Sherlock: Um Estudo Em Rosa - Volume 1

Sherlock: Um Estudo Em Rosa - Volume 1 Steven Moffat




Resenhas - Um Estudo Em Rosa


18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Tamirez | @resenhandosonhos 30/07/2018

Um Estudo em Rosa - Steven Moffat & Mark Gatiss
Apesar de eu não ter lido os livros originais de Arthur Conan Doyle – o que ainda quero muito fazer – sou uma fã incondicional de Sherlock Holmes. Ele sempre foi uma figura literária que despertou o meu interesse por toda a aura estranha que lhe cerca. A forma como ele é objetivo e focado são coisas que, apesar do eu jeito nada sentimental, marcam muito o personagem pra mim.

Eu assisti ao filme de 2009 com o Robert Downey Jr. e apesar de gostar muito do ator e apreciado o filme, quando a série Sherlock estreou pela BBC, não havia outra interpretação que batesse Benedict Cumberbatch. Ele não era um ator que chamasse minha atenção até então, mas a série realmente fez com que ele entrasse para o meu hall de queridinhos.

Com episódios de 1h30 e temporadas de apenas 3 episódios, cada um deles parecia um filme muito bem produzido. Os casos eram instigantes, os personagens cativantes e o espectador ficava ávido por seguir em frente. Junto com cada episódio começou a sair então os mangás e, mesmo que os direitos tenham sido comprados há um tempo, somente em 2017 tivemos finalmente a primeira edição no Brasil.

O traço do mangá está muito bonito e conta de forma rápida e dinâmica o que já vimos no episódio. E não há necessidade alguma de ter visto a série, pois a história se completa sem o background da tela, podendo alcançar um público maior ainda. Os personagens mantém as feições dos atores da série, o que é bacana já que o vínculo realmente existe.

Apesar de colorido nas primeiras páginas ele mantém a essência preto e branco no interior e consegue retratar muito bem os trejeitos, piadas e sacadas de Holmes, bem como todo o anseio e dúvida por parte de Watson. Tendo me despedido da série somente esse ano, foi incrível poder voltar ao primeiro episódio novamente e relembrar passo a passo. Eu não me lembrava de todos os detalhes e pude apreciar na leitura como se não tivesse jamais visto aquele caso se solucionar, mesmo com as familiaridades dos personagens.

Esse é um fato interessante que eu gosto de comentar. Quando as séries tem episódios onde retratam em cada um um caso, meu foco acaba sempre sobre o background da vida pessoal de cada personagem, não me fixando muito nos detalhes sobre o caso, a não ser que as coisas se misturem. E é isso que acontece com Sherlock. Apesar de eu já conhecer a trama do episódio, como faz muito tempo que assisti, muitas coisas foram como novas pra mim.

Acho que não é preciso dizer o quanto a personalidade de Sherlock é única. Em qualquer contato que se tem com ele é possível ver isso. E, ao fundo, que mesmo que superficialmente ele se importa. A relação que se cria a partir desse volume entre ele e Watson é uma bela amizade que vai romper todas as fronteiras de distanciamento do personagem e nos permitir conhecer um novo lado dele.

Acho que o mangá é uma ótima opção caso você nunca tenha tido contato com o personagem, seja fã de mangás ou um fã do personagem. Sei que para os colecionadores e aficionados pela obra de Arthur Conan Doyle, Um Estudo em Rosa é um prato cheio a ser degustado em cada quadro da história. Eu sei que já estou ansiosa pelos próximos volumes.

site: http://resenhandosonhos.com/um-estudo-em-rosa-steven-moffat-mark-gatiss/
comentários(0)comente



Nat 20/03/2018

Jon Watson está de volta em Londres, depois de um ferimento na perna impossibilitar seu serviço militar no Afeganistão. Um encontro com um antigo colega de residência o leva a conhecer Sherlock Holmes, o único detetive consultor do mundo, que está a procura de alguém para dividir um apartamento. Mesmo surpreso com as deduções certeiras do detetive sem nem se conhecerem, eles resolvem se encontrar no apartamento, que fica na Baker Street, 221B, onde recebem a visita de Lestrade, um policial atrás da ajuda de Sherlock para desvendar uma série de mortes que todos acreditam ser suicídios. Quando Sherlock convida John para participar da resolução do problema, começa uma das amizades e parcerias mais conhecidas e amadas da literatura.

O mangá é a adaptação do primeiro episódio da primeira temporada da série da BBC, Sherlock. Sendo assim, obviamente que iria retratar os personagens e acontecimentos como foram mostrados na TV, e eu só posso dizer que adorei, me diverti com os momentos irônicos como se estivesse vendo o episódio de novo. Os traços do artista são muito bons, alguns conseguiram ser razoavelmente fiéis (como Benedict Cumberbatch), enquanto outros foram claramente melhorados (como Mark Gatiss). De qualquer forma, eu amei o mangá e estou me controlando para não ler logo os outros.

site: http://ofantasticomundodaleitura.blogspot.com.br/2018/03/sherlock-steven-moffat-mark-gatiss-jay.html
comentários(0)comente



Nanda 15/01/2018

Da série para o mangá
Sherlock Holmes é um detetive consultor muito peculiar, ele consegue desvendar mistérios que nenhum outro detetive consegue.

Dr. Watson é um médico traumatizado pela guerra, voltou a pouco tempo do Afeganistão e procura um colega que possa dividir um apartamento e é assim que ele conhece Sherlock.

Os dois investigarão alguns casos que estão ligados a um único assassino. Poderão Sherlock e Dr. Watson impedir que o assassino cometa mais algum crime?

Este mangá é uma adaptação da série Sherlock, produzido pela BBC.
Achei interessante a história, ainda não tive a oportunidade de ver a série mas assisti aos filmes que foram lançados e gostei bastante. É uma leitura bem rápida e em muitos momentos bem divertido.

site: https://www.instagram.com/minhadesordemperfeita/
comentários(0)comente



Cris Paiva 24/12/2017

Achei interessante, o mangá traz as informações essenciais do episodio, mas não faz muito sentido se você não tiver assistido a série.
comentários(0)comente



Mauricio (Vespeiro) 10/11/2017

Da tela para os quadrinhos, o Sherlock da BBC.
Desde 2010 a BBC vem produzindo a série “Sherlock”, em exibição na Netflix. Com alguns intervalos mais longos, foram 4 temporadas que contabilizaram 13 episódios. Sussurros veementes dão conta de que a quinta temporada está confirmada, mas talvez apenas para 2019. Estes espaços devem-se às apertadas agendas de Benedict Cumberbatch, o Sherlock Holmes da série. A primeira temporada traz três episódios: “Um Estudo em Rosa”, “O Banqueiro Cego” e “O Grande Jogo”. Todos foram adaptados para HQs no estilo mangá.

É muito curioso ver que as ilustrações estão muito fiéis às cenas representadas na série televisiva. Os atores estão bem desenhados e o ilustrador Jay conseguiu trazer a dinâmica da TV para seu traço. “Um Estudo em Rosa” é uma adaptação feita com muita liberdade criativa sobre o fenomenal “Um Estudo em Vermelho”, originalmente escrito por Sir Arthur Conan Doyle, em 1887. A história foi atualizada, modernizada e revista. Apenas a ideia central foi mantida. Perdeu-se a classe e a profundidade de Conan Doyle (a ponto de não podermos comparar uma obra a outra), mas apostaram numa linguagem mais adequada aos dias de hoje. Considero uma potente e agradável releitura, com excelente texto de Steven Moffat e Mark Gatiss.

Tecnicamente, o mangá ficou um pouco confuso. Para quem não está habituado (como eu) logo se estranha o sentido da leitura, de trás para frente, da direita para a esquerda. Mas é bem fácil de se acostumar. Achei os balões ruins, indefinidos, inexatos, muitas vezes sem a devida referência para que o leitor identifique quem está falando. O formato do livro é pequeno (pouco maior que um pocket book), então alguns quadrinhos acabam ficando meio apertados para comportarem textos e imagens. Onomatopeias são grafadas com caracteres japoneses. Uma característica que me causou estranheza (mas que já vi repetida em muitos mangás e até filmes japoneses) é a atitude dos personagens. É comum vê-los num diálogo calmo, tranquilo e repentinamente um deles surta, gritando através de balões explosivos e fundos radiantes, tudo muito exagerado. Mas, OK.

“Um Estudo em Rosa”, assim como na obra original, mostra Dr. Watson conhecendo Sherlock Holmes. Em pouco tempo já partem para a investigação do seu primeiro caso, na Londres do século XXI. Uma sequência de suicídios com as mesmas características indicam um padrão que os leva a procurar um serial killer.

Nota do livro: 6,50 (3 estrelas).
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 06/11/2017

Para quem me conhece, sabe que Sherlock Holmes é o meu personagem favorito com todos os seus defeitos e pecados. Quando fiquei sabendo da série aqui no Brasil, já tinha alguns anos que havia sido lançada pela BBC (o primeiro episódio é de 2010) e quando assisti, simplesmente me apaixonei!

Por mais que venham outras adaptações, como a mais recente cinematográfica com Robert Downey Jr., a série da BBC conseguiu algo inusitado que foi trazer toda a genialidade de Sherlock Holmes (canônico de tudo) para o século XXI. E isso é muito mais do que eu poderia esperar para a obra de Conan Doyle (muito melhor que Elementary, diga-se de passagem). (...)

Eu não vou me estender na história, porque quem assistiu a série já sabe mais ou menos os desdobramentos, mas quero falar um pouco sobre o traço dos personagens.

Em alguns momentos, eu gostei muito e achei bastante semelhante. Em outros, porém, me incomodou um pouco tanto a atitude de Sherlock (eu tive a impressão que na tela ficou mais verissímil, enquanto que no mangá ficou um pouco caricato) quanto seus traços. Em todo o caso, achei a semelhança com o ator Benedict Cumberbatch bem aproximada.

Mas, de alguma forma e em poucos momentos, o traço do Sherlock me causou certa estranheza. A aparência de Watson também é bastante semelhante ao do ator Martin Freeman. Aliás, o mangaká teve todo um cuidado para aproximar as feições dos personagens às dos atores, apesar dessa situação que mencionei acima (mas eu sou muito exigente quando se trata de Sherlock, ignorem).
(...)

***Resenha completa no blog***

site: http://poressaspaginas.com/outras-paginas-sherlock-manga
comentários(0)comente



Carlos 03/09/2017

MUITO BOM!
Nas primeiras páginas do mangá achei que teria uma decepção, mas acabei me surpreendendo com a história. A trama se desenvolve nos velhos e bons moldes dos contos ingleses de Sherlock Holmes e é muito bem construída, não deixando furos e nem sendo previsível. Terminei a leitura me sentindo feliz, pois já havia comprado o volume 2 sem nem ter lido o volume 1. Espero que o segundo volume seja tão bom quanto esse!
comentários(0)comente



Julia 15/07/2017

Elementar caro mangá
Para quem ainda não assistiu a série, o mangá é mesmo assim uma ótima recomendação, pois trata-se da adaptação do clássico livro de 1887 Um Estudo em Vermelho de Sir Arthur Conan Doyle (leitura obrigatória) em uma versão moderna. Já para quem assistiu SHERLOCK, a obra é uma imersão na história. O mangaká Jay. consegue dar fidelidade as características faciais e as expressões dos atores tudo com um tom realista! Até com o cenário da série, onde o apartamento deles é recriado detalhe por detalhe.

site: http://www.oclubedameianoite.com/2017/07/resenha-sherlock-um-estudo-em-rosa-jay.html
comentários(0)comente



Beatriz 14/05/2017

Incrível!
O mangá é excelente! Ele se baseia na série da BBC "Sherlock", uma versão contemporânea do famoso detetive inglês. É uma ótima opção para os amantes da série e é uma boa oportunidade para quem ainda não conhece!
comentários(0)comente



Cris 05/05/2017

Amei!
“Anderson, cale a boca. O Q.I. da rua inteira diminui quando você fala.” Pág.142

Esta é uma adaptação da primeira história de Sherlock Holmes – Um estudo em Vermelho, escrito pelo Arthur Conan Doyle. E é uma adaptação do primeiro episódio da série de TV Sherlock, da BBC, que tem roteiro do Steven Moffat e Mark Gatiss.

Eu amo os livros do Sherlock, e sou apaixonada pela série da BBC. Pra quem não sabe, a série adapta as histórias do Sherlock para os dias atuais e é um trabalho simplesmente incrível.

Nesta primeira história, somos apresentados ao detetive mais famoso do mundo e ficamos sabendo como ele e o Dr. Watson se tornaram amigos e parceiros.

Juntos, eles precisam descobrir o mistério de uma série de mortes seguidas e com características de suicídio. Esta é uma das histórias que eu mais gosto, acho incrível a resolução do mistério. E eu não canso de dizer que eu me sinto muito burra lendo as histórias do Sherlock, porque eu nunca consigo adivinhar nada...

Preciso dizer que esta arte ficou linda, os personagens com características e as cenas muitos parecidas com as que vemos na série. Uma delícia de ler. Já quero os próximos números.

Adorei e recomendo!

“A inteligência não tem sentido se não for provada.” Pág. 186


site: https://www.instagram.com/li_numlivro/
comentários(0)comente



Pages and Seasons 26/04/2017

O melhor detetive
De autoria de Jay, a Panini trouxe em Fevereiro de 2017 o mangá que adapta a série de TV da BBC e conta a história das aventuras de Sherlock Holmes, o detetive mais conhecido do mundo e um personagem importante da literatura britânica.
Conhecido principalmente por usar métodos científicos e lógicas dedutivas para resolver seus casos, o detetive atua no final do século XIX e é conhecido até hoje por seu carisma e genialidade.
Atualmente com 3 volumes e em andamento no Japão, Um Estudo em Rosa é o primeiro volume em terras brasileiras e já é um sucesso. Sendo uma ótima indicação para os amantes dos filmes, séries e livros de suspense policial e investigação, tratando-se da Panini o que você pode esperar é ótima qualidade e uma arte incrível.
A história é muito fiel ao seriado e fiquei maravilhada com os desenhos. Mesmo leiga no assunto "quadrinhos", como uma fã de Sherlock Holmes posso garantir que o conjunto da obra está incrível!

site: www.instagram.com/pagesandseasons
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Xavier 08/04/2017

Moriarty
Este mangá é uma adaptação da série da BBC, Sherlock, desenvolvido pelos mesmos criadores da série. Os traços de cada personagem, os elementos, tudo foi cuidadosamente pensado, para se assemelhar ao máximo à série e à obra de Sir Arthur Conan Doyle.
comentários(0)comente



Renata (@renatac.arruda) 31/03/2017

Lindo!
A adaptação do episódio para o formato de mangá deu muito certo. Tremendamente bem executada, o artista teve sensibilidade de captar pequenos detalhes, gestos, olhares e diálogos e criou uma obra que funciona independente da série. A arte é linda, dinâmica e de muito bom gosto e a tradução dos feita pela Lídia Ivasa é super bem feita. Senti uma certa nostalgia, lembrei de quando assisti pela primeira vez e bateu uma grande saudade. Deu vontade de ler tudo de novo. Também gostei do acabamento da Panini, embora tenha tido a impressão de que os quadros originais são maiores que os cortes das páginas.

É um presente para quem é fã da série - e quem não é pode ser sem medo que tem a mesma ação, o mesmo humor e, como disse, é uma obra que se sustenta sozinha. Já estou ansiosa pelos próximos!

site: @prosaespontanea https://www.instagram.com/p/BSRKRHXB2oe/
Renata (@renatac.arruda) 31/03/2017minha estante
pode ler* :)




Rose 30/03/2017

Neste livro ficamos sabendo como o Dr. Watson e Sherlock Holmes se conheceram. Watson que tinha retornado do serviço militar no Afeganistão acaba sendo apresentado ao famoso detetive que trabalhava como consultor de crimes.
Ambos estavam procurando uma casa para morar e acabam resolvendo dividir o aluguel da famosa Baker Street 221 B,
em meio a este início de amizade, Sherlock acaba sendo chamado para resolver uma série de supostos suicídios, para desgosto de alguns policiais que não o veem com bons olhos.
Sherlock por sua vez, pede a ajuda de Watson, que mesmo sem entender direito como as coisas funcionam, atende ao chamado.
Durante as investigações, Watson vai conhecendo melhor Sherlock e suas excentricidades e brilhantismo.
O livro tem 216 páginas e não tem muito que eu possa falar sem dar spoiller. Mas acho válido ressaltar que este volume é baseado no primeiro capítulo da série Sherlock Holmes produzido pela BBC. Fiquei sabendo que a Panini tem licença para produzir outros volumes baseados nos capítulos desta série, o que os fãs só agradecem.
O mangá está muito bem feito, com os traços limpos e um enredo coeso e misterioso. Aliás, os traços estão tão bons, que ficaram iguais aos personagens da TV. Tanto para os fãs do detetive, como para os fãs de mangás, é uma excelente dica de leitura.

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com
comentários(0)comente



18 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2