Dito pelo não dito

Dito pelo não dito Douglas MCT
Rodrigo Ortiz Vinholo
Pedro Hutsch Balboni




Resenhas - Dito pelo não dito


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Kamila 19/07/2017

Dito pelo Não Dito foi escrito a 24 mãos, mas a ideia foi da dupla Rodrigo Ortiz Vinholo e Pedro Hutsch Balboni e conta a história de Joana, uma mulher que imagino ter seus 30 anos, mora numa cidade de nome não citado, mas que deve ser interiorana, vive um relacionamento estável com Mauro, ou seja: uma vida comum.

Só que num certo domingo, Joana acorda, cumpre suas obrigações e, quando dá por si, Mauro não acordou. Ela o chama, pinta e borda, faz o sete e nada desse homem acordar. Mas ele tá vivo, disso ela tem certeza. Até que uma certa pessoa aparece para ela e, diz, entre outras coisas, que Joana deveria descobrir 10 coisas sobre Mauro que ela não sabia.

E de nada adiantaria ela levá-lo a um médico, porque se ela o fizesse - ou não descobrisse os tais 10 segredos - Mauro poderia simplesmente não acordar. Qualquer outra pessoa poderia dizer que estaria enlouquecendo, mas não Joana. Porque ela conhecia a tal pessoa. De longa data. Então não lhe restou outra alternativa senão cumprir a missão.

O livro é curto, tem exatamente 200 páginas e foi escrito por doze pessoas - cada um escreveu um capítulo - mas ficou tão bem escrito que nem parece que doze estilos de escrita compõem a trama. Como eu disse lá no início, fantasia dificilmente me atrai, o que não foi o caso desse livro. Devorei cada página como se fosse um romance policial, tentando (e conseguindo, em alguns momentos) entender cada descoberta que Joana fazia.

O mais interessante dessa obra é que a fantasia contida nela não é nada absurda (tipo gnomos, unicórnios e afins), mas algo que qualquer criança poderia imaginar, um mundo que muitos de nós gostaríamos de viver - ou será que já vivemos e não sabemos? Uma história 100% nacional que nos faz mergulhar num ponto de vista muito diferente a respeito de certos temas que nem sempre discutimos.

Esse é o primeiro volume do universo (ou série) Insensati, o que indica que poderemos ter mais livros sobre o mundo de Joana. Aliás, vale ressaltar também as ilustrações. Cada capítulo tem duas ilustrações que condizem com o que será contado por cada autor. Os lindos desenhos foram feitos por Igum Djorge e são baseados no baralho do tarô, do qual sou completamente ignorante. Junto com o livro, vieram um marcador, dois adesivos (que estão no meu guarda roupa) e cinco cartas de tarô, que só entendi depois de ler a história.

Um universo totalmente novo foi aberto para mim e parabenizo a dupla pela ideia, o Igum pelas ilustrações e todos os autores por terem escrito uma história tão brilhante sem perder o estilo de escrita tampouco o fio da meada. Esse livro terminou onde deveria, mas deixou margem para o próximo volume, que já quero. Agradeço a Lendari o exemplar - que veio autografado pelo Rodrigo - e a confiança no blog para resenhar uma obra tão bonita!

site: https://resenhaeoutrascoisas.blogspot.com.br/2017/07/resenha-dito-pelo-nao-dito.html
comentários(0)comente



Pedro Azevedo | @arquivos_pe 06/08/2017

Dito Pelo Não Dito
Um dos lançamentos da Editora Lendari para 2017 Dito Pelo Não Dito é um livro acima de tudo inovador. O argumento é de Pedro Balboni e Rodrigo Vinholo que convidaram outros 10 autores e deram para cada um a incumbência de desenvolver um capítulo da história.

O livro gira em torno de Joana e seu namorado Mauro. No que parecia ser uma típica manhã de domingo um fato estranho, Mauro acorda de forma alguma. Até a aparição de uma misteriosa personagem que revela que Mauro só irá despertar depois que Joana descobrir 10 coisas que não sabe a respeito de Mauro. O problema é que essas informações deverão vir de 10 pessoas diferentes mas que não terão interesse em ajudar.

A primeira vista pode parecer que o livro é sobre Mauro porém acabamos conhecendo muito de Joana durante sua trajetória. Não é sempre que a personagem irá agradar e muitas vezes suas atitudes podem soar imaturas. A história e universo criado são simples mas com bastante referências cinematográficas. Não temos muitos detalhes sobre o 'outro mundo' mas senti que essa era a intenção já que outras histórias irão se desenvolver nesse mesmo universo.

No geral o que me chamou atenção e me conquistou foi a ideia de construir um livro colaborativo e todo o projeto gráfico. Nunca tinha ouvido falar ou lido algo com esse nível de colaboração, uma mesma história desenvolvida por tanto autores. Um fato interessante é que cada escritor só tinha acesso a história até o capítulo em que ele deveria desenvolver. Nenhum deles sabia o que acontece o capítulo final por exemplo (escrito previamente por Rodrigo Vinho). É bem interessante como cada um conseguiu imprimir seu estilo na história mas sem descaracteriza-la.

Dito Pelo Não Dito ganhou o Prêmio Brasil Criativo, do Lab Criativo, parceria do Lab Criativo, Catarse e ''Eh Aqui! Doações''. O que garantiu um apoio financeiro para publicação e distribuição do livro em bibliotecas públicas. A edição física é de um cuidado extremo, pensada nos mínimos detalhes. Contendo material extra como o roteiro original da história. No geral acredito que esse seja um bom livro para mesclar com leituras mais pesadas ou para sair de uma ressaca literária.

Resenha por Kat Magina.

site: https://www.conversaurbana.com/single-post/2017/08/06/Dito-Pelo-N%C3%A3o-Dito---Pedro-Hursch-Balboni-e-Rodrigo-Ortiz-Vinholo-Resenha
comentários(0)comente



Cris 30/08/2017

Muito criativo!

“Os incomodados que se acomodem. Joana olhou para o relógio, ainda era cedo, ainda podia ser um belo dia. A escolha é sempre nossa, sabe?” Pág. 9

Este livro foi organizado por dois autores, que escreveram cada um o primeiro e o último capítulo, e foi escrito por mais 10 autores.

Eu achei a ideia do livro muito interessante. Cada autor recebeu a tarefa de escrever um capítulo para a história, e conforme é contado nos “Extras” do livro, cada autor só tinha acesso aos capítulos anteriores e não poderiam saber do roteiro final da história. Nesta parte do livro os autores detalharam como foi esse processo de escrita e eu achei muito interessante.

Nessa história conhecemos Joana, uma mulher que um em um dia ao acordar, se depara com o seu namorado num sono extremamente profundo ao seu lado.

Ela faz de tudo para acordar Mauro, porém sem sucesso. Então, ela embarca numa verdadeira aventura por lugares estranhos, conhece pessoas diferentes, e tenta desvendar o mistério que está acontecendo com o seu namorado.

A narrativa mistura um pouco de tudo, temos muito mistério, fantasia, misticismo e bastante toque de humor. A leitura flui muito rápido, porque você fica muito curioso em saber o que aconteceu na vida do Mauro, e o mistério vai se revelando ao longo da história.

Eu gostei muito da história, o livro é bem curtinho, dá pra ler em um dia. O curioso é que apesar de ser escrito por vários autores, o livro manteve coerência e o estilo de narrativa é o mesmo, não consegui perceber que se tratava de autores diferentes.

O Projeto gráfico do livro está bem legal também, está baseado em cartas do tarô. E sobre a influência do tarô na história, os autores também explicam aqui no livro, e eu deixo essa curiosidade pra quem ler também descobrir ;)

“Uma consciência que surge, em nome de algo que se perde. Uma consciência que espera, em nome de algo que se aprende. Uma consciência que medita, em nome de algo que se termina.” Pág. 144



site: https://www.instagram.com/li_numlivro/
comentários(0)comente



Lady of Swords 27/09/2020

Uma inovadora introdução ao que promete ser um universo único.
“Dito pelo não dito” é um projeto interessantíssimo, tanto pela proposta, tanto pelo universo. Escrito a vinte e quatro mãos, o que prometia ser uma salada de estilos diferentes e narrativas avulsas umas as outras, resultou em um projeto coeso e muito bem estruturado. Ponto para os autores do projeto, que acertaram tanto na escolha das mãos que integrariam este concerto literário, tanto no roteiro da obra em si.
Em uma manhã de domingo tipicamente embaçada, Joana acorda no apartamento de seu namorado, Mauro. Tudo corria tediosamente de acordo com a normalidade, exceto pelo fato que Mauro se recusa a acordar. Logo após perceber o que se passa, Joana recebe a visita da intrigante Anaoj, que joga uma bomba em seu colo: Mauro está em coma, e para tirá-lo deste perigoso estado, Joana tem que descobrir dez coisas que não sabe sobre ele. Detalhe: ninguém vai ajudá-la facilmente.
O livro parece ser sobre Mauro, mas Joana rapidamente rouba o protagonismo. Uma jovem adulta um tanto imatura, com a qual uma pessoa que se encontra na mesma fase da vida vá facilmente se identificar; por mais que eu não me sinta a vontade em defini-la exatamente como carismática.
Uma pessoa cheia de problemas, que arrumou outros problemas para não ter que pensar nos seus reais problemas. Quem nunca, não é mesmo?
O primeiro livro do projeto Insensati (que eu espero que vire um universo literário o mais rápido possível), a obra nos leva a viajar através de um mundo mágico o qual muito pouco sabemos e fica aquele gostinho de quero mais.
Uma leitura de linguagem simples e contemporânea, fácil, que vale muito o investimento do seu tempo.
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR