Daqui Pra Baixo

Daqui Pra Baixo Jason Reynolds




Resenhas - Long Way Down


55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Dan Lazarini 31/05/2019

NÃO CHORE, NÃO DEDURE, SE VINGUE!
67 segundos, três regras marcam o ritmo desta história de Will, um adolescente de 15 anos, acostumado com a extrema violência do bairro que vive que se vê tendo que seguir as três regras do bairro após seu irmão ser assassinado.

A história se passa dentro do elevador quando Will está prestes a executar a terceira regra. Porém o elevador para em cada andar e em cada parada uma pessoa entra e o faz repensar sua decisão.

Diferente de tudo que eu já li. Me surpreendeu. A história foi escrita em versos a e a minha mente lia como se tivesse cantando um rap.

Um tipo de leitura que devorei e curti que jamais conheceria se não fizesse parte do clube intrínsecos.

VOCÊ VEM?
Sandra 31/05/2019minha estante
Quando recebi o livro pela intrínsecos foi um desapontamento só... tanto pelo gênero, quanto pelo enredo (só o projeto achei bonito.... o que me deixou mais triste e chateada ainda.... outros que gostei poderiam ter tido essa atenção também)... Talvez quando eu for ler (vou ter que reunir ânimo) mude de ideia....


Dan Lazarini 25/06/2019minha estante
Eu levei um susto. Nunca tinha lido um livro assim. Mas comecei a ler e me surpreendi e li o livro em cerca de 3hs. Da uma chance pra ele. Eu resolvi assinar o intrinsecos justamente para sair da minha sona de conforto pq só compro livro do meu gênero preferido e assim conheço outros gêneros e muitas vezes acabo gostando e se não tivesse assinado não teria tido oportunidade de ler livros que acabei curtindo muito. Só vi sua mensagem hoje se já leu me conta por favor o que achou!




Dimensão Literária 01/06/2019

Sensacional!!!!
#DIMLITINDICA

O que achei de: Daqui pra Baixo (Jason Reynalds).

Esse é um livro que retrata a realidade de uma forma crua e totalmente chocante. Um livro que se passar em poucos instantes na vida de uma pessoa, mas que assim como aconteceu comigo irá te marcar para sempre.

Will é um jovem de 15 anos que acaba de perder seu irmão Shawn. Shawn acabou levando dois tiros em frente à sua casa. Agora sua mãe está totalmente arrasada e ele quer mudar isso. Num mundo onde existem três regras básicas: 1) Não chorar, 2) Não dedurar e 3) Sempre se vingar. Will terá de decidir se vai ou não se vingar da pessoa que ele tem certeza que matou seu irmão. Após pegar uma arma e entrar no elevador para seguir as regras, algumas coisas aconteceram e fará Will repensar sobre toda a sua vida.

Daqui pra baixo, se passa em um elevador, e vamos acompanhar apenas 60 segundos da vida de Will (LITERALMENTE). Jason Reynolds aborda de modo visceral a realidade de jovens negros e moradores de ?favelas? ao redor de todo o mundo.

A narrativa é muito fluida e dolorosa. O autor vai nos dando um choque de realidade e nos mostrando o quão cruel são essas situações que estão debaixo do nosso nariz, mas que muitas vezes fingirmos não enxergar. Li o livro em poucas horas, mas confesso que o impacto que ele teve sobre mim, foi capaz de mudar o modo como eu vejo o mundo.

Um livro sensacional, real e chocante que faz cada um de nós repensar sobre como vemos o mundo e as pessoas. Não me arrependo de ter lido. E convido você a se emocionar com esse livro assim como eu. (5/5 ??+??)
comentários(0)comente



Rodrigo 01/06/2019

Um livro diferente
Todo escrito em versos, o livro retrata alguns segundos de uma descida de elevador. O protagonista acabou de perder o irmão e resolve se vingar do suposto assassino. Pega a arma do falecido irmão e desce de elevador até o térreo para se vingar, porem, recebe a visita de alguns fantasmas do passado. È bem interessante, e vc lé as 300 páginas extremamente rápido. Vale a pena.
comentários(0)comente



João Gabriel 06/06/2019

Sensacional
Quando folheei o livro logo após abrir a caixinha do Intrínsecos, minha reação automática foi de "ah não, um livro de poesia". Nunca tinha lido um livro de poesias na vida, nunca tive muito interesse nesse gênero.

Mas como eu estava errado sobre esse livro.

Ele é sensacional, a história é contada durante 60 segundos da vida do personagem principal e com uma temática que nunca antes tinha visto. Com certeza esse livro ficará pra sempre na minha lembrança, me marcou de uma forma única.
comentários(0)comente



Wes 31/05/2019

Foi como conversar consigo mesmo dentro de um elevador, respirar fundo e pensar bem sobre nossas atitudes e em tudo aquilo que agente viveu ao lado de quem a gente mais amava.
comentários(0)comente



Diana 31/08/2019

É, bom. Mas nada demais...
Foi diferente de tudo que eu já li, leitura rápida que dar pra ler em poucas horas.
O final ficou em aberto.
"Você vem?"

Nota: 3,0.
comentários(0)comente



Alef 23/06/2019

Sinceramente
Achei bem interessante a forma como é escrito, a diagramação da páginas é incrível, mas o que mais me deixou pensando com tudo isso é "Mano do céu, eu preciso discutir minhas teorias desse livro com alguem".
comentários(0)comente



Matt 03/06/2019

Me Surpreendi
Fiquei bastante surpreso com essa historia. Como eu vi em um comentário "eu nunca teria lido se não fosse pelo clube", porque não é um livro que eu procuraria.
No inicio eu achei que fosse grande coisa mas ao decorrer das páginas fui me aprofundando mais e mais, é notável que é uma história pesada e bem profunda que todos deveríamos ter contato um dia.

Adorei ♥♥
comentários(0)comente



Beca Folgueira @capadurabooks 19/06/2019

Certeza que você já ouviu essa história.
Primeiramente, um livro em versos (não tem aquele ar poético que muitos acham) diretos e retos.

Escrito primeiramente em prosa o autor trás sua velho conexão com a poesia para mudar a forma como a estória é apresentada.

Will fez tudo que tinha aprendido, ficou deitado no chão, fez uma oração para que os tiros não os pegassem.

William perdeu mais uma pessoa, dessa vez os sons de tiros e sirenes anunciaram a morte do seu irmão Shawn.

William Holloman vive sobre as três regras, não chorar, não dedurar e se vingar. Ele cumpriu as duas primeiras.
A estória toda se passa durante 60 segundos, durante todo esse tempo tenso ele encontra-se num elevador tentando acreditar que a sua decisão é a mais correta.

Em cada andar o elevador para e em cada andar uma pessoa entra.
Um ciclo vicioso de se busca e a justiça com as próprias mãos, será que ele terá coragem de parar o efeito dominó?

Esse foi o meu segundo livro do autor, me apaixonei pela escrita dele em fantasma (ainda vou publicar a resenha). Dono de uma escrita crítica, onde seus livro sempre abordam temas sociais voltados para o publico adolescente e jovem adulto.

O que mais achei interessante foi a forma que a passagem temporal se dá, nos acompanhamos em cada verso o horário em que se passa.

Confesso que o final me deixo montando teorias até agora, se você já leu vem conversar no direct comigo.

Se você não leu e gostou do ódio que você semeia, indico fortemente qualquer livro do autor.

site: https://www.instagram.com/capadurabooks/
comentários(0)comente



Aline 08/06/2019

Diferente de tudo que já li. Final de cair o queixo!
comentários(0)comente



Pipoca Nerd 09/10/2019

Resenha do livro Daqui pra baixo de Jason Reynolds
Olá pipoqueiros, turubom?

Preciso começar essa resenha falando que estou impactada real com esse livro. Essa obra foi lançada inicialmente no Clube Intrínsecos (quero, aliás) e depois disponibilizada comercialmente em todas as livrarias.

O livro “Daqui pra Baixo” é todo narrado em versos, trazendo uma nova perspectiva na minha leitura, visto que nunca tinha lido um livro inteiro, que conta apenas uma história, nesse formato.
A história do livro é a morte de Shawn e o dilema de Will, perante a perda do irmão mais velho. Will sofre a dor calado, seguindo as regras da sua comunidade: não chorar, não dedurar e se vingar. Embora a dor o corroa por dentro de tal forma que o sufoca, ele jamais quebraria as regras que seu irmão mesmo o ensinou.

Para começar a falar desse livro, um detalhe importante, ele acontece no geral em 24 horas e a parte principal leva apenas 67 segundos. Tudo acontece em 67 segundos do Will dentro de um elevador. Lembrando que não necessariamente o elevador é um elevador. Ao meu ver foi apenas uma alusão ao descer ou subir, ficar em silêncio, não conversar e seguir o fluxo. Um outro detalhe legal é a diagramação do livro. Impressionante a capa, as páginas, o cuidado com cada detalhe. Cada pular de linha a mais, página em branco, desenhos… tudo pensado exclusivamente no contexto forte e importante da narrativa.

Brilhantemente o autor nos trás a dor do Will de forma crua. A dor dele é tão dilacerante que nos cega e dá aquele frio na espinha. Eu passei o livro inteiro com aquele nó se formando, aquela bola de neve, aumentando, aumentando, aumentando, até que eu achei que ia surtar junto com ele.
O livro é tão denso que não sei como ele fez isso em poucas palavras. É lindo e triste, ao mesmo tempo.

Os 67 segundos que se passam na vida de Will, dele se questionando sobre a vingança, dele sendo questionado pelas pessoas que ele perdeu, sobre o ciclo da vingança que ele quer ou acha que precisa, sobre as certezas que ele acha que tem… Tudo é intenso.
Will é um personagem doce, fora do seu controle, instaurado numa comunidade violenta e tomada pela desigualdade. Nada diferente do que a gente vê por ai, não é? Mas Will é diferente, ele não nasceu praquilo. Não é do seu feitio. E isso fica claro em cada página também.

Jason é um mestre dos versos. Uns eu quis colocar num potinho. Outros que me fizeram chorar. Alguns me deram nó na garganta. O livro é sensacional e eu me arrependi de não ter lido antes.

Outra coisa interessante no livro é a fluidez dele. Eu o li em uma hora, sufocada pela curiosidade. Eu precisava saber qual seria a atitude do Will. No fim, eu fiquei com aquele cara de: QUE? mas depois eu entendi. Eu entendi que não era sobre a atitude que ele ia tomar naquele momento. O livro é sobre a atitude que tomamos para quebrar padrões. É sobre atitudes que sufocamos ou atitudes que achamos as mais certas sem parar realmente para pensar sobre elas.

De uma coisa eu sei, Will é uma parte de mim. Ele é uma parte da sociedade doente e cansada, uma parte da sociedade que apanha. Will é um pedaço de você, com certeza. Ele é a dúvida, o medo, a angústia. Will faz parte de todos nós.
Lindo esse livro. Apaixonante e necessário. Leiam, mas leiam de coração aberto e sem julgamentos, sem achar que o final deveria ser algo que não é. Em 67 segundos, foi muita ferida exposta e um livro incrível aberto pra nós.
Leiam.

“tem risada
que é tão alta
e apontada
pra você

que acho
que pode ser
tão ruim quando
o impacto

de uma bala.”

– tem livros tão altos quanto essa risada, também.

Até breve.



site: http://pipocanerd.com/livros/resenha-do-livro-daqui-pra-baixo-de-jason-reynolds/
comentários(0)comente



Juliana @jaliagoraesuavez 12/07/2019

SAINDO DA MINHA ZONA DE CONFORTO
Não conhecia o autor e confesso que esse livro me tirou totalmente da minha zona de conforto.
Primeiro, porque o livro é escrito todo em versos; segundo, porque acho que nunca teria comprado um livro com essa temática (só li, pois, assino a caixa Intrínsecos).
O livro conta a história do Will, que acaba de perder o irmão assassinado, baleado na rua de sua casa, e resolver seguir a terceira e mais importante regra que conhece: se vingar.
A regra número 1 é não chorar. A número 2, nunca dedurar ninguém.
O livro se passa todo durante 67 segundos, enquanto Will desce pelo elevador do seu prédio, onde vai encontrar o assassino do seu irmão e, pela primeira vez, atirar e matar alguém.

Em cada andar (do 7º ao térreo) o elevador vai parando e uma pessoa do passado do Will entra no elevador, nos mostrando como foi a vida dele e trazendo muita reflexão.
Will sabe com certeza quem matou seu irmão? Ele já usou uma arma alguma vez na vida? A vingança realmente é a solução para essa dor que ele está sentindo?

“Sempre desconfie de uma pessoa que responde uma pergunta fazendo outra pergunta. Normalmente é cilada.”
Certamente, é um livro que nos mostra, de cara, que violência gera violência, que esse ciclo nunca se encerra e é uma temática bem atual.
Uma leitura muito rápida. Um final impactante, ainda estou com ele na cabeça e sem saber o que pensar. Acho mesmo que cada leitor pode ter uma opinião diferente sobre o desfecho do Will.


site: @jaliagoraesuavez no Instagram
Tony.Pereira 26/07/2019minha estante
Havia um anagrama para ser decifrado?




Carolina 18/10/2019

Maravilhoso!!!
Esse é um livro bem diferente de tudo o que já li. É simplesmente maravilhoso e contado de uma forma muito diferente.

Will é um jovem de 15 anos de uma comunidade negra nos Estados Unidos. Em um dia como qualquer outro, o irmão dele é morto baleado. Will aprendeu com seu irmão as três regras principais sobre como lidar com esse tipo de situação: 1) Não chorar; 2) Nunca dedurar alguém; 3) Se vingar.

Will está preparado para colocar essas regras em práticas. Ele acredita que sabe quem é o responsável pelo assassinato. Ele pega a arma do irmão e entra no elevador do seu prédio para sair, encontrar o responsável e se vingar. E é aí que a história realmente começa.

A história se passa no espaço de tempo de um minuto. A cada andar, o elevador para e uma pessoa do passado de Will entra nele, questionando seus motivos para querer buscar vingança.

Não vou mentir. Perto do final, eu chorei. A narrativa cria um diálogo muito inteligente sobre o ciclo da violência. Além disso, o livro começa em prosa, mas depois parte para a poesia. E vou confessar. Não sou a maior fã de poesia do mundo, mas a desse livro me prendeu muito. Além disso, ouvi o audiobook, que é narrado pelo próprio autor. Maravilhoso!

Portanto, não se assuste com o número de páginas. É bem rápido de ler e recomendo muito! Foi para os favoritos do coração.
comentários(0)comente



Jéssica Plates 14/07/2019

Livro 009 do Clube Intrínsecos: Poético, profundo, pesado...
Meu primeiro livro do autor Jason Reynolds, e me tirou da zona de conforto...
Misturando poesia e prosa, o autor conta a história de Will, um garoto que vive uma realidade difícil (e, infelizmente, comum) onde quando tu perde alguém da família deve seguir As Regras: 1) Não chore; 2) Não dedure; 3) Se vingue.
Will perdeu o irmão, Shawn, que foi assassinado no dia anterior, vítima de um tiro, bem na frente do prédio onde moram. Ele então decide seguir as regras impostas por sua família, pela sociedade.
Pega a arma do irmão na comida, naquela gaveta errada na organização de Shawn. E ele desce o elevador, para ir ao encontro do suposto atirador.
Jason tem um peso na escrita, algo que te faz parar pra pensar. Apesar de ser um livro curto, para-se várias vezes para pensar no que foi apresentado na leitura. Acho que faltou um final, mas de resto, um livro muito inteligente.
comentários(0)comente



FabyTedrus 29/07/2019

Long Way Down - Jason Reynolds
Quem diria que pegar um elevador pudesse render taaaaanta coisa!

Long Way Down, em português está sendo lançado pela Intrínseca com o título 'Daqui pra baixo', fala sobre família, sobre rotina e ciclos viciosos. Sobre como uma "regra" de família, passada por gerações de pai para filho, com a ideia de união, tem na verdade o dom de deixar, aos poucos, a família em pedaços.

Ele é todo escrito em forma de versos, textos curtos e anagramas. E assim, em boa parte dentro de um elevador, vai se contando toda a história do Will. Achei muuuito interessante e bem feito, tem tiradas ótimas, trechos bem marcantes. E um final, que muitos podem dizer que é vago, mas achei bem digno afinal o livro toca muito na tecla das escolhas e suas consequenciais. Vale muito a pena. Recomendo!!!!

"AND YOU KNOW
it’s weird to know
a person you don’t know
and at the same time
not know
a person you know,
you know?"
comentários(0)comente



55 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4