as pontas de rosa e essa foi uma das coisas que me deu vontade de também pintar dessas cor (e estou amando!). Somos apresentados a temas como imigração, deportações e as mais variadas diferenças culturais através dos personagens.
O Sol Também É Uma Estrela terminou de uma forma que eu realmente não esperava e não estava em condições de presenciar. É diferente de tudo o que eu havia planejado para as últimas páginas, mas definitivamente a escolha da autora foi a melhor. Ainda quero saber o que aconteceu depois do final, mas não sei se algum dia terei essa chance. A edição da Arqueiro ficou linda e o exemplar ainda veio acompanhado de uma almofada e uma cartela de tatuagens removíveis com imagens retiradas do livro. Os capítulos são intercalados entre Natasha e Daniel, o que nos permite conhecer ainda mais os dois, tudo o que é enfrentado por eles e como ambos enxergam o mundo e as experiências que passam a viver. Definitivamente é um livro que recomendo. ♥

site: http://www.psiuvemler.com.br/2017/05/resenha-sol-tambem-estrela.html
comentários(0)comente



@colecionandolivros 07/06/2017

O sol também é uma estrela.
"Que seja infinito enquanto dure" ( Vinícius de Moraes)

Se eu tivesse que escolher uma frase para representar " O Sol Também é Uma Estrela" , escolheria essa, que faz parte de um poema de Vinícius de Moraes. Porque? Por que o amor de Natasha e Daniel, foi breve, foi lindo, foi conquistado a partir dos pequenos gestos, foi intenso e acima de tudo foi verdadeiro. Eles viveram o infinito deles.

O Sol Também é Uma Estrela nos enche de ensinamentos, nos mostra como duas pessoas que tem pensamentos diferentes sobre uma mesma coisa, pode se respeitar e entender. Trás exemplos de situações que muitas vezes não prestamos atenção. Entre relações de pais e filhos, decepções, universos múltiplos e decisões que mudaram totalmente o rumo da vida deles, Nicola Yoon, nos mostra um mundo de conhecimento.

Natasha não acredita em muitas coisas, nem destinos, nem em Deus, nem no amor... Sua vida mudará completamente em 12 horas. Todos os planos, tudo que conhece, sua vida inteira, tudo não pertencerá a ela, pois sua família será deportada. Daniel está perto de fazer a entrevista que definirá seu futuro, está disposto a deixar seu sonho para viver o de seus pais, que é cursar medicina. Ele não quer ser médico, mas também não quer decepcionar seus pais.

Existe infinitos multiversos, cada um com possibilidades diferentes, Natasha e Daniel poderiam estar em qualquer outro, mas eles estavam destinados a se encontrarem, a se amarem, a viver intensamente cada momento. O destino pode estar sendo cruel com eles em lhes dá tão pouco tempo, mas quando é verdadeiro, não importa a distância, o tempo, nada. No momento certo, o universo fará da certo.
comentários(0)comente



ELB 01/06/2017

Sabe aquele ditado "Os opostos se atraem"? Eu, enfim, descobri o verdadeiro significado dessa frase. Natasha e Daniel são como água e vinho: ela é toda ciência e fatos, ou seja, o lado racional, não acredita no acaso, nem em destino, apenas naquilo que ela possa explicar através de uma teoria e de maneira lógica, claro. Daniel é o poeta, o lado romântico de tudo, acredita no destino e que tudo acontece por um motivo, como o fato de que ele e Natasha deveriam se conhecer porque o destino quis que assim fosse.

Daniel está a caminho de uma entrevista para entrar na faculdade de Yale, quando ele encontra Natasha andando na rua, ouvindo música, e aparentemente muito distraída, ele então decide segui-la, porque acredita que recebeu um "sinal". Mas o destino iria pregar uma peça nele. Natasha, que aparentemente seria sua alma gêmea, estava prestes a ser deportada para a Jamaica, já que por um erro do seu pai, foi descoberto que eles viviam ilegalmente no Estados Unidos.

A autora tem uma forma simples, mas ao mesmo tempo tão poética de escrever, que me encantou. Esse foi meu primeiro contato com sua escrita, porém espero que não seja o último. Seu primeiro livro "Tudo e Todas as Coisas" fez muito sucesso e vai virar filme.

"É difícil amar alguém que não ama a gente".

A narrativa é feita em primeira pessoa por Natasha e Daniel, entretanto, a autora não se limitou a apenas isso, há uma narrativa em terceira pessoa na história, dos personagens secundários que aparecem no decorrer da trama, como a Irene, que é segurança, Samuel, que é o pai de Natasha, enfim, diversos personagens que conhecemos. A impressão que tive era que estava sendo feita uma pausa na história deles para dar lugar aos outros personagens.

E por incrível que pareça, esse foi um dos pontos altos da história para mim; eu me apeguei a cada um dos personagens e aprendi a admirar cada um por sua própria força, como o pai de Natasha. Eu o odiei no começo do livro, mas ao mesmo tempo, eu o entendia. Irene foi minha heroína, eu fiquei quase o livro inteiro com o coração apertado por causa dela.

Daniel foi um personagem apaixonante, apesar de viver um dilema de vida: seus pais coreanos queriam que ele fizesse medicina, porém seu coração não estava nisso. Eu até os entendia, apenas queiram o melhor para seus filhos, uma oportunidade de vida melhor, e qual pai ou mãe em sã consciência não quer o melhor para seu filho?

"Não é possível convencer alguém a amar a gente."

O sol também é uma Estrela basicamente se resume no dia que esses dois jovens se conhecem e o amor que surge entre eles. Eu não sou lá nenhuma fã de amores instantâneos, entretanto, esse livro me convenceu de que aqueles sentimentos eram verdadeiros e eu, sim, me vi torcendo pelo casal e com medo por eles.

A autora se aprofundou em diversos temas durante a leitura, como a imigração, a coragem que é necessária para abandonar seu país de origem e partir rumo ao desconhecido, em busca de uma nova oportunidade ou até mesmo uma vida melhor, mas ela não parou por aí; falou sobre depressão, racismo, deportação e discriminação racial, e ela falou de tudo isso de uma forma incrível.

Natasha é uma mulher sensacional, de caráter forte e personalidade explosiva. Ela não desistiu quando não restava nenhuma esperança e isso me levou a admirá-la, pense numa pessoa arretada é essa mulher. Ela também se viu em um dilema, mas acreditou e não deixou sua esperança morrer.

"Dizemos a nós próprios que existem motivos para as coisas que acontecem. Mas, na verdade, só estamos contando histórias para nós mesmos. Inventando. Elas não significam nada."

Esse é um daqueles livros que vou refletir durante algum tempo, para ver se encontro uma razão para os acontecimentos, mas que será uma referência quando o assunto for aceitação. Então, se você curte livros do gênero não deixe, de conferir.

site: http://www.everylittlebook.com.br/2017/03/resenha-o-sol-tambem-e-uma-estrela.html
comentários(0)comente



78 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6