O canto mais escuro da floresta

O canto mais escuro da floresta Holly Black




Resenhas - O canto mais escuro da floresta


41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Fernando Lafaiete 11/10/2017

O Canto Mais Escuro da Floresta: Um livro que passa longe de ser até mediano.

Ler O Canto Mais Escuro da Floresta foi uma experiência decepcionante e irritante. Apesar de ser uma autora conceituada, Holly Black não me convenceu com sua escrita, com seus personagens e muito menos com o desenvolvimento aqui apresentado. Este livro possui problemas graves de narrativa que empobrecem o texto e subestima o leitor.

Nesta história Black constrói um mundo bem interessante. Conhecemos dois irmãos, Ben e Hazel. Ben é gay e sonha um dia em se apaixonar de verdade, de maneira arrebatadora. Hazel é uma garota que vive ficando com vários caras nas festas da escola, com o único objetivo de reafirmar sua existência. Ambos vivem em Fairfold, uma cidade cercada por uma floresta onde vivem criaturas mágicas. A magia é de conhecimento de todos da região e é nesta floresta que está situado um caixão de vidro, onde há anos hiberna um Príncipe fada. Este caixão nunca foi danificado e mesmo diante de várias tentativas, o tal ser adormecido nunca foi despertado. Estes aspectos mágicos, juntamente com este monumento enigmático, faz com que a cidade se torne uma das mais misteriosas e turística do mundo. O plot é bacana, mas o desenvolvimento é terrível!

O início do livro é bem imersivo e a contextualização da historia é bem inserida. Porém, a autora se perde em sua própria narrativa e fica evidente que ela não sabia o que queria escrever: Um livro infantil ou um livro juvenil. Holly Black cria uma situação no começo do livro que ocorre quando a protagonista tem 11 anos. Com o virar das páginas sabemos que já se passaram 5 anos desde que aquilo ocorreu. Vamos lá... Matemática básica: 11 + 5 = 16. Ou seja, esta é a idade da personagem central e eu deduzi que o irmão tinha entre 14 e 15.

Entretanto, as situações apresentadas oscilam de maneira palpável onde as atitudes dos personagens muitas vezes não combina com a idade dos mesmos. Em vários momentos eu parava para pensar: Eles são adolescentes ou são crianças? Eles tem 15/16 anos ou 10/12 anos? - Os diálogos são mal construídos e bem infantilizados. Esta indecisão criativa por parte da autora me incomodou demais e fez com que o encanto do começo do livro se perdesse com o virar das páginas.

As descrições do livro são pobres. A autora descreve tão mal que a floresta que deveria passar um ar mágico e envolvente, muitas vezes parece ser uma floresta qualquer. Não existe uma apresentação decente dos seres que ali vivem e tudo é colocado para o leitor de maneira tão supercial que o processo de leitura se torna (ou pelo menos se tornou pra mim) algo insosso. Os personagens coadjuvantes também não convencem e os supostos vilões do livro são mal criados, caricatos e não trazem relevância alguma para a história.

O desenvolvimento e apresentação dos mistérios e consequentemente a solução para eles, é bobo, infantil e sem graça. Se A autora da aclamada série Spiderwick tivesse escolhido escrever algo completamente infantil, o universo e tudo que o envolve de O Canto Mais Escuro da Floresta teria sido mais funcional. Mas esta oscilação prejudica a história de maneira a torná-la algo descartável, cansativo, além de deixar a sensação de tempo perdido.

Ouvi/li muita gente afirmar que neste livro a autora apresentaria um triângulo amoroso que envolveria os irmãos e o famigerado Príncipe adormecido. Eu não tenho muita paciência para triângulos amorosos, mas como nunca li nada que apresentasse (até onde lembro) um personagem bissexual que tivesse peso narrativo, fiquei bastante curioso para saber como este relacionamento seria desenvolvido. Ele ocorre? - Não! Então eu pergunto: Onde estas pessoas que dizem isso tiraram que existe este elemento aqui? Elas realmente leram a porcaria do livro? Eu me irrito demais com resenhas mentirosas. As resenhas deveriam ser todas informativas e honestas. Pois na minha humilde opinião, elas deveriam servir para ajudar outros leitores a se decidirem se lerão ou não determinado livro. Enfim... Eu não indico este livro devido a experiência ruim que ele me proporcionou. Mas se você é um leitor mais de boa e menos implicante, leia e tire suas próprias conclusões.

De qualquer maneira, ainda tenho interesse em outras obras da autora em questão. O próximo livro que ler dela definirá se ela entrará no grupo de autores que continuarei lendo, ou se ela será mais uma que riscarei definitivamente das minha lista de escritores. Boa sorte pra quem tem este livro como pretensão de leitura!
Miro 11/10/2017minha estante
Adoro tuas resenhas.


Isa 11/10/2017minha estante
Excelente resenha.
Então, esse livro está na minha lista de leitura a algum tempo, no entanto tenho observado que as resenhas sobre o mesmo tem sido bem negativas; claro que é sempre preferível ler a obra e tirar as próprias conclusões, até porque já li livros com apontamentos bem negativos de muita gente e eu acabei discordando e adorando.
O único livro de Holly Black que li foi A Menina Mais Fria de Coldtown e amei. Já estava nutrindo expectativas quanto a O Canto Mais Escuro da Floresta mas pelo visto... lerei um dia, mas foi para o fim da lista de prioridades.


Fernando Lafaiete 11/10/2017minha estante
Que bom que gosta Miro e que bom que também gostou Isa. Eu sou um leitor MUITO chato e exigente e achei a escrita da Black ruim e bem indecisa. Uma completa decepção! Espero que esta minha impressão fique somente nesse livro. Quero ler ainda a série Spiderwick e Boneca de Ossos. Esse livro que você citou Isa, também tenho interesse. :)


Esdras 11/10/2017minha estante
Aquelas resenhas que eu adoro.kkkkkk.
Olha, só de citar personagens infantilizados eu já desanimo. Tive esse problema na minha última leitura. Mas, enfim.
A premissa parece mesmo muito interessante mas a sua resenha já me fez decidir que não vou ler. rs.


Esdras 11/10/2017minha estante
Ah! Li Boneca de ossos. Até que achei bem legal. Os personagens são crianças, realmente! haha.


Fernando Lafaiete 11/10/2017minha estante
Kkkkk... Espero amar Boneca de Ossos. E que bom que neste livro a autora se decide por crianças de fato. Autores indecisos costumam me incomodar bastante.




Na Nossa Estante 24/09/2017

O canto mais escuro da floresta
O canto mais escuro da floresta foi meu primeiro contato com a escrita da Holly Black, a mesma autora de As Crônicas de Spiderwick – que, inclusive, tem o filme que vive passando em Sessão da Tarde e afins – e com as poucas informações sobre a história presentes na sinopse comecei a ler.

O livro conta a história dos irmãos Hazel e Ben, que nasceram e cresceram na pequena Fairfold, uma cidadezinha aparentemente perto da Filadélfia que sobrevive de turismo graças a um garoto com cifres que dorme em um caixão de vidro no meio da floresta – isso me deixou intrigada, mas o conceito de todo o livro é meio estranho, então eu prossegui lendo.

Fairfold não é nem de longe uma cidade normal. Para os turistas que vem de longe buscar informações e ver com os próprios olhos o garoto no caixão de vidro, tudo não passa de marketing da cidade. No entanto, os moradores do lugar sabem que as fadas e o povo feérico são reais e podem te ferir ou te enganar caso você não tenha cuidado. Não só eles, mas as pucas, espíritos da floresta, monstros, trolls. Ainda assim, a vida de todos segue um caminho normal até o garoto que dormia há anos naquele caixão acordar sem mais ou menos.

A escrita da Holly, mesmo sendo em terceira pessoa, fluiu maravilhosamente bem e li o livro muito rápido, imersa no mundo que a autora teceu em cada capítulo. A linha que ela delimitou entre fantasia e realidade dentro da história é finíssima, quase invisível. Hazel e Ben cresceram dentro desse mundo onde a magia existe e é perigosa – o próprio Ben foi abençoado por uma mulher férrica quando ainda era um bebê e cresceu com o dom da música, mas que caso ele não saiba usar pode se tornar algo ruim.

Eu costumo amar livros de fantasia que tem um fôlego só, no qual a história se desenrola e segue num bom ritmo entre ação, romance e mistério e O canto mais escuro da floresta me deu tudo isso, com o bônus de uma escrita fantástica, bem pensada e um enredo crível e bem construído. Os plot twists da Holly Black não me fizeram ter um ataque, mas me fizeram arregalar os olhos diversas vezes durante a leitura.

Além de tudo isso, a personagem principal é uma garota independente, forte e dotada de força para salvar a si mesma e os outros, o que eu achei incrível. Nada de sentar e esperar o garoto estranho do caixão de vidro salvar a cidade. Ela mesma levanta, pega sua espada e vai.

Não pude deixar de notar que a Holly é o tipo de autora que não costuma focar nos personagens secundários, mas ainda assim eles são presentes, importantes e bem construídos e sólidos dentro da história, como o Jack, par romântico da Hazel.

Terminei o livro satisfeita com tudo – principalmente com o final – e não posso deixar de pensar nos outros livros da autora que não tive a oportunidade de ler, mas que agora entraram na minha lista de prioridades.

site: http://www.oquetemnanossaestante.com.br/2017/09/o-canto-mais-escuro-da-floresta-resenha.html
comentários(0)comente



Universo de utopia 02/09/2017

Universo de utopia
Universo de Utopia
31/07/17
O Canto mais Escuro da Floresta - Holly Black


A Galera Record simplesmente caprichou nesse livro deixando fofo e muito lindo, não só pela sua capa encantadora, mas também por sua contracapa que é ainda maravilhosa. Confesso que esse exemplar era desconhecido por mim, e quando o recebi através da caixa do Turista Literário logo o admirei, o trabalho da editora foi impecável e amo muito a escrita da Holly Black, principalmente ?As Crônicas de Spiderwick?, então iniciei com muita expectativa.

A narrativa se passa na cidadezinha de Fairfold, onde as vidas dos humanos e das fadas sempre se cruzam e tudo se concentra no garoto de chifres que descansa num caixão por décadas, na floresta. Todo turismo gira em torno da magia e os mistérios que reserva esse cenário, e muitas vezes alguns deles até desaparecem.

Somos apresentados aos irmãos Hazel e Ben, que durante toda infância viviam a caçar monstros na Floresta e conheciam todos os perigos a que estavam expostos e a principalmente não aceitar, nem fazer acordo com as fadas. Numa espécie de recontagem do conto João e Maria, eles tem seu jeito peculiar de caçar as criaturas. Ben com sua maldição ou dom da música que reflete seuss sentimentos, e Hazel, uma espécie de cavaleiro, que se sente inútil por ser tão normal, ao tempo que é muito boa com espadas.

Os mistérios não param e os maus presságios toma conta de Fairfold, aterrorizando a todos seus habitantes e principalmente nossos protagonistas quando o príncipe simplesmente desapareceu, e tudo que lhe foi confiado podem ser usado contra os irmãos, ou, não.

A vida normal e as preocupações de adolescentes ficam de lado quando um terrível monstro põe em risco o destino de todos. Quais segredos são possíveis guardar? Alguma lenda antiga pode ajudá-los a resolver os mistérios ocultos? Em quem confiar?

A escrita da autora é leve, fluída e simples, na qual fantasia, muito folclore e temas profundos da atualidade se fundem nesta história. Seus personagens são repletos de significados, exalam amor, amizade, companheirismo e principalmente a culpa dos seus atos, mas o livro não me prendeu a ponto de ficar fascinada por ele. O trabalho é bom, mas eu não recomendaria!

Veja o Booktrailer e os outros itens que vieram junto com o livro.
comentários(0)comente



Fernanda.Granzotto 26/08/2017

Este é um daqueles livros que são difíceis de dizer se eu gosto ou não.
3,5 estrelas
Eu decidi fazer uma lista das coisas que eu gostei:
- A escrita do autora
-Jack
-Jack é a Hazel como um casal
-Hazel (na maioria das vezes)
- a atmosfera do livro (enquanto eu lia, me senti completamente envolvida e dentro da história)
- o fato de que ninguém é totalmente perfeito, todos os personagens têm falhas
- a maneira como a história foi sendo revelada à medida que você a lê

Coisas que eu não gostei sobre este livro:
-Ben (na maioria das vezes)

No final, acabei gostando deste livro muito mais do que eu pensei que iria
comentários(0)comente



18/08/2017

Encantador, Mágico, Surpreendente...
Já começo essa resenha dizendo que adorei o livro, e, se não fosse pelo inicio, teria dado as 5 estrelas devidas.
O livro demora para começar, demorei cerca de 100 páginas para embarcar na leitura mas antes disso foi uma verdadeira tortura para mim. O livro além de ser lento demais no início a gente começa a ler a história sem entender nada, pelo menos comigo foi assim pois não leio atrás antes de começar uma leitura.
Em compensação, depois que ele começa a desenrolar não dá mais para parar de ler. Eu não conseguia soltar o livro sempre que estava em casa ansiosa para saber o que aconteceria em seguida. Achei a construção dos personagens muito boa, dava para visualizar todas as características físicas.
Na minha opinião é um livro que foge totalmente dos cliclês, não tem nada nesse livro que eu esperava que acontecesse. A escrita da autora é ótima, me surpreendi pois foi o primeiro livro dela que li e pretendo ler outros dela.
Hazel é uma menina forte, corajosa e especial. Ben é um menino frágil, gentil e amoroso. A combinação perfeita!
O livro traz a importância da relação entre irmãos, dos segredos que as vezes escondemos das pessoas que amamos e as consequências disso. Recomendo esse livro para todos que, assim como eu, adoram um livro de fantasia!
comentários(0)comente



vinicius.fagundes.93 10/08/2017

O Canto Mais Escuro da Floresta
O Canto Mais Escuro da Floresta é uma fantasia stand alone, escrito por Holly Black, autora das Crônicas de Spiderwick e de A Menina Mais Fria de Coldtown, e publicado pela Galera Record em 2017. O livro se passa na cidade de Fairfold, onde os humanos existem lado a lado com o misterioso povo das fadas. Graças a magia intrigante dos fae, Fairfold recebe muitos turistas, principalmente o garoto de orelhas pontudas e chifres que dorme em um caixão de vidro nas entranhas da floresta.

Dois jovens moradores da cidade, Hazel e seu irmão Ben, são fascinados pelo garoto desde crianças, quando costumavam criar histórias sobre a identidade do garoto, fingindo ser heróis em aventuras fantásticas. A medida que cresciam, as histórias começaram a perder a graça, já que provavelmente o garoto jamais acordaria. Tudo isso muda, quando de repente, ele acorda.

Vendo o seu mundo virado de cabeça pra baixo, e o convívio entre humanos e faes se tornando cada vez mais conturbado, Hazel e Ben precisam se tornarem os heróis que fingiam ser quando eram crianças para salvarem tanto os seus amigos e familiares quanto o misterioso garoto.

Se eu tivesse um ano, eu ainda não conseguiria explicar pra vocês o quanto eu tava ansioso pra ler esse livro. A Menina Mais Fria de Coldtown foi um dos meus livros favoritos dos últimos anos, então quando eu fiquei sabendo que a Record ia trazer O Canto Mais Escuro da Floresta, eu tive que me segurar pra não correr pra uma livraria e já ficar esperando o livro. E olha, fico muito feliz em dizer pra vocês que toda essa espera valeu a pena.

O ponto mais forte da Holly Black como escritora pra mim é como ela consegue criar essas histórias cheias de world building e elementos fantásticos dentro de apenas um livro. Por mais que eu gostaria de ver mais livros centrados no mundo de O Canto Mais Escuro da Floresta (e de A Menina Mais Fria de Coldtown também), é muito legal ver uma autora entregar uma história complexa, centrada em um mundo fantástico, com personagens fortes, e sem precisar cortar a história no meio, pra garantir plot pra continuação.

Outra coisa que eu amo nos livros dela é esse contraste entre o mundo fantástico e o real. Em Coldtown, era o mundo sobrenatural dos vampiros com a mídia do nosso mundo. Agora, é o mundo fantásticos das fadas com as normas e os preconceitos do nosso mundo. Além de fazer alguns paralelos interessante, isso cria situações bastante originais. Afinal, se essa história acontecesse de verdade, duvido que eu não estaria na fila dos turistas visitando o menino de chifres dormindo em um caixão de vidro.

No que se trata dos personagens, Hazel e Ben são muito bem escritos. O relacionamento dos dois é bem interessante porque apesar de serem próximos e gostarem muito um do outro, fica claro na história que eles são pessoas diferentes, e isso acaba causando conflitos bem realistas entre eles. Esse é outro ponto que me agrada muito nos livros da Holly Black, os relacionamentos entre os personagens sempre parecem muito reais.

Os outros personagens são muito bons também, apesar de Hazel e Ben serem de longe os personagens mais importantes. Os amigos de Hazel e Ben, Jack e Carter, são ótimos personagens de apoio, e a backstory dos dois é super interessante. O garoto do caixão de vidro também é um personagem legal, mas eu não posso falar muito dele, porque entregaria muito da história.

Mas o foco principal da história realmente é Hazel e Ben e o mundo das fadas. E isso acaba levando ao único ponto do livro que me incomodou. Os romances da história me pareceram bastante arbitrários. A impressão que dá é que a autora escreveu a história, e em algum momento da edição pensou que a história precisava de romance, e voltou e acrescentou algumas cenas de romance no livro. Não é o tipo de romance que me agrada, porque eu simplesmente não senti conexão nenhuma entre os participantes.

No geral, O Canto Mais Escuro da Floresta foi uma leitura muito satisfatória, mas que não atingiu as minhas (admitidamente altas) expectativas. A atmosfera de fantasia, a escrita maravilhosa e os personagens mais do que compensam o romance meio bleh e o começo um pouco devagar. Não superou A Menina Mais Fria de Coldtown na minha opinião, mas ainda sim, outro livro incrível da Holly Black.

site: http:// laoliphant.com.br/resenhas/o-canto-mais-escuro-da-floresta-por-holly-black
comentários(0)comente



Marina 03/08/2017

Uma fantasia com uma escrita pré adolescente. Começa a ficar bom na pagina 100, engrena mesmo depois da 150. Uma historinha bonitinha, com aventura e romance. Não é o meu tipo favorito de leitura, mas com certeza não é ruim. Como lado positivo está a abordagem do homosexualismo em vários personagens, como algo corriqueiro e normal, sem alarde.
comentários(0)comente



Verônica 30/07/2017

O canto mais escuro da floresta (Holly Black)
Este livro foi publicado pela Galera Record em 2017 e foi escrito por Holly Black, que ficou famosa por ter escrito as Crônicas de Spiderwick. A capa, como eu disse, é maravilhosa e ainda tem um detalhe incrível na parte interna que é a continuação do desenho por dentro da orelha do livro.

Além disso, logo no inicinho do livro podemos encontrar diversas menções a histórias conhecidas como a Bela e a Fera e Doctor Who!

∴ História ∴


Hazel e seu irmão Ben moram na cidade de Fairfold, uma cidade fantástica onde humanos e fadas convivem em harmonia há um longo tempo. No meio da floresta que cerca a cidade existe um caixão de vidro onde um belo menino está adormecido. Ele possui chifres e orelhas pontudas e está ali desde que os moradores da cidade conseguem se lembrar (tanto que já é considerado por muitos um atrativo turístico local). Desde pequenos, Hazel e seu irmão costumavam frequentar a clareira onde estava o caixão e lá criavam inúmeras histórias sobre o garoto dentro dele.

Acesse o meu blog para conferir a resenha completa!

site: https://veronicamichetti.wordpress.com/
comentários(0)comente



Resenha Atual 10/07/2017

Resenhado por Ingrid
Os irmãos Hazel e Ben vivem em uma pequena cidade chamada Fairfold, os moradores têm vivido pacificamente com povo da fadas, mas não podemos dizer o mesmo dos turistas que surgem de todos os lugares para explorar a floresta e testa a sorte. Infelizmente essas criaturas místicas não são conhecidas por sua bondade, muitos turistas desaparecem, perdem suas cabeças são amaldiçoados ou devorados por criaturas da floresta. Mas independente disso as pessoas não param de surgi, afinal, todos estão curiosos para conhecer o garoto de chifres, ele esta adormecido por séculos em um caixão de vidro.

Hazel e Ben sempre contavam histórias desde que eram pequenos para o menino de chifres. Como poderiam acordá-lo? E como seria se isso acontecesse? Ele era o príncipe deles, e quando ninguém estava olhando, contavam seus segredos, seus sonhos, algumas pessoas até mesmo cantavam para ele, dançavam encima do caixão, beijavam e alguns já tentaram quebrá-lo mas não terminou nada bem. Anos se passaram agora Hazel e Ben são adolescentes, eles desistiram de inventar história e correr atrás de aventuras.

Hazel é uma garota forte e corajosa, mas que esconde muitos segredos, ela é conhecida por beija todos os garotos e parti seus corações, mas ninguém sabe o porque. Ben e conhecido como um garoto covarde, mas que toca instrumentos musicais como ninguém, ele sempre quis ser amado por alguém, mas não teve muita sorte, e com á musica também não. Jack e o melhor amigo de ambos um cara divertido mas reservado, ele tem um irmão gêmeo chamado Carter, o problema e que Jack e um changeling (quando uma criança e trocada por outra, trazida pelo povo das fadas), mas a mãe de Carter percebeu á tempo que não era o filho verdadeiro, e conseguiu que as fadas o trouxessem de volta, o certo seria ela devolver o changeling, mas ela desafiou o povo e disse que cuidaria dos dois.

Dias depois de muita bebida e festa em volta do caixão de vidro ( lembrando que era comum os humanos fazerem isso), a escola não falava de outra coisa a não ser que o garoto de chifres havia finalmente se libertado, seu caixão estava quebrado e seu corpo não estava mais lá! Mas quem tinha feito aquilo? E como? Logo após a libertação do príncipe coisas estranham começam a acontecer, Fairfold corre grande perigo! O monstro da floresta atravessou a fronteira da cidade, mas por que? Quem e o responsável por isso? O rei das fadas? O garoto de chifres? A questão é como Hazel, Ben e Jack vão resolver isso? O amigo de ambos e realmente confiável?

O canto mais escuro da floresta me surpreendeu de todas as formas possíveis, á escrita de Black e rápida e fluida, li o livro em dois dias! O enredo tem bastante detalhe são vários elementos mágicos e diversas criaturas. A trama ter um ar de mistério e aborda temas como: sexualidade, musica, romance e laços familiares. O interessante e que ritmo da leitura não para, sempre esta acontecendo alguma coisa, no decorrer da paginas a história vai evoluindo e depois vêm as revelações, e como uma quebra cabeças, senti bastante empolgação das descobertas.

Hazel é uma personagem incrível, o grande destaque no livro! Ela é muito corajosa e destemida, ao mesmo tempo em que parece existe uma crueldade dentro dela, existe também um coração bondoso e gentil, Ben e extremante doce e romântico, sua personalidade cativa o leitor, ele e divertido, inteligente, acolhedor e um personagem Gay, não vou contar com quem cada um se relaciona, mas já digo logo que amei apesar de não existe tanta química assim, ao menos da parte de Hazel. O relacionamento entre os irmãos e inspirador, lindo e tocante de todas as maneiras, eles fazem tudo um pelo outro desde pequenos. Não sei o que dizer sobre o Jack, para mim ele é um personagem comum e nada surpreendente, mesmo sendo um changeling.

O único ponto negativo da obra são os clichês, mas nada que atrapalhe de verdade á história, digamos que 85% do livro você não sabe o que espera, como citei acima, Black me surpreendeu de varias maneiras, mas nem por isso podia falta os clichês não é mesmo? A escrita e em terceira pessoa então o leitor consegue se aproximar de todos os personagens, ela intercala entre um e outro, alguns capítulos ela volta no passado o que na minha opinião foi muito necessário. Enfim livro mais que recomendo. Uma boa leitura para vocês.


site: https://resenhaatual.blogspot.com.br/2017/04/resenha-o-canto-mais-escuro-da-floresta.html
comentários(0)comente



thais.moore 28/06/2017

Uma grata surpresa
Confesso que iniciei essa leitura com um pé atrás, achava que ia ser uma história muito infantil, mas tive uma grata surpresa ao gostar da leitura. Á leitura flui rápido pq é uma pancada atrás da outra rs.

A leitura conta a história de 2 irmãos
( Hazel e Ben) que moram em uma cidade chamada Fairfold, nessa cidade humanos e seres mágicos vivem em harmonia . Muitos turistas vao ali na cidade pra conhecer seus encantos e principalmente pra conhecer um menino com chifres que dorme dentro de um caixao de vidro a anos. Á partir daí muitas aventuras vao acontecer com esses seres e esses humanos .

A história flui muito rapidamente pq por ser livro único e curto é uma revelação atrás da outra . Os personagens não são muito explorados, mas mesmo assim recomenrdo a leitura pra quem quer algo rápido e que te prende até o final.
comentários(0)comente



Ana 23/06/2017

Apesar de ser reconhecida principalmente por sua série As Crônicas de Spiderwick (que, inclusive, nunca tive interesse de ler), Holly Black é uma autora de muito potencial: escreve extremamente bem e é super criativa. Prova disso é O Canto Mais Escuro da Floresta, uma mistura de fantasia com YA que prende do início ao fim.

Aqui, conhecemos a história de Hazel e Ben, que moram em Fairfold, uma cidadezinha turística repleta de magia, onde humanos e criaturas místicas convivem em perfeita harmonia. A maioria dos turistas querem dar uma conferida na maior "atração" da cidade: um jovem de chifres e orelhas pontudas que está em sono profundo em um caixão de vidro, no meio da floresta. Até aqui, tudo bem. Eis que começam a acontecer coisas esquisitas em Fairfold a partir do momento que o garoto acorda, sem nenhuma explicação.

Apesar de parecer um pouco infantil inicialmente, a história contada por Holly Black é muito legal e divertida. A escrita da autora é envolvente demais e o fato de os personagens serem jovens na casa dos 17 anos faz com que o enredo, apesar de toda a magia envolvida, deixa tudo muito mais maduro. Os personagens são muito diversificados, tendo desde pessoas abençoadas por fadas, como Ben, até changelings vivendo como um humano normal, como Jack, cada um com uma personalidade incrível e bem trabalhada.

Algo que me agradou bastante em O Canto Mais Escuro da Floresta foi a dinâmica entre Hazel e Ben, que cultivam uma cumplicidade desde que eram criancinhas. O mais engraçado é que cada um é importante à sua maneira, mas ambos têm um pouquinho de inveja do que o outro é, então acabam guardando muitos segredos que geram alguns conflitos durante a história. Eu não tenho irmãos de sangue, mas imagino que esse tipo de coisa acaba acontecendo em um momento ou outro, não é mesmo?

A história em si é muito simples, mas é impossível não deixar a curiosidade da gente bem atiçada. Há várias reviravoltas na trama, bem típicas de livro de fantasia, mas nada muito surpreendente — o que não é necessariamente um ponto negativo, ok? Além disso, Holly Black inseriu um tema bastante atual no livro, a sexualidade. Pode parecer bobagem, mas é muito bom ter essa representatividade na literatura. Eu acredito que esse tipo de situação deixa a leitura muito mais interessante e dinâmica.

O Canto Mais Escuro da Floresta é a opção perfeita para quando queremos sair daquela ressaca literária que está durando meses, ou até mesmo quando estamos a fim de ler alguma coisinha mais leve. Holly Black sempre escreve de forma deliciosamente fluida, o que facilita muito as coisas, independe do momento.

site: http://www.roendolivros.com.br/
comentários(0)comente



Eu Pratico Livroterapia 20/06/2017

O canto mais escuro da floresta
"Ao fim de um caminho na floresta, depois de um riacho e de um tronco cheio de tatuzinhos-de-jardim e cupins, havia um caixão de vidro. Deitava-se sobre o chão e dentro dele dormia um menino que tinha chifres na cabeça e orelhas pontudas como facas."
Quem acredita em fadas e magia? Se você respondeu sim, bem que poderia morar em Fairfold lugar onde a magia é bem real e convive com o mundo real tão próximo quanto possível. Só que a magia na maioria das vezes é mais nociva do que mostram nos contos de fadas.

Hazel e Ben Evans, desde crianças escutam sobre os seres fantásticos e lendas das quais todos que nasceram em Fairfold conhecem. E assim como qualquer pessoa, são fascinados pelo garoto de chifres. Passam horas diante de seu caixão de vidro, contanto historias , seus medos e até mesmo declarando suas paixões .
"A comida era mais gostosa em Fairfold, as pessoas diziam, porque era temperada com feitiços. Os sonhos eram mais vívidos. Os artistas mais inspirados, e seus trabalhos, mais belos."
Os irmãos passam a infância adentrando a floresta em busca de aventuras, enquanto Ben encanta os seres com sua melodia mágica, concedida por um ser mágico quando estava com sua mãe na floresta, Hazel empunha sua espada e mata os seres malignos que ousam cruzar seu caminho.

Agora adolescentes, Ben e Hazel depois que algo acontece, não enfrentam mais os perigos da floresta sombria de Fairfold e tentam levar suas vidas tão normais quanto possível.

O melhor amigo de Ben, um changeling um bebê que é deixado pelas fadas no lugar do verdadeiro, Jack não gosta que seus amigos se envolvam com os seres mágicos, pois ele melhor do que ninguém sabe o quanto são vingativos e traiçoeiros.
Acontece que Hazel guarda um segredo, e em breve os seres virão para cobrar o preço do acordo que fizera com eles.
"Sete anos para pagar o que está a dever. tarde demais para se arrepender."
E tudo só piora quando o garoto de chifres some do caixão. A cidade, que ganha muitos turistas para visitar o lendário ser adormecido, se transforma no caos, ainda mais quando o sumiço dele coincide com corpos de adolescentes aparecendo pela floresta sem vida. A escola e a cidade, usam todo tipo de amuleto para se protegerem dos seres da floresta, que parecem não terem gostado muito do fato do garoto de chifres ter sumido.
"Há um monstro em nossa floresta
E ele irá te pegar se você não se comportar
Irá te arrastar por folhas e galhos
Te castigar por todos os malhos
Partidos teus ossos e cortadas suas asas
você nunca, nunca mais voltará para ..."
E Hazel tem a leve sensação de que foi ela quem o acordou, pois no mesmo dia que o corpo some, ela acorda em sua cama com a camisola enlameada cheia de grama e pequenos cacos de vidro, sem sequer lembrar de nada.

E agora? Como ela irá resolver tudo isso? Será que o garoto de chifres realmente é tão mau quanto dizem? Agora ela terá que revelar seu acordo a Ben, e também esconder sua paixão por Jack se quiser que ele a ajude e juntos terão que desvendar os mistérios de Fairfold e ter em mente que nem tudo é o que parece ser...

Particularmente não gosto de livros de fantasia, porém essa leitura me surpreendeu e me conquistou logo nas primeiras páginas. É um livro que tem aventura, magia, romance, comédia, suspense, tudo na medida certa, e o que é melhor : é livro único. Super indico a leitura, tenho certeza que irão gostar.



site: http://www.eupraticolivroterapia.com.br/2017/06/o-canto-mais-escuro-da-floresta-holly.html
comentários(0)comente



The 19/06/2017

Dois Irmãos e Muitas Fadas
Hazel e Ben são uma dupla de irmãos com pais hippies e morando numa cidade onde fadas e elfos são coisas normais. O povo, como são chamadas as fadas, dividem Fairfold com os humanos, que teoricamente sabem como lidar com eles. De vez em quando uns turistas somem, mas se um habitante some também as pessoas dizem que este devia ter feito alguma coisa errada, ter agido como turista. A cidade tem uma atração turística incomum, um menino de chifres dormindo em um caixão de vidro em uma clareira na floresta. Quando Hazel e Ben eram pequenos viviam soltos pela floresta, conversando com o menino dos chifres e criando histórias sobre ele, além disso os irmão combatiam as criaturas do povo que faziam mal aos homens, a menina era a cavaleira e o menino o tocador. Quando ambos cresceram muitos segredos se instalaram entre eles, no entanto a libertação do menino de chifres trará muitas explicações a tona e reunirá os irmão novamente.
O começo do livro é um pouco lento mas depois melhora bastante, no final é um livro legal de se ler. Tinha muita curiosidade sobre a escrita dessa autora, no final achei boa, mas não espetacular, talvez outros livros dela me agradem mais. O trabalho gráfico deste livro é bem bonito, mas a sinopse da uma ideia um pouco infantil que não é de todo verdade mas também não é uma mentira total.
O livro tenta incluir pontos relevantes de discussão e consegue mesmo sem grandes aprofundamentos. O uso do folclore das fadas é interessante.
comentários(0)comente



Gabriela 15/06/2017

Ao ler a sinopse, achei que fosse um pouco mais infantil, com essa história de dois irmãos que são fascinados por um príncipe adormecido (que depois acorda), com fadas e tudo mais. Mas ele é não é infantil, é mais pro lado adolescente mesmo. Então, não é uma leitura recomendada para crianças, pois tem uns adolescentes se pegando por aí.

Também comecei achando que Hazel fosse mais fútil e inconsequente e o irmão dela, Ben, um sem graça. Porém, a gente vai conhecendo mais cada um, entendendo seus medos e motivações e é cativado por eles. Gostei da construção e evolução dos personagens, incluindo Jack também.

Também gostei bastante desse laço entre os irmãos, estão sempre tentando proteger e apoiar o outro, mas, ao mesmo tempo, ninguém é perfeito. Aliás, não só a relação entre Ben e Hazel, mas entre Jack e Carter também. Adorei o fato de que é um livro único, no tamanho certo, sem embromação, com ação e mistério na medida certa. Eu não consegui adivinhar o segredo de Hazel com o povo das fadas, nem o autor dos recados que ela recebeu.

Foi uma leitura divertida, com inspiração no folclore europeu sobre fadas, mas em uma mistura que a autora fez dar certo. Como disse, é bem adolescente, mas gostosinho de ler. Uma boa distração para um fim de semana.

site: https://bibliomaniacas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Helen Chiapetti 06/06/2017

Era uma vez "uma cavaleira" e um Elfo... um menino e um príncipe...
Era uma vez uma menina que queria ser cavaleiro e um menino com o dom da música. Juntos eles eram invencíveis... ao menos até o ponto em que toda criança o é.
Os irmãos Hazel e Ben cresceram em uma cidade rodeada por uma floresta encantada, onde habitavam diversos seres mágicos, bons e maus. Em meio à tenologia do século XXI e os encantos de um lugar mágico, Ben e Hazel são dois adolescentes, porém nada comuns. Moram em uma cidade onde humanos e povo das Fadas convivem pacificamente. Ao menos com relação aos nascidos ali, já não se pode dizer o mesmo dos turistas que visitam o lugar.
Desde pequenos os irmãos brincavam de matar monstros e sonhavam em libertar o príncipe encantado do esquife de vidro.. sim! Havia um menino de chifres preso em um caixão de vidro, em meio às árvores, que dormia por muito e muito tempo... sempre estivera ali... porém um dia, não estava mais.
E foi aí que tudo começou, ou melhor, começou a fazer sentido para os irmãos. Afinal, sempre sonharam em libertar o menino de chifres e agora ele estava entre eles. Os seres da floresta então passaram a caçar o menino e eles não sabiam muito bem se podiam ou não confiar nele.
Em meio ao desabrochar de uma paixão adolescente de Hazel pelo melhor amigo de seu irmão, ela descobre segredos sobre si mesma que não fazia ideia. Ao mesmo tempo, seu irmão se deixa envolver pela paixão infantil que nutria pelo príncipe, mas se acha um tolo, afinal, o príncipe das fadas jamais se interessaria por um adolescente desengonçado.
A estória é cheia de segredinhos e faz você ficar curioso com o desfecho. Um conto leve e com vários conflitos adolescentes. O Canto mais Escuro da Floresta é de leitura fácil e solta... vale a pena conferir.


site: https://www.instagram.com/mugsandbooks/
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3