As Garotas de Corona del Mar

As Garotas de Corona del Mar Rufi Thorpe




Resenhas - As Garotas de Corona del Mar


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Alyssa @culpadoslivros 20/10/2017

As garotas de Corona del Mar é um livro muito diferente do que eu imaginava e, mesmo assim, me agradou demais. A autora conseguiu escrever uma história profunda, que traz uma grande carga emocional em todos os capítulos e ainda mescla momentos de amizade, amor e drama.

Lorrie Ann pode ser considerada a garota perfeita: é linda, doce, meiga, uma boa pessoa e ainda tem uma família unida e feliz. Mia enfrenta problemas de família com o pai ausente e o alcoolismo da mãe, além de não possuir a beleza e muito menos a doçura da melhor amiga. As duas jovens cresceram juntas, são muito amigas, mas Mia sempre invejou a vida de Lorrie Ann.

No entanto, de repente uma maré de azar se aproximou de Lorrie Ann, tudo começou a se modificar, decisões inesperadas foram tomadas e a vida deixou de ser perfeita. Ela ficou em Corona del Mar, enquanto Mia partiu para cursar Yale. Assim, as amigas seguiram em caminhos completamente diferentes e nunca imaginados por ambas.

O que eu achei muito legal neste livro, é que a história é centrada principalmente na vida complicada de Lorrie Ann, mas todos os acontecimentos são narrados por Mia – mesmo estando a milhares de quilômetros de distância em diversas ocasiões.

De uma maneira ou de outra, Lorrie Ann sempre conseguia seguir em frente, mesmo com tantas tragédias e coisas desagradáveis que aconteciam com ela, de uma maneira que Mia considerava inexplicável.

Não quero comentar os acontecimentos que ocorrem na vida das personagens, para não adiantar nada da história. Acho interessante que o leitor se surpreenda com cada coisa ruim que acontece com Lorrie Ann, que reforça mesmo a teoria de que o azar a pegou de jeito; enquanto Mia deixa de ser uma “bad girl” e passa a se tornar uma pessoa dedicada.

A escrita de Rufi Thorpe é excelente e flui muito bom. Suas personagens são bastante complexas e profundas, mas ao mesmo tempo, também são pessoas extremamente reais, que erram e acertam em suas decisões.

As garotas de Corona del Mar fala sobre amor, lealdade, maternidade e, principalmente, sobre amizade. Nenhuma amizade é perfeita, mas pode ser intensa. Classifiquei com 4 ½ estrelas no Skoob, pois achei o final muito simples para uma livro tão denso.


site: http://www.instagram.com/culpadoslivros/
comentários(0)comente



Tamy Olivia 05/09/2017

No fim eu queria mais !!
Assumo que o começo do livro para mim foi massante e bem arrastado, não sou do tipo que se da bem com livros que possuem muita descrição (e se você é igual a mim, saiba que o livro possui muitas delas).
Por fim Lorrie Ann e Mia me conquistaram devagar. A vida delas virou um mar de casualidades e certos "mistérios" como qualquer vida normal que chega a prender a atenção mesmo que o estilo não seja de seus favoritos.
Ao acabar a história fiquei querendo algumas outras respostas que sei que não iriam surgir, nem deveriam, mas eu as queria.
Um livro que recomendo sim com uma leitura leve e que sabe te surpreender.
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 16/08/2017

Resenha: As Garotas de Corona del Mar
Um dos mais recentes títulos da editora Novo Conceito chegou aqui para resenha, e que leitura surpreendente foi essa! As Garotas de Corona del Mar fala sobre a vida e a realidade nua e crua através de uma narrativa intensa e perturbadora.

Essa história é sobre a amizade entre Mia e Lorrie Ann; o passado e o presente se mesclam para explicar o que elas são, o que elas viveram. Ambos os lados muito conturbados pela realidade chocante que é a vida. As duas são melhores amigas bastante inconstantes, com altos e baixos grandes nos anos que se passaram - alguns tão baixos que chegam a ser dolorosos. Esse livro fala sobre maternidade e amor e sobre escolhas perigosas que levam a caminhos incertos.

"Normalmente, amizades entre meninas são guardadas em caixas com cartões-postais e canhotos de entradas, mas o que quer que houvesse entre eu e a Lorrie Ann não era assim tão fácil de colocar de lado."

Chocante é a palavra perfeita para essa leitura. Eu esperava uma coisa bem leve, um livro sobre amizade feminina e suas peripécias, e encontrei uma obra pesada sobre a dura realidade da vida, as dores de perdas abruptas e o emocional de mulheres marcadas por todo tipo de acontecimento. Esse livro fala, com uma intensidade assombrosa e perfeita, sobre o que é ser mulher, o que esperar de um futuro sem promessas de grandeza, o que é deixar quem você ama para trás e voltar para encontrar tudo e todo mundo tão diferente daquilo com que se tinha acostumado. Através dos olhos de Mia, vemos os anos se passando e trazendo todo tipo de tragédia a essas duas garotas, mas principalmente a Lorrie Ann; o interessante nisso tudo é ver e entender as diferenças entre a Lorrie Ann projetada pela protagonista, aquela santa inquebrável e intocável, perfeita em toda sua gentileza e pureza, e como isso não reflete nem um pouco o que Lorrie Ann era de verdade.

"Não, nós não éramos alguma anomalia estatística, mas uma perturbadora norma mediana."

Acho que o ponto chave desse livro é a realidade nua e crua. Ele é chocante porque fala abertamente sobre muitos tabus, sobre coisas que estapeiam a cara de quem sonha com a vida perfeita, de quem constrói expectativas. Mia foi essa pessoa; ela era a garota que amava e odiava a melhor amiga por ter tudo nas mais perfeitas medidas, e de repente Mia entende que só porque achava Lorrie Ann perfeita, não quer dizer que ela era. Não quer dizer que a vida da melhor amiga era um mar de ouro. A vida é tudo acontecendo o tempo todo e, em se tratando de Lorrie Ann, é tudo de doloroso e assustador. Eu nunca li uma personagem tão ferrada quanto essa menina.

Outro ponto chave do livro são as críticas. Elas são sutis, mas bem fundadas na estrutura narrativa. A principal e a que mais me perturbou emocionalmente foi sobre a maternidade, o que significa ser mãe, carregar uma vida e trazer ela ao mundo. Como cada mulher reage a isso. Em relação a Mia e a Lorrie Ann, houveram muitos momentos impactantes e assustadores, mas bastante críveis para o que elas viviam em cada situação. Isso levantou críticas à visão da sociedade, como as pessoas enxergam uma mãe e como ela é realmente, até que ponto existe força e até que ponto essa força é parte do teatro para aguentar tudo o que existe ao redor da criação. Críticas bem feitas sobre violência obstétrica, drogas e luto também se entrelaçaram à trama principal, e acho que foi um dos poucos livros que conseguiu me deixar pensativa e chocada por falar desses temas com tanta naturalidade. Não deixou a narrativa forçada, mas pesou no emocional.

"Mas eu também imaginava o que acontece com as músicas que cantamos, mesmo depois de termos terminado de cantar."

Em relação às personagens, Mia é uma egoísta desgraçada com quem a gente consegue se importar, e acho que isso é um ponto muito positivo do livro. Ela é real; uma garota e então uma mulher indecisa e egoísta e ao mesmo tempo corajosa e dedicada. A relação dela e da Lorrie Ann é muito instável, perturbada e importante para o crescimento das duas, das coisas que acontecem individualmente e que refletem no seu jeito de viver e de pensar e de entender a outra. Eu gostei bastante de ter o ponto de vista da Mia, mas o ponto que me pegou e me fez achar a narrativa um pouco estranha foi a onipresença dela em trechos do livro - isso sustenta o mistério sobre a Lorrie Ann, mas pareceu forçado. Nada que atrapalhe a leitura, no entanto.

A edição do livro está ótima, sem erros de revisão e com uma diagramação simples e agradável. E eu adoro essa capa!

As Garotas de Corona del Mar é altamente recomendado, mas pegue esse livro com a certeza de que não vai ser uma leitura fácil. Vai ser pesada, mas as críticas dentro dela vão fazer cada página valer muito a pena.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2017/08/resenha-as-garotas-de-corona-del-mar.html
comentários(0)comente



Gabs 22/07/2017

FODA
Acho que nunca li um livro que eu precisasse digerir cada capítulo como esse. Intenso. Um drama que se deixarmos nos enganar pela capa vamos sempre achar que é um romance clichê, mas NÁOOOOOO é. É um drama, tão forte, que precisei pensar muito no quesito amizade e não quanto as aparências enganam! Amei de uma forma dolorosa, quase masoquista. Recomendo.
comentários(0)comente



Carlos 02/06/2017

As Garotas de Corona Del Mar
Esse Livro é uma caixinha de surpresas. Completamente imprevisível. O final não é diferente, completamente inimaginável. Foi exatamente por isso que ele me ganhou.
Lorrien Ann e Mia cresceram em uma cidade ensolarada da Califórnia dos anos 90.
Uma é o oposto da outra, mas são inseparáveis. E Lorrien é o exemplo que Mia sempre desejou ser.
Entretanto, alguns imprevistos fazem com que sigam caminhos nunca imaginados por ambas.
Ano após ano, Lorrien Ann e Mia vivem as consequências de suas ações e decisões do passado.
A História é narrada por Mia, já no presente. Então vemos o que cada uma se tornou quando adultas.
Um livro forte, sobre amizade, escolhas, segredos e tragédias.
Esse entrou para os meus favoritos, da Novo Conceito, desse ano. ( Até o Momento)
Juh 13/06/2017minha estante
Elas chegaram a ser casal?


Carlos 28/07/2017minha estante
Não!! São apenas amigas mesmo.




Bia Santana | Viciados em Leitura 08/08/2016

Muito bom!
Oi, oi! Este foi o primeiro livro que recebi da editora Novo Conceito depois da parceria. Eles nos deram algumas opções de e-book e a sinopse de As Garotas de Corona del Mar me chamou atenção, por isso eu o escolhi. O início da leitura foi um pouco lenta, confesso. Primeiro por ser e-book e ler somente pelo celular, segundo que eu não conhecia a escrita da Rufi Thorpe, o que me fez demorar um pouco pra pegar o ritmo de como a história é contada neste livro. Vou explicar pra vocês o porquê.

Oi, oi! Este foi o primeiro livro que recebi da editora Novo Conceito depois da parceria. Eles nos deram algumas opções de e-book e a sinopse de As Garotas de Corona del Mar me chamou atenção, por isso eu o escolhi. O início da leitura foi um pouco lenta, confesso. Primeiro por ser e-book e ler somente pelo celular, segundo que eu não conhecia a escrita da Rufi Thorpe, o que me fez demorar um pouco pra pegar o ritmo de como a história é contada neste livro. Vou explicar pra vocês o porquê.

site: http://www.viciadosemleitura.blog.br/2016/04/resenha-162-as-garotas-de-corona-del.html
comentários(0)comente



Tamara 03/04/2016

Poderia ser melhor
Eu tinha muitas expectativas a respeito desse livro quando li sua sinopse e assim que comecei os primeiros capítulos achei que elas iriam ser todas supridas. Mas a medida que o livro vai avançando não consegui me identificar com ele e nem encontrar algum ponto que fizesse a trama se tornar boa. Mia começa narrando o que aconteceu na sua vida e na de Lorrie Ann desde a adolescência, e segue nesse ritmo até o fim do livro, narrando a vida adulta, as perdas de Lorrie, eu o classificaria quase como um livro de memórias, mas de forma muito técnica, eu não conseguia sentir emoção quando Mia narrava as mortes e a situação difícil de Lorrie. Outro ponto que também me deixou bastante irritada é que toda a amizade parecia forçada. Era óbvio que a amizade já não fazia mais tanto sentido e Mia ainda insistia em Lorrie. Por outro lado, mesmo essa persistência da Mia me irritando ela foi o ponto alto do livro no sentido de que me causou uma diversidade de reflexões a respeito dos laços que criamos e dos quais não conseguimos sair fácil por apego, por fidelidade a algo que já acabou.
As personagens tiveram seus pontos altos e baixos, e apesar de Mia ser irritante as vezes eu gostei muito dos momentos em que ela focava em sua própria vida e não na da amiga, ela tinha uma vida boa e isso apareceu muito no livro. Já Lorrie é uma personagem bem conturbada e por várias vezes a achei muito egoísta, mesmo que no começo do livro Mia como uma narradora fiel nos leve a admirar Lorrie, mas a medida que Mia vai se decepcionando nós leitores também vamos.
O ebook está muito bem corrigido e os capítulos são médios, narrados em primeira pessoa por Mia durante todo o tempo e cobrem um tempo longo, desde a vida adolescente das personagens até a vida adulta.
Recomendo o livro para quem gosta de histórias a respeito de amizades e suas memórias, e também como uma ótima história para aproveitarmos para refletir sobre nós mesmos. Após o término da obra, mesmo ela não me cativando tanto, fiquei pensando a respeito da história das personagens e a respeito da minha própria vida, e por isso valeu a pena a leitura.
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7