Em Águas Sombrias

Em Águas Sombrias Paula Hawkins




Resenhas - Em Águas Sombrias


104 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Michelli Prado 13/01/2018

Pegue um papel e vá anotando os nomes e características!!
Comecei a ler o livro e me senti mais perdida que a gente em loja de roupa cara... Mas fiquei intrigada com a proposta da historia, ia ler com um caderninho e ia anotando os nomes dos personagens ( que não sou poucos) e suas características, e logo depois já havia decorado todos os personagens ,depois disso a leitura foi rápida e MUITO INTERESSANTE!!
A proposta da escrita funcionou demais para mim. Não conseguia larvar o livro!!
Mas eu amei demais o livro!!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lucianoh 11/01/2018

Deveria se chamar "Em águas maçantes"
O livro de estreia de Paula Hawkins, mesmo sendo óbvio, foi bom, tinha seu charme, além de ter sido best-seller e adaptado muito bem para o cinema. Não tinha como ler sua segunda obra e não criar expectativa. E foi o que eu fiz: li esperando algo à altura de "A garota no trem". E o que encontrei? Um livro mediano, confuso e enfadonho. Sério!
A história é bem novelesca, com inúmeros personagens e vários pontos de vistas intercalados. Alguns bem desnecessários, outros apenas chatos mesmo, o que confunde o leitor, torna o desenvolvimento cansativo e deixa a impressão de que a história poderia ter sido resumida em 10 páginas, mas, com todo o rodeio do numeroso núcleo, foi expandido o "inextendível'. Pior que isso, são os personagens não terem despertado minha empatia. Eram todos insossos, exagerados, dramáticos demais. O mistério então, desorganizado, cheio de altos e baixos, além das pontas soltas mais que aborrecidas.
Empurrei com a barriga mesmo, sem vergonha de admitir, e decepcionado pelo tempo que levei para ler a mais do que pretendia. Só não abandonei a leitura por conta da curiosidade em torno do rio que, logo foi suprimida pela falta de respostas convincentes (ódio).
comentários(0)comente



Kelly 05/01/2018

Em Águas Sombrias
Jules nunca imaginou que teria de voltar para a cidade estranha e repleta de mistérios que a assombrou durante a infância e a adolescência. Nel, sua irmã, vivia ligando, mas nunca pronunciou um mero pedido de desculpas sobre o incidente que a marcou profundamente. Jules evitava qualquer contato com a família e com as pessoas que fizeram parte da sua antiga vida, mas, agora, Nel está morta. Jules recebeu a notícia de repente, e só se deu conta do que estava acontecendo quando precisou pegar suas coisas e voltar para a velha Casa do Moinho, já que, no dia seguinte, deveria visitar o corpo de sua irmã morta para fazer o reconhecimento.

Beckford é uma cidadezinha simples onde todo mundo se conhece, mas são os mistérios do Poço dos Afogamentos, um rio em meio as casas, que faz os moradores do lugar terem uma conexão. Nel não foi a primeira mulher a ser encontrada morta dentro das águas do rio, muito pelo contrário, houveram várias antes dela. Aliás, elas eram motivo de estudo da própria Nel, que era fascinada pelas histórias por trás das mortes. No entanto, Jules não consegue acreditar que a irmã tiraria a própria vida para entender a sensação das mulheres encrenqueiras. Nem ela, nem Lena, filha de Nel, acreditam na teoria do suicídio. Para Lena, havia algo a mais por trás da morte da mãe, mas ela era incapaz de conseguir resolver o caso sozinha. No entanto, sua tia não parecia disposta à encontrar respostas. Ela era a dúvida em pessoa.

Enquanto Lena conhece o íntimo das pessoas que viveram para contar as histórias das mulheres mortas, assim como todo projeto de sua mãe, Jules, por outro lado, não faz ideia de como seguir em frente. Tudo ao seu redor lhe parece como um aviso de que algo está errado e de que a morte de Nel não foi uma simples tragédia, foi pressentido. Assim, ela precisa retroceder e contar todos os passos da irmã até o momento final, enfrentando seus maiores medos e vivenciando cenas do passado para tentar encontrar uma forma de se conectar com as últimas atitudes de Nel. Será que ela realmente cometeu suicídio? O que a levaria pensar nisso?

Em Águas Sombrias é um thriller bastante peculiar, desses que fogem do clichê. Eu comecei a leitura sem expectativas, já que imaginava a história traçada por completo logo no início, dando pistas do que poderia ter acontecido com Nel, mas me surpreendi comigo mesma, suspeitando de inúmeras pessoas ao mesmo tempo. Aí alguém me pergunta: por quê? A explicação é simples: a narrativa é dividida entre vários personagens (pelas minhas contas, são dez, mas li resenhas falando em catorze, portanto, deixo em aberto rs) e isso confunde muito o leitor no começo, já que são pontos de vistas diferentes, opiniões distintas e um punhado de achismos por trás da investigação. No entanto, quando a leitura começou a tomar forma, me vi submersa na história, querendo saber exatamente todos os detalhes do passado.

site: http://www.caligrafando-te.com
comentários(0)comente



Bella Vasconcelos 05/01/2018

Bom
Livro muito bom, entretanto,esperava mais!
comentários(0)comente



Douglas 05/01/2018

Mediano
O livro é ok, porém fica muito abaixo da expectativa! Sem contar que a história se enrolou demais para finalizar com um final super morno! Esperava bem mais, porque eu amei A garota no trem.
comentários(0)comente



Gustavo 02/01/2018

Mais um.
Boa história pra ir lendo e descobrindo o emaranhado que existe por trás do mistério. O grande número de personagens me confundiu no início, principalmente em relação aos Townsend pai e filho. O final é mais simples do que imaginei, não há revelações muito chocantes. Um livro apenas ok.
comentários(0)comente



SMiletic 28/12/2017

Em Águas Sombrias é um bom suspense, mas poderia ser melhor
Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. Jules, sua irmã caçula, é então obrigada a voltar para a cidade da qual fugiu sem desejo algum de rever.

Ela volta por causa da sobrinha Lena e tem medo das histórias que rodeiam o rio que corta a cidade, em que sua irmã teria se jogado em um trecho conhecido como Poço dos Afogamentos.

Se Paula Hawkins foi uma grata surpresa com A Garota do Trem, aqui os leitores podem ficar um tanto decepcionados.

Ainda que o suspense marcante do livro de estreia também esteja presente, as muitas tramas paralelas confundem e travam a leitura.

A escolha de cada capítulo ser narrado por um personagem, algo que funciona nos livros de Jodie Picoult, também não ajuda.

A revelação do assassino é surpreendente, mas ao mesmo tempo nos deixa com uma sensação de "pegadinha" e ficamos esperando uma nova revelação que mude tudo, até a última página. E eu nem falei da tentativa apressada de amarrar todas as pontas nas dez páginas finais.

Mas do que mais senti falta foi de um personagem por quem eu realmente me apegasse e torcesse - quase consegui pela Jules, mas em alguns momentos ela simplesmente me entediou. #livros #livros2017 #euamolerkindle
comentários(0)comente



Larissa|@in_love_withbooks_ 22/12/2017

Em Águas Sombrias
Me apaixonei pelo livro. Primeiro por causa da capa (eu sei que não devemos julgar um livro pela capa, mas foi o primeiro motivo para eu compra-lo) e em segundo por causa da história em sí.
A história é narrada por diferentes personagens e todos tem uma ligação entre sí (e com os corpos), o que faz com que possamos conhecer cada um, e ao longo do livro descobrir seus segredos e sua perspectiva dos acontecimentos.
O jeito que narram sobre como é estar na água fez com que eu me apaixonasse pela sensação, mesmo sem senti-la, e fiquei observada com o "Poço dos Afogamentos" e seus segredos
Tenho que admitir que não esperava que o final fosse o que foi, foi bem surpreendente, ainda tenho algumas dúvidas, mas nada que me fez ficar dias pensando sobre isso.
comentários(0)comente



Portal JuLund 17/12/2017

Em Águas Sombrias, Editora Record
Alguns segredos são capazes de arrastar você para o fundo.
Sabe aquela leitura que te prende, e que se tu cochilar em uma estrofe tu perde o nexo da história toda? Então é assim com Em águas sombrias.
Paula Hawkins sempre consegue nos prender e nos surpreender com suas histórias, ela é envolvente, não te dá vontade de largar o livro.
A história gira em torno de um rio que tem uma parte chamada “poço dos afogamentos” onde muitas mulheres perderam a vida ao decorrer dos séculos e anos.

Resenha completa no

site: http://portal.julund.com.br/resenhas/resenha-em-aguas-sombrias-editora-record
comentários(0)comente



Marci 04/12/2017

.."Não é o mesmo rio. Você acha que é tudo a mesma coisa, mas ele muda"... (Pag. 326)

Comecei a ler o livro pelo fato de ter sido escrito pela mesma autora de "A garota no trem".

O livro se divide em 4 partes e cada capítulo é contato por um personagem (alguns em primeira, outros em terceira pessoa), e gira (ou pelo menos deveria) em torno da história de Nel, que foi encontrada morta no "poço dos afogamentos", onde várias outras mulheres também foram encontradas mortas.
O suspense que eu imaginei que iria pairar sobre o que causou a morte de Nel (assassinato ou suicídio) é misturado à causa da morte de Katie (melhor amiga de a filha de Nel - Lena). e as mortes das outras mulheres. Te deixa cada vez mais curioso para saber o que tem de sobrenatural no "poço", mas não é bem isso que é explicado ao decorrer do livro. O livro também é cheio de mistérios que ficam no ar sobre a vida de cada um. Cada um tem um segredo macabro e isso acaba deixando o livro, ao invés de interessante, chato, pois os segredos só são expostos, mais ao final do livro (que pra mim, deixou algumas pontas soltas).

Talvez pela intenção de contar o ponto de vista de cada personagem, você acaba se perdendo e um ponto negativo é que não consegui me apegar a nenhum personagem.

Apesar dos pontos negativos, é um livro bom! Eu recomendaria ele pela história em um contexto geral e pelo final que eu achei surpreendente.

:)
comentários(0)comente



Prof. Angélica Zanin 26/11/2017

Um rio nunca é o mesmo
Mais um suspense de Paula Hawkins de "A Garota no Trem". É inevitável a comparação, no entanto, em comum eles têm apenas o suspense e o crime. Acredito ser positivo a autora se reinventar e escrever histórias novas e diferentes de um mesmo gênero. Mais uma vez é de tirar o fôlego. Vários personagens narradores que estão de alguma forma relacionados à morte de três mulheres, inclusive elas protagonizam a história desde a última vítima Nel, sua irmã Jules, sua filha Lena, até a detetive Helen. Umas mais fortes, outras nem tanto, mas todas fundamentais para o desenrolar da trama. Entretenimento puro que deixa a sensação de quero mais. Impossível não falar do penhasco, do poço dos afogamentos e do rio que leva a alma dessas mulheres "encrenqueiras". Adorei e recomendo!
Prof. Angélica Zanin 26/11/2017minha estante
Desculpe a detetive é Erin.




Cintia.Cris 20/11/2017

Expectativa X Realidade
O que falar deste livro e da expectativa criada. A autora Paula Hawkins cria bons enredos, o problema fica no desenvolvimento da história. Aconteceu no livro A Garota do Trem, que tinha uma sinopse tão boa, mas ao iniciar a leitura e antes de chegar na metade do livro já tinha começado a perder o interesse e confesso fui ler o final para ver se valia a pena terminar a leitura. Em Águas Sombrias, comecei a leitura muito empolgada, porque de verdade o enredo é bom e tinha tudo que mais gosto no gênero romance policial e suspense, mas então na metade do livro começou a surgir alguns problemas:
1- Era tanto personagens no livro, que começou dar um nó na minha mente, e o pior, os personagens apesarem de expressarem seu ponto de vista e dramas, simplesmente não consegui me conectar com nenhum deles. Inicialmente a ideia passa que a protagonista central do livro seria Jules Abbott, que de verdade é tão irrelevante no livro que de longe é a personagem mais desinteressante. O protagonismo msm fica a cabo da sua sobrinha Lena e a vítima sua irmã Nel e toda a história envolvendo o Poço dos Afogamentos.
2- Aliás a história do Poço é o ponto forte e fraco da história, foi tão destacado está história no livro e sobre o seu antepassado que acabou meio que fugindo do real objetivo, que era descobrir se a morte de Nel teria sido acidental ou um assassinato.
Enfim o livro acabou me decepcionando no final, porque parece que a pressa era tanta em amarrar as pontas soltas que att as confissões e desfeixos se tornaram tão práticos que me deixou com aquela sensação, então é só isso.
O ponto de destaque foi a revelação do verdadeiro assassino que me surpreendeu, afinal o personagem estava tão avulso e a história foi apontando para outras direções que a revelação acabou perdendo efeito.
Li o livro em praticamente 1 dia, mas fiquei com aquela sensação de que faltou alguma coisa para torná-lo memorável.
Monica 19/12/2017minha estante
Esse eu não li, mas me identifiquei muito com sua crítica do livro "A garota no trem". Como é escrito sob o ponto de vista dos personagens, não existe uma cena impactante, pois a personagem descreve os fatos, mas a ação em si não é descrita, apenas as impressões da personagem a respeito dos fatos.




Cheli 16/11/2017

“Beckford não é um local de suicídios. Beckford é um local para se livrar de mulheres encrenqueiras”
Jules jurou nunca mais voltar para Beckford, um lugar que deixou muitas mágoas na sua infância e adolescência, mas ao receber a notícia de que sua irmã, havia cometido suicídio, ela precisou voltar para a sua antiga cidade, encarar seus fantasmas e esclarecer todo o mistério que gira em torno da morte de Nel, a irmã que ela evitava de todas as formas e que nunca teve um bom relacionamento.
Nel Abott, sempre teve um certo fascínio pelo “poço dos afogamentos”, local onde muitas mulheres tiraram suas vidas e que antigamente bruxas eram executadas. Ela investigava as mortes para seu novo livro e as famílias das vítimas não viam isso com bons olhos. Para Nel, a maioria dessas mulheres, não cometeram suicídio, e sim, foram assassinadas e mesmo com a resistência das famílias em não contar os fatos, ela persistia, até o dia em que seu corpo foi achado no mesmo local de sua fixação. Mas para Jules e Lena (a filha de Nel), ela jamais tiraria a própria vida.

Tensoooo... Apesar de ter vários personagens narrando e as vezes ter que voltar para ter certeza de qual personagem está falando, é um suspense muito bom, e todos os personagens foram essenciais para a construção da trama, interligando histórias passadas e o presente de todos, prendendo cada vez mais o leitor.
Mas esse final... tô de queixo caído até agora !!!
comentários(0)comente



Nuvem de Letras (Daisy)) 15/11/2017

Um thriller genial onde todo mundo é suspeito
Como num quebra-cabeças sendo montado, Paula Hawkins constroi uma trama intrincada, inteligente, sensível e cheia de suspenses. Um livro para ser relido e indicado a todos - principalmente aos apaixonados por thrillers!
-------
Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã. Jules não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre para cuidar da filha adolescente que a irmã deixou para trás.

Mas Jules está com medo. Com um medo visceral. De seu passado há muito enterrado, da velha Casa do Moinho, de saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos…

Esse é o segundo livro da Paula Hawkins e estou encantada com a forma como a autora constroi e conduz as suas narrativas! "A Garota no Trem", seu outro livro publicado também pelo Grupo Editorial Record (e que você pode ler a resenha em meu perfil) foi uma das melhores leituras que fiz em 2015 e "Em Águas Sombrias" não fica pra trás.

Esse é um livro muito bem elaborado, com personagens igualmente bem idealizados e construídos. A autora consegue dar vida aos personagens de um modo muito real. O livro conta a história sob a visão de vários personagens narrados de formas distintas (primeira/terceira pessoa). Ter essa quantidade de personagens nos dá uma perspectiva muito mais ampla do ambiente em si, dos segredos que acometem Beckford e o Poço de Afogamentos. Porém, por termos várias histórias interligadas sob diferentes pontos de vistas, em alguns momentos tive que voltar um pouco as páginas só para ter certeza se aquele personagem era quem eu estava pensando.

Apesar de ser um livro que traz muitos temas complexos, cada um é narrado com propriedade e sutileza, o que faz com que o livro se torne ainda mais verossímil e surpreendente. A propósito, acho que surpreendente é uma das definições que mais fazem jus a esse livro que é repleto de descobertas, segredos e mistérios. Ainda nas últimas páginas conseguimos nos deparar com revelações que mudam grande parte da perspectiva que tínhamos sobre a história.

Sem dúvidas Paula Hawkins se tornou uma autora que vou ficar de olho em seus próximos lançamentos. Mais uma vez a autora nos presenteia com um livro incrível que proporciona uma leitura envolvente e cheia de surpresas. Super indico!

site: http://nuvemdeletras.com
comentários(0)comente



104 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7