Malévola

Malévola Elizabeth Rudnick




Resenhas - Malévola


8 encontrados | exibindo 1 a 8


Raffafust 05/11/2017

Ao contrário da maioria dos livros que lemos hoje, esse livro é a versão adaptada do filme. Sim, todo filme tem um roteiro que pode ser original - criado para o próprio filme- ou adaptado que é o caso de quando o livro vira filme. Há por isso, duas categorias de premiação no Oscar.
Esse livro de Elizabeth Rudnick é exatamente o que vemos no filme famoso que amamos com Angelina Jolie, então não há grandes novidades, mas para fãs da Disney e principalmente de seus vilões, o livro é ótimo.
Eu, particularmente amo tanto as princesas quanto as vilãs da Disney, elas se completam, já pensaram que chatinho seriam as histórias que lemos e vemos sem elas? Ou sem eles? Apesar dos vilões terem ficado em segundo plano há um tempo, as mais faladas tem sido mesmo Malévola, Cruela e Úrsula.
Mas vamos ao livro: A história começa com Malévola como uma criança vivendo sozinha em uma árvore, órfã e perplexa; O Reino dos Moors são o lar de inúmeras criaturas mágicas. O que vemos é uma Malévola feliz, de bem com a vida e que só pensa em fazer bondades.
Então, a história segue para o encontro dela com Stefan, um menino da aldeia vizinha, os dois brincam . É uma amizade não muito comum naqueles tempos porque as fadas e os humanos são inimigos naturais neste momento. Certa manhã, o rei ataca o reino de Malévola para invadir aquelas terras e tornarem as suas; nessa guerra Stefan escolhe seu lado e ataca a própria amiga.
Mais tarde ela acordará e verá que está sem asas. É aí que ela se transforma em algo próximo do capiroto e sua raiva a faz jurar uma vingança contra Stefan por tirar suas asas . Ela utiliza um corvo para ser seus olhos dentro do castelo e saber tudo que está acontecendo por lá, é através dele que ela descobre que ele terá uma filha ( o tal do Stefan que ela tem ódio mortal).
Aurora é a menina que nasce e em seu batizado é amaldiçoada por Malévola, o rei toma a decisão de afastar a filha para que ela não morra com 3 fadas que tomarão conta dela bem afastada do reino.
Acontece que Malévola acaba tendo um certo carinho pela Aurora e acompanhando todo seu crescimento.
É exatamente o que temos no filme, claro que Aurora irá descobrir tudo em seu 16º aniversário, lógico que ela vai querer correr atrás da verdade e a maldição acontecerá para desespero de Malévola que percebe que a menina não tinha nada a ver com isso.
Nessa versão mais humanista acabamos gostando e muito da personagem que era para ser vilã, sempre lembro do filme claro, até porque como é baseado não tinha como não ver Angelina Jolie a cada vez que lia o nome da protagonista, e sim, a própria atriz está na capa do livro.
Livro obrigatório para quem ama a história e curtiu o filme, só acrescentaria fotos do filme dentro, para ficar ainda mais saudosista e querer assistir novamente. Lembrando que o filme passou em 2014 e o livro foi lançado somente esse ano aqui no Brasil, então a vontade de ver novamente é instantânea.

site: http://www.meninaquecompravalivros.com.br/2017/11/resenha-malevola-univdoslivros.html
comentários(0)comente



Kari 19/09/2017


Essa é a história da fada Malévola, mas a história é contada desde o comecinho quando ela era um bebê e vivia com seus pais, Hérmia e Lisandro em Moors, o lugar onde as fadas viviam em uma linha tênue entre humanos e fadas. Acreditem, a história não é como vocês leram antigamente.. Pelo menos não tudo. Afinal, toda história tem dois lados e essa é a história de um suposto antagonista.

"...Não é aquela que começa com uma maldição e termina com um dragão."

Na história existe sim dragão e uma maldição, porém é uma história de amor, perdão, amizade e um beijo de amor verdadeiro, como em todas as histórias de contos de fada.

Bom, enquanto Malévola ainda era um bebê, seus pais foram mortos na guerra tentando encontrar um modo de manter a paz. Todos lamentaram muito essa morte; e apoiaram criando Malévola com todo amor e a cada dia ela crescia e se tornava ainda mais esperta, bondosa, feliz. Suas asas e chifres eram lindos, apreciados por todos. Assim como seus pais, Malévola acreditava que pudesse haver paz entre os povos, acreditando que não se podia julgar uma espécie inteira por ações de uma minoria. Malévola vivia feliz dentro o povo das fadas, tornou-se independente cedo e amava ouvir histórias sobre seus pais e o que mais apreciava era passar um tempo com seu melhor amigo Robin, os dois faziam muitas traquinagens e se divertiam muito. Mesmo apesar da perda dos pais, Malévola tornou-se adorável. Porém em dado momento aquele mundo que Malévola vivia feliz e protegida passou a não ser o suficiente e ela ficou curiosa para saber sobre os humanos e seu amigo Robin condenou esse desejo, porém Malévola ouviu muitas coisas sobre seus pais e a principal, é que eles acreditavam em humanos bons e que um relacionamento com eles era possível e claro que Robin lhe lembrou que a crença de seus pais custou-lhe a ausência deles, afinal foram mortos na guerra. Robin tentou explicar como os humanos desejavam suas riquezas e portavam armas de ferro que queimavam seu povo, mas Malévola bondosa, ainda assim tinha a crença de que eles, humanos, também faziam parte da natureza e sua comparação fazia sentido. Assim como existiam humanos malvados, existiam fadas e animais malvados, assim como os do bem.. Então não importava o que Robin pudesse dizsr, Malévola tinha suas próprias convicções e crenças, enquanto Robin nutria um ódio profundo pelos humanos.

"Malévola suspirou é apoiou as costas no tronco da árvore uma vez mais. Talvez Robin não acrditasse, mas ela sim. E sabia que seus pais se orgulhariam dela por isso."

E eis que a oportunidade que ela tanto ansiava aconteceu, ela soube de um humano roubando do poço e lá foi ela. Se deparou com um jovem que tinha mais ou menos a sua idade. Ela exigiu que ele se mostrasse, já que estava escondido em uma moita e ainda ofendeu um dos membros do povo das fadas. E foi assim que conheceu Stefan. Ali começaram a conversar, ele disse que vivia em um celeiro e um dia moraria no castelo, que seus pai, assim como os de Malévola estavam mortos; algo que despertou ainda mais interesse dela. Então a partir daí as coisas aconteceram.. Promessas, paixão, ilusão.. Eles se tornaram amigos, inseparáveis, se viam com frequência, porém os anos foram passando e as visitas se tornaram menos frequentes. Stefan estava focado na sua promessa de morar no castelo e se interessada cada vez menos por Malévola e os moors e a paz entre os povos. Esse afastamento tornou Malévola mais calada, mais introspectiva.
Mais uma guerra veio e Malévola enfrentou o Rei Henry, responsável por tantos ataques e mortes..

"- Derrotado na batalha - o rei prosseguiu como se não tivesse havido nenhuma interrupção. - É esse o meu legado? Vejo que estão esperando a minha morte. Não terão que esperar muito tempo. Mas, e depois? Quem governará? A Minh filha? Ou talvez eu escolha meu sucessor.
- Mas quem entre vocês merece? - Os olhos reduziram com uma centelha de raiva. - Matem-na! Matem a fada e me vinguem. Depois da minha morte, um de vocês ficará com a coroa!..
Uma vez do lado de fora dos aposentos do rei.. Sabia o que tinha que fazer."

Malévola amava Stefan e acreditou nas palavras dele, que disse que os humanos eram horrível e que lugar dele era com ela, em Moors se ela o aceitasse. Claro que ela acreditou. Ela aceitou o cantiu que ele ofereceu e depois pegou em um sono, acreditando que teria "seu feliz para sempre".
Porém ao despertar, sentiu muita dor nas costas, se sentiu confusa, mas logo percebeu que Stefan partiu levando suas asas; sobrou não apena uma ferida cauterizada física, mas uma dor na alma irreparável. Sentindo-se traída, e burra de certa forma, pois sempre seus íntimo disse para não confiar e naquele momento Malévola se tornou o que todos nós conhecemos em outro conto. A beleza de sua alma, sua alegria e bondade partiram junto com suas asas. Stefan também teve sua dose de traição, ao aparecer com as asas e cobrar o decreto do rei, descobriu que jamais seria rei, que jamais tomaria a coroa, então matou o rei e finamente assumiu seu lugar.

Isso causou grande ira em Malévola que ansiava por vingança e conforme o tempo passou amaldiçoou Aurora, filha de Stefan.. Mas o destino sempre tem planos e por mais que haja livre arbítrio.. Ninguém é tão mal que não haja bondade e vice versa.

O restante dessa história linda, muitos conhecem, outros talvez não.
Mas lhes asseguro que sempre fui encantada pelos antagonistas, sempre, desde criança acreditei que nenhum deles era malvado apenas por ser, que por detrás de suas maldades, existiam justificativas e quem sabe redenção.

Malévola é uma das minhas histórias preferidas.. Onde fala amor, traição, morte, perda, ódio, redenção e finalmente onde a bondade sempre vence se estivermos dispostos a nos entregar e nos permitir sentir.

Amo demais esse conto!

"... foi preciso uma grande heroína e uma terrível Vilã para que tudo aquilo acontecesse. E seu nome era Malévola"

E finalmente poderia haver um final feliz e paz entre os povos que a anos lutavam e que trouxeram grandes baixas.. Mas o amor verdadeiro e a bondade, pode reparar tudo! Basta se abrir para o amor!

Fim!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Camila.Brito 23/12/2017

Meu amor de livro
Li em duas sentadas. Apaixonante. Pra quem é fã de Malévola até dorme com esse livro- tipo eu.
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 31/10/2018

“Malévola” pode ser conhecida como uma vilã perversa. Mas não foi assim que sua história começou… “Malévola” era conhecida no reino dos Moors como uma jovem alegre e doce. Ela acreditava na bondade inerente a todos os seres, mas tudo muda quando experimenta o amargo sabor da traição vinda de onde menos esperava. Para lidar com a decepção e proteger seu coração, “Malévola” decide se vingar e enfrenta uma batalha épica contra o rei, amaldiçoando Aurora, sua filha recém-nascida. Mas, como nem tudo é o que parece, será que ainda existe amor no coração petrificado dessa suposta vilã? O que será que ela pensa e sente ao acompanhar à espreita o crescimento da indefesa e pura princesa que outrora amaldiçoara? Descubra nesse livro a verdade por trás dessa história.

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/9788550300900
comentários(0)comente



Elba Mara 01/09/2018

Relembrando um grande filme.
Gosto muito dessa versão de malévola por isso não resisti e li o livro, que nada mais é que o filme escrito.Relembrar os pequenos detalhes da história foi super agradável, entender cada cena nos mínimos detalhes para um fã é importante.Pra quem ama essa vilã que nessa versão tem asas, vale muito a pena.
comentários(0)comente



LT 20/10/2017

Acredito que já está se tornando chato e até mesmo redundante eu começar uma resenha desse tipo de livro falando a mesma coisa, mas é a mais pura verdade: Sou completamente apaixonada pelas histórias da Disney!

Quando era pequena, duas princesas haviam me marcado muito, A Bela, como disse na resenha do livro A Bela e a Fera; e a outra princesa é a doce Aurora, de A Bela Adormecida.

Por isso, quando há um tempo foi noticiado o filme Malévola, fui a loucura, assisti na pré-estréia e chorei horrores por nunca ter imaginado uma história regressa dessa vilã enlouquecida que, consequentemente, justificaria o motivo dessa vingança e do ódio puro.

O livro Malévola é escrito pela Elizabeth Rudnick. Para quem não sabe, Elizabeth é a mesma autora de Frozen e de A Bela e a Fera, publicados aqui no Brasil pela nossa parceira, Universo dos Livros. Sendo assim, como em todos os seus livros, Elizabeth nos traz uma história extremamente encantadora e doce, com uma linguagem fluída e de fácil entendimento que cativa os leitores desde a primeira página.

Em seus livros, temos a junção do que acontece nos filmes, com um pouco da criatividade da autora, e acredito que esse seja o segredo do seu sucesso.

Se você assistiu ao filme homônimo a esse livro, devo dizer que você conhece a premissa e já sabe do que se trata, entretanto, como disse, tem algumas coisas diferentes e elas começam a aparecer no início da história.

O livro é todo descrito em terceira pessoa e se inicia contando um pouco mais sobre Moors e as suas criaturas. Moors é o lugar onde as criaturas mágicas podem viver em paz, isso, em teoria, pois esse lugarzinho está no mesmo universo do mundo humano, e o homem, com a sua ambição e cobiça, sonha em invadir essa área para conquistar as suas terras e riquezas.

Hérmia e Lisandro formavam um casal de fadas diferentes, eles tinham asas e chifres, porém o seu tamanho era semelhante ao dos humanos. Esse casal acreditava na humanidade e na compaixão dos humanos, buscavam resgatar isso em todos os momentos críticos de quase guerra. Mas, nem sempre isso acontece, e em uma dessas guerras os dois foram assassinados pelos homens, deixando órfã a sua filha, a pequena Malévola.

Malévola cresceu com a bondade no coração e entre todas as criaturas de Moors, era brincalhona, prestativa e sempre presente. Independente e dona de uma personalidade cativante assim como os seus pais, a pequena Malévola cresceu ouvindo as pessoas falarem sobre o que os seus pais achavam dos humanos e por isso mesmo, contra todas as outras criaturas, a pequena seguiu os pensamentos dos seus pais de que os homens podem ser bons e até mesmo tinha uma grande curiosidade em conhecê-los.

Um dia, houve uma invasão no reino dos Moors e Malévola encontrou um menino da sua idade roubando pedras preciosas, seu nome era Stefan. Com esse garoto, a nossa protagonista pode matar a sua curiosidade sobre os humanos e conhecer um pouco mais de sua cultura, uma vez que o garoto era jovem e tinha o mesmo histórico de ser órfão.

O tempo passou e a amizade de Malévola e Stefan foi se fortalecendo, crescendo e até virando outra coisa. Eles se tornaram praticamente inseparáveis, no entanto as coisas não foram um conto de fadas. Com o tempo eles começaram a se distanciar, as visitas se tornaram menos frequentes e Stefan, que tinha feito a promessa de um dia morar no castelo, agora trabalhava como servo para o Rei.

Em busca de vingança após a sua derrota em mais uma tentativa de ataque, o Rei decretou que quem matasse Malévola seria o próximo monarca, pois a fada liderou a barricada de defesa do povo mágico.

A ambição é uma doença, uma erva daninha que faz aqueles que são fracos de pensamento irem contra tudo e todos para conseguirem o que querem, e foi isso que Stefan fez e acabou que ele próprio arrancou as asas de Malévola, pois ele estava sem coragem de matá-la. Com as asas ele conseguiria enganar o rei e se tornar o próximo líder.

A partir daí todos conhecem a história, pois é a história da Bela Adormecida, entretanto, o final é um pouquinho diferente, mas se você assistiu ao filme, você já o conhece.

Malévola é muito mais do que uma fada do mal, sem coração, que jogou uma maldição em um frágil bebê pelo fato de não ter sido convidada para uma festa. Ela é uma jovem sonhadora e bondosa, que foi iludida, traída e enganada. Uma fada boa que teve seu coração endurecido pela maldade que pode existir na mente humana.

Esse livro nos mostra que as pessoas não nascem ruins, elas se tornam isso e do mesmo modo que ela pode se tornar ruim, algo pode acontecer para apagar esse sofrimento e a pessoa voltar a ser o que era.

Malévola não é o livro de uma vilã, mas sim a história de uma mocinha que agiu pela vingança para enfim descobrir o amor verdadeiro.

QUOTES
"Essa é a história da fada Malévola. Não é a história que você acredita conhecer. Não é aquela que começa com uma maldição e termina com um dragão. Nada disso. Isso é o que de fato aconteceu. E por mais que possa haver uma maldição e um dragão, ela contêm muito mais. Afinal, é a história de um amor perdido, de amizades encontradas e, por fim, do poder de um único beijo..."

"Foi preciso uma grande heroína e uma terrível vilã para que tudo aquilo acontecesse. E o seu nome era Malévola."

"Naquele instante, uma parte sua morreu. A parte que acreditava na alegria, na esperança e na paz. A parte que acreditava no amor. Essa parte se foi para sempre."

"Estivera tão concentrada no amor que partira seu coração que nunca parara para pensar que existia amor ainda mais profundo e verdadeiro: o amor de uma mãe por sua filha."

"Pois, sem a compreensão do amor, ela jamais conseguiria ter aberto o coração."

Resenhista: Mayara Milesi.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Fabi | @psamoleitura 07/09/2017

{resenha feita no blog PS Amo Leitura}
Malévola era uma jovem alegre e doce que vivia no reino dos Moors. Ela tinha as asas e os chifres mais lindos do reino. Sempre acreditou na bondade de todos e principalmente dos seres humanos e não entendia o porque que seus pais e conhecidos lhe diziam que eram perigosos.

Uma certa vez, Malévola encontrou um humano. Demorou um pouco para se aproximar, mas quando fez isso, acabou se apaixonando por aquele jovem rapaz. Ela confiou plenamente nele e lhe contou diversos segredos. Mas, assim como todos sempre lhe alertaram, Malévola foi traída.

Ter as asas perdidas para os humanos foi uma grande dor, mas essa não era a maior: ter se apaixonado e ser traída daquela forma era a pior que poderia existir. Depois dessa traição, Malévola decidiu que tinha que se vingar por ter tido o coração partido e então ela esperou o momento certo para ir até o reino dos humanos.

Descobrindo sobre a família que esse jovem rapaz estava construindo, ela acaba amaldiçoando a criança recém nascida. A maldição é que em seu aniversário de 18 anos, Aurora irá ter o coração partido, assim como ela, e irá furar o dedo e sangrará até a morte.

Só que com o passar desses anos, Malévola terá grandes surpresas em sua vida. Será mesmo que o seu coração ficou petrificado, tornando-se a vilã da história, ou ainda existe algum rastro de amor?

Quem já assistiu ao filme Malévola, com certeza vai adorar esse livro. A vontade de assistir novamente ao filme aumentava a cada capítulo, pois realmente é parecido, a única diferença é que é narrado de uma forma mais vaga, sem muitos detalhes.

Para quem ainda não assistiu, com certeza vai gostar de conhecer um pouco mais sobre a Malévola e o que ocasionou ela reagir como reagiu e como toda a estória de Aurora irá terminar. Você vai se apegar a alguns personagens e vai sentir raiva de outros, acredite.

Os capítulos são curtos, mas apresentam uma narrativa simples e fácil de ser lida, assim como os outros livros da autora. Os outros livros dela também são relacionados com personagens da Disney (A Bela e a Fera & Frozen) e atinge o público alvo em cheio! Conquista o coração das crianças e até mesmo dos adultos.

Mas em como todos os livros, esse não seria diferente em passar uma mensagem: mostra que não importa se você tenha seu coração despedaçado, vingar-se nunca será a melhor solução. Mostra também como é possível amadurecer com o passar do tempo e aprender com o passado.

Malévola é uma das vilãs que mais gosto da Disney, então esse livro foi como um presente para mim. É aquele típico livro para passar algumas horinhas se deliciando na narrativa e até mesmo para curar aquela famosa "ressaca literária".

site: http://psamoleitura.blogspot.com.br/2017/09/resenha-malevola.html
comentários(0)comente



8 encontrados | exibindo 1 a 8