Frente de Tempestade

Frente de Tempestade Jim Butcher




Resenhas - Frente de Tempestade


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Anderson Tiago 08/09/2014

Dresden Files - Jim Butcher
Texto de Daniela Lengkeek para a sessão Dica da Semana do site INtocados: www.intocados.com.br

Harry Dresden é um mago que faz investigações paranormais na cidade de Chicago. Os negócios não vão muito bem e ele está sempre sem dinheiro, mas ele é o melhor no que faz e, provavelmente, o único no ramo. Tanto que até o departamento da polícia de Chicago o contrata para ajudar em investigações quando essas são, digamos, um pouco fora do comum. E Harry sempre acaba se dando mal.

Os Arquivos Dresden mistura o sobrenatural com investigação policial. Frente de Tempestade é o primeiro livro da série, que hoje conta com 15 livros. O começo da série é um pouco lento. Isso porque Jim Butcher, o autor, vai, aos poucos, desenvolvendo esse mundo paranormal do qual Harry faz parte. E, claro, o que faz essa série tão especial é o próprio personagem principal. Harry Dresden é poderoso e tem bastante conhecimento de sua magia. Ele é cínico e irritável. Mas no fundo tem um coração mole e sempre acaba ajudando os outros.

Apesar da série ser longa - e mais livros estão a caminho - é bastante ovacionada por leitores no mundo inteiro. Não é para menos: uma vez que você entra no mundo de Harry Dresden não vai mais querer sair de lá.

O já citado primeiro livro, Frente de Tempestade, foi lançado no Brasil pela editora Underworld, mas a série encontra-se descontinuada no momento. Esperamos que alguma outra editora possa dar continuidade a essa excelente fantasia urbana.
comentários(0)comente



Diego Matos 07/02/2013

Surpreendente, positivamente um livro muito bom!
Adorei o livro, seu estilo místico contemporâneo mesclado a narrativa policial investigativa cafajeste clássica são a formula desse livro, muito divertido. Claro que ela mantém seu ar de suspense e mundo obscuro como é proposto, mas seu humor negro é impagável. Sem falar no personagem principal, aquele tipinho que você adora e odeia ao mesmo tempo. Muito bom mesmo, aguardo ansioso pela continuação.
comentários(0)comente



Maikon Parreira 23/01/2013

Mais do mesmo [SEM SPOILERS]
Eu sempre gostei de livros onde o protagonista usa magias, evoca demônios ou coisas do tipo. Recomendo a série Ardiloso Cortês. Meu personagem preferido no jogo Diablo, era o macumbeiro. O que isso tem haver com o livro?
Bem, o livro conta a história de um bruxo, Henry Dresden, que trabalha como consultor e detetive particular. Ele atua na cidade de Chicago auxiliando a polícia local. Na metade do livro, já dá para saber quem era o Sombra. TUDO no livro é óvio. Outra coisa que não gostei foi o execesso de personagens que o livro apresenta. São tantos que no final ele tem que abandonar alguns pelo caminho. E são personagens que daria um sentido interessante na história. De qualquer forma, vou procurar pelos outros livros, eu acredito que possa melhorar.
Bighi 23/01/2013minha estante
Essa série do Dresden fez tanto sucesso lá fora que incentivou alguns autores a criarem séries no mesmo estilo, copiando o Dresden.

Dessas séries derivativas, as que mais conseguiram se destacar foram a série Iron Druid Chronicles e a do Ardiloso Cortês, que você recomendou.

Talvez o livro só pareça mais do mesmo porque você leu primeiro a cópia (Ardiloso Cortês) e depois a origem do estilo (Dresden).

É como ler várias séries mais modernas de fantasia e depois ler Senhor dos Anéis. Vai parecer que SdA é apenas mais do mesmo.


Maikon Parreira 23/01/2013minha estante
Sim, a gente até chegou a debater isso. Eu escrevi essa resenha logo após a conversa. E hoje considero que Ardiloso teve MUITA referência da série do Dresden. Porém, eu não retiro o fato do primeiro livro ter muitos personagens interessantes que foram mal aproveitados. Isso foi um erro muito grave de roteiro, na minha opinião.




Psychobooks 10/09/2012

Abandonei
"Meu nome é Harry Blackstone Copperfield Dresden." Essa foi a primeira coisa que li no livro e na hora me lembrei do David Copperfield e aparência do autor ajudou bastante na associação.
Mas voltando ao que interessa, Harry Dresden, como é popularmente conhecido, é um verdadeiro bruxo das páginas amarelas que resolve pequenos mistérios e presta serviços de consultoria para a polícia em casos aparentemente inexplicáveis.
Sinceramente achei o livro uma grande sátira, parece que o autor escreveu a obra debochando de histórias de fantasias.
Criaturas mágicas e/ou lendárias como ogros e vampiros, são chamados de seres da terra do NuncaNunca, escrito exatamente dessa maneira.
Em momento algum consegui levar o enredo a sério. O personagem principal é um tremendo fanfarrão e pra ajudar na "imagem" do Harry, ele tem um espírito do ar que é um tremendo tarado.
Sério galera, não consegui levar a leitura até o fim, não me prendeu, primeiro pelo enredo em si, não consegui armazenar praticamente nenhuma das informações lidas eeeeeee, os erros gramaticais eram de doer a alma e estão ao longo de todo o livro, certeza que se a Albalena estivesse lendo o livro, ela teria abandonado logo nas primeiras 50 páginas lidas. (Eu QUASE terminei de ler, mas perdi o pique)


Acesse:
http://www.psychobooks.com.br/2012/07/abandonei-frente-de-tempestade.html
Bighi 23/01/2013minha estante
Eu li o livro em inglês. É triste saber que traduziram mal alguns nomes e ainda traduziram com esses de grafia.


detinn 02/05/2013minha estante
Terminei de ler agora em inglês. Não sabia que tinha em português.




Juliana Pires 17/05/2012

Frente de Tempestade - Jim Butcher / Underworld
"Meu nome é Harry Blackstone Copperfield Dresden. Evoque por sua conta e risco. Quando as coisas ficarem estranhas, quando aqueles que se escondem na escuridão se revelarem através das luzes, quando ninguém mais poder lhe ajudar, me dá uma ligada.
Meu número esta na lista."

Existe dois gêneros literários pelos quais eu sou apaixonada, os livros de fantasia e os policiais. Gêneros bem diferentes não é mesmo. Então o que dizer sem ser passional de um livro que une tão bem esse dois gêneros, senão AMEI, muito obrigado Jim Butcher.

Harry Dresden é um bruxo e seu nome está nos classificados, é isso mesmo, ele é o único em seu ramo, e além de trabalhar como detetive particular, também auxilia a polícia de Chicago quando algum caso extrapola o limite da razão.

Um casal é encontrado morto num luxuoso quarto de hotel sob circunstâncias suspeitas, há algo de muito errado na maneira como as mortes aconteceram, um ser humano seria incapaz de cometer aquilo, por isso a detetive Murphy responsável pelos crimes inexplicáveis do departamento de polícia da cidade de Chicago chama Harry Dresden para auxiliá-la na investigação.

Mesmo sendo um poderoso bruxo, os negócios dele não vão nada bem. O aluguel está atrasado, o carro esta sempre precisando de concerto e as únicas ligações que anda recebendo são de pessoas querendo saber se ele é mesmo um bruxo ou de proprostas de emprego ridículas. É o trabalho que presta para a polícia que paga as suas contas, por isso sempre que Murphy liga ele vai ao seu encontro.

O mundo real não sabe sobre o mundo mágico, mais isso não impede a interação de ambos e quando isso acontece quase nunca acaba bem para os seres humanos e toda vez que algo desse nível chega aos mãos de Murphy é a Harry quem ela pede ajuda.

O que aconteceu naquele quarto de hotel faz com que Harry passe mal, nunca antes havia visto algo desta magnitude. Aquilo não só extrapola os limites das leis humanas e não é só mais um crime violento na cidade de Chicago. O que aconteceu ali é o pior crime que um bruxo pode cometer, usar magia negra para matar seres humanos.

Para azar de Harry o único bruxo na região capaz de cometer uma magia grandiosa daquelas, é ele mesmo e isso o colocará em um série de problemas ao tentar encontrar o culpado, ainda mais quando outro corpo de uma pessoa ligada a ele é encontrado nas mesmas condições.

Eu tenho que confessar que eu gosto muito mais de livros com protagonistas masculinos, não sei o motivo, mas é que por alguma razão que só o universo conhece eu me identifico muito quando são os caras que narram a história, esse foi um dos fatores de eu ter gostado tanto desse livro, além é claro de toda ação proporcionada pela investigação policial e pela criação de um mundo mágico com as próprias regras, e com um toque bem de leve de romance fez com que esse livro passasse para a categoria dos meus favoritos.

Harry Dresden é um cara normal com poderes mágicos, o engraçado é que pela capa eu achei que ele fosse um super bruxo mega power poderoso e f*dão, mas na verdade é que mesmo sendo muito poderoso ele é um cara atrapalhado que vive se metendo em encrencas e situações hilárias e não tem nenhuma sorte no amor.

O meu único porém fica por conta da revisão do livro que não foi das melhores, algumas palavras repetidas, outras mal colocadas e tem até uma expressão que não tem significado ("cque nemomo"), nada que atrapalhe a leitura do livro, mas é bem chato. A Underworld tem uma proposta bem interessante de trazer ao mercado nacional títulos diferentes e eu tenho vários títulos deles (que são realmente muito interessantes), acho que para ficar melhor ainda deveria haver mais capricho na traduação e revisão dos livros.

O livro tem um história fechadinha, mas para o azar do meu bolso e sorte do meu vício lá fora já foi publicado o décimo segundo volume da série, o fato é que quando eu terminar de lê-la em português estarei levando meus filhos (que ainda não nasceram e sem previsão para de fato ocorrer) adolescentes à escola.
comentários(0)comente



Veneella 12/04/2012

Mais em http://www.bookpetit.com/
Resenha Completa: http://www.bookpetit.com/2012/02/frente-de-tempestade-os-arquivos.html

Frente de Tempestade foi um livro, no mínimo, intrigante. Ele não trata apenas da temática dos bruxos e feitiços, mas também traz elementos do mundo das fadas, vampiros e todo o tipo de criaturas mágicas em geral. Apesar de ter vários elementos já conhecidos, o livro tem uma mitologia própria e bem diferente, trazendo os vampiros, pixies e demônios à sua própria maneira.

(...)

O livro tem uma trama ótima e muito bem pensada. Harry é tão azarado e arruma tantos problemas, coitado, que é difícil saber quem foi o responsável quando acontece um atentado a vida dele, e você fica o livro inteiro se perguntando quem afinal é o bandido da história. Dresden tem várias peculiaridades, não apenas por ser bruxo, que acabam colocando-o em várias situações até mesmo cômicas. O livro tem vários personagens interessantes, e o engraçado é que o Harry tem várias mulheres bonitas na vida dele e você fica se perguntando se ele vai ficar com alguma delas (mulheres e sua sede por romance). Ele tem um jeito que, muita das vezes, é atribuído aos nerds; expert no que faz, mas não sabe lidar com mulheres, é tímido...

(...)
Os Arquivos Dresden não é daquele tipo que acaba de forma abrupta, deixando um milhão de coisas para o próximo. O livro é bem finalizado, e agora só resta esperar pela próxima aventura de Harry Dresden.
comentários(0)comente



Raven 11/02/2012

Harry Blackstone Copperfield Dresden é simplesmente delicioso. Em todos os sentidos.
comentários(0)comente



Vivi Martins 02/02/2012

Esta é a história do bruxo Harry Dresden, que eventualmente atua como consultor do Departamento de Polícia de Chicago quando há necessidade de uma consultoria que envolva eventos sobrenaturais. Quando Harry é chamado para se encontrar com a Tenente Karrin Murphy, que era a diretora de Investigações Especiais do centro de Chicago, no Hotel Madison, a fim de verificar dois corpos, as coisas começam a esquentar. Principalmente quando Harry confirma que as mortes foram obra de um bruxo do mal e dai em diante é uma leitura vertiginosa, com diversos acontecimentos se entrelaçando até chegar ao final eletrizante!
Muito bom mesmo! Recomendo!
comentários(0)comente



Naty 31/01/2012

www.meninadabahia.com.br



Meu nome é Harry Blackstone Copperfield Dresden. Envoque por sua conta e risco.
Quando as coisas ficam estranhas, quando aqueles que se escondem na escuridão se revelarem através da luz, quando ninguém mais puder lhe ajudar, me dá uma ligada.
Meu número está na lista.




Harry Dresden é único no seu trabalho. Ao menos o único nas amarelinhas. Ele dá suporte à polícia de vez em quando. É assim que paga aluguel e sobrevive. O mundo encantado está em decadência, quase ninguém o procura.

Mas um duplo assassinato o está preocupando. Feito por um bruxo poderoso, a cena do crime era horripilante. Na verdade, até então ele imaginava que só ele fizesse aquilo, mas tinha alguém matando pessoas e esse alguém poderia armar para ele. Ele precisa descobrir quem é o assassino antes que ele seja o próximo alvo. O tempo está acabando. Ele precisa ser mais rápido do que nunca.

Esse livro, apesar de ter sido publicado pela editora Underworld, não é YA. Pelo contrário, tem lá suas cenas picantes. Frente de Tempestade, de Jim Butcher (Underworld, 338 páginas, R$ 39,90), é do gênero fantasia urbana. Se passando na cidade de Chicago, Harry é uma espécie de detetive paranormal. Se você está tendo problemas com seres encantados, quer achar alguém desaparecido, Harry é a pessoa ideal. Seus honorários são caros, mas não há niguém melhor para fazer isso.

A história tem algumas curiosidades:

1 - Harry não pode olhar ninguém diretamente nos olhos de ninguém.


Quando eu olho nos olhos de alguém, dentro de sua alma, de seu ser mais interno e profundo, eles também me vêem por dentro – as coisas que fiz, as coisas que queria fazer, as coisas que seria capaz de fazer. Em geral as pessoas que faziam isso ficavam, no mínimom muito pálidas. Uma mulher chegou a desmaiar de verdade. Eu não sabia o que eles viam quando olhavam lá dentro. Era um lugar no qual eu mesmo não me aventurava muito.
Pág. 43


2 – Seu melhor amigo é uma caveira. Uma caveira super inteligente. Na verdade Bob Caveira é um espírito do ar, que reside no interior de uma caveira. Seu passatempo preferido é fazer poções do amor, rs. Um aviso: Bob Caveira é tarado!!!

Harry é a personificação do anti-heroi. Ou o famoso heroi byroniano: ríspido, rebelde e simpático (quando quer). Em suma, Harry é O CARA! Vocês vão gostar dele.

Minha ressalva fica apenas por conta de uns errinhos bobos de revisão, como: "mas do jeito que eu estava cansadopilhado" (pág. 294) // "erros de revisão: eu dei um suspirobufei" (pág. 306). A impressão que deu é que o tradutor/revisor ficou de decidir entre as palavras e esqueceu de deletar a outra, infelizmente.


Série Os Arquivos de Dresden

1. Storm Front
2. Fool Moon
3. Grave Peril
4. Summer Knight
5. Death Masks
6. Blood Rites
7. Dead Beat
8. Proven Guilty
9. White Night
10. Small Favor
11. Turn Coat
12. Changes
13. Ghost Story
14. Cold Days
comentários(0)comente



AndyinhA 29/11/2011

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Nenhum dos personagens me fisgou, mentira, o que me fisgou foi uma essência que habita um crânio - Bob, nem posso chamá-lo de personagem, mas é o que tem as melhores tiradas da história. É que o Harry tenta ser engraçado, mas acaba sendo chato.

A história tem uma 2 partes, uma é a investigação que começa logo no início e aos poucos percebemos que magia negra está envolvida e toda vez que isso acontece, Harry sabe que há um mago negro envolvido e a outra é o passado de Harry que é bem obscuro, o autor não entrega muito, mas pouco a pouco ele conta porque Harry vive vigiando suas costas.

Acho que esperei mais do livro do que deveria. Os momentos de investigação e até as amarrações das pistas são interessantes, mas não rola aquela ânsia por mais. Eu senti que se a história acabasse no primeiro livro (o que não acontece) seria normal. E isso é ruim em uma saga. E ela é grandinha, são até agora 14 livros, mas lá fora há um seriado (tipo desses que só achamos em DVD), acho que tem mais potencial.

Mais em: http://bit.ly/vNzzLi
comentários(0)comente



Isabel 30/07/2011

Ótimo!!

ADOREI a história! Assassinatos, investigação, magia, seres sobrenaturais e tudo recheado com um humor super gostoso. Harry Dreden é um bruxo do bem e que se envolve em cada enrascada de tirar o fôlego.

A história é tem personagens adoráveis e divertidos. Apito, a fada (macho)que não pode ver um pão com mel e leite. Bob Caveira, um espírito do ar que tem como função lembrar das coisas. Ele funciona como um computador para o Dresden. Mister, um gato enorme que não está nem aí para seu dono, Dresden.

Enfim, foram 338 páginas de leitura fácil e envolvente.

Só não darei 5 estrelas por único problema. Erros na Edição! São tantos os erros de grafia que fiquei irritada. Tinha tanto 'comoque' e 'estoutô', que cansei de contar. Pareceu também, 'oque', 'nemomo', 'cabeçaconsegui', 'cansadopilhado', 'imediatamentepra', 'suspirobufei', brilhantefulgurante' e por aí vai.

Não sei se outros livros desta Editora também estão com tantos erros, mas depois desta demonstração que tive, não sei se arriscaria comprando mais algum.

Fica um alerta para que a Editora tenha mais cuidado com a revisão de seus livros.
comentários(0)comente



Annie 24/07/2011

Jim Butcher - Os Arquivos Dresden #1 - Frente de Tempestade
Então você é um carteiro (novo na função), está na sua primeira rota para entregar correspondências e de repente dá de cara com o endereço que está na carta. Você olha uma, olha duas, olha três vezes e tem vontade de rir. Você não aguenta e começa a rir: na porta está escrito Harry Dresden – Bruxo. Só pode ser brincadeira, certo? Errado. Você está olhando para o escritório do único bruxo inscrito nas páginas amarelas, com direito a anúncio e cartão de apresentação. Esse é o ramo de trabalho de Harry Dresden, o único bruxo (mago na minha opinião seria uma tradução melhor) assumido e trabalhando ocasionalmente com a polícia de Chicago.

Em seu livro primeiro livro junto com Harry Dresden, Jim Butcher cria uma atmosfera deliciosa com crimes, magias (um pouco apelativas nos ingredientes, como por exemplo, a Tequila), um personagem com um sex appeal indescritível e uma falta de tato pra relacionamentos amorosos ainda mais incrível. Gentleman sempre no modo ON, ele é um personagem realmente peculiar ao contrapor um jeito ranzinza, com suas engraçadas conversas com ele mesmo e um sarcasmo ocasional. Tudo isso na medida certa.

Quando Murphy, seu contato com a polícia de Chicago, liga pedindo ajuda para solucionar um duplo assassinato pavoroso, Dresden se vê num dilema: ajudar a pessoa que mais se aproxima da definição de amiga dele (e o melhor, ser pago por isso) ou colocar a mão disponível para um enxame de marimbondos se fartarem.

Nesse livro ainda são apresentados o Conselho Branco (desconhecido pelos ‘resto’ dos humanos) e algumas leis que jamais devem ser quebradas pelos magos, assim como as penas a que esses estão sujeitos e quem as executa. O passado de Dresden é salpicado em rápidos momentos, deixando claro que sua personalidade foi moldada por tristes momentos e lembranças amargas (okay, algumas são ternas e trazem conforto a ele), mas também pelo fantasma das ações concebidas no início de sua carreira lidando com a magia.

Frente de Tempestade me remeteu à um filme noir, ficando bem longe do estereótipo criado com a magia ao decorrer da Era Harry Potter (oww!! Sem crucificações aqui okay!?). Um protagonista com valores relativos (apesar da modo elegante e old-fashioned), um ambiente urbano e contemporâneo, cenas que trazem o aspecto sombrio dos lugares, falsas acusações, traições...e um final como quem se depara com a femme fatale comendo um pedaço de morango e insinuando querer mais. Foi assim que vi Harry Dresden.

Existe ainda Bob (que eu não vou explicar exatamente quem é para que você não perca a curiosidade), que é uma figura às vezes paternalista, às vezes fazendo birras infantis e indubitavelmente com conhecimento da verdadeira magia...e um desejo pela vida real, palpável e todas as experiências que podem ser adquiridas desta.

A arte do livro é linda, as letras tem um tamanho ótimo e a leitura flui rapidamente. Apesar de não um livro barato (exceto nas promoções encontradas em algumas livrarias), é com certeza um daqueles livros que não só valem a pena ler, mas valem a pena manter na estante.

“Você já sentiu desespero? Desesperança absoluta? Você já se viu no escuro, sabendo no fundo da alma e do coração que a coisa não ia melhorar mais, nunca mais? Que algo se perdera para sempre, sem retorno?” – Pág 235

Bem, talvez você seja novo demais para entender o que essas palavras significam ou talvez velho demais para querer se lembrar do peso delas. Mas eu tenho absoluta certeza que você sente o peso que elas carregam.

Ótimo livro...espero que gostem assim como eu!
comentários(0)comente



Felucy 08/07/2011

Empolgante.
Li muito rápido, quase não consegui largar até chegar ao final.

Harry não é o típico herói onde tudo dá certo.

Muito pelo contrário parece que tudo dá errado para ele... kkk

A história não tem um só momento de enrolação.

Vale muito a pena.
comentários(0)comente



Coruja 02/09/2010

A série Os Arquivos Dresden, do escritor norte americano Jim Butcher é uma mistura de noir com o mundo sobrenatural. Em alguns (muitos) pontos, o livro me fez lembrar a série de televisão Supernatural - sem o drama familiar e horizontes apocalípticos.

Claro que eu só li o primeiro de (até agora) treze livros, então pode ser que o apocalipse apareça em algum ponto mais à frente. Quem vai saber?

Na verdade, em mais de um ponto da história de Frente da Tempestade eu passei por aquele sentimento de déja vu, de familiaridade com o plot e com os personagens. Não era uma simples questão de “eu acho que já vi isso antes”; mais de uma vez durante a leitura, enquanto vibrava com todas as escapadas de Harry, eu fiquei de boca aberta em como a forma da magia funcionar no mundo criado pelo Butcher faz sentido.

Não é fácil incorporar, da forma como o Butcher faz, de forma tão completa, a magia ao cotidiano dito comum. Só por essa, o Butcher já entraria na minha lista de favoritos; o fato de seu protagonista ser um mago algo cínico e azarado (e cheio de princípios por baixo do sobretudo) é um bônus.

Ok, vamos a história desse primeiro livro. Harry Dresden é um mago e possui um escritório que é uma espécie de firma de consultoria/detetive particular – o único em sua especialidade, aliás, listado nas páginas amarelas da lista telefônica. A história começa com Harry debatendo consigo mesmo como fará para pagar o aluguel daquele mês, e, quase que em seguida, dois casos praticamente caem em seu colo – o primeiro envolve o desaparecimento de um marido e no segundo, ele está colaborando com a polícia num caso de assassinato em que as vítimas aparentemente tiveram seus corações explodidos.

É, pois é... explodidos. Assim, bum!

Ao longo da história, Harry vai descobrir que coincidências não existem (apenas hitsuzen) e que tudo o que está acontecendo em Chicago por aqueles dias – incluindo uma nova e poderosa droga que, supostamente, é capaz de abrir a Terceira Visão de seus usuários – está interligado.

Entre mafiosos, escorpiões mágicos gigantescos, falhas técnicas de elevadores (e outros equipamentos eletrônicos que são afetados pelo campo da magia), demônios, um psicopata mexendo com as artes das trevas e um vigilante do Conselho de Magos respirando no seu pescoço e esperando você dar um passo em falso para poder separar sua cabeça do resto, Harry tem a agenda bem cheia.

Você quase não respira no livro todo. De um perigo mortal para outro, Dresden parece estar sempre em movimento, sempre com um novo perigo nos calcanhares e um novo enigma a juntar ao quebra-cabeça dos casos que está investigando.

Como já disse antes, passei boa parte da história com a sensação de déja vu. Tentei comparar Dresden com alguns dos detetives literários mais famosos, mas não cheguei a nenhuma conclusão. Depois pensei que tinha entendido quem é que ele me lembrava – com a carga de azar e quase encontros com a morte, ele parece Rincewind, de Terry Pratchett.

Mas ainda não era bem isso... forçando um pouco a memória, lembrei então da série de livros, adaptada para a televisão, Blood Ties de Tanya Huff – aqui temos um vampiro que na verdade é filho bastardo de Henrique VIII que colabora com a detetive Vicki Nelson em casos que envolvem o sobrenatural.

E ainda não era esse... Então, finalmente, quando olhei fixamente para a capa do livro por uns cinco minutos, eu me toquei porque a figura do Dresden me era tão familiar. É o chapéu e o sobretudo... do Van Helsing.

Posso dizer que eu seria totalmente a favor uma adaptação cinematográfica dos Arquivos Dresden com Hugh Jackman no papel principal?

Bem, uma série de doze episódios foi também produzida para a TV (com Nicholas Cage como um dos produtores) entre janeiro e abril de 2007, e já entrou para a minha lista de "vou assistir".

Resumo da ópera... para quem gosta de sobrenatural e romances policiais, a série de Butcher é um prato cheio. E, melhor que isso, a Editora Underworld está trazendo a série para o Brasil.

Ai, meu deus, que até o fim do ano eu peço falência...

(artigo originalmente publicado em www.owlsroof.blogspot.com)
Ariadna 28/07/2011minha estante
Só hoje vi sua resenha, então, se até agora vc não assistiu aos episódios da série, digo: assista correndo. Vc vai adorar! Pena que a maioria das coisas boas os americanos não gostam e acabam logo...


Isabel 30/07/2011minha estante
Muito boa sua resenha, mas queria te perguntar uma coisa. A edição que você leu não estava cheia de erros de grafia? A minha tinham tantos erros que acabei me irritando.


Wesley Crowley 10/06/2014minha estante
Grupo pros fans do livro no facebook :)
https://www.facebook.com/groups/233949340148819/?fref=ts




Maxie 25/03/2010

Conhecendo nosso heroi e seu mundo
Este é o primeiro livro da minha série favorita.

Aqui conhecemos Harry Dresden, o único mago que oferece seus serviços na lista telefônica de Chicago.

Harry está na casa dos 30 anos e além de mago é detetive particular, especializado em resolver casos estranhos. Além de atender a clientes particulares, Dresden atua como consultor para a polícia em casos estranhos.

Neste mundo criado pelo autor magos, lobisomens, vampiros, fadas são reais e vivem, em parte, na mesma realidade que as pessoas comuns.

O livro segue as aventuras de Dresden enquanto procura pelo marido desaparecido de uma cliente e ajuda a polícia a investigar dois assassinatos que foram cometidos com magia.

O que eu mais gostei nessa história é o conhecimento do autor sobre as leis da magia, seu funcionamento e uso. Também adorei os poderes do Dresden e sua personalidade.

Eu adorei este personagem, Harry é irreverente, corajoso, cavalheiro e ligeiramente tímido com as mulheres. Ele é aquele herói que faz o que precisa ser feito apenas porque acredita no que está fazendo. Ele não está em busca de fama, reconhecimento ou qualquer outra coisa. Ele luta pelo que acredita, pelas leis da magia e para proteger as pessoas de quem gosta.
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15