Tudo Junto e Misturado

Tudo Junto e Misturado Ann Brashares




Resenhas - /////


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Aione 20/12/2017

Tudo Junto e Misturado. Minha primeira impressão foi a de que o título se referia apenas às diferentes (e complicadas) famílias retratadas no mais recente romance de Ann Brashares; contudo, após sua leitura, percebi que ele vai muito além, abrangendo também diferentes estilos narrativos e, sobretudo, as muitas emoções tão misturadas entre si que a leitura proporciona. Sem dúvida alguma, fui bastante surpreendida, mesmo já tendo adorado a série Irmandade das Calças Viajantes da autora.

Lila e Robert foram casados e tiveram três filhas. Após o divórcio nada amigável, continuaram a dividir a casa de praia da família, cada hora ocupada por um, sempre em tempos exatamente iguais entre um e outro. Ambos se casaram novamente e tiveram seus filhos: Lila agora é também mãe de Ray, e Robert é pai de Sasha, os dois com 17 anos. Ray e Sasha cresceram dividindo uma casa, as três meias-irmãs e até mesmo um quarto, mas nunca se encontraram, devido ao rígido esquema de separação das famílias. Até que tudo muda em um verão, quando suas vidas — e de suas complicadas famílias — parecem mais interligadas do que nunca.

Dizer que a narrativa de Tudo Junto e Misturado é composta por diferentes pontos de vista, que se alternam de acordo com as perspectivas das personagens, não basta para defini-la. Mais do que uma mescla de vozes narrativas, temos uma mescla de gêneros. Ainda que esse seja um romance, sua escrita em muito me desconcertou. Há nela um ar de fragmentação, de agilidade descritiva que, aliado à maciça presença de diálogos, dão à obra um caráter dramático, intensificado pelo breve resumo de personagens e cenários presentes no início do livro — assim como no roteiro de uma peça de teatro. Também, há um inegável trabalho poético na escrita de Ann Brashares, que se caracteriza por ser extremamente sutil e delicada, garantindo a presença de mais esse gênero em meio à narrativa. Romance, drama, poesia — tudo junto e misturado.

Assim, se a escrita própria da autora já garante sensibilidade à leitura, a maneira de como ela desenvolve cada personagem apenas acentua essa característica. Apesar da ausência de passagens reflexivas muito extensas, Ann Brashares consegue expor os conflitos emocionais de cada figura que compõe a obra. Com suavidade, a autora revela seus medos e anseios; com pinceladas delicadas, faz de cada uma alguém real, com cores e complexidade; com empatia, nos aproxima de todas elas.

Em um primeiro momento, a leitura de Tudo Junto e Misturado me causou estranhamento, apesar de ser fluida e envolvente desde os primeiros parágrafos. Contudo, essa impressão logo se dissipou e não demorei a me entregar ao estilo que Ann Brashares desenvolveu nessa obra em especial. Pouco a pouco, fui me abrindo a cada uma das emoções com que a autora me presenteava e fui as acolhendo em mim: recebi a expectativa de um primeiro amor, o medo de um passado desconhecido e de suas implicações no presente, a mágoa de conflitos mal-resolvidos, o vazio de uma necessidade voraz de compreensão e conexão, a alegria proporcionada por pequenas conquistas, a dor por uma grande perda; acima de tudo, senti o amor incondicional existente em laços familiares. Todas essas sensações, tudo junto e misturado.

Finalizei a leitura aos prantos, tentando digerir o que havia lido e sem saber qual emoção predominava em mim após essa experiência tão contraditoriamente intensa e delicada. Esperava uma leitura leve e a encontrei, mas não estava preparada para a força da história e para o turbilhão de sentimentos que ela me traria. Ann Brashares superou minhas expectativas com Tudo Junto e Misturado e me entregou um dos melhores YA a que já tive o prazer de ler.

site: http://minhavidaliteraria.com.br/2017/12/20/resenha-tudo-junto-e-misturado-ann-brashares/
Thay 20/12/2017minha estante
Não é o gênero que me desperta o mínimo de interesse mas tenho que comentar o quanto estou apaixonada pela sua resenha (haja vista a minha total inaptidão para síntese), sensacional! Obrigada por compartilhar. :)


Aione 20/12/2017minha estante
Eu é que agradeço




PorEssasPáginas 10/01/2018

Temos aqui Lila e Robert, que juntos tiveram 3 filhas: Emma, Quinn e Mattie. O casal se separou e cada um teve um filho, Ray e Sasha. O problema é que a separação não foi nem um pouco amigável, o que ocasiona que as meninas se dividem em duas famílias e que Ray e Sasha nunca se encontraram. Para piorar, existe a casa de praia que era do pai de Lila, mas que Robert acabou comprando quando eles eram casados. Como nenhum dos dois quer abrir mão do patrimônio, eles se revesam nas férias: Lila fica durante 15 dias com Ray e o marido e Robert fica 15 dias com Sasha e a esposa. As únicas que têm direito de permanecer tempo integral são as três filhas do casal.

Esse é o plot principal do livro. O que acontece é que a sinopse parece centrar muito em Ray e Sasha e uma relação meio que platônica, primeiramente voltada a uma amizade silenciosa e praticamente secreta e até mesmo um leve interesse amoroso, mas a história é muito mais enriquecedora, porque conhecemos toda a família de Ray e Sasha.

Cada personagem, mais centrado nos filhos do ex-casal , tanto as filhas em comum quanto os demais, tem sua parcela na narrativa, que é em terceira pessoa. É muito interessante você se embrenhar nos sentimentos das irmãs mais velhas de Ray e Sasha, principalmente porque a separação dos pais deixou marcas que perduram até hoje, seja em pequenos TOCs, seja em crises existenciais.

Inclusive, acredito que o maior destaque na história seja para as filhas de Lila e Robert. Ray e Sasha são ótimos também, mas às vezes eles parecem apenas unir os fios da história das três garotas, ao mesmo tempo que eles constroem sua própria história, formando uma dupla e tanto.

Sobre Robert e Lila, os dois são personagens bastante complexos e amargurados. Dificilmente poderiam se encontrar de forma amigável. Mesmo quando um acontecimento trágico acontece, é difícil apagar certas lembranças e darem trégua um para o outro.

É uma história tocante, com drama familiar e que retrata como uma família pode ser afetada por uma separação traumática e cheia de ódio e amargura, feridas que duram a vida toda. Também é uma história de amizade à distância e como duas pessoas podem se completar, mesmo mal se conhecendo.

site: http://poressaspaginas.com/resenha-tudo-junto-e-misturado
comentários(0)comente



Ju - LiteRata 28/11/2017

Tudo junto e misturado me chamou atenção pela sinopse, ela deu a entender que a história era um emaranhado de confusão que traria uma leitura leve e divertida, mas quando peguei para ler não achei que fosse superar minhas expectativas. Na verdade meu receio começou pela capa, mesmo a sinopse passando a ideia de uma leitura gostosa a capa não retrata muito bem isso, apesar de ela apresentar um pouco a essência da história. Porém, resolvi aceitar a máxima de não julgar um livro pela capa e resolvi que estava na hora de lê-lo.

A narrativa apresenta uma família bastante complicada que teve início com o casamento de Lila e Robert, juntos eles tiveram três filhas Emma, Quinn e Mattie. Devido a alguns problemas e a completa falta de entendimento entre os dois eles acabam passando bom um divórcio extremamente difícil. Após isso ambos se casam novamente, Lila se casa com Adam e tem um filho chamado Ray; Robert se casa com Evie e tem Sasha, duas crianças sem nenhuma ligação com os ex conjugues de seus pais, mas que estão ligados por compartilharem três irmãs e um mesmo quarto em uma casa de verão.

Apesar disso, Ray e Sasha nunca se conheceram pessoalmente mesmo que - através dos vestígios captados por eles durante todos os anos em que compartilharam o mesmo espaço em momentos diferentes - pareçam saber mais um sobre o outro do que sobre qualquer outra pessoa. Em meio a isso há toda a confusão familiar, o ódio que os pais sentem um pelo outro e um sentimento que parece totalmente incompreensível mas verdadeiro. Uma história que apresenta a leveza que propõe e ainda consegue surpreender o leitor no decorrer de seu desenvolvimento.

Há um certo ar de angustia enquanto lemos Tudo Junto e Misturado, apesar de encontrar exatamente os elementos que eu esperava, como humor, confusões mirabolantes e a leveza da escrita da autora, ainda assim há algo que eu definitivamente não esperava: drama. Ann Brashares conseguiu me pegar desprevenida, sua narrativa descomplicada faz com que a leitura flua naturalmente, sem dar sinais do que está por vir, assim a autora consegue surpreender o leitor a cada novo capitulo e convencê-lo a continuar lendo uma página ou um capítulo a mais.

Grande parte disso está relacionado aos personagens, que são muito bem caracterizados. Tanto Ray e Sasha quanto os personagens de apoio, que são tão protagonistas quanto os dois principais, foram muito bem estruturados. As diversas personalidades de cada um é explorada de forma que possamos os conhecer e compreender suas atitudes, mesmo quando não concordamos com elas. Em relação as irmãs de Ray e Sasha principalmente, passamos por Mattie que não parece saber ainda quem realmente é, por Emma que é totalmente decidida e sabe o que quer e por Quinn que tem luz própria e parece ser a ligação entre todos.

Apesar de tudo isso, confesso que no início da história o leitor pode acabar um pouco perdido devido a essa família tão disfuncional em sua estrutura. Eu mesma tive que retornar diversas vezes ao início do livro pra recordar quem era quem através da arvore genealógica apresentada logo na primeira página. Porém é aí que conta e muito o fato de autora ter caracterizado muito bem seus personagens, pois depois que acostumamos com cada um deles é difícil nos confundirmos novamente.

Com relação a Lila e Robert eu tenho uma opinião bem formada, especialmente em relação a Lila, não por tudo o que descobrimos no decorrer da história, mas sim por sua atitude de total recusa em ceder. Para mim ela pareceu egoísta demais, apesar de compreender o quanto ela se sentia afrontada pela atitude blasé de Robert, esperava que ela fosse mais bem resolvida sobre o que aconteceu. Senti que por vezes ela deixava sua raiva e amargura falar mais alto do que o amor por seus filhos. Não que Robert esteja completamente certo, mas ele estava mais aberto a seguir em frente.

Enfim, Tudo Junto e Misturado pode passar a impressão de ser apenas um romance leve e sem grandes pretensões, mas ele traz ao leitor algumas lições valiosas, principalmente no que concerne ao perdão. Nos ensina a nunca deixar a mágoa e o rancor nos levar há momentos e situações extenuantes antes de serem resolvidos. Uma história que me ganhou aos poucos, que me fez ir do riso à exasperação e finalmente as lágrimas. Eu definitivamente recomendo a leitura.
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 24/01/2018

Resenha da Mylena Suarez
Embora a sinopse me tenha levado a pensar que o livro é sobre o romance entre Ray e Sasha, de fato, o que o livro faz é contar os problemas e dilemas das filhas e filho do primeiro casamento e do segundo de dois casais. Quase um Os meus, os seus, os nossos de uma maneira diferente.
O problema, para mim, foi perceber que a narração em terceira pessoa foi escolhida pela escritora para facilitar a apresentação da situação de cada um dos personagens principais e secundários. Isso confundiu muito e, como ela apenas apresentava um pouco de cada um deles em cada capítulo, não conseguia me conectar com nenhum, muito menos com os protagonistas. os personagens acabaram se tornando rasos e nada me atraiu para eles no desenrolar da trama.

Eu acho que, talvez, se a escritora tivesse feito vários livros pequenos sobre cada personagem separadamente, teria sido melhor, uma vez que poderia aprofundar o relacionamento dos filhos com seus pais e os outros personagens. Esperei muito pelo romance, achei massa essa ideia deles saberem que dormem na mesma cama e nunca se encontrarem porém decepcionada terminei... hehehehehe

Fiz leitura antecipada deste livro no lançamento americano e tinha uma expectativa grande já que gostei muito do Jeans Viajante, infelizmente não funcionou para mim, mas como sempre digo cada pessoa tem um gosto.

Nem a capa americana nem a nacional funcionaram para mim também, a nacional até transmite melhor a mensagem. Só os títulos que realmente mostram que o livro é um pouco de cada coisa formando um todo.


site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2017/12/livros-da-gata-tudo-junto-e-misturado.html
comentários(0)comente



Nina 14/11/2017

Ann Brashares é muito conhecida pelo sucesso de Quatro amigas e um jeans viajante, que vendeu milhões de cópias e chegou aos cinemas 2005 com Alexis Bledel e Blake Lively no elenco. Eu ainda não tive a oportunidade de ler os livros mas vi o filme e, curiosa como sou, queria muito conhecer a escrita da autora e assim, quando soube do lançamento de Tudo junto e misturado, vi que essa seria a minha chance! E agora trago minhas impressões para vocês.

O livro conta a história de uma família incomum e disfuncional, que começa com o casamento de Lila e Robert. Juntos eles têm três filhas, Emma, Quinn e Mattie, mas como são muito teimosos e egocêntricos, o casamento acaba em um difícil divórcio. Lila se casa novamente com Adam e tem um filho chamado Ray; Robert se casa com Evie e tem Sasha. O rancor e as mágoas do divórcio fazem com que Lila e Robert não se suportem, e por isso eles partilham a guarda das filhas mais velhas e a propriedade de uma casa de verão, mas nunca se encontrem. Assim, Ray e Sasha dividem as irmãs e passam os verões na mesma casa, mas nunca se viram.

Mesmo sem nunca terem se encontrado, Ray e Sasha se conhecem pelos vestígios que veem um do outro pela casa: hábitos, passatempos, livros. No entanto a situação está prestes a mudar, pois segredos familiares vão forçar um encontro e emoções que eles nunca imaginavam que teriam virão à tona. Haverá um romance estranho, confissões e tragédia, e a fissura entre as famílias pode romper de vez ou ser curada para sempre.

O enredo desse livro é mesmo uma fofura! Muito criativo e envolvente, ainda tem o bônus da narrativa de Ann Brashares que realmente me encantou - é natural e descomplicada e faz com que o leitor esteja sempre repetindo o velho mantra: “só mais um capítulo”, sem conseguir largar o livro.

Quando peguei o livro para ler, imaginei que ele seria sobre um romance difícil entre dois adolescentes, mas é muito mais do isso, ele fala sobre família, convivência, perdão. Cada membro dessa enorme família tem seu drama que é desenvolvido no desenrolar da história, e como a narrativa é em terceira pessoa e são muitos personagens, o começo pode ser meio confuso, pelo menos até você entender quem é quem. A sensação que tive foi de estar caminhando pela casa e encontrando com pessoas que iam me contando sobre como estava sua vida, acompanhando cada um deles. A sorte é a árvore genealógica que aparece logo na primeira página, e até pegar o ritmo recorri muito a ela.

Foi muito bacana a maneira como Ann Brashares apresentou esse modelo de família maluca mas que está cada vez mais comum. É só olhar em volta que a gente vê a quantidade de famílias que se reorganizam de acordo novos casamentos, meio irmãos, irmão só por consideração, e por aí vai.

Mas a grande lição que fica do enredo é a de não esperarmos momentos extremos para se reconciliar com alguém. Lila e Robert vivem em tensão constante, aliás tensão é uma palavra muito suave para a disputa que existe entre os dois pois, na verdade, o sentimento beira à repulsa. Robert tem muito orgulho, muito dinheiro e se recusa a aceitar qualquer tipo de indulgência. Lila também tem muito orgulho, não muito dinheiro, e abriga um grave segredo sobre uma de suas filhas. E é uma pena que os dois esperem até que a situação fique totalmente fora de controle para ao menos tentar conviver civilizadamente.

Enfim, eu amei! Sofri com os personagens, chorei, ri… a leitura trouxe um misto de emoções que mexeu muito comigo. Indico esse livro para os que gostam de um Jovem Adulto adorável e muito poético.

site: http://www.quemlesabeporque.com/2017/11/tudo-junto-e-misturado-ann-brashares.html
comentários(0)comente



Lisandra.Vieira 18/02/2018

Tudo junto e misturado #EuLiVouTeContar - página no facebook
UM LIVRO QUE NOS FAZ SENTIR!
Esse livro foi livro incrível...
Eu não estava preparada para isso! Foi uma avalanche de emoções!!!
Na sinopse fala sobre a estranha relação que Ray e Sasha compartilham... Eles são filhos do segundo casamento dos pais de suas meias-irmãs: Emma, Quinn, Mattie.
Lila e Robert, pais dessas 3 garotas, se separam e nutrem uma discórdia horrenda ao passar dos anos. Eles não abrem mão da casa de praia que foi construída pelo avô de Lila, e comprada ainda durante o casamento deles por Robert. Então dividem a casa ao longo dos anos. Meio a meio. Uma semana pra cada. E eles jamais se encontram... Tem hora marcada pra chegar e pra sair a cada início e final de estadia.
Ray e Sasha dividem o mesmo quarto, cada um na sua semana. Ray é filho de Lila com Adam. Sasha é filha de Robert e Evie. Eles não tem laços de sangue. Eles nunca se viram. Mas dividem tudo desde seu nascimento - apenas duas semanas de diferença cada um.
Eles usaram o mesmo berço, brincam com os mesmos brinquedos, lêem os mesmos livros, dividem um closet, o banheiro e produtos de higiene. Existe um laço invisível que os amarra, mas também os separa. É como se vivessem cada um de um lado do abismo.
O livro é narrado pelos dois, mas também por suas três irmãs. Tem muitas histórias parelelas, alguns segredos a serem desvendados, muito desejo de ver os pais juntos comoartilhando o mesmo espaço e sem ódio.
Robert, o pai das garotas, é um personagem maravilhoso. Eu adorei os diálogos com as filhas.
Lila, a mãe das meninas mais velhas e do Ray, eu detestei. Achei ela muito arrogante. Ela batia pé como uma menina birrenta. Um fiasco de mãe, na minha opinião... Até como pessoa deixou muito a desejar.

A gente tem muitos shippes pra torcer nesse livro! #AdoroUmBomCasal
Emma encontra um amor pra chamar de seu. Impossível não se apaixonar por Jamie. Eu amei esse garoto. Os dois são perfeitos juntos.
Mattie tem uma queda (do Everest) por Matthew (bem, toda a cidade têm!). É muito legal como ela vai ganhando a atenção dele. Queria um desfecho melhor... Torcendo pra autora fazer um livro só para os dois. O Matt tinha uma história do passado bem intensa e interessante e ao meu ver merece ser trabalhada... Como disse minha amiga Carol Guerreiro, ficou raso. Tem que aprofundar isso!!! #PleaseAnnBrashares
Quinn não tem um envolvimento amoroso, mas é a personagem que todos adoram. Etérea, amável, sempre presente. A cola da família. A que pondera, ouve, abraça. AMO essa menina.
Sasha e Ray, todas as cenas lindas. A última cena deles é a mais linda do livro. E olha que esse livro é CHEIO de cenas lindas.

Senti falta apenas de um epílogo. O final foi um pouco precipitado. Caberia mais uma cena ali... Um diálogo final de Sasha e Ray, com certeza era necessário além de merecido.
Mas de qualquer maneira é um livro pra se amar. Eu compartilhei com várias amigas as impressões e todas que leram junto, também ficaram maravilhadas.

É um livro que nos dá uma grande lição.
Devemos tentar relevar, crescer, e aprender a sermos melhores através do amor.
Sempre escolha aprender pelo amor e não espere para aprender pela dor.

Ficarei de olho nessa autora.

Dou 4,5 estrelas. Nota 9.0. Só porque faltou estender um pouco mais o final!
Terminei a leitura com um sentimento de QUERO MAIS!
comentários(0)comente



mylena.suarez 29/11/2017

muita coisa misturada
Embora a sinopse me tenha levado a pensar que o livro é sobre o romance entre Ray e Sasha, de fato, o que o livro faz é contar os problemas e dilemas das filhas e filho do primeiro casamento e do segundo dos dois casais. Quase Os meus,os seus, os nossos de uma maneira diferente. O problema para mim foi perceber que a narração em terceira pessoa foi escolhida pela escritora para facilitar a apresentação da situação de cada um dos personagens. Isso confundiu muito e, como ela apenas apresentava um pouco de cada um deles, não conseguia me conectar com nenhum, muito menos com os protagonistas.

Eu acho que talvez, se a escritora tivesse escrito vários livros pequenos sobre cada personagem separadamente, teria sido melhor, uma vez que poderia aprofundar o relacionamento uns dos filhos com seus pais e os outros personagens.Esperei muito pelo romance ,achei massa essa ideia deles saberem que dormem na mesma cama e nunca se encontram porem decepcionada terminei....hehehehehe
Fiz leitura antecipada deste livro no lançamento americano e tinha uma expectativa grande já que gostei muito do Jeans Viajante, infelizmente não funcionou para mim mas como sempre digo cada pessoa tem um gosto.
Nem a capa americana nem a nacional funcionaram para mim tambem,a nacional até transmite melhor a mensagem, so os titulos que realmente mostram que o livro é um pouco de cada coisa formando um todo.
2/5 estrelas.
Beijos,Myl

site: http://www.gataleitora.com/
comentários(0)comente



Ana 29/01/2018

O que me chamou a atenção para esse livro foi justamente a premissa: dois adolescentes que nunca se viram, mas que ainda assim compartilham muitas coisas, inclusive três irmãs. Não só parece um tanto confuso como é, realmente. Lila e Robert foram casados e tiveram três filhas: Emma, Quinn e Mattie. Após um divórcio nem um pouco amigável, Lila se casou com Adam e juntos tiveram Ray, enquanto Robert se casou com Evie, nascendo assim a menina Sasha.

Apesar de terem seguido suas vidas normalmente, Lila e Robert ainda compartilham a guarda das filhas e a casa de praia, onde a ocupam em períodos alternados. Tudo é combinado para que as famílias não se cruzem nunca, e é por isso que Ray e Sasha não se conhecem, apesar de dividirem o mesmo quarto, banheiro, livros e até mesmo a roupa de cama em que dormem quando estão na casa de praia. Se vocês estão achando isso um tanto absurdo, não se preocupem porque eu concordo completamente.

Numa primeira impressão, Tudo Junto e Misturado é extremamente confuso, mas, para mim, isso foi uma sacada de Ann Brashares para mostrar o desajuste dessa(s) família(s). Até um certo ponto, eu senti um pouco de dificuldade em diferenciar as irmãs, que são uma espécie de ponte entre os pais que não conseguem nem conversar como duas pessoas adultas. Assim, Ray e Sasha acabam entrando no meio dessa batalha, sem sequer terem alguma coisa a ver com isso. Não sei para vocês, mas para mim essa situação não passa de puro egoísmo do ex-casal, que acham que estão fazendo o melhor para os filhos quando, na verdade, só estão pensando neles mesmos.

Todo o livro é narrado em terceira pessoa, ora pelo ponto de vista de uma das irmãs, ora alternando entre Sasha e Ray — o que era para ser um romance adolescente, se transforma em uma história com cinco pontos de vista diferentes, e isso pode desagradar muitas pessoas. Não sei explicar muito bem, mas a técnica da autora é diferente de tudo o que eu li. Não é uma narrativa em terceira pessoa comum, onde o escritor apenas mostra através de outros olhos tudo o que está acontecendo. Tem uma certa poesia, digamos assim, na escrita de Ann Brashares e isso pode se tornar um ponto negativo dependendo do leitor que entrar em contato com a obra.

Não vou mentir para vocês. Eu esperava muito mais de Tudo Junto e Misturado, e só tive essa certeza após um acontecimento lá para o final do livro. O que eu senti foi que a autora colocou algo muito trágico na história só para piorar algo que já estava muito ruim, uma "forçação de barra" para reaproximar as famílias, sabem? Achei totalmente desnecessário. Na verdade, eu esperava algo um pouco mais leve e divertido, como aquelas séries de comédia dos anos 90, por isso me decepcionei tanto.

Apesar de tudo, não acho que foi uma leitura desperdiçada. Me fez refletir bastante sobre o conceito família, a importância de de mantermos quem a gente ama o mais próximo possível, esse tipo de coisa que só pensamos quando esfregam na cara da gente. Para quem estiver interessado, o meu conselho é que não esperem algo muito extraordinário de Tudo Junto e Misturado, porque, apesar de ser um bom livro, ele entrega um pouco menos do que promete.

site: http://www.roendolivros.com.br
comentários(0)comente



Lívia 09/04/2018

Impressionante
Confesso que no primeiro momento, comprei o livro pela capa super fofa e por esperar uma história adolescente. Porém me deparei pelo contrário, a história é cheia de dramas familiares e como cada membro lida com seus sentimentos e percepções de mundo. Personalidades marcantes e personagens profundos, tirei grandes lições sobre relações com a história.
comentários(0)comente



Glaucia 13/01/2018

Sensível e Tocante...
Tudo Junto e Misturado de Ann Brashares narra a história de uma família bem incomum e uma relação de ódio que teve início no casamento de Robert e Lila, pais de Emma, Quinn e Mattie. Após o conturbado divórcio entre o casal, Lila e Robert não possuem qualquer tipo de relação, nem ao menos se toleram. Ambos seguiram com a vida, se casaram novamente e tiveram mais um filho cada. Lila agora é mãe de Ray e Robert é pai de Sasha, os dois com 17 anos.

Como se não bastasse a difícil relação que possuem, Lila e Robert também dividem uma casa de praia que hora é ocupada pela família de Lila e hora pela de Robert, não podendo qualquer ocupante permanecer além do horário determinado, exceto as três filhas em comum do casal. Ray e Sasha cresceram nesse ambiente agitado, dividindo as meias-irmãs, o mesmo quarto e até os mesmo questionamentos, embora nunca tenham se visto pessoalmente.

Mesmo sem de fato se conhecerem, Ray e Sasha tem uma ligação e o desejo de estar em um mesmo ambiente algum dia. Parece impossível devido aos confrontos entre seus pais, no entanto algo está para mudar e reunir essa família disfuncional. Será que o ódio de Lila e Robert permitirá?

Narrado em terceira pessoa pelo ponto de vista de vários personagens, Ann Brashares inicialmente nos assusta, afinal são muitos filhos e por vezes necessitamos voltar ao início do livro para relembrar quem é quem. Porém a autora foi trabalhando tão bem a personalidade de cada personagem que aos poucos cada um se tornou único e inconfundível, tornando possível nossa identificação com seus dilemas, tristezas, alegrias e dificuldades.

Somos um bando de sonhadores, ela pensou. A realidade batia à porta de vez em quando, e todos tropeçavam uns nos outros na tentativa de fugir.

A narrativa da autora é tão envolvente e fluída que por vezes foi quase impossível largar o livro sem ler mais um capítulo, fiquei completamente apaixonada por essa família disfuncional e que tinha tanto a aprender. Mas devo ressaltar que minha maior surpresa foi a carga emocional contida nessa trama, eu comecei o livro esperando por um romance despretensioso e uma família complicado, porém o que encontrei foi muito mais do que uma história clichê, fui surpreendida por um enredo completamente real e ao mesmo tempo tão triste, e quando me vi estava derramando lágrimas e mais lágrimas durante a leitura.

Concluindo, Tudo Junto e Misturado é um livro sensível, tocante e reflexivo, que fala sobre primeiro amor, família, rancor e a fragilidade da vida. É uma história para ser lida e sentida no intimo e que certamente surpreenderá muitos leitores. Leia!

site: http://www.maisquelivros.com/2018/01/resenha-tudo-junto-e-misturado-ann.html
comentários(0)comente



victor lopes 18/12/2017

Gostei, mas é um livro bem problemático
Eu gostei desse livro, não posso mentir, mas me sinto meio mal por isso.
A questão é que a história em si é bem diferente e tem uma premissa incrível, com uma narrativa maravilhosa e uma tradução extremamente bem feita.
Maaaaaaaaas... Tem vários problemas que encobrem o que é bom em muitos momentos e me sinto mal por mesmo assim gostar do livro.
Esses problemas, para mim, serão cada vez mais corriqueiros nos livros YA daqui pra frente. Pois são problemas de falsa representatividade. A diversidade colocada apenas pra ganhar destaque ou simplesmente pra se dizer que está ali. Então temos personagens com descendência indiana, mas que, mesmo que o preconceito seja citado, é muito mal trabalhado e coloca pessoas brancas meio que salvando esses personagens indianos.
Outro ponto: A autora cita que um lugar foi alugado por um casal gay. Fim. É isso. O casal gay não serve pra mais nada na história e, sinceramente, nem mesmo citar o aluguel fez muito sentido. Aliás, um dos personagens gays até reaparece em determinado momento enquanto cuida de um jardim, afinal TODO GAY ENTENDE MUITO DE JARDINAGEM! (
comentários(0)comente



Camila Márcia 14/03/2018

Adorei!
Como fã da escritora, mas com um pé atrás também fiquei na dúvida sobre o que esperar de Tudo Junto e Misturado e comecei a leitura cheia de reservas, logo de início fiquei surpresa pelo fato de ele não ser nada do que imaginei que seria, estava esperando algo como um romance romântico fofinho, mas foi bem mais que isso e a surpresa foi muito favorável.

Aqui nós vamos acompanhar a história de uma família bastante complicada. Lila e Robert, já foram casados e tiveram três filhas: Emma, Quinn e Mattie, mas os dois se separaram e formaram outra família. Lila casou com Adam e os dois tiveram um filho: Ray, no entanto, o pai de Ray: Adam já tinha dois filhos de seu relacionamento anterior (Esther e George). Enquanto isso Robert casa Evie e tem uma filha Sasha.

Assim sendo, Ray e Sasha acabam dividindo irmãs e uma casa. No entanto as duas famílias nunca - em hipótese alguma - depois da separação estiveram juntas, pois Lila e Robert se odeiam. Algo aconteceu e só vamos poder visualizar tudo no decorrer da narrativa.

A narrativa em si é uma mistura de vozes e narradores, tudo é bem singular e diferente, mas são essas características que dão um valor e significado ainda maior ao livro, além de ser totalmente coerente com o título escolhido.

Tudo Junto e Misturado foi um livro que me surpreendeu, me emocionou e ao terminar precisei passar dias para começar a ler um novo livro, pois estava imersa na estória muito depois de virar a última página. O enredo é confuso, mas no sentido de tentar dar forma a cada personagem e analisar suas personalidades diferentes, entender seus sentimentos e o sentimento total que gira em torno dessa família.

Quando pensei ser um romance imaginei que fosse haver casais apaixonados dizendo coisas fofas, mas aqui temos uma família que orbita dentro da família e um livro que fala de relações familiares e amizade. Tocou-me profundamente e ver que e o romance que apareceu aqui foi algo desenvolvido de forma natural e não causou aqueles extremos de amor-paixão-loucura, foi algo que foi acontecendo lentamente.

Sofri muito com os personagens, as escolhas dos mesmos e o desenvolvimento que culmina em uma tragédia que serve de grande ensinamento. Terminei o livro com os olhos marejados porque é impossível não se emocionar, até porque cada personagem me cativou de forma bem peculiar, tudo se completava nesse livro.

Para concluir, deixo aqui minha indicação de leitura, realmente Ann Brashares me surpreendeu com Tudo Junto e Misturado, ao finalizar a leitura não pude deixar de dar 5/5 estrelas.

site: www.delivroemlivro.com.br
comentários(0)comente



Ane. 20/01/2018

Ao iniciar a leitura de Tudo Junto e Misturado da autora Ann Brashares, essa que vos escreve não tinha a menor ideia do que ia encontrar. Porém, logo nas primeiras páginas já percebi que em minhas mãos uma história de uma beleza complexa e ao mesmo tempo singela, assim como são nossos relações com as pessoas que amamos.

Que fique claro que essa não é a história de amor entre a Sasha e o Ray, pois apesar do romance entre eles estar presente de uma forma sutil, o foco aqui é as relações familiares. Ann Brashares foi de uma sensibilidade enorme ao apresentar duas famílias tão desajustadas que precisavam desesperadamente de amor e perdão.

Com uma narrativa despretensiosa, Tudo Junto e Misturado nos mostra a beleza e a fragilidade das relações humanas. Ann Brashares apresenta muito mais do que um romance leve, mas a cada capitulo nos lembra da importância de esquecer as magoas do passado, perdoar e seguir em frente.

Resenha completa no blog.

site: http://mydearlibrary.com
comentários(0)comente



Carlos Lucio 16/01/2018

O que me chamou a atenção para esse livro foi justamente a premissa: dois adolescentes que nunca se viram, mas que ainda assim compartilham muitas coisas, inclusive três irmãs. Não só parece um tanto confuso, como é, realmente. Lila e Robert foram casados e tiveram três filhas: Emma, Quinn e Mattie. Após um divórcio nem um pouco amigável, Lila se casou com Adam e tiveram Ray, enquanto Robert se casou com Evie, nascendo assim a menina Sasha.

Apesar de terem seguido suas vidas normalmente, Lila e Robert ainda compartilham a guarda das filhas e a casa de praia, onde a ocupam em períodos alternados. Tudo é combinado para que as famílias não se cruzem nunca, e é por isso que Ray e Sasha não se conhecem, apesar de dividirem o mesmo quarto, banheiro, livros e até mesmo a roupa de cama em que dormem quando estão na casa de praia. Se vocês estão achando isso um tanto absurdo, não se preocupem, porque eu concordo completamente.

Numa primeira impressão, TUDO JUNTO E MISTURADO é extremamente confuso, mas, para mim, isso foi uma sacada de Ann Brashares para mostrar o desajuste dessa(s) família(s). Até um certo ponto, eu senti um pouco de dificuldade em diferenciar as irmãs, que são uma espécie de ponte entre os pais, que não conseguem nem conversar como duas pessoas adultas. Assim, Ray e Sasha acabam entrando no meio dessa batalha, sem sequer terem alguma coisa a ver com isso. Não sei para vocês, mas, para mim, essa situação não passa de puro egoísmo do ex-casal, que acham que estão fazendo o melhor para os filhos quando, na verdade, só estão pensando neles mesmos.

Todo o livro é narrado em terceira pessoa, ora pelo ponto de vista de uma das irmãs, ora alternando entre Sasha e Ray — o que era para ser um romance adolescente, se transforma em uma história com cinco pontos de vista diferentes, e isso pode desagradar muitas pessoas. Não sei explicar muito bem, mas a técnica da autora é diferente de tudo o que eu li. Não é uma narrativa em terceira pessoa comum, onde o escritor apenas mostra através de outros olhos tudo o que está acontecendo. Tem uma certa poesia, digamos assim, na escrita de Ann Brashares, e isso pode se tornar um ponto negativo dependendo do leitor que entrar em contato com a obra.

Não vou mentir para vocês: eu esperava muito mais de TUDO JUNTO E MISTURADO, e só tive essa certeza após um acontecimento lá para o final do livro. O que eu senti foi que a autora colocou algo muito trágico na história só para piorar algo que já estava muito ruim, uma "forçação de barra" para reaproximar as famílias, sabem? Achei totalmente desnecessário. Na verdade, eu esperava algo um pouco mais leve e divertido, como aquelas séries de comédia dos anos 90, por isso me decepcionei tanto.

Apesar de tudo, não acho que foi uma leitura desperdiçada. O livro me fez refletir bastante sobre o conceito família, a importância de mantermos quem a gente ama o mais próximo possível, esse tipo de coisa que só pensamos quando esfregam na cara da gente. Para quem estiver interessado, o meu conselho é que não esperem algo muito extraordinário de TUDO JUNTO E MISTURADO, porque ele entrega um pouco menos do que promete.

site: http://www.gettub.com.br/2018/01/tudo-junto-e-misturado.html
comentários(0)comente



Kari 08/01/2018

Olá, Tudo Junto e Misturado é um livro que assim como diz no título trás uma "mistura" imensa de sentimentos, assuntos familiares, emoções e muito mais!


No começo da história a coisa parece um pouco confusa, já que temos uma mistura de famílias desfeitas, novas relações e filhos.. Com uma casa em comum e filhos.. Mas quando se entende a situação, a partir daí fica mai fácil entrar no clima e a leitura é fantástica.



O enredo nos traz Lila e Robert um casal que teve três filhas e se divorciou não apenas compartilhando as filhas, mas também um bem, uma casa de praia. Ambos construíram novas relações; dessas relações vieram Ray (filho de Lila com Adam) e Sasha, enquanto Robert se casou com Evie e aí veio a Sasha. Ray e Sasha nuca se viram, nunca conversaram, mas a ligação deles são as irmãs e a casa de praia que tem o quarto em que ambos ficam quando suas famílias estão no local.


Sasha e Ray, mesmo sem se conhecerem pessoalmente, possuem uma ligação forte através do quarto que dividem e consequentemente objetos. A separação do casal principal Lila e Robert não foi tão amigável e com isso vem outros problemas ao longo do enredo. Eles nunca se falam ou convivem, apenas chegaram a um denominador comum sobre as filhas e o imóvel que ora é habitado por uma família, ora por outra.


Neste livro temos muitos sentimentos emanando das páginas, desde um romance entre dois adolescentes que nunca se viram, mas conhecem muitos detalhes um do outro, ao lance da separação entre casais com novas famílias se formando, filhos em comum e toda uma bagagem de problemas e sentimentos inacabados, raiva, rancor, entre outros..


O livro apesar de ter uma suavidade em sua escrita nos traz um tema muito real e interessante; assim como se diz: "A arte imita a vida ou vice e versa!". Esse livro é um daqueles que a capa e sinopse não te mostra tudo que tem para saber e consegue, mesmo com um tema clichê e batido trazer novidade e deixar o leitor ansiando por cada página virada!


Estejam preparados para uma narrativa com humor, romance, drama, sentimentos a flor da pele e muito mais!
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2