O canto mais escuro da floresta

O canto mais escuro da floresta Holly Black




Resenhas - O canto mais escuro da floresta


44 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


MMs 07/04/2017

Razoável
O livro tem muitos problemas de revisão. Além disso, há denominações do mundo das fadas que simplesmente nao sao explicadas ao longo do livro. A capa é bonita, mas a escolha das fontes e tamanhos sao estranhas. Trata de temas interessantes para um adulto (uma analise do passado infantil) mas é, definitivamente, escrito para adolescentes... em algumas partes era possivel imaginar nitidamente o diálogo como se tivesse saído de um filme da sessao da tarde. Tinha grande expectativa...mas achei marromeno.
comentários(0)comente



Dri @oasisliterario 08/04/2017

Um conto de fadas peculiar e cativante.
"O Canto Mais Escuro da Floresta" nos apresenta a história dos irmãos Hazel e Ben Evans, moradores da cidade Fairfold, um local que serve de moradia a humanos e seres míticos.
Os humanos de Fairfold sempre acreditaram em um mito envolvendo um garoto com chifres que dorme profundamente em um caixão de vidro no meio da floresta e serve de atração turística na cidade.
Ben e Hazel sempre foram muito fantasiosos e, justamente por isso, criaram história fantásticas envolvendo fadas, monstros e o príncipe de chifres que dormia no caixão. Sempre protegendo um ao outro, os irmãos partiam em busca de grandes aventuras na floresta.
Tudo muda quando o príncipe com chifres acorda de seu sono profundo e causa uma reviravolta em Fairfold. Com a ajuda de Jack, um changeling ("criança trocada"), os irmãos decidem ajudar o príncipe de suas histórias da infância.
O que a floresta e seus seres míticos reservam a eles? Jack é realmente um ser mítico bom?
Entre fábulas e mitos sobre os seres da floresta, Holly consegue cativar o leitor e mantê-lo curioso durante todo o livro, apresentando uma narrativa carregada de emoção e descobertas.
Com personagens muito bem construídos, a autora conseguiu demonstrar o forte laço entre os irmãos, sendo Hazel a cavaleira audaciosa e Ben seu defensor indomável. Holly soube também explorar temas como a homossexualidade sem impor estereótipos. Ao abordar a sexualidade de Ben de uma maneira tão natural, Holly fez com que o personagem se tornasse o mais humano na história, afinal, com todas as suas inseguranças e desejos, Ben evolui graciosamente ao longo da narrativa.
Ao ler "O Canto Mais Escuro da Floresta", tive a sensação de estar lendo um conto de fadas. Não um conto de fadas qualquer, mas um conto único, com seus altos e baixos, aventuras fantásticas, reviravoltas deslumbrantes e desfecho magnífico.
Indico o livro a todos os leitores que apreciam um livro de fantasia para escapar um pouco da realidade, afinal, o universo criado por Holly é tão incrível que nos faz querer entrar no livro e viver com as fadas.

Link: https://www.instagram.com/p/BSpM34oDOna/
comentários(0)comente



thais.moore 28/06/2017

Uma grata surpresa
Confesso que iniciei essa leitura com um pé atrás, achava que ia ser uma história muito infantil, mas tive uma grata surpresa ao gostar da leitura. Á leitura flui rápido pq é uma pancada atrás da outra rs.

A leitura conta a história de 2 irmãos
( Hazel e Ben) que moram em uma cidade chamada Fairfold, nessa cidade humanos e seres mágicos vivem em harmonia . Muitos turistas vao ali na cidade pra conhecer seus encantos e principalmente pra conhecer um menino com chifres que dorme dentro de um caixao de vidro a anos. Á partir daí muitas aventuras vao acontecer com esses seres e esses humanos .

A história flui muito rapidamente pq por ser livro único e curto é uma revelação atrás da outra . Os personagens não são muito explorados, mas mesmo assim recomenrdo a leitura pra quem quer algo rápido e que te prende até o final.
comentários(0)comente



Mari Imaginária 15/11/2017

Costumo dizer que tem vezes que não somos nós que escolhemos um livro, tem livro que escolhe a gente. Esse foi o caso desta vez. Bati o olho no título, na capa, li uma resenha, e nem pensei duas vezes em querer ler. Depois pensei ter me precipitado e quase me arrependi de ter gasto meus créditos do skoob nele... rs Mas olha... me surpreendeu!

O livro conta a história da jovem Hazel e seu irmão Ben, nos dias atuais, que moram numa cidade habitada também por seres mágicos viventes na floresta. Não vou contar a história pois a sinopse já diz bastante, e não gosto de spoiler. Minhas "resenhas"são mais um impressão pessoal mesmo.

No início tive a impressão errada de que o livro não iria me prender, mas bastaram algumas páginas pra eu ficar completamente grudada no livro. Li bem rapidinho, em 3 dias, pois a escrita é simples e fluida. Os personagens secundários são muito bons. E a trama tem várias nuances, se desenrola no tempo certo, e nos presenteia com surpresas muito bem amarradas!

Só achei q a história se estendeu umas poucas páginas a mais, o que nem precisava. Mas isso não mudou minha opinião: amei! Pra quem curte YA de fantasia, é um prato cheio e saboroso!
comentários(0)comente



Bob 05/06/2017

O canto mais escuro da floresta
Uma história de fantasia,com fadas,duendes e muito folclore...
No meia dessa mirabolante fantasia,encontramos também duras realidades na vida de crianças, que recorrem ao mundo da imaginação para enfrentar a dura realidade de suas vidas.
Um livro dinâmico, cheio de aventuras que não chega a empolgar e nem faz você se apaixonar pelos os personagens, mas que serve para você esquecer um pouco seu mundo real.
Um livro bom...Mas não recomendaria
comentários(0)comente



Lauddox 15/04/2017

Consegue sentir a floresta?
Nesta obra de Holly Black somos transportados para uma cidade pequena chamada Fairfold que, diferente de qualquer outra, possui a presença de fadas. Sim, fadas. E não são aquelas legais como a Tinker Bell. São traiçoeiras, pregadora de peças, famintas, inconfiáveis. Nela, vivem nossos heróis, Hazel e Ben, estes que já conhecem mais do que gostariam da floresta e das criaturas que nela habitam.
Ah, e temos o garoto no caixão de vidro. Belo, com orelhas pontiagudas e chifres, este garoto está adormecido desde sempre e atraía tanto turistas quanto os próprios moradores.
Até que ele acorda.
Hazel e Ben se veem em uma série de desventuras desde que ele desperta, que afetam tanto a si próprios quanto alguns moradores. Juntos, eles vão lutar contra um perigo maior e contra segredos que viriam à tona.

__

Torno-me suspeita ao falar de Holly Black pois sou apaixonada pela sua escrita, tanto que outra obra sua, A Menina Mais Fria de Coldtown é meu livro favorito (mas perdeu seu lugar para este). Quando recebi este livro fiquei apaixonada pela capa e pela sinopse, cheia de mistério e tanto para oferecer.
E não me decepcionei.
A narrativa e descrição de Holly é tão envolvente e única que te faz sentir o cheiro da floresta, o medo dos personagens, suas aflições e mesmo a narrativa sendo em 3° pessoa.
A autora conseguiu construir e ampliar a noção sobre o termo "fadas" neste livro, fazendo uso do que muitos já conhecem como algo totalmente novo e curioso. Sem mencionar a construção de cada personagem (Destaque para Hazel, muito corajosa e forte, mas com algumas atitudes meio chatas que a faz bem peculiar de qualquer outro personagem heroico) e de sua história, onde ela narra momentos do passado e do presente, os personagens em seus momentos de tensão ou glória. Você simplesmente não consegue parar de ler, não consegue largar o livro, porque quer saber tudo, quer respostas, quer mais e mais! Simplesmente mágico.
Recomendo para todos sem hesitar um segundo.

site: Instagram.com/ameninaeolivro/
comentários(0)comente



Dani 11/04/2017

Livros & Café
Fui surpreendida com um "presente" enviado pela Galera Record semana passada. Eles enviaram uma caixa, cheia de folhas secas, acompanhada de um vidro com um perfume maravilhoso e, é claro, um livro... Fiquei bem feliz por ter recebido o livro, acompanhei as publicações da editora sobre o lançamento e fiquei muito ansiosa para ler o novo livro da Holly Black. Este não é o meu primeiro contato com a autora, já tinha lido um outro livro dela e tinha ficado encantada com a escrita da Holly e com a história que ela desenvolveu. Hoje trago para vocês a resenha de O canto mais escuro da floresta.
O livro contará a história de dois irmãos, Hazel e Ben e dos moradores da cidade de Fairfold. Esta cidade não é igual as outras, o povo dessa pequena cidadezinha divide espaço com o povo das Fadas. O Povo vive na floresta que cerca Fairfold. Eles vivem de maneira pacifica com os humanos. A cidade sempre viveu cheia de turistas que iam até o local atraídos pela magia que existe ali, pelas histórias sobre O Povo e, também, por um garoto de chifres e orelhas pontudas que dorme em um caixão de vidro. Por séculos ele permaneceu no mesmo lugar, adormecido... Até que chega um dia em que ele acorda.
Ninguém da cidade sabe como o garoto acordou ou quem o acordou. Quando ficam sabendo da notícia, Hazel e Ben saem em busca do garoto de chifres, porém, no caminho para encontrá-lo, eles enfrentaram perigos que eles não imaginavam.

Desde que li A menina mais fria de Coldtown, já sabia como era a escrita de Holly Black. Ela tem uma escrita envolvente, que prende o leitor desde o começo do livro, o instigando a continuar a leitura até ter chegado ao final do livro. Ela introduziu muitos seres fantásticos, tornando o livro cada vez melhor. Os personagens são muito legais. Gostei muito da relação entre os irmãos, seus motivos para protegerem um ao outro... é muito bonita a relação deles.
Embora eu tenha achado semelhança entre os elementos fantásticos deste livro com outros livros de fantasia, não foi difícil me envolver na história, de ver-me dentro da narrativa, imaginando tudo na minha cabeça. Devo alertar que o público do livro está voltado mais para o infanto-juvenil, então, não sei se todos vão gostar dessa narrativa.
Sempre quando pego um livro como este, tenho de falar sobre a edição: ela está INCRÍVEL. A capa é linda, cheia de detalhes, há uma folha de guarda com os mesmos desenhos da capa, o que deixa o livro ainda mais bonito.
Finalizo essa resenha dizendo que gostei muito da obra, li em uma tarde. O livro é muito fácil de ser lido, é leve e muito agradável. Estou mais que ansiosa para ler agora outros livros da Holly Black. Eu recomendo!

site: www.livrosecafe.com
Cris.Fernandes 17/04/2017minha estante
undefined




Universo de utopia 02/09/2017

Universo de utopia
Universo de Utopia
31/07/17
O Canto mais Escuro da Floresta - Holly Black


A Galera Record simplesmente caprichou nesse livro deixando fofo e muito lindo, não só pela sua capa encantadora, mas também por sua contracapa que é ainda maravilhosa. Confesso que esse exemplar era desconhecido por mim, e quando o recebi através da caixa do Turista Literário logo o admirei, o trabalho da editora foi impecável e amo muito a escrita da Holly Black, principalmente ?As Crônicas de Spiderwick?, então iniciei com muita expectativa.

A narrativa se passa na cidadezinha de Fairfold, onde as vidas dos humanos e das fadas sempre se cruzam e tudo se concentra no garoto de chifres que descansa num caixão por décadas, na floresta. Todo turismo gira em torno da magia e os mistérios que reserva esse cenário, e muitas vezes alguns deles até desaparecem.

Somos apresentados aos irmãos Hazel e Ben, que durante toda infância viviam a caçar monstros na Floresta e conheciam todos os perigos a que estavam expostos e a principalmente não aceitar, nem fazer acordo com as fadas. Numa espécie de recontagem do conto João e Maria, eles tem seu jeito peculiar de caçar as criaturas. Ben com sua maldição ou dom da música que reflete seuss sentimentos, e Hazel, uma espécie de cavaleiro, que se sente inútil por ser tão normal, ao tempo que é muito boa com espadas.

Os mistérios não param e os maus presságios toma conta de Fairfold, aterrorizando a todos seus habitantes e principalmente nossos protagonistas quando o príncipe simplesmente desapareceu, e tudo que lhe foi confiado podem ser usado contra os irmãos, ou, não.

A vida normal e as preocupações de adolescentes ficam de lado quando um terrível monstro põe em risco o destino de todos. Quais segredos são possíveis guardar? Alguma lenda antiga pode ajudá-los a resolver os mistérios ocultos? Em quem confiar?

A escrita da autora é leve, fluída e simples, na qual fantasia, muito folclore e temas profundos da atualidade se fundem nesta história. Seus personagens são repletos de significados, exalam amor, amizade, companheirismo e principalmente a culpa dos seus atos, mas o livro não me prendeu a ponto de ficar fascinada por ele. O trabalho é bom, mas eu não recomendaria!

Veja o Booktrailer e os outros itens que vieram junto com o livro.
comentários(0)comente



La Oliphant 02/05/2017

Se eu tivesse um ano, eu ainda não conseguiria explicar pra vocês o quanto eu tava ansioso pra ler esse livro. A Menina Mais Fria de Coldtown foi um dos meus livros favoritos dos últimos anos, então quando eu fiquei sabendo que a Record ia trazer O Canto Mais Escuro da Floresta, eu tive que me segurar pra não correr pra uma livraria e já ficar esperando o livro. E olha, fico muito feliz em dizer pra vocês que toda essa espera valeu a pena.

O ponto mais forte da Holly Black como escritora pra mim é como ela consegue criar essas histórias cheias de world building e elementos fantásticos dentro de apenas um livro. Por mais que eu gostaria de ver mais livros centrados no mundo de O Canto Mais Escuro da Floresta (e de A Menina Mais Fria de Coldtown também), é muito legal ver uma autora entregar uma história complexa, centrada em um mundo fantástico, com personagens fortes, e sem precisar cortar a história no meio, pra garantir plot pra continuação.

site: http://laoliphant.com.br/resenhas/o-canto-mais-escuro-da-floresta-por-holly-black
comentários(0)comente



Helen Chiapetti 06/06/2017

Era uma vez "uma cavaleira" e um Elfo... um menino e um príncipe...
Era uma vez uma menina que queria ser cavaleiro e um menino com o dom da música. Juntos eles eram invencíveis... ao menos até o ponto em que toda criança o é.
Os irmãos Hazel e Ben cresceram em uma cidade rodeada por uma floresta encantada, onde habitavam diversos seres mágicos, bons e maus. Em meio à tenologia do século XXI e os encantos de um lugar mágico, Ben e Hazel são dois adolescentes, porém nada comuns. Moram em uma cidade onde humanos e povo das Fadas convivem pacificamente. Ao menos com relação aos nascidos ali, já não se pode dizer o mesmo dos turistas que visitam o lugar.
Desde pequenos os irmãos brincavam de matar monstros e sonhavam em libertar o príncipe encantado do esquife de vidro.. sim! Havia um menino de chifres preso em um caixão de vidro, em meio às árvores, que dormia por muito e muito tempo... sempre estivera ali... porém um dia, não estava mais.
E foi aí que tudo começou, ou melhor, começou a fazer sentido para os irmãos. Afinal, sempre sonharam em libertar o menino de chifres e agora ele estava entre eles. Os seres da floresta então passaram a caçar o menino e eles não sabiam muito bem se podiam ou não confiar nele.
Em meio ao desabrochar de uma paixão adolescente de Hazel pelo melhor amigo de seu irmão, ela descobre segredos sobre si mesma que não fazia ideia. Ao mesmo tempo, seu irmão se deixa envolver pela paixão infantil que nutria pelo príncipe, mas se acha um tolo, afinal, o príncipe das fadas jamais se interessaria por um adolescente desengonçado.
A estória é cheia de segredinhos e faz você ficar curioso com o desfecho. Um conto leve e com vários conflitos adolescentes. O Canto mais Escuro da Floresta é de leitura fácil e solta... vale a pena conferir.


site: https://www.instagram.com/mugsandbooks/
comentários(0)comente



Dryh 10/05/2017

Adorei!
Há um monstro em nossa floresta. E ela irá te pegar se você não se comportar. Irá te arrastar por folhas e galhos. Te castigar por todos os malhos. Partidos teus ossos e cortadas tuas assas, você nunca, nunca mais voltará para... – página 23

Hazel e Ben Evans cresceram numa cidade um tanto peculiar onde humanos e fadas praticamente viviam juntos, num modo um tanto pacifico. Algumas fadas aprontavam travessuras e enfeitiçavam de vez em quando, e um ou outro turista era encontrado morto, mas nada tão terrível. No meio da floresta, dormindo profundamente dentro de um caixão por anos, estava um menino lindo com chifres.

Quando crianças, os irmãos Evans costumavam brincar de cavaleiros na floresta, conversando com o garoto de chifres e planejando libertá-lo de seu sono. Ben tinha um dom com a música, concedido por uma criatura mágica, e Hazel possuía uma espada com a qual atacava os monstros quando o irmão os distraia. A infância dos irmãos foi difícil, já que os pais agiam como adolescentes e viviam dando festas, esquecendo-se dos filhos, então ambas as crianças encontraram refúgio na floresta.

Até o momento em que o sonho acabou, e o mesmo ocorreu com as aventuras. Mas isso não fez com que Hazel deixasse de desejar que tudo fosse como antes, e algo em seu passado a faz agir como se sua vida fosse acabar a qualquer momento. Algo que ela esconde de todo mundo. Mas esse segredo é mais perigoso do que ela imagina, e as coisas saem do controle quando o menino de chifres acorda, deixando seu caixão destruído para trás, e Hazel acorda toda suja de lama no dia seguinte. Teria ela algo a ver com aquilo?

Tinha começado a ler esse livro pouco depois que ele chegou, mas não estava no clima e o começo não tinha me prendido, e confesso que a coisa das fadas não me atraía muito. Mas, algum tempo depois senti aquela fisgada de curiosidade, e alguns colegas blogueiros tinham dito que gostaram, então resolvi arriscar. Gente, que livro!

O começo não tinha me prendido na primeira vez, mas assim que fui conhecendo os personagens e a magia foi aparecendo na história, assim como os crushes (não posso negar), fui gostando cada vez mais. Hazel é intrigante, a forma como ela age e as coisas que faz, e ela me surpreendeu várias vezes na história, tanto positivamente quanto negativamente. Mas mais positivamente. Suas ações me deixavam de queixo caído, e eu não consegui desvendar o mistério que a autora colocou na obra. Os mistérios, na verdade.

Sete anos para pagar o que está a dever. Tarde demais para se arrepender. – página 38

Também gostei muito de Ben e de Jack, seu melhor amigo e a paixão de adolescência de Hazel. Jack é um changeling, uma criança das fadas que havia sido trocada por Carter, cuja aparência era idêntica à de Jack. Ou melhor, a de Jack era idêntica à de Carter, com exceção de suas orelhas pontudas e outras sutis diferenças. Quando a mãe de Carter descobrira sobre a troca, diferente do que era esperado, não deixou que a criatura responsável por tal brincadeira ficasse com nenhuma das crianças, então criara os dois como irmãos. Carter mal aparece na história, mas Jack é muito importante para a trama, e eu gostei muito dele.

Mas a estrela da história, além de Hazel, é claro, foi o menino dos chifres. Não vou falar mais do que isso para não estragar a leitura de ninguém, contudo, se você estiver lendo ou prestes a ler este livro, prepare-se para se surpreender com os personagens, e mais ainda com a escrita fluída e rápida da autora, que me fez devorar o livro.

O canto mais escuro da floresta foi uma surpresa e tanto, eu não esperava tanta coisa, e como não sou muito de ler fantasia, não estava totalmente animada para conhece-lo. Gostei muito da escrita da Holly, e estou curiosa para ler outras obras suas. A editora Galera caprichou bastante na diagramação, além da capa ser toda florida, o interior das orelhas do livro também o são.
O final me deixou um pouco decepcionada, isso porque eu esperava, não sei.... Mas achei um pouquinho fraco, e acho que esperava mais desenvolvimento nos romances...haha’
Tirando isso, o livro é incrível, e só acho que os amantes de uma boa fantasia vão se apaixonar.

site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Gabriela 15/06/2017

Ao ler a sinopse, achei que fosse um pouco mais infantil, com essa história de dois irmãos que são fascinados por um príncipe adormecido (que depois acorda), com fadas e tudo mais. Mas ele é não é infantil, é mais pro lado adolescente mesmo. Então, não é uma leitura recomendada para crianças, pois tem uns adolescentes se pegando por aí.

Também comecei achando que Hazel fosse mais fútil e inconsequente e o irmão dela, Ben, um sem graça. Porém, a gente vai conhecendo mais cada um, entendendo seus medos e motivações e é cativado por eles. Gostei da construção e evolução dos personagens, incluindo Jack também.

Também gostei bastante desse laço entre os irmãos, estão sempre tentando proteger e apoiar o outro, mas, ao mesmo tempo, ninguém é perfeito. Aliás, não só a relação entre Ben e Hazel, mas entre Jack e Carter também. Adorei o fato de que é um livro único, no tamanho certo, sem embromação, com ação e mistério na medida certa. Eu não consegui adivinhar o segredo de Hazel com o povo das fadas, nem o autor dos recados que ela recebeu.

Foi uma leitura divertida, com inspiração no folclore europeu sobre fadas, mas em uma mistura que a autora fez dar certo. Como disse, é bem adolescente, mas gostosinho de ler. Uma boa distração para um fim de semana.

site: https://bibliomaniacas.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



18/08/2017

Encantador, Mágico, Surpreendente...
Já começo essa resenha dizendo que adorei o livro, e, se não fosse pelo inicio, teria dado as 5 estrelas devidas.
O livro demora para começar, demorei cerca de 100 páginas para embarcar na leitura mas antes disso foi uma verdadeira tortura para mim. O livro além de ser lento demais no início a gente começa a ler a história sem entender nada, pelo menos comigo foi assim pois não leio atrás antes de começar uma leitura.
Em compensação, depois que ele começa a desenrolar não dá mais para parar de ler. Eu não conseguia soltar o livro sempre que estava em casa ansiosa para saber o que aconteceria em seguida. Achei a construção dos personagens muito boa, dava para visualizar todas as características físicas.
Na minha opinião é um livro que foge totalmente dos cliclês, não tem nada nesse livro que eu esperava que acontecesse. A escrita da autora é ótima, me surpreendi pois foi o primeiro livro dela que li e pretendo ler outros dela.
Hazel é uma menina forte, corajosa e especial. Ben é um menino frágil, gentil e amoroso. A combinação perfeita!
O livro traz a importância da relação entre irmãos, dos segredos que as vezes escondemos das pessoas que amamos e as consequências disso. Recomendo esse livro para todos que, assim como eu, adoram um livro de fantasia!
comentários(0)comente



Resenha Atual 10/07/2017

Resenhado por Ingrid
Os irmãos Hazel e Ben vivem em uma pequena cidade chamada Fairfold, os moradores têm vivido pacificamente com povo da fadas, mas não podemos dizer o mesmo dos turistas que surgem de todos os lugares para explorar a floresta e testa a sorte. Infelizmente essas criaturas místicas não são conhecidas por sua bondade, muitos turistas desaparecem, perdem suas cabeças são amaldiçoados ou devorados por criaturas da floresta. Mas independente disso as pessoas não param de surgi, afinal, todos estão curiosos para conhecer o garoto de chifres, ele esta adormecido por séculos em um caixão de vidro.

Hazel e Ben sempre contavam histórias desde que eram pequenos para o menino de chifres. Como poderiam acordá-lo? E como seria se isso acontecesse? Ele era o príncipe deles, e quando ninguém estava olhando, contavam seus segredos, seus sonhos, algumas pessoas até mesmo cantavam para ele, dançavam encima do caixão, beijavam e alguns já tentaram quebrá-lo mas não terminou nada bem. Anos se passaram agora Hazel e Ben são adolescentes, eles desistiram de inventar história e correr atrás de aventuras.

Hazel é uma garota forte e corajosa, mas que esconde muitos segredos, ela é conhecida por beija todos os garotos e parti seus corações, mas ninguém sabe o porque. Ben e conhecido como um garoto covarde, mas que toca instrumentos musicais como ninguém, ele sempre quis ser amado por alguém, mas não teve muita sorte, e com á musica também não. Jack e o melhor amigo de ambos um cara divertido mas reservado, ele tem um irmão gêmeo chamado Carter, o problema e que Jack e um changeling (quando uma criança e trocada por outra, trazida pelo povo das fadas), mas a mãe de Carter percebeu á tempo que não era o filho verdadeiro, e conseguiu que as fadas o trouxessem de volta, o certo seria ela devolver o changeling, mas ela desafiou o povo e disse que cuidaria dos dois.

Dias depois de muita bebida e festa em volta do caixão de vidro ( lembrando que era comum os humanos fazerem isso), a escola não falava de outra coisa a não ser que o garoto de chifres havia finalmente se libertado, seu caixão estava quebrado e seu corpo não estava mais lá! Mas quem tinha feito aquilo? E como? Logo após a libertação do príncipe coisas estranham começam a acontecer, Fairfold corre grande perigo! O monstro da floresta atravessou a fronteira da cidade, mas por que? Quem e o responsável por isso? O rei das fadas? O garoto de chifres? A questão é como Hazel, Ben e Jack vão resolver isso? O amigo de ambos e realmente confiável?

O canto mais escuro da floresta me surpreendeu de todas as formas possíveis, á escrita de Black e rápida e fluida, li o livro em dois dias! O enredo tem bastante detalhe são vários elementos mágicos e diversas criaturas. A trama ter um ar de mistério e aborda temas como: sexualidade, musica, romance e laços familiares. O interessante e que ritmo da leitura não para, sempre esta acontecendo alguma coisa, no decorrer da paginas a história vai evoluindo e depois vêm as revelações, e como uma quebra cabeças, senti bastante empolgação das descobertas.

Hazel é uma personagem incrível, o grande destaque no livro! Ela é muito corajosa e destemida, ao mesmo tempo em que parece existe uma crueldade dentro dela, existe também um coração bondoso e gentil, Ben e extremante doce e romântico, sua personalidade cativa o leitor, ele e divertido, inteligente, acolhedor e um personagem Gay, não vou contar com quem cada um se relaciona, mas já digo logo que amei apesar de não existe tanta química assim, ao menos da parte de Hazel. O relacionamento entre os irmãos e inspirador, lindo e tocante de todas as maneiras, eles fazem tudo um pelo outro desde pequenos. Não sei o que dizer sobre o Jack, para mim ele é um personagem comum e nada surpreendente, mesmo sendo um changeling.

O único ponto negativo da obra são os clichês, mas nada que atrapalhe de verdade á história, digamos que 85% do livro você não sabe o que espera, como citei acima, Black me surpreendeu de varias maneiras, mas nem por isso podia falta os clichês não é mesmo? A escrita e em terceira pessoa então o leitor consegue se aproximar de todos os personagens, ela intercala entre um e outro, alguns capítulos ela volta no passado o que na minha opinião foi muito necessário. Enfim livro mais que recomendo. Uma boa leitura para vocês.


site: https://resenhaatual.blogspot.com.br/2017/04/resenha-o-canto-mais-escuro-da-floresta.html
comentários(0)comente



Camila 16/04/2017

Resenha: O Canto Mais Escuro da Floresta (Por Livros Incríveis)
A pequena cidade de Fairfold é diferente das outras. É o lugar onde humanos e criaturas místicas teoriacamente convivem em paz, por mais que algumas pessoas sumam e sejam encontradas alguns dias depois e todos precisem usar amuletos de proteção. Somado a isso, no meio da floresta há um caixão de vidro, onde um jovem garoto com chifres descansa há dezenas de anos. Hazel e Ben Evans sempre sonharam que o garoto era o príncipe deles, que teria de ser salvo. Conforme o tempo passa, as aventuras são esquecidas... Até que o garoto de chifres acorda e some. Agora, Hazel precisa tornar suas histórias de infância reais, para proteger aqueles que ama e evitar que Fairfold seja tomada pelos seres da floresta.


Já tive a oportunidade de ler dois livros de Holly Black: A Menina Mais Fria de Coldtown e O Desafio de Ferro - esse último com Cassandra Clare. Eu não vou mentir, não gostei muito de nenhum dos dois, acho que principalmente, por achar que faltava algo na história. Não havia algo realmente interessante ou “uau” em meu ponto de vista. Logo, apesar de a capa de O Canto Mais Escuro ser arrasadora (parabenizo o trabalho!) e a sinopse ser bem atraente, li o livro com certo receio. E no fim foi ótimo, porque a história superou minhas expectativas.


“Tinha de lutar com eles, com todos eles, até chegar ao monstro no coração da floresta e terminar com aquela maldade de uma vez por todas, para que todos em Fairfold ficassem em segurança para sempre.”



A premissa já é meio fora do comum. Acho que é o primeiro livro com temática de fadas que é abordado de forma diferente; não só é no mundo humano, como eles convivem “normalmente”. As criaturas da floresta são a principal renda da cidade, sendo a atração turística de Fairfold, que conta com tudo que uma cidade relativamente grande pode ter, o que chega até mesmo a causar certa estranheza ao leitor. Além disso, O Canto Mais Escuro da Floresta não é bem uma aventura onde a protagonista descobre ser mágica, o que também é um ponto positivo.

O que mais gostei na história é que ela é alternada em passado e presente, onde as cenas passadas são todas importantes e relacionadas ao ponto em que a trama se desenrola. Assim, é posssível compreender aos poucos algumas questões que são levantadas e perguntas que ficam no ar logo no início.


Já os personagens são meio nebulosos pra mim. Assim como nos outros livros lidos de Black, não senti conexão alguma com eles. Todos são distintos e possuem suas próprias histórias (backstorys), que são contadas ao longo da obra. Entretanto, nenhum foi capaz de fazer eu me identificar ou sentir qualquer tipo de afeição. Eles são bem pensados e detalhados, mas novamente, Holly Black peca em dar carisma a eles. Ainda assim, algumas nuances são interessantes, como ambos os irmãos serem apaixonados (romanticamente mesmo) pelo garoto de chifres e Hazel ser o tempo todo mencionada como o cavaleiro. Enquanto Ben é o músico talentoso, Hazel fica com a morte e as espadas.


As formas com que as fadas e criaturas são retratadas também são curiosas. São seres travessos, que faz com que a população precise se cuidar caso não queira ser atacada. Volta e meia, porém, algum corpo é encontrado das mais variadas e bizarras formas, principalmente turistas. A situação piora quando o garoto do caixão acorda, e a floresta fica ainda mais agitada e perigosa, o que faz com que o leitor fique meio chocado em alguns momentos.


Resumindo, O Canto Mais Escuro da Floresta foi um livro muito bom que tratou de um tema fantástido de forma única e até meio macabro em certos pontos. Holly Black realizou uma incrível homenagem ao folclore das fadas, e portanto, vale a pena ser conferido, tanto pra quem não conhecia, como eu, e pôde ter uma noção do que é, como pra quem já conhece, para poder conhecer uma obra baseada em tais características. Vale lembrar também que não se trata de uma série, o que também é muito válido.

Leia mais resenhas em:

site: http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/2017/04/resenha-o-canto-mais-escuro-da-floresta.html
comentários(0)comente



44 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3