Quando a Bela Domou a Fera

Quando a Bela Domou a Fera Eloisa James




Resenhas - Quando a Bela Domou a Fera


101 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Taty Assis 24/11/2017

Fazia dias que não lia nenhum romance de época e assim que Quando a Bela Domou a Fera chegou por aqui, sabia que tinha que lê-lo o quanto antes, e gente, que livro mais tudo. ♥

E mais uma vez vamos cair nos encantos de quando a bela conheceu, ou melhor, domou a fera...

Linnet é linda e inteligente, com certeza uma das mulheres mais lindas da temporada, mas após ter seu nome envolvido em um escândalo, seus dias de glória em Londres acabaram e, as chances de encontrar um marido ali ficaram praticamente nulas. E é que então sua tia tem a brilhante ideia de se aproveitar do escândalo, para conseguir um marido para Linnet.

Piers, é filho de um duque que se preocupa muito com a linhagem de sua família e vê em Linnet uma ótima oportunidade para que Piers possa se casar, mas digamos apenas que ele não aceita muito bem a ideia de se casar com uma mulher que foi arranjada por seu pai.
"- Um médico totalmente maluco - esse sou eu - e uma beldade terrivelmente conivente é - essa é você -, mancando juntos rumo a vida de felicidade? Duvido muito. Você tem lido contos de fadas demais."
Piers além de ser conhecido como um excelente médico, é conhecido também como: a fera. Seu temperamento instável e modo de tratar seus pacientes tem grande peso sobre a imagem que as pessoas fazem dele. Nunca pensou em se casar, e sua opinião não muda mesmo quando a maravilhosa Linnet aparece em sua vida.
"Mas estou danificado demais para alguém como ela. Para qualquer pessoa. Sou monstruoso demais, Sébastien. Você sabe disso tão bem quanto eu."
Linnet acredita que Piers se apaixonará por ela dentro de poucos dias, afinal, quem poderia resistir ao seu belo sorriso? Mas a verdade é que Piers não é como os outros homens e talvez tenha sido isso que mais tenha chamado a atenção dela, pois a cada dia que passa, ela deseja mais e mais estar na companhia dele.
"[...] Ela, que nunca quisera dormir com um homem (se admitisse a verdade para si mesma), bem, conseguia se imaginar com um.
Piers.
Piers, que era incapacitado. Aquela era a mais cruel das ironias."
Piers sofreu um acidente quando pequeno e acabou ficando com sequelas, e por conta disso as pessoas acreditam que ele seja incapaz de "desejar" uma mulher. Mesmo assim, Linnet não consegue deixar de desejá-lo, além disso não se envolver emocionalmente se torna algo impossível e isso poderá se tornar um grande problema.

Estou tão encantada por essa história, pelas personagens e pela escrita tão cativante da autora. Com certeza um dos melhores livros do gênero que já li; tem tudo na medida certa. E mal posso esperar para ler mais livros de Eloisa James.

Linnet e Piers entraram para a minha lista de casais preferidos. São perfeitos um para o outro, mesmo quando pareciam imperfeitos :D.

Me emocionei, me diverti, torci MUITO por eles, sofri, me encantei e claro, me apaixonei, afinal, é impossível não se apaixonar.

Linnet é encantadora e foi muito divertido vê-la lidando com um Piers temperamental. Foi interessante ver o quanto ela foi passional e paciente quando se tratava de Piers. Já ele, que homem difícil rsrs. Por causa da sua atual situação ele acredita que não é bom suficiente para Linnet e por conta disso acaba afastando-a, mesmo sabendo que nunca encontrará uma mulher tão perfeita como ela. Então, acreditem, nem tudo é belo nessa história ;).

Uma delícia de leitura, tenho certeza que vocês não conseguirão deixar o livro de lado *-*
Amei e recomendo!
comentários(0)comente



Jéssica Spuzzillo @pintandoasletras 17/11/2017

Amei!
Um rumor se espalha como um incêndio em torno da alta sociedade de Londres, por causa de um beijo de Linnet e um jovem príncipe.
.
Completamente arruinada, seu pai e sua tia inventam um plano para casá-la com o Sr. Piers Yelverton.
.
Ela é enviada às pressas ao País de Gales para tentar se casar o mais rápido possível. Piers, tem 30 anos, é filho de um duque, médico , possui o seu próprio castelo e uma reputação brilhante. O único problema, é que ele é muito mal-humorado e esse temperamento fica cada dia pior, por causa de uma lesão irreversível em sua perna.
.
Somente uma mulher surpreendente será aquela que capturará seu coração, será que Linnet será essa mulher e um dia vai conseguir domar essa fera?
.
Me apaixonei por Piers e Linnet, me diverti muito acompanhando os diálogos entre os dois, achei algumas cenas bem mais ousadas do que outros livros do gênero, mas adorei!
.
Achei muito interessante que por trás de todo humor e romance, existem algumas questões importantes que conduzem a trama, como os direitos civis (e a falta deles) os remédios caseiros para as doenças incuráveis da época e as condições precárias que as pessoas viviam por conta de doenças contagiosas que eram muito difíceis de serem tratadas.
.
A autora no final informa que se inspirou no Dr. House para criar o personagem Piers, o que em grande parte é verdade, ele é brilhante e seu tom sarcástico é muito parecido.
.
Amei essa releitura de a “ A Bela e a Fera”. Esse é o primeiro livro da série “ Contos de Fada” e a primeira vez que leio Eloisa James, amei a escrita!Os diálogos são feitos de forma espirituosa, com um humor sarcástico e viciante, tem tudo o que me faz amar no romance de época, estou ansiosa pelos outros livros da série! Recomendadíssimo!

site: https://www.instagram.com/p/BUxbV6sFy7u/?taken-by=pintandoasletras
comentários(0)comente



Grazy Souza 08/11/2017

Amei!
Os contos de fadas nunca deixam de estar na moda, mas ultimamente estão muito mais em evidência. Com a estreia de séries como Once Upon a Time e Grimm, nossas histórias infantis ganharam vários tons e possibilidades - às vezes não tão bons - e nos deram muitas visões de como uma mesma história pode ter diversas vertentes. Tivemos a Paula Pimenta readaptando contos aqui no Brasil e lá na gringa, nos queridos romances de época, temos agora a Eloisa James que simplesmente arrasou nesse livro. A Bela e Fera (que, conhevenhamos, é um dos contos favoritos mundialmente) foi a bola da vez. O livro ficou entre um reconto de época, mas moderno, pois utiliza aspectos de nossa cultura atual.



Quando a Bela domou a Fera conta a história de Linnet, uma moça tão linda que desperta a inveja das outroas e que foi enganada pelo príncipe. Este deixou a sociedade pensando que a garota havia se dado a liberdades com o herdeiro da coroa e já que ela não era muito querida, os boatos só ficaram piores. Ela se viu, então, numa péssima posição na qual não arranjaria nenhum homem decente para se casar.
É aí que entra o Duque de Windebank: ele precisava arranjar uma moça que conseguisse aguentar o temperamento de seu filho, Piers, o conde de Yelverton, pois tinha esperança de deixar sucessores de seu título e seu relacionamento com o filho não era dos melhores.
Linnet, que já não tinha bons agúrios para seu futuro de qualquer forma, aceita visitar Piers em seu castelo no País de Gales para tentar aproximar-se dele e finalmente acabar com seus temores.



O problema é que Piers não estava nada interessado em ter uma noiva, sem falar em seu passado com difícil e misterioso com o pai que o deixou amargo. Quando ainda menino ele sofreu um ferimento na coxa que deixou sequelas irreversíveis, tornando-o coxo. E ele é um dos melhores médicos ativos no Reino Unido - só que não era tão querido quanto era comprometido. Piers era orgulhoso, arrogante e sarcástico. Ele era conhecido como A Fera. Seu temperamento afastava todos e, por isso, era tão difícil encontrar uma lady que não se intimidasse. Até que Linnet chegou com sua altivez, bom humor e língua afiada. Piers até quis frustar os planos do pai, mas quando viu aquela mulher linda e intrigante, não pode deixar de querer saber como aquela personalidade se construiu.

O enredo, apesar de ser baseado no conto de fadas, se distancia muito da história original e cria uma própria muito boa. Piers é claramente baseado no Dr House (sim, o da série) e é nisso que consiste quase toda a parte cômica do livro. Ele é grosso, mau humorado, tira sarro dos pacientes graves, mas mesmo assim ficamos entre o amor e o ódio com ele porque claramente ele pede por aceitação. E seu conhecimento médico é irrefutável.

Os diálogos entre ele e Linnet, ou entre ele e seus aprendizes e pacientes são muito bem feitos, engraçados e inteligentes. Os personagens secundários também são bem trabalhados e há outras subtramas acontecendo junto da história principal.

A narrativa é bem amarrada e tem várias cenas acontecendo em seguida e cenários diferentes. Em pouco tempo acontecem muitas coisas e todas elas ou são emocionantes, divertidas, tensas ou misteriosas. Por isso é bem difícil de largar o livro uma vez que você começa a ler. A sensação é que tudo acontece muito rápido, mas sem parecer mal explorado. Eloisa James sabe mesmo como criar o clima de um bom romance. Tudo o que acontece entre Linnet e Piers é crível, então quando eles se se envolvem não há estranhamento. Era tudo natural, tanto que todas as cenas são gostosas de ler. Nada é doce demais, nem se perde muito tempo descrevendo o quanto um ou outro está apaixonado. Também não tem aquelas passagens de um pensando nos olhos, lábios ou alguma outra parte do outro - tão comuns nesses romances. E quando tem, é de deboche.

A história também retrata com mais força as injustiças da sociedade europeia daquele século. Fica bem claro a crítica social que a Eloisa quis passar quanto às questões femininas e da hipocrisia daquela sociedade. E isso sem deixar nenhum cena chata ou adicionar tramas desnecessárias.

Em resumo, Quando a Bela Domou a Fera é um dos melhores romance publicado esse ano. É divertido, inteligente, bem construído e deixa nosso coração com um quentinho muito gostoso quando termina. Eu estou completamente apaixonada por esse livro e vou com certeza correr para adquirir meus exemplos do resto da série. Eloisa James entrou no meu rank das melhores escritoras de romances de época.


site: http://cantaremverso.blogspot.com.br/2017/09/resenha-quando-bela-domou-fera.html
comentários(0)comente



Kalyne Lauren 07/11/2017

Resenha
Acredito que toda boa alma existente no mundo gostando ou não, conhece as histórias dos contos de fadas. Aquelas narrativas infantis e que alegram os corações das crianças e de algumas não crianças também. Mas e se existisse uma nova versão de uma dessas histórias um pouco mais adulta, e cheia de romances prazerosos ao leitor mais experiente?
Pois bem, lhes apresento Quando a Bela domou a Fera, uma releitura fantástica do clássico que conquistou e conquista gerações de pessoas ao longo dos tempos. Mas não se engane pensando que teremos uma “Fera” feia e desfigurada por aqui.
Somos apresentados a Piers, o conde de Marchant, um homem marcado pela dor e de acordo com alguns boatos, o pequeno defeito que possui na perna, o deixou totalmente incapacitado de possuir um herdeiro. Um médico dotado de um péssimo temperamento que afasta qualquer pessoa ao seu redor, exceto seus pacientes. Tão feroz e mortal quanto uma fera.
E temos Linnet a nossa “Bela”. Uma das moças mais belas que rodeiam os salões de Londres durante a temporada. Possui um encanto tão forte, que até um príncipe caiu aos seus pés. E assim sua ruína em Londres começou, um escândalo maldoso ecoou pelos cantos da realeza, deixando nossa bela Linnet entregue as más línguas.
Para não deixar sua reputação pior do que já está, ela precisa urgentemente encontrar um futuro marido. E quem acaba sendo o felizardo? Sim meus caros, Piers a Fera. Linnet acredita que conseguira fazer com que ele se apaixone perdidamente por ela, mesmo com o temperamento difícil que ele possui.
Mas o tiro sai pela culatra, e quem se apaixona é ela. Linnet se vê entregue a um homem que talvez nunca seja capaz de amar, tamanha é a dor e a infelicidade que ele carrega dentro de seu coração. Porem, por um grande amor estaria ela disposta a domar o coração e o gênio maldito de Piers? E será que ele estaria disposto a amolecer o coração de gelo que possui, por alguém tão única e especial quanto Linnet?
Que narrativa espetacular, Eloisa James soube criar personagens cômicos e trágicos ao mesmo tempo. Linnet entrou para o time de mulheres fortes, decididas e persistentes que eu admiro. Me peguei pensando na história constantemente, não queria nem estudar pras provas da faculdade. Piers é uma pessoa que merece compreensão, não o julgue antes de descobrir quem exatamente ele é ok? haha.
Uma narrativa que prende o leitor desde as primeiras até as ultimas paginas, um núcleo de personagens secundários que dão uma nova cor a história, repleta de diálogos cômicos e inteligentes. Gostaria de apagar esse livro da memória, só para ter o prazer de ler novamente. Se isso é uma indicação? Meus caros se joguem com toda a vontade do mundo nesse livro.


site: http://oreinodaspaginas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Iris 20/10/2017

Oi Povo, tudo bem?
Hoje vamos falar de “Quando A Bela Domou A Fera” da autora Eloisa James, lançado pela Editora Arqueiro no mês de Março. Eloisa foi indicada pela super diva Júlia Quinn, isso é luxo, né? A própria Júlia gravou um vídeo falando dessa indicação quando esteve aqui no Brasil.

Linnet Berry Trynne é considerada uma das mulheres mais linda da sua temporada, mas nem isso impediu que a desgraça chegasse em sua reputação. Ou melhor, foi sua beleza que jogo sua reputação na lama. O príncipe Augustus Frederick, duque de Sussex, era amigo de Linnet e declarava a todos que estava apaixonado por ela. Até que um dia ele a beijou e a baronesa Buggins a maior fofoqueira de Londres os viu, e assim sua reputação foi jogada no lixo. Para piorar ainda mais sua situação ela vai ao um baile onde passa mal por ter comido um camarão estragado e vestiu um vestido que a deixa com a aparência de grávida, então o escândalo fica maior ainda. E o duque de Sussex que até então gritava que a amava simplesmente a abandona sozinha.
Seu pai o visconde de Sundon, fica enlouquecido sem saber o que fazer, até que sua tia Zenobia tem uma ideia brilhante. Ela lembra que o duque Windebank (Cornelius Yelverton) está louco atrás de uma esposa para filho, uma mulher grávida é a escolha perfeita devido ao problema do seu filho. Com isso pai de Linnet sai atrás do duque para negociar sua filha, mesmo sabendo que o apelido do filho do duque é Fera.

É assim que Linnet vai parar sozinha num castelo no País de Gales, noiva de um homem que ela não tem ideia de como é e nem como ele irá tratá-la. Mas, pelo menos ela vai ficar longe de todo aquele escândalo. Ao chegar no castelo ela se surpreende ao conhecer Piers, ele não é feio, mas também não é bonito. Porém uma coisa que ninguém pode negar é que ele é extremamente grosseiro como se não soubesse conviver em sociedade.


“O que havia de belo em seu pai era bruto nele; seus olhos eram azuis, mas gelados, como um inverno rigoroso. Ele não parecia civilizado. Ninguém colocaria aquele rosto em uma moeda, romana ou qualquer outra. Ele parecia muito grosseiro...muito...muito feroz, percebeu ela de repente.” Pág: 60.

A partir daqui tudo que eu contar pode ser considerado spoiler sério, então vou falar um pouco dos personagens que tanto amei.

Linnet não é aquelas mocinhas indefesas e envergonhada, muito pelo contrário é super inteligente, ama ler e tem um coração enorme. Ela sempre procura ver o lado bom das pessoas mesmo aqueles que não dão valor a ela da maneira que deveriam. O que achei mais engraçado é que ninguém entende porque ela lê tanto, então mega me identifiquei!! Rsrs

“- Ninguém gosta de moças que têm mais cérebro que cabelo, mas, por outro lado, nunca ouvi falar de alguém que tenha subido na vida que leia como milady.” Pág: 91.

Piers é extremamente grosso, mas confesso que o amei porque ser grosso significa ser malvado. Ele não trata todo mundo com pena ou com medo de magoar a pessoa, às vezes isso pode ser a melhor coisa para acontecer na vida de alguém. Sem falar que durante o livro descobrimos várias coisas que nos fazem entender melhor o personagem. Os pais de Piers, também foram uma grande surpresa. Cada um tem uma personalidade marcante e super bem construída.

“- Um médico totalmente maluco - esse sou eu - e uma beldade terrivelmente conivente - essa é você -, mancando juntos rumo a uma vida de felicidade? Duvido muito. Você tem lido contos de fadas demais.” Pág: 64.

Fazendo uma pequena observação com a realidade da vida com a literatura:
A maioria das pessoas não enxergava a inteligência de Linnet porque só ser linda já bastava e não é muito diferente do que presenciamos atualmente, se a pessoa é linda e sabe tirar selfie bem, vira celebridade da noite para o dia.

Tem uma fase do livro em que o que a beleza interior realmente é o mais importante e é nesse instante que Linnet mesmo se questiona. Coisa que não é muito diferente do que vivemos hoje, afinal quando estamos uns quilinhos acima do peso a primeira coisa que vem na cabeça é nossa como estou feia.

Enfim quem disse que a vida não imita a arte? Rsrs

Resumindo indico a leitura para quem quer um romance de época leve, envolvente, quente e marcante.

site: http://www.fadasliterarias.com.br/2017/04/quando-bela-domou-fera-resenha.html
comentários(0)comente



Priscila Rosa 19/10/2017

Não sei se fui com muita expectativa mas a história realmente não me prendeu. Comecei a gostar um pouquinho mais lá pro final , não é uma leitura ruim , mas não funcionou pra mim.
comentários(0)comente



Mandy 18/10/2017

Eu amo romance de época,e esse sem dúvidas já é um dos meus preferidos.Nele acompanhamos a história de Linnet nossa Bela. Bela em todos os sentidos da palavra. Ela é graciosa, meiga, muito linda. Não é a toa que ela é a mulher mais desejada da temporada. Todos os cavalheiros ficam babando por ela, inclusive um dos príncipes. Quando menos espera, Linnet se vê envolvida em um escândalo com o príncipe Augusto, escândalo que foi inventado pelas más línguas, e o tão esperado pedido de casamento não acontece e nem pode acontecer. Ela é apenas a filha de um Visconde e o príncipe jamais casaria com ela.
Tomado pelo desespero, seu pai resolve oferecê-la em casamento ao filho do Duque, Piers Yelverton, o conde de Marchant, famoso por ser um médico incrível mas que também possui um gênio forte e acaba por ser conhecido como Fera. Isolado da sociedade por conta de um defeito em sua perna que o faz pensar ser indesejado por todos a sua volta ele vive em uma mansão afastada de tudo no País de Gales.O conde é literalmente uma fera por dentro porque por fora ele é lindo apesar de seu humor porém Linnet com seu temperamento forte se recusa a ser intimidada pelo Duque,essa convivência vai gera muitos trancos e barrancos ao longo da história, muitas descobertas,drama ...
É um livro muito delicioso de ler!
Eu amei essa releitura
comentários(0)comente



Cheli 03/10/2017

"Não posso prometer que não vou perder a cabeça, apesar de ter a sensação de que, talvez, você tenha me transformado de vez. Talvez eu não seja mais a fera de antes" Pag. 302
Linnet é uma mulher de beleza incontestável, atraindo olhares de todos os cavalheiros a sua volta, acaba conquistando a atenção de um príncipe, mas esse romance não tem futuro devido a classe social, ela é filha de um visconde e ele um príncipe, juntando isso a um escândalo de uma possível gravidez, Linnet se vê em apuros e a família arquiteta um plano para acabar com esses rumores.
Piers, é um médico e herdeiro de um ducado, tem um temperamento explosivo, além de ser grosseiro e arrogante, (mas no fundo, lá no fundo mesmo tem um bom coração) por isso, todos o chamam de Fera.
O Duque, pai de Piers, está desesperado para ver o filho casado e com herdeiros, mas devido a sua personalidade forte e uma deficiência na perna, ele se acha indigno de ter uma mulher para cuidar e proteger. Os pais de ambos, acabam fazendo um acordo para casar os dois, ela ao conhecer Piers se apaixona e joga todo o seu charme para conquistá-lo, já Piers, se sente enfeitiçado por ela, mas é bastante enfático: Não quero me casar com você!
Conseguirá Linnet conquistar Piers e quebrar o gelo no seu coração???
Amei!!! Uma releitura de A Bela e a Fera combinado com Dr.House imaginem só... perfeito!!!
E fica a dica “as aparências enganam”...
comentários(0)comente



Bruna 01/10/2017

Eu sempre gostei de livros que fazem referências claras a contos de fadas e fantasias clássicas em geral. Nesse livro temos uma ideia de releitura da bela e a fera com uma das minhas series favoritas, Dr.House, sei que pode parecer sinistro e irreal, mas o resultado foi espetacular. Existe uma acidez no humor do conde de Marchant digna de Gregory House, além dele usar uma muleta e ter uma das pernas com um problema de cicatrização do músculo, clara analogia ao principal problema que torna o Dr.House hipocondríaco (No livro, essa é uma das principais preocupação de Piers)

A bela, ou melhor, Linnet, tem poucos aspectos semelhantes a personagem principal da obra que foi referenciada. Ela é uma garota jovem, que teve seu suposto ''futuro'' na sociedade arruinado por causa de fofocas da aristocracia. Bem clichê, eu sei. Mas quando encontramos clichês bem desenvolvidos, a tarefa de suportar uma premissa repetitiva se torna menos um fardo e mais divertido.

A relação de Piers e Linnet é incrível, eles são extremamente compatíveis em descordar de tudo que não deveriam concordar e concordar com ideias frívolas que não fazem muito sentido, resultando em uma relação de atritos na maior parte do tempo. (O próprio Piers admite que Linnet é sua versão masculina) e muito divertida de ler. O livro nunca fica monótono, sempre tem reações inesperadas por todos os lados.

A ultima parte do livro foi completamente imprevisível. Pelo meu acervo de livros de época lidos, eu sempre espero algo para o final, a mocinha fica com o mocinho e bla bla bla, e geralmente é assim. Mas nesse livro, o inusitado foi o desenvolvimento que levou ao final. MUITO BOM! nunca imaginaria um the end daqueles. A Eloisa sempre arrasa nos livros, indico absolutamente todos dela.
comentários(0)comente



Sarinha 01/10/2017

Me apaixonei!
Atenção: Esse livro contém fortes cenas de fofura, se não quiser se apaixonar, não o leia. Estejam avisados.

Linnet é uma das mulheres mais lindas da redondeza, cortejada por todos ela nunca pensou que se me teria em um escândalo. Após um terrível engano, todos acham que ela está grávida  e para salvar sua reputação, a família que lhe resta decide encontrar um marido para a mesma. E é ai que entra nosso mocinho.

Piers Yelverton, o conde de Marchant, é um excelente médico. Mas isso não faz jus sobre sua personalidade. Conhecido por ser mega mal humorado, arrogante, e não ter a mínima paciência com seus empregados e pacientes ele é chamado de fera. E para piorar, quando criança teve vários traumas, e constantemente tem que aguentar a dor de sua perna, fazendo-o usar uma muleta e andar cambaleando.
Huuum, isso lhe parece familiar certo? Tenta pensar um pouquinho. Lá vem a pergunta de 1 milhão de dólares: Qual é o médico que tem a mesma personalidade desse nosso mocinho, ainda usa uma muleta e anda cambaleando? Huuum?? Se você repondeu que era o House, você está certíssimo. Mas, se você errou... desculpa a sinceridade. Mas tu precisa assistir mais séries. ;)

Voltando, o mocinho é super arrogante, mas é impossível não se apaixonar por ele. Não se preocupe, a mocinha não é uma bobocona que espera se casar com o Piers, logo no primeiro beijo. Então pode se jogar de cabeça, não tenha medo de ler esse livro, pois tenho certeza que você vai amá-lo como eu amei.
Fabi 01/10/2017minha estante
Favoritado? Eitaaa adorou mesmo kkkkkk


Sarinha 01/10/2017minha estante
Kkkkk sim. Amei!


Fabi 01/10/2017minha estante
vai ler o q agr?


Sarinha 01/10/2017minha estante
Ainda não sei não.. A vida está corrida e quase não tive tempo de terminar esse livro, imagina procurar um!




Nanda.Abrantes 22/09/2017

Um amor!
Eu simplesmente amei. Fiquei presa desde a primeira página! Meu primeiro romance de época, e foi facilmente devorado! Simples, erótico, inteligente e simplesmente fascinante!
comentários(0)comente



Erika Villarinho 19/09/2017

Que delicia de livro
Que delicia de livro.

Era exatamente o que eu estava precisando um livro com intensidade e leveza, se é que dá para ter esses opostos em um mesmo livro.

O livro fala de Piers e Linnet (nome estranhissimo, por sinal), duas pessoas iguais e muito diferentes.

O livro foi muito fofo, a história foi linda, intensa e leve.
Piers é o House e Linnet é qualquer mulher que se esforça o suficiente para conquistar o bad boy fazendo absolutamente nada.
Foi bonito como Piers contornou a situação quando linnet entra em crise por conta da beleza dela.
Foi o ponto mais alto do livro. Além de claro, ser divertidíssimo.
Recomendo o livro para ler na surpresa. Achar que vai ler algo que nem a bela e a fera e terminar o livro lendo algo tão maravilhoso e meigo que pode, sim, se assemelhar a bela e a fera;
Charlene 19/09/2017minha estante
Também gostei bastante! O personagem principal foi baseado no médico da série Dr. House! Com direito a bengala e tudo rs


Fabiana.Martino 19/09/2017minha estante
Bom saber! Tenho ele.




Fê @bibliotecamagicadafe 04/09/2017

Simplesmente apaixonada!! Ainda não estou preparada para me despedir desse livro nem do Piers! ? podia muito ter uma continuação. Super recomendo!
Agatha 13/09/2017minha estante
Faço das suas palavras as minhas...rsss




Krous 22/08/2017

Simplesmente perfeito!
O site da Saraiva sugeriu esse livro depois que eu comprei vários com a temática de A Bela e a Fera. Mas como já segui sugestões furadas antes, antes dei uma pesquisada, li algumas resenhas para saber se valia a pena ou não. O resultado não me indicou qual direção seguir, então torci para o dinheiro que paguei pelo livro não ser em vão e comprei. Ufa, deu tudo certo!

Antes mesmo do romance engrenar, antes dos personagens se conhecerem, eu já estava apaixonada por eles pelos personagens secundários que interagiam com Linnet e Piers. Tudo graças à escrita espetacular de Eloisa James. Eu dava gargalhadas com Linnet interagindo com sua tia e seu pai. Ainda demorei um pouco para engolir o Piers, mas o jeito espirituoso com que Linnet foi apresentada, especialmente os acontecimentos e diálogos iniciais com o pai e a tia me ganharam com absoluta certeza.

Eu gosto quando os personagens têm birra um com o outro ao mesmo tempo que tenho receio. Os autores nunca parecem encontrar o ponto de equilíbrio para as picuinhas acabarem e os dois assumirem logo que se gostam ou então sempre relevam o mau humor de um dos lados usando a inteligência como justificativa para ser grosso e mal educado. Felizmente Eloisa James não comete nenhum desses deslizes e é o que torna a leitura ainda mais agradável. (até a conclusão do livro eu estava tensa esperando um desses defeitos aparecerem no livro, mas respirei aliviada quando concluí que esse clichê maldito não passara pela cabeça da escritora que dirá pelos seus dedos que digitaram a história)

Bom, nesse caso, Linnet tinha todos os motivos para não cair de amores logo de cara pelo grosseiro, antipático e mau humorado Piers. O cara não conseguia ser gentil nem com os pacientes. Mesmo quando eram crianças!

Um ponto positivo foi Linnet não ser uma donzela inocente e boboca iludida pela ideia de casar com um conde. Ambos sabiam no que estavam se metendo e deixaram isso claro.
Piers é um brutamontes, mas se você pensa que todo mundo aceita as patadas de cabeça baixa, está enganado. Todos parecem partir do seguinte princípio: não é porque ele é um conde ou um médico excelente ou teve uma vida difícil ou tem um defeito na perna que vou abaixar a cabeça, me sentir inferior ou aceitar as ofensas dele. Bateu, levou. E isso tornou Piers tragável para o leitor.

Aliás, o livro é recheado de pontos positivos porque Eloisa James simplesmente dispensa os clichês e mostra que não precisa deles mesmo para criar uma história de romance - chick lit - interessante e com qualidade. Assim, não temos uma mocinha romântica, nem um mocinho que manja de tudo, é experiente e vai ensinar sua amada sobre a vida.

A escrita de James é um negócio à parte também. Amei como ela conseguia entrelaçar um parágrafo a outro, um capítulo a outro com riqueza de palavras e ideias sem ser repetitiva. Não, o livro é claro, coeso e bem escrito do começo ao fim. Há muito tempo não tinha em mãos algo tão magnífico assim e confesso que estou apaixonada.

A única coisa que eu podia passar sem são as cenas de sexo explícito e detalhado demais. Além de achar de não combinou em nada com a história - mas acho que combina com esse gênero de romances históricos que são eufemismo para romances eróticos e não sei pq ninguém simplesmente DIZ ISSO EM VOZ ALTA -, achei..., quero dizer, se quiser detalhes de como sexo oral ou papai e mamãe acontece, eu faço ou procuro vídeos de sexólogos para me deixar a par, não preciso MESMO saber onde a perna de um ficou, onde o outro enfiou a língua... achei constrangedor demais. E se o objetivo era deixar o leitor excitado, eu só fiquei chocada mesmo.
Existem formas muito melhores e compatíveis com toda a beleza que o livro é de transmitir que os personagens transavam sem apelar para a vulgaridade.
Mas esse é um mero detalhe. E o final do livro, se possível, é a coisa mais magnífica que pude ler.

Lu 22/08/2017minha estante
Ótima resenha!




Tami 17/08/2017

— Caramba, você está apaixonado por ela — afirmou Sébastien, encarando-o. — Quem não estaria? — disse Piers, reconhecendo a verdade em voz alta. — Quem não estaria?
Quando a Bela Domou a Fera foi, de longe, uma das leituras mais divertidas que fiz esse ano. Dentre a escrita de todas as autoras de romance de época que eu já tive a oportunidade de conhecer, a de Eloisa James é a mais espirituosa. Seu texto tem a dosagem certa de bom humor, sarcasmo e romance. Foram várias as vezes em que dei risada dos comentários ácidos de Piers e de sua relação de gato e rato com Linnet.

Adoro releituras, então somente este fato já faria com que eu me interessasse pelo livro, mas quando soube que Piers tinha sido criado tendo como inspiração Dr. Gregory House eu tive certeza que precisava ler esse livro de qualquer maneira. House foi um dos meus personagens fictícios favoritos e eu sofri real quando a série terminou; e como eu tenho uma quedinha por personagens azedos e com um senso de humor mais obscuro, me apaixonei por ele na primeira piadinha debochada. Piers tem toda aquela rabugice, é tão brilhante quanto House... e ainda manca! Como não amar Piers Yelverton?

Outra coisa que eu adorei foi a interação entre Piers e Prufrock, seu mordomo, pois ela me lembrou em muitos momentos a interação entre House e Dr. James Wilson. Wilson era, possivelmente, a única pessoa que conseguia interagir com House sem se sentir ofendido ou diminuído pelo que ele falava, e Prufrock age da mesma maneira! Em alguns momentos até fica cutucando a colmeia com vara curta.

Linnet também é outra que não se intimida com o jeito azedo de Piers. Ela tem noção do que a sua beleza é capaz de fazer com os homens, mas como Piers parece ser imune ao seu charme ela passa a tratá-lo com a mesma cortesia com que ele a trata, ou seja, com tiradas ácidas que o deixam cada vez mais impressionado. Ela não tem medo de enfrentá-lo e isso faz com que ele a admire cada dia mais. O romance entre eles vai surgindo de uma maneira muito envolvente e é impossível não torcer para tudo dar certo. Há também aquelas partes mais sensuais, mas o tom é de muito bom gosto. Essas cenas, que por sinal são bem poucas, são até mais leves do que as dos livros da Julia Quinn, por exemplo.

Continue lendo a resenha no blog! :)

site: http://www.meuepilogo.com/2017/07/resenha-quando-bela-domou-fera-eloisa.html
comentários(0)comente



101 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7