Ligeiramente Perigosos

Ligeiramente Perigosos Mary Balogh




Resenhas - -----


198 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


cris.leal 29/10/2020

Romance encantador...
Quando o austero Wulfric Bedwyn, o Duque de Bewcastle, aceitou o convite para uma temporada festiva na propriedade de aristocratas conhecidos, não imaginou que conheceria Christine Derrick, uma viúva vinda da baixa aristocracia, muito sociável, cheia de vida e dona de um imenso alto astral. Para o duque, conhecido por sua arrogância e frieza, Christine não sabia se comportar e não possuía nenhum dos atributos considerados admiráveis numa dama. Wulfric Bedwyn jamais esperaria se sentir atraído por uma mulher como aquela, mas estava. Já para Christine, o duque ostentava tudo o que ela não queria em um homem. Ele era mal humorado e inspirava medo em todos ao redor, mas era inegável que o achava bonito e que também sentia uma forte atração por ele.

A viúva estava constantemente metida em encrencas, algumas hilárias, e Wulfric não esperava se apegar a alguém tão inadequado. Christine também não se sentia à vontade em relação ao que sentia por ele. Apesar do desconforto mútuo, a certeza de que haviam procurado um pelo outro a vida inteira, era cada vez maior. O problema é que o duque não estava preparado para lidar com o turbilhão de emoções que os sentimentos por Christine estavam provocando nele, principalmente quando soube que ela sonhava com um marido dotado de senso de humor e bondade. Um companheiro que não fosse obcecado com a própria importância e que não tivesse coração de gelo. Ou seja, um homem muito diferente dele. Um homem disposto a se deixar restaurar pelo amor.

Este é o sexto e último livro da série e eu estava ansiosa por ele. O duque fez aparições nos volumes anteriores, quase sempre muito sisudo, escondido atrás do título de nobreza, dando a entender que nunca se apaixonaria; mas Mary Balogh criou a mulher perfeita para ele. Christine vinha de um universo diferente e não estava preparada para a função de duquesa, mas trouxe alegria, luz e calor para o mundo frio e contido do duque. Ver Wulfric Bedwyn se esforçando para provar que era capaz de amar profundamente, me emocionou muito. Achei o romance absolutamente encantador. O amor é maravilhoso, não é mesmo? Ele atrai os opostos, derrete o gelo e liberta as emoções. Amei o livro e recomendo muito a série.

site: https://www.newsdacris.com.br/2020/10/resenha-ligeiramente-perigosos-de-mary.html
comentários(0)comente



Janailda.Coelho 25/07/2020

Foi muito além das minhas expectativas ?
Como falei em outra resenha da série, a autora estava sendo pouco criativa com o enredo da história. Fiquei preocupada com esse, já que desde o primeiro livro. Estava ansiosa para ler ligeiramente perigosos, queria muito vê no ponto de vista do Wulfric bedwyn duque de Bewcastle.
Uma pessoa reclusa e fria, que aos seus 12 anos de idade foi afastado da diversão do que é ser criança, para aprender sobre o seu futuro, já que é o primogênito da família.

Aos 35 anos depois de ter visto seus irmãos todos casados, e sua única amante em anos, falecer. Ele se vê mais solitário do que nunca é aí que aceita o convite para ir uma festa de temporada na casa da irmã do seu amigo. E é nesta temporada que ele conhece Christine a impulsiva , altiva e inadequada para se tornar companheira de um duque. Ao mesmo tempo que é também muito linda e atraente. A única mulher que não tem nenhum interesse em receber seus galanteios. No início entre os dois é pura antipatia, mas com o passar do tempo vai se tornando algo mais.

E quando o Wulfric decidi seduzi-lá, eles descobrem uma paixão irresistível entre eles.

Gostei da forma como a autora tratou vários temas vividos no nosso dia a dia.

A leitura é maravilhosa, vai com certeza para lista dos meus livros favoritos. ?
comentários(0)comente



Thays 12/08/2020

Muito bom
Finalmente voltei !! Depois de meses demorando semanas pra ler um livro voltei ao meu ritmo , graças a esse livro que é do jeito que eu gosto ! Estava numa ressaca literária , espero que esteja curada kkkkk Mesmo curiosa para saber sobre o Duque de Bewcastle demorei meses para pegar esse livro é começar a ler , e percebi que foi bobeira minha , senti todas as emoções lendo esse livro , passei raiva , senti compaixão pelos personagens e outras. Recomendo leitura , agora fechando essa série Os Bedwyn com chave de ouro, vou sentir saudades dessa família !!
comentários(0)comente



Adriana.Patricia 28/03/2021

amei...
estava ansiosa por essa historia amei o mocinho e a mocinha axei o mais engraçado de todos...
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 17/09/2020

Originalmente postada em https://www.balaiodebabados.com.br/
Eis então que cheguei no livro de Wulfric Bedwyn, o duque de Bewcastle. Eu não sabia muito bem o que esperar dessa história, o que foi bom porque Ligeiramente Perigosos acabou me surpreendendo bastante.

Wulfric é uma presença garantida na história desde Ligeiramente Casados. Com a fama mais que comprovada de pessoa fria, nariz empinado e sem coração, o duque de Bewcastle incita, ao mesmo tempo, um certo temor e curiosidade na sociedade londrina. Já Christine é uma mulher alegre e alto astral. Sempre sendo o centro das atenções, mesmo involuntariamente, a viúva é um poço de simpatia e conquista a todos, mas isso nem sempre é bem visto ao olhos de outras pessoas.

Wulfric e Christine são completamente opostos e você pensa que nada poderia dar certo entre os dois. Ligeiramente Perigosos tem um quê de Orgulho e Preconceito já que ambos ficam naquelas primeiras impressões um do outro, julgando atitudes e comportamentos. Inclusive, várias pessoas que leram os dois livros confirmaram essa minha impressão, fora que achei Wulf com um quê de Mr. Darcy. Ambos vivem repetindo um para o outro o quanto passam bem longe da pessoa ideal que eles gostariam de se casar, mas acabam se apaixonando um pelo outro justamente por esses detalhes que o fazem opostos ao "par perfeito" que gostariam.

Um ponto que gostei bastante aqui foi o fato de Mary não ter mudado a personalidade de Wulfric. Geralmente com personagens do tipo do duque, quando ganham suas histórias, ao se apaixonar viram praticamente outra pessoa super gado da sua consagrada. Mas não Wulfric; ele se manteve a mesma pessoa arrogante e austera do início ao fim, o que de certa forma é o charme do personagem.

O detalhe aqui é o fato de Wulfric ser dado a gestos e não palavras. Durante toda a série, exceto em Ligeiramente Pecaminosos, mesmo contrariado ou não aceitando a relação, Wulfric sempre estava lá para ajudar seus irmãos e/ou (futuros) cônjuges. E mesmo durante todo o livro, você percebe isso nele e no modo como ele se porta na presença de Christine e a trata. Mesmo ele comentando as atitudes da viúva, são nos gestos discretos em relação a ela que demonstram seus sentimentos. A mulher demora um pouco a perceber como funciona o coração do duque, mesmo já estando apaixonada e tentando se convencer do contrário.

Outro ponto interessante na história foi como a Mary trabalhou as relações anteriores tanto de Christine quanto de Wulfric. Por mais que a viúva se ressentisse pelo fato do marido acreditar em fofocas envolvendo seu nome, ela realmente o amou e de certa forma, mesmo depois de três anos da sua morte, ela ainda guarda um carinho especial por ele. E também temos Wulfric, um tanto abalado e triste com a morte de sua amante de DEZ ANOS! Por mais que ele dissesse que era somente um acordo entre os dois, você não mantem uma amante de DEZ ANOS sem criar alguma espécie de vínculo.

Nesse último livro contamos com a presença de todos do clã Bedwyn e foi bem divertido vê-los dar uma de cupido entre Wulfric e Christine. Afinal, eles também só querem a felicidade do irmão velho que desde novo assumiu toda a responsabilidade pela família.

No geral, a série me surpreendeu bastante visto que as histórias da Mary fogem um pouco das minhas autoras de época favoritas e ainda assim conseguiu conquistar um espaço no meu coração. Já terminei Ligeiramente Perigosos emendando uma leitura coletiva de O Clube dos Sobreviventes e sinto que essa série também não vai me decepcionar. No mais, novamente fico órfã de mais uma família aristocrata.

site: https://www.balaiodebabados.com.br/2020/09/resenha-580-ligeiramente-perigosos.html
comentários(0)comente



NiriSiri 29/02/2020

Fechou com chave de ouro a história dessa querida família aristocrata! Que livro!
comentários(0)comente



Gabi 22/05/2020

Eu já estava apaixonada pela escrita da Mary, mas a subestimei ao pensar que não tinha como ela me fazer gostar do Wulfric, depois desse livro, se tornou o meu favorito. Me encantei pela Christine também. Li esse livro porque após terminar Orgulho e Preconceito revirei a internet procurando casais que fossem parecidos, aí li uma resenha com essa sugestão e realmente foi o que eu esperava da história, tem várias semelhanças mas sem parecer uma cópia.
comentários(0)comente



Fabi 25/03/2021

Melhor livro da série, fechou com chave de ouro!
Amei reler essa história e foi bom pois pude reparar em muitas coisas com maiores detalhes do que antes. Adorei a forma como a Mary retratou o duque e o homem por trás do duque. Ela realmente faz os melhores duques e sabe representá-los como devem ser, de acordo com todos os protocolos. Marquei muitos trechos nesse livro. É de uma sensibilidade tremenda. E tb curti o fato do casal ser maduro, ao contrário de muitos romances de época. De fato, ele entra pros meus queridinhos de RE!
Débora 28/03/2021minha estante
Concordo contigo em tudo! Fechou com chave de ouro mesmo. E que tragetória dessa família né, e a linearidade que sentimos nesse personagem tão emblemático que é o Duque. Amo muito??????


Fabi 12/08/2021minha estante
Sim, Débora ??




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Dany 15/11/2020

Com uma leitura rápida, Ligeiramente Perigosos foi um divertido e fofo encerramento para a série Os Bedwyns.
comentários(0)comente



Marcela Firmo 09/06/2021

Resenha de Ligeiramente perigosos
Desde o primeiro livro eu tenho um carinho por Wulf, e estava aguardando ansiosa a história dele. De todos, esse é meu preferido! Eu amo como esse livro trás a evolução do casal sem ter aquela apelação sexual, mostra o relacionamento deles crescendo pouco a pouco, mesmo com a atração instantânea que eles tiveram no primeiro encontro. E o Wulf merecia um amor, tão especial quanto a Christine, por ter passado tanto tempo solitário e ter feito de tudo pelos irmãos. Enfim, eles são meu casal preferido, e eu estou com as bochechas temporariamente dormentes de tantas risadas que dei ao longo desse livro!!! ???
comentários(0)comente



Gabi 17/04/2021

Finalmente! ?
Quando comecei o primeiro livro da série Os Bedwyns eu já me vi ansiosa para conhecer o Wulfric, amei todos os livros anteriores mas confesso que esse roubou o meu coração!
Como eu disse, eu me apeguei a ele desde o começo, o jeito em que ele tratava os irmão, como cuidava deles, e o modo com sempre defendia a família tocou profundamente o meu coração.
É o que falar dessa mocinha cheia de luz?
Mais uma personagem para mim admirar, não tenho nem palavras para descrever uma mocinha com uma vibe tão... ??
Que livro lindo! Que personagens incríveis! Que casal fascinante! ?

" A Sra. Derrick espalhava luz, apesar das sombras que ele vira nela de relance.
E, por mais que não desejasse, Wulfric ainda estava fascinado por aquela luz. "
comentários(0)comente



A Letreira 17/04/2017

Um amor inesperado!

Antes de começar essa resenha, devo dizer que esse livro é muito especial para mim. Desde que comecei a ler a Série Bedwin, Wulfric sempre foi meu preferido e antes de começar Ligeiramente Perigoso tive um receio de que Mary talvez não conseguisse transmitir de forma precisa os sentimentos dessa personagem tão enigmática ou até mesmo que o modificasse. Percebo agora que foi um medo infundado! Mary Balogh se consagrou como uma de minhas autoras prediletas depois desse livro maravilhoso.

Uma mocinha desajustada, com um senso de confusão que atrai as situações mais constrangedoras e a coloca sempre no centro das mais escandalosas faltas de decoro. Um aristocrata poderoso e frio, que prefere a morte a ser envolvido em algo que chame a atenção. Como pode surgir o amor em meio a tantas diferenças ? Como a maioria das ideias geniais é mt simples: os opostos se atraem!

Quando o Duque de Bewcastle se vê em um tipo de festa da qual jamais participou, seu humor chega a níveis elevados de frieza e ao primeiro impacto detesta a viúva de Lorde Derrick. Por sua vez, tudo que Christine Derrick deseja é passar despercebida numa festa que tem tudo para ser um total desastre. Mas tudo que Christine não consegue é ser invisível, com uma personalidade doce, um espírito forte e uma luz interior, ela logo se vê como a alma da festa, angariando a atenção de todos!

Para consternação de Bewcastle, ele não consegue tirar os olhos de Christine, que a cada situação se mostra cada vez mais inadequada para qualquer posição aristocrática e faz questão de desfiá-lo, ignorando seu título e sua riqueza. Entretanto, a faísca do desejo parece manter os dois conectados e na expectativa da próxima situação que os colocará a flor da pele.

Poderá Wulfric se render a paixão? Christine deixará o amor entrar em sua vida? Esse casal encontrará o equilíbrio? Confesso que em várias partes do livro me peguei pensando se o final feliz seria possível e torcendo para que o par enfim, se entendesse. Mas, tudo isso só seria possível se as máscaras caíssem e a verdadeira personalidade de ambos se mostrasse. Por mais diferentes que fossem, Wulfric e Christine se utilizam de máscaras para esconder o sofrimento, ele com a frieza e ela com o sorriso. Em verdade, são mais parecidos do que imaginam, com sentimentos profundos e barreiras construídas pela dor. É um livro muito emocionante e me deixou a beira de lágrimas, torcendo para que tudo terminasse bem!
Caroline Fortunato 01/05/2017minha estante
Acho que o que torna esse livro tão maravilhoso é justamente acompanhar o Wulfric em outros livros. Isso - pelo menos em mim - despertou uma curiosidade dos diabos! Fiquei imaginando como seria a mulher a quebrar o gelo dele e fiquei encantada pela Christine. Adorei mesmo!!!


Bruna da Rosa 05/05/2017minha estante
Que resenha sensacional! Confesso que Wulf foi desde o começo da série me personagem favorito. Em alguns livros tive vontade de parar, mas persisti apenas para conhecer a história dele, e foi realmente sensacional! Amei demais. Ainda estou encantada com o homem por trás do Duque carrancudo.




Duda 13/11/2020

Esse foi um dos melhores romances de época que já li, e o melhor de toda a série dos Bedwyns.

A Mary Balogh focou muito nos sentimentos e desenvolvimentos individuais dos personagens e ficou tudo muito bem feito. As contradições de Wulfric por ter sido criado em um meio aristocrático e, por causa disso ter aprendido a renegar qualquer extravagância, e mesmo assim se ver apaixonado por uma mulher que nunca se restringe em demonstrações contidas, foi incrível. Como a inimizade deles foi se desenvolvendo para um sentimento forte e incontrolável me deixou apegada aos dois.

Com certeza amei esse livro e o relacionamento que os dois criaram. Os dois personagens têm personalidades fortes e distintas, e a família Bedwyn se mostrou ser unida, não apenas pelo sangue, mas também pelo amor e carinho que sentem um pelo outro.
MI 13/11/2020minha estante
Já leu algum da Judith McNaught? Amo. Fica a dica.


Duda 13/11/2020minha estante
Eu li Um Reino de Sonhos dela e gostei bastante, quero ler os próximos.


MI 14/11/2020minha estante
Que bom. Um reino de sonhos é o primeiro livro da série Dinastia Westmoreland. Depois Whitney, meu amor, Até você chegar e Milagres este, não foi publicado no Brasil :(




.Ju 18/02/2021

Perfeito
Foi um desfecho incrível para a história da família Bedwyn. Eu me apaixonei muito por esses livros e me apeguei a cada membro da família. A unica observação que tenho a fazer é que os livros da série tendem a começar meio parados, mas do meio pro final vale muito a pena. Recomendo demaiss
comentários(0)comente



198 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR