Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir

Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir Sarah MacLean




Resenhas - ----


64 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


ELB 18/11/2017

Apaixonante!
Para quem esperava com ansiedade a história de Juliana Fiori, aqui a temos, no encerramento da Trilogia os Números do amor, de Sarah MacLean.

Para quem acompanha a história, sabe que Juliana é a irmã do Marquês de Ralston, Gabriel St. John, personagem do primeiro livro da trilogia (resenha aqui), que se surpreende, junto com seu irmão gêmeo, Nick, nosso personagem do segundo livro (resenha aqui), com a chegada dessa bela morena italiana, fruto do relacionamento de sua escandalosa mãe com um mercador, que acabara de falecer, deixando-a orfã e sem ninguém, já que a mãe deles, mais uma vez, decidiu viver suas aventuras pelo mundo, pouco se importando se tinha uma filha.

Como a família está bem acostumada a escândalos, e como irmãos, logicamente decidem incluí-la na conservadora sociedade londrina, visando um bom casamento para a jovem, o que contraria a impetuosa Juliana, que não está acostumado a tanto conservadorismo e se nega terminantemente a casar só para ter uma boa reputação.

Ao contrário de Juliana, Simon Pearson, o Duque de Leigthon, preza as aparências acima de tudo. Seu nome e o de sua família tem que estar acima de tudo, e ele vive sua vida de acordo com isso. Não é à toa que é conhecido como o Duque do Desdém, por demonstrar desprezo àquilo que não é convencional, que julga indigno. Então, mesmo que Simon tenha sentido um enorme fascínio por uma misteriosa morena que ele conheceu casualmente, não hesita em manter distância quando finalmente conhece suas origens, decide se afastar de Juliana para que essa atração seja contida.

A obsessão de Simon para manter as aparências aumenta quando sua família está prestes a sofrer as consequências de um escândalo. Assim, ele se empenha em frequentar a sociedade mais ativamente, em busca de um casamento com uma moça de linhagem perfeita, acima de qualquer escândalo, baseando-se somente que o casamento é um acordo de negócios para cumprir as normas sociais e as exigências do seu título.

No entanto, Juliana não esquece que aquele Duque empertigado a fez sentir um pequeno gosto de paixão e ansiar por algo com um homem como nunca antes aconteceu. E está disposta a desafiar Simon para quebrar toda sua frieza e mostrar que a vida também é construída e guiada sobre emoções, e que ela está além da lógica e da necessidade de ter um status social impecável para satisfazer as aparências. Dessa forma, ela não hesita em provocá-lo, acenando com a paixão e emoção que os dois poderiam provar juntos, de forma a destituí-lo de todo conservadorismo com o qual ele rege a sua vida. Porém, ela, que se achava uma mestra em seu desafio, não estava preparada para ser pega na sua própria armadilha.

Paixão. Ela o desafiara a descobrir a emoção, mas não estava, ela própria, preparada para descobri-la.

O caminho que Simon traçara para a vida dele não tinha desvios, principalmente um que poderia levá-lo a um mundo desconhecido no qual poderia se perder em meio ao prazer e as fortes sensações que Juliana lhe provocava. E embora ela preenchesse algo dentro de si, que até então ele não sabia estar vazio, ele precisava evitar a jovem cheia de charme e inteligência que o encantava ao mesmo tempo que o fazia desejar por algo que não podia ter.

– Você é um escândalo esperando para acontecer... Um escândalo do qual não posso me dar ao luxo de participar – acrescentou ele.

Sabe aquele livro que você espera com uma ansiedade absurda e quando finalmente o lê, ele supre todas as suas expectativas e você fica deprimida porque acabou? Pois bem, esse é o livro!

A história do livro é apaixonante! Retrata a guerra interna dos personagens entre o convencional, o que é aceito pela maioria, com o que é necessário para ser feliz, algo que vai além das aparências e de sua importância. Para isso, os personagens não poderiam ser mais diferentes entre si, mas são duas peças diferentes que se encaixam uma na outra.

Desde o primeiro livro, Juliana já nos acenava com a promessa de uma protagonista marcante, cheia de personalidade e carisma, e realmente a autora não deixou a desejar em sua história: cativante, cheia de ideias próprias e com uma aura de independência apaixonante. Mas a característica principal que chama realmente a atenção e cativa o leitor é a força da sua personalidade, que a faz enfrentar de cabeça erguida os desafios de uma sociedade esnobe que só liga para as aparências. Como sempre, Sarah MacLean cria um personagem feminino que representa de forma sutil os anseios da voz feminina em ter mais espaço em seu meio social.

E quem não antipatizou com Simon nos livros anteriores jogue a primeira pedra! E quem se apaixonou por ele agora, declare seu amor sem vergonha nenhuma! Quem diria que um personagem tão frio e cheio de desdém poderia de transformar em alguém tão apaixonado e cheio de sentimentos? A autora soube conduzir perfeitamente a sua história, de forma a vermos mudanças graduais, de acordo com o nascimento de uma consciência maior do personagem sobre os próprios sentimentos e o dos outros, principalmente os que motivaram comportamentos condenáveis aos seus olhos. No fim, ele se transformou em um personagem apaixonante, do tipo que amamos ler.

Sobre a narrativa do livro, ela é envolvente e dinâmica, com diálogos inteligente e engraçados, o que, creio eu, são elementos fundamentais para envolver o leitor na leitura. Aliás, Sarah tem essa habilidade na sua escrita, onde suas discrições tornam a história mais viva, e é algo que amo nela e o que me faz envolver cada vez mais por seus livros.

Fechando a trilogia com chave de ouro, temos um livro que realmente nos arrebata: humor, paixão e sensualidade se misturam para nos presentear com um romance apaixonante que nos passa uma mensagem simples, mas certa: o que vale as aparências, se o amor não liga para as convenções sociais e títulos de nobreza?

site: http://www.everylittlebook.com.br/2017/06/resenha-onze-leis-cumprir-na-hora-de.html
comentários(0)comente



Aione 11/11/2017

Onze leis a cumprir na hora de seduzir fecha a trilogia de época Os Números do Amor de Sarah MacLean, dessa vez, trazendo Juliana Fiori no papel principal – meia-irmã dos protagonistas gêmeos dos dois primeiros livros.

Juliana é acompanhada do escândalo desde que chegou à sociedade britânica. Italiana e filha de um comerciante, a jovem estonteante não consegue se livrar das fofocas: seus hábitos nada britânicos chamam demais a atenção, além da fama de sua mãe a preceder, já que a mulher primeiro abandonou os dois meio-irmãos de Juliana para depois também abandoná-la. Ela tanto não consegue passar despercebida, que acaba chamando a atenção de um duque, conhecido por sua frieza e moral inquestionável. Seria ele capaz de resistir a ela em nome do cumprimento das regras sociais?

Assim como nos primeiros livros, a escrita ágil e divertida de Sarah MacLean permite um rápido envolvimento com a trama, sobretudo nas passagens com diálogos espirituosos trocados entre os personagens. Ainda, a narrativa em terceira pessoa permite que acompanhemos as perspectivas tanto de Juliana quanto do duque, ambas carregadas de paixão e da tensão sensual surgida entre eles.

Onze leis a cumprir na hora de seduzir inova ao trazer, dessa vez, o mocinho mais preocupado com sua reputação do que a mocinha, quando o inverso costuma ser a regra em obras do gênero. É esse diferencial que torna o livro mais divertido, ainda que não tenha sido o que mais me agradou na leitura. Como Juliana sofre pelas marcas que sua mãe deixou em sua vida, ela também se preocupa em ser parecida com ela, sendo tal preocupação intensificada pelos constantes escândalos nos quais ela se envolve. Dessa maneira, o livro trata também da questão da autodescoberta e de uma personagem se libertando de seus fantasmas em prol de si mesma.

E o romance, é claro, rouba a cena em Onze leis a cumprir na hora de seduzir. É por meio dele que o protagonista também passa por seu processo de amadurecimento, no caso, descobrindo sobre o que realmente vale a pena ser valorizado em sua vida. Não é só emocionante acompanhar essa transformação como também ela nos proporciona nos apaixonarmos ainda mais pelo casal: nos apaixonamos por eles e juntamente deles.

Meu favorito da série Os Números do Amor continua sendo o primeiro volume. Nem por isso Onze leis a cumprir na hora de seduzir deixa de ser uma leitura agradável, leve e divertida, principalmente por suas personagens cativantes e pelo romance apaixonante. Mais uma boa recomendação aos fãs do gênero!

site: http://minhavidaliteraria.com.br/2017/11/01/resenha-onze-leis-cumprir-na-hora-de-seduzir-sarah-maclean/
comentários(0)comente



Grazy Souza 08/11/2017

Romance ''para chamar de meu'' do amor <3
Finalmente pus as mãos e olhos nesse desfecho maravilhoso d'Os Números do Amor. Sarah MacLean narra com maestria a história da apaixonante Juliana Fiori, meia-irmã italiana dos meus queridos gêmeos St Clair. Eu sou totalmente apaixonada pela história do Gabriel com a Calllie (Nove regras a ignorar antes de se apaixonar), adorei ver Nick e Isabel se encontrando (Dez formas de fazer um coração se derreter) e agora estou arrebatada pela saga da srta Fiori, um escândalo ambulante, não exatamente por culpa dela.
18983240_1321447231307201_1592402477_n
O enredo foi muito bem pensado para deixar vários aspectos de ambos protagonistas aparecerem e há uma grande surpresa no meio da história, para deixar tudo ainda mais difícil, claro. A narrativa é rápida, com vários eventos acontecendo em seguida do outro, o que deixou a leitura mais dinâmica. Sobre isso, aliás, preciso comentar que a tradução do título deixou a desejar: Eleven scandals to start to win a Duke's heart (Onze escândalos a começar para o coração de um duque ganhar) combina bem mais com a trama.

Mais uma vez temos uma mocinha forte, que não se curva às regras idiotas da sociedade e ensina ao homem - o mais orgulhoso de todos - que a paixão supera a reputação. Ela me lembra muito a Sophie, de Cilada para um marquês (que é outro dos meus queridinhos) e o Duque de Leighton, Simon, tem o mesmo nome e lembra muito outro duque que é meu crush literário: Simon Basset, Duque de Hastings, de O Duque e Eu (Os Bridgertons #1). Não é surpresa nenhuma para mim, então, que esse livro tenha se tornado outro amorzinho meu.

Veja mais no link

site: http://www.sagaliteraria.com.br/2017/06/resenha-268-onze-leis-cumprir-na-hora.html
comentários(0)comente



Adriana 28/10/2017

Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir de Sarah MacLean
Juliana é uma jovem encantadora, porem com uma tendencia à se meter em confusões.
Sua própria chegada em Londres foi um verdadeiro escândalo, já que ela é filha da Marquesa que abandonou a família em busca de aventura e acabou se envolvendo com um mercador italiano.
"Ela quis mais do que podia ter.
Ela o quis, e mais do que isso…ela quis que ele a quisesse.
Em nome de algo maior do que a tradição, mais ousado do que a reputação, mais importante do que um título tolo."
Com a morte de seu pai, uma das clausulas do testamento era que ela fosse levada para morar com seus irmão por parte de mãe em Londres. Inicialmente Juliana achava que seria enxotada de lá, por ser parte do passado vergonhoso de sua mãe. Mas para sua surpresa ela é muito bem recebida pelos irmãos gêmeos Gabriel St. John o marquês de Ralston e Nick St. Jonh. E claro, que depois de muita discussão ela se convence a permanecer em Londres.

Em seus primeiros meses na nova residencia, Juliane vai a livraria comprar um presente para Gabriel e lá ela encontra um lindo e misterioso cavalheiro. Os dois se encantam um pelo outro. Porem depois de mais algumas idas e vindas, o cavalheiro em questão descobre sua identidade e a repele como se ela tivesse uma doença contagiosa. E a julga ser a maior dos escândalos de toda à Londres, isto é, tudo que ele não quer e não precisa. Porem Juliana faz disso um verdadeiro desafio.
"A garota era vulgar e impossível, era tudo o que ele não conseguia suportar em uma mulher.
Mas era fascinante."
Simon Pearson, o Duque de Leighton. é um homem arrogante e intolerante, que esta passando por um momento de medidas desesperadas, logo ele que tem pavor de escândalo se vê envolvido com duas pessoas que podem ser sua ruína. Primeiro sua irmã, que se envolvem com alguém que ela se recusa a dizer quem é, fugiu e no momento está gravida e com a data próxima do parto. E quando a sociedade londrina souber desse fato sua família e sua reputação estarão arruinados.
E por esse motivo ele precisa se casar com uma dama de reputação impecável.
"…você é linda e brilhante e ousada e tão apaixonada pela vida e pelo amor e por todas essas coisas nas quais acredita. E você me ensinou que tudo que acredito, tudo o que achei que queria, tudo o que pensei que deveria apoiar…tudo…é errado. Eu quero sua versão da vida…"
A outra pessoa é Juliana. Desde que se conheceram ele se encantou pela doce, linda e misteriosa dama. Isso até ele descobrir que ela é a recém chegada e escandalosa irmã do também escandaloso Marquês de Ralston. E apesar de dever muito favor a Nick St Jonh o que ele mais quer é distancia desta família.
Mas as circunstancias e o destino tem um jeito estranho e único de conduzir as coisa, e nem sempre é do jeito que desejamos.

A escrita da Sarah Maclean é maravilhosa, e Juliana é uma personagem fantástica e carismática.
Mas o Simon, meu Deus que homem insuportável. Eu gostaria que ele tivesse se rastejado muito para conquistar a Juliana. E apesar do final lindo do livro, eu esperava um pouco mais.

site: www.meupassatempoblablabla.com
comentários(0)comente



Luiza 17/10/2017

Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir
Juliana Fiori, a meia irmã italiana de Gabriel e Nicholas St. John, é uma jovem impulsiva, que fala o que pensa e que não faz muita questão de ter a aprovação da sociedade em que foi jogada após a morte do pai.

Desde que desembarcou no país, sua natureza escandalosa e sua beleza estonteante (além da história de sua família) a colocam constantemente como assunto das fofocas, mesmo quando ela se esforça para controlar-se e/ou não se envolver em alguma situação que possa comprometer sua família.

Mas suas intensões de não participar de escândalos sempre para quando Juliana encontra Simon Pearson, o magnifico e desdenhoso duque de Leighton.

O poderoso nobre orgulha-se de sua origem e defende seu título com unhas e dentes sem se importar com quem atropela no caminho. Arrogante e perfeitamente chamado de "o duque do desdém", Simon viveu sua vida como se coisas como o amizade, amor e paixão fossem apenas para pessoas comuns,, e não para ele, um duque.

Para Simon, Juliana é um escândalo ambulante e, por isso mesmo, ela decide provar a ele que qualquer um (até mesmo o "duque do desdém") precisa se render às emoções de vez em quando.

O jogo é uma corda bamba, e Juliana sabe que, se perder, é ela quem sairá arruinada e machucada. Mas ela sabe também que Simon pode ser muito mais do que ele foi criado para ser.

De todos os livros da trilogia, Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir é o que mais aparece como favorito entre o meu grupo de aficionadas por romances de época, e não é pra menos. Simon não faz o tipo cafajeste a que gostamos tanto, mas foi justamente essa troca de papeis (a protagonista feminina tentando "desvirtuar" o protagonista masculino) que deu destaque ao romance.

Adorei tudo! Personagens, construção da trama, desfecho, tudo perfeito!

site: http://www.oslivrosdebela.com/2017/10/onze-leis-cumprir-na-hora-de-seduzir-sarah-maclean.html
comentários(0)comente



Fabi 15/10/2017

MOCINHO ARROGANTE. MOCINHA QUE LAMBE O CHÃO QUE ELE PISA.
Todo leitor tem algo que não gosta em personagens literários. Eu é claro, também tenho.
E uma delas, é personagem masculino arrogante e a protagonista contra tudo que é provável, gosta dele.
Afff, tenho raiva dessas personagens idiotas!
Para mim, um livro assim, passa a impressão que a mulher gosta de ser tratada que nem um cachorrinho, que quando seu dono acena, ela vai abanando o rabo.
Juliana Fiori é uma moça que mesmo sabendo que algumas de suas atitudes não são certas, ainda faz o que tem vontade.
Como já sabemos ela após a morte de seu pai, está morando com seu meio- irmão Gabriel.
Ao desembarcar no novo país, sua natureza escandalosa e sua beleza estonteante fazem dela o tema favorito das fofocas da aristocracia. Pelo bem de sua recém-descoberta família britânica, Juliana se esforça para domar seu temperamento e evitar qualquer deslize que comprometa o clã. Até conhecer Simon Pearson, o magnífico duque de Leighton.
Simon é conhecido como o duque do Desdém. Ele não gosta de escândalos e sempre achou que a família de Juliana não fosse das mais exemplares para a sociedade.
Juliana como já disse, contra tudo que é provável, se sente atraída por Simon. O duque só vive dizendo que Juliana só atrai escândalos, que ela tem que se comportar, blábláblá. Mas ele diz isso sempre de forma bruta, nada de forma gentil. É isso, ele nunca é cavalheiro com ela, sempre a coloca abaixo dele, mas a boba alegre, basta Simon sorrir de forma lascívia que ela já se derrete.
Para mim este livro foi uma extrema tortura de ler. Li ele em 3 dias, o que nunca significa que foi algo bom, pois quando eu gosto de um livro, até em 2 dias o finalizo.
Durante a leitura, dava vontade de entrar no livro e dar um tapa em Juliana e a mandar ter orgulho próprio. A menina nem se valoriza, fica se arrastando por um cara insuportável.
O que salvou o livro foram as participações dos casais Callie & Gabriel e Isabel & Nick.
Sério, não aprovei Juliana com Simon. O irmão de Callie, Benedict é um amor de pessoa, queria tanto que a autora tivesse juntado Juliana com ele.
Só que Sarah Maclean nem dá oportunidade para isso acontecer. Ela quer que engolimos de todo jeito o Simon, não nos fornece muitos momentos do Benedict.
Esperava muito mais deste livro...
Khetelen 15/10/2017minha estante
Ainda não cheguei nem na metade do livro, pois concordo com o que você disse e por isso não estou com vontade de terminar ele. :/ É mais um daqueles casos de: não quero continuar lendo, mas também não quero abandonar a leitura.


Fabi 16/10/2017minha estante
li bemm sem vontade ele Khetelen =/


Jaqueline 08/11/2017minha estante
Nossa, concordo demais contigo nessa resenha. Em poucas aparições, Benedict se mostrou um personagem muito mais carismático e multifacetado que Simon. Achei esse o romance mais fraco da MacLean que li até agora porque fiquei com preguiça REAL dos protagonistas, rs.




Rose 02/10/2017

Juliana Fiori não é apenas uma estrangeira na Inglaterra. A meia irmã dos gêmeos Gabriel e Nicholas, é bem diferente das moças da sociedade londrina. Sem papas na língua, ela fala o que pensa e não está nem aí para a opinião dos outros sobre si mesma.
Esta sua impetuosidade, aliada a sua beleza e a fama de sua mãe, Louise Fiori, fazem dela um prato cheio para as fofocas. Pensando no bem estar de seus irmãos, ela tenta se acostumar a estes novos costumes e a domar seu gênio forte.
Apesar de seus esforços, as coisas não acontecem como ela desejaria. Tanto é que tentando fugir de uma festa, ela acaba conhecendo Simon Pearson, o duque de Leighton.
Ela e o duque são completamente diferentes. Enquanto Juliana é cheia de vida, sempre chamando atenção para si, Simon é frio e esnobe. Para ele, a reputação de sua família está acima de qualquer coisa.
Lógico que esta diferença de temperamento acaba gerando inúmeras brigas e confrontos entre os dois, para deleite dos leitores. É neste ínterim que nossa protagonista desafia Simon para uma aposta. Ela quer ensinar para o Duque do Desdém o poder de uma paixão. Simon aceita o desafio, e está disposto a provar que reputação e o título estão acima de qualquer coisa.
E neste jogo de gato e rato, estes dois tem duas semanas para provarem seus pontos de vista e venceram a aposta. Se é que no final haverá algum vencedor...
Muito bom o enredo que Sarah MacLean criou. Aliás, ela encerra a trilogia de uma forma engraçada, pontuada por personagens fortes, que mesmo diferentes, se completam e tem muito a ensinar um ao outro.
Outra coisa que gostei no livro foi poder rever Georgiana, a irmã de Simon. Aqui temos o que posso descrever como o início da história dela. Uma história aliás, que conhecemos melhor em uma outra série chamada "O Clube dos Canalhas", já postada aqui no blog. Mais uma ótima leitura para os fãs do gênero

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br
comentários(0)comente



homesickb 27/09/2017

Sensacional!!!
Confesso que sou apaixonada por Sarah Maclean... Não tem um livro que eu não goste. Achei a história extremamente cativante e muito bem elaborada. Sem palavras.
comentários(0)comente



Mi 17/09/2017

O primeiro continua sendo de longe o melhor.
" - Tem medo?
- Não estou interessado.
- Duvido que isso seja certo(...)
- E se resisto a sua vida tempestuosa?
- Então case com a uva e tudo está bem (...)
- Mas... Se você não pode resistir...-
Ela se aproximou, seu calor era uma tentação no ar fresco de outubro.
- Então, o que? - Perguntou em voz baixa e escura.
Ela o tinha agora. Ela o faria cair. E seu mundo perfeito com ele. Sorriu.
? Então, sua reputação corre grave perigo. "

Finalmente chegamos no livro da meia-irmã dos Lordes Gabriel ( meu Homão da Po #$@ , amor da minha vida, razão do meu viver) e Nicholas St. John
( galã também, só que prefiro o outro kkk).
Para quem não se lembra, Juliana Fiori é fruto de um relacionamento que a mãe dos meninos ( vou chamar de meninos, porque eles são os meus bebês ), teve com um comerciante italiano, depois de abandonar os gêmeos Ralstons e o primeiro marido.
Nos dois volumes anteriores, observamos tanto a chega de Juliana Fiori à Inglaterra, como também virmos que a garota , bem... tem uma personalidade forte. Ela é um ímã para problemas, e pela sua forma impulsiva de agir, digamos que ela não caiu nas graças da alta sociedade.
Ela é alvo favorito de todas as fofocas londrinas, todavia ela nega-se a
viver segundo as regras ditadas pela a sociedade: ela diz o que pensa, age como quer, não lhe preocupa conseguir a aprovação de ninguém.
Ela simplesmente vive para a paixão, tenta desfrutar da vida de forma intensamente, sem se preocupar ou perder tempo com as etiquetas, que só serve para limita-la.

Sendo que a má fã de Juliana é mais por ela ser uma filha ilegítima, do que pelas suas atitudes. É de conhecimento geral, que ela só é "aceita" , aturada pela a sociedade, porque um de seus irmãos é um marquês. E logo no inicio do livro, vemos que por ter a mãe que tem , uma situação a qual ela seria vista como vítima, ela poderia acabar saindo como culpada.
E é por causa da situação complicada ao qual se meteu, Juliana não viu outra alternativa, a não ser fugir do baile dos Ralstons, e se esconder numa das carruagens.

"Porque, certamente, não havia ninguém mais no mundo que gostaria de encarar, ao menos nesse momento em particular, que o insuportável e intocável, Duque de Leighton.
Sem dúvida, o universo estava conspirando contra ela."

Bem acho que lembramos bem do jeito, digamos pomposo do Duque de Leighton.
Ele acha que está acima das pessoas que não possuem um título como o dele.
Para ele a reputação é tudo.
Ele está muito centrado em manter seu título livre de toda mácula e seus segredos a salvo. Sendo que ao se esconder na carruagem dele, Juliana colocou em risco a reputação Imaculada que ele tanto dá valor.

"? Você está tão impressionado com seu título e seu status, que é
um milagre que não tenha a palavra ?Duque? bordada em fio de prata na parte superior de seus trajes. Pela forma que se comporta, poderia se pensar em realidade, que tenha
feito algo que valesse a pena, para ganhar o respeito destes parvos ingleses, mais que o luxo de ter sido parido, por mera coincidência, no momento adequado e pelo homem
correto, quem imagino realizou o trabalho exatamente da mesma maneira que os outros homens. Senza Finezza "

Percebe-se que há uma certa tensão, algo implícito entre os dois.
Juliana, mesmo que não queira admitir, acho o Duque arrogante atraente, mas ao mesmo tempo odeia esse ar de superioridade dele.
Desde que ele descobrira de quem ela era irmã e filha, começou a desfazer dela.
Ela sabe que o mesmo, só lhe ajudou com o ocorrido da noite do baile, pois ele está em dívida com seu irmão Nicholas, e também quanto menos pessoas souber do que acontecera à Juliana, menores são as chances dele se envolver num escândalo.

"Ela se encheu de um desejo familiar, um que se apoderava dela cada vez que estava perto dele.
O desejo de romper sua fachada.
Ela o tinha vislumbrado sem ela duas vezes. E então ele tinha descoberto quem era ela, a irmã italiana de um dos canalhas mais notórios de Londres, apenas a filha ilegítima de uma marquesa decaída e seu marido comerciante, criada longe de Londres e de seus costumes, tradições e regras.
O contrário de tudo o que ele representava. A antítese de tudo o que ele queria ter em seu mundo. "

Bem ,o reencontro dos dois não é nada caloroso. Durante a discussão, ambos prometem mudar a forma de pensar um do outro, sobre a vida. Ele
jura ensinar à insensata beldade uma lição de decoro, e ela, quer duas semanas para demonstrar que inclusive um duque imperturbável não está livre da paixão.

" - Acredita que está por cima da paixão? Pensa que seu mundo perfeito não necessita nada mais que normas rígidas e experiências sem emoções?
Deu um passo atrás com o desafio em suas palavras suaves.
- Eu não acredito. Sei.
Ela assentiu com a cabeça.
- Prove - Suas sobrancelhas se juntaram, mas não falou.
- Vou ensinar que nem sequer um duque gélido pode viver sem o calor. "

Bem...sei la kkk Agora sério, não vou lá muito com a cara do Duque.
Eu compreendo o motivo dele ser frio e tal ( tambem...com uma mãe daquelas, misericórdia. ...) , só que não senti tanta conexão com ele.
E chegou um momento, que eu achei que Juliana tinha mais que se valorizar, não midigar atenção.
( O lance é : Eu fiquei caidinha pelo Benedict, irmão da Callie. Podem me odiar, to nem aí. )
Porém Juliana é uma personagem que merecia ser feliz, então fico feliz por ela, pelo o final que ela teve.

Nesse livros temos uns momentos bem bombástico.
E mais de Callie e Gabriel, que dos três livros, continuam sendo o melhor casal.
Aiiiiiiii é tão legal de ser vê que eles continuam tão apaixonados, como no do primeiro livro.
Nossa..como amo os dois.
Callie um amor, e Gabriel..pow..é o Gabriel kkkkk

Agora voltando ao casal principal, bem ...Achei eles ok.
Não vou ser hipócrita em falar que o Duque não mudou, e que eu não senti uma simpatia por ele nas partes finais do livro. Mas sabe o que me incomoda na maioria dos livros de época? É que parece que os machos só se dão conta que estão apaixonado, que só esperam pra se declarar depois de uma transa , sabe ?
Ah..vou soltar o verbo mesmo kkkk
Eu não odiei o livro, só que as ações dos personagens me aborrecia em alguns momentos. Tipo, Juliana se sentia incomodada em ser comparada com a mãe e tal, não queria ser como ela, todavia fazia coisas que nenhuma dama seria capaz de fazer. Apostas, encontros inapropriados ( intencional ou não, eu não via uma arrependimento da parte dela ), enfim..flertava com o Duque. Ela era meio inconstante, ora você acredita que ela seria capaz de ser até a amante do Simon, por amar ele e saber que nunca poderia ser sua esposa. E tem momentos, que você acredita que ela não se prestaria a um papel desses.
E Simon? Com aquele lenga lenga de reputação, que tinha que casar com uma garota de uma reputação impecável, pra quando o escândalo da irmã vir a tona , não se focarem nela ( Meu filho, poderia ter uma furacão, uma guerra, mas filho fora do casamento é o assunto favorito das fofocas. Podem se passar anos, mas sempre alguém vai lembrar de alguém que teve um filho "bastardo ".)
Meu argumento pode ter uns certos furos, pois tanto Callie e Gabriel não foram puritanos antes de se casarem, mas ao meu ver , havia uma cumplicidade entre os dois. Eles estavam cagando e andando pra todos. Callie queria viver intensamente, se aventurar, e Gabriel não via o casamento como uma meta, ele era um libertino, era de conhecimento geral. Callie sabia que dificilmente ela conseguiria mudar Gabriel ( mas ela conseguiu..aaaahhhhh como é sortuda ).
E quando ela quis se afastar de Gabriel, ele foi respeitoso ( pelo menos tentou, se vocês me entende kkkkk), e mesmo que Gabriel não quisesse admitir para sí mesmo, você via pequenos gestos dele, que demonstrava que ele a amava. Eles transaram antes de casar ? SIIIIM , mas era bem mais evidente o sentimento de ambos um pelo o outro. Fora que eles tinham mais química e muito mais carisma.
O Duque mudou? Sim.
Ganhou minha simpatia? Sim ( não vou ser hipócrita, tenho que dar o braço a torcer, mas ainda não sei como ela se apaixonou por ele. )
Mas sinceramente? Não gostei muito da construção do relacionamento deles.
Ps: Continuo sendo #TeamBenedict, não precisou de muitas cenas pra conquistar o meu coração.
Kelli 02/10/2017minha estante
Super concordo com vc! Confesso que também torci pro Benedict ficar com a Juliana. Passei a maior parte do livro querendo enganar o Simon e só no finalzinho ele melhora um pouco. Mas ainda assim não é dos melhores mocinhos. Juliana merecia mais (minha opinião)
E Benedict merecia um livro só dele ne.


Kelli 02/10/2017minha estante
*esganar


Mi 07/10/2017minha estante
Aaaahhh eu não to sozinha nessa kkkkk O Benedict é um amorzinho #MyLife..
Melhor pessoa ever


Jaqueline 08/11/2017minha estante
Benedict merece um livro para si! Também achei um saco Simon + Juliana




Lane @juntodoslivros 09/09/2017

Onze lei de como enlouquecer Gabriel
Desde que chegou na Inglaterra, Juliana Fiori sabe que todos esperam que ela traga um escândalo a cada ato seu. Por ser filha de Louise Fiori, a mulher que abandonou marido e dois filhos na Inglaterra e teve Juliana com outro homem, as pessoas acreditam que Juliana faça algo no mesmo nível de sua mãe. Seus meios-irmãos a acolhem e cuidam dela, mas Juliana não foi criada com os costumes ingleses. Impetuosa e ousada, ela acaba estando ainda mais nos círculos de fofocas.

Juliana já começa esse livro em fuga do baile do próprio meio-irmão na Casa Ralston. E essa ação acaba a levando a apuros. E esses apuros rendem tapas, cortes na pele e farpas trocadas com o duque de Leighton. Uma confusão maravilhosa devo dizer. Rsrs...

Simon, o duque de Leighton, é conhecido como o Duque do Desdém. Sempre frio, arrogante e extremamente consciente da sua posição social, ele sabe que o título que carrega trás responsabilidades imensas e não pretende manchar a reputação da família por motivos banais. Mas quando Juliana aparece em sua vida, parece que ela desperta uma parte de si que ele nem sabia que existia e o faz aceitar uma aposta sem pensar nas consequências.

“– Parece que não é tão imune à paixão quanto pensa, Vossa Graça.
E com essa estalada fria de seu pulso ela partiu como um raio, seu cavalo trovejando pela trilha pela qual eles tinham vindo.” Página 68

A edição está maravilhosa como sempre. A Editora Arqueiro sempre capricha nas edições dos romances de época. As folhas são de boa qualidade e em cada capítulo temos citações de uma revista feminina da época. A narração é em terceira pessoa com foco em Juliana e Simon.

Para quem não lembra, Juliana Fiori é a meia-irmã de Gabriel e Nicholas St. John, os protagonistas dos dois livros anteriores. Os dois livros já tem resenha aqui no blog. Aqui e aqui. Não deixem de conferir!

Adorei conhecer mais da personagem de Juliana Fiori. Estava muito ansiosa para ler o livro dela e ver quais confusões ela viria a se meter! Ela aparece desde o primeiro livro da série já causando comoção por onde passa. Por ser italiana e filha ilegítima por parte de mãe, toda a sociedade aristocrata londrina não deixa de fofocar sobre sua origem e conduta social. E Juliana não decepciona. Essa mulher é muito maluca! Fiquei chocada com várias atitudes que ela toma ao longo do livro, uma mulher extremamente ousada para a época. Esse livro deveria ter o título de Onze Escândalos a Cumprir Na Hora de Seduzir. Hahaha...

Já Simon, foi um personagem que me deixou confusa. Uma hora eu o odiava e depois o amava. A sua reputação e posição social tinha que ser sempre a mais correta possível e ele não poderia ter qualquer relação com Juliana, mas ele sempre acabava se rendendo a algumas peripécias da protagonista, dando uma leveza ao arrogante Simon.

Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir é mais um livro maravilhoso da Sarah MacLean. Essa mulher escreve muito! Mas devo confessar que esse livro não foi o melhor da série Os Números do Amor. Sendo Juliana uma italiana de sangue quente, eu esperava um pouco mais das aventuras por parte dela. Mas não se preocupem leitores, pois Juliana apronta bastante ao longo do livro.

Agora só resta me despedir dessa série maravilhosa! Mas não preciso ficar triste, pois ela tem uma “continuação” com a série O Clube dos Canalhas e a série Escândalos e Canalhas lançados pela Editora Gutenberg. Novos personagens para nos encantar! Como não amar essa notícia?!

site: http://www.lagarota.com.br/2017/08/livro-onze-leis-cumprir-na-hora-de.html
comentários(0)comente



Thais.ElliziA 08/09/2017

Não é o melhor livro mas é o da melhor protagonista
Último livro dessa coleção. É muito bom SO QUE o primeiro continua sendo o melhor dos três. Juliana Fiori teve uma infância relativamente difícil com o abandono da sua mãe mas é quando seu pai morre que sua vida vira de pontas para o ar. Ela sai da Itália e vai viver com seus irmãos por parte de mãe, Marquês de Ralston e St. John(isso mesmo, os irmãos dos dois primeiros livros).Dai então ela tem que enfrentar todas as consequências e preconceitos de ser apresentada a sociedade principalmente de um correto, poderoso e lindo duque de Leighton. Apesar de não ser o meu livro preferido dos 3, Juliana Fiori é minha personagem feminina favorita.
comentários(0)comente



Patricia 06/09/2017

Fechou com chave de ouro!!
O que eu mais amo nos livroa da Sarah, é que ela me faz sentir que moro em uma cidade pequena,onde todo mundo conhece todo mundo. A maioria dos personagens princopais são pessoas que já foram mencionadas em outro livro, e eu fico muito feliz por isso,pq assim consigo saber o desenrolar dos personagens,como no caso da Lady Gerogianna e a Penelope,por exemplo.
Mas vamos ao livro,rs. Esse livro não é daqueles engraçados,onde o mocinho é leve,risonho,etc. Pelo contrário. Deve ser mal de duque, pq o Simon me lembrou muito Wulfric, o duque de Bewcastle, de Ligeiramente Perigosos (autora Mary Balogh). Supirei intensamente por ambos,mas quis mata-los na mesma proporção,kkkk
Simon é um duque conhecido como Duque do desdém,então só pelo apelido já dá para saber como ele é. Frio,esnobe, rico,que olha a ralé com a nariz em pé,sempre preocupado com a reputação . Só q ele se apaixona pela ralé mais escandalosa da sociedade, a Julianna. Ela é totalmente ao contrário dele,uma pessoa fogosa,italiana, cheia de paixão. Por isso o romance não é leve,é quente,cheio de brigas e discussões.
Se vc gosta de personagens que vivem como o gato e o rato,irão adorar esse livro. Livro cheio de conflito,com cenas sensuais e quentes, e envolventes. Tanto Julianna como Simon são personagens muito bem escritos e desenvolvidos. O livro contém cenas engraçadas,mas o que te prende e a tensão. Ver o amadurecimento dos personagens tb é bem legal se acompanhar.
Fechou a Saga com Chave de Ouro. Depois de ler essa trilogia,o segal seria ler a trilogia o Clube dos Canalhas, que começa com o livro entre o Amor e a Vingança, que conta com a historia da Lady Penelope.
Recomendadissimo!
comentários(0)comente



Kelly Martinez 27/08/2017

Romancinho pra suspirar... não tem erro! A mesma receita que satisfaz o leitor! Pelo menos pra mim!
Com a única ressalva de não saber qual foi o destino da mãe dos 3 irmãos da Casa Ralston, o livro agrada! Muito!
É ler e se apaixonar!
Recomendo!
comentários(0)comente



Camila Paulino 25/08/2017

Maravihoso!
Uma deusa. Uma louca. Uma feiticeira.

Não, não é a música daquela dupla sertaneja famosa e sim algumas das muitas palavras a qual Simon Pearson, o Duque do Desdém, usou para descrever Juliana Fiori, uma mulher obstinada, selvagem, apaixonante e docemente escandalosa . Mas é claro que ela não era páreo para o duque pois não havia espaço para paixão e escândalos em sua vida e então quando ela lhe propõe uma aposta por duas semanas em que ela lhe mostraria o poder da paixão, ele não exita em aceitar, mas com outra ideia em mente, a de lhe dar uma lição de que o decoro, a reputação e o título são mais importantes do que esse tal de amor.

"Afinal de contas, por que arriscar o amor de novo quando a experiência mostrava que tal comportamento terminava em dor, raiva e perda?"

Simon cresceu em uma família fria e isenta de sentimentos, onde ele foi educado a sempre preservar o nome da família e casar-se com uma dama refinada para dar continuidade ao ducado. Mas as coisas mudam quando Juliana Fiori, a irmã ilegítima do marquês de Ralston, surge em sua vida. Um escândalo prestes a estourar a qualquer momento.

A situação fica ainda mais fora dos eixos quando Simon propõe casamento a lady Penélope, com a intenção de tirar o nome da família da lama, já que o escândalo de sua irmã está para estourar a qualquer momento. Simon se vê na obrigação de fazer qualquer coisa para manter a imagem dos Leightons imaculada, mas o que ele não sabia era que o furacão Juliana o desestabilizaria completa e irrevogavelmente.

"Mas todo amor começava desse jeito -- ardente, apaixonado e dedicado. O que acontecia quando o fogo diminuía e a devoção se tornava cansativa?"

O livro é um mar de emoções e sensações. Regado com uma dose de humor e de outros assuntos sérios como a família e a reputação. No desfecho dessa maravilhosa trilogia vamos acompanhar como Juliana se apaixonou, algo que tinha acontecido logo no livro de Gabriel (nove regras) mas que depois de descobrir quem era o alvo de seu amor, teve que se afastar dele, pois o duque não aceitava uma desonra.

Confesso que demorei muito para terminar esse livro, mas não pelo fato de a leitura ser maçante ou algo do tipo, pelo contrário. Eu demorei a terminar porque sinceramente não queria que acabasse. Me apeguei tanto a essa família a beira de um colapso, que se apoiavam uns nos outros para não enlouquecerem depois de a matriarca fugir como uma louca e se aventurar continente a fora, que não queria que a história terminasse. Foram muitas emoções vividas ao longo da história e esse último livro não deixou a desejar em nada.

"Havia tanta incerteza nele -- naquele homem que nunca duvidava de si mesmo. De quem ninguém nunca duvidava."

Simon é conhecido como o Duque do Desdém. Para ele, qualquer ameaça a sua linhagem ou reputação é um risco que não vale a pena correr. Era o tipo de cara que é um perfeito cavalheiro e sempre fugiu da libertinagem e da boemia.

Nas veias de Juliana corre emoção. A moça exala paixão, liberdade e aceitação. Tudo o que o Duque sempre quis mas nunca soube que almejava. Foi uma tarefa muito difícil para ele resistir, mas ele se mostrou tão firme e empenhado nisso que fiquei com medo de desenvolver diabetes de tanto doce que o homem fazia. Mas gostei de vê-lo se transformar em alguém mais humano.

"É a história de sempre, cansativa e absurdamente banal. Achei que ele me amava. E talvez ele amasse. Mas às vezes o amor não é o suficiente. Creio que, na maioria das vezes, amar não é o bastante."

Nesse livro Gabriel, o marquês de Ralston e Callie, sua esposa, também ganham visibilidade, fazendo o leitor matar saudades dos personagens do primeiro livro. Assim como Nick e Isabel também desempenham um papel importante para o amadurecimento da irmã dos St. John.

É uma leitura fluida, leve e deliciosa. Estava tão absorta na história que não percebia as páginas virarem. Os personagens são cativantes demais é muito engraçados também. Toda vez que Juliana aparecia para perturbar o duque eu pensava: "minha nossa, lá vem a louca!" Acho que por ela ser desse jeito descontraída é que facilitou muito a aproximação do leitor com os personagens. Eu pelo menos me vi em muitos momentos na pele dela e ainda encontrei muitos traços semelhantes em nossas personalidades, o que é ótimo, pois adoro me identificar com as mocinhas.

"Em algum ponto, meu plano deu errado. Pois, em vez de você descobrir que a paixão é tudo, eu descobri que a paixão não é nada sem amor."

É uma obra muito bem articulada, escrita cuidadosamente para agradar um amplo público. Nesse livro, a autora segue o padrão do segundo no quesito de não ter muitas cenas sensuais, o que é ótimo para aquelas pessoas que ficam incomodadas com essas cenas explícitas. Sarah teve o zelo de manter o último livro em ponto alto, sem perder a essência dos personagens e também não tornar a obra apelativa, o que para mim soma muitos pontos positivos para ela.

A capa está belíssima e a editora Arqueiro desenvolveu um ótimo trabalho com esse livro. Acredito que os fãs de romance de época vão adorar essa trama. Não encontrei nenhum erro e a diagramação está impecável.

"Quantas vezes havia se comparado à mãe? Quantas vezes realizara as expectativas dos outros? Vivera de acordo com elas? Com que frequência ela buscara a irritação e a paixão dele em vez de lutar por sua admiração e seu respeito porque não acreditava que este último estivesse a seu alcance?"

No mais, é um livro cheio de paixão e desperta a atenção do leitor para coisas importantes, como: imagem não é tudo! Muitas pessoas tem imagem mas não tem conteúdo. Acredito que mesmo sendo uma leitura leve, podemos tirar muitas lições dos acontecimentos da obra.

O único ponto negativo é que acabou e que essa família vai deixar muitas saudades. Espero que a autora escreva logo um livro sobre Benedick, pois foi um personagem que se destacou muito mais nesse último do que no primeiro da trilogia.

site: https://leiturize-se.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Meu Vicio em Livros 17/08/2017

Mais um namorado literário chamado Simon
Ahhh!! Mais um Simon apaixonante para a minha listinha de namorado literário. Tenho que admitir que este aqui foi duro na queda para me conquistar, todo correto, criado para evitar emoções e como seu apelido bem dizia, cheio de desdém pelos que julgava de classe inferior. Porém, sempre tem aquela mulher que faz com todos os conceitos de um homem assim vá por água abaixo mesmo contra a sua vontade. Aqui a tensão sexual entre o casal é destaque e o modo inusitado como os dois se encontram logo no início da trama fisgou a minha atenção. LEIA A RESENHA COMPLETA NO LINK>http://www.meuvicioemlivros.com/2017/08/resenha-onze-leis-cumprir-na-hora-de.html

site: http://www.meuvicioemlivros.com/2017/08/resenha-onze-leis-cumprir-na-hora-de.html
comentários(0)comente



64 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5