Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir

Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir Sarah MacLean




Resenhas - ----


63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Dani Paiva 20/04/2017

Leitura obrigatória antes de ler a série "Clube dos Canalhas"
Ok ok... eu confesso, Sr. Juiz! Eu priorizei esse livro #3 depois que soube que a Sarah MacLean fez váaarias referências a essa história quando escreveu sua outra série "Clube dos Canalhas".
Ssiiiimmmm caros amigos... essa história eh uma verdadeira ponte para outras tão maravilhosas quanto!!!

Esse último livro da triologia "Os Números do Amor" nos conta o felizes para sempre da Juliana (irmã dos gemeos Gabriel e Nick). O que vc vai encontrar nesse livro?!?! Muitas referências ao universo que tanto nos apaixonamos nos livros #1 e #2!!!!
Vou te dar ONZE motivos pra vc ler esse livro:


1- (mocinho) Essa eh a historia de amor daquele rapaz loiro e alto que a Juliana esbarrou na Biblioteca quando foi comprar um livro de presente pro Gabriel e Nick, no livro #1

2- (mocinho) Essa eh a historia de amor daquele mesmo rapaz loiro e alto e duque que contratou o Nick pra procurar sua irmã desaparecida Georgiana e que no final do livro acabou deixando sua irmã aos cuidados da Isabel e do Nick, no livro #2

3- (mocinha) Essa eh a historia de amor daquela meia-irma dos gemeos que chegou da Itália e fala o que pensa!! A Juliana só se mete em confusão, mas sabe se defender muito bem obrigada!

4- O enredo eh voltado para um desafio que dura 20 dias! Juliana desafia o Simon (Duque de Leighton) a reconhecer que a paixão vale muito mais a pena que a reputação... imaginem isso minha gente... isso dá muito pano pra manga.. ôh se dá!

5- Vc terá uma surra de fofurice do casalzinho mara Callie e Gabriel; O marquês de Ralston foi muuuuuito presente nesse livro.... que sensaçãozinha boa ler um pouco mais do futuro deles!!!!

6- Vc tbm será inserido  na relação de amizade que a Juliana formou com a Mariana (irmã da Callie) que vimos surgir no livro #1. Essas duas realmente viraram muito cúmplices!! Adooooro!

7- Vc tbm voltará ao ambiente do livro #2 na Casa Minerva incluindo conversas afiadas das mulheres na cozinha!! Hehehehe

8- Aqui conhecemos mais o que aconteceu com a Georgiana e como ela se tornou forte, mesmo com dezessete anos, ao dar a luz a sua filhinha Caroline... prestei bastaaaaante atenção nela pq ela reaparecerá em um livro só dela na série "Clube dos Canalhas"!!!!

9- Falando em "Clube dos Canalhas", nesse livro tbm conhecemos a Penelope que protagonizará o livro #1!! Vc vai conhecer o período em que ela era noiva do Duque de Leighton e teve seu noivado desfeito por causa de um escândalo (seu entao-noivo tinha uma irma que havia sido mãe solteira).

10- Vc testemunhará como um duque tão frio e racional amolecera seu coração... e como no final do livro ele será um serumaninho totalmente diferente e que não tá nem aí pra reputação!!!!! Reputação? Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar...

11- Por fim... vc precisa ler esse livro pq Sarah MacLean sabe conectar histórias e desenvolver diálogos como ngm! Vc vai se divertir do inicio ao fim!!!!! Ship certo! Leiaaaaaaa....


-----Serie "Os Números do Amor"------
#1 Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar  
#2 Dez formas de fazer um coraçãose derreter
#3 Onze leis a cumprir na hora de seduzir
Joyce Oliveira 21/04/2017minha estante
Quis socar mto esse Duque haha


Dani Paiva 25/04/2017minha estante
Hahahha nem fala, Joyce!!! E coitada da Penelope, caraaannn... ela toda resignada... noivou com ele... e ele puft...! Aaaggrrrr...
Teve horas que dava vontade de lançar uma voadora bem na cara dele pra ele aprender a nao ser tão frutinha!
Maaas no final ele ficou bem no cabresto e caiu de 4! Juliana, sua ousada...


Joyce Oliveira 25/04/2017minha estante
Juliana foi a melhor haha


Jéssica Alves 20/05/2017minha estante
adorei os 11 motivos e eles totalmente me convenceram a ler esse livro e a série Clube dos Canalhas


Dani Paiva 03/06/2017minha estante
Siiimmm!!! Aí. . Adoro esse livro... me fez ter mais alegria quando comecei a ler a série Clube dos Canalhas!!


Kelly 26/07/2017minha estante
eu ja li o clube dos canalhas, foi perfeito entao agora partir pros numeros




spoiler visualizar
comentários(0)comente



LOHS 14/06/2017

Final perfeito para a trilogia <3
Sarah MacLean é uma autora de romances de época que me conquistou recentemente e desde então tenho desejado conhecer todas as suas histórias. Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir é o último livro da trilogia Os Números do Amor (Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar e Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter) - sendo que todos foram publicados pela editora Arqueiro no país.

Dessa vez, a protagonista é ninguém menos que a srta. Juliana Fiori, irmã quase bastarda de Gabriel St. John, marquês de Ralston, (protagonista de Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar) e lorde Nicholas St. John (protagonista de Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter). A jovem, assim como os irmãos mais velhos, foi abandonada pela mãe ainda criança e criada pelo pai italiano. Com o apoio da família e também da família de sua cunhada, Juliana tem garantido sua permanência nos eventos mais prestigiados de Londres. Mas a jovem é impulsiva e ousada, isso segundo os parâmetros britânicos da época, o que torna quase impossível uma possível proposta de casamento de um bom cavalheiro.

"-Não estou dizendo que deva se casar, Juliana. Pelo contrário, se preferir uma vida sem casamento, Deus sabe que você tem dinheiro suficiente para vivê-la. Mas tem que se perguntar como acha que sua vida deve ser.
Juliana abriu a boca para responder ao irmão, apenas para perceber que não tinha uma resposta para dar. Ela nunca pensara muito nisso - não desde que seu pai morrera e tudo mudara. Na Itália, casamento e família não estavam fora de questão, embora ela jamais tivesse considerado de verdade a hipótese. Mas, aqui, na Inglaterra...
Quem iria querê-la?
Sem ter consciência dos pensamentos dela, Ralston se levantou, encerrando a conversa com uma reflexão final.
-Nunca pensei que diria isso, mas o amor não é tão ruim quanto achei que seria. Se acontecer para você, espero que não o rejeite de cara.
Ela balançou a cabeça.
-Espero que não aconteça para mim.
Um sorriso surgiu em seu rosto.
-Já ouvi isso antes, sabe? Eu disse... Nick disse... Mas, considere-se avisada: os St. John não parecem capazes de evitá-lo."
Gabriel e Juliana, p. 103

E desde que chegou à Inglaterra o jovem duque de Leighton, Simon Pearson, tem sido um dos poucos a conseguir aflorar seu temperamento italiano. O arrogante nobre não tolera ser tema das fofocas da aristocracia e por isso tenta sempre manter distância de Juliana, que é por si só um pequeno escândalo, mesmo tendo uma dívida de gratidão e amizade por seu irmão Nicholas St. John.

A vontade de provar que o arrogante duque está errado em seu modo de viver, faz com que Juliana o desafie. E, em meio ao calor do momento, Simon aceita o desafio. Ela tem certeza que conseguirá demonstrar para ele como todos precisam de paixão nessa vida. Já ele tem plena crença de que mostrará a senhorita escândalo que a reputação sempre triunfa.

Simon Pearson é discreto, cumpre seu papel como duque no parlamento britânico e é um dos partidos mais desejados da estação. Ele planeja ter um casamento respeitável com uma moça de uma família da nobreza antiga que solidifique a reputação de sua família, uma das mais antigas da aristocracia britânica, embora isso não o faça feliz. O que Juliana não sabe é que Simon guarda um grande segredo e ele, assim como sua criação, é um dos principais motivos de toda a cautela do jovem duque.

"A palavra foi sussurrada, baixa e sombria, no ar pesado da manhã. Ele puxou a mecha de cabelo, puxando também Juliana para si, até ficarem a meros centímetros um do outro.
Juliana entreabriu a boca em uma rápida inalação de ar, roubando a atenção dele.
E, quando ele viu aqueles lábios exuberantes e largos ligeiramente abertos, implorando por ele, não conseguiu resistir. E nem tentou.
Ela tinha gosto de primavera."
Simon, p. 67

Em meio a passeios a cavalo no parque antes do sol nascer, encontros inesperados em carruagens, jardins e estábulos, os dois vão se conhecer um pouco melhor e aflorar sentimentos fortes. Mas quem vencerá a aposta no final? Só lendo para descobrir! ;)

"Baixou os olhos com contrariedade para o vestido. Ela o escolhera para ele, sabendo que ficava adorável de roxo. Ela queria que ele a visse. Que ele a notasse.
E não por causa da aposta.
Desta vez, queria que ele se arrependesse das coisas que havia dito a ela.
Não tenho tempo para os seus jogos.
Fora um jogo no começo - a carta, o convite descarado -, mas depois que ela caíra no lago e ele a salvara, qualquer brincadeira havia desaparecido junto com sua touca, perdida no fundo do Serpentine.
E quando ele a tomou em seus braços quentes e fortes e sussurrou palavras em italiano para ela... isso foi mais forte do que qualquer coisa que ela já tinha sentido antes."
Juliana, p. 93

Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir foi uma leitura deliciosa! A jovem Juliana Fiori, talvez pelo fato de ser metade italiana, se tornou uma das minhas protagonistas favoritas do gênero. Ela não tem filtro algum e fala tudo o que lhe vem à mente, por conta disso e também por sua grande beleza, Juliana é um tema recorrente nas fofocas da invejosa aristocracia britânica. Embora a falta de aceitação na sociedade magoe a jovem, ela é forte e tem plena consciência do que a faz feliz e do que deseja. Simplesmente, ela faz o que quer fazer e não se importa o tempo todo com o que vão dizer sobre isso. O único medo que aterroriza Juliana é de se tornar uma cópia da mãe, que abandonou todos os filhos sem pensar duas vezes. Mas logo se percebe que a jovem nunca seria tão insensível como sua progenitora.

Já Simon Pearson é um rapaz que leva tempo para se criar algum tipo de empatia. Isso porque, apesar de ser descrito como um homem belíssimo, ele é extremamente arrogante e preconceituoso. A principal preocupação de Simon é para com a sagrada reputação da família - fato observado no livro anterior da trilogia, Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter. Mas, ao longo da narrativa, Juliana vai derrubando todas as paredes construídas por Simon e então vemos um outro lado dele - preocupado com aqueles que ama, carinhoso e extremamente nobre (no sentido de altruísta).

Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir foi um final perfeito para a trilogia. Divertido, doce e extremamente real de certa forma. Embora tenha gostado muito da história, confesso que Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar continua sendo o meu favorito.

Um fato interessante é que Sarah MacLean também escreveu uma série chamada O Clube dos Canalhas, onde conta a história de algumas das personagens secundárias de Os Números do Amor, como lady Penelope Marbury e lady Georgiana! E, para nossa alegria, a editora Gutenberg já publicou essa saga completa no Brasil. Então já sabem o que estarei procurando ler em sequência! ;)

site: http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/2017/06/onze-leis-cumprir-na-hora-de-seduzir-os.html
Márcia Rodrigues 06/08/2017minha estante
O melhor dessa trilogia. História e casal favoritos




Bruna 16/06/2017

Um dos melhores romances de época que já li.
"Passei minha vida inteira me preparando para uma existência fria, sem emoção, sem paixão. [...] E aí você entrou nela, você, o oposto de tudo isso." ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Bom, eu ando em uma overdose de romance de época e a história precisa ser bem "diferentona" para ganhar a Vossa Duquesa aqui.
Nesse livro o Plus foi uma legítima Italianinha infiltrada na fria, aristocracia Londrina. Já deu pra notar a confusão cultural?! Italiano é tipo brasileiro, fala alto, gesticula, demonstra afeto... totalmente inadequado para os de sangue azul e brasão na carruagem! Agora some isso o fato dela ser metade filha de uma duquesa que abandonou sua família e metade filha de um mercador italiano; mais fácil chegar o apocalipse do as matriarcas da alta sociedade aceitá-la como igual.
Juliana me conquistou de primeira, já vi muitas personagens "fortes e feministas" em livros de época, mas nenhuma com essa mistura da Juliana (sim, eu lia com sotaque italiano) - ela é forte, ousada, encantadora e inocente, mas não era mimizenta sabe? Era empolgante, cheia de vida e vivacidade! Era ela mesma, quando via, já tinha falado, nem percebia e já tinha feito alto inadequado.
Temos, Simon, conhecido como Duque do Desdém, ele tem uma definição para Juliana... "[...] ousada, impertinente, impulsiva, um ímã para problemas e precisamente o tipo de mulher que ele queria bem longe de si."
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀Mas ouso a dizer amigão, querer não é poder. E a moça propõe um desafio, duas semana para ela pôr ele de joelhos e...
"que nem mesmo um Duque frio pode viver sem paixão".⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
O bobinho aceitou a aposta e penou na mão da mulher que era uma mistura de anjo e demônio. Mas ele tinha uma preocupação ainda maior, um segredo escondido no campo, sob os cuidados de Nick, irmão de Juliana, e que estava prestes a estourar.
O livro é agitado e empolgante, quis estadear o rostinho arrogante de Simon; chamar Juliana para dançar a Tarantela comigo, comer macarronada e tornar vinho. A escritura é fluida e deliciosa, os diálogos são um deleite. E os personagens icônicos, todos eles. Fiquei com mais vontade ainda de ler sobre os irmãos dela!
Amei demais!

site: https://www.instagram.com/naoemprestolivros/
comentários(0)comente



Gisele @abducaoliteraria 26/06/2017

Trilogia Recomendada
Essa trilogia foi uma grande surpresa para mim. Quando descobri que gostava de romances de época, quis colocar à prova através do primeiro livro dos números do amor. E bem, ele veio para reforçar algo que eu já desconfiava.

Com o segundo livro, a autora deu continuidade àquilo que aconteceu com o primeiro, e eu me vi cada vez mais apaixonada pelos personagens e presa à essa família completamente incomum da Londres vitoriana.

Mas então ficou faltando Juliana. O que esperar da italiana escandalosa que abalou todas as estruturas logo no primeiro livro? Eu esperava muito, e de certa forma, encontrei tudo o que esperava dela, mas a história não foi tão boa quanto as duas anteriores.

Neste volume, temos dois protagonistas com características e personalidades totalmente opostas um do outro. Juliana é uma italiana de sangue quente, sem papas na língua que vive às sombras do escândalo da mãe. Recém-chegada à Londres, sofre para tentar se integrar aos padrões ríspidos de uma sociedade cruel. Por mais que ela tente, é muito difícil conseguir manter-se longe de confusões e escândalos. Já Simon Pearson, o duque do desdém, é conhecido por sua frieza e reputação impecável.

Simon, o duque de Leighton me irritou bastante com o seu jeito. Mas acredito que isso foi intencional, já que foi muito mais interessante acompanhar a sua rendição. Eu gostei muito de Juliana ter o controle da situação e a maioria das atitudes ter partido dela, embora em alguns momentos lhe faltou um pouco de amor próprio. Foi como inverter os papéis nos quais estamos tão acostumados a ver. Juliana é, talvez, a personagem mais intensa que já tive a oportunidade de acompanhar em um romance de época. Ela sabe o que quer e corre atrás daquilo, independente das regras, dos padrões da sociedade e do que vão pensar dela. Eu adorei isso na personagem.

Outro ponto alto do livro, foi poder rever os personagens que aprendemos a gostar tanto das histórias anteriores. A autora soube fazer isso da melhor forma possível, amarrando os dois núcleos e nos dando a oportunidade de se despedir.

O desfecho foi perfeito. Mesmo com alguns pontinhos negativos, a autora soube fechar com chave de ouro, daquele jeito que fechamos o livro, suspiramos e ficamos feliz como a forma que a história foi finalizada. Trilogia super recomendada!

site: https://www.instagram.com/abducaoliteraria/
comentários(0)comente



Mi 17/09/2017

O primeiro continua sendo de longe o melhor.
" - Tem medo?
- Não estou interessado.
- Duvido que isso seja certo(...)
- E se resisto a sua vida tempestuosa?
- Então case com a uva e tudo está bem (...)
- Mas... Se você não pode resistir...-
Ela se aproximou, seu calor era uma tentação no ar fresco de outubro.
- Então, o que? - Perguntou em voz baixa e escura.
Ela o tinha agora. Ela o faria cair. E seu mundo perfeito com ele. Sorriu.
? Então, sua reputação corre grave perigo. "

Finalmente chegamos no livro da meia-irmã dos Lordes Gabriel ( meu Homão da Po #$@ , amor da minha vida, razão do meu viver) e Nicholas St. John
( galã também, só que prefiro o outro kkk).
Para quem não se lembra, Juliana Fiori é fruto de um relacionamento que a mãe dos meninos ( vou chamar de meninos, porque eles são os meus bebês ), teve com um comerciante italiano, depois de abandonar os gêmeos Ralstons e o primeiro marido.
Nos dois volumes anteriores, observamos tanto a chega de Juliana Fiori à Inglaterra, como também virmos que a garota , bem... tem uma personalidade forte. Ela é um ímã para problemas, e pela sua forma impulsiva de agir, digamos que ela não caiu nas graças da alta sociedade.
Ela é alvo favorito de todas as fofocas londrinas, todavia ela nega-se a
viver segundo as regras ditadas pela a sociedade: ela diz o que pensa, age como quer, não lhe preocupa conseguir a aprovação de ninguém.
Ela simplesmente vive para a paixão, tenta desfrutar da vida de forma intensamente, sem se preocupar ou perder tempo com as etiquetas, que só serve para limita-la.

Sendo que a má fã de Juliana é mais por ela ser uma filha ilegítima, do que pelas suas atitudes. É de conhecimento geral, que ela só é "aceita" , aturada pela a sociedade, porque um de seus irmãos é um marquês. E logo no inicio do livro, vemos que por ter a mãe que tem , uma situação a qual ela seria vista como vítima, ela poderia acabar saindo como culpada.
E é por causa da situação complicada ao qual se meteu, Juliana não viu outra alternativa, a não ser fugir do baile dos Ralstons, e se esconder numa das carruagens.

"Porque, certamente, não havia ninguém mais no mundo que gostaria de encarar, ao menos nesse momento em particular, que o insuportável e intocável, Duque de Leighton.
Sem dúvida, o universo estava conspirando contra ela."

Bem acho que lembramos bem do jeito, digamos pomposo do Duque de Leighton.
Ele acha que está acima das pessoas que não possuem um título como o dele.
Para ele a reputação é tudo.
Ele está muito centrado em manter seu título livre de toda mácula e seus segredos a salvo. Sendo que ao se esconder na carruagem dele, Juliana colocou em risco a reputação Imaculada que ele tanto dá valor.

"? Você está tão impressionado com seu título e seu status, que é
um milagre que não tenha a palavra ?Duque? bordada em fio de prata na parte superior de seus trajes. Pela forma que se comporta, poderia se pensar em realidade, que tenha
feito algo que valesse a pena, para ganhar o respeito destes parvos ingleses, mais que o luxo de ter sido parido, por mera coincidência, no momento adequado e pelo homem
correto, quem imagino realizou o trabalho exatamente da mesma maneira que os outros homens. Senza Finezza "

Percebe-se que há uma certa tensão, algo implícito entre os dois.
Juliana, mesmo que não queira admitir, acho o Duque arrogante atraente, mas ao mesmo tempo odeia esse ar de superioridade dele.
Desde que ele descobrira de quem ela era irmã e filha, começou a desfazer dela.
Ela sabe que o mesmo, só lhe ajudou com o ocorrido da noite do baile, pois ele está em dívida com seu irmão Nicholas, e também quanto menos pessoas souber do que acontecera à Juliana, menores são as chances dele se envolver num escândalo.

"Ela se encheu de um desejo familiar, um que se apoderava dela cada vez que estava perto dele.
O desejo de romper sua fachada.
Ela o tinha vislumbrado sem ela duas vezes. E então ele tinha descoberto quem era ela, a irmã italiana de um dos canalhas mais notórios de Londres, apenas a filha ilegítima de uma marquesa decaída e seu marido comerciante, criada longe de Londres e de seus costumes, tradições e regras.
O contrário de tudo o que ele representava. A antítese de tudo o que ele queria ter em seu mundo. "

Bem ,o reencontro dos dois não é nada caloroso. Durante a discussão, ambos prometem mudar a forma de pensar um do outro, sobre a vida. Ele
jura ensinar à insensata beldade uma lição de decoro, e ela, quer duas semanas para demonstrar que inclusive um duque imperturbável não está livre da paixão.

" - Acredita que está por cima da paixão? Pensa que seu mundo perfeito não necessita nada mais que normas rígidas e experiências sem emoções?
Deu um passo atrás com o desafio em suas palavras suaves.
- Eu não acredito. Sei.
Ela assentiu com a cabeça.
- Prove - Suas sobrancelhas se juntaram, mas não falou.
- Vou ensinar que nem sequer um duque gélido pode viver sem o calor. "

Bem...sei la kkk Agora sério, não vou lá muito com a cara do Duque.
Eu compreendo o motivo dele ser frio e tal ( tambem...com uma mãe daquelas, misericórdia. ...) , só que não senti tanta conexão com ele.
E chegou um momento, que eu achei que Juliana tinha mais que se valorizar, não midigar atenção.
( O lance é : Eu fiquei caidinha pelo Benedict, irmão da Callie. Podem me odiar, to nem aí. )
Porém Juliana é uma personagem que merecia ser feliz, então fico feliz por ela, pelo o final que ela teve.

Nesse livros temos uns momentos bem bombástico.
E mais de Callie e Gabriel, que dos três livros, continuam sendo o melhor casal.
Aiiiiiiii é tão legal de ser vê que eles continuam tão apaixonados, como no do primeiro livro.
Nossa..como amo os dois.
Callie um amor, e Gabriel..pow..é o Gabriel kkkkk

Agora voltando ao casal principal, bem ...Achei eles ok.
Não vou ser hipócrita em falar que o Duque não mudou, e que eu não senti uma simpatia por ele nas partes finais do livro. Mas sabe o que me incomoda na maioria dos livros de época? É que parece que os machos só se dão conta que estão apaixonado, que só esperam pra se declarar depois de uma transa , sabe ?
Ah..vou soltar o verbo mesmo kkkk
Eu não odiei o livro, só que as ações dos personagens me aborrecia em alguns momentos. Tipo, Juliana se sentia incomodada em ser comparada com a mãe e tal, não queria ser como ela, todavia fazia coisas que nenhuma dama seria capaz de fazer. Apostas, encontros inapropriados ( intencional ou não, eu não via uma arrependimento da parte dela ), enfim..flertava com o Duque. Ela era meio inconstante, ora você acredita que ela seria capaz de ser até a amante do Simon, por amar ele e saber que nunca poderia ser sua esposa. E tem momentos, que você acredita que ela não se prestaria a um papel desses.
E Simon? Com aquele lenga lenga de reputação, que tinha que casar com uma garota de uma reputação impecável, pra quando o escândalo da irmã vir a tona , não se focarem nela ( Meu filho, poderia ter uma furacão, uma guerra, mas filho fora do casamento é o assunto favorito das fofocas. Podem se passar anos, mas sempre alguém vai lembrar de alguém que teve um filho "bastardo ".)
Meu argumento pode ter uns certos furos, pois tanto Callie e Gabriel não foram puritanos antes de se casarem, mas ao meu ver , havia uma cumplicidade entre os dois. Eles estavam cagando e andando pra todos. Callie queria viver intensamente, se aventurar, e Gabriel não via o casamento como uma meta, ele era um libertino, era de conhecimento geral. Callie sabia que dificilmente ela conseguiria mudar Gabriel ( mas ela conseguiu..aaaahhhhh como é sortuda ).
E quando ela quis se afastar de Gabriel, ele foi respeitoso ( pelo menos tentou, se vocês me entende kkkkk), e mesmo que Gabriel não quisesse admitir para sí mesmo, você via pequenos gestos dele, que demonstrava que ele a amava. Eles transaram antes de casar ? SIIIIM , mas era bem mais evidente o sentimento de ambos um pelo o outro. Fora que eles tinham mais química e muito mais carisma.
O Duque mudou? Sim.
Ganhou minha simpatia? Sim ( não vou ser hipócrita, tenho que dar o braço a torcer, mas ainda não sei como ela se apaixonou por ele. )
Mas sinceramente? Não gostei muito da construção do relacionamento deles.
Ps: Continuo sendo #TeamBenedict, não precisou de muitas cenas pra conquistar o meu coração.
Kelli 02/10/2017minha estante
Super concordo com vc! Confesso que também torci pro Benedict ficar com a Juliana. Passei a maior parte do livro querendo enganar o Simon e só no finalzinho ele melhora um pouco. Mas ainda assim não é dos melhores mocinhos. Juliana merecia mais (minha opinião)
E Benedict merecia um livro só dele ne.


Kelli 02/10/2017minha estante
*esganar


Mi 07/10/2017minha estante
Aaaahhh eu não to sozinha nessa kkkkk O Benedict é um amorzinho #MyLife..
Melhor pessoa ever


Jaqueline 08/11/2017minha estante
Benedict merece um livro para si! Também achei um saco Simon + Juliana




Fabi 15/10/2017

MOCINHO ARROGANTE. MOCINHA QUE LAMBE O CHÃO QUE ELE PISA.
Todo leitor tem algo que não gosta em personagens literários. Eu é claro, também tenho.
E uma delas, é personagem masculino arrogante e a protagonista contra tudo que é provável, gosta dele.
Afff, tenho raiva dessas personagens idiotas!
Para mim, um livro assim, passa a impressão que a mulher gosta de ser tratada que nem um cachorrinho, que quando seu dono acena, ela vai abanando o rabo.
Juliana Fiori é uma moça que mesmo sabendo que algumas de suas atitudes não são certas, ainda faz o que tem vontade.
Como já sabemos ela após a morte de seu pai, está morando com seu meio- irmão Gabriel.
Ao desembarcar no novo país, sua natureza escandalosa e sua beleza estonteante fazem dela o tema favorito das fofocas da aristocracia. Pelo bem de sua recém-descoberta família britânica, Juliana se esforça para domar seu temperamento e evitar qualquer deslize que comprometa o clã. Até conhecer Simon Pearson, o magnífico duque de Leighton.
Simon é conhecido como o duque do Desdém. Ele não gosta de escândalos e sempre achou que a família de Juliana não fosse das mais exemplares para a sociedade.
Juliana como já disse, contra tudo que é provável, se sente atraída por Simon. O duque só vive dizendo que Juliana só atrai escândalos, que ela tem que se comportar, blábláblá. Mas ele diz isso sempre de forma bruta, nada de forma gentil. É isso, ele nunca é cavalheiro com ela, sempre a coloca abaixo dele, mas a boba alegre, basta Simon sorrir de forma lascívia que ela já se derrete.
Para mim este livro foi uma extrema tortura de ler. Li ele em 3 dias, o que nunca significa que foi algo bom, pois quando eu gosto de um livro, até em 2 dias o finalizo.
Durante a leitura, dava vontade de entrar no livro e dar um tapa em Juliana e a mandar ter orgulho próprio. A menina nem se valoriza, fica se arrastando por um cara insuportável.
O que salvou o livro foram as participações dos casais Callie & Gabriel e Isabel & Nick.
Sério, não aprovei Juliana com Simon. O irmão de Callie, Benedict é um amor de pessoa, queria tanto que a autora tivesse juntado Juliana com ele.
Só que Sarah Maclean nem dá oportunidade para isso acontecer. Ela quer que engolimos de todo jeito o Simon, não nos fornece muitos momentos do Benedict.
Esperava muito mais deste livro...
Khetelen 15/10/2017minha estante
Ainda não cheguei nem na metade do livro, pois concordo com o que você disse e por isso não estou com vontade de terminar ele. :/ É mais um daqueles casos de: não quero continuar lendo, mas também não quero abandonar a leitura.


Fabi 16/10/2017minha estante
li bemm sem vontade ele Khetelen =/


Jaqueline 08/11/2017minha estante
Nossa, concordo demais contigo nessa resenha. Em poucas aparições, Benedict se mostrou um personagem muito mais carismático e multifacetado que Simon. Achei esse o romance mais fraco da MacLean que li até agora porque fiquei com preguiça REAL dos protagonistas, rs.




Liachristo 06/07/2017

Deliciosamente provocante!
Quem está acostumado a passar aqui pelo blog, ou me conhece, sabe o quanto eu amo a escrita da Sarah. Também já deve ter lido/ouvido eu falar que foi através desta série que me apaixonei pela escrita dela lá em 2013/2014. Na época fiquei tão desesperada para ler, que acabei comprando os e-books através do site Wook, e em espanhol, é isso mesmo li em espanhol e me apaixonei! Desde então venho acompanhando a carreira da autora e torcendo muito para que todos os seus romances cheguem por aqui. Por isso vocês já podem imaginar a minha felicidade de ver a série no Brasil e ainda por cima, publicada pela editora parceira. Oh felicidade sô!!! rsrsrs

Então vamos à resenha...

Neste terceiro e último livro desta deliciosa trilogia, vamos acompanhar a peripécias de Juliana Fiori que é a meia-irmã dos irmãos gêmeos que são apresentados nos dois primeiros livros da série. O herói é Simon, o duque de Leighton. É um conto clássico de opostos. Juliana vive uma vida de escândalo, virando o nariz para as convenções sociais de todas as maneiras que ela pode, sem realmente pisar a linha para ser arruinada. Simon está lutando para ser o homem mais virtuoso da sociedade, em parte por dever e em parte porque ele assim o deseja.

Juliana nasceu de um escândalo. Sua mãe era a antiga marquesa de Ralston, que ao abandonar sua família na Inglaterra, se envolve com o pai de Juliana, um comerciante italiano. Sua mãe então abandona o comerciante italiano e Juliana. Quando o pai de Juliana morre, sua guarda é entregue ao meio-irmão e ela é enviada para a Inglaterra, onde a sociedade a vê como uma pária por causa de sua mãe, seu nascimento e sua família. Juliana luta com ambos: em se encaixar de alguma forma na sociedade e desprezando a rígida moralidade. Para evitar que ela seja ferida por aqueles que possam julgá-la, Juliana decide que os costumes da sociedade são para aborrecidos e sem noção. Se ela se preocupa em ser um escândalo, está condenada a viver na miséria porque a sociedade já a aborrece e a despreza. Ao longo do livro, vemos que Juliana está certa e errada. Ela está certa de que ela é vista como um escândalo, mas ela está errada ao pensar que não poderia ter superado algumas das opiniões daqueles que ocupam o patamar dos círculos da alta sociedade londrina.

A meu ver muitas das suas atitudes são descabidas e desnecessárias. Em algumas passagens do livro tive vontade de dar umas palmadas nela para que deixasse de ser tão birrenta e infantil e procurasse ter atitudes mais maduras, mas assim mesmo gosto da personagem. Dos seus trejeitos, maluquices e da forma como ela tem coragem de encarar tudo que lhe surge pela frente.

Já o Duque de Leighton, me deixou muito chateada! Oh homenzinho problemático e antipático! rsrsrsr
Simon é aquele mocinho que a gente ama odiar, ou seja odeia ter que dar o braço a torcer e amar o dito cujo! Ao longo da história vamos percebendo que por baixo daquela couraça de antipatia, chatice e esnobismo (que era só mesmo uma casca criada por ele há muitos anos para se defender do desprezo de sua mãe e poder se manter superior entre os seus pares). Aos poucos ele vai nos mostrando uma outra faceta de sua personalidade e passamos a torcer para que ele realmente se encontre e consiga se libertar de tudo em prol de seu amor pela destrambelhada Juliana.

Eu gostei muito da maneira como os dois duelavam em palavras e atitudes, da maneira como lutam para se manter inteiros e fiéis aos estereótipo que criaram para o mundo. Ambos são teimosos, aferrados às suas convicções e por isso mesmo complicados de se relacionarem com os outros. Os dois têm sua parcela de sofrimentos, de decepções e de responsabilidades juntos aos seus familiares.

Para Juliana, o escândalo não era sua escolha. Era seu fardo. Suas palavras ousadas e seu rosto belo e corajoso não foram aceitos com boa vontade pelas insípidas e cruéis matronas da sociedade e suas filhas casadoras sem graça.

Para ler a resenha completa, vá ao Doces Letras!

site: http://www.docesletras.com.br/2017/07/resenha-onze-leis-cumprir-na-hora-de.html
comentários(0)comente



Camila Paulino 25/08/2017

Maravihoso!
Uma deusa. Uma louca. Uma feiticeira.

Não, não é a música daquela dupla sertaneja famosa e sim algumas das muitas palavras a qual Simon Pearson, o Duque do Desdém, usou para descrever Juliana Fiori, uma mulher obstinada, selvagem, apaixonante e docemente escandalosa . Mas é claro que ela não era páreo para o duque pois não havia espaço para paixão e escândalos em sua vida e então quando ela lhe propõe uma aposta por duas semanas em que ela lhe mostraria o poder da paixão, ele não exita em aceitar, mas com outra ideia em mente, a de lhe dar uma lição de que o decoro, a reputação e o título são mais importantes do que esse tal de amor.

"Afinal de contas, por que arriscar o amor de novo quando a experiência mostrava que tal comportamento terminava em dor, raiva e perda?"

Simon cresceu em uma família fria e isenta de sentimentos, onde ele foi educado a sempre preservar o nome da família e casar-se com uma dama refinada para dar continuidade ao ducado. Mas as coisas mudam quando Juliana Fiori, a irmã ilegítima do marquês de Ralston, surge em sua vida. Um escândalo prestes a estourar a qualquer momento.

A situação fica ainda mais fora dos eixos quando Simon propõe casamento a lady Penélope, com a intenção de tirar o nome da família da lama, já que o escândalo de sua irmã está para estourar a qualquer momento. Simon se vê na obrigação de fazer qualquer coisa para manter a imagem dos Leightons imaculada, mas o que ele não sabia era que o furacão Juliana o desestabilizaria completa e irrevogavelmente.

"Mas todo amor começava desse jeito -- ardente, apaixonado e dedicado. O que acontecia quando o fogo diminuía e a devoção se tornava cansativa?"

O livro é um mar de emoções e sensações. Regado com uma dose de humor e de outros assuntos sérios como a família e a reputação. No desfecho dessa maravilhosa trilogia vamos acompanhar como Juliana se apaixonou, algo que tinha acontecido logo no livro de Gabriel (nove regras) mas que depois de descobrir quem era o alvo de seu amor, teve que se afastar dele, pois o duque não aceitava uma desonra.

Confesso que demorei muito para terminar esse livro, mas não pelo fato de a leitura ser maçante ou algo do tipo, pelo contrário. Eu demorei a terminar porque sinceramente não queria que acabasse. Me apeguei tanto a essa família a beira de um colapso, que se apoiavam uns nos outros para não enlouquecerem depois de a matriarca fugir como uma louca e se aventurar continente a fora, que não queria que a história terminasse. Foram muitas emoções vividas ao longo da história e esse último livro não deixou a desejar em nada.

"Havia tanta incerteza nele -- naquele homem que nunca duvidava de si mesmo. De quem ninguém nunca duvidava."

Simon é conhecido como o Duque do Desdém. Para ele, qualquer ameaça a sua linhagem ou reputação é um risco que não vale a pena correr. Era o tipo de cara que é um perfeito cavalheiro e sempre fugiu da libertinagem e da boemia.

Nas veias de Juliana corre emoção. A moça exala paixão, liberdade e aceitação. Tudo o que o Duque sempre quis mas nunca soube que almejava. Foi uma tarefa muito difícil para ele resistir, mas ele se mostrou tão firme e empenhado nisso que fiquei com medo de desenvolver diabetes de tanto doce que o homem fazia. Mas gostei de vê-lo se transformar em alguém mais humano.

"É a história de sempre, cansativa e absurdamente banal. Achei que ele me amava. E talvez ele amasse. Mas às vezes o amor não é o suficiente. Creio que, na maioria das vezes, amar não é o bastante."

Nesse livro Gabriel, o marquês de Ralston e Callie, sua esposa, também ganham visibilidade, fazendo o leitor matar saudades dos personagens do primeiro livro. Assim como Nick e Isabel também desempenham um papel importante para o amadurecimento da irmã dos St. John.

É uma leitura fluida, leve e deliciosa. Estava tão absorta na história que não percebia as páginas virarem. Os personagens são cativantes demais é muito engraçados também. Toda vez que Juliana aparecia para perturbar o duque eu pensava: "minha nossa, lá vem a louca!" Acho que por ela ser desse jeito descontraída é que facilitou muito a aproximação do leitor com os personagens. Eu pelo menos me vi em muitos momentos na pele dela e ainda encontrei muitos traços semelhantes em nossas personalidades, o que é ótimo, pois adoro me identificar com as mocinhas.

"Em algum ponto, meu plano deu errado. Pois, em vez de você descobrir que a paixão é tudo, eu descobri que a paixão não é nada sem amor."

É uma obra muito bem articulada, escrita cuidadosamente para agradar um amplo público. Nesse livro, a autora segue o padrão do segundo no quesito de não ter muitas cenas sensuais, o que é ótimo para aquelas pessoas que ficam incomodadas com essas cenas explícitas. Sarah teve o zelo de manter o último livro em ponto alto, sem perder a essência dos personagens e também não tornar a obra apelativa, o que para mim soma muitos pontos positivos para ela.

A capa está belíssima e a editora Arqueiro desenvolveu um ótimo trabalho com esse livro. Acredito que os fãs de romance de época vão adorar essa trama. Não encontrei nenhum erro e a diagramação está impecável.

"Quantas vezes havia se comparado à mãe? Quantas vezes realizara as expectativas dos outros? Vivera de acordo com elas? Com que frequência ela buscara a irritação e a paixão dele em vez de lutar por sua admiração e seu respeito porque não acreditava que este último estivesse a seu alcance?"

No mais, é um livro cheio de paixão e desperta a atenção do leitor para coisas importantes, como: imagem não é tudo! Muitas pessoas tem imagem mas não tem conteúdo. Acredito que mesmo sendo uma leitura leve, podemos tirar muitas lições dos acontecimentos da obra.

O único ponto negativo é que acabou e que essa família vai deixar muitas saudades. Espero que a autora escreva logo um livro sobre Benedick, pois foi um personagem que se destacou muito mais nesse último do que no primeiro da trilogia.

site: https://leiturize-se.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Eu Pratico Livroterapia 20/06/2017

Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir
Desde quando eu li o primeiro livro, quando a italiana intempestiva chegou à Londres, eu estava curiosa para saber o que ela iria aprontar e confesso que não me decepcionei, pelo contrário, foi o meu preferido dos três, por motivos que tenho certeza, muitos não vão concordar: Foi o mais "light" em termos hots!

Juliana Fiori é uma italiana de sangue quente, nada conhece das regras londrinas e nem faz questão de conhecer, escândalos? Ah e daí? Reputação? Ah pára, o amor vem primeiro, a paixão, antes ainda!

Então eis que ela conhece (isso foi uma rápida passagem no primeiro livro), o Duque de Leighton, ou simplesmente, Simon Pearson. Ele não é nada mais do que um dos homens mais importantes de toda a Londres e o mais preocupado com reputação, com manter as aparências, é capaz de tudo, de abrir mão de tudo em nome das tais aparências.

Juliana não é exatamente um exemplo de recato, e muito menos de bom senso, seus irmãos também não prezam pelo decoro, um era um libertino reconhecido até conhecer a esposa Callie e o outro casou com Isabel, que vive lá no interior e nada tem a ver com a sociedade em que vivem, além do mais, a mãe dos gêmeos Gabriel e Nick os havia deixado e fugido para a Itália, onde conheceu um mercador, casou e teve Juliana. Nada certo...nada certo....

Quando o pai da menina faleceu e a mãe a muito já os havia abandonado (de novo), ela foi enviada para viver com os irmãos que não sabiam da existência dela e nem ela conhecia a deles! Mas, de cara se encantaram uns com os outros e acabaram por construir um laço bem forte e bem bonito, o que vai ser muito importante nesse livro, mas porque??? Não vou contar não!!!! Hehe...

Mas bom, Juliana é apaixona"dinha" pelo Simon desde que o viu pela primeira vez, e ele até que correspondeu, até descobrir a origem duvidosa dela, aí então ele a esqueceu e ignorou, até que por um motivo até que meio irritante (pra mim) eles se encontraram e o encontro não foi nada amigável. vendo que o cara é a frieza em pessoa, que só quer saber de reputação e aparências, ela resolve que ele irá "se ajoelhar" diante dela em duas semanas, irá conhecer a paixão, ele aceita porque vai fazer ela ver que a reputação é que é imprescindível.

Muitas situações os deixa frente a essa escolha: Reputação/Paixão e vocês podem imaginar que a paixão ganha sempre né? Nãoooo....haha, o cara é difícil gente e tem um sério problema, a irmã dele, Georgiana, que havia fugido lá no primeiro livro porque estava grávida, lembram? esse não é um segredo possível de se guardar por muito tempo, mas ele tenta, tanto que virou as costas para a menina e a deixou viver no campo com Nick e Isabel! Querem maior complicação? Então eu dou: uma noiva, Penélope que protagonizará o livro 1, de Clube dos Canalhas (assim como Georgiana que tem um livro só pra ela na mesma série). Simon pensa que casando com Penélope, seus problemas por conta da irmã sumirão!

Enfim tem muita coisa e tem muitas referências aos dois livros anteriores, coisa que eu adoro, além de conhecermos personagens que estarão conosco lá em "Clube dos Canalhas", que eu ainda não li, mas decidi que preciso....

Mas gente, deixa eu contar, cenas hots são bem poucas e só depois da metade do livro, amei isso gente porque eu não consigo gostar das cenas mais ousadas, sei lá, não vejo graça (vou apanhar de algumas amigas por isso...hehe)!

Enfim, amei demais todos os três livros mas esse foi o que eu mais gostei, só posso fazer boas recomendações porque olha....é ótimo mesmo!



site: http://www.eupraticolivroterapia.com.br/2017/05/onze-leis-cumprir-na-hora-de-seduzir.html
comentários(0)comente



Adriana 28/10/2017

Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir de Sarah MacLean
Juliana é uma jovem encantadora, porem com uma tendencia à se meter em confusões.
Sua própria chegada em Londres foi um verdadeiro escândalo, já que ela é filha da Marquesa que abandonou a família em busca de aventura e acabou se envolvendo com um mercador italiano.
"Ela quis mais do que podia ter.
Ela o quis, e mais do que isso…ela quis que ele a quisesse.
Em nome de algo maior do que a tradição, mais ousado do que a reputação, mais importante do que um título tolo."
Com a morte de seu pai, uma das clausulas do testamento era que ela fosse levada para morar com seus irmão por parte de mãe em Londres. Inicialmente Juliana achava que seria enxotada de lá, por ser parte do passado vergonhoso de sua mãe. Mas para sua surpresa ela é muito bem recebida pelos irmãos gêmeos Gabriel St. John o marquês de Ralston e Nick St. Jonh. E claro, que depois de muita discussão ela se convence a permanecer em Londres.

Em seus primeiros meses na nova residencia, Juliane vai a livraria comprar um presente para Gabriel e lá ela encontra um lindo e misterioso cavalheiro. Os dois se encantam um pelo outro. Porem depois de mais algumas idas e vindas, o cavalheiro em questão descobre sua identidade e a repele como se ela tivesse uma doença contagiosa. E a julga ser a maior dos escândalos de toda à Londres, isto é, tudo que ele não quer e não precisa. Porem Juliana faz disso um verdadeiro desafio.
"A garota era vulgar e impossível, era tudo o que ele não conseguia suportar em uma mulher.
Mas era fascinante."
Simon Pearson, o Duque de Leighton. é um homem arrogante e intolerante, que esta passando por um momento de medidas desesperadas, logo ele que tem pavor de escândalo se vê envolvido com duas pessoas que podem ser sua ruína. Primeiro sua irmã, que se envolvem com alguém que ela se recusa a dizer quem é, fugiu e no momento está gravida e com a data próxima do parto. E quando a sociedade londrina souber desse fato sua família e sua reputação estarão arruinados.
E por esse motivo ele precisa se casar com uma dama de reputação impecável.
"…você é linda e brilhante e ousada e tão apaixonada pela vida e pelo amor e por todas essas coisas nas quais acredita. E você me ensinou que tudo que acredito, tudo o que achei que queria, tudo o que pensei que deveria apoiar…tudo…é errado. Eu quero sua versão da vida…"
A outra pessoa é Juliana. Desde que se conheceram ele se encantou pela doce, linda e misteriosa dama. Isso até ele descobrir que ela é a recém chegada e escandalosa irmã do também escandaloso Marquês de Ralston. E apesar de dever muito favor a Nick St Jonh o que ele mais quer é distancia desta família.
Mas as circunstancias e o destino tem um jeito estranho e único de conduzir as coisa, e nem sempre é do jeito que desejamos.

A escrita da Sarah Maclean é maravilhosa, e Juliana é uma personagem fantástica e carismática.
Mas o Simon, meu Deus que homem insuportável. Eu gostaria que ele tivesse se rastejado muito para conquistar a Juliana. E apesar do final lindo do livro, eu esperava um pouco mais.

site: www.meupassatempoblablabla.com
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



mylena.suarez 24/06/2017

redenção e amor
Juliana Fiori é um ímã para escândalos já começando por sua mãe que antes da casar com seu pai abandonou marido e filhos na Inglaterra ,uma família que Juliana nem ao menos sabia que existia até seu pai morrer e ela ser enviada para ficar com seu meio-irmão. Essa italiana de sangue quente , provocante e divertido já chega chegando em Londres ,onde quer que vá ela causa alvoroço e em sua primeira temporada londrina atrai nada mais nada menos que o Conde do Desdem.

Simon ou Conde Leighton é conhecido por todos com uma pessoa fria e superior que sempre zelou por sua reputação e se manteve impecável até conhecer a bela Juliana.

“Ela ouvira dizer que ele selecionava seus criados pela discrição, suas amantes pela ausência de emoção e seus amigos...bem, não havia indicação de que ele fosse se rebaixar a algo tão comum quanto amizade.”

Simon foi criado para cumprir suas responsabilidades e não se misturar com gente escandalosa, quando conhece Juliana, ele não sabia ao certo de quem ela era filha e ao descobrir a despreza fazendo a garota se sentir desafiada a provar a ele como mesmo um conde sem coração não pode viver sem emoção.

É essa jornada de brigas ao melhor estilo gata e rato que vamos acompanhar em Onze Leis a Cumprir na hora de seduzir. Casal vai viver às turras boa parte do livro e quando não estão brigando estão pegando fogo . Mesmo Simon mostrando a Juliana qual o seu lugar na sociedade aristocática, sempre que pode a italiana faz algo para chamar sua atenção e obviamente acaba causando mais comoção.

“ Aqui nada ganhava da sagrada trindade : tradição, reputação e título.
E para alguém como ela – que não reivindicava nenhum dos três -, alguém como ele -que posuia todos os três como direito casual- estava completa e inegavelmente fora de alcance.”

De início não curti muito essa história dela ficar o tempo todo atrás dele ,se humilhando só para ganhar um desafio mas a medida que a história avança , eles vão se conhecendo melhor e aos poucos um começa a perceber quem o outro realmente é e no final Simon acaba provando do próprio veneno e se redime da melhor maneira. Destaque neste processo para os encontros callientes e para uma certa noite na fogueira que me fez apaixonar pelo casal.

Outro destaque que me fez tirar a implicância com o livro foi a participação dos meio-irmãos de Juliana que com suas esposas trazem dinâmica , diálogos mordazes e muita ironia para a trama. Eles roubaram meu coração.

A edição está belíssima com folhas amareladas, papel com marca d’agua clássico no interior e com esta capa sedutora representando bem Juliana . Só acho que deveriam manter o título original de Onze Escândalos pois explica melhor a trama que em nada mostra de onde surgiram essas onze leis...hehehehe….. Enfim, super recomendo para os amantes de romance de época.

4/5 estrelas.
Beijos,Myl



site: http://www.minhavelhaestante.com.br
comentários(0)comente



Leituras e Delírios 05/06/2017

Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir é o terceiro livro da série Os Números do Amor da Sarah MacLean publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. Acho que já deu para perceber o quanto a gente ama romance de época né?

Nesse terceiro livro finalmente saberemos a história de Juliana Fiori, a meio-irmã italiana de Nicholas e Gabriel, protagonistas dos dois primeiros livros. Quando Juliana chega da Itália para morar com os dois as coisas já se tornam difíceis para ela, se no resto da Europa as moças tem certa liberdade, dentro da sociedade inglesa as regras são diferentes. Uma dama jamais deve ter opinião, ser graciosa, sorrir e não se preocupar com nada, tudo que Juliana não é. A moça gosta de liberdade, de falar o que pensa e não é nada delicada, propensa a arrumar confusões e chamar a atenção para si, Juliana é um escândalo ambulante e é exatamente disso que Simon Pearson, o duque de Leighton não quer. Depois que sua irmã Georgiana engravida, é abandonada e foge, o também conhecido Duque do Desdém, precisa manter a reputação da família o mais intacta possível e isso quer dizer arrumar uma noiva inglesa perfeita, coisa que Juliana Fiori não é, apesar da moça mexer com algo dentro dele que Simon pensava não existir.

Eu confesso logo de primeira que esse livro era o que eu mais estava esperando, primeiro por já ter livro a história de Georgiana (para quem não sabe essa personagem tem seu livro próprio em outra série), segundo por que me parecia impossível o duque abrir mão das regras da sociedade em nome do amor, então eu estava bastante curiosa de como a autora iria trabalhar isso e não me decepcionei, a narrativa é bem fluida como a dos outros livros e os personagens são bem humanos, cheios de falhas e passíveis a mudanças por amor.

Juliana sofre muito por viver a sombra do escândalo da mãe, a mulher que abandonou um nobre para fugir e se casar com um mercador italiano para logo em seguida fugir de novo e não aparecer mais. Todos esperam que ela seja uma mulher de moral duvidosa, afinal "filho de peixe, peixinho é" e por isso por onde ela passa as mulheres da sociedade fazem comentário maldosos para que ela escute. É bem triste, a coitada escuta cada barbaridade, mesmo que responda a altura notamos durante a narrativa o quanto isso a afeta. Principalmente a questão da opinião do Duque. Quando ele afirma que vai se casar, a moça faz uma aposta com ele que em duas semanas para que ele reconheça que a paixão é algo a ser considerado em um relacionamento.

Leia a resenha completa no link:

site: http://www.leiturasedelirios.com.br/2017/05/onze-leis-cumprir-na-hora-de-seduzir.html#.WTV3bGgrLIU
comentários(0)comente



Gisela 25/06/2017

Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir, Vol. 03 - Série Os Números do Amor [Sarah Maclean]
Acredito que as autoras sempre deixam o melhor para o final, mas talvez seja eu que gosto demais de personagens femininas desafiadoras, daquelas que não levam desaforo para casa, principalmente quando se trata de Duques arrogantes, que pensam que são superiores aos reles mortais.

Já sabem então porque me encantei com Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir, o último volume da série Os Números do Amor. Juliana, a meia-irmã dos gêmeos Gabriel e Nick, não podia ser mais abrasadora, ela é quase um "escândalo" somente porque sua mãe abandonou o marido marquês para se aventurar mundo afora, casando-se em seguida com um mercador italiano, quando desta união Juliana nasceu. Mas sua irrequieta mãe também abandonou o pai de Juliana, que praticamente a criou sozinho. Quando ele morreu, foi enviada para Inglaterra, para morar com seus irmãos que ela nem sabia que existiam até então.

"Estava acostumada aos insultos, à especulação ignorante que lhe era dirigida por ser filha de um mercador italiano e de uma marquesa inglesa desonrada que havia abandonado marido e filhos... e repudiado a elite de Londres."

Gabriel, o marquês de Ralston, que já conhecemos do primeiro livro, acolhe a irmã com todo seu coração, mas para Juliana não estava sendo fácil se adaptar a aristocrática sociedade inglesa, eles eram feitos de gelo e Juliana era puro fogo, por isso a desprezavam abertamente. Ela esbarra com Simon Pearson, o décimo duque de Leighton, em uma livraria e desde o primeiro momento se encanta pela beleza do jovem duque, e ele parecia ter se encantado por ela também, até saber quem era: a meia irmã bastarda do marques de Ralston. Então Juliana passa a entender porque o apelido de Simon é "O Duque do Desdém".

"E fora naquele momento que ela decidira permanecer em Londres. Para provar ao duque e a todos os outros que a julgavam por trás de seus leques esvoaçantes de renda com seu frio olhar inglês, que ela era mais do que eles viam."

O Duque passou então a despreza-la, Juliana é o oposto de tudo o que ele representa, a antítese de tudo o que ele queria em seu mundo. E devido a um escândalo que ameaçava se abater sobre sua imaculada família, Simon precisava casar-se logo com alguma jovem aristocrata com uma reputação impecável, a fim de manter o bom nome de sua família. Porém Juliana, inconformada pela frieza do Duque, lhe propõe uma aposta, que acaba deixando seu coração despedaçado.

"Ela queria aquele homem perfeito e arrogante de joelhos.
- Prove - desafiou. - Deixe que eu lhe mostre que nem mesmo um duque frio pode viver sem emoção."

O livro é muito divertido pois as participações do marques de Ralston sempre garantem diálogos espirituosos, este é um daqueles personagens que marcam sua presença na trama. E Juliana já contava com minha empatia só por ser italiana, mas depois de conhecer sua língua ferina, minha admiração só aumentou. Ela em nenhum momento deixou de responder o Duque a altura.

"Ralston sentou-se e recostou-se na poltrona.
- Minhas desculpas. Tive a impressão de que você havia selecionado a sua futura duquesa como se ela fosse gado premiado."

Se você também é uma amante de romances de época, prepare-se para se deliciar com as peripécias de Juliana e Simon, que fecharam com chave de ouro mais uma saborosa série de romance de época.

site: http://www.lerparadivertir.com/2017/06/onze-leis-cumprir-na-hora-de-seduzir.html
comentários(0)comente



63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5