O Abandono da Fé

O Abandono da Fé Toby Clements




Resenhas - Abandono da Fé


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Ju Zanotti 17/05/2017

O Outro lado de uma Guerra civil
Kingmaker - O Abandono da Fé é o segundo livro da trilogia Kingmaker, logo que terminei a leitura do primeiro livre estava curiosa com o desenrolar dos fatos, porém precisei dar um tempo na leitura para fugir da ressaca literária. Posso dizer que foi a melhor decisão que tomei, quando peguei pra ler O Abandono da fé já tinha passado tempo suficiente para eu absorver a história do livro anterior e durante esse período pude compreender melhor alguns detalhes da narrativa, o que colaborou com uma melhor compreensão dessa continuação.

Kingmaker - O Abandono da fé, começa mais ou menos dois anos depois do fim de Uma Jornada no Inverno. Aqui vamos descobrir o que aconteceu com Thomas e Kit (Katherine) depois da trágica batalha que encerra o livro anterior o autor deixou várias questões em aberto, mas principalmente um questionamento sobre o futuro dos personagens. Fui surpreendida por um detalhe que ocorreu exatamente na última linha da história, algo que eu imaginava certo se desfez logo no início desta nova leitura. Um recurso muito bem utilizado por Clements, já que isso aguça a curiosidade do leitor. De forma brilhante o autor utiliza uma jogada que vai desconstruir tudo o que quem está lendo acredita ser real. Tornando a narrativa mais ágil que o livro anterior.

A descoberta que fazem pode mudar todo o rumo da guerra que até o momento parecia pender a favor dos York. E Thomas e Katherine são os portadores dessa verdade, mas estando envolvidos com o inimigo é necessário muita cautela antes de seguir em frente com seus planos. Em meio a tudo isso o relacionamento entre os personagens se estreitam, e existe um pequeno detalhe que pode mais do que qualquer coisa levá-los a morte.Algo essencial muda em Thomas nesta nova jornada, é como se ele se descobrisse e passasse a compreender seus verdadeiros objetivos. Há um crescimento exponencial com relação aos personagens, aqui Clements pode deixar de lado a questão da fé nos designios de Deus e trabalhar a força e dedicação humana intrinseca aos personagens.

Além disso, Clements nos possibilita ver a história por outro angulo. Geralmente quando se trata da Guerra das Rosas nos deparamos com narrativas pelo ponto de vista do lado vencedor. Mas no caso deste livro podemos ter um vislumbre da outra ponta dessa guerra. Nunca tinha me deparado com um livro que abordasse a guerra pelo ponto de vista do exército do Rei Henrique e foi uma experiência bastante satisfatória

Felizmente o autor ou a editora trabalham melhor a diagramação da obra. Se no primeiro livro as passagens erram corridas e não existiam intervalos entre um momento e outro, neste não há essa confusão, toda a narrativa é muito bem pontuada. Também há menos batalhas nessa continuação, a história se torna mais envolvente, mas não menos sangrenta. A verdade é que Toby Clementes evoluiu como escritor e isso fica bastante óbvio. Algo que adorei é a forma como o autor utiliza referências, não só as históricas, mas em determinado momento ele une sua narrativa a de outro autor e isto fez meu coração dar um pequeno salto de alegria, me refiro a menção de Thomas de Hookton, personagem de A Busca do Graal de Bernard Cornwell. Foi uma jogada sensacional para os leitores deste gênero que já conhecem a obra.

Enfim, Kingmaker - O Abandono da Fé é uma sequência muito bem trabalhada e necessária que só aguça ainda mais a ânsia do leitor pela finalização da trilogia. Há mais romance neste livro e também uma imersão mais real a história da Guerra da Rosas, o que estimula o leitor a pesquisar mais, ir em busca do real na história toda. Eu definitivamente coloco Toby Clements entre meus autores preferidos do gênero e isso não é pra qualquer um. No mais, leia, comece a trilogia e descubra como um autor absurdamente bom no faz sabe instigar o leitor.
comentários(0)comente



sandra 14/08/2017

Esse segundo livro começa dois anos depois da batalha que encerra o livro anterior e vai determinar o futuro dos personagens Thomas e Katherine. que fazem uma descoberta que pode mudar a guerra entre a casa de York e os Lancaster. Ao tentarem falar com o rei Henrique eles passam por adversidades e mais batalhas. É incrível como se tratavam os feridos de guerra sem recursos e com uma medicina atrasada.
O livro termina com Kit gravemente ferida.
O autor escreve de forma a nos prender mais e mais no livro e aguardar o próximo.
comentários(0)comente



Cheiro de Livro 08/05/2017

The Kingmaker – O Abandono da Fé
No segundo volume da trilogia de Toby Clements sobre a Guerra das Flores é a hora de conhecermos a situação do outro lado do conflito, ou seja, o exercito do Rei Henrique VI.

O primeiro livro termina em um gancho feito para enganar o leitor, Katherine e Thomaz, na verdade, não se reencontraram ao final da batalha de Towton. Katherine assumiu a identidade de Margaret e está casada com Richard, já Thomaz está desmemoriado e mudo vivendo com o irmão. É nessa situação que a ação se inicia e, como no primeiro volume, a história dos dois é apenas desculpa para mostrar a guerra e seus efeitos para os cidadãos comuns.

A primeira parte serve para vermos a devastação que acompanha a batalha. Castelo e cidades devastadas, pessoas tentando retomar suas vidas e soldados circulando. É aqui que duas linhas narrativas do primeiro livro são retomadas: quem é Katherine e o livro de registros. O primeiro é logo abandonado, como se, na verdade, não importasse muito, já o segundo é o motor que reunirá nossos protagonistas para mais uma aventura em meio a guerra das rosas.

Os dois terços seguintes são feitos para nos mostrar o outro lado da disputa. O Castelo de Bamburgh é o cenário mais recorrente e nos apresenta a penúria que os soldados leais ao rei Henrique viviam. O antagonista principal também retorna com toda a sua maldade, Raven está aqui em uma situação que rendem a melhor parte do livro.

Vivendo nas linhas que eram inimigas no primeiro volume vemos descrições de derrotas e traições, de tramas políticas. É nos mostrado, literalmente, o outro lado da guerra. Clements tem os mesmos erros e acertos aqui. A história dos protagonistas anda pouco e a passos lentos, já a reconstituição de época e de batalhas é impecável. O confronto final é um pouco decepcionante para um livro que tem tantas boas cenas de batalha, só é constante, igual ao do primeiro volume, tem um quê de anticlimax.

site: http://cheirodelivro.com/kingmaker-o-abandono-da-fe/
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3