Os Quatro Cavaleiros

Os Quatro Cavaleiros Veronica Rossi




Resenhas - Os Quatro Cavaleiros


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Infinitas 06/05/2019

Sabe aquele livro que te deixam curiosa somente pela capa? Quando comecei essa leitura não tinha ideia do que esperar.

O inicio é muito lento e você precisa persistir. Começa com um interrogatório, com o protagonista preso por um crime que precisamos ler para saber qual foi.

Conhecemos Gideon Blake, um soldado que esta completando o seu treinamento para se tornar um Ranger, ele morre depois de uma defeito no paraquedas, só que ele não permanece morto (não estou falando de zumbis). Após acordar em um hospital ele percebe que esta se recuperando mais rápido do que é humanamente possível. Ele descobre que morreu, mas voltou a vida para desemprenhar um papel de muita importância para toda a humanidade.

"- Você quer saber o motivo disso tudo? Eu digo para você. O mal em pessoa esta a solta. Corremos perigo... e não estou falando dos cidadãos norte-americanos. Estou falando da humanidade. Estou falando de todo mundo."

Gideon agora é Guerra, um dos quatro cavaleiros do apocalipse, sua missão é encontrar os outros três cavaleiros: Fome, Morte e Peste e os quatro precisam proteger a chave, que se cair em mãos erradas pode gerar muito caos.

O livro é repleto de ação e a todo o momento temos a impressão de que Daryn sabe mais do que realmente esta contando para os cavaleiros, e passamos a duvidar de quais são suas verdadeiras intenções.

Gideon tem uma personalidade forte e marcante, é audacioso, impetuoso, orgulhoso, focado e tem muita raiva dentro de si.

"Eu ainda tinha comigo essa energia escaldante, uma carga imensa de raiva bem ao meu alcance. Inflamável. Parte de mim se perguntava se isso estava dentro de mim havia algum tempo e eu apenas o estive ignorando. Agora não dava mais. Tudo o que eu podia fazer era tentar controlar."

O inicio foi o que mais me incomodou. O herói começa contando acontecimentos passados, para chegar ate o presente, o que dura boa parte da narrativa, o que mais me chateia nesse tipo de narrativa é o fato de tornar o destino do protagonista ate aquele ponto, previsível.

A narrativa em primeira pessoa nos permite observar apenas o ponto de vista de Guerra, seus desejos, dores, raiva, de modo que não chegamos a conhecer muito sobre os outros três cavaleiros, mas acho que veremos mais sobre eles nos próximos livros.

A autora tem uma escrita leve, divertida e rica em detalhes. O ponto alto com certeza são as batalhas que foram muito bem descritas, de forma que é possível imaginar cada movimento. Com uma narrativa leve, irônica e divertida, fazendo o leitor rir e ao mesmo tempo ensinar sobre a amizade.

A capa é a mesma da original. A diagramação esta bem caprichada, com folhas amareladas. Adorei a parte dos cavalos, os treinamentos e o relacionamento que os cavaleiros criaram entre eles. Eu espero que na continuação de para saber mais sobre os outros cavaleiros e tenha mais revelações, e que assim como nesse primeiro tenha muita ação e lutas.


site: https://infinitasleituras.blogspot.com/2019/05/resenha-os-quatro-cavaleiros.html
comentários(0)comente



Yza 06/02/2019

Acredito muitos conheçam a passagem bíblica dos quatro cavaleiros do apocalipse ou viram os episódios de Sobrenatural sobre eles, mas para quem não conhece tem ai embaixo uma breve, bem breve mesmo explicação que eu retirei do Wikipédia.

“Os Quatro Cavaleiros são personagens descritos na terceira visão profética do Apóstolo João no livro bíblico de Revelação ou Apocalipse. Os quatro cavaleiros do apocalipse são Peste, Guerra, Fome e Morte. Que para os cristãos vai acontecer antes do fim de todas as coisas.”

A história começa já falando que as coisas não aconteceram como planejado já que o personagem principal Gideon, mas podemos chama-lo de guerra, está amarrado em uma cadeira e sendo fortemente medicado com a “droga da verdade” e a partir do interrogatório conhecemos sua história e de seus quatro companheiros fome, morte, peste e a seletora.

No começo como alternamos entre passado e presente eu fiquei um pouco incomodada, pois no meio da narrativa o Gideon era interrompido pelos seus captores e isso quebrava um pouco o clima, mas com o tempo eu percebi que tinha um propósito para isso e acabou que me acostumei e passei a apreciar esse formato. A narrativa é feita em primeira pessoa e mesmo sendo relatado pelo Gideon ele imerge em suas lembranças e partilha com o leitor todos os seus pensamentos e sentimentos, tornando mais fácil a compreensão de suas ações, mesmo as mais babaquinhas. Vocês devem está pensando que esse “spoiler” de saber que já deu ruim estraga a história, mas é o contrário a tensão é saber o porquê deu tudo errado, onde eles vacilaram e o que fizeram, como se conheceram e por ai vai, a jornada é mais importante que o resultado final nesse caso.

Achei a escrita da Veronica muito envolvente, esse foi meu primeiro contato com o trabalho da autora e me agradou muito, ela não peca em ser minuciosamente descritiva, mas também não peca pelo contrário, soube dar personalidades distintas para cada personagem, alguns foram menos explorados devido à ordem com que foram se reunindo, mas acredito que nos próximos livros isso será corrigido. Algo que me deixou um pouco assim foi o salto de tempo que tivemos no final, pareceu para mim que faltou preencher alguma coisa, faltaram algumas respostas também o que me deixa doida e cheia de perguntas, mas pode ter sido intencional para aguçar a curiosidade para os próximos livros, mesmo assim eu não curti muito isso.

Antes de começar a ler eu procurei umas resenhas e uma coisa fez com que eu começasse com o pé atrás e bem desanimada, a resenha dizia que o romance era forçado, que o entrosamento não funcionou e tal. A meu ver isso foi à forma dela de enxergar as coisas, pois para mim às coisas aconteceram em um ritmo muito legal e o romance não tem destaque e nem tira o foco do que é importante, muito pelo contrário é através dele que o protagonista se vê questionando seu atos e toma algumas lições de moral, Gideon em nenhum momento coloca o que ele sente acima da missão, afinal ele é um soldado e a missão é tudo o que importa. Lógico que passamos uma raivinha e que existem umas babaquices no meio, mas não senti esse desgosto, enfim, não me apeguei ao casal, se não tivesse envolvimento romântico nenhum também não faria diferença, não me desagradou e nem me agradou ao ponto de se tornar indispensável.

O ritmo é bem intenso, tem sempre muita coisa acontecendo e mesmo quando temos um descanso não temos descanso nenhum. Eu adorei o livro por se tratar de uma história que poderia ter seguido um outro caminho, mas se tornou algo leve, envolvente e bem positivo, os capítulos curtos foram um bônus e me ajudaram a devorar esse livro em três dias, as últimas 140 páginas eu li em uma manhã enquanto esperava para ser atendida pelo médico.

Algo interessante que gostaria de falar, pode não ter importância nenhuma, na verdade não tem, mas vou dizer mesmo assim, a autora não usa a ordem correta dos cavaleiros, algo que eu achei que aconteceria (Peste, Guerra, Fome e Morte) ela fez do jeito dela e deu certo, só achei interessante compartilhar. Já que estou falando da ordem que eles se conhecem vou aproveitar e dizer que cada um tem uma história, nada que os liguem a princípio e a convivência é um pouco estranha no começo, eles não se conhecem então a confiança é algo construído, mas antes disso rola muita briga e cenas hilárias, o foco fica com Sebastian (qual cavaleiro ele é?) que deixa a narrativa mais leve e todos os outros mais unidos.

No mais essa é uma história digna de ser lida e recomendada, espero que vocês deem uma chance a ela e que esses cavaleiros te encantem como me encantaram.
comentários(0)comente



Garotas Devorando Livros 28/07/2018

[...]

O ritmo é bem intenso, tem sempre muita coisa acontecendo e mesmo quando temos um descanso não temos descanso nenhum. Eu adorei o livro por se tratar de uma história que poderia ter seguido um outro caminho, mas se tornou algo leve, envolvente e bem positivo, os capítulos curtos foram um bônus e me ajudaram a devorar esse livro em três dias, as últimas 140 páginas eu li em uma manhã enquanto esperava para ser atendida pelo médico.

[...]

CONFIRA A RESENHA COMPLETA NO BLOG!!!


site: http://www.garotasdevorandolivros.com/2017/10/resenha-os-quatro-cavaleiros-veronica.html
comentários(0)comente



Angel Sakura 11/11/2017

Resenha do Blog Eu Insisto.com.br
Esse livro foi bem melhor do que eu pensei, porém ficou ainda na linha do médio. Tem bons pontos que me fazem desejar os próximos, mas ao mesmo tempo alguns pontos me deixam com as expectativas controladas. Esse é o segundo trabalho da Veronica que eu leio e ainda estou com o saldo positivo com ela. O início é muito lento, mas se você persistir eu juro que compensa. Não desistam antes da história começar! Até porque o início é um interrogatório, com o protagonista preso por um crime que precisamos ler pra saber qual foi, então vamos nessa.

“- Você quer saber o motivo disso tudo? Eu digo para você. O mal em pessoa está à solta. Corremos perigo… e não estou falando dos cidadãos norte-americanos. Estou falando da humanidade. Estou falando de todo mundo!”

Esse livro tem algo diferente dos livros que tenho lido ultimamente, o narrador é homem. Bom, eu e o Gideon nos demos mais ou menos bem, porém em alguns pontos eu sentia falta da narração principal de uma mulher hahaha.
Tá, deixa eu falar sobre o livro, é uma história baseada nos quatro Cavaleiros do Apocalipse. Pra quem não sabe os moços gente boa são Peste, Guerra, Fome e Morte. Só amigos felizes, eu lembro bem deles de Supernatural, Dean rainha, Sammy nadinha. Começamos ouvindo de Gideon a sua história de como era um soldado e “morre” quando seu paraquedas tem um defeito. Daí pensamos que ele vai começar no inferno e galgar terreno até ser um cavaleiro, mas não. Ele volta a vida mega ferrado e que vai ficar sem movimentos muito provavelmente para todo o seeeempre. Exceto que Gideon não é qualquer um. Ele é o protagonista e isso dá mais 10 de constituição certamente, então após alguns dias ele está “milagrosamente” curado. Além da cura ele percebe um estranho bracelete preso no seu braço. Hum, uma cura milagrosa e uma joia no braço, foi um bom momento para Gideon. Só que não. Nunca mais seria um bom dia, porque junto da nova chance de viver ele se tornou um Cavaleiro do Apocalipse. Aposto que ninguém vai convidar ele pras festinhas da família.

“Eu ainda tinha comigo essa energia escaldante, uma carga imensa de raiva bem ao meu alcance. Inflamável. Parte de mim se perguntava se isso estava dentro de mim havia algum tempo e eu apenas o estivera ignorando. Agora não dava mais. Tudo o que eu podia fazer era tentar controlar.”

[...] Para ler completa visite o blog Ei Insisto.

site: http://euinsisto.com.br/os-quatro-cavaleiros-riders-1-veronica-rossi/
comentários(0)comente



Carol 01/10/2017

Começo lentoooooo
Quase dois meses. Esse foi o tempo que levei para concluir esse livro. Devo confessar que mais da metade desses meses foi para chegar nos 50% do livro, e que o resto fluiu maravilhosamente. Mas até chegar nele, foi um martírio.

Os Quatro Cavaleiros vai contar a história de Gideon, que é um soldado que morre depois de um defeito do paraquedas. Só que ele não permanece morto. Volta a vida e com o corpo tão ferrado que os médicos acham que mais nunca ele poderá andar novamente, ou ter os movimentos completos dos braços. Acontece que poucos dias depois de acordar no hospital, com um bracelete estranho no braço, Gideon está curado. Milagrosamente curado. E além disso percebe que toda vez que as pessoas se aproximam dele, elas começam a falar coisas que não deviam e ter reações coléricas.

Durante um ataque estranho na universidade onde a irmã dele estuda, Gideon descobre que é Guerra, um dos quatro cavaleiros do apocalipse, e que junto de Derryn, a seletora responsável por juntar os quatro, tem que ir atrás dos outros caras e ajudar a proteger uma espécie de tesouro, para que o mundo não entre em um tipo de caos com monstros e anjos.

Ok, a premissa do livro é incrível, não é? Queria dizer que o começo dele também é, mas o achei extremamente enfadonho. Um porre! Para chegar até a página 100 eu praticamente lia duas ou três por dia. Não conseguia mais do que isso, e não sei exatamente o motivo. Só não ia de jeito nenhum. Gosto de Gideon, apesar de alguns comportamentos meio infantis, como gosto dos caras que fazem Peste, Fome e Morte. Elas são incríveis juntos! Mas até que isso venha acontecer, haja chão!

Adoro a Veronica descrevendo cenas de ação. São - de longe - a melhor parte desse livro. As descrições das passagens de guerra são espetaculares! E ainda tem as armas super legais e os cavalos incríveis para incrementar esse caldo suculento. Então até a metade é aquela chatice de apresentar a ideia, mas depois que ela é apresentada o negócio flui que é uma beleza! Comi as últimas 150 páginas.

Esse livro é o primeiro de uma série - não sei de quantos. Sei que o segundo já foi publicado lá fora e parece focar em Derryn. As pessoas estão achando que vai ser um livro para cada cavaleiro, mas não acho que seja o caso. Muita coisa na história de Gideon ainda ficou em aberto, e não creio que Veronica vá dar fim a história dele dessa forma. A não ser que vá colocar mais um pouco no livro de Derryn, já que eles dois fazem uma espécie de par romântico bem "cão e gato".

É um bom livro, depois que pegamos gás nele. Ainda prefiro a série de Never Sky, mas vocês bem sabem que sou uma fraca para distopias, então não teria muita comparação. Vou terminar de ler a série, porque realmente acho que a ideia é boa e que a autora soube trabalhar as nuances de cada cavaleiro dentro da sua própria ideia de vida. Sem contar que imaginar quatro caras bonitos vestidos em armaduras poderosas e montando cavalos místicos dá uma super vontade, né?

site: http://terradecarol.blogspot.com.br/2017/09/resenha-de-os-quatro-cavaleiros.html
comentários(0)comente



Nicoly Mafra - @nickmafra 29/09/2017

#ResenhaNickMafra: Os Quatro Cavaleiros | @rossibooks | @galerarecord | Nota: 3,5.
Tudo que Gideon Blake queria era seguir os passos do seu falecido pai e se tornar um soldado americano. Determinado a ser um Ranger, Gideon deu tudo de si em seu treinamento, mas uma falha em seu paraquedas durante um exercício de voo acabou com todos os sonhos do garoto; na verdade, acabou com sua vida.

Gideon morreu por pouco tempo, mas logo voltou à vida, e, para chocar ainda mais os médicos, a recuperação de Gideon é extremamente rápida - em uma semana todos os seus ferimentos estão curados. Como se isso não fosse loucura o suficiente, o garoto percebe que algumas coisas estão diferentes no seu corpo, no jeito que as pessoas agem quando ele está presente e que de vez em quando uma raiva borbulha dentro de seu peito.

Porém, existe uma explicação para todas essas mudanças: Gideon agora é Guerra, um dos quatro cavaleiros do Apocalipse. Com a ajuda de Daryn, Gideon precisa encontrar os outros três cavaleiros e partir em uma missão: impedir que uma chave caia nas mãos da Ordem - um grupo de demônios que quer escravizar a humanidade.
__

Os Quatro Cavaleiros possui uma narrativa bem peculiar; a história é narrada por Gideon enquanto ele está sendo interrogado pelas autoridades, então as informações são flashbacks do personagem até aquele momento de sua vida. Foi bacana acompanhar a história do personagem nesta perspectiva; Gideon é um personagem carismático e a maneira que ele narra os acontecimentos é muito interessante, o que tornou a leitura bem rápida.

Os personagens secundários deste livro, os outros cavaleiros, são ótimos também, principalmente Sebastian (Fome) - dei muitas risadas com este personagem. Gostei bastante do desenvolvido do relacionamento entre os personagens, porém, em alguns momentos, achei algumas situações e brigas desnecessárias.

De maneira geral, Os Quatro Cavaleiros é uma aventura bacana e rápida de ler. Este foi o meu primeiro contato com a escrita da Veronica Rossi e gostei muito da maneira em que a história foi desenvolvida e dos personagens criados. Recomendo a leitura para quem está procurando uma leitura rapidinha e para os fãs de aventura.

site: www.instagram.com/nickmafra
comentários(0)comente



Dri - @oasisliterario 18/09/2017

Uma leitura muito divertida que me prendeu do início ao fim.
O maior objetivo de Gideon Blake era tornar-se um soldado americano e a única coisa que o impediria seria a morte. E ele morreu. Após um terrível acidente, Gideon morre por um curto espaço de tempo e, ao acordar, percebe que algumas coisas estão diferentes. Todo mundo considera um milagre ele estar vivo, mas o milagre que o salvou foi o fato de ter se tornado um dos quatro cavaleiros do Apocalipse. Gideon Blake é Guerra e precisará encontrar Fome, Morte e Peste para salvar o mundo da Ordem.

"Os Quatro Cavaleiros" é narrado de forma incomum por Gideon como se o leitor fosse Cordero, uma militar que o interroga durante quase todo o livro, e Gideon contasse a história através de memórias.

Com um ritmo bem fluido assemelhando-se a uma aventura, "Os Quatro Cavaleiros" foi uma surpresa muito boa para mim. Iniciei o livro sem esperar muito da história, mas me peguei sendo completamente cativada pelo enredo e personagens. Na minha opinião, Veronica Rossi acertou em cheio ao nos apresenta uma forma diferente da famosa história dos quatro cavaleiros do Apocalipse.

Há tempos não me sentia tão apegada a os personagens de um livro desse gênero. Gideon me conquistou facilmente mesmo com seu jeito irritado e explosivo. Sebastian definitivamente foi o meu queridinho durante a história e eu amei suas características, principalmente a constante confusão na hora de citar expressões conhecidas que tornavam-se cômicas.
Jode, Marcus e Daryn também acrescentam um charme a mais a história, mesmo que não tão intensamente.

A única coisa que me impediu de dar cinco estrelas para o livro foram os momentos importantes em que o foco se tornava o possível romance entre Daryn e Gideon. Sei que o romance tem uma certa importância para o desenvolvimento dos personagens, mas creio que, se a autora tivesse focado um pouco menos nessa questão, o livro teria sido ainda melhor.

A narrativa proporcionou uma leitura muito divertida e me prendeu do início ao fim, deixando aquele gostinho de quero mais ao finalizar com um cliffhanger importante para a continuação. Indico muito a leitura aos leitores que adoram uma leitura simples com um toque de aventura.

Link: https://www.instagram.com/p/BZKQ6xVF7lE/
comentários(0)comente



Luana.Lecorny 15/09/2017

Que livro sensacional!
Ao ler a sinopse fiquei interessada na mesma hora, é uma trama bastante original e algo me dizia que eu iria adorar. Eu estava certa, adorei!
O livro é narrado por Gideon um adolescente que volta da morte e descobre ser Guerra, um dos quatro cavaleiros. A narração é leve e descontraída, os personagens são muito bem construídos. Sebastian (Fome) com seu senso de humor me fez gostar dele de cara, Marcus (Morte) enigmatico e irritadiço, Jode (Peste) com sua cordialidade... juntos os quatro formam um grupo perfeito e gostei muito de como a relação deles foi se formando gradativamente. Darin a misteriosa Seletora com a missão de reunir os quatro e então proteger a chave de uma dimensão, não contava em se apaixonar por Gideon.
Os 5 reunidos tem a missão de proteger a chave de uma outra dimensão, impedindo que esta caia nas mãos da Ordem (um grupo de demônios que querem construir um reino e escravisar inocentes.

Quando me dei conta estava na última página, tão fluída é a leitura. Mal posso esperar pelo segundo livro! Veronica Rossi definitivamente tem meu respeito!
comentários(0)comente



Malu | @dicas_de_malu 11/09/2017

Uma premissa muito original desenvolvida em uma trama envolvente
Quando li a sinopse de “Os quatro cavaleiros”, da autora Veronica Rossi, fiquei imediatamente interessada. Apesar de nunca ter lido nada da autora, achei a premissa muito boa e diferente de tudo que já li. Afinal, não é todo dia que encontramos um livro em que o protagonista morre, mas acorda vivo e descobre que se tornou um dos Quatro Cavaleiros do Apocalipse.

Após sofrer um acidente fatal, Gideon Blacke acorda no hispital, vivo e, surpreendentemente, bem. Sua recuperação é extremamente rápida e ele não apresenta nenhuma das sequelas que os médicos esperariam. De fato, as únicas mudanças no corpo de Gideon são a capacidade de recuperação muito acelerada e um bracelete que surgiu no seu braço direito e ele não faz ideia de como remover.

O livro começa já mais adiantado na história, quando Gideon e os outros três cavaleiros falharam em sua missão e ele se encontra amarrado e sendo interrogado. Desesperado para se libertar e descobrir onde estão seus amigos, ele começa a relatar tudo o que aconteceu desde seu acidente, como descobriu ser um dos Cavaleiros do Apocalipse, mais precisamente Guerra, quando encontrou os outros três (Fome, Peste e Morte) e qual era a missão deles.

Assim, presente e passado vão se intercalando de modo que o leitor vai descobrindo, aos poucos, o que aconteceu e como Gideon foi parar naquele lugar. E esse talvez seja o maior mérito do livro: conseguir manter o mistério sobre a missão em que Guerra, Fome, Peste e Morte falharam. Isso acaba instigando a curiosidade do leitor e tornando a leitura mais fluida.

No entanto, Os quatro cavaleiros também tem alguns problemas. O maior deles, para mim, é o protagonista. No começo, eu estava adorando o Gideon e seu jeito descontraído e um pouco irônico de narrar os acontecimentos. No entanto, ele começa a ter um comportamento irritante com seus amigos e age como um idiota, despejando sua raiva e suas frustrações nos seus amigos em cima dele. Apesar de isso fazer sentido, afinal ele é um adolescente e descobriu que é a Guerra, acabou me irritando bastante.

Outro aspecto que não gostei é o romance que surge entre Gideon e Daryn, uma jovem que tem a responsabilidade de unir os quatro cavaleiros e guiá-los em sua missão. Apesar de Daryn ser uma personagem incrível e o romance não tirar o foco do livro, ele acabou me incomodando por não ter sido convincente. Além disso, Gideon começa a ficar mais irritante quando se apaixona por ela. Ele se torna tão obsessivo com relação a Daryn que chega a ser inconveniente, ainda mais considerando a importância da missão em que estavam envolvidos.

Felizmente, Daryn é bem mais responsável que Gideon. Apesar de também gostar dele (não me perguntem o porquê), ela sabe o que precisam fazer e não deixa que o romance tire o foco da missão. Assim, o centro da história permanece sendo o que os quatro cavaleiros precisam fazer, o que eu considero uma decisão muito acertada da autora.

Com relação aos personagens secundários, eu amei os outros três cavaleiros. Sebastian, que é a Fome, foi o meu favorito no livro. Ele é carismático, engraçado e muito leal, além de ser, junto com Daryn, o ponto de equilíbrio do grupo. Já o Marcus, que é a Morte, é um personagem misterioso, mas que acabou sendo bem construído e conquistando minha simpatia e admiração. O Jode, também conhecido como Peste, é o que foi menos explorado dos quatro, mas, ainda assim, é um personagem cativante.

Além disso, achei muito legal o modo como eles evoluíram gradualmente de um grupo de pessoas que não se conheciam e tinham vários desentendimentos até formarem um laço real de amizade. Adorei ver o quanto cada um deles, até o Gideon, amadureceu ao longo do livro e como eles conseguiram se tornar verdadeiramente amigos.

A trama teve seus altos e baixos, muito por causa da personalidade irritante de Gideon. No entanto, a escrita da autora é muito leve e envolvente, e ela soube conduzir a história de um modo que eu me mantive curiosa e envolvida na leitura. Além disso, o desfecho é muito bom e traz um ótimo gancho para o próximo livro.

Com relação à edição, eu adorei a capa. Achei bonita e totalmente condizente com o livro. Além disso, as páginas são amareladas e achei a fonte com um bom tamanho para leitura.

Deste modo, apesar de não ter sido tudo que eu esperava, Os quatro cavaleiros ainda foi uma ótima leitura. É um livro que conta com uma premissa muito original, personagens interessantes e muita ação e mistério. Sem dúvida, foi um ótimo começo para a série e me deixou muito curiosa para ler a continuação.

site: http://www.dicasdemalu.com.br/2017/09/dica-da-malu-os-quatro-cavaleiros.html
comentários(0)comente



Dryh 03/09/2017

Quero um cavalo e uma armadura para mim..de preferência, com um cavaleiro junto <3
Determinado a ser um Ranger, Gideon Blake deu tudo de si em seu treinamento no exército, visando seguir os passos do falecido pai. Mas uma falha em seu paraquedas faz com que ele sofra uma queda e, bem, morra. Mas algo inusitado acontece, e Gideon volta à vida. Se isso já não fosse estranho o suficiente, seus ferimentos cicatrizam em questão de dias e um bracelete estranho aparece em seu pulso.

Acontece que Gideon agora é Guerra, um dos quatro cavaleiros do Apocalipse. Ele tem a missão de encontrar os outros três, Fome, Morte e Peste, e proteger uma chave que, caso caia em mãos erradas (também conhecidas como Ordem, um grupo de demônios que quer escravizar a humanidade), pode significar muito, mas muito caos. Para isso, ele conta com a ajuda de Daryn, a garota que lhe revelara sua nova identidade e sua missão, e também a guardiã da tal chave. Mas não seria tão fácil unir-se a seus novos companheiros com uma horda de demônios atrás, principalmente levando-se em conta que eles não tinham treinamento algum, e nem todos os cavaleiros eram amigáveis. E ele não tinha escolhas, tinha?

Como Daryn tinha dito, eu precisava reunir todos, rapidamente, para que a gente pudesse se concentrar em controlar nossas habilidades. Era a melhor chance que tínhamos contra a Ordem. E também, sem nenhuma dúvida, era a nossa melhor chance de sobreviver. – página 125

Eu gostei muito da premissa deste livro quando o vi no catálogo de lançamentos da editora, então, quando meu exemplar chegou, fiquei doidinha para lê-lo. Achei interessante o livro começar com Gideon preso em uma cabana, narrando os acontecimentos desde o momento em que morreu. Isso deixa o leitor curioso para saber como ele foi parar ali, e ansioso para chegar logo ao final e saber se a chave continuava segura, ou se o caos seguiria. Gostei imediatamente dele, seu senso de humor e a maneira como guarda uma culpa tão grande dentro de si fizeram com que eu me afeiçoasse a ele muito rapidamente.

Os outros cavaleiros não ficam muito atrás. Sebastian, agora conhecido como Fome, foi o meu favorito, seguido por Jode (Peste) e Marcus (Morte). Ao longo do livro, Gideon nos revela como foi que cada um deles morreu e também mostra sua relação com cada membro da equipe, como foi fácil para ele gostar de Bas e como ele e Marcus se odiaram já no primeiro instante, e também sobre como se apaixonou por Daryn, tornando-se mais chato e ciumento a cada página.

Uma coisa muito interessante (melhor ainda, uma coisa daora pra caramba!) é que cada cavaleiro possui uma habilidade em especial, juntamente com uma armadura (foda, ao menos em minha imaginação), uma arma e um cavalo. Gente, as descrições dos cavalos! Os momentos em que os quatro montavam essas feras e vestiam as armaduras! Eu queria gritar de emoção! E vê-los treinando juntos e tornando-se mais amigos a cada página era ainda melhor. Queria entrar na história nessas horas só para dizer que eles estavam sendo incríveis, e para nunca pararem de ser assim.
“Vocês estão assustadores”, disse ela. Mas a gente sabia que era assustadoramente incríveis. Olhei em volta. Era a primeira vez que ficávamos daquele jeito, os quatro montados. Vermelho, branco, preto e dourado. Uma gangue de verdade. – página 295

A autora tem uma escrita bem leve e divertida, e como a narração é feita pelo próprio Gideon, fica ainda mais engraçada. O único problema é que, em algumas partes, e as descrições eram precárias e as cenas acabavam rápido demais, e de maneira confusa. Eu acabava tendo que ler outra vez para tentar entender o que tinha acontecido, pois num segundo algo estava acontecendo, e noutro já estava tudo bem. Tirando isso, e alguns erros na revisão, e também o fato de que eu não consegui gostar da Daryn, o livro é maravilhoso!
Os quatro cavaleiros superou as minhas expectativas (tirando os apesares ali em cima) e eu tô doida pela continuação. Só fiquei um pouco receosa porque parece que o próximo livro será narrado pela Daryn, e eu realmente espero que não seja isso mesmo...haha
Veronica Rossi conseguiu me deixar bem pra baixo com o final, ainda estou me sentindo um pouco traída, para falar a verdade...haha’ que foi mais tenso e eletrizante do que eu esperava, e me deixou com o coração na boca.
Torcendo muito para que a continuação seja lançada em breve por aqui, pois eu não me aguento de curiosidade e ansiedade. O que será que acontece depois? *0*

Parei porque estou enjoado. Parei porque não posso mais falar. Parei porque eu sei quem é você. [...] Continue, Blake. Nada mudou. Mas tudo mudou. – página 242


site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



LOHS 21/08/2017

Veronica Rossi provou mais uma vez suas habilidades de escrita para o público jovem!
Olá leitores! Hoje vou resenhar um livro com uma premissa muito interessante e que me surpreendeu bastante positivamente, já adianto. Os Quatro Cavaleiros é o primeiro livro da série "Riders", e é escrito pela conhecida autora da trilogia Never Sky - Sob o Céu do Nunca, e que também já ganhou prêmios nos Estados Unidos referente a literatura para jovens adultos (a famosa Young Adult). Por conta disso eu já esperava uma boa leitura e uma história juvenil com uma narrativa marcante.

Gideon é um jovem que, aos dezoito anos, está curtindo o auge de sua vida. Ele mora na Califórnia e sua paixão é surfar, curtir os dias ensolarados e planejar o seu futuro no exército. Sim, no exército. Com a perda do pai, o jovem decidiu seguir seus passos na carreira militar e se tornar um Ranger. O exército é um dos seus lugares reconfortantes após sofrer a dor da perda. Ele se alistou e até então, seus planos estavam indo muito bem. Em um dia de treinamento com paraquedismo, Gideon salta do avião mas tem problemas com seu paraquedas e despenca do céu. E morre.

Era para o jovem estar morto, de fato. Mas ele acorda no hospital, e surpreende a todos com uma recuperação estranhamente rápida. O que deveria levar meses e provavelmente deixaria sequelas eternas, leva poucos dias e ninguém, nem mesmo ele, pode compreender o que aconteceu. Outro fato que intriga o rapaz é o que aparece misteriosamente preso em seu pulso: um bracelete desconhecido. Assim que sai do hospital, Gideon tem como objetivo ir atrás de respostas para seu próprio milagre. E ele se depara com uma história no mínimo assustadora.

No apartamento de sua irmã, Gideon recebe uma garota misteriosa chamada Daryn. A garota revela então, que o jovem "quase morto" se tornou um cavaleiro do apocalipse no momento em que sobreviveu a queda e de fato morreu. Agora, ele renasceu com esse destino a ser cumprido: ele deve encontrar os outros cavaleiros para que eles possam proteger a chave que tem o poder de abrir os portões do inferno. Ela o nomeia como o cavaleiro da Guerra e pede ao jovem que a siga. Sem muita escolha, confuso e curioso sobre as revelações estranhas e fantasiosas, Gideon decide seguir a garota.

A partir deste ponto somos apresentados a uma história muito interessante sobre os cavaleiros do apocalipse, seu passado, e também aos que desejam tomar o poder da chave, a Ordem. Os quatro cavaleiros, devem ser capazes de detê-los. E Gideon (Guerra), Sebastian (Fome), Jode (Peste) e Marcus (Fome) precisam se unir em prol de seu destino. A narrativa nos apresenta muitos flashbacks do passado, da morte que os tornou cavaleiros, da Ordem e do que eles enfrentam ao longo do livro e nos deixa uma abertura muito boa para o próximo volume.

Os personagens são diferentes, bem construídos e com habilidades próprias. E ainda sim, jovens. O livro possui uma boa dose de ação, mistério e misticismo num equilíbrio perfeito durante a narrativa. Não é imaturo, nem lento. Os personagens se desenvolvem e nos inspiram com suas atitudes. É eletrizante para uma literatura juvenil. Gostei muito da premissa, desenvolvimento da narrativa e de tudo o que a autora criou em volta dessas bases. De fato foi uma leitura diferente do que eu esperava, me surpreendeu em alguns aspectos e eu considero um livro muito bom e que merece a atenção de nós, leitores. Estou muito curiosa para saber o destino de Gideon e dos cavaleiros.

Aguardo ansiosamente o próximo volume, que ainda não foi publicado nos Estados Unidos. A edição, pela Galera Record, está linda, e com a capa original, que eu amei. Veronica Rossi provou mais uma vez suas habilidades de escrita para o público jovem, e que pode de fato empolgar qualquer leitor, e que venha o próximo volume!

site: http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/2017/08/os-quatro-cavaleiros.html
comentários(0)comente



Dani 19/08/2017

Uma ótima leitura!
Os Quatro Cavaleiros é o primeiro livro da série Riders e contará uma história mais atual dos quatro Cavaleiros do Apocalipse. O livro foi lançado pela Galera Record este ano e se tornou uma das minhas leituras mais legais até agora.

No livro, conheceremos Gideon, um garoto que mudou completamente depois da morte de seu pai. Ao completar 18 anos, ele decidiu se alistar no exército e se tornar um Ranger. Ele estava para completar seu treinamento do RASP, no 75º Regimento Ranger, quando acontece um acidente inesperado: ao saltar de paraquedas, o mesmo não abre, e Gideon acaba morrendo. Surpreendentemente, ele acorda quase sem ter sofrido danos. Sua recuperação – que de acordo com os médicos, deveria acontecer dentro de um ano –, acontece em poucos dias. Ele não consegue entender como pode estar vivo, como pode ter sobrevivido e estar se recuperando de uma forma tão rápida. No entanto, para ele, o mais estranho é o bracelete que apareceu no seu pulso e que não sai, de forma alguma.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Agora resta a Gideon ir atrás de respostas, e ele sabe que encontrará essas respostas numa menina misteriosa que aparece de repente no apartamento de sua irmã. Daryn aparece para ele dizendo que o mesmo corre perigo e que este precisa ir embora com ela. Mesmo sabendo que tudo isso é muito estranho, Gideon a segue. Chegou o momento de ele saber o que está acontecendo. Mas o que Daryn diz muda tudo na vida do garoto: ela diz que ele é Guerra, um dos quatro Cavaleiros do Apocalipse. E que Gideon precisa encontrar Fome, Morte e Peste e, juntos, proteger uma chave da Ordem, um grupo que pretende abrir as portas do inferno na Terra.

Logo de cara eu quis muito ler esse livro. A premissa dele me pareceu ótima e eu quis muito ver como a autora abordaria a questão dos cavaleiros. O livro é contado pelo ponto de vista de Gideon. O mais legal é que ele conta toda sua história – desde o acidente, até o momento que enfrentou a Ordem – enquanto está sendo interrogado pelas autoridades. A maior parte da história é contada a partir de flashbacks, até o momento em que a narrativa volta para o presente. É uma narrativa cheia de surpresas e reviravoltas; instigante a ponto de você não querer mais largar o livro. Passamos a conhecer mais sobre Gideon e, também, sobre os outros cavaleiros. Gostei de todos na mesma medida. Gideon, Sebastian (Fome), Marcus (Morte) e Jode (Peste) são completamente diferentes na personalidade. A única coisa que eles têm em comum é o dia da morte de cada um. Mas, mesmo sendo diferentes, eles se unem para proteger a chave. Durante o tempo que passam juntos, eles se conhecem melhor, e uma grande amizade é formada entre eles.

Gostei muito dos detalhes que a autora criou no livro. Cada cavaleiro tem habilidades, armas e, é claro, seus cavalos. As cenas de lutas são bem detalhadas, nos permitindo visualizar tudo perfeitamente em nossa mente. Há também um romance entre Gideon e Daryn, mas ele não deixa a narrativa romântica, nem melosa. Na verdade, o romance fica em segundo plano em comparação a tudo o que os garotos precisam fazer. A trama é focada na missão dos quatro, nos descobrimento de cada habilidade, e em seus treinamentos.

Os Quatro Cavaleiros possui uma leitura empolgante, divertida. O final é eletrizante e triste ao mesmo tempo. Estou ansiosa pelo próximo livro; sei que provavelmente vai demorar um pouco, o que torna tudo ainda mais angustiante para mim. Indico o livro para quem deseja uma boa história, com bons personagens, uma trama envolvente e ótimas cenas de lutas.


site: www.livrosecafe.com
comentários(0)comente



Giulian 15/08/2017

Resenha Os quatro cavaleiros
“O que você faria se descobrisse que se tornou um dos cavaleiros do apocalipse? ”

Pergunta difícil essa
Agora imagina pra 4 pessoas que não se conhecem, acabaram de vencer a morte e agora terão que lutar para salvar o mundo?
Mas já dizia aquele velho ditado “nada na vida é por acaso”
Ou melhor “para tudo há um propósito”
Eles não viraram GUERRA, PESTE, FOME E MORTE atoa
Eles forma escolhidos para enfrentar uma batalha contra demônios poderosos que querem criar seu próprio mundo...

site: http://blogeuamo.com/resenha-os-quatro-cavaleiros-veronica-rossi/
comentários(0)comente



Fernanda 14/08/2017

Os quatro cavaleiros
Resenha no blog:

http://www.segredosemlivros.com/2017/08/resenha-os-quatro-cavaleiros-veronica.html

site: http://www.segredosemlivros.com/2017/08/resenha-os-quatro-cavaleiros-veronica.html
comentários(0)comente



@isaalouca 27/07/2017

surpreendentemente incrível!!

Gideon é um garoto californiano comum; aqueles loiros, altos e bonitos que amam surfar. Com 18 anos ele decidiu se alistar e seguir os passos do pai no batalhão RASP. A morte do pai era uma ferida aberta em Gideon, mas ali no exército ele se encontrava.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Em um dos treinamentos de salto de avião, tudo dá errado e Gideon despenca do céu. Era para ele ter morrido. Mas Gideon simplesmente acorda e sua recuperação que deveria demorar um ano acontece em horas. Se o choque disso não o tivesse desesperado, o bracelete que surgiu em seu braço e não saía com certeza o faria.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A vida de Gideon tinha virado ao avesso, e ele precisava de respostas. Nada fazia sentido, até que ele encontra uma garota. Ela o diz que ele é Guerra. Ela o diz que ele é um dos quatro cavaleiros. E que a hora de executar sua missão havia chegado. Que era preciso que ele reunisse os outros três cavaleiros. Que o tempo estava acabando. Será que Gideon conseguirá?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🙆🏽aaaahh que livro maravilhoso!!!!! É daqueles que você quer acabar logo para saber o que acontece com os personagens, mas também não quer que acabe porque histórias incríveis assim são difíceis de achar. Gideon nos conta sua história em forma de flashback por um tempo, e junto com ele vamos entendendo melhor os acontecimentos que mudaram sua vida. Sabe quando você vai desvendando junto com o protagonista os segredos da trama? É bem assim. Passar por cada momento com Gideon me permitiu crescer junto com ele, e me emocionei ao ver que as dificuldades e desafios que apareceram apenas revelaram quão forte ele era. Isso me inspirou a ser resiliente - me mostrou que a vida é sobre continuar lutando mesmo quando a maré está contra você.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Preciso dizer que a narrativa de Gideon é engraçada, empolgante, muito humana e jovem. O modo como ele fala, suas ações e sentimentos transmitem muita realidade, e assim o leitor se identifica. Mesmo que a história seja ficção, Gideon faz tudo parecer real. Como se aquilo pudesse acontecer com qualquer um de nós. Os demais personagens também vão conquistando espaço na história gradualmente, e ao final o coração fica um misto de amor, saudade e dor. A autora acabou de ganhar mais uma fã. Que história!! Vai ficar marcada em mim para sempre.

site: @isaloucaporlivros
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15