A Casa do Lago

A Casa do Lago Kate Morton




Resenhas - \\\


69 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Mundo de Tinta 31/01/2018

Quem gosta de tramas com reviravoltas, segredos, e amores mal resolvidos vai gostar
Vamos falar sobre o livro da Kate Morton hoje, e como foi uma leitura um tanto difícil para mim. A história baseia-se no desaparecimento do bebe, filho caçula da família Edevane. E nós somos guiados através da visão de Alice, uma jovem com uma imaginação fértil que sempre está escrevendo histórias. E na outra parte do livro somos guiados há setenta anos depois, onde acompanhamos a ida da detetive Sadie Sparrow ao chalé de seu avô em Cornualha. No caso, ela acaba se encontrando no caso do bebê desaparecido que não havia sido solucionado ainda, então ela começa a investiga-lo. Então, o livro vai intercalando entre o passado e o presente, e soltando evidências que fazem você querer saber sobre a verdade que aconteceu no incidente.....

Quer continuar?! Então me segue!

site: http://blogmundodetinta.blogspot.com.br/2017/10/resenha-de-tinta-casa-do-lago.html
comentários(0)comente



sandra 10/01/2018

A casa do lago
Primeira leitura do ano e foi uma otima escolha ... talvez nao agrade leitores que precisem de uma historia de desenvolvimento rapido .
No começo eu me atrapalhei com muitos nomes de mulheres , mas do meio da historia em diante fluiu super bem , ao ponto de nao querer largar o livro .
Recomendo .
Lidiane 10/01/2018minha estante
os livros da kate realmente não possuem um desenvolvimento rápido, mas as historias são muito boas. Tbm gosto.


sandra 10/01/2018minha estante
Este foi meu primeiro dela, eu tenho um outro aqui pra ler , aí terei mais no noção .




Igor Izard // @igorizard 05/01/2018

Nunca faça uma promessa se não estiver pronto para cumpri-la.
Os Edivanes estão ansiosos com a chegada da tradicional festa do solstício na bela casa da família. Alice Edivane é uma jovem de 16 anos que além de terminar de escrever um livro que promete fazer sucesso, está secretamente apaixonada por Ben, o jardineiro da família. Ela não poderia estar mais feliz. Mas uma tragédia acontece, e tudo muda.

Sadie Sparrow é uma detetive que, após afastada do trabalho, vai passar um tempo com o avô na Cornualha. Um dia, enquanto anda por um bosque, encontra um lago, e uma casa praticamente abandonada. É a casa onde os Edivanes viveram 70 anos antes. Ela fica sabendo sobre um bebê que desapareceu ali sem deixar rastros.

Sadie começa a investigar e seu caminho se cruza com o de Alice Edivane, agora uma renomada autora de suspense policial. Por meio de lembranças que Alice não consegue esquecer, a investigação avança, e quando ela menos esperar, todos os segredos que ficaram enterrados por tanto tempo virão a tona.

O que você faria para proteger as pessoas que ama?

Com uma narrativa detalhada e com várias tramas que se entrelaçam, A Casa do Lago é uma perturbadora mistura de romance e suspense, onde os suspeitos são muitos.

Contando a história de uma família inteira devastada pela perda de um bebê indefeso, através de melancolia e obscuridade, Kate Morton nos leva a enxergar além. Ver que nada é perfeito, nem mesmo numa casa rodeada de amor e beleza.

O passado não quer saber se você é culpado ou não. Ele sempre encontra um jeito de voltar.

A Casa do Lago fala ainda sobre Traumas de guerra, Egoísmo, Recomeço e Redenção.

Além de toda a trajetória da família Edivane e do desaparecimento do bebê, acompanhamos a triste resolução do caso em que Sadie estava trabalhando antes de ir para a Cornualha.

A narrativa detalhada foi algo que me incomodou muito. Às vezes era como se eu lesse, e a coisa não avançasse. Mas eu persisti, e ao término da leitura, vi o quanto valeu a pena.

Um final surpreendente e emocionante, onde a autora me iludiu completamente.

site: @igorizard no instagram
comentários(0)comente



Desireé (@UpLiterario) 29/12/2017

Segredos em família. (@Upliterario)
Uma família rica, uma criança desaparecida, uma casa abandonada e uma colcha de segredos enterrados pelo tempo. Esses são os elementos que atraem Sadie Sparrow - e o leitor - a desvendar esse mistério, 70 anos depois do ocorrido.
.
Sadie é uma detetive ambiciosa e que gosta de desvendar cada um dos crimes que param em sua mesa. Em seu último caso, as coisas saíram um pouco do controle e agora ela está em um período de "férias compulsivas", até a poeira baixar. Para se manter distante, ela decide passar uns dias com o avô na Cornualha e lá Sadie se depara com a misteriosa casa dos Edevanes abandonada à beira de um lago.
.
Alice é uma jovem e promissora escritora, inocente e apaixonada. Na festa do solstício de 1933, ela tem todos os motivos para comemorar, porém nada sai como o esperado. E como consequência, seu irmão mais novo desaparece da festa, transformando a vida de sua família para sempre.
.
Uma leitura surpreendente, com uma série de desfechos e reviravoltas que nos fazem mergulhar na trama. Dois crimes são investigados, paralelamente, e passado e presente se intercalam e se fundem, em um final inesperado. Gostei muito da leitura, contudo, o desenrolar da história levou um bom tempo para engrenar, de forma que o começo do livro traz uma narrativa mais maçante do que eu esperava. Mas não desista! Vale muito a pena chegar ao final e se emocionar com as descobertas de Sadie.
.
Um ponto bastante positivo foi a escrita pouco usual de Kate Morton que traz nuances dos pensamentos e insights dos personagens, misturando seus devaneios e memórias ao presente narrado. Essa técnica aproxima o leitor dos personagens e nos dá um panorama mais rico e completo da personalidade de cada um deles. Adorei a experiência.
.
Uma leitora belíssima e que se torna impossível de largar quando alcançamos os capítulos finais. Gostei muito e recomendo!

site: www.instagram.com/upliterario
comentários(0)comente



Karol 14/12/2017

Não rolou
Para mim o livro não fluiu, demorei 1 mês inteiro para ler e pensei diversas vezes abandonar. O final é bom, mas nada muito ooooh, acho que daria para fazer algumas revelações ao decorrer do livro e não deixar tudo para as últimas 30 páginas.
Para mim não foi, mas acredito que seja muito do momento e do gosto de leitura de cada um.
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 30/11/2017

Resenha - A Casa do Lago / Dreams & Books
"A única coisa com que se pode contar é que não se pode contar com ninguém."

A Casa do Lago tem aquele tipo de capa que basta olhar para o seu coração bater mais forte. Essa capa lindíssima, sem dúvida, cativa e chama atenção para o livro.

O combo capa + sinopse faz com que A Casa do Lago entre para a lista de 'quero ler'. Você nem precisa ler resenhas e comentários para ter a certeza que esse livro é maravilhoso.

"Havia mais sobre ela do que eu sabia e gostei de ouvir isso.
As pessoas são fascinantes, não são? Quanto mais você se aproxima, mais perto está de descobrir o que faz o coração delas bater."

A escrita da autora é incrível! Ela te envolve e te prende e em alguns momentos você se vê prendendo a respiração e esperando para o impacto da próxima revelação. Também amo o fato do leitor ir juntando o quebra cabeças da história aos pouquinhos até chegar ao final surpreendente e encantador!

Mas confesso que até essa escrita te envolver, demora um pouco. O começo do livro é arrastado, com longas descrições e passagens desnecessárias. Com certeza, se a autora desejasse ela conseguiria diminuir e muito a quantidade de páginas sem danos a história.

Por isso, se você começar a ler esse livro e não gostar do início, persista. Ele melhora e muito! Chegando a um ponto de ganhar totalmente o seu coração!
"A vida parecia uma estrada reta à frente, esperando que a percorresse se você fez a coisa certa e a faria de novo, a única coisa que resta a fazer é seguir em frente."

Apesar do começo arrastado, a minha experiência com a leitura foi gratificante. A escrita da autora envolve a cada capítulo um pouco mais, quando o leitor percebe está totalmente cativado. A autora acabou me surpreendendo e com certeza, vou querer conferir outras obras dela.

Os personagens são maravilhosos cada um a sua maneira, amo o fato de não haver personagens sem importância, só pra ter, todos contribuem para o desenvolvimento da história de alguma forma.

"Há sempre um risco quando o coração abre uma brecha, não importa quão pequena ou inofensiva possa parecer.”

Concluo essa resenha pedindo para que você dê uma chance a esse livro tão maravilhoso!
Ele vai te conquistar e te surpreender! Acredite. :)

“As pessoas fazem tudo que não devem por amor.”

site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Kari 29/11/2017

Esse é um daqueles livros que tudo se encaixa, que concluímos ser "a leitura" e a capa nova deu um "Q" digno a obra!

Bom, nele iremos conhecer Sadie que é detetive muito bem vista até que tudo cai por terra; devido ao seu envolvimento excessivo (talvez) com o caso ela foi afastada até que tudo pudesse ser esclarecido. Com isso, ela decide ir para a Cornualha onde pratica corridas no bosque, mas se depara com segredos escondidos por muitas gerações gritando para serem descobertos. Com seu ar investigativo aguçado ela encontra uma casa abandonada e descobre que a anos atrás, talvez setenta, se não me engano um bebê desapareceu e isso jamais foi solucionado. Quem, como, qual motivo, se esse bebê está vivo ou morto? Mistério! E aí ela não consegue parar, cavando cada vez mais fundo nessa história ela se depara com Alice de oitenta e seis anos e irmã do bebê desaparecido. Alice é uma grande escritora, do meu gênero favorito (um dos gêneros ok! ok!) - Ela escreve romances policiais e seguiu sua vida aparentemente.

O bebê desaparecido não deixou rastros aparentemente, era um menino, o desaparecimento ocorre em 1933, quando Theo tinha apenas dois anos de idade, deixando Eleanor e Antony aparentemente devastados e aí nossa história visita o passado e retorna ao presente, intercalando momentos necessários para que possamos compreender tudo.

No passado quando ocorre o desaparecimento do bebê, Alice e sua família deixam a residência e nunca mais olham para trás e óbvio que Alice sabe muito, afinal as famílias guardam segredos! E ao mesmo tempo que temos uma Sadie obcecada em descobrir o que aconteceu, temos uma Alice determinada a deixar o passado exatamente onde está - no passado!

A história tem uma narrativa fluída e impactante, nos trazendo uma complexidade sobre um enredo teoricamente batido, mas que com a pitada certa se transformou em um grande livro! O que aconteceu é a pergunta que não saiu da minha cabeça e em diversos momentos suspeita-se de uma coisa aqui outra acolá, mas nada é tão simples ou talvez até seja!

Cada personagem trazido a trama é completamente real, bem caracterizado, dotado de personalidades distantes e marcantes!

Uma história para ser lida e relida!
Franz 29/11/2017minha estante
Pará Kari kkkkkk
deu uma vontade enorme de ler depois desta resenha :-)


Bete 29/11/2017minha estante
Doida pra ler!!!!




Fernanda 06/11/2017

Resenha: A casa do lago
Resenha no blog:

http://www.segredosemlivros.com/2017/11/resenha-casa-do-lago-kate-morton.html

site: http://www.segredosemlivros.com/2017/11/resenha-casa-do-lago-kate-morton.html
comentários(0)comente



Entrelivros_efilho 06/11/2017

O mundo era um lugar de equilíbrio e justiça natural; sempre havia um preço a pagar e já era tarde demais para fechar a porta.
Sadie é uma detetive talentosa, mas devido a um envolvimento maior do que deveria no ultimo caso que estava trabalhando, foi afastada até que os fatos fossem apurados. Então, aproveitando a licença forçada, vai até Cornualha na casa de seu avô e durante uma de suas corridas matinais, se depara com uma casa abandonada no meio do bosque. A curiosidade ou talvez seu instinto detetive fala mais alto e ela começa a pesquisar sobre a casa, e acaba descobrindo que a 70 anos atrás um bebê da família Edevane, desapareceu sem deixar pistas e o caso nunca foi solucionado.
Com seu instinto detetive acionado, ela vai aprofundando cada vez mais, até descobrir Alice, que é a dona da casa e irmã do bebê desaparecido.

Alice está com 86 anos é uma escritora de suspense policial famosa, e desde que seu irmão sumiu, foi embora as pressas com a família e nunca mais voltou a casa. Entretanto depois de tantos anos e muitos segredos guardados ela não quer ninguém investigando o passado de sua família ameaçando expor o que guardou consigo por tantos anos.
A historia é intercalada entre 1933 sob o ponto de vista de muitos personagens e em 2003 sob o ponto de vista de Sadie e nos apresenta varias possibilidades do que poderia ter acontecido de fato na casa do lago.

Os personagens foram muito bem construídos, a trama é minuciosamente detalhada, e pra mim esse excesso de detalhes acabou deixando a leitura arrastada, sem aquela empolgação de pegar o livro e ler até o final. Foi um livro que demorei e até enrolei pra terminar, mas mesmo ficando desanimada e frustrada com tantas perguntas sem respostas fui até o final porque eu também queria saber o desfecho da trama.
A capa é linda o final até que surpreende e para quem curte suspense com detalhes minuciosos, com dramas e muitos segredos familiares, além de amores mal resolvidos eu indico a leitura.


site: https://www.instagram.com/entrelivros_e_filho/?hl=pt-br https://www.facebook.com/Entrelivros_e_filho-1710703565630784/
comentários(0)comente



Fran @paginasdafran 24/10/2017

Perfeito!
Cornualha, 2003.
Sadie Sparrow é uma investigadora que precisou ser afastada de um caso problemático em Londres. De férias na casa do avô, ela encontra em uma de suas corridas pelo bosque, uma casa cujos segredos atravessaram os séculos para se manterem escondidos.

Setenta anos atrás, a propriedade de Loeanneth fora abandonada junto com as esperanças de que Theo, o bebê dos Edevane, fosse encontrado. O caso nunca resolvido desperta a curiosidade de Sadie, que se vê cada vez mais centrada em desvendar os mistérios desse desaparecimento.

Seguindo pistas, Sadie descobre que uma das filhas de Anthony e Eleanor, Alice Edevane, é uma renomada escritora de romance policial que tenta a todo custo deixar seu passado para trás. .
.
"Havia mais sobre ela do que eu sabia e gostei de ouvir isso. As pessoas são fascinantes, não são? Quanto mais você se aproxima, mais perto está de descobrir o que faz o coração delas bater."
.

É assim que embarcamos em uma narrativa genial, permeada de suspeitos que se tornam óbvios e se desmistificam a cada novo capítulo.

Voltamos ao passado e descobrimos todos os conflitos que rondavam a família Edevane antes da tragédia.
Alice, na época com 16 anos, estava apaixonada em segredo e escrevendo seu primeiro romance; uma de suas irmãs havia presenciado uma cena horrível na casa de barcos e Anthony passava dias recluso em seu escritório.

Uma história ambientada em meio às grandes guerras e que mesmo não tendo elas como foco principal, ainda mostra os horrores que podem causar à uma família.
Por trás das aparências, uma coisa é certa, todos eles guardavam segredo.

É impossível o leitor não dar uma de detetive e tentar adivinhar o desfecho desse livro, falhar miseravelmente e depois se surpreender!
Uma coisa é certa: Kate Morton está sempre um passo a nossa frente.
comentários(0)comente



Anne - @literatura.estrangeira 20/10/2017

Bom, mas poderia ser mais curto
A Casa do Lago é narrado em terceira pessoa e tem como trama central o desaparecimento de Theo em 1933, um menino de dois anos, filho varão de Antony e Eleanor Edenave. Vamos ter aí uma narrativa que se alterna entre o passado e presente.

Setenta anos depois do desaparecimento do menino e apenas Alice e Deborah (irmãs) da família Edenave vivas, o caso é "reaberto" pela Sadie Sparrow, uma policial investigadora tendo alguns problemas na carreira. O problema é a falta de provas e os muitos anos decorridos desde o caso, dificultando o desvendar da história.

"A única coisa com que se pode contar é que não se pode contar com ninguém."

Todos os personagens são bem complexos e com uma carga emocional muito grande. E tudo fica ainda mais intrincado quando outro caso de Sadie toma um rumo mais aparente, deixando o leitor mais intrigado ainda. Duas histórias não solucionadas que vão correndo paralelamente torna o livro mais excitante.

"Era difícil dizer o que lhe dava tanta, certeza, mas, quando se virou para sair, atravessou o buraco na sebe e começou ou a seguir os cães para casa, ela soube, com aquele frio na barriga - que, como detetive da polícia, era bom que tivesse desenvolvido -, que algo terrível acontecera naquela casa."

Apesar da história ser muito instigante, a escrita foi conduzida de forma vagarosa, o que pode incomodar um pouco. Na verdade, é um livro para se ler com calma, sem pressa, em que o único objetivo do leitor seja desfrutar de uma história bem bolada e surpreendente. O livro é extenso, tem quase 500 páginas e não é todo capítulo que uma revelação acontece.

A autora não poupou página na hora de construir personagens consistentes e defeituosos, com personalidades variadas e reais. Embora haja muitos pontos positivos a serem mencionados, não posso deixar de comentar que tamanho detalhamento em tudo deixou o livro um tanto cansativo.

"A vida parecia uma estrada reta à frente, esperando que a percorresse se você fez a coisa certa e a faria de novo, a única coisa que resta a fazer é seguir em frente."

Eu gostei dos personagens, da trama, do desenvolvimento e quando achei que não podia ser mais surpreendida, boom, e o final foi bem imprevisível depois de tanto tentar desvendar sobre o que de fato aconteceu, como, quem, porque. Em A Casa do Lago temos uma história policial, mas regada à amor, traumas, reviravoltas, infância e guerra narrada de forma autêntica.

Eu indico esse livro, mas tenha em mente que a leitura é lenta e você terá que disponibilizar várias horas à ele, então comece a ler quando sua TBR não estiver apertada, porque se você forçar, não vai ser uma experiência agradável e consequentemente uma história boa e rica vai se tornar maçante.

"Nem sempre escolhemos onde, como e quem, e o amor nos dá coragem para resistir àquilo que nunca julgamos possível."

site: http://www.literaturaestrangeira.com.br/2017/08/resenha-casa-do-lago-por-kate-morton.html
Kelly Martinez 20/10/2017minha estante
Cê sabe que o início desse livro me cansou... mas depois eu achei a história sensacional! Dei 4 estrelas por conta do começo arrastado!


Anne - @literatura.estrangeira 20/10/2017minha estante
Eu gostei também, mas achei muito longo. Daria pra encurtar bastante e deixar a história mais fluida.


Kelly Martinez 20/10/2017minha estante
Concordo ... mas a Kate não escuta nada né? Rsrs!




Barão 17/10/2017

Uma escrita majestosa!

“(...) há sempre um risco quando o coração abre uma brecha, não importa quão pequena ou inofensiva possa parecer.” - pág 324

Cornualha, 23 de junho de 1933, a família Edevane está organizando um festa para o solstício na sua casa do lago: muitos convidados, comida, bebida e fogos de artifício são as atrações principais, o que os convidados e a própria família não esperava era o desaparecimento do filho mais novo do casal, um bebê de onze meses que sumiu sem deixar rastros. Depois de várias investigações e nada ser encontrado, a polícia arquiva o caso e a família abandona a mansão para sempre.

Setenta anos depois, a detetive Sadie Sparrow chega a Cornualha para passar umas férias forçadas no chalé do avô, após se envolver em um caso problemático e ser afastada. Certo dia, ao fazer trilha pelos bosque ela acaba deparando-se com uma mansão abandonada e os terríveis mistérios que rondam esse lugar, principalmente a lenda de um bebê que sumiu misteriosamente.

Para acabar com a mente de detetive ociosa, Sadie logo começa uma pequena investigação sobre o desaparecimento da criança, o que ela não imaginava era que isso a levaria a entrar na vida de uma famosa escritora de romances policiais e desvendar segredos que, Alice Edevane, tenta fugir a setenta anos.

A detetive Sadie Sparrow conseguirá desvendar o mistério? Ao mesmo tempo em que luta contra seus próprios medos e segredos sombrios?

“As pessoas fazem tudo que não devem por amor.” - pág 233

Bom leitores, nem que eu tivesse um espaço enorme eu conseguiria passar em resumo o quanto esse livro é INCRÍVEL. A escrita visual da autora é tão majestosa que você não consegue parar de ler, querer desvendar os mistérios e imaginar esse livro sendo adaptado, pois é um enredo para cinema. Os personagens são bem construídos e apresentados na hora certa, todas as teorias que eu criei foram surpreendidas no final. Parabéns, Kate Morton!

Enfim, se você já leu e quer saber o motivo da minha nota, manda um direct! E você que ainda não leu, não perca mais tempo e vá ler logo essa obra incrível!

site: https://www.instagram.com/meninatecaria/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Livroseliteratura 27/09/2017

Resenha do blog Livros & Literatura
Uma edição maravilhosa, de fazer qualquer leitor cobrir o livro de beijos e abraços; uma sinopse que seduz até quem não sofre do mal da curiosidade; um final aclamado por todos e... Um livro com um ritmo lento e repleto de pormenores. 😔

Não desanimei ao ver comentários discorrendo sobre as minúcias do enredo. Tentei, tentei, tentei e tentei!

Porém, as tentativas não lograram êxito: não consegui levar a leitura adiante.

Sou extremamente curiosa, amo investigação e mistério, mas simplesmente não consigo me entregar a livros lentos e detalhistas demais, infelizmente.

A obra, no entanto, promete agradar aqueles leitores mais pacientes, menos alvoroçados que eu e que degustam cada pormenor de um suspense (e já cumpriu essa promessa diversas vezes).

Se você não é impaciente e agitada como eu, as blogueiras amigas do coração garantem que é uma leitura que vale a pena!

site: www.instagram.com/livroseliteratura
comentários(0)comente



Izabel Wagner 25/09/2017

A Casa do Lago - Kate Morton
"A Casa do Lago é um mistério habilmente construído, composto de maneira a mostrar ao leitor possibilidades escondidas, teorias encontradas, segredos perdidos ao longo dos anos, aparencias construídas com o intuito de manter disfarçados as rachaduras de uma família. A narrativa interliga histórias, destaca o passado de personagens, apresenta motivações, estabelece uma faceta humana até mesmo do personagem mais rancoroso, destaca a carga pscicológica de cada personagem e sua ligação com toda a obra.

Da mesma forma em que se apresenta como um grande mistério a ser desvendado. Ao mesmo tempo em que o leitor se vê imerso nos detalhes de um passado distante, acompanhando as investigações de uma policial capaz e absolutamente real, a obra de Kate Morton destaca muito mais do que uma história em que leitor e personagens se unem para chegar a solução de um mistério."

Confira a resenha completa no Estante Diagonal !

site: http://www.estantediagonal.com.br/2017/09/resenha-casa-do-lago.html
comentários(0)comente



Julia G 22/09/2017

A casa do lago
Livros com mistérios facilmente prendem o leitor e A casa do lago, de Kate Morton, é tão cheio deles que fica difícil se desligar da história, mesmo depois que ela terminou. O livro tem um ritmo próprio, um pouco mais lento que os livros de investigação habituais, mas exatamente essa aura mais introspectiva que torna sua leitura tão fascinante. Para alguns leitores, pode não ser tão interessante acompanhar uma trama tão minuciosa, mas, para mim, foi exatamente a riqueza da construção textual que tornou a leitura prazerosa.

A casa do lago intercala sua narrativa, feita em terceira pessoa, em dois tempos: o passado, que tem uma narrativa não linear, mas se passa principalmente na década de 1930, quando a família Edevane vivia na propriedade conhecida como Loeanneth, até que o filho mais novo, Theo, ainda um bebê, desaparece durante a festa de solstício; e o presente, em 2003, quando Sadie tem de se afastar de sua função como detetive em Londres e vai para Cornualha passar um tempo com o seu avô. Lá, ela se depara com a casa e seus segredos e não consegue se afastar dos mistérios que envolvem a família e, setenta anos depois, tenta descobrir o que aconteceu com o menino.

Acompanhar a investigação do desaparecimento da criança tantos anos depois é bem diferente de um livro de investigação comum, em especial porque a detetive só consegue se basear em detalhes, pequenas pistas ainda guardadas tantos anos depois e, principalmente, em suposições. Trata-se de um exercício de lógica elaborado por Sadie com tão poucos elementos que consegue reunir depois de tantas décadas. A investigação é, na verdade, muito mais um exercício de dedução do que a descoberta de fatos, e isso pode ser um pouco frustrante para quem está acostumado com muito mais ação e aventura na busca por pistas. Aqui, cada detalhe vem ao seu próprio tempo.

"As pessoas poderiam ficar com suas drogas e seu álcool, pensou Sadie, mas não havia nada mais emocionante do que desvendar um quebra-cabeças, particularmente um como aquele, tão inesperado."

Não faltam, porém, reviravoltas à trama. A autora consegue inserir indícios que levam a determinadas conclusões que, mais tarde, mostram-se bastante desacertadas. A pista seguinte contradiz a anterior e as deduções precisam ser reajustadas com frequência, para levar a um final totalmente inesperado. Sinceramente, elaborei inúmeras teorias diferentes das de Sadie, mas tanto eu quanto ela estávamos erradas afinal de contas. Tive a impressão de que haviam camadas de segredos sobre outras camadas, retiradas uma a uma, para então dar um novo sentido a toda a história.

Segredos, aliás, estão presentes em toda a trama. A própria Sadie carrega os seus, que só são esclarecidos ao longo dos capítulos, assim como Alice, que tem seus arrependimentos e sua cota de culpa. Isso sem falar dos demais personagens, a quem é possível conhecer, aos poucos, durante a leitura. A cada um deles é dedicado um capítulo, de forma que é possível entender todos eles em seu íntimo. A narrativa se aprofunda nos sentimentos e medos de cada um e dá forma à complexidade de todos os personagens, o que, em minha opinião, foi o ponto alto da trama.

"- Somos todos vítimas da nossa experiência humana - continuou Alice -, aptos a ver o presente através da lente do nosso passado."

A casa do lago tem uma narrativa densa e cativante, mas é preciso conhecer sua grandeza na lentidão de suas descobertas e na riqueza de seus detalhes. Além disso, traz um fechamento surpreendente e muito bonito, que trata sobre recomeços e novas chances, não importa quanto tempo tenha se passado.

site: http://conjuntodaobra.blogspot.com.br/2017/09/a-casa-do-lago-kate-morton.html
comentários(0)comente



69 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5