A Noiva do Highlander

A Noiva do Highlander Michele Sinclair




Resenhas - A Noiva do Highlander


37 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Maria.Eduarda 17/04/2021

Bom, mas...
É um livro divertido, que se passa na Escócia.
Apesar de ser divertido e da mocinha ser bem dura na queda, o problema está no protagonista que é BEM controlador e que em alguns momento passa até do limite.
comentários(0)comente



Rose 20/03/2021

Connor é líder do clã McTiernay, mas não estava em seus planos um casamento. Isso mudou quando ao retornar do casamento de um de seus irmãos, ele e seus guerreiros encontraram Laura.

Apesar de muito machucada e suja, era impossível não reparar na beleza da jovem… assim como em sua bravura, que mesmo em desvantagem, enfrentou um de seus homens, achando que ele iria machucá-la. Também foi impossível não notar que mesmo ferida, em nenhum momento da longa viagem até suas terras, ela não reclamou em nenhum momento.

Laura não mudou apenas os desejos de casamento de Connor, mas também toda a dinâmica de seu clã. Se antes o castelo vivia largado e mal cuidado, agora era um lar do qual todo o clã se orgulhava. Ela também conquistou a simpatia e lealdade de todos que ali viviam.

Apesar dos sentimentos que claramente nutriam um pelo outro, o gênio forte de ambos era motivo de muitas discussões, o que deixava a possibilidade de um casamento um pouco mais longe. Sem falar do segredo que Laura guardava.

Ela sabia que mesmo amando Connor, não poderia viver ali e colocar em perigo a vida não apenas do clã McTiernay como a de seu avô também.

Mas por mais que deseje fugir, seu coração e razão mandam ficar. Ela só não esperava que seu pior pesadelo fosse buscá-la tão cedo. Uma guerra que agora ambos teriam que enfrentar.

Gostei de Laura e de sua personalidade forte, assim como dos demais personagens. É um enredo leve, que me entreteu, mas não me cativou totalmente.


site: https://www.instagram.com/fabdosconvites/
comentários(0)comente



Fernanda 20/03/2021

A edição impressa com alguns problemas, mas nada que afete a leitura. História clichê mas de leitura leve e descontraída. A autora muda muito o ponto de vista do narrador, sem aviso prévio, o que as vezes deixa a leitura um pouquinho confusa.
comentários(0)comente



Julia 20/03/2021

Esse livro tinha tudo pra ser perfeito, a escrita da autora é incrível mas o personagem masculino é ridículo, por isso dei 3 estrelas!!
comentários(0)comente



Ceiça 24/02/2021

Linda história além de super divertida, romance e humor lado a lado, leve , para quem gosta de livros de época recomendo.É o primeiro livro que leio dessa autora e gostei muito só lamento não ter os outro lançados no Brasil.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Arthur Souza 02/02/2021

Amei!!
Os personagens são muito carismáticos e cativantes, a narrativa é muito fluida, e a autora soube desenvolver a história de modo que nos faz nos apaixonarmos pelos protagonistas. Indico este livro a todos que estiverem curiosidade em lê-lo.
comentários(0)comente



Bi Faria 20/01/2021

| Resenha
Capa linda! E foi uma leitura envolvente, com muita adrenalina e amor. É favorito de 2020!
Laurel Cordell nunca se imaginou em uma situação tão perigosa ao tentar chegar nas terras do avô na Escócia.
Ela estava machucada mas fugiu antes que o pior acontecesse, só não imaginava se deparar com outros dois brutamontes que a levaram até o chefe do clã deles.
Conor McTiernay é o líder de seu clã nas Terras Altas da Escócia e fica intrigado e atraído pela mulher de cabelos dourados que sabe se impor.
Ele se aproxima, a atração entre eles é inevitável, a química é visível para todos os presentes, e todos querem saber a história da fugitiva.
Ela tem receio de lhe contar tudo para proteger seu avô, mas todos já desconfiam que além de inglesa, ela também é escocesa.
A viagem até o clã McTiernay foi longa, ele lhe ajudou com as ataduras para as costelas quebradas, se beijaram. Mas Conor não quer relacionamento sério por acreditar que todas as mulheres o seduzem por interesses materiais.
Ela já está enfeitiçada e sonha em ter um casamento como o dos seus pais fora um dia e o pede distância.
O ciúme o corrói e ao chegarem ao castelo não imaginava que o temperamento dela fosse tão forte e que ao deixá-la para resolver assuntos fora das muralhas ela faria mudanças drásticas por lá até poder ir embora após o inferno .

A autora com uma escrita fluida nos apresenta a Escócia de 1307 com cenários deslumbrantes, os costumes dos highlanders e um casal com muita química e problemas a serem enfrentados, o que prende o leitor do início ao fim. O que aconteceu com Laurel? Ela corre perigo? Qual a sua história? Conor se renderá a essa mulher diferente das outras? "Laurel nunca sonhara que pudesse necessitar tanto do toque de um homem quanto queria o toque do chefe das terras altas que agora estava de pé diante dela." @astral.cultural #michelesinclair
comentários(0)comente



Stella.Oliveira 18/01/2021

É uma história ok
Lauren é uma jovem com uma personalidade forte e independente que combina com a do Conor apesar das diversas discursões que isso gera entre eles.

É um livro ok mas na minha opinião a história poderia ser mais direta, a narração podia ser mais dinâmica.
comentários(0)comente



dani | @leitoraduplicada 18/12/2020

o problema não é ser a MAIS UM clichê, e sim, um clichê ruim. Coner era para ser um cara legal, mas só foi idiota o livro inteiro. Laurel fazia atitides que iam compra sua própria personalidade. fiquei o livro todo para acontecer "a tal guerra" e ela só apareceu depois dos 90% e de uma forma rápida e ruim. enfim.........
comentários(0)comente



Magda.Helena 23/11/2020

um romance ok?
Achei uma leitura amena, a escrita da autora pesa um pouco na primeira metade do livro, depois ela fica mais fluida. Não é um dos meus romances favoritos, tive muitos problemas com engajar na leitura e decorar nomes de personagens. Gostei muito da protagonista feminina, do seu temperamento forte e espírito livre. O meu verdadeiro problema com o livro foi o romance entre os protagonistas, achei o Connor muito manipulador e possesivo, isso me incomodou várias vezes durante a leitura, o que me causou muito desgosto pelo casal. Também podemos problematizar várias ações do Connor em relação a Laurel, mas aí teria de escrever o praticamente o Enem, então vou resumir. Achei o Connor muito possesivo, manipulador, ele faz muita chantagem emocional com a Laurel e faz ela se sentir culpada por ações dele, o que eu categorizo como relacionamento abusivo e tóxico; Não gostei como a autora justificou falando que ele era protetor, por isso a tratava assim. Pois bem, isso me incomodou de mais! tirando isso o livro tem vários momentos fluidos e leves, como o reencontro da Laurel com o avó, pela primeira vez no livro. Foi uma leitura interessante, que apresenta vários elementos da cultura escocesa.
Não sei como são os outros livros da série, ou se a autora problematiza isso em algum dos outros livros, mas não pretendo ler, infelizmente por causa da construção deste casal.
comentários(0)comente



@blogleiturasdiarias 05/07/2020

Resenha | A Noiva Highlander
Como estava com saudades de ler um bom romance de época medieval com ambientação escocesa! Michele Sinclair entrega com louvor uma apaixonante história, e que com certeza nos deixa com gostinho para os sucessores. Toda boa narrativa highlander traz uma grande família para ser explorada — e leitor apaixonado sempre quer tudo.

Conor McTiernay é o líder de um dos clãs mais poderosos da Escócia e, ao contrário do que seus súditos esperam, ele não pretende se casar. Contudo, ao conhecer Laurel, uma inglesa extremamente bela e de gênero forte, suas certezas são abaladas. Conor se vê totalmente atraído pela moça, mas tem dificuldade em superar seu orgulho em assumir que precisa de uma esposa. Para conquistar Laurel, o chefe dos McTiernay terá que ceder ao amor e buscar compreender a personalidade difícil da inglesa, ou pode correr o risco de perdê-la para sempre.

Um perfeito desenvolvimento medieval é aquele que traz todas as nuances e ambientações culturais das Terras Altas inseridos de forma natural dentro do enredo, o que devo admitir que a autora fez de forma primorosa. Acima da esperada construção de relacionamento, somos apresentados a um clã cheio de características próprias que enriqueceram o conteúdo. É uma prato cheio de informações sobre como funcionava a Escócia, como eram as guerras, como a sociedade se comportava e entre outros detalhes — na qual se minha memória não estiver tão ruim, traz até dados verídicos de batalhas que ocorreram. Admito que fui conquistada totalmente, e arrisco a dizer que acontecerá com todos que lerem!

Sobre nosso personagens principais, preparem-se para dois temperamentos fortes se colidindo a todo momento. Quase que uma marca registrada da temática, dificilmente você não se diverte vendo as discussões geradas por qualquer coisa — e percebendo o quanto isso também mascara seus sentimentos e preocupações. A química explosiva é algo existente e permanente, que apesar de poder aparentar inicialmente ser instalove, é elaborada e aprofundada a medida que eles se conhecem melhor.

"Como esta inglesa lançara um feitiço nele tão rapidamente ele não sabia. Mas sabia que estava totalmente preso em sua teia encantada. Também sabia que nunca a deixaria ir. Seu último pensamento antes de cair no sono foi que Laurel lhe pertencia." pág. 63

Outro adendo que sempre gosto de destacar quando bem colocado, é o âmbito familiar que os livros do gênero trazem. Geralmente a parentela escocesa é numerosa, e A Noiva do Highlander não fugiu da regra onde conheceremos todos os irmãos McTiernay. Cada qual com suas particularidades e personalidades, fui conquistada por todos eles e fiquei extremamente curiosa em como seria as evoluções — acredito que não veremos tão cedo no Brasil os próximos volumes, pois infelizmente o exemplar foi lançado em 2017 e posteriormente não houve nenhuma notícia sobre.

Claramente não poderia faltar a adição das pitada dramáticas e tensas que no final teremos a sua grande parcela sendo mostrada, além de uma reviravolta capaz de acelerar o coração. O fim chega agradando quem acompanhou toda a trajetória. Sem tirar nem por, foi uma leitura super gostosa de fazer. Ademais, preciso alertar sobre a existência de cenas eróticas e picantes, porém nada fora do comum do que já vimos.

De uma forma geral, super recomendado! Ainda acho que a conjuntura medieval precisa ganhar maiores terrenos e posicionamentos no mercado dos romances de época, e aqui temos um bom exemplo de uma obra impecável e que indico sem medo. Venha se apaixonar pelos irmãos McTiernay, pela Laurel e todos os pormenores apresentados. Não vão se arrepender!

Na parte física, a capa tem seus atrativos apesar de não se atrelar bem ao seu conteúdo interno — esperava algo voltado a vestimentas escocesas como kilts e brasões. A diagramação é espaçada, limpa e confortável de ler. Não encontrei erros de revisão ou ortográficos. A narrativa é feita em terceira pessoa pelos dois pontos de vistas.

"Ela acabara de dizer que o amava. Não havia possibilidade dela partir e não se casar com ele agora. Ela era sua, tanto na mente quanto no espírito. Agora ele só precisava que ela se apoiasse nesse amor um pouco e confiasse nele para lidar com todas as suas preocupações." pág. 171

site: http://diariasleituras.blogspot.com/2020/06/resenha-a-noiva-do-highlander-michele-sinclair-astral-cultural.html
comentários(0)comente



Mariana 13/06/2020

deu pra ler, mas não foi uma ótima experiência....
O mocinho dessa história é PÉSSIMO (sério, ele é abusivo demais), poreeeem os personagens secundários me fizeram rir em vários momentos, a mocinha da história tem várias habilidades (apesar de ser bem bipolar em vários momentos) e a história fluiu bem (a escrita é fácil de ser lida)... acho que 2.5 estrelas tá bom
comentários(0)comente



Clara 24/05/2020

Mocinho maniaco, controlador e possesivo
Essa é uma história que tinha tudo para ser muito boa, mas que só me trouxe raiva e desgosto, a leitura foi arrastada e terminei na base do ódio.
Os motivos que me levaram a isso foram:
1- Conor. Conor simplesmente é o famoso boy lixo. Ele quer mandar na Laurel e possui uma necessidade absurda de saber onde ela está o tempo todo, com a desculpa de querer protege-la, e ele a quer só pra ele, e não quer que ninguém olhe para ela e com isso ele é muito, mas MUITO possesivo. E quero deixar claro, que é algo fora do normal, eu gosto de ler sobre mocinhos que as vezes são mais ciumentos, que são mais estressadinhos, mas o Conor é doente! Ele antes mesmo de ter qualquer relacionamento com a Laurel, ele não queria que ninguém cheguegasse perto dela, que encostesse ou falesse com ela. E eu ficava "qual é a doença desse homem?!" E ele quer a Laurel para ele a todo custo, ele PRECISA que ela fique perto dele, vivendo com ele, e que viva para ele, e não quer que ela faça nada, e usa como desculpa quer quer protege-la. Sinceramente o Conor parece um maniaco, controlador e possesivo, e que não está disposto a ser contrariado.
"Conor sabia que abusara da confiança de Laurel e de seu amor, mas tinha todo o inverno para compensá-la. Ele a convenceria a ficar e a perdoa-lo, assim como a persuadira a se casar com ele. Se necessário, ele usaria a desculpa de proteger *******, para obrigála a ceder. Qualquer coisa, ele prometeu a si mesmo, qualquer coisa para que ela lhe desse tempo para que ele pudesse compensá-la". Gente o Conor é tão errado, e eu não entendo como não vejo pessoas falando disso, não estou dizendo que não possam gostar do livro ou dele, porque eu definitavamente não sou a voz da razão, mas pra mim é tão dificil acreditar que as pessoas se apaixonem por ele. E se não bastasse isso, ele foca o tempo todo falando que "a Laurel é minha" e não de uma forma fofa e romantica,mas sim possesiva, como se ela fosse um objeto para ser dele.
2- O romance. Tirando o fato do Conor ser um escroto, o romance não flui, do nada eles estão apaixonados.
3- Laurel submissa. A Laurel tem tudo para ser uma personagem incrível, e ela é apresentada como uma mocinha que bate de frente e não abaixa a cabeça para ninguém. Só que não é bem assim, ela sempre acaba cedendo pro Conor, e todos os xiliques dele repletos de furia. E o que mais me irritava é que ele sempre dava a desculpa que só ficava assim porque ela não o obedecia e ele queria protege-la. Oi?! E o pior de tudo é que ela pensava " é verdade o Conor ta certo e eu que fui muito imprudente". Aaaa que raiva que me dava.
3-Brigas não resolvidas. Eles estão sempre brigando, mas esse não é o real motivo que me incomdou, mas sim que eles nunca resolviam os problemas. Eles brigavam, ficavam enfurecidos uns com os outros, e então o Conor a beijava e começava a pegação e ..., bem é isso. Eles nunca resolviam nada.
Eu realmente achei que esse livro tinha muito potencial pelo entedo, mas ele só fui muito, mas muito irritante. E basicamente, tudo por culpa do Conor, eu estou tentando não me estender sobre o persobagem, mas durante toda a leitura eu lensava, " agora ele vai melhorar", mas as atitudes dele são pessimas no inicio e no final é igual ao inicio.
comentários(0)comente



Dani 14/02/2020

Gostoso de ler ..
Fácil de ler, a leitura é rápida e muito tranquila. O casal logo cativa. As histórias se cruzam e fazem total sentido. Gostei muito da família dele é de como a presença dela foi sendo inserida nesse meio. Uma personagem de personalidade forte e muito determinada. O casal me ganhou logo, apesar das briguinhas, eheh
comentários(0)comente



37 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3