A Mãe, A Filha e o Espírito da Santa

A Mãe, A Filha e o Espírito da Santa PJ Pereira




Resenhas - //////


16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


luan_dal 30/03/2020

tem feitiço, tem prostituição.... tem mentira e outras coisas mais..
[se vocês quiseram ver as fotos entrem na minha resenha do goodreads, no link]

E são com as belas palavras de mini-pastora irmã Vitoria de Deus que eu começo esta resenha.

Podemos dizer que irmã Vitória de Deus é Pilar???? Sim. E por isso eu vou falar sobre esse livro com imagens de irmã Vitória de Deus. Pois vamos lá.

O livro começa contando sobre o nascimento de Pilar, que nasceu morta mas logo depois começou a chorar.

E depois a gente vai vendo sobre a mãe de Pilar, Maria, a tia de Pilar, Marta (eu acho que os nomes são esses, se eu confundi é minha culpa porque ouvi o audiobook então não tenho como conferir kkk) primo de Pilar, João, a freira irmã Madalena (parente de Vitória de Deus?? Não sei favor PJ Pereira fazer a árvore genealógica para tirar essa dúvida), e outros parentes, todos ligados à religião (acho que Umbanda, mas não tenho certeza, desculpa).

Aí na segunda parte a gente vê Pilar adolescente, com suas amigas fazendo coisas de adolescente.

Depois, Pilar já saiu do Maranhão, foi para Brasília e está em São Paulo, já adulta e envolvida com um grupo religioso.

Aí que a treta começa.... Pilar faz várias coisas erradas, engana todo mundo, mata todo mundo, mente pra todo mundo, mas eu amo ela. #minhacrush.

Enquanto todos os personagens viam a Pilar assim: toda culta, eu via ela assim: bem chique bem garota bem louca.

Eu não tava gostando muito do livro no começo, porque tava ouvindo o audio, e tava entendendo duas a cada cem palavras, porque tinha linguagem bem regional do nordeste (a qual não estou familiarizado) e religião que não conheço muito. Mas continuei escutando e, em algum lugar da segunda parte eu tava completamente envolvido com tudo e só queria continuar lendo.

Aí veio a terceira parte, que é SENSACIONAL. A Pilar tá sendo uma escrotona, enganadora, la usurpadora. Mas, né... perfeita.

site: https://www.goodreads.com/review/show/3247070784
@litera.toando 30/03/2020minha estante
Faz tempo que tenho vontade de ler esse livro! Sua resenha me instigou a querer comprar logo o meu!


luan_dal 30/03/2020minha estante
Menina lê logo pq vale MUITO a pena




Weslei 09/04/2020

Um carro sem motor
Foi assim que eu me senti ao terminar de ler, que eu tinha comprado um carro sem motor. Quando você, futuro leitor, ler a sinopse desse livro, você, como eu, com certeza vai querer lê-lo. Uau um encontro de DEUSES CAÍDOS com ANA PAULA MAIA... que ultraje fazer uma comparação como essa. Nada funciona aqui, são 500 páginas de pura bobagem (500 páginas), tudo é muito raso, muito fraco, mal explorado, parece que foi a publicação de um concurso de mil redações em um compilado cada uma escrita por alguém diferente. Tudo bem se fosse uma obra independente, alguém quem sabe que tenha pagado para que fosse publicado realizando um sonho. Porém o autor (desconhecido por mim até então, e que continuará assim), possuí uma série de best-selllers, os quais, infelizmente, não ganharão uma chance comigo após a leitura desta obra. O cara é um publicitário altamente premiado, opa... na minha segunda lida em sua biografia a palavra me saltou. Você ser um bom publicitário não te faz ser um bom escritor, como gostar de ler também não faz ninguém saber escrever. Eu realmente gosto de prestigiar autores nacionais, mas não deu.
Nada na história tem liga, coesão de personagens não existe, coisas acontecem em off inclusive mortes, um milhão de músicas inseridas irritantemente sem função nenhuma. Com certeza vai agradar alguns, os mesmos que consideram UMA MULHER NO ESCURO do Raphael Montes ou QUANDO ELA DESAPARECER do VICTOR BONINI a quintessência da literatura. Mas é somente mais uma história ruim. A premissa é maneira, e só. Nem o tão famigerado abuso religioso é explorado de forma homogênea, o que seria o motor da história. Quer prestigiar autores nacionais? Faça um favor para você e leia ANA PAULA MAIA.
comentários(0)comente



Jé Goulart 30/11/2020

?Pilar tinha tudo pra ser uma ótima líder religiosa, mas ganância, prepotência e tudo que viu e presenciou durante sua formação, fez com que se tornasse uma pessoa cruel, autoritária e promíscua.
?Livro que deixa super claro a diferença do que é um de líder religioso e o que é religião.
?É muito triste "ver" como as pessoas usam da religião para se aproveitarem, principalmente quando são relatos reais de abuso religioso.
?Não sei se acho necessário tantos trechos de sexo, embora entenda que faça parte da narrativa justamente para causar impacto e sentimento de repulsa.
?O livro descreve a cultura brasileira, as famílias humildes, o cenário em si, é muito claro e nos envolve, com pouca concentração é capaz de sentirmos cheiro, gosto e ouvirmos as músicas.
comentários(0)comente



itxesco 07/04/2017

Imperdível!
Li quase que "numa sentada só", não conseguia largar. A história de Pilar, a menina-messias anunciada no Codó, vai te fazer pensar e repensar suas crenças e preconceitos religiosos.
comentários(0)comente



Celso.Ferreira 22/04/2017

desfruta-se e aprende-se
eita ! exa ! que livro ! termino (+)essa leitura extasiado, pela experiência da boa literatura, pela história de pilar, pelo mote bem glosado do abuso e por uma porção de outras coisas que estão aqui num estado bruto de sensação - prazer e conhecimento. parabéns pela obra, p.j.pereira, seu cabra, suas adjetivações e terminologia me arrancavam risos onde quer que estivesse lendo, sobretudo no busão, e as reflexões a que me conduziste foram profundas. muito obrigado ! um abraço e até !
comentários(0)comente



Gutem 20/06/2020

A Mãe A Filha e o Espírito da Santa!
A Escrita de Pj Pereira e maravilhosa fiquei preso a história do início ao fim...
Pilar e um personagem complexo um grande mistério que vai sendo desvendado de capítulo a capítulo causando múltiplos sentimentos a ela amor com doçura na infância,pena,raiva,nojo ódio tudo no extremo.
O livro serve de alerta sobre os Abusos Religiosos sobre diversas Crenças e templos Confesso que não e uma leitura fácil precisei respirar algumas vezes com tamanhas perversidades.
Super recomendo!
comentários(0)comente



Talita 15/04/2017

O poder da escolha
Pilar é daquelas personagens que nos cativam, inquietam e despertam inúmeros sentimentos - da compaixão à repulsa em questão de capítulos. É impossível ficar indiferente a ela.
Mas esse livro não é só sobre Pilar, é também sobre nós e a forma como nos relacionamos ou não com o sagrado, em quem depositamos a nossa fé, no que queremos crer e o que podemos fazer em nome de Deus.
Em um mundo onde o radicalismo religioso se alastra e faz cada vez mais vítimas, nas mais variadas vertentes e denominações, essa reflexão é urgente e necessária.
E é um prazer, ainda que às vezes doloroso, pensar sobre isso através desta obra, que tem muitas cenas divertidas, excitantes e profundamente humanas.
Sim, parece que você está dentro de um filme, com cheiros e cores nordestinas, com muita música e diálogos cortantes, em que a magia se mistura com a realidade - ou seria o contrário?
O autor, PJ Pereira, dá a seus leitores o mesmo presente que o anjo negro deu a Pilar, o da escolha. É você quem decide por qual caminho quer desvendar a "santinha de Codó": através da fé, do medo ou apenas da curiosidade.
Vale a pena ler e reler com outro olhar, pronto para descobrir novos detalhes e diferentes interpretações de uma história fascinante e plural, assim como a religiosidade brasileira.
comentários(0)comente



douglaseralldo 23/04/2017

Laroiê. 10 Considerações sobre A Mãe, A Filha e O Espírito da Santa
1 - Com A Mãe, A Filha e o Espírito da Santa, PJ Pereira, autor do bestseller Deuses de Dois Mundos afirma-se ao conseguir trazer à literatura comercial e de massa novas perspectivas que até então não se via muito neste tipo de publicação conseguindo entreter ao mesmo tempo que traz para essa literatura temas e elementos marginalizados na grande massa, com grande eficiência e capacidade de sucesso;

2 - Dividido por atos, esta obra narra a jornada de Pilar, uma criança que nasce e cresce no meio de diferentes culturas e religiões, mas especialmente na cultura de matriz africana que serve de elemento central para a ambientação do romance e que dá uma brasilidade poucas vezes vista na literatura de mercado ao mesmo tempo que consegue trazer referências e lembranças de grandes obras de nossa literatura de tal modo que mesmo que não nos escape o objetivo comercial da obra ela o faz de forma diferente e se destaca entre seus pares;

3 - Com isso o romance embrenha-se pelas raízes deste Brasil ao mesmo tempo longínquo e rural como Codó ao urbanismo de um país que se alvoroça nos anos 70, 80 e 90 época em qual se passa a narrativa por cidades como Brasília e Rio de Janeiro numa maluca jornada das protagonistas que desfilam por uma série de mitologias e crenças constituindo-se como interessantes personagens, sempre banhadas na malandragem e na "sobrevivência" tão característica na literatura brasileira;

site: http://www.listasliterarias.com/2017/04/laroie-10-consideracoes-sobre-mae-filha.html
comentários(0)comente



Josie 29/04/2017

Surpreendente e verdadeiro
"A mãe, a filha e o espírito da santa": é ficção, mas não parece. Através de Pilar, PJ desnuda os falsos profetas, os exploradores da fé e as desgraças que acontecem na vida dos enganados pelas promessas do paraíso. Dialoga com a trilogia "Deuses de Dois Mundos", também de sua autoria, ao mostrar como as coisas se tornaram o que são e ao mais uma vez lançar luzes sobre a figura um tanto quanto controversa de Exu - ao mesmo tempo coadjuvante e protagonista das tramas dos 4 livros. Publicitário de formação, escritor por talento: PJ sacode o mercado editorial brasileiro, colocando a realidade fantástica no epicentro da formação de novos leitores. É um suspiro de alento para quem, assim como eu, só tinha material da gringa para apreciar. Que sorte a nossa.
comentários(0)comente



suzyjard 24/04/2019

mistura de espiritualidade, comedia , safadeza brasileira.
No começo até achei que ia ser legal, diferente. mas depois entrou muita enrolação e pura safadeza. Levar vantagem sobre os outros, luta pelo poder a qualquer custo, vingança, Parecido com a política mas no cunho da fé e enganação do povo. Foi difícil de acabar e só consegui pois achei que poderia mudar. Muita fantasia para justificar tudo aquilo.
comentários(0)comente



Felipe 26/08/2020

A santinha de Codó
Adorei esse livro, como todos do PJ Pereira, com uma narrativa ousada sobre religião e ainda mais sendo a africana que hoje em dia sofre todos os tipos de preconceitos, mostrando o abuso de Pilar, ousadia, fé, manipulação e entre outras artimanhas para criar a sua própria religião. Cheio de reviravoltas esse livro tem tudo para prender o leitor até a última página.
comentários(0)comente



Ana Ramos 08/05/2017

Maravilhoso.
O que foi essa historia de pilar? Me atropelou tb kkkk Pra quem leu a trilogia dos orixas é um retorno maravilhoso pra entender uma personagem marcante dos livros anteriores e pra quem não leu ainda ,tem a chance de começar Deuses de dois mundos com outros olhos e mais sabedoria. Tao bom que da uma vontade louca de reler #DDDM, é livro de tirar o folego. Amei cada pagina, obrigada PJ Pereira.
comentários(0)comente



Jaque.Vitor 12/09/2017

A ideia é boa
Com certeza a ideia desse livro é muito criativa. E a história é totalmente diferente do que eu imaginava. No começo a leitura é um pouco difícil por causa do sotaque bem forte do nordeste que como eu não conheço não entendi muita coisa mas depois aos poucos a leitura vai ficando cada vez mais facil e agradável. Tinha muita coisa q não tinha entendido mas nós agradecimentos ficou claro que o livro se trata de abuso religioso, a manipulação religiosa. E esse assunto é muito INTERESSANTE. Tem partes que parecem de filme de terror e outras engraçadas e algumas de suspense. Gostei bastante de como é bem organizado a forma q conta a história
comentários(0)comente



Luzca 31/10/2017

Pilar e suas várias faces!!!
Conheci a pilar, o seus porquês, pude ver e pensar através desta personagem magnífica. Como não ama- lá sem odiala Também?!
Uma história exclarecedora e muito rica!
comentários(0)comente



Felipe Miranda 16/01/2018

A Mãe, A Filha e o Espírito da Santa - PJ Pereira por @ohmydogestolcombigods
Esse livro pede uma resenha diferente. Sinto que ele não merece ser resenhado da forma comum que sempre faço por aqui. Uma obra de quase 500 páginas devorada em duas semanas merece ser vendida. Divulgada de uma forma que todos os leitores que a conheçam descubram cada mísero detalhe que faz dela uma história tão marcante. Eu me apaixonei a cada capítulo e fase da história de Pilar e vocês merecem ter essa experiência.
Ri de gargalhar,
Fui dormir de luz acesa de medo
E abaixo listo algumas considerações sobre a obra de de PJ Pereira.

1- Pilar cresceu sob olhares. Ao nascer ela era vista como a nova Messias. A criança enviada para salvar a humanidade ou apenas transformá-la, a última opção é mais próxima do que acompanhamos no livro. Pilar faz e acontece. Ela é santa e faz milagres. É pastora e faz milagre. É uma jovem que se descobre mulher. E mesmo com seu pulso forte e personalidade irreverente, sofre. Prepare o seu estômago para estupros, assassinatos e perseguições. Sua passagem na terra é digna de cinema.

2- A fé dos personagens vai te arrebatar do início ao fim. Sabe aquele arrepio que só a crença em algo causa? Eu terminei a leitura entendendo melhor como algumas instituições religiosas funcionam. Da Igreja Católica e Evangélica com suas missas e cultos espetaculares (de espetáculo/show mesmo) aos rituais de oferenda e música das religiões de matriz africana. É tudo muito complexo e simples ao mesmo tempo. O autor domina o assunto e traduz a temática de um jeito único. Sombrio acima de tudo.

3- A história se passa entre o Maranhão, o Rio de Janeiro e a Brasília dos anos 70 e 80. Você vai ler uma história escrita com sotaque e isso me levou para mais perto de cada cenário. Os rituais e cultos com pais de santo, por exemplo, são de causar taquicardia. Sabe quando alguém vai num terreiro tentar contato com alguém que já foi embora desse plano? Pilar é uma mãe de santo e vai transformar o dom (?) em dinheiro. Ela vai incomodar a igreja católica da pequena Codó, no interior do Maranhão, e vai precisar ir embora num Circo com o que restou de sua família. Algo nela faz as pessoas crerem em tudo que diz. Ela tem influência, acredita no que prega e não tem medo de nada. Ela tem medo de tudo.

4- Preciso dizer que o enrendo também trata de mágoas e descobertas pessoais. É lutando contra a miséria e as dificuldades de um país em desenvolvimento que Pilar e sua família percorre o Brasil tentando um local para se estabelecer. O preconceito religioso rege bons capítulos aqui. É de assustar. Os orixás (deuses africanos) são tão protagonistas quanto Pilar.

5- Quebra de paradigmas. Sexo, sexo e sexo. Sexo oral, anal, a dois e em grupo. Sexo como degrau para o amadurecimento. Sexo como forma de contato com forças divinas. Sexo como castigo e presente. Pilar aprende e ensina. Sofre e se entrega ao ato sexual porque ela é humana e santa. Porque ela pode muito bem ser a mentora da primeira comunhão de um grupo de adolescentes pelo dia, como também pode ser uma puta insana pela noite.

6- Ficção ou não ficção? O autor admite que usou de sua imaginação em pontos da narrativa, mas também aponta uma longa pesquisa de campo para descrever o cenário religioso no Brasil. Qualquer um que ler A Mãe, A Filha e o Espírito da Santa vai perceber a similaridade com o que vemos em igrejas, showmícios, nas ruas e na própria TV. O relacionamento do homem com a fé é confuso. Atos não justificam meios e fins. Temos aqui um mergulho nos bastidores da fé brasileira e seus abusos.

7- Pilar da Anunciação vai trazer homem dos mortos e causar rebuliço por onde passa. Toda vez que ela receber um encantado você vai se arrepiar e querer ler em voz alta o que o filho de Oxum está dizendo. Palavras que nem a própria Pilar lembrará, mas nós leitores sim. A narrativa cinematográfica faz a gente imaginar a protagonista numa tela de cinema. Torço por isso. Alô Netflix! Transforma essa saga numa série, por favor!

8- Pastores fingindo santidade e leis divinas que crucificam o amor. Pilar representa tudo que algumas escrituras sagradas abominam. Ela vai se relacionar com homens e mulheres e descobrir que o amor da vida dela talvez não esteja na bíblia, por exemplo. Ela vai matar e morrer por seus sonhos. Talvez ela não se importe de destruir alguns pelo caminho... Na verdade, a fé retratada na obra é responsável por fazer com que pessoas percam empregos, lares e a própria vida.

9- Ao fim de tudo você será outra pessoa. Você será alguém que por um período de tempo acompanhou uma história que com certeza se repete com frequência. Não por completa, mas por partes. A fé que move multidões é a mesma que fez de Pilar uma das personagens mais incríveis da literatura brasileira. Não minto. Quero presentear a todos com esse livro. Meses após a sua leitura me sinto eufórico da mesma forma que estava enquanto o devorava no transporte público, entre os intervalos de tempo livre.

10- Favoritei o livro e quero relê-lo em breve.

site: http://ohmydogestolcombigods.blogspot.com.br/2018/01/resenha-mae-filha-e-o-espirito-da-santa.html
comentários(0)comente



16 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2