Quando a Bela Domou a Fera

Quando a Bela Domou a Fera Eloisa James




Resenhas - Quando a Bela Domou a Fera


91 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Erika Villarinho 19/09/2017

Que delicia de livro
Que delicia de livro.

Era exatamente o que eu estava precisando um livro com intensidade e leveza, se é que dá para ter esses opostos em um mesmo livro.

O livro fala de Piers e Linnet (nome estranhissimo, por sinal), duas pessoas iguais e muito diferentes.

O livro foi muito fofo, a história foi linda, intensa e leve.
Piers é o House e Linnet é qualquer mulher que se esforça o suficiente para conquistar o bad boy fazendo absolutamente nada.
Foi bonito como Piers contornou a situação quando linnet entra em crise por conta da beleza dela.
Foi o ponto mais alto do livro. Além de claro, ser divertidíssimo.
Recomendo o livro para ler na surpresa. Achar que vai ler algo que nem a bela e a fera e terminar o livro lendo algo tão maravilhoso e meigo que pode, sim, se assemelhar a bela e a fera;
Charlene 19/09/2017minha estante
Também gostei bastante! O personagem principal foi baseado no médico da série Dr. House! Com direito a bengala e tudo rs


Fabiana.Martino 19/09/2017minha estante
Bom saber! Tenho ele.




Fê @bibliotecamagicadafe 04/09/2017

Simplesmente apaixonada!! Ainda não estou preparada para me despedir desse livro nem do Piers! ? podia muito ter uma continuação. Super recomendo!
Agatha 13/09/2017minha estante
Faço das suas palavras as minhas...rsss




Krous 22/08/2017

Simplesmente perfeito!
O site da Saraiva sugeriu esse livro depois que eu comprei vários com a temática de A Bela e a Fera. Mas como já segui sugestões furadas antes, antes dei uma pesquisada, li algumas resenhas para saber se valia a pena ou não. O resultado não me indicou qual direção seguir, então torci para o dinheiro que paguei pelo livro não ser em vão e comprei. Ufa, deu tudo certo!

Antes mesmo do romance engrenar, antes dos personagens se conhecerem, eu já estava apaixonada por eles pelos personagens secundários que interagiam com Linnet e Piers. Tudo graças à escrita espetacular de Eloisa James. Eu dava gargalhadas com Linnet interagindo com sua tia e seu pai. Ainda demorei um pouco para engolir o Piers, mas o jeito espirituoso com que Linnet foi apresentada, especialmente os acontecimentos e diálogos iniciais com o pai e a tia me ganharam com absoluta certeza.

Eu gosto quando os personagens têm birra um com o outro ao mesmo tempo que tenho receio. Os autores nunca parecem encontrar o ponto de equilíbrio para as picuinhas acabarem e os dois assumirem logo que se gostam ou então sempre relevam o mau humor de um dos lados usando a inteligência como justificativa para ser grosso e mal educado. Felizmente Eloisa James não comete nenhum desses deslizes e é o que torna a leitura ainda mais agradável. (até a conclusão do livro eu estava tensa esperando um desses defeitos aparecerem no livro, mas respirei aliviada quando concluí que esse clichê maldito não passara pela cabeça da escritora que dirá pelos seus dedos que digitaram a história)

Bom, nesse caso, Linnet tinha todos os motivos para não cair de amores logo de cara pelo grosseiro, antipático e mau humorado Piers. O cara não conseguia ser gentil nem com os pacientes. Mesmo quando eram crianças!

Um ponto positivo foi Linnet não ser uma donzela inocente e boboca iludida pela ideia de casar com um conde. Ambos sabiam no que estavam se metendo e deixaram isso claro.
Piers é um brutamontes, mas se você pensa que todo mundo aceita as patadas de cabeça baixa, está enganado. Todos parecem partir do seguinte princípio: não é porque ele é um conde ou um médico excelente ou teve uma vida difícil ou tem um defeito na perna que vou abaixar a cabeça, me sentir inferior ou aceitar as ofensas dele. Bateu, levou. E isso tornou Piers tragável para o leitor.

Aliás, o livro é recheado de pontos positivos porque Eloisa James simplesmente dispensa os clichês e mostra que não precisa deles mesmo para criar uma história de romance - chick lit - interessante e com qualidade. Assim, não temos uma mocinha romântica, nem um mocinho que manja de tudo, é experiente e vai ensinar sua amada sobre a vida.

A escrita de James é um negócio à parte também. Amei como ela conseguia entrelaçar um parágrafo a outro, um capítulo a outro com riqueza de palavras e ideias sem ser repetitiva. Não, o livro é claro, coeso e bem escrito do começo ao fim. Há muito tempo não tinha em mãos algo tão magnífico assim e confesso que estou apaixonada.

A única coisa que eu podia passar sem são as cenas de sexo explícito e detalhado demais. Além de achar de não combinou em nada com a história - mas acho que combina com esse gênero de romances históricos que são eufemismo para romances eróticos e não sei pq ninguém simplesmente DIZ ISSO EM VOZ ALTA -, achei..., quero dizer, se quiser detalhes de como sexo oral ou papai e mamãe acontece, eu faço ou procuro vídeos de sexólogos para me deixar a par, não preciso MESMO saber onde a perna de um ficou, onde o outro enfiou a língua... achei constrangedor demais. E se o objetivo era deixar o leitor excitado, eu só fiquei chocada mesmo.
Existem formas muito melhores e compatíveis com toda a beleza que o livro é de transmitir que os personagens transavam sem apelar para a vulgaridade.
Mas esse é um mero detalhe. E o final do livro, se possível, é a coisa mais magnífica que pude ler.

Lu 22/08/2017minha estante
Ótima resenha!




Tami 17/08/2017

— Caramba, você está apaixonado por ela — afirmou Sébastien, encarando-o. — Quem não estaria? — disse Piers, reconhecendo a verdade em voz alta. — Quem não estaria?
Quando a Bela Domou a Fera foi, de longe, uma das leituras mais divertidas que fiz esse ano. Dentre a escrita de todas as autoras de romance de época que eu já tive a oportunidade de conhecer, a de Eloisa James é a mais espirituosa. Seu texto tem a dosagem certa de bom humor, sarcasmo e romance. Foram várias as vezes em que dei risada dos comentários ácidos de Piers e de sua relação de gato e rato com Linnet.

Adoro releituras, então somente este fato já faria com que eu me interessasse pelo livro, mas quando soube que Piers tinha sido criado tendo como inspiração Dr. Gregory House eu tive certeza que precisava ler esse livro de qualquer maneira. House foi um dos meus personagens fictícios favoritos e eu sofri real quando a série terminou; e como eu tenho uma quedinha por personagens azedos e com um senso de humor mais obscuro, me apaixonei por ele na primeira piadinha debochada. Piers tem toda aquela rabugice, é tão brilhante quanto House... e ainda manca! Como não amar Piers Yelverton?

Outra coisa que eu adorei foi a interação entre Piers e Prufrock, seu mordomo, pois ela me lembrou em muitos momentos a interação entre House e Dr. James Wilson. Wilson era, possivelmente, a única pessoa que conseguia interagir com House sem se sentir ofendido ou diminuído pelo que ele falava, e Prufrock age da mesma maneira! Em alguns momentos até fica cutucando a colmeia com vara curta.

Linnet também é outra que não se intimida com o jeito azedo de Piers. Ela tem noção do que a sua beleza é capaz de fazer com os homens, mas como Piers parece ser imune ao seu charme ela passa a tratá-lo com a mesma cortesia com que ele a trata, ou seja, com tiradas ácidas que o deixam cada vez mais impressionado. Ela não tem medo de enfrentá-lo e isso faz com que ele a admire cada dia mais. O romance entre eles vai surgindo de uma maneira muito envolvente e é impossível não torcer para tudo dar certo. Há também aquelas partes mais sensuais, mas o tom é de muito bom gosto. Essas cenas, que por sinal são bem poucas, são até mais leves do que as dos livros da Julia Quinn, por exemplo.

Continue lendo a resenha no blog! :)

site: http://www.meuepilogo.com/2017/07/resenha-quando-bela-domou-fera-eloisa.html
comentários(0)comente



Angel 11/08/2017

Amei!
Quando o livro foi lançado algumas coisas negativas foram ditas em relação à tradução dele, tanto que no início fiquei até com receio de ler e demorei para iniciar a leitura quando ele chegou aqui (por isso e pela ressaca literária que vem me acompanhando por um tempo).

E talvez ter começado a ler sem muitas expectativas tenha sido algo bom, já que a leitura foi uma grata surpresa, mei o livro do início ao fim!

Quando a Bela Domou a Fera trás a história de Linnet, uma bela jovem que se vê no meio de um escândalo, que envolve um príncipe, que não se casará com ela, e uma suposta gravidez.

Como a mãe dela tinha uma certa fama, por ter muitos amantes, quando ela aparece perante à sociedade londrina com um vestido que deixa sua silhueta bem parecida com a de uma grávida, pronto. Ela já fica falada, afinal, é filha de sua mãe né?

Mas o fato é que ela ainda é virgem, e com essa confusão, suas perspectivas de conseguir qualquer casamento são praticamente nulas, o que dirá um bom casamento, que é o que ela esperava.

Sua melhor e única chance de se casar, surge qundo o pai de Piers Yelverton, o conde de Marchant, a leva para o País de Gales, onde o filho vive, na intenção de apresentá-la como uma provável noiva, e o fator da gravidez, não seria um problema, mas vocês terão que ler e descobrir o motivo.

Só que Piers, que é médico, excelente por sinal, não está nem um pouco disposto a se casar, menos ainda com uma moça levada até ele por seu pai.

Então Linnet, decide conquistar o intratável conde e limpar sua reputação.

Já falei ali em cima que este livro foi uma grata surpresa né?

Os personagens são uns queridos, Linnet tem uma língua afiada, e apesar de Piers intimidar até o próprio pai, ela não se deixar levar. Ele por sua vez me lembrou muito o Dr House, tanto na personalidade, quanto por ter uma lesão na perna, que o obriga a usar uma bengala, e como amo o House, nem preciso dizer que amei o Pier também né? (Já me falaram que ele realmente é baseado no House, e como eu disse, vi muito dele no Piers, mas confesso que não pesquisei sobre.)
E claro, temos os assistentes do Piers, além de outros personagens que só complementam a história.

O romance se desenvolve de uma forma bem leve e divertida, e a história toda me rendeu boas risadas, e mais para o final, acontece algo que coloca à prova os dois personagens, principalmente Linnet, que é quem sofre mais com o ocorrido, Piers sofre junto, mas por causa do que acontece com ela.

A narrativa é em terceira pessoa e super fluída, e já posso afirmar que Eloisa James entrou para minha lista de autoras queridinhas de romances de época, foi um dos melhores que já li, e uma releitura maravilhosa de A Bela e a Fera!!

"Apesar de saber que não devia, havia algo na ferocidade dos olhos dele e nas linhas de dor em torno de sua boca que fazia Linnet querer provocá-lo, fazê-lo rir, forçá-lo a ouvi-la."

site: http://a-libri.blogspot.com.br/2017/08/resenha-quando-bela-domou-fera.html
comentários(0)comente



Monique Gomes 08/08/2017

Maravilhoso
Nossa esse livro é muito hilário, rir um bocado. Amei a escrita da autora e os personagens são maravilhosos, inclusive a Fera.
comentários(0)comente



Cris 08/08/2017

Humor ácido e versão digna de A bela e a Fera
Esse livro me surpreendeu muito positivamente. A escrita da Eloise James é muito interessante! Espero que apareçam mais livros dela no Brasil. Nada de mocinha indefesa no castelo. Tem castelo, sim e tem fera também. Todos bem conscientes de seus papéis e jogam com isso o tempo todo.
O começo é bem divertido e pouco, traz um pouco da teatralidade de Shakespeare.
Linnet é uma moça linda, de uma beleza rara de ser achar porém está no meio de uma discussão bem maluca: seu pai e sua tia não acreditam que ela não tenha cometido avanços sexuais com o "princípe". O nobre a cortejou e Linnet ao que parece cedeu a seus encantos. Depois das fofoqueiras a terem visto sendo beijada e um incidente com um vestido com pregas demais na altura da barriga seguido de um peixe mal conservado (enjôo e vomito) todos acreditam que ela já está grávida. Depois de muita discussão a família resolve que Linnet deve tentar um casamento vantajoso por ter em seu ventre (oi? Ela não tem bebê nenhum!) algo muito valioso para alguns que querem ter sangue de alta linhagem na família. E é aí que entra o mocinho/fera da história. Médico, mal humorado, com um passado traumático com o pai usuário de ópio que o feriu quando criança e declarado impotente, ele com certeza não vai atender o pedido do pai para se casar com Linnet. Será? Linnet é falada por toda Londres pois todos esperam a sua queda e que ela seja linda e desavergonhada como a mãe, que traía o marido sob seu nariz.
Não há muitos pudores entre os personagens principais, são até bem diretos. Os personagens coadjuvantes são legais, temos uma reconciliação de família. Há uma inspiração em séries médicas nos casos e personagens que estão pesquisando sobre febres e epidemias. O ponto fraco seria a resistência de assumir o casamento. Mas o final é legal, então eu gostei muito!
comentários(0)comente



Estrella 07/08/2017

perfeito
Quando Linnet Trynner, filha de um Visconde se envolve num escândalo acidental onde toda sociedade londrina acredita que ela está gravida e abandonada por um príncipe no baile, todos lhe viram as costas. Ela não vê muitas alternativas em seu futuro até sua tia Zenobia aparecer com uma única solução ao seu pai, que é oferecer a mão de Linnet ao Duque de Windebank já que ele está procurando uma esposa para seu filho. Zenobia sabe da predileção que o Duque tem pela realeza e utiliza dessa façanha para convencer o cunhado que é a única saída de sua sobrinha.
“Oras, deixa- me pensar... Acho que o nome próprio dele é um bocado estranho Peregrine, Penrose... Piers, é isso.
-Soa como doca – interrompeu Lorde Sundon.
- Esta manhã, Misstress Hutchins chamou-me de fragata ligeira –disse Linnet -uma doca deve ser precisamente aquilo que me convém.”
Após o pai de Linnet fazer os arranjos ela é enviada a Gales acompanhada pelo duque. Duas semanas depois da sua partida encontra pela primeira vez com seu noivo Piers Yelverton, o conde de Marchant e para sua surpresa ele é muito diferente do que imaginava. Ambos tem a mesma personalidade forte mas com o passar dos dias Piers e Linnet descobrem muito mais um do outro do que as farpas trocadas.
“- Um médico completamente doido, eu, e uma beleza perversamente calculista, a senhora, coxeando juntos numa vida de felicidade? Custa-me a acreditar. Tem andado a ler demasiados contos de fadas.
-Quem disse que sei ler? Mal sei contar, lembra-se.
Ele olhou-a e ela decidiu, mais uma vez, reter o sorriso.”

Quer ler mais sobre minha opinião da uma no blog

site: http://livrosdeelite.blogspot.com.br/2017/08/resenha-quando-bela-domou-fera-eloisa.html#more
comentários(0)comente



Cami do @focanaresenha 04/08/2017

Amorzinho... ♥
Sabe aquele livro que quando você termina sente vontade de beijar e abraçar e voltar para a primeira página para reler de novo na mesma hora? Foi esse sentimento que tive quando terminei de le-lo.

Ele conta a história de Piers Yelverton, conde de Marchant, que vive em um Castelo no País de Gales conhecido por ser um dos melhores médicos da região e por ter um temperamento irascível, pois ele não consegue segurar a língua dentro da boca e sai dando patatas em todos a sua volta. Segundo as más línguas o defeito que ele tem na perna, que o deixou manco, o tornou imune a qualquer mulher. -

Mas Linnet Thrynner não é qualquer mulher. Ela pode ser considerada a mais bela de todas. Seus encantos e sua inteligência deixam qualquer um a seus pés, até mesmo um príncipe. Então, porque não mesmo o tão arrogante Sr. Piers? Quando o destino decide fazê-los se encontrar podemos ver que até uma frigideira rabugenta pode encontrar sua linda tampa. -

Quando a Bela domou a Fera é uma belíssima releitura de 'A Bela e a Fera' em um lindo romance de época. O livro é muito bem escrito, os diálogos são divertidissimos com um leve tom de sarcástico que ser torna uma missão impossível larga-lo antes de a história acabar. -

Enquanto lia me vi sentada na minha sala, comendo pipoca e viajando para o Castelo de Gales onde viviam Piers e Linnet. Me vi dando risadas e suspiros apaixonados por uma história tão cativante. Piers e Linnet vão descobrir que tem mais em comum do que imaginavam e podem fazê-los mudar o conceito de um bom romance.

Eloísa James entrou para a lista das escritoras preferidas em um só livro. Mal posso esperar para os próximos livros da autora que a @editoraarqueiro irá lançar.

Enquanto isso fico aqui sonhando com essa casal pra lá de apaixonante.

site: https://www.instagram.com/focanaresenha/
comentários(0)comente



Thaís @uma_dica_de_leitora 04/08/2017

Arrebatador, Sensual e Apaixonante
"Ela é como minha metade. Minha outra maldita metade, como uma espécie de piada que Platão inventou. Como algo que nunca quis e, então lá estava ela."

Assim que comecei a ler o livro vi na capa que nada faz a Julia Quinn correr para uma livraria mais rápido do que romance novo da Eloisa James. Eu digo pra você que está lendo essa resenha: corra pra a livraria mais próxima e se apaixone pela escrita de Eloisa James. Quando a Bela domou a Fera é um exemplo nato de um romance de verdade.

Arrebatador
Sensual
Apaixonante

Logo no primeiro capítulo conhecemos Lineet, uma linda e cobiçada jovem. Da noite para o dia ela fica mal falada em toda a Londres por causa de um beijo e um vestido armado. Logo sua tia tem uma ideia "brilhante" - doida - para Linnet sair daquela situação.

"Linnet era o tipo de garota que podia levar um cavalariço a feitos heróicos, ou um príncipe a atos menos intrépidos, como vencer uma trilha cheia de espinhos apenas para lhe dar um beijo."

Piers mora no país de Gales. Médico, ranzinza e tem um defeito em uma das pernas. Por causa do seu temperamento e da forma que trata as pessoas, recebeu o título de Fera.

"A dor o deixava irritado. Mas talvez não fosse a dor. Talvez fosse o fato de ele ter de ficar ali perdendo tempo com um idiota."

Um acordo faz desse dois noivos. Linnet está disposta a fazer o conde de apaixonar por ela até conhecer de verdade quem era a Fera. Os dois tem uma língua super afiada, então podem esperar muitas risadas e "chutes".

O ponto alto desse romance foi a construção que a autora fez, tanto no enredo da história quanto nos personagens. Achei super criativo e bem diferente dos romances que já li.

Quando a Bela domou a Fera é aquela baguete de época que você respeita. Achei esse livro MARAVILHOSO, incluindo alguns personagens secundários. Com certeza pretendo reler um dia.
comentários(0)comente



Jess 03/08/2017

Simplesmente amei esse casal, os casais tipo gato e rato, mas que tem uma forte atração um pelo outro, são os meus favoritos da vida... Foi clichê? Sim. O final é meio que previsível? Sim. Mas eu amo esse tipo de livro, principalmente, quando é uma recontagem de um clássico tão lindo. Amei!
comentários(0)comente



Julia G 22/07/2017

Quando a Bela domou a Fera
Quem acompanhar o blog sabe que eu tenho um estilo de leitura bem variado - vou da fantasia ao thriler e do romance ao clássico, passando por vários outros gêneros nesse meio, em um mesmo mês. Acredito que cada leitura tem seu momento e, depois de algumas leituras mais densas, resolvi resgatar um romance de época da estante. O escolhido foi Quando a Bela domou a Fera, de Eloisa James, e que escolha mais perfeita! O livro é tão amorzinho e tão gostoso de ler que me fez largar tudo o que eu tinha para fazer para ler.

Na trama, Linnet se vê envolvida em um escândalo - no qual é absolutamente inocente - e precisa de um marido, ou provavelmente não terá outra oportunidade de se casar. Para resolver a situação, seu pai resolve oferecer sua mão ao conde de Merchant, Piers, um nobre tão conhecido por seus dotes médicos quanto pelo temperamento que lhe conferiu o apelido de "a fera".

Claro que a trama de Eloisa James é cheia de clichês, principalmente porque é um romance de época e uma releitura de A Bela e a Fera, então não tem como fugir muito disso. Mas aviso desde já: não se deixem afastar por esse detalhe, pois se gosta de romances, vale a pena apostar nesse, juro! Apesar de um ou outro toque batido de outras histórias de amor, a trama tem um toque único e especial e o que mais gostei logo de cara foi que, apesar de implicarem um com o outro, Linnet e Piers combinam muito e criam uma cumplicidade desde o início.

Nessa brincadeira de concordar em discordar dos personagens, é possível conhecer mais a fundo seus carismas. Linnet é uma mulher extremamente bonita e, apesar de achar que essa é sua característica mais importante, na verdade não vê o poder que tem. Ela não se resume à beleza, já que tem um senso de humor cativante e um conhecimento que confere força às suas palavras, afinal, é uma leitora voraz. O engraçado é que todos os seus genes de família não surtem qualquer efeito em Piers, que se encanta, na verdade, por sua audácia.

Piers, por sua vez, é totalmente fora dos padrões de sua época e fica longe do socialmente aceitável. Trata-se de um médico muito eficiente, mas dotado de humor negro e pouca compaixão, características que ficam acentuadas pela dor causada por um problema antigo na perna. Não tem filtros ao expor o que pensa e sua sinceridade quase dói. Mas isso não assusta Linnet, na verdade a atrai, já que é a primeira vez que um homem fala tudo o que pensa de verdade.

Eu simplesmente adorei a forma como personagens aparentemente tão diferentes puderam se mostrar tão iguais - ela escondia seu lado negro por trás do ar adorável, enquanto ele escancarava seus defeitos em sua insensibilidade. Ver as mudanças que um provocou no outro, o modo como o encontro entre eles fazia submergir a verdadeira essência de cada um, foi tocante. E muito, muito divertido. As cenas entre Linnet e Piers resultavam em diálogos ácidos, inteligentes e sem joguinhos, que inevitavelmente levavam a boas gargalhadas.

A narrativa de Eloisa James não é só romântica, mas tem um quê de picante, e não me refiro aqui apenas às cenas de amor entre os personagens. Seu texto tem intensidade, envolve o leitor, revira o íntimo dos protagonistas e nos conecta aos sentimentos deles. É apaixonante, definitivamente.

Li algumas resenhas que comentavam que Piers foi baseado no personagem do Dr. House. Não posso dizer que é verdade porque não assisto à série, mas talvez seja mais um motivo para ler o livro, não?

Quando a Bela domou a Fera é uma leitura que faz esquecer as responsabilidades e os compromissos, pois tudo que se quer é mergulhar nessa história de amor intensa e apaixonante.

site: https://conjuntodaobra.blogspot.com.br/2017/07/quando-bela-domou-fera-eloisa-james.html
comentários(0)comente



Carla - @sharingbooks2 14/07/2017

"O que acontece em Gales, fica em Gales."
Linnet Berry Thrynne é considerada a dama mais bela da sua região, ela "ofusca o brilho do sol, tem dentes perolados, voz de cotovia e um rosto lindamente esculpido que os anjos chorariam de inveja. Mas apesar de todos os seus atributos físicos e de ser capaz de conquistar qualquer rapaz, Linnet acabou de se envolver em um escândalo e não é mais considerada casável. Sua família então não viu outra alternativa a não ser arranjar um casamento para ela com um duque que morava a uma certa distancia de Londres. Então ela é enviada para Gales, onde conhece Piers Yelverton, o conde de Marchant. Ele é um médico famoso por um temperamento, seu defeito na perna e por um apelido: Fera. Por conta do seu problema físico Piers decide que nunca se casará porque nenhuma mulher iria se interessar por um homem como ele.

"Mas e minha lesão, hein? Você acha que uma mulher concordaria em se casar com um homem...O que estou dizendo? É claro que uma mulher concordaria com isso."

"Duvido que muitas jovens vissem isso como um problema incontornável. Já sua personalidade..."

Para início de conversa, eu nunca leria esse livro pela capa e estava determinada a não lê-lo por esse mesmo motivo. Até que começaram a sair as resenhas dele e surpreendentemente positivas, então decidi: Quero ler! E ainda bem que eu li, que adorável surpresa. Não é nada extraordinário, na verdade é bem clichê, mas é muito gostoso de ler.
Eloisa James tem um escrita muito gostosa, fluida e cativante. É uma leitura que dá para fazer em apenas um dia, com certeza. A narrativa é em terceira pessoa e é muito divertida irônica e sarcástica. Além de ser um reconto de A bela e a fera e a minha princesa favorita é bela.

Linnet é uma personagem bem diferente das mulheres da sua época, apesar da sua beleza estonteante, tem uma língua muito afiada e desde que ela chegou no castelo de Piers ela sabe e decide não deixar que ele o intimide, mostrando a sua força feminina. Ela é linda e sabe disso, então acredita que facilmente conquistará o duque, mas talvez seja mais difícil do que ela imagina. Piers é um médico amargo por conta da sua história de vida e problemas com a sua família. Apesar disso, do seu mau humor, eu simplesmente adorei Piers hahahahah, adorei a sua chatice. Inclusive a autora se inspirou no personagem de Doctor house (da série) para a construção desse personagem.

"Ninguém gosta de moças que têm mais cérebro que cabelo."

Outro personagem muito interessante e que eu adorei é Prufrock, o mordomo de Piers. Adoro a personalidade e o humor dele e também da relação dele e Piers. É legal ver que mesmo um homem amargo consegue ter afeto por alguém (mas ele não demonstra, finge que é durão ahahhaha).

"Onde estudou? Você é letrado demais para um simples mordomo. A maioria dos mordomos que conheço diz coisas como Como o senhor quiser, e deixam por isso mesmo."

Eu adorei a construção da história, o desenvolvimento. Adorei ver Linnet lentamente derrubando os muros de Piers, deles construindo uma amizade e divertindo-se juntos. Adorei quando fica claro que algo está nascendo dos dois e quando tudo floresce. O romance é muito gostoso de ler.

"Você não vai me esperar? Eu estava começando a pensar que você não conseguia caminha sem uma escora do lado. Ao menos, temos isso em comum: a base para uma bela amizade."

"Você é sempre sarcástica assim?
Não. Sou uma dama bastante doce. Mas você faz despertar o pior em mim."

Eu simplesmente devorei o livro, desde o início me prendeu e eu já estava adorando. Adorei ter conhecido a escrita de Eloisa James e já quero os próximos dessa série.

"A aposta é se lorde Marchant vai se apaixonar pela senhorita."

"Seus olhos se encontraram de um jeito que tinha tudo a ver com amor, do tipo forte o bastante para trazer alguém de volta da cova, do tipo que nunca desvanece e nunca falha. Do tipo que não tem nada a ver com beleza, temperamento ou pernas lesionadas."

site: www.sharingbooks.com.br / @sharingbooks2
comentários(0)comente



Hellen.Cristina 09/07/2017

Uma linda e cativante releitura de um clássico

Linnet é dona de uma beleza singular, o que faz com que a jovem seja altamente cobiçada pelos rapazes ao seu redor. Em virtude de um mal entendido, ela acaba se envolvendo em um escândalo na sociedade, e para evitar que o nome de sua família fosse desonrado, seu pai, o Visconde de Sundon, juntamente com Zenobia, irmã de Rosalyn (falecida mãe de Linnet), resolvem oferecer a mão da jovem em casamento ao filho do duque de Windebank, que era obcecado pela realeza, e via no casamento de seu único filho a chance de gerar herdeiros que pudessem perpetuar o nome de sua família.

Após tudo transcorrer bem com o duque, Linnet segue com o mesmo para o País de Gales, onde lá iria conhecer seu futuro noivo, Piers Yelverton, o conde de Marchant, que além de possuir a fama de um médico brilhante, também havia sido rotulado como uma "fera", resultado da sua impaciência com o defeito que possuía na perna, fato que sob seu ponto de vista, era responsável por deixá-lo imune aos encantos de qualquer mulher.

Duas semanas depois de sua partida de Londres, Linnet finalmente chega ao castelo de Piers, e para sua surpresa, acaba encontrando o futuro noivo instruindo outros rapazes que ansiavam por aprender medicina. Logo no primeiro encontro, os dois demonstraram personalidades fortes: ele sarcástico e irônico, enquanto ela era desafiadora e ao mesmo tempo sedutora.

Conforme os dias passam no castelo, Piers e Linnet ora possuem uma relação amigável, ora estão trocando farpar entre si. O jovem médico evita a todo custo se render aos charmes de sua futura noiva, ao passo em que ela o deseja fervorosamente, mas prefere não demonstrar seus sentimentos.

O coração de Piers vai amolecendo ao passo em que convive com Linnet, mas ele não aceita a ideia de casar com uma mulher eleita pelo duque, visto que ele carrega uma grande mágoa do passado com o pai, e por isso, rejeita toda e qualquer aproximação com a figura paterna.

Inesperadamente, um grave incidente acontece no castelo, e a partir daí, surge uma grande expectativa para saber o rumo que a narrativa toma.

Quando vi que este livro se tratava de uma releitura de A Bela e a Fera, fiquei um pouco em dúvida se seria uma história previsível ou não, em virtude de já conhecer o destino dos personagens principais. Mas, à medida em que lia o mesmo, ficava super curiosa para saber o que vinha nos próximos capítulos, pois a narrativa é tão boa, mas tão boa, que eu tive que ler tudo no mesmo dia.

Acredito que as fortes personalidades, tanto de Piers quanto de Linnet, foram bem construídas pela autora, pois ambas se complementavam. Outro ponto interessante que eu observei na obra foi o fato de Eloisa ter criado Piers a partir da figura do irreverente Dr. House, protagonista de uma aclamada série de televisão que recebe o mesmo nome, e que por sinal, eu adoro!

Esse livro me surpreendeu desde os primeiros capítulos, e me deixou fascinada com o desfecho. E que dizer dessa capa? Simplesmente fiquei encantada com os detalhes espelhados da rosa e das pétalas. A diagramação também facilitou bastante a leitura, e eu não encontrei nenhum erro de revisão.



site: http://cucaliteraria.blogspot.com.br/2017/06/resenha-quando-bela-domou-fera-eloisa.html
comentários(0)comente



@mamaetalendo 07/07/2017

Quando a Bela Domou a Fera
Orgulho e Preconceito de Jane Austen é frequentemente citado nos livros de Julia Quinn. E ela disse ser fã de Eloisa James... então não resisti e li em 1 dia esse romance de época maravilhoso. Quando a Bela Domou a Fera de Eloisa James é uma releitura do amado conto de fadas A Bela e a Fera! A Fera, o médico Piers foi inspirado em Dr. House, (tem cenas perfeitas que rememoram a série, com as perguntas médicas), porém em muitos momentos imaginei Sherlock - da serie - (Benedict Cumberbatch), talvez por seu jeito arrogante...Adorei a maneira como o romance é conduzido, não é extremamente doce, com pitadas de ironias e sarcasmos entre Linnet e Piers, alem de algumas cenas picantes em quantidade moderada apenas para deixar mais envolvente. #recomendo #indico ?sinopse :
Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.
Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.
No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu? #janeausten #eloisajames #quandoabeladomouafera #JuliaQuinn #arqueiro #editoraarqueiro @editoraarqueiro #instalivros #instalivro #instabook #book #booklivers #livro #libro #livros #leitura #ler #lerevida #lerevida #leiamais #lersempre #bookaholic #mamaetalendo
comentários(0)comente



91 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7