Quando a Bela Domou a Fera

Quando a Bela Domou a Fera Eloisa James




Resenhas - Quando a Bela Domou a Fera


57 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Vivi 28/05/2017

Bom, mas poderia ser melhor
O livro é bom, interessante. Mas senti que faltava algo. Não sei se criei muitas expectativas depois de ler tantos elogios ao livro. Ou a relação do casal que faltou uma certa consistência mesmo, havia muita atração física e até paixão, mas o amor não era tão nítido, não deu pra ver como foi construído.
Mas é um bom livro no geral, principalmente porque quando pensamos que não há nada de novo em relação a outros romances históricos a história dá uma reviravolta e melhora bastante. Por isso quase dei a nota máxima.
O livro é bem leve e divertido tb. Traz personagens secundários carismáticos como o mordomo, a aia eliza e os pais de Piers. Uma leitura prazerosa mas que poderia ser ainda melhor.
comentários(0)comente



Simone 27/05/2017

Um enredo divertido e apaixonante!
Essa história é a releitura de uma fábula, porém com um contexto diferente: em vez de um homem amaldiçoado com um encanto, temos um rude médico, que leva consigo amargas lembranças do passado. Piers sequer imagina-se noivo, quanto menos casado — e essa foi a maneira do seu pai (o motivo maior de suas tristes lembranças) reaproximar-se. Entretanto, o carrancudo doutor não imaginava que o improvável tornaria-se provável, e acabou ficando cara a cara com uma inteligente e bela mulher, sem papas na língua, o que instigou-o ainda mais. No entanto, ele não se sentia digno dela.

Eu gostei muito de me aventurar nesse enredo, com uma narrativa envolvente e diálogos pra lá de divertidos, fazendo-me cair na gargalhada por diversas vezes. Além de todos esses elementos, há também o romance picante entre Piers e Linnet: OP'S, PERDI O FÔLEGO!... Afinal, quem não gostaria de ter um expert na arte do amor como o doutor Piers?!

P.S: Confira a resenha completa no link abaixo.

site: http://simonepesci.blogspot.com.br/2017/05/falando-em-quando-bela-domou-fera-de.html
comentários(0)comente



Vivi 26/05/2017

Lindo, lindo...
Que história, que bela escrita!!! Romance, falas inteligentes, personagens astutos!!! Recomendo a leitura e aguardo os próximos desta autora!!
comentários(0)comente



Conchego das Letras 24/05/2017

Resenha Completa
Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, Quando a Bela domou a Fera é o segundo livro da série Fary Tales, que consta atualmente com cinco livros principais e três livros intermediários.

É o primeiro livro da autora Eloisa James publicado pela editora Arqueiro e traz a reescrita do conto de fadas A Bela e a Fera com livros de época. Nele conheceremos Linnet, uma jovem de beleza inigualável e temperamento forte, marcada pelo passado da mãe e os traumas do pai. Ela precisa ser a mais perfeita pureza e conseguir um bom casamento para limpar o nome da família, mas isso acaba se tornando mais complicado do que o esperado.


Piers Yelverton é o conde de Marchant, um médico renomado, conhecido por todos por ter um temperamento próximo ao intragável. Para ele, a vida se resume a curar os que são passíveis de cura e nada mais. Casamento é algo completamente fora de cogitação, romance então, nem ao menos em pesadelos.

A vida desses personagens se cruza devido à, por incrível que pareça, costura malfeita de um vestido. Esse "simples detalhe" irá desencadear uma série de eventos que prenderá o leitor ao longo das páginas do início ao fim.

Com uma narrativa envolvente e fluida, Eloisa James traz para o leitor uma mistura bastante equilibrada entre cenas mais picantes, romance, crescimento por parte dos personagens, uma pitada de drama e de aventura.



CURIOSIDADE: o personagem Piers Yelverton foi baseado, desde o temperamento até a aparência física, de acordo com o relato da própria autora no livro, no famoso médico da série de televisão americana House. Então, se você, leitor, reconheceu as similaridades ao ler a obra, saiba que não foi mera coincidência.

site: http://www.conchegodasletras.com.br/2017/05/resenha-quando-bela-domou-fera-eloisa.html
comentários(0)comente



Elba Mara 23/05/2017

Começou mal mas terminou bem
Sim eu achei que o começo era muito chato e repetitivo , é sim vc está gravida para um lado e não estou para outro por uns três capítulos, sério isso? Mas depois que Linnet saiu da sua casa tudo melhorou , não o suficiente para ganhar todas as estrelas mas foi legal. É um livro legal, não é maravilhoso mas é legal.
comentários(0)comente



Niedja Cristina 23/05/2017

Escrita maravilhosa, leve, história envolvente e personagens apaixonantes, com uma química impressionante, diálogos inteligentes, intrigantes, além de divertidos. Amei ler como começou essa história de uma amor baseado na observação de cada personagem no outro, do crescimento, da quebra das barreiras e do perdão acima de tudo. Uma história onde um homem atormentado pelo passado busca na profissão o único meio de viver. Solitário, com fama de ser rude e até chamado de monstro não espera que algo penetre na sua bolha de infelicidade para mudar tudo e fazê-lo querer mais. Linett Uma moça que apesar de fazer tudo certo, é julgada pela reputação da mãe e mesmo tão amável e verdadeira, tem seu nome jogado a lama e para salvar sua já manchada reputação é oferecida em casamento a um homem cuja fama ultrapassa lugares longínquos e amedronta a todos.
A união da fera e competente médico com alma amável e encantadora da Bela torna mais fácil curar almas além das doenças das pessoas e isso transforma o coração dos dois. Ele quebrando as barreiras impostas pelo seu amargor e ela pela compreensão que o amor é muito mais que boa aparência. Um lindo livro que tem todas as ferramentas para uma excelente romance.


site: https://www.facebook.com/indicacoesliterarias/
comentários(0)comente



Lilian 22/05/2017

Um romance lindo e incrível
Este seria um clássico romance baseado no conto de A Bela e a Fera, mas o que difere esta história da clássica versão é que a autora conseguiu criar um casal incrível, cheio de personalidade e divertido! Isso sem perder o romance entre eles, carregado de paixão e companheirismo.

Começamos com Linnet, uma jovem que está sendo cortejada pelos jovens de sua cidade, mas que acaba se envolvendo em um escândalo que supostamente acabaria com suas chances de conseguir um bom marido. Devemos nos atentar aqui que este é um romance histórico, então sim, era uma época um pouco machista (relevaremos, por enquanto, rsrs).

Por conta disto, Linnet acaba sendo 'negociada' por sua família ao filho de uma família importante que estaria desesperado para casá-lo, eis que o filho seria um recluso e infértil. Sem opções ou escolha quanto a isto, Linnet é enviada para a cidade para conhecer Piers, o duque do país de Gales.

A reputação de Piers, por sua vez, não é das melhores. Ele é conhecido por seu temperamento difícil, além de ter um defeito em sua perna e não poder ter filhos. Todo esse conjunto fez com que todas as pretendentes possíveis fugissem dele. Em contrapartida, ele também é um médico brilhante.

"Ela viria até ele. Não que isso importasse, porque ambos estavam meramente brincando um com o outro. [...]
À sua maneira, Linnet era a versão feminina dele próprio: detestável, bonita demais, inteligente demais, mordaz demais.
Não que ele fosse bonito."

Quando os dois se conhecem, imediatamente surge o interesse, todavia nenhum dos dois quer abrir mão de seu orgulho. Piers se admira com a inteligência e perspicácia dela, pois esperava uma tapada de pai e mãe. Linnet, por sua vez, se encanta com a postura dele e seu profissionalismo, mas logo vê o motivo de sua reputação, o mal humor é palpável.

O relacionamento inicial deles é bem engraçado, mas aos poucos vemos que a irritação e a vontade de desafiar um ao outro acaba se tornando interesse e desejo, além disso Linnet, que até então não gostava nem de beijar, descobre que, estranhamente, sente vontades com Piers, o tipo de vontades que até então ela nunca imaginou ter.

"Ah, ela tinha o charme da mãe e sabia disso. Podia piscar para um homem do mesmo jeito que sua mãe costumava fazer e aquele que não ficasse com os olhos levemente marejados era uma aberração. [...] Mas o que Linnet não fazia era...
Aproveitar-se disso.
Para falar a verdade, ela nem gostava de ser beijada.
Beijos eram conturbados e a saliva... bem, a saliva era nojenta."

Logicamente ela não é nenhuma inocente, mas acaba ficando levemente curiosa com essas novas sensações, pois até então ninguém havia conseguido lhe deixar dessa forma. Piers, por sua vez, não consegue negar que aquela mulher é perfeita em todos os aspectos, mesmo na sua inocência tão estampada que parece ser fingida e até mesmo no fato de ter uma língua muito bem afiada.

Mas lógico, nem tudo são rosas. Será que Piers superará seu orgulho e admitirá para ele mesmo seus sentimentos? Linnet aceitará o destino imposto a ela? Os dois dariam certo juntos? Será que um dia teriam algum sentimento, além do evidente desejo de ambos?

Enfim, adorei a escrita da autora, ela nos envolve completamente em uma trama suave e cheia de gracinhas, haha! A narrativa é em terceira pessoa, mas não prejudicou em nada os diálogos carregados de sarcasmo e bom humor do casal. A autora soube criar dois personagens incríveis, ambos com personalidades fortíssimas, mas que se completavam de uma maneira única, o que não ocorre sempre nos casais literários que vemos por aí.

"- Eles morrem de medo de mim.
- Sério?
- Você também deveria.
Ela deu um sorriso.
- Talvez você devesse se esforçar mais.
- Talvez você devesse se casar comigo - disse ele.
Ela riu alto."

Apesar da história se passar em uma época onde as regras da sociedade prevaleciam e, particularmente, eram bem machistas, conseguimos apreciar a obra a entender os elementos da história, pois houve a necessidade de Linnet ser julgada para ser colocada no caminho onde era para estar. Ainda assim, é intrigante como Linnet é avante de sua época e Piers ainda mais! A combinação dos dois foi única, de fato.

Outro ponto forte foi que a autora não apelou para cenas hot ou para um romance cheio de fogo e desejo, pelo contrário, ela fez os personagens se apegarem pelos detalhes, o jeito como agiam e pelas qualidades um do outro. Aos poucos eles iam se conhecendo e o sentimento aumentando a cada descoberta da personalidade do outro, isso foi mágico. Logicamente temos as partes quentes, mas tudo bem equilibrado.

"O beijo dele não era uma adoração gentil. Era um beijo selvagem, um beijo loucamente apaixonado, tumultuado, roubado. [...]
Era o tipo de beijo que um cavalheiro, jamais, daria em uma dama.
Linnet estava adorando."

Quanto à diagramação, novamente não temos o que reclamar, os detalhes dos capítulos são singelos e delicados, a capa ficou condizente com a história e bem clássica, chama atenção. As páginas amareladas e as letras em tamanho adequado completaram para uma leitura agradável. Não identifiquei nenhum erro de grafia, gramática ou revisão. No geral, o livro em si está ótimo.

Então, para quem gosta de um romance clássico, com personagens cheios de personalidade e um romance lindo e digno de ser apreciado, esta é a escolha. Não há como não recomendar este romance, garanto que não irão se arrepender.

site: http://www.leitorasvorazes.com.br/2017/05/resenha-114-quando-bela-domou-fera.html
comentários(0)comente



Mayhara 17/05/2017

A Bela e a Fera?
Nessa "releitura" vi mais duas feras se degladiando, do que uma Bela. Não que isso seja ruim, dá até uma nova perspectiva sobre a estória. No entanto, não superou minhas espectativas com o livro, na vdd ficou bem abaixo delas.

Achei que as coisas aconteceram rápido demais, personagens que apareceram no início do livro foram esquecidos. Também achei que seria mais trabalhado o relacionamento dela com o pai e com a memória da mãe. O namorico dela também foi esquecido.

Mas, o final foi sensacional, me lembrou muito o final da releitura de A Bela Adormecida ( Enquanto Bela Dormia), só que mais leve.

Enfim, diverte, mas nada além disso. Gostei mais da outra releitura "A Fera" de Alex Finn.
comentários(0)comente



C. Aguiar 16/05/2017

Linnet é uma moça bonita que está na época de receber diversas propostas de casamento, mas após um mal entendido com o príncipe a situação vai de mal a pior. Linnet flertava com o príncipe, mas devido a um vestido que desfavorecia seus dotes houve um grande mal entendido perante a sociedade e a jovem acabou caindo em desgraça.
Como ela poderia explicar que não estava grávida e que era tudo culpa do caimento do vestido? Sua família acaba não recebendo muito bem a situação e o jeito agora é tomar uma medida drástica. Ela terá de fazer o que for preciso para conseguir um casamento.

Piers Yelverton é um conde que deveria estar pensando em formar uma família ou algo do tipo, mas devido a sua condição física ele não tem pretensões de firmar matrimônio, sem contar é claro seu terrível temperamento e sua língua afiada, fazem a situação ser quase impossível.
O pai de Piers acaba levando a jovem para o país de Gales a fim de conseguir com que ela se case com o filho. Linnet é o pacote completo: além de bonita e inteligente, ela está "grávida".

O pai de Piers tem uma fixação enorme na realeza e o pai de Linnet deixou escapar que ela estava grávida do príncipe para fazer com que o casamento da filha aconteça. O problema todo é que a jovem além de não estar grávida, ainda é virgem.
Mas, o que Linnet fará quando descobrirem que ela não está grávida?

Assim que os dois se conhecem a jovem diz para ele que o mesmo irá se apaixonar por ela em algumas semanas, pois ninguém resiste aos seus encantos. Mas, e se ela apaixonar-se antes por ele? Será que os encantos da jovem serão suficientes para derreter o coração do conde?
O livro é divertido, envolvente e carregado de sarcasmo. Piers não é nada paciente, mas Linnet não fica atrás com sua língua afiada. Então temos um casal bem difícil, que ao contrário de alguns romances de época não se apaixona logo de cara.

Linnet é assombrada pela reputação da mãe que mesmo sendo uma mulher casada e tendo uma filha pequena, a qualquer oportunidade ela corria para deitar-se com outro homem. O pai de Linnet sabia da situação, mas ainda sim amava a esposa.
Piers não consegue perdoar o pai pelo que ele fez quando o conde ainda era jovem e isso acaba fazendo com que ele seja arredio não só com a presença do pai em seu castelo, mas como também com a ideia de casar-se com alguém que seu pai escolheu.

Apesar da história ser interessante e ter me rendido boas risadas, eu senti que faltou algo durante a leitura. O final foi um pouco rápido e tive a sensação que o romance não estava caminhando tão bem. Existia atração física entre eles, mas não foi como se rola-se uma boa química a ponto de me fazer ficar eufórica durante a leitura. De qualquer forma foi um ótimo tempo gasto lendo a história.
Não achei qualquer erro no livro, a diagramação e a capa estão ótimas como sempre.

site: http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/
comentários(0)comente



Jackelynne.Paiva 14/05/2017

Gostei muito do livro, a personalidade e inteligência dos personagens é o ponto forte da história, como já sabia que o Piers foi baseado no Dr. House, ficou mto fácil visualizar ele. Gostei mto do fato do Piers ser médico e ter a rotina descrita ao longo da história, achei bem interessante. E a teimosia dos dois foi o que me irritou, mas faz parte, né.
comentários(0)comente



Ana 14/05/2017

Quando o amor domou a mágoa
Beleza nem sempre é uma benção, meus amigos. Linnet que os diga. Depois de chamar a atenção de um príncipe e ser abandonada pelo próprio, Linnet está na boca do povo; dizem as más línguas que ela está até grávida do príncipe. Mas com este a dispensando, é quase impossível que Linnet esclareça o mal entendido (ela só estava usando um vestido que a desfavorecia, pelo amor de Deus!)​ e consiga um casamento.
Porém nem tudo está perdido.

Quando o duque de Windebank fica sabendo sobre o escândalo de Linnet, ele faz a proposta de casá-la com seu filho, um médico brilhante, mas que, infelizmente, é impotente. Vendo nessa proposta a solução pros seus problemas, Linnet aceita ir conhecer seu noivo.

Piers tem um passado conturbado com o pai, e não é surpresa nenhuma quando ele não fica nem um pouco satisfeito ao ver seu pai adentrar o castelo com sua nova "noiva". Na verdade, ele tem a intenção de afastar a moça o máximo possível. Mas, enquanto Linnet e Piers vão se conhecendo e percebendo que são mais parecidos do que gostariam de admitir e a atração entre o casal se torna cada vez mais palpável, fica cada vez mais difícil para o médico resistir aos encantos da bela noiva.

"O beijo dele não era uma adoração gentil. Era um beijo selvagem, um beijo loucamente apaixonado, tumultuado, roubado. (...)
Era o tipo de beijo que um cavalheiro nunca, jamais, daria em uma dama.
Linnet estava adorando."

Com uma narrativa pra lá de irônica, Eloísa James tinha tudo para me ganhar com esse livro. Mas a falta de ligação de uma cena com a outra na primeira metade do livro me irritou bastante. Teve momentos que até me senti meio perdida na leitura. Com relação ao romance, senti falta dos detalhes. Sempre gostei de saber o que um pensa do outro, o que sentiram no primeiro beijo... São coisas​, que para mim, são essenciais para ter uma conexão com o romance do casal e, que, infelizmente, não obtive aqui.

Piers e Linnet tem, sim, uma bela história. Com todos os ingredientes que, geralmente, eu adoro. Mas a história dos dois não me agradou tanto quanto achei que agradaria. Ah, malditas expectativas. 💔
comentários(0)comente



Ana Luiza 13/05/2017

A Bela e a Fera encontra Dr. House
A HISTÓRIA
Linnet Berry Thrynne é o tipo de garota cuja beleza encanta até mesmo príncipes. Mas, aparentemente, não o suficiente para fazê-los se casar com ela. Filha única de um visconde, a garota deixou-se levar pelo flerte e beijos do jovem príncipe inglês, que só depois de arruinar a reputação da garota, revelou que não poderia se casar com ela. Agora, além de ser conhecida como uma assanhada sem-vergonha (como a sua mãe fora), Linnet ainda precisa lidar com boatos de que está grávida do príncipe, sendo que nunca fez nada além de beijá-lo.

Contudo, é a tia da garota que acaba encontrando uma solução. Todos sabem que o duque de Windebank procura uma esposa para o filho, um conde excêntrico e supostamente deformado, apelidado de Fera, e que vive isolado no País de Gales. Dizem que Piers Yelverton, a Fera, não pode ter filhos, por isso, seu pai está mais que feliz em casá-lo com Linnet, que, supostamente, carrega um bebê real. Apesar da ideia de se casar com um completo estranho, ainda mais alegando carregar um filho que nunca existiu, ser completamente maluca, Linnet acaba aceitando o plano da tia, afinal, ela pode ser uma a condessa de um homem que jamais irá tocá-la, ou ir ser uma solteirona mal-falada no continente.

Piers Yelverton, conde de Marchant, sabe muito bem como lhe chamam pelas costas, contudo, sabe também que faz jus ao seu apelido de Fera. Um médico brilhante, mais inteligente que a maioria, Piers não se dá ao trabalho de ser educado com as pessoas e lhes poupar da verdade. Afinal, se ele está salvando vidas e fazendo descobertas importantes para a medicina, em seu castelo no País de Gales, o mínimo que o resto do mundo pode fazer é aceitar que ele grite o tanto que bem entender e insulte quem ele quiser. E se já não tem paciência para lidar com as pessoas, tudo se complica ainda mais quando o defeito na perna causa dores intensas, deixando Piers ainda mais arrogante, mal-educado e assustador.

Contudo, mesmo sem conhecê-lo, Linnet já sabe que não vai ser mais uma a temer a Fera. Com sua beleza, personalidade espirituosa, sorrisos sedutores e língua afiada, Linnet é capaz de colocar qualquer um em seu encanto, e ela está crente que, em duas semanas, fará Piers se apaixonar por ela. Contudo, a Fera parece imune a seus encantos. Piers, que nunca quis uma esposa, muito menos uma escolhida pelo seu pai, o homem que ele mais odeia, está disposto a não deixar Linnet, por mais bela que seja, se infiltrar no seu castelo e na sua vida. Contudo, é justamente isso que a garota faz. Quando Piers percebe, ela está por todos os cantos: encantando seus empregados, seus pacientes, seus amigos e até mesmo sua família. Mas, ele está decidido a não ceder, mesmo Linnet despertando um desejo profundo e quase animal dentro dele. E a garota também não fica imune a Piers. Linnet está cada vez mais fascinada com o rude e selvagem médico, será que, em vez de fazer a Fera se apaixonar por ela, a garota se apaixonará por ele, o único homem que jura que jamais irá amá-la?

A SÉRIE
Quando a Bela Domou a Fera é o segundo dos cinco volumes da série Contos de Fadas, da Eloisa James. Como podem deduzir, essa saga de romances independentes adaptam os famosos contos de fadas, com seus príncipes, princesas e bruxas, em romances de época. A editora decidiu publicar o segundo volume primeiro para pegar carona na adaptação live-action da Disney do conto da Bela e a Fera, contudo, a Arqueiro pretende sim publicar o resto da saga. As obras da série Contos de Fadas são releituras, respectivamente, dos contos da Cinderela, A Bela e a Fera, A Princesa e A Ervilha, O Patinho Feio e Rapunzel.

(...)

CONCLUSÕES FINAIS
Inspirado no clássico conto da Bela e a Fera, mas também no seriado de TV House, o primeiro livro da série Contos de Fadas, da Eloisa James, é uma leitura rápida, deliciosa e apaixonante do início ao fim. Com uma trama inusitada, que mistura aventuras amorosas com os dramas de um hospital, e personagens completos e cativantes, Quando a Bela Domou a Fera é um romance de época único, divertido e apaixonante. Dei boas risadas e suspiros com esse livro, e me apaixonei não só pelos personagens, como pela autora. Simplesmente incrível, Quando a Bela Domou a Fera me deixou muito ansiosa pelos próximos volumes da série.

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO NO BLOG:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2017/05/resenha-quando-bela-domou-fera-eloisa-james.html
Luísa Nolasco 15/05/2017minha estante
Adorei sua resenha, comecei a leitura desse livro agora! :)


Ana Luiza 16/05/2017minha estante
Obrigada, fico feliz que tenha gostado! Espero que curta o livro tanto quanto eu!


margot 24/05/2017minha estante
Acabei de ler o livro. Simplesmente amei. Li sua resenha agora depois do livro. Parabéns. Muito boa a sua resenha.


Luísa Nolasco 27/05/2017minha estante
Eu amei o livro!




Adriana 12/05/2017

Quando a Bela Domou a Fera de Eloisa James
Este é sem duvida um dos melhores romances de época que já li.Personagens fortes e fantásticos.

Linnet é uma jovem que tem como herança familiar sua beleza, carisma e malandragem. Seu pai é um verdadeiro pastel. Já que sua esposa o traia com diversos cavalheiros e apesar de de não concordar com suas atitudes nunca se incomodou de verdade. Sua mãe era uma libertina que sabia o poder que sua beleza surtia nos homens e tirava muito proveito disso. E em uma dessas aventuras, sofrendo um acidente e falecendo, deixando a jovem Linnet aos cuidados de seu pai e sua irmã que infelizmente é tão vulgar quanto ela.

Linnet é invejada pelas damas e cortejada e cobiçada pelos cavalheiros, incluindo o príncipe.
Depois de uma cena lamentável onde sua honra é totalmente manchada e ela é considerada uma perdida, pois todos pensam que ela esta gravida depois do príncipe à ter dispensado no meio do baile, pois apesar de ser filha de um visconde ela não está a altura de um príncipe.

O que é totalmente improvável, pois apesar de já ter beijado o príncipe, nunca teve mais do que isso com ele. Então depois de constatar isso sua tia tem a brilhante ideia de ela se casar com o filho de um Duque, que é defeituoso de uma perna, tem um temperamento intratável, mas que isso não importa pois quando o Duque saber que ela esta "gravida" do príncipe aceitará ela como futura nora com certeza. Então depois da tia e o pai acertarem tudo com o Duque, ela parte para Gales com ele, para encontrar seu futuro marido.

Piers é um Conde, e futuro Duque, dono de uma personalidade forte, tanto que é conhecido por todos como a Fera. Ele é um médico que sofreu um acidente quando criança e nunca mais de recuperou totalmente, e por isso ele tem uma piscina onde tem sua natação diária para aliviar sus dores.

Depois que sua mãe partiu para França com ele ainda pequeno. Seu pai se divorciou dela e perderam o contato. Agora ele acaba de receber uma carta dizendo que o pai que ele não vê à mais de vinte anos está chegando com sua futura noiva. Que alias ele não em a minima intenção de desposar.

Piers é direto, grosseiro, impaciente e extremamente sarcástico com tudo e todos, principalmente com Linnet e com seu pai, já que o relacionamento entre eles é cheio de magoas e ressentimentos.
Linnet é inteligente extrovertida, alegre, simpática mas de modo algum admite levar desaforo para casa. E isso rende uma diversão garantida para a historia.

Com um final lindo e emocionante, com certeza vale a pena ser lido.

site: http://www.meupassatempoblablabla.com
Bee Moon 15/05/2017minha estante
Esse final termina os dois juntos?


Adriana 17/05/2017minha estante
sim. O final é maravilhoso.


Bee Moon 20/05/2017minha estante
Ain, que maravilha!! Vou comprar, nas tem triângulo?


Bee Moon 20/05/2017minha estante
Ain, que maravilha, então vou comprar. Mas tem triângulo?




Livros Encantos 12/05/2017

Que história maravilhosa, personagens inteligentes, muito bem estruturado, diálogos que instiga o leitor
Um romance de época apaixonante sabe aquele livro que te conquista, te faz suspirar, assim que fecha o livro, já sente saudades dos personagens e quer reler, assim é Quando a Bela domou a fera.

Linnet envolve-se em um grande escândalo com a sociedade, mesmo sendo inocente vê seu nome comentado em todas rodas sociais, seu pai e sua tia acham uma solução para salva-lá.
Arrumam um casamento com Piers com fama de mal humorado e com apelido de Fera.
Piers é um grande médico, muito dedicado, com sua forma direta de falar muitas vezes assusta as pessoas, sem paciência, lidera um grupo de estudantes em seu mini hospital.

Piers e Linnet são o oposto, enquanto ela toda bela, linda, inteligente, ele se retrai e adora sua fama de Fera. Ambos se provocam sempre, a mente aguçada de ambos nos presenteia com diálogos maravilhosos.

Piers não quer se casar, ainda mais sendo um casamento arranjado por seu pai, que guarda algumas mágoas do passado.
Ele se encanta por Linnet, porém reluta muito em aceitar que possa existir algo mais entre eles.
Linnet se entrega ao que sente, vivendo o agora, a cada momento ao lado de Piers, seu coração se aquece, a cada pequeno gesto dele, ela consegue enxergar seus sentimentos negados por ele.
Quando sua mãe aparece, todo seu passado vem a tona, e Linnet vai ajuda-lo a perdoar e seguir em frente com o coração em paz.

Um fato vai apressar muitos fatos, e Linnet terá que lidar com seu coração despedaçado, em meio a sua tristeza, ela perde as esperanças.
Sua salvação será o amor e dedicação de Piers ...

Mesmo após alguns dias depois de ler esse livro, ainda estou suspirando por ele.
Eloisa James entrou para minha lista de autoras favoritas e prevejo ler até suas listas de supermercado.

Que história maravilhosa, personagens inteligentes, muito bem estruturado, diálogos que instiga o leitor a saber mais, e acompanhar o desfecho de cada conversa, ou ver quem vencera essa batalha de palavras.

Piers me conquistou quando soube exaltar a beleza interior de Linnet em um momento que sua auto estima estava abalada, ele foi todo amor ao cuidar dela.
Piers com sua franqueza escancarada carrega aquele humor negro, que consegue até arrancar alguns sorrisos, percebemos em seus gestos o grande coração que tem, quando aceitou seus sentimentos por Linnet percebe o quanto suas palavras a feriram.

Linnet foi corajosa, bondosa, inteligente, entregou seu coração a Fera, ele a deixou ver muito mais que sua armadura para não deixar ninguém chegar perto. Ela se preocupa com cada paciente de Piers, e ajuda da melhor maneira.

Um romance de época apaixonante sabe aquele livro que te conquista, te faz suspirar, assim que fecha o livro, já sente saudades dos personagens e quer reler, assim é Quando a Bela domou a fera.

O final do livro abalou minhas emoções, senti medo por Linnet, orgulho de Piers por se dedicar a salvar seu grande amor. Estou apaixonada pela capa do livro, e não vejo a hora de ler os demais livros da autora.

Joyce
Blog Livros Encantos


site: http://www.livrosencantos.com/2017/04/quando-bela-domou-fera-eloisa-james.html
comentários(0)comente



Zana 11/05/2017

Se trata de uma releitura e de personagem inspirado, mas paradoxalmente Quando a Bela Domou a Fera de Eloisa James carregou em si um frescor de ineditismo. A releitura é de um conto antigo e muito conhecido escrito em 1740 por Madame Gabrielle de Villeneuve - La Belle et la Bête (A Bela e o Monstro) e o personagem inspirado é o diagnosticador do Princeton-Plainsboro Teaching Hospital, do programa televisivo da Fox: o irascível, antipático e carismático Dr House.

Numa sacada inteligente Eloisa James conseguiu fugir do esteriótipo monstro feio e deformado inspirando sua Fera na personalidade do Dr. Gregory House, na sua perna lesionada e no seu trabalho de vida. O resultado disso foi o encaixe perfeito do ogro irascível em Fera. E a forma como fez o desenrolar da trama terminou por transferir da Bela para a Fera a mensagem implícita de sobretudo o amor e 'não o valor da aparência'.

Subtraído algo ali e transformado alguma outra coisa acolá resultou numa trama romântica, inusitada e divertida. O ponto alto ficando por conta do bem humorado sarcasmo dos personagens principais. Leia!
comentários(0)comente



57 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4