Modernidade, Pluralismo e Crise de Sentido. A Orientação do Homem Moderno

Modernidade, Pluralismo e Crise de Sentido. A Orientação do Homem Moderno Peter L Berger




Resenhas -


1 encontrados | exibindo 1 a 1


Lois 27/04/2020

Divisor de Água
Existem livros que servem para entreter, informar, (des)construir e muito mais. Entretanto esse livro teve um papel muito importante em minha vida e acredito que ele me trouxe tantos questionamentos e esclarecimentos que classifico como divisor de água.

Os autores, Thomas e Peter conseguiram resumir todo o conteúdo sem tirar nada de essencial. A cada capítulo sua compreensão vai aumentando e aquela reação do "ahhhhhh" aparece e você começa a fazer anotações, comparações a todo momento. São vários e vários momentos de discussão interna e, se tiver com quem conversar, haverá uma discussão mais acalorada.

Eles abordam como a sociedade e, não menos importante, o indivíduo sofrem da "Crise do Sentido". Como isso ocorria nos tempos de outrora e como acontece hoje. O que a modernidade trouxe de novo (pois eles falam que a maioria das coisas que políticos, econômicos e representantes das igrejas falam que só acontecem nos dias de hoje é mentira, sempre aconteceu de tudo) foi a pluralidade de sentidos. São milhares e milhares de experiências, de conteúdos e informações e, consequentemente, apresentam a nós, indivíduos e sociedade uma pluralidade de opções. Todas essas opções nós fazem raciocinar, pensar, comparar e, não menos importante, decidir.

O ser humano é preenchido de experiências.

Em outras eras não existiam tantas opções, ou seja, o indivíduo não precisava pensar sobre uma determinada situação, produto ou acontecimento. Nessa perspectiva os autores escrevem também sobre a evolução histórica do ser humano e como ele foi lidando com suas crises. Eles usam na dos exemplos a Igreja. Está é uma instituição que merece uma análise profunda sobre as crises de sentido e como uma instituição pode escolher entre coordenar e orientar uma sociedade. É nesse momento que os autores questionam: qual o papel das instituições? Como elas evoluíram e chegaram no que estamos hoje? Por qual motivo a economia, política, comunicação e demais são as novas instituições do poder, não mais a igreja?

Em outra perspectiva, os autores debatem também sobre as questões morais da sociedade. O que são atitudes moralistas e moralizantes? O que compreendemos como moral?

São muitos conteúdos abordados pelo autor que te levam a uma reflexão sensacional.
comentários(0)comente



1 encontrados | exibindo 1 a 1