Exorcismo

Exorcismo Thomas B. Allen




Resenhas - Exorcismo


163 encontrados | exibindo 121 a 136
1 | 2 | 3 | 4 | 9 | 10 | 11


DouglasNickson 27/12/2016

A capa é a melhor coisa do livro!
Quando eu vi esse livro já me encantei pela capa, sabe aquele ditado: "Não julgue um livro pela capa"? Pois é... Julguei, quando eu vi a capa e li a sinopse comprei sem exitar, os detalhes, design, visual, é simplesmente impecável, a darkside como sempre faz um trabalho fantástico, porém a historia decepciona!

A historia do livro narra um exorcismo que originou o filme e o livro "O Exorcista", por ai já faz você esperar algo extremamente aterrorizante e macabro, mas não é isso que acontece, o livro tem algumas cenas um pouco mais assustadora mais nada demais, a maioria das cenas são bem repetitivas, as sessões de exorcismo são praticamente iguais durante todo o livro, são poucos os momentos onde ocorre algo diferente, o que é super frustrante.

O livro é um relato do autor o que torna ele bem cansativo, textos gigantes e muitas vezes repetitivos fazem você rezar pra o demônio sair logo do menino pro livro terminar.
No final o autor posta o suposto diário de um dos padres envolvido nos rituais de exorcismo, honestamente, não me pareceu bem como um diário, não comprei a ideia do diário como também não comprei a ideia do exorcismo, no final achei tudo bem fantasioso e entediante.

Infelizmente o livro decepciona, a historia e chata e cansativa, mas se você conseguir uma boa promoção vale a pena pra enfeitar sua estante pois o livro é super lindo!
Guga 14/01/2017minha estante
E eu tava bem afim de comprar esse livro. Melhor esperar promoção mesmo.




Ed Goularth 24/12/2016

Não espere por uma história de terror
A capa desse livro vende uma imagem que seu conteúdo não contém. O exorcismo é um relato de uma experiência individual do Sagrado e do sobrenatural. Na concepção de Henri Bergson o sobrenatural é tudo aquilo que é natural mas está velado, ou seja, é parte da realidade mas não percebido. O livro é um documento para aqueles que procuram compreender melhor um tema tão obscuro e negligenciado pela sociedade, seja para os que creem e os que não creem. Uma ótima leitura.
comentários(0)comente



Luke Fernandes 01/12/2016

Não é totalmente espetacular, mas vale a pena ler!
"Exorcismo" é um livro lindo, como só a DarkSide sabe fazer,

Antes de qualquer coisa, a experiência
que vem com o rasgar do plástico é sensacional.
A capa é muito bem executada, a cruz tem textura,
que te faz ficar passando a mão ou até o resto pra sentir essa magia
(espero que nenhum demônio possua o leitor dessa maneira,
se não todos estão ferrados, pois é praticamente impossível não
fazer este "ritual" de livro novo).

Ao abrir, de cara já topamos com tabuleiro Ouija impresso,
e o indicador que vem dento. Se realmente funciona,
eu não sei, não quis pagar para ver (risos).

Quanto a história, é bem interessante mas um pouco arrastada,
o que te faz não ficar preso com intensidade.
A riqueza de detalhes sobre os rituais, orações
e demais assuntos ligados ao Catolicismo eu curti bastante.
Por ser católico, me surpreendi com esses detalhes tão
bem trabalhados a título de construção de história e informação ao leitor.

O autor poderia ter trabalhado melhor a sequência dos acontecimentos,
em alguns momentos é muito vago ou rápido, aonde poderia
ter sido mais explorado, bem como também o seu final.
Mas não deixa de ser um livro interessante,
digno de estar na estante dos amantes da Caveirinha.

A minha nota fica em 3 estrelas,
não é totalmente espetacular, mas vale a pena ler!
comentários(0)comente



Luis 26/11/2016

É um documentário.
Livro extremamente bonito, em capa dura e com detalhes em relevo sensacionais. Porém, foi escrito por um jornalista que abordou o tema friamente, somente tratando de fatos. O livro não assusta, não dá medo, não tem suspense e a leitura é cansativa.
A edição da Darkside está de parabéns, mas o conteúdo do livro não é tão bom assim. É bom para coleções.
Gustavo 27/11/2016minha estante
Eu comprei o livro super ansioso e achando que tava fazendo um ótimo negócio. Fiquei bastante empolgando com a capa, e a edição como um todo, achei bastante bonita. Porém, após realizar a compra do livro vim ver a avaliação no Skoob, e realmente não acreditei o quão "mal falado" o livro está, corri pra cancelar a compra, acabei tomando um prejuízo porque outros itens que eu tinha pego acabou subindo. Troquei "Exorcismo" por "Psicose", espero ter feito um bom negócio, a edição é linda, mas gastar dinheiro com livro para não ler...




Kau 18/11/2016

Impactante
Bom, não sei muito o que pensar de tudo o que eu li, assim como alguns padres consultados pelo autor, acredito mais em um lado de problema psicológico real do que uma possessão real, tem algumas partes que sim, parecem bem perturbadoras e humanamente impossíveis, mas em outras te deixa em dúvida. Acho que cada um tem que ler pra poder opinar sobre o caso em questão. A edição da Darkside é perfeita, vc nota a qualidade desde a capa até as paginas finais, em si, é um ótimo livro para se ler e ficar pensativo sobre os mistérios que existem por ai...
comentários(0)comente



Miz 10/11/2016

Não indicaria
Acredito que este livro seja apenas para quem é fã do filme/história, se você não é fã do filme e esta procurando um livro de terror, te indico a pesquisar sobre outros títulos bem melhores!
Deixa a desejar, muita enrolação e repetição de cenários/acontecimentos, chega a ser cansativo!

Obs:Não sou boa com resenhas, essa foi a primeira rss
Ed Goularth 24/12/2016minha estante
Eu diria o contrário, o livro é pra esclarecer o que o filme fantasia. A história é documentária. Um tema pole


Ed Goularth 24/12/2016minha estante
Polêmico




Suka - Pensamentos & Opiniões 03/11/2016

Esse é um livro que terá uma resenha pena, pois se eu contar muito acabarei soltando spoliers, o que eu posso dizer é que esse livro é detentor de uma leitura cansativa, é exaustivo ver o sofrimento de um garoto de 14 anos que começa após brincar com sa tábua de ouija, começa a ter possessões, Robbie sofria sempre que o demônio o possuía, junto com ele sua família.
Essa obra é repleta de detalhes não só do sofrimento do garoto mas também da burocracia própria igreja, da crença e da fé.
O livro trás também o que aconteceu depois com os personagens e lugares da história e no final temos acesso ao diário do padre Bishop com relato detalhado do que acontecia, claro que os nomes e endereços das pessoas envolvidas foram alterados/apagados.

Lembrem-se esse livro é baseado em fatos reais.

site: www.suka-p.blogspot.com
comentários(0)comente



Nu e As 1001 Nuccias 31/10/2016

Resenha do Blog As 1001 Nuccias
Resenhista: Nuccia De Cicco

Desde a entrada do século XX que rituais de exorcismo só são aprovados após intensa averiguação da Igreja Católica e muitas vezes são condenados por eles. A modernidade trouxe maior gama de diagnósticos, pesquisa e sintomas descritos de várias doenças psicológicas, psiquiátricas e psicossomáticas. E quando um garoto passa pelo crivo do especialistas da área como saudável, mas suas noites são as mais terríveis?

Em Exorcismo, Allen nos apresenta a história do menino Robbie Mannheim (todos as pessoas tiveram seus nomes substituídos para preservar sua identidade). Por volta de seus 13-14 anos coisas inexplicáveis começaram a acontecer em sua casa, pouco depois do falecimento da sua Tia Harriet, médium espiritualista que ensinou o sobrinho a usar a Tábua Ouija como forma de comunicação com o outro mundo.

E que coisas inexplicáveis eram essas? Sons de arranhão no teto, nas paredes, embaixo da cama; sons de passos como marchas militares; batidas fortes; objetos voando e caindo. Tais fatos aconteceram primeiramente no quarto da avó de Robbie e depois passaram ao quarto do garoto. Mas foram ficando cada vez mais fortes e se concentraram no adolescente.

Sem saber o que fazer, a família entra em contato com seu pastor luterano (a família era uma mescla de várias religiões, mas basicamente luterana). A religião luterana não crê em possessão, nem tem rituais de exorcismo. Ciclos de orações, retirada do menino da casa, testes para ver se não era jogos infantis, nada deu certo. Os arranhões deixaram de acontecer no colchão e nas paredes para surgirem na pele de Robbie. Sem saber como lidar com o caso, o pastor diz à família para procurarem um padre católico.

Começa, então, a saga pelos testes, investigação e autorização para exorcismo, que só efetivamente começou na segunda tentativa. Robbie foi analisado por psiquiatras e outros médicos, todos o consideraram bem sadio.

Quando o ritual inicia, Robbie se altera, praticamente uma nova personalidade surge. O menino sente muita dor, os arranhões não param, as contorções aumentam. Não foi apenas um padre, mas sim um arcebispo jesuíta a realizar o ritual. Não foi simples, nem fácil. Várias provações e vários meses.

Apesar de ter o caso todo ter sido registrado na forma de diário, para ser arquivado nas Arquidioceses em que aconteceram (sim, o menino passa por 2 cidades nesse ínterim), ainda há quem estude muito bem o caso e contradiga a possessão. Cabe a nós, leitores, refletirmos se cada letra reproduzida ali foi um caso de histeria em massa ou se foi real.

Uma coisa que poucos prestam atenção ao comprar o livro: este é um livro de não-ficção, um livro-reportagem, escrito como se fosse um documentário. Então, não espere que a personalidade de cada pessoa envolvida na narrativa seja destrinchada, que dará para você saber do íntimo de cada personagem, porque não vai acontecer.

Ele é narrado todo em terceira pessoa, pelo próprio autor, com descrições minuciosas baseadas nas suas fontes e referências. O que o autor fez foi pegar o diário do exorcista, bem como relatos e entrevistas e torná-los uma narrativa fluida, detalhada e imparcial.

Na minha opinião , o livro é um senhor achado. O autor é repórter, logo soube deixar claro a sua imparcialidade. Além disso, ele mesmo escreve em um posfácio que todo o caso foi lido e analisado detalhadamente por um repórter agnóstico (crê um uma força criadora, mas não em Deus como os cristãos), criado e que mantém o respeito por jesuítas.

Interessante que, apesar do garoto ter sido batizado na religião luterana, os padres disseram que o batizado luterano não teve efeito, já que foi possuído. Só depois de se converter, aceitar Deus e Jesus no coração (a religião luterana não aceita?? Que doideira!) que começou a haver alguma melhora no quadro do garoto.

A narrativa do ponto do exorcismo em si até o final ficou um pouco cansativa, devido à reprodução das orações em latim e traduzidas. Mas super compreensível, levando em consideração que é um documentário, logo precisa ser fiel ao que apresenta.

Bem, eu ainda estou aqui tentando entender porque demônios só possuem birra com a Igreja Católica. Na verdade, como boa cientista, estou tentando aceitar a veracidade do caso.

Cabe a nós que lemos refletirmos sobre tal veracidade e decidirmos por nós mesmos a crença no mal na forma do diabo ou não. Como o próprio exorcista diz ao final dos seus relatos, todos podem duvidar, mas eles estavam lá, só eles sabem realmente contra o que lutaram.

**Resenha com quotes e imagens no link do blog.

site: http://1001nuccias.blogspot.com.br/2016/10/especial-outubro-sangrento-resenha-livro-exorcismo.html
comentários(0)comente



Marisa | @nightphoenixbooks 26/10/2016

[Resenha] Exorcismo
Se você gosta de terror é bem provável que você tenha ouvido falar ou tenha assistido o filme “O Exorcista” de 1973. Esse filme vai contar a história de uma menina de 12 anos chamada Regan que, basicamente, ignorou todas as chamadas do senhor senso lógico de sobrevivência e brincava com adivinhem o que? Sim uma porra de tabuleiro Ouija. Olha sério, fica difícil defender alguém que “brinca” com essa desgraça em forma de madeira...

Enfim... O capeta possui Regan – que surpresa – e onde antes havia uma menina dócil, amável, calma e feliz surge uma coisa agressiva, mentirosa, com força sobre humana, resumindo: com uma personalidade completamente diferente da doce menina.

Claro que depois de um bom tempo vivenciando eventos sobrenaturais relacionados com a sua filha, a querida mãe de Regan, Chris, toma as devidas medidas e finalmente é realizado um exorcismo, por padres católicos, que expulsa o capiroto do corpo de Regan, não antes de uma morte ou outra, algumas cabeças serem viradas e um belo banho revigorante de vômito.

Esse filme foi baseado no romance escrito por William Peter Blatty em 1971, muitas pessoas devem ter se perguntado na época de onde surgiu a ideia para um filme tão deturpado. Você se sentiria melhor se soubesse que a ideia veio de um caso real?

Poucas pessoas sabem que tanto o romance quanto o adaptação cinematográfica foram baseadas em um caso real em que Regan, na verdade, é um garoto de 14 anos chamado Robert Mannhein (nome fictício).

Eu tinha expectativas altíssimas para esse livro e adivinhem só? Me decepcionei bastante (quem me conhece sabe da minha saga de leitura que durou tanto quanto o tempo que Robbie ficou “possuído”). Primeiro, eu esperava algo que fosse me dar medo, imaginem só: “O relato do caso real que inspirou o romance de William Peter Blatty”.

“O sacerdós Christi, tu scis esse diabólum. Cur me derógas? [...]Ó padre de Cristo, você sabe que eu sou o diabo. Por que continua me incomodando?” (página 37)

Na verdade o livro se trata de uma narração jornalística contanto os fatos que acometeram a família Mannheinn em janeiro de 1949. Até certo ponto o romance e o “caso real” andam lado à lado: Robbie tinha uma tia da qual era muito próximo, e essa querida tia gostava de brincar com forças ocultas, usando um tabuleiro Ouija. Após a sua morte, Robbie fica desolado e tenta fazer contato com a tia utilizando o bendito tabuleiro Ouija, até que ele começa a ouvir estranhos barulhos e uma coisa liga a outra: Robbie está possuído.

Porém os relatos de possessão de Robbie não eram o que eu esperava, ele vivia uma vida sem “normal” durante o dia e a noite era assombrado pela entidade presente em seu corpo. O demônio fazia com que objetos voassem, aparecessem marcas estranhas no corpo de Robbie e faziam com que ele tivesse uma munição infinita de saliva e urina, da qual usava e abusava nas pessoas ao seu redor...

As ações realizadas pelo demônio não tinham credibilidade – não que eu seja uma exímia expert em demônios, porém tenho uma certa bagagem – e não levavam a lugar nenhum, quem em sã coincidência obedece um demônio que está habitando o corpo do seu único filho, quando ele diz para que você mude de cidade? Sendo que nessa cidade os pais de Robbie encontram a ajuda de padres que começam a realizar os exorcismos.

“A covardia não é apenas uma questão de medo ignóbil, ela encolhe a alma. E essa não é a conduta de um jesuíta.” (página 55)

Ao decorrer dos 14 capítulos que compõem o livro a mesma narrativa se repete todas as noites: Robbie passa um dia normal e feliz, chega a hora de dormir, tudo parece normal até que começam as manifestações, os padres intervem rezando e realizando os rituais de exorcismo até o dia raiar, ou até que Robbie durma um sono natural. No dia seguinte tudo se repete novamente.

O livro apresenta o diário de um dos padres presentes ao decorrer de todo esse processo, e que na minha opinião é muito mais informativo e direto do que todo o livro, a impressão que fica é que o autor não sabia o que escrever então resolveu transcrever o diário e utilizar do bom e velho: encher linguiça. A grande maioria dos fatos “extras” que o autor apresenta poderiam ter sido ignorados pois são desinteressantes, confusos e irrelevantes à narrativa. Se o livro tivesse sido elaborado contendo apenas o diário do padre e comentários do autor, teríamos em mãos uma obra muito mais interessante, direta e dinâmica.

“Um exorcista tem que tocar o mal, respirá-lo, se concentrar nele.” (página 83)

O que eu senti no final da leitura desse livro foi que eu poderia ter pulado 13 capítulos e simplesmente ter lido o diário do padre Bishop e depois o 14º capítulo, no qual o autor explica como o diário foi encontrado, o que me rendeu uns bons arrepios.

Em diversos capítulos existem orações, que são colocadas em latim para depois em seguida serem traduzidas e isso não acontece apenas uma vez, confesso que chegou um dado momento que o livro estava tão maçante que eu simplesmente pulava todas as orações e descrições irrelevantes.

De um modo geral acho que eu talvez não tenha sido bem o público alvo para esse livro, me entendam: não é que eu não goste de textos jornalísticos, afinal de contas eu estou acostumada a ler artigos científicos (tem como ficar mais descritivo que isso?). Porém a narrativa não me prendeu em nenhum momento, pelo contrário eu não via a hora de acabar. Essa não foi uma leitura abandonada pela simples expectativa que uma hora as coisas iriam melhorar, o que não aconteceu...

“Pela primeira vez, o jesuíta sentiu desespero, o mais terrível dos pecados, pois ele drenava a esperança da alma.” (página 109)

Infelizmente as únicas emoções que esse livro me rendeu foram: tédio e a sensação de uma leitura obrigatória de escola.

site: nightphoenixbooks.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Babí 25/10/2016

Exorcismo e jornalismo
A primeira coisa que me atraiu para essa leitura foi o fato de ter sido escrito por um jornalista. Uma história de terror factual. Thomas B. procura, dentro das limitações do anonimato dos envolvidos, apresentar provas e a sequência de fatos que se sucedem depois que o menino "Rob" joga ouija e ele é supostamente possuído. As exaustivas e estranhas sessões de exorcismo, os fenômenos, a coleção de testemunhas que vão preenchendo as páginas de Exorcismo como um diário.
Como um bom jornalista Thomas apresenta os vários lados da história e no fim cabe a você deduzir a verdade.
-Bárbara Aparecida
comentários(0)comente



Maravilhosas Descobertas 24/10/2016

{Especial Halloween Dark}: Exorcismo, de Thomas B. Allen
Como bem sabemos, no dia 31 desse mês de outubro é comemorado o Dia das Bruxas, vulgo Halloween. E nós do MD não poderíamos deixar essa data tão obscura passar em branco, então vamos passar uma semana bem dark!

Do dia 23 ao dia 29, todos os dias iremos liberar uma resenha às 19 horas, com um conteúdo especial e bem dark. Podendo ser um Dark Romance, um Dark Horror, um Dark Para Gamers, um Dark Não Tão Dark, entre outros. O intuito dessas postagens, é fazer que você, nosso querido e amado leitor, tenha um pré-halloween literário bem especial. Sendo assim, sem mais delongas, vamos ao que interessa?

Com maior foco nos fatos do que no terror em si, Exorcismo narra os fatos que inspiraram O Exorcista de William Peter Blatty e, mais tarde sua adaptação cinematográfica.

Na obra considerada como “o mais completo relato de um exorcismo pela Igreja Católica desde a Idade Média”, Thomas reuni anos de pesquisa e informações retiradas de um diário escrito por um padre que auxiliou o exorcista no caso do jovem Robert.


Para os que são fãs do gênero e assunto, esse livro será um prato cheio, principalmente porque não é utilizado nenhum artifício com o intuído de aterrorizar o leitor, o medo real é causado pela consciência de que as informações ali contidas são fatos e não ficção.

Essa última é para os amantes dos livros digitais: a edição impressa vale cada centavo. Além da capa dura muito bem trabalhada, o livro ainda traz réplicas de tabuleiros OUIJA e páginas do diário do padre envolvido no caso.

Agora, para encerrar, vamos fazer uma coisa diferente. Para conhecer mais o livro, se coloque no lugar do personagem principal. Imagine que você é Robert, o protagonista da história, pronto? Então vamos.

Primeiro, esse não é seu nome verdadeiro, mudaram para proteger a privacidade da sua família. Há um tempo, sua tia faleceu e desde então fenômenos paranormais estão cada vez mais presentes e perigosos, ameaçando sua família. Sua situação vai piorando até que seus pais decidem que uma ajuda especializada é mais que necessária.

Você está pronto para o que te aguarda? Como acha que lidaria numa situação dessas?

site: http://www.maravilhosasdescobertas.com.br/2016/10/especial-halloween-dark-exorcismo-de.html
comentários(0)comente



Mina Dos Livros 15/09/2016

Resenha no blog http://aminadoslivros.blogspot.com.br/2016/09/resenha-6-exorcismo.html?m=1 ??
comentários(0)comente



Angel Sakura 13/09/2016

Resenha do Blog Eu Insisto.com.br
Quando soube deste livro eu quase pulei de alegria, serião mesmo, essa sou eu e é com essas coisas que fico feliz. Eu tenho um caso de amor e ódio com o filme Exorcista, enquanto meu eu adolescente morria de rir com todas aquelas cenas bizarras, foi ali que eu me vi encucada com a possibilidade de possessão demoníaca. Seria possível? E se fosse, porque era tão pouco recorrente? Se eu fosse um demônio super ia sair possuindo uma galera por aí, mas eu ia ser uma demônia com critérios, ia possuir de Rihana, Obama pra cima. Essas dúvidas e questionamentos surgiram dali e os filmes de terror se tornaram muito mais atrativos, muito mais assustadores com a dúvida do “e se fosse possível?”. Mas gente, sim eu ainda rio vendo esses filmes, é da minha natureza achar graça no que não tem #SouDessas. Daí a Darkside veio e me apresentou o livro com os detalhes do caso real, a escrita é muito crua e bem mais assustadora que o filme. Aqui é a minha imaginação que cria os cenários e eu descobri o quão bizarro meu cérebro pode ser. Assustador… é, esse é um bom livro. Foi uma boa leitura.

“[…]Durante a declamação geral do rosário pelos padres e irmãos, as proezas costumeiras começaram, mas com a omissão dos escritos no corpor de R. O barulho e as cantorias foram muito perturbadores para todos. R não deu nenhuma resposta ao “Praecípio”, exceto para imitar as palavras em latim, para depois rir ou dizer “enfie no cu”.”


Este livro é quase escrito mais como um relato do que uma história, não temos uma criação de um enredo é apenas a narrativa do que foi vivida pelos envolvidos em um exorcismo. O autor conseguiu obter o diário que acompanhou todo o processo, ele conseguiu relatos e transcreveu o que descobriu nesta obra. O assustador é que temos aqui o ponto de vista em primeira mão do padre que executou o bem sucedido exorcismo, junto com seus medos e tudo que ele passou enquanto tentava extrair o demônio desta criança. Todos sabemos que exorcismos tem um enorme índice de falhas, isso porque as pessoas possuídas morrem já que seus demônios não querem sair e, eu acho, que a intenção é matar o corpo que conseguiram possuir. Aqui nós temos o relato do padre que tem a total convicção de que ele salvou a vida do jovem Robert, dos eventos que vivenciou e de muitos fenômenos sobrenaturais. Contudo outros padres, como o Nicola, não acreditam que Robert estava possuído de verdade. Temos uma linha tênue entre o sobrenatural e a esquizofrenia, que é uma doença. Então, o lado que você escolher acreditar vai depender de você, da sua fé ou da falta dela, se foi um exorcismo ou se foi apenas uma encenação. Temos o mesmo dilema com o Exorcismo de Emily Rose. Eis aqui um link que explica sobre esse outro exorcismo famoso e tudo que acarretou no mundo.

“Um exorcista tem que tocar o mal, respirá-lo, se concentrar nele. “

Sobre este livro, temos Robert Mannheim, um adolescente normal de 14 anos que gosta de brincar com o que não se deve. Ele tem uma tábua ouija, que é tipo nossa brincadeira do compasso muito mais evoluída, e fica ali fazendo altas perguntinhas pros amiguinhos demônios. Preciso dizer que a tábua ouija foi presente da tia que achava normal, comum e possível falar com aqueles que já morreram? Então, o tempo passa e Robert meio que consegue se comunicar com eles, dá pra perceber pelas unhas arranhando a parede, objetos de movendo sozinho e fenômenos meio bizarros do tipo que já sabemos que os capeta tudo tão na casa. Mas, a coisa não parou por aí, esse foi só o começo. O Robert começou a ser ele a vítima dos demônios, em seu corpo começou a aparecer mensagens escritas em sua pele e foram coisas super doces como um Hello, tipo, demônio mega educado né? Exceto que a mensagem continuava com Hello HELL… hell = inferno. Éeee não sei vocês, mas hello hell não é bem a mensagem que eu espero receber no meu corpo, not god. Sua família preocupada com toda a situação, e porque a chave estava sempre desaparecida o que obviamente é tarefa dos demônios, levam um padre para expulsar o povo do mal. Sério, nesse ponto já dá pra acreditar que tem a torcida do flamengo do inferno aqui, é tanto evento sobrenatural que já sabemos que a nova sede do inferno é na casa do Robbie, preciso relembrar vocês que ele tem apenas 14 fucking anos?

Se quiser ler a resenha completa visite o blog: http://euinsisto.com.br/exorcismo-thomas-b-allen/

site: http://euinsisto.com.br/exorcismo-thomas-b-allen/
comentários(0)comente



163 encontrados | exibindo 121 a 136
1 | 2 | 3 | 4 | 9 | 10 | 11