Além da Magia (Capa Dura)

Além da Magia (Capa Dura) Tahereh Mafi




Resenhas - Além da Magia


36 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Luiza Helena (@balaiodebabados) 19/09/2019

Originalmente postada em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/
Conhecida pela série Estilhaça-me, Além da Magia é a estreia da Tahereh Mafi no gênero infantojuvenil.

Confesso que o início do livro foi um pouco complicado. Demorei muito a me envolver com a história por não conseguir visualizar o ambiente em que ela se passava. Porém, percebi que essa era a intenção da Tahereh; fazer com que foquemos em Alice e sua jornada em busca do Pai.

Gostei muito do crescimento de Alice e Oliver, seu companheiro de jornada. Os dois são bem parecidos no início da história, um pouco arrogantes, mas durante seu tempo em Furthermore nasce uma amizade entre os dois e percebem que pedir ajuda não é algo ruim. Mas, como os dois são bem teimosos, situações acontecem e suas consequências nem sempre são as melhores.

Apesar de ser um livro infantojuvenil, Além da Magia traz boas reflexões sobre aceitação, família, amizade e companheirismo. Alice sempre se sentiu sozinha e isolada por não parecer com os outros habitantes de Ferenwood e Oliver tem medo de que as pessoas se afastem caso conhecessem o seu verdadeiro eu. Até o final dessa jornada em Futhermore, os dois vão aprender que há muito mais do que somente aparências.

Furthermore é uma terra de magia com personagens egoístas e um tanto psicopatas. Muitos compararam o reino com o País das Maravilhas, assim como compararam a história com a da Alice. Bem, fora o nome da personagem e uma terra meio sem noção, não vi muitas semelhanças entre esse livro e o de Lewis Carroll.

A escrita da Tahereh é bem fluída. A narração é feita em terceira pessoa, como se o narrador estivesse contando a história para você em uma conversa, acrescentando seus próprios comentários aos acontecimentos. O livro é dividido em dez partes. Os capítulos não são numerados, mas esse é um detalhe que não atrapalha a leitura.

Além da Magia foi uma experiência interessante. A história aqui tem um final fechado, mas Alice e Oliver fazem participação em A Magia do Inverno. Os dois livros têm histórias independentes.

site: https://balaiodebabados.blogspot.com/2019/09/resenha-430-alem-da-magia.html
comentários(0)comente



Paloma | @ourbookself 15/08/2019

um bom livro
Como o título da resenha já diz, esse livro foi uma boa história. Alguns elementos presentes ali dentro foram bem acertados para o meu gosto: protagonistas crianças, uma aventura, coisas bizarras e a descoberta de sentimentos. Só por isso eu já deveria ter amado toda a história, mas infelizmente isso não aconteceu.
Eu não consegui achar, em nenhum lugar, se esse livro realmente é um reconto de Alice no País das Maravilhas ou não, e isso simplesmente não faz sentido pra mim, já que a história é claramente isso. Não consegui ver muita diferença entre uma coisa e outra, o que acabou prejudicando a minha opinião sobre tudo.
Já conhecia Tahereh de outros livros e não posso negar que sua escrita é fluída e atenta a detalhes, mas nesse caso senti que por mais louco que o mundo construído fosse, ainda assim a autora não soube muito bem conectar todas as suas ideias para que elas fossem coesas entre si.
Li rápido e fiquei bem entretida, ou seja, um bom livro.
comentários(0)comente



Vih Maddox @estante_maddox 19/03/2019

Com um tipo de livro que eu nunca vi antes, Thereh Mafi nos traz a história de Alice Alexis Queensmeadow,uma garota considerada "sem magia" por a sua pele ser extremamente branca.

Vivendo em Ferenwood, uma terra conhecida por sua magia e cores, Alice se vê completamente perdia e sozinha após seu pai ter saido de casa apenas com uma regua e nunca mais ter voltado.

Passados 3 anos do sumiço do pai de Alice e com o coração cada vez mais apertado de saudades, ela decide partir em busca dele, mas antes ela precisa passar por um teste que determinará se ela irá receber uma missão como todos da vila ou ser uma "inútil", o que acaba sendo uma péssima experiencia.

Triste e sem experanças, Alice acaba recebendo uma visita inesperada de um garoto que já havia estudado com ela. Oliver diz que sabe onde o pai dela está, mas que precisa dela ou não conseguirá resgatar o pai.

Alice e Oliver partem para o resgate em uma terra desconhecida - Futermore, um lugar místico que a maioria das pessoas acreditam que não passa de uma lenda, com regras confusas e muito perigoso.

Para encontrar o pai, primeiro Alice precisará encontrar a si mesma, mas será que ela é forte o bastante para isso? Alice sente que Oliver esconde um grande segredo, poderia ele não ser o parceiro ideal para o resgate?

Esse foi um livro que me surpreendeu bastante e que não me deixou ficar sem curiosidade nem por um minuto, mesmo sendo um livro juvenil, ele acaba tendo tensão, suspense e até um pouco de romance. Tahereh Mafi novamente nos deixa encantada e com vontade de ler uma continuação para Oliver e Alice.

site: https://www.instagram.com/p/BuRQONNAQMt/
comentários(0)comente



Kath 29/10/2018

"Estar viva, percebeu, era muito cansativo."
Minha irmã comprou esse livro e o sequente na Avon. Confesso que, no início, não estava dando muito nele não, pela capa a gente até acha que é livro para criança, de certa forma até serviria, se você cortasse uma ou outra cena, mas a verdade é que, se a gente for olhar direito, é muito mais profundo que isso. Quando comecei a ler não consegui entender nada por uns bons dois capítulos até começar a me inteirar da história e, mesmo quando comecei, não achei que me chamaria atenção como chamou.

Alice nasceu em Ferenwood, um lugar onde as cores são a fonte de magia das pessoas que sobrevivem dela e da sua relação com a terra, levou um tempo até que eu compreendesse de fato isso, principalmente porque a "relação mágica" desse povo é quase (se não for) uma analogia ao cultivo agrícola dos nossos antepassados, que tiravam sua subsistência da terra e da natureza sem agredí-la. A coisa é que, apesar da magia, esse povo vive de forma muito "normal", além de serem um vilarejo bem capitalista e Alice faz parte da classe social que precisa lutar para sobreviver.

Há três anos o pai da menina saiu de casa sem dizer nada a ninguém e nunca mais voltou. Mesmo que no fundo não quisesse acreditar, Alice sabia que ele estava morto. Sentia falta de Pai como um peixe da água ao se vitimizar no anzol de um pescador. Prestes a completar doze anos, a menina se prepara para a Entrega, primeiro porque quer receber um desafio que lhe guie a uma aventura longe de Ferenwood onde todo mundo lhe olha diferente e onde ela não tem amigos. O problema é que, mesmo tendo nascido em Ferenwood, onde tudo (e todos) é colorido, Alice não tinha cor.

Tudo na sua vida vira de ponta cabeça alguns dias antes da Entrega quando ela é abordada por Oliver Newbanks, o garoto que a fez ser expulsa da escola e o principal responsável pelo tremor na autoestima de Alice. Quando estudavam juntos, Oliver era o tipo de pessoa "popular", mas Alice não gostava dele, pois não o via como nada além de um mentiroso. E Alice não mentia. Por isso, Oliver a odiava, ele espalhara para todo o vilarejo que ela era a menina mais feia de toda Ferenwood e isso machucara Alice mais que tudo. Por isso, anos depois, vê-lo próximo a ela tentando se aproximar era inadmissível. Mas ela admitia que ele tinha coragem de pedir a ajuda dela para cumprir seu desafio.

Porém, mesmo magoada com tudo que ele lhe fez, ela logo muda de ideia quando falha na Entrega de maneira miserável, e então descobre que o desafio de Oliver é trazer seu pai de volta para casa e, sobretudo, quando ele lhe diz que sabe onde Pai está. Alice não pensa muito, não tem ninguém para sentir sua falta, Mãe certamente não irá e os irmãos dela mal a conhecem. Assim, Alice embarca com Oliver para Futhermore, contudo, sabe que não pode confiar nele, pois Oliver é um mentiroso e convence-se que não está ali para ajudá-lo, mas para benefício próprio que é encontrar Pai.

Mas sua aventura pela terra selvagem de Futhermore vai se mostrar muito mais perigosa do que parece quando Alice descobre que seres mágicos como ela podem ser o prato principal para as criaturas daquele lugar e que eles estão vigiando de perto cada um dos seus passos. Pior que isso, decide dar um voto de confiança a Oliver apenas para descobrir a verdadeira razão pela qual ele a levou naquela viagem. Alice assim vai aprender a amar profundamente a si mesma, a aceitar o outro como ele é e, sobretudo, vai aprender que sua verdadeira cor pode ser mais brilhante que qualquer outra que ela almeje ter.

Posso dizer que, das muitas impressões que tirei de Além da Magia, ele pareceu um livro sobre preconceito principalmente. Alice era discriminada por não ter cor e isso pode ser uma boa analogia ao racismo. Mas, além do preconceito geral, havia principalmente o modo como a própria menina se via, tanto influenciada pelas palavras cruéis de Oliver quanto pelo modo como as pessoas a olhavam. Outra coisa que me chamou a atenção foi Futhermore e Ferenwood, ambos os mundos eram mais ou menos como alusões a nossa sociedade em dimensões diferentes, o primeiro, pela sua selvageria e manipulações parecia mais, inclusive, em algumas passagens eu achei muito Brasil:

"Você está querendo dizer que os Futhermore não gosta que s visitantes tomem decisões conscientes?' "É claro que não gostam - Oliver confirmou, puxando a régua da mão da garota. - É muito mais fácil devorar pessoas burras."

Pra mim o livro passou várias mensagens bacanas e momentos reflexivos que me fez olhar ao meu redor sob uma nova ótica, para ser o primeiro livro da autora que eu pego, foi bom. Apesar de que o modo como ele foi narrado (um narrador meio personagens meio observador) fez com que eu demorasse mais a me acostumar. Como ele acabou bem fechadinho, fiquei curiosa para saber como vai ser o segundo. Enfim, recomendo muito pra quem procura uma fantasia densa de significados. Valeu a pena. Aí vai mais dois quotes que marquei:

"Oliver não entendia que um coração partido que não recebesse cuidados por muito tempo deixava de bater."

"Alice sabia que ser diferente sempre seria difícil; sabia que não existia magia capaz de abrir a mente fechada das pessoas ou acabar com as injustiças da vida. Mas também começava a entender que a vida nunca era vivida em termos absolutos. As pessoas a amariam e a desprezariam; elas mostrariam tanto gentileza quanto preconceito. A verdade era que Alice sempre seria diferente - mas se diferente era extraordinário. e ser extraordinário era uma grandíssima aventura. Como o mundo a via, isso não não tinha importância. O que importava era como Alice se via."
Juh 23/03/2019minha estante
Eu amei a narrativa ? foi o que mais me prendeu no livro


Kath 23/03/2019minha estante
Eu demorei um pouco pra acostumar porque é um pouco diferente, mas foi interessante sim.


Juh 26/03/2019minha estante
Eu nunca li um livro com essa narrativa, achei muito legal




danigobbo 28/10/2018

Whimsical!
Um dos meus livros preferidos do ano! É praticamente uma poesia sem sentido, com uma história linda. Um livro que eu queria ter escrito, com uma personagem que eu queria ser. Amei!
comentários(0)comente



Marcelo S. 01/10/2018

Outro que jamais teria lido, porem...
Outro livro que jamais teria lido senão fosse indicação do clube skoob. SUPER recomendo. Otima história, divertida e cheio de magia e desafios. Recomendo. Nota 4/5
comentários(0)comente



@o_jardim_das_palavras 15/09/2018

Além da Magia
Alice é uma menininha muito peculiar que acaba de completar 12 anos. Ela quase não tem cor e é vista com outros olhos em um mundo de pessoas extremamente coloridas: peles e cabelos verdes, azuis, vermelhos e de todas as cores que puder imaginar. É esperta e apesar da pouca idade, já teve seu coração partido pela falta de Pai, que sumiu.
Oliver é um menino aparentemente irritante de 13 anos, que Alice não gosta nem um pouquinho, mas que de repente se vê obrigada a conviver em sua jornada para tentar encontrar Pai em Furthermore, lugar que pode ser encantador e aterrorizante ao mesmo tempo.
Dito isso já podem imaginar a confusão: Alice não leva desaforo para casa. E a partir daí temos uma história narrada de um modo bem peculiar.
As palavras e expressões usadas pela autora (pelo menos na tradução), remetem à sentimentos e conflitos infantis, sem nunca ser infantil demais. É um livro de leitura extremamente agradável, que te prende do início ao fim, e que foca muito nas aventuras, deixando a conclusão curta, resumidamente explicada, mas nada insatisfatório.
Uma das coisas mais lindas desse livro são as lições de amizade, amor, perdão e confiança. Alice se vê obrigada a confiar num garoto que nunca gostou, a aprender a deixar de lado mágoas e ressentimentos, e ainda ser corajosa em nome do amor que sente por Pai, enfrentando dezenas de perigos, e provando a si mesma que todos aqueles que diziam que ela não era capaz, por não ter cor e portanto não ter magia, estavam errados.
É um livro leve, cheio de aventuras, perigos e situações cômicas (o que eu amei), e me lembrou um pouquinho "Alice no País das Maravilhas" (assisti o filme infantil apenas). E, se você gosta, provavelmente vai gostar da história dessa outra Alice também.
comentários(0)comente



Lisse 11/08/2018

Encantadoramente mágico
Alice é uma pessoa incomum dentro de Ferenwood, sua cidade natal. Lá onde o mundo é repleto de cores e magia, a jovenzinha de 12 anos é a única bem branca e que não possui magia. Mora com os irmãos menores e com a mãe, já que o pai está desaparecido há três anos.

Quote: "Seus cabelos e pele eram brancos como leite; o coração e a alma leves como seda. Os olhos haviam praticamente sido poupados de cores, traziam apenas o mais discreto toque de mel. Era o tipo de criança que seu mundo seria incapaz de apreciar."

E por conta da sua falta de magia, Alice não sabe lidar bem com esse excesso de diferença com os outros moradores. Além do sumiço do pai que era a pessoa na família que se relacionava muito bem, já que a mãe agora se tornou um pouco amarga e distante.

Agora, aos 12 anos Alice como todo o jovem em Ferenwood precisar encarar a Cerimônia de Entrega. É basicamente o dia em que cada jovem mostra seu talento para a cidade através de uma apresentação, onde era oferecido um desafio especial. E esse é o momento mais triste para Alice já que ela é a única sem cor e não possuir magia.

Quote: "A cerimônia da Entrega, que acontecia todos os anos, chegaria em poucos dias, e Alice, decidida a vencer, sabia que essa era sua chance de embarcar em uma experiência nova."

Mas Alice não está em Ferenwood sozinha. Oliver é um antigo colega de escola que é um tanto sincero demais, e a convida para entrar numa aventura para encontrar o pai desaparecido. As dicas que Oliver possui é que eles precisam ir para Futhermore e tentar descobrir onde Pai está.

Futhermore é um mundo totalmente novo em que o tempo é muito importante, e é muito diferente de Ferenwood. E eu amei cada pedacinho dessa aventura deles. Cada pequeno detalhe inserido se torna especial e tem todo um significada para que Alice e Oliver aprendam algo para amadurecer.
Quote: "Por que você precisa parecer com o restante de nós? [...] Nós que mudemos o nosso jeito de ver. Não mude o seu jeito de ser."

Não dá para falar mais para não correr o risco de dar spoiler. Cada pequeno detalhe é importante para o desenvolvimento da história. E sinceramente eu tinha pensado que ia odiar esse livro, pois não li ou assisti a obra original de "Alice no País das Maravilhas" ou até o pouco que sei sobre "O Mágico de Oz". Mas há similaridades com essas duas narrativas, além de todo o cuidado que a autora teve ao retratar uma jovem que tem um desenvolvimento muito grande dentro da história.

Nunca tinha lido fantasia infanto-juvenil e simplesmente amei. É muito diferente de tudo que já li. Taheref Mafi tem uma escrita tão singular como sua personagem. É poético e construtivo, com personagens bem construídos e distintos. Indico muito esse leitura!
comentários(0)comente



Tamirez | @resenhandosonhos 30/07/2018

Além da Magia
Esse foi o meu primeiro contato com a autora da série Estilhaça-me e posso dizer já de cara que gostei muito da forma como ela escreve. A sua primeira história publicada por aqui, que inicialmente foi lançada pela Novo Conceito, mas que agora está sendo toda republicada pela Universo dos Livros, com a chegada do quarto livro, nunca me chamou muito a atenção or eu já ter ouvido muito sobre o romance que se desenvolve, que é algo que não funciona comigo. Portanto, deixei de lado e fiquei feliz quando uma nova oportunidade surgiu para que eu conhecesse seu trabalho.

Essa nova série de livros, teoricamente, pode ser lida se forma independente, sem a necessidade de seguir uma ordem. Além da Magia, portanto, funcionaria como uma livro único ou como o primeiro para os que virão na sequência. A proposta da série é nos apresentar mundos mágicos que se interligam, e em cada um deles trazer um protagonista diferente.

Aqui conhecemos Alice, uma garota desprovida de cor em um mundo onde isso é sinônimo de poder. Isso, obviamente, faz com que sua auto estima e confiança fique abalada, e o desaparecimento de seu pai, seu porto seguro, agrava ainda mais a situação. A menina então sairá em uma aventura até Futhermore em busca de respostas e de encontrar o pai pelo caminho, se tudo der certo. Porém esse é um local diferente, com regras diferentes e cheio de armadilhas.

“Era só que ela já gostava tanto de si mesma e se achava tão interessante (e inteligente e criativa e legal e engraçada e amigável e autêntica) que ela realmente não conseguia entender por que não era mais fácil para ela se misturar.”

E é ai, que além do nome, Alice também compartilha outras semelhanças em sua história com uma outra menina que também vai parar em um outro mundo, encontra coisas estranhas e precisa passar por muitas aventuras e situações inusitadas até poder voltar pra casa. Apesar de a referência estar clara pra mim, a autora não afirma que seja uma inspiração e portanto vai do desejo ou não do leitor de levar isso em consideração.

Pra mim foi impossível ignorar e, portanto, em vários aspectos, achei a história bastante semelhante. Porém, o que se destaca mesmo nessa história é Alice, seus conflitos e sua personalidade. Ela é uma menina de 12 anos e, por isso, não é mas tão criança e já tem suas muitas opiniões e vontades. A jovem não está disposta a aceitar muita ajuda e não gosta de ouvir a opinião alheia, o que a coloca em muitas confusões e a mim pelo menos, a fez soar como uma garota birrenta e egoísta em muitos momentos. Tem um em especial, que eu senti muita raiva da personagem pelo vitimismo que estava acontecendo em uma situação em que ela tinha a faca e o queijo na mão pra solucionar o problema.

E essa é praticamente a única coisa que impediu que eu tivesse uma experiência completamente positiva com a história, juntamente com o final corrido que se resolve em meia dúzia de páginas. Quando me aproximava do fim comecei a pensar que o negócio de a história se fechar e funcionar como livro único era uma mentira, pois faltava muito pouco para acabar e não havia nada resolvido. Dai, de uma hora para a outra tudo é solucionado. Eu fiquei com uma sensação de que precisava que houvesse uma proporção melhor nas coisas.

Fora isso, os mundo são muito interessantes. Vale a pena ressaltar que a autora nos apresenta a eles com suas características e não tenta ficar encaixando explicações ou lógica. Então também é necessário ir com a história e descobrir pouco a pouco as particularidades de cada local.

Além de Alice temos um personagem que entra logo no começo que é Oliver Newbanks. O garoto fez bullying com a jovem na escola e não causou uma boa impressão, por isso, quando volta a aparecer na vida dela, há uma enorme desconfiança. Sentimento esse que se tornou meu. Se teve alguém em quem eu não confiei nem um pouco por todo o livro, foi em Oliver. Isso, porém, não quer dizer que ele seja alguém que “merece” toda essa atenção, mas também não consegui ignorar.

E, por trás de todo o mundo mágico, os lugares diferentes, os personagens e a trama central do livro, há vários temas que a autora trabalha nas entrelinhas, misturado à história. Perdão, amizade, pertencimento, família. Se você olhar atentamente, vai se pegar enxergando várias coisas que podem passar despercebidas, como referências ou trocadilhos.

Em termos de narrativa, achei muito fácil navegar pelas páginas e pela história de Alice. Como já mencionei, a escrita da autora é bem gostosinha e o livro acaba sendo uma leitura rápida e divertida, afinal há um certo humor que norteia também a trama. Acho que mesmo que seja um livro voltado a um público mais jovem, funciona também com os adultos, além de ter uma cenas que eu até considerei fortes para serem lidas por crianças mais novas. Mas, talvez eu esteja sendo super protetora, afinal, muitas crianças já estão jogando vídeo game de tiros e matança desde muito novos. Apenas vale saber que há pelo menos dois momentos onde há situações que podem sair um pouco do padrão mais inofensivo.

Enquanto escrevo essa resenha, já fiz a leitura do segundo livro, A Magia do Inverno e antecipo que acabei gostando mais dele do que de Além da Magia. E, pra quem se apaixonar por Alice e Oliver (ou apenas um deles), eles vão dar suas caras por lá também, interligando as histórias, mas mantendo a lógica do “pode ser lido separadamente”.

Então, se você está a procura de uma história lúdica e cheia de aventura pelos olhos de uma jovem garota, Além da Magia é uma boa pedida. Tahereh Mafi sabe muito bem encantar e conduzir o leitor e Alice, mesmo com seus altos e baixos, tem muitas lições a nos ensinar.

site: http://resenhandosonhos.com/alem-da-magia-tahereh-mafi/
comentários(0)comente



Thiago coss 14/07/2018

Encantador U.U
‘Além da magia’ foi uma leitura bastante agradável, divertida e peculiar. A abordagem da narradora no meio da história foi bem estranho, mas acabei gostando disso, a narradora pausa a história para dar algumas informações valiosas. A construção de Ferenwood e de toda Futhermore é bem louca. É quase que impossível não imaginar esses mundos como um filme do Tim Burton. Acho que não foi uma consciência a protagonista ter o nome de Alice, em determinados pontos lembram a história de Lewis Carroll. O livro é todo bonitinho, fofinho, verdadeiramente digno de um conto de fadas, mas algumas cenas são dignas de filme de terror. Bem freak.

Os personagens são maravilhosamente complexos. Alice, a única pessoa sem cor em toda Feren, é muito explosiva. A história dela é bem comovente e no início chegou a me cativa, mas... em determinado ponto a personalidade da Alice começou a me incomodar. Certamente, Alice é o tipo de criança em que eu daria um bicudão atrás da cabeça. Oooh piveta teimosa. Oliver, aaahhh, Oliver que foi um bundão no passado e que agora é um amorzin.

Apesar de ser um pouco infantil, o livro trás ensinamentos sobre a vida, amizade, família, sonhos. Uma lindeza.

site: http://thicoss.blogspot.com/2018/07/resenha-alem-da-magia-tahereh-mafi.html
comentários(0)comente



Debyh 25/06/2018

Bem-vindo ao fantástico mundo no qual cor e magia andam de mãos dadas! Preciso começar dizendo que se tem uma coisa que me pegou na leitura foi como tudo por aqui era muito louco e ao mesmo tempo fazia muito sentido. Sério. O mundo em Ferenwood se resume a duas coisas: magia e cores. Coisas que eu adoro, e num começo de série tornou tudo extremamente encantador.
Alice completou 12 anos e com essa idade ela pode finalmente receber sua missão, que é algo que todos fazem após essa idade. Lá em Ferenwood funciona assim, magia e cores são importantes para praticamente fazer qualquer coisa. O grande problema de Alice é que ela é praticamente sem cor, e não se considera uma grande usuária de magia. Porém, quando percebe que finalmente tem pistas de onde seu pai possa estar ela resolve que mesmo entendendo tão pouco sobre Futhermore (um local distante) precisa encontrá-lo. Juntamente com Oliver, Alice parte em uma jornada perigosa que pode revelar muitas coisas das quais ela não fazia ideia.
(continua no link)

site: http://euinsisto.com.br/alem-da-magia-futhermore-1-tahereh-mafi/
comentários(0)comente



De Olivato - @olivatobooks 26/05/2018

Encante-se pelos detalhes
Este livro nos conta a história de Alice Alexis Queensmeadow que tem 12 anos e mora em Ferenwood, uma terra conhecida pelas suas cores e magia. Faz 3 anos que ela não vê o pai que um dia saiu de casa carregando apenas uma régua e não voltou.

A saudade aperta cada vez mais o coração da menina, pois o seu pai era também seu único amigo, a única pessoa que entendia a sua falta de cor em uma cidade tão colorida, que dizia que Alice era perfeita do jeito que era e não desistia até convencer de que ela era mesmo perfeita.

Um dia, Oliver, um garoto que estudou junto com a Alice quando ela era mais nova, vai procurar nossa protagonista e diz que sabe onde seu pai está, mas que ele não consegue sair de lá sem a ajuda dela.

Alice e Oliver então partem para o resgate do pai em uma terra conhecida como Furthermore – um lugar místico que a maioria das pessoas acredita que não passa de uma lenda, com regras confusas e muito, muito perigoso.

Será que nossa protagonista é forte o bastante para ajudar a trazer o pai de volta para casa? Alice sente que Oliver tem um segredo, o que ele não está contando para ela? Oliver é conhecido por ter o poder de convencer e mentir para as pessoas, poderia ele não ser o parceiro ideal para essa jornada? Para encontrar seu pai, Alice pode ter que primeiro encontrar a si mesma.

Tahereh criou uma história bem divertida e fluida de se ler, é uma fantasia voltada para o juvenil, então várias vezes enquanto eu lia e achava a linguagem meio boba, mas depois que peguei o ritmo, tive uma surpresa boa.

Um ponto negativo é que o final foi corrido demais, quando eu vi que a história estava ficando grande demais para o restante de páginas que ainda faltava, fiquei um pouco tenso. Não que o final seja ruim, só é muito rápido.

No Skoob, eu dei 4 estrelas e recomendo para todos que querem ler uma história nova que encanta pelos detalhes.

site: https://www.instagram.com/p/BixG5DaHCQ6/?taken-by=olivatobooks
comentários(0)comente



SahRosa 18/04/2018

Resenha exclusiva do blog Da Imaginação à Escrita
Percorrendo o catálogo de áudio books da Ubook, eu me deparei com Além da Magia de Tahereh Mafi. Nem preciso dizer o quanto fiquei louca para ouvir esse livro não é? Este é o quarto áudio book que finalizei e sem dúvidas foi o mais mágico! Ferenwood vai deixar saudades mas com certeza voltarei logo, afinal a continuação está aí e pretendo ter ambos na estante!

Além da Magia é um livro juvenil mas que recomendo a todos, pois o encanto dessa história e sua mensagem de amor, sonhos e esperanças deve ser lida por qualquer leitor, independente da idade! Alice a jovem heroína nesta obra é bastante simpática, possui um gênio forte e que luta com todas as forças em aquilo que acredita; Ao lado de Oliver, ela irá vivenciar a maior das aventuras, encontrar Pai que desapareceu a muito tempo, levando consigo apenas uma régua!

A jornada de Alice a levará para Furthermore, um mundo cheio de perigos, pronto para literalmente devorar a nossa heroína e seu amigo! A princípio Além da Magia me fez lembrar muito a obra de Lewis Carroll, a semelhança digamos que seja apenas o mundo colorido e estranhamente louco e intrigante que ambos os livros possuem, uma bizarrice apaixonante, afinal Ferenwood e Furthermore são mundos diferentes de tudo que o leitor já encontrou e isso me fez lembrar demais da trama de Carroll.

Tahereh Mafi sinceramente me surpreendeu com Além da Magia que é completamente diferente do primeiro livro que li dela: Estilhaça-me. Ao lado de Alice e Oliver, encontramos uma jornada rica em detalhes, com personagens incrível e muita magia! Ouvir este livro me proporcionou uma experiência única, completamente diferente dos demais livros que ouvi na Ubook, pois é uma aventura fantástica, sensacional e completamente envolvente.

Mas apesar de ter gostado muito de Além da Magia, não nego que certas partes da história foram bem confusas e demorei um pouco mas bem pouco mesmo, para mergulhar de cabeça neste mundo louco e apaixonante, quando isto aconteceu fiquei sem chão e pensava apenas em ficar grudada no celular com meu fone de ouvido para não perder nada de Além da Magia!

Além da Magia é uma história que aguça nossa imaginação e é cheia de detalhes lindos, colorido e de pura emoção, pude sentir cada um desses detalhes como se estivesse pertinho de Alice e Oliver! No desfecho do livro eu precisei segurar as lágrimas, afinal ao longo de toda trama vemos o amor de Alice por seu Pai e o quanto ela quer traze-lo de volta para casa, nossa protagonista passa por tantas provações que quando a história chega no fim é muita emoção aflorando de uma vez!

Enfim, Além da Magia já tem um espaço reservado no meu coração e digo mais, para quem busca uma história tocante, cheia de aventura e com muita magia, aposte com todas as suas forças neste livro!

site: https://www.daimaginacaoaescrita.com/2018/03/resenha-alem-da-magia-tahereh-mafi.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Adriana 16/04/2018

Recomendo!
Que amorzinho de livro! Alice é muito espirituosa e inteligente. Uma personagem que cativa nas primeiras páginas.
comentários(0)comente



36 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3