Os Filhos da Tempestade

Os Filhos da Tempestade Rodrigo de Oliveira




Resenhas - Os Filhos Da Tempestade


21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Erica Garcia 18/12/2018

Incrivel!!!! Como tudo que autor escreve!
Como tudo que o Rodrigo escreve! Feliz por haver escritores assim no Brasil! !!!
comentários(0)comente



Diae 18/04/2018

Resenha exclusiva do blog Da Imaginação à Escrita
Desde dos primeiros livros de As Crônicas dos Mortos, Rodrigo de Oliveira passou a ser um dos meus autores prediletos e com o anúncio de Os Filhos da Tempestade sabia que precisava lê-lo o quanto antes, ainda mais por possuir elementos que adoro em um bom suspense. A narrativa começa com a trajetória de Carol Smith uma jovem condenada a morte por bruxaria, os atos que envolvem esta parte da trama dão a origem ao um ponto que todos conhecemos bem e que sempre desperta a curiosidade das pessoas, o “Triângulo das Bermudas”, a partir de então a trama do livro vai para Tiago e seus amigos que em uma viagem de avião passam por uma turbulência e acabam tendo um acidente. Infelizmente somente as crianças e os adolescentes sobrevivem e encontram “refugio” em uma misteriosa ilha.

No entanto, por mais bela e cativante que a ilha aparenta, há algo sinistro envolvendo o local, os mistérios da Ilha do Diabo são mortais e a força magnética deste lugar é sombria. A trajetória dos personagens, suas adaptações na nova realidade é bastante intensa, temos conflitos, dramas e até espaço para um pouco de romance, mas sem dúvidas o que realmente encantada o leitor em um nível extremo é o mistério, não consegui deixar o livro de lado e muitas teorias passaram pela minha cabeça e fui surpreendida no final e olha que desfecho incrível Os Filhos da Tempestade tem! Não consegui acreditar que o autor terminou naquele ponto, sabem quando a mente fica atordoado perante as informações bombásticas? Precisei ler mais de uma vez o final para acreditar que era só aquilo mesmo, afinal o desfecho te deixa tão curioso e ansioso que fica difícil não pensar quais serão os próximos passos desta história.

Eu adoro uma boa história de mistério, mas junte isso a uma narrativa marcante, escrita envolvente e fluida, a soma não poderia ser mais que positiva não é? Rodrigo de Oliveira criou uma trama incrível, com ganchos de tirar o fôlego, personagens cativantes e claro muita ação, suspense e uma entidade diabólica cheia de segredos, posso dizer sem sobras de dúvidas que Os Filhos da Tempestade foi um tiro certeiro, uma leitura de peso, perfeita para que gosta de uma boa aventura cercada de mistérios muito bem elaborados.

A narrativa é em terceira pessoa e podemos deste modo ter um contato mais amplo na história e as perguntas deixadas neste livro abre um leque ótimo para a continuação. Quanto a edição só posso dizer que adorei o trabalho da editora Planeta, a capa ficou ótima, adorei os tons das cores e o fato de ter o navio Cyclops, vale ressaltar que este de fato existiu e tem um papel muito legal na história de Os Filhos da Tempestade.

Enfim, Os Filhos da Tempestade foi uma grata surpresa, uma história que tem tudo para agradar os leitores, seja aqueles que gostam de uma boa dose de ação e horror, até os que buscam um suspense intenso.

site: https://www.daimaginacaoaescrita.com/2017/08/resenha-os-filhos-da-tempestade-rodrigo.html
comentários(0)comente



Fernanda 09/04/2018

Resenha: Os filhos da tempestada
Resenha no blog:

http://www.segredosemlivros.com/2018/04/resenha-os-filhos-da-tempestade-rodrigo.html

site: http://www.segredosemlivros.com/2018/04/resenha-os-filhos-da-tempestade-rodrigo.html
comentários(0)comente



Silvana - Blog Prefácio 20/08/2017

Foi em 1692 que Salém passou pelo período mais conturbado de sua história. Uma escrava contou a um grupo de garotas o que sabia sobre as tradições vodu e depois disso as garotas começaram a ter pesadelos e convulsões e até a agir como animais. Uma dessas garotas era filha do reverendo Samuel Parris e como o médico não encontrou nenhuma explicação racional para o que estava acontecendo, declarou que a garota era vitima de bruxaria. A cidade então foi tomada pelo pânico e liderados pelo juiz Samuel Sewall, uma verdadeira caça as bruxas teve início, com muitos inocentes sendo mortos. Cinco anos depois o episódio parece superado até que o juiz Sewall conhece Carol Smith e um suposto caso de bruxaria se apresenta novamente em suas mãos. Para não acontecer uma nova caça as bruxas, Sewall decide mandar Carol para ser julgada no Vaticano e justifica essa decisão dizendo que a questão é referente ao céu e ao inferno e nada mais justo do que os padres lidarem com ela.

Carol embarca no galeão Vivian rumo a Europa. Ela fica isolada de todos, mas John um dos marujos, fica encarregado de sua alimentação e acaba se rendendo ao charme de Carol. Ela pede que John lhe traga uma rosa de presente e se possível seu medalhão que lhe foi tirado no momento em que foi presa. Incapaz de resistir, John trás o que ela pede, e quando entrega a rosa ele acaba ferido pelos espinhos. Então Carol corta sua mão e une seu sangue ao de John dizendo que agora ele lhe pertence. Carol se entrega a John, que nem percebe que está fazendo amor em cima de um pentagrama. E enquanto isso uma tempestade surge do nada matando a todos no navio. Carol tira a vida de John e a oferece como um sacrifício para seu mestre, pedindo que ele salve sua vida. Mas seu mestre decide fazer algo melhor e com o sacrifício de Carol cria um pedaço do inferno na terra. Essa parte do mundo posteriormente seria conhecida como Triângulo das Bermudas.

Tiago não poderia estar mais empolgado. Ele vai viajar para o exterior sem seus pais e é sua primeira vez em um avião. Tiago vai para Los Angeles participar de um concurso musical com vários de seus colegas do conservatório de música. E ainda tem um bônus: Cíntia, a garota que ele está interessado, também vai nessa viagem. O avião sai do Rio de Janeiro com um tempo ótimo, mas quando chega no Caribe o comandante percebe uma grande tempestade e tenta desviar dela, mas não consegue e depois de muito pânico o avião cai no mar e menos de um terço da tripulação sobrevive à queda. E o pior ainda não tinha passado. Logo que os sobreviventes conseguem sair do avião eles são pegos por um redemoinho. Tiago pensou que tinha chegado a sua vez, mas ele acorda em um lugar completamente diferente. A primeira coisa que ele percebe é o céu claro sem nuvens e o Sol a pino, e segundo é que o lugar mais parece um cemitério de embarcações. E somente os adolescentes que estão vivos, todos maiores de dezoito morreram no redemoinho. É então que eles veem uma ilha. E eles percebem que não estão sozinhos. Mas a presença humana é o menor dos perigos que eles vão enfrentar.

"- Qual é, se ele conseguiu a gente também consegue. Sobrevivemos à queda de um avião em meio a uma tormenta! Somos os Filhos da Tempestade agora - Cíntia falou, em tom zombeteiro, desafiando os amigos."

Eu me apaixonei pela escrita do Rodrigo na série As Crônicas dos Mortos e quando vi que ele estava lançando um livro novo, é claro que já quis ler. Nem precisava saber nada sobre o livro e já sabia que ia gostar. E foi assim que comprei o livro, sem nem ler a sinopse. Só dai quando o livro chegou aqui em casa fiquei sabendo que era um livro que ia tratar de um assunto que sempre fui fascinada: o Triângulo das Bermudas. Eu assistia todos os filmes que sabia ser sobre isso. Navios, aviões que desapareciam naquele trecho. Eu que sempre fui fã de mistérios não tem como não ficar curiosa para saber se é verdade mesmo e o que realmente acontece por lá. Então imaginem minha ansiedade para a história. Um autor que amo, com um assunto que sempre fui fascinada. E ainda bem que minhas expectativas foram atendidas. O livro é tudo o que eu esperava e mais um pouco.

O livro não é tão adulto como as Crônicas dos Mortos. Fora a primeira parte que é mais pesada, o restante vai acompanhar adolescentes, por isso a história é mais leve. Mas nem por isso deixa de ter aquela pegada de suspense misturada com terror, caraterística do autor. Depois do começo arrasador, temos uma acalmada na história quando nos é apresentado os adolescentes que acabam na ilha. Então vamos acompanhar a adaptação desses jovens, que não é nada fácil. Aqui o livro poderia ter sido dividido em primeira e segunda parte porque temos um outro personagem inserido na história. Uma adolescente colombiana acaba indo parar na ilha e encontra os já conhecidos personagens e eles vão viver uma nova aventura. E quando a gente pensa que tudo terminou, o autor deixa um gancho enorme para um próximo livro, que não sei se haverá ou não. E ainda faz uma revelação surpreendente. Fiquei de cara quando descobri.

Quanto aos personagens, temos três que tem mais destaque que os outros, Carol, Tiago e Melina, mas todos os outros são relevantes. Só uma dica: não se apegue. O autor continua tão mau como em As Crônicas dos Mortos e mata sem dó. Carol é a primeira personagem que aparece e é ela quem dá inicio a toda essa confusão. E mesmo não aparecendo ao longo da história, seu nome é citado o tempo todo. Tiago é um adolescente de quatorze anos que mostra muita maturidade e acaba se tornando o líder do grupo. E por fim Melina, a terceira protagonista que aparece no meio da história, mas que também é um dos pontos chaves de todo mistério. Enfim, é um livro que indico sem pensar duas vezes. A história é ótima e a edição está muito bonita. A capa tem tudo a ver com a história e logo que vi ela me lembrei dos filmes que assistia sobre o Triângulo das Bermudas. Se você assim como eu, é fã de um bom livro de suspense com toques de terror, esse livro é para você.

"Aquele lugar era maldito. Ele viciava, seduzia e aprisionava as pessoas. Era como uma gigantesca teia de aranha da qual era impossível escapar."

site: https://blogprefacio.blogspot.com.br/2017/07/resenha-os-filhos-da-tempestade-rodrigo.html
comentários(0)comente



Vinicius 11/08/2017

Meu primeiro contato com o autor
Mais um livro da Literatura Nacional que tem grande potencial, “Filhos da Tempestade” trouxe algumas das qualidades que me faz lembrar o quanto amo ler. O livro contém: mistério, fantasia e uma boa dose de romance.

Bem-vindo a Ilha do Diabo “um buraco entre o Fim do Mundo e Lugar Nenhum”, essa frase entre parêntese foi retirada do livro e explica poderosamente de uma forma metafórica onde fica essa ilha que assombra os personagens contidos na historia.

Mas primeiro somos apresentados à Carol Smith, uma moça que está sendo julgada por praticar bruxaria, mas por incrível que pareça, o juiz da corte decide no último momento mudar a sentença, mesmo sendo clara, ele acaba mandando a réu para Roma, onde poderão julgar melhor o caso, mas no caminho para lá, algo misterioso acontece e o navio que transportava a prisioneira pode estar prestes a naufragar.

Depois somos levados até um avião com vários passageiros e no trajeto da viagem, uma tempestade estranha aparece no caminho e assim os sobreviventes são jogados na “Ilha do Diabo” ou como também é conhecido: Triangulo das Bermudas. Nunca li nada do gênero, mas conhece de outros filmes ou artigos, mas o autor usou bem, e ao meu ver, reformulou bem esse conceito. O que mais me deixa intrigado é que a ilha é perfeitamente linda e possui tudo o que você precisa para sobreviver nela, como explicado até por um dos personagens, depois de um tempo até a vontade de ir embora pode passar.

Vou parar por aqui para não gerar spoiler, mas saiba que ainda tem muita coisa pela frente. O livro é cheio de mistérios e existem separações dentro dos capítulos que tornou a leitura dinâmica e ao mesmo tempo mistérios. Estou fascinado pelo domínio com a escrita que o autor possui, mostra que ele sabe o que estava fazendo e aonde queria chegar.

Uma única barreira que encontrei no livro foi os palavrões que às vezes são incluídos nos diálogos dos personagens, creio que isso não é tão necessário em um livro. Mas depois deste livro, minha lista de leitura estará com todos os outros livros do autor, uma coisa legal é que até um dos seus títulos é citado neste livro.

O livro foi lançado este ano pela editora Planeta, contém 336 páginas e a diagramação está perfeita, isso ajuda muito o leitor sabia editoras? Minha nota no Skoob é 4/5 estrelas. Se você encontrar esse livro na livraria e tiver a oportunidade não perca tempo, vale muito a pena e ainda engrandece nossa literatura nacional.
comentários(0)comente



Vanessa França 02/08/2017

https://www.facebook.com/geeklivroseresenhas/
O livro conta a história de Carol Smith e seu poder. Voltamos no tempo para conhecer uma turma de adolescentes com seus comportamentos difíceis que estão em viagem pelos Estados Unidos. E é por nessa viagem que a história começa realmente porque o avião precisa atravessar uma tempestade sobrenatural de tão feia no caminho, mas não consegue e cai, fazendo com que os jovens conheçam todos os segredos mais profundos que existem no Triangulo das Bermudas.
Uma pausa para os detalhes sórdidos do autor quanto a terror e suspense nessa parte, nem nos melhores filmes que assisti até agora vi tamanho detalhamento, é de arrepiar.
Você pode até pensar que por se tratar de uma história contada por adolescentes vai ser bobinha, mas se surpreende com a posturas, diálogos e atitudes de cada um. Pois eles precisam tomar decisões no calor do momento, e venhamos e convenhamos não é nada fácil. Além disso tem o mal que "habita" a ilha, não em carne e osso, mas na forma sobrenatural.
Resumindo, o livro proporciona uma leitura prazerosa e envolvente, facilmente nos obrigando a ler rapidinho para chegar no final.
Ingrid 04/11/2017minha estante
Só não entendi o que você não gostou pra dar 2.5.


Ingrid 04/11/2017minha estante
Só não entendi o que você não gostou pra dar nota 2.


Vanessa França 04/11/2017minha estante
É a minha opinião comparando os livros anteriores




Suka 24/07/2017

O autor consegue prender a nossa atenção com essa história envolvente recheada de suspense, mistérios e até um romancezinho.
De início conheceremos a história da Carol Smith uma jovem que foi presa por acharem que ela praticava bruxaria. O juiz Sewall não querendo chegar a um veredito, a envia para Roma e que a decisão seja tomada, porém no meio do caminho algo misterioso acontece.
Em seguida seremos apresentados a Tiago, um adolescente que fará sua primeira viagem de avião sem os pais, junto com Murilo e Manoel, seus melhores amigos do conservatório, sua paixão Cíntia e outros colegas para Los Angeles onde iriam participar de um concurso.
Eles embarcam rumo aos seus sonhos com seus professores e outras pessoas, mas a aeronave tem que encarar uma imensa tempestade e o avião cai.
Tendo como sobreviventes apenas os adolescentes e eles vão parar numa ilha deserta. Não tão deserta assim, pois eles irão encontrar Juan, que de inicio irá ajudá-los a sobreviver na ilha e contará a sua história.
Muita coisa será explicada e muitos mistérios os cercam.
Posteriormente, conheceremos a Melia uma adolescente que está viajando com sua avó para conhecer o Triângulo das Bermudas. E a embarcação que elas estão enfrentará uma tempestade e Melina vai parar na ilha, onde muita coisa irá acontecer e os mistérios serão desvendados. O que Melina tem de especial? Quais os segredos dessa ilha?

site: www.suka-p.blogspot.com
comentários(0)comente



moniquedsantos.rezende 21/07/2017

Já quero a continuação
Bom sou suspeita em falar a respiro do que o Rodrigo escreve.
O primeiro livro que li foi elevador 16 e desde então não parei mais.
Gostei muito do livro Os filhos da Tempestade, leitura fácil que te envolve e não cai no marasmo.
Personagens que te chamam atenção pois são simples e acabam te cativando.
Tiago e Melina não vejo a hora de "encontrar" novamente com vcs..
E Rodrigo Parabéns pelo livro.
comentários(0)comente



Luciana 13/07/2017

A cada capítulo um desejo de saber o que acontece no próximo
Sabe aquele autor que você respeita, pois é o Rodrigo é um deles. Depois de conhecer e ler a saga a Era dos mortos fiquei simplesmente apaixonada pela escrita é narrativa dele, tudo muito bem desenvolvido, personagens aos quais nos indentificamos e vilões que fazem você odiar e depois rever esse sentimento. A princípio o livro não tinha me conquistado tanto pela sinopse não curto muito narrativas envolvendo adolescentes, mas resolvi dar uma chance por conhecer e admirar i trabalho do autor. E pra ser bem honesta fiquei até envergonhada por duvidar que seria alguma coisa clichê ...cai do cavalo. A cada episódio terminado queria saber como terminaria o próximo é assim foi que embarquei rumo ao mistério envolto ao triângulo das Bermudas, muito legal quando a ficção engloba assuntos cabulosos como possessão, espiritualidade, mistério, terror e as complicações que situações como essas interferem na relação social dos envolvidos. Gostei muito, leitura rápida em 2 dias concluí o livro.
comentários(0)comente



Nadja Moreno - Blog Escrev'Arte 06/07/2017

Um dos melhores que li neste ano até o momento!
Se o potencial leitor de Os Filhos da Tempestade se atentar somente à sinopse da obra, e acreditar que este é “só mais um livro sobre o Triângulo das Bermudas” correrá um risco imenso de perder uma excelente oportunidade de conhecer uma obra muito bem escrita e elaborada.

Inicialmente conhecemos a belíssima (e extremamente letal) Carol Smith e uma parte de seu poder. Depois viajamos no tempo e conhecemos uma turminha de alunos essencialmente adolescentes – em idade e comportamento, com todos os seus neurônios em polvorosa. Estão numa viagem para os Estados Unidos.

E aí que a coisa pega. Porque o avião tenta atravessar uma tempestade sobrenatural no caminho, mas cai e leva os jovens a conhecer a fundo os segredos que povoam a região conhecida por Triângulo das Bermudas. O que acontece daí para frente só uma mente imaginativa e capacitada no terror e suspense poderia criar. Desde a juventude que assisto e leio muita coisa do gênero, e posso dizer que Rodrigo de Oliveira sabe bem o que faz com as letras quando o intuito é arrepiar.

Diversos aspectos me chamaram a atenção nesta obra mas posso dizer com profunda segurança que o mais marcante é a capacidade do autor de dar contextualização e embasamento à obra. Nada gera no leitor aquela sensação chata, que nos faz questionar no meio da leitura: “sério mesmo, autor, que você achou que isso colou? Acha mesmo que vou cair nessa?”. Não. Aqui nada surge magicamente do nada com profundidade nula. Tudo se encaixa, tudo faz sentido e tudo chega a ser plausível até. Bom quando o autor não subestima a inteligência do leitor, não é?

Os personagens são o que deveriam ser. Adolescentes MESMO. Em várias decisões, gestos, posturas e diálogos podemos ver os rompantes desta etapa da vida. Mas daí o tempo passa, não tanto para tirá-los do período das decisões tomadas no calor do momento, mas o suficiente para os transformar em “quase adultos”. E aí você pode facilmente amar e odiar cada um deles… e vai amar e odiar vários deles com muita intensidade.

Também irá se deparar com o mal. Não encarnado num chifrudo de rabo, mas num mal sobrenatural e ardiloso. E até questionará se muito dos comportamentos vistos por aí nos noticiários não poderiam ser explicados por “uma força do mal que domina o espaço ambiente”…

E saboreará o amor. Profundo, capaz de quebrar barreiras inimagináveis, e singelo, como o primeiro. Ah, e capaz, também, de enlouquecer ou derrubar os limites.

E por fim se deparará com uma conclusão de tirar o fôlego… inspiração não faltou! Tem uma tal placa que me fez parar no meio da frase, olhar para o nada e pensar: “genial”.

Em suma, Os Filhos da Tempestade proporciona uma leitura fluída, prazerosa, envolvente e impactante. Facilmente obriga o leitor a horas seguidas de leitura. Caso você seja amante do gênero, sugiro que leia esta obra. O único arrependimento que estará sujeito a sentir, é de não tê-lo lido mais devagar, para dar tempo de ter já em mãos a sequência. Confesso que já a espero ansiosa. Caso não seja, leita também, para se deleitar com algo bem escrito.

Citando a publicação, posso dizer que inicialmente não gostei muito da capa e achei, até parte da leitura, que não era completamente condizente com a obra… mas ao longo da história acabou por fazer muito sentido e se adequou. Mas ainda assim sinto, pessoalmente, que ela está aquém do que li. A revisão pecou um pouco em detalhes, mas a diagramação ficou perfeita, ideal para leituras confortáveis. Parabenizo à Editora por apostar nesta incrível obra.

site: http://oliterario.com.br/resenha-os-filhos-da-tempestade-de-rodrigo-de-oliveira/
comentários(0)comente



Kris Monneska - Conversas de Alcova 19/06/2017

Uma aventura alucinante
Oiee leitores, hoje eu estou aqui para trazer para vocês a resenha de Os Filhos da Tempestade, novo livro do Rodrigo de Oliveira, o famoso autor das Crônicas dos Mortos, da qual eu já publiquei aqui no blog a resenha do livro 1 O Vale dos Mortos e do conto Elevador 16.
Em Os Filhos da Tempestade o autor enveredou por outro caminho, escrevendo uma obra fantástica mais voltada para o público jovem adulto, mas sem tirar os pés do terror, que é um gênero ao qual o autor demonstra dominar, seja lidando com zumbis, seja com bruxas e demônios, que é o que veremos por aqui.

A leitura começa no ano de 1697 na cidade de Salém no estado de Massachusetts (EUA), anos após o fatídico episódio do famoso Julgamento das bruxas onde cerca de 25 pessoas foram levadas à morte acusadas de bruxaria, surge um novo caso. Uma jovem foi encontrada no meio da floresta suja de sangue e em posse de um bebê machucado, a cidade já assustada entra em um novo frisson e o julgamento acontece, porém dessa vez os inquiridores com medo devido ao erro de anos antes, optam por não aplicar na localidade a pena capital, mas transferi-la para o vaticano. E assim a jovem Carol Smith é encaminhada de navio para a Europa, porém ela nunca chega até lá uma vez que no meio do trajeto ela tome atitudes para que a sua vida seja poupada e faça assim surgir o triângulo das bermudas.
Tempos depois um grupo de jovens musicistas brasileiros estão a caminho de um evento EUA, entre eles Tiago um adolescente de 14 anos, apaixonado pela colega de escola Cíntia, que também fará a viagem. Ele está super animado e cheio de esperanças de que essa seja a chance de conquistar a garota que tanto gosta, mas o avião que os transporta sofre um acidente e eles acabam indo parar numa misteriosa ilha, no meio do nada, onde só chegaram vivos os menores de dezoito anos. Assustados e com fome eles adentram a floresta em busca de água potável e alimentos que os ajudem a sobreviver naquele novo lugar, mas acabam encontrando outro sobrevivente que apesar do primeiro contato tumultuado os ajuda e lhes conta a verdade sobre aquele lugar.
A ilha do diabo é um lugar amaldiçoado, onde todos aqueles que vão parar lá, já pertencem ao senhor das trevas e ainda há mais histórias macabras sobre esse lugar, só que eu não vou contar, pois vocês terão que ler pra saber.

Eu já conhecia a escrita do Rodrigo e sendo assim não me surpreendi ao me ver presa na narrativa escrita pelo autor. Ele consegue nos envolver nas história e nos deixar curiosos por descobrir cada um dos mistérios que ele nos propõe. As descrições dos acontecimentos da obra são muito ricas, tanto dos rituais, quanto dos acidentes que acontecem, o Rodrigo não poupa detalhes o que nos causa a impressão de estar lá e assisti aquilo tudo de perto.
Inicialmente a premissa da obra me lembrou a série Lost, devido ao acidente, a chegada a uma misteriosa e encantadora ilha que sofre uma influência maligna, mas as semelhanças param por ai. Pois os personagens e a dinâmica da trama desenvolvida pelo autor são completamente únicas.
Eu também não poderia deixar de mencionar as batalhas que acontecem no enredo e como elas são bem desenvolvidas e cheias de ação. O Rodrigo de Oliveira colocou vários elementos nessa trama, aventura, ação, mistério, romance, terror, todos eles muito bem dosados de modo a criar uma história atraente e cativante do início ao fim.
Porém ao longo de tudo que eu vi nessa leitura, o que mais me surpreendeu foi o final, dado pelo autor, que embora eu já houvesse cogitado essa hipótese, foi colocado na trama de uma forma mais intensa e surpreendente, ao ponto de me deixar completamente curiosa em relação ao que poderá acontecer num próximo livro.

Eu gostei muito da leitura em vários aspectos, porém houve algo que me incomodou no início, quando a lenda da bruxa Carol Smith foi contada, que foi o fato dos inquiridores de Salém optarem por envia-la para ser julgado no Vaticano. Algo que não aconteceria, uma vez que, Salém era uma comunidade Puritana composta por imigrantes Ingleses Calvinistas Radicais, completamente contrários a Igreja Romana (Católica) e que consequentemente não se reportariam ao Papa, tampouco enviariam uma bruxa cativa para ser julgada por ele.
Salvo esse pequeno detalhe Os Filhos da Tempestade é uma excelente capaz de prender o leitor em suas páginas até o final, devido a escrita do autor ser fluída e a narrativa extremamente dinâmica a leitura corre rápida e é possível de ser completada em poucas horas e nesse interim já ficamos cheios de expectativa com o que surgirá nessa história.

O trabalho gráfico da Editora Planeta está maravilhoso, a capa foi desenvolvida exclusivamente para a obra e se refere a um dos lugares existentes na narrativa e a diagramação está muito bonita e organizada, ao longo da leitura eu não percebi erros de ortografia.
Sem dúvidas eu recomendo essa leitura para todos os leitores, mas principalmente para jovens e adolescentes, que curtem aventuras com uma pegada mais sombria, esses irão adorar a leitura, com certeza.

Espero que tenham gostado da leitura, não deixem de me deixar as suas opiniões nos comentários e beijos ♥


site: http://www.conversasdealcova.com/2017/06/resenha-os-filhos-da-tempestade-rodrigo.html
comentários(0)comente



rodrigo.abraoneiva 17/06/2017

Uma aventura sobrenatural!
Posso dizer que Os Filhos da Tempestade é uma aventura sobrenatural bem escrita!
Faz o místico Triângulo das Bermudas parecer bem mais atraente ainda.
Em alguns momentos me lembrou Lost, mas sem se perder duranta a história, tendo todas as pontas amarradas durante o livro e deixando o leitor ansioso por mais aventuras.
Rodrigo Oliveira se destacou pelo Universo das Crônicas dos Mortos e criou algo ainda mais cativante com Os Filhos da Tempestade.
Um livro que agradará a todas faixas etárias e prenderá o leitor!
comentários(0)comente



rafazaakar 14/06/2017

ZaaKar.com Resenha - Os Filhos da Tempestade
Eu venho acompanhando os livros do Rodrigo desde o primeiro volume das Crônicas dos Mortos, e acho muito legal ver esse tipo de aposta, sabe, dar um tempo na série (que o parou em um ponto crucial) é apostar um novo enredo uma, o que deu muito certo!
Sempre com temas bem sombrios, dessa vez o autor se aventurou no meio das bruxas e também em mistérios que a gente já conhece desde sempre, que é o caso do Triângulo das Bermudas. É incrível a forma como ele consegue unir as duas coisas e criar uma história envolvente. Tão envolvente que eu demorei só dois dias pra ler - isso porque decidi parar de ler de madrugada, até porque ler coisas sobre bruxa, demônio e etc, de madrugada, não dá muito certo.
Em Filhos da Tempestade, Rodrigo faz o que eu acho que ele faz de melhor: linhas do tempo. Começamos lá em Salém, onde conhecemos Carol e sua história; Depois entramos de cabeça na história de Tiago e seus amigos e por fim, mas sem terminar de vez, entramos na parte da Melina. Tudo uma mesma história, uma emergindo na outra e ocasionando mais e mais acontecimentos. E isso é o que eu mais gosto, o que mais me atrai. A leitura em momento algum fica parada, ou até mesmo cansativa. Ela é rápida até demais pro meu gosto! Kkk
É a típica leitura que te deixa "nervouser", sério, deixa mesmo. Os meninos tem 14 anos, sofrem um acidente de avião, caem num vórtex, aparecem em uma ilha deserta, com entidades malignas e histórias não tão boas e ficam tipo "Nossa, que lugar bonito da porra". MEU ANJO, QUAL A PARTE DO "ENTIDADES DO MAL" VOCÊ NAO ENTENDEU?! Mas graças a Deus aparece a Melina ❤
Já vou avisando que o livro tem aquele típico final que você termina e fica "what?", "God, no!", "Como assim?". Porquê não dá para acreditar, sério, é surreal demais até pra uma história que mexe com o surreal!
Sem dúvidas uma leitura que eu super indico, não vão se arrepender de ler!
🛬🏝️⛵️☠️😈

site: http://zaakarcom.blogspot.com.br/2017/06/resenha-os-filhos-da-tempestade.html
comentários(0)comente



Elis 13/06/2017

Uma história instigante, que gira em torno do Triângulo das Bermudas. Com uma pesquisa bem elaborada, Rodrigo nos faz crer que tudo pode acontecer, seus personagens ganham vida a cada diálogo. Posso dizer que ele se saiu tão bem quanto em As Crônicas dos mortos, adoro zumbis, mas não nego que cada um desses personagens me cativou e me fez torcer para que no final tudo desse certo.

Incrível como o ser humano pode se tornar primata, ele nos mostra isso através dos problemas que vão surgindo, quando eles chegam a ilha. Uma ilha que vai lhes roubar a juventude e a infância, onde eles terão que aprender a se virar e ter a certeza de quem está do seu lado. Em um lugar tão perigoso, a inveja e o ciúme podem destruir a união de um grupo.

Pensei que a história estava indo de maneira rápida, mas tudo se encaixa perfeitamente, pois o autor descreve o cenário e os personagens sem ser cansativo. O que faz com que tenhamos a visão da ilha e de cada um de uma maneira simples e direta.

Li em um dia tamanha minha empolgação. Estou ansiosa para conferir o próximo volume, afinal o último capítulo me deixou doida, para ler os próximos problemas, que os habitantes enfrentarão.

Meus parabéns e desejo de muito sucesso ao autor, já que podemos ver que não importa o tema, ele arrasa.

site: http://amagiareal.blogspot.com.br/2017/06/os-filhos-da-tempestade-rodrigo-de.html
comentários(0)comente



Nath 09/06/2017

Resenha do blog Pobre Leitora
O que falar dessa nova série de livros que acabei de começar e já considero pacas? Convenhamos que não é novidade nenhuma eu gostar das histórias do Rodrigo de Oliveira, mas vou explicar direitinho porque Os Filhos da Tempestade merece um lugarzinho na sua estante e no seu coração.

O talento do Rodrigo é inegável e pra quem pensou que ele ficaria preso para sempre aos zumbis de As Crônicas dos Mortos, quebrou a cara. A narrativa do Rodrigo continua sendo maravilhosa de se ler, e ele conseguiu se desvencilhar totalmente do mundo apocalíptico dos comedores de cérebros e surgiu com essa história nova e instigante. É claro que alguns traços cruéis permaneceram, acho que o Rodrigo ficou incapacitado de pegar leve e isso não tem mais volta.

Mas graças a Deus que ele não pega leve! Desde o começo do livro somos bombardeados com acontecimentos e é uma surpresa atrás da outra! Tudo começa em 1697 quando o autor nos leva de volta à Salém e suas bruxas. Conhecemos Carol Smith, uma moça acusada de bruxaria e que se for comprovada sua acusação, será queimada viva assim como aconteceu com todas as outras. Não vou revelar o que acontece com ela, mas adianto que é logo no começo que acontece uma das coisas mais legais do livro e Rodrigo nos surpreende com toda uma nova mitologia para a existência do Triângulos das Bermudas.

[...]

Rodrigo descreve bem o ambiente e as cenas sem deixar tudo maçante, cenas de sangue e violência rolam soltas brilhantemente e eu não poderia esperar menos do autor.
Os personagens são super interessantes, principalmente porque para cada um deles o Rodrigo praticamente teve que fazer duas personalidades, ou seja, trabalho dobrado. Não foram personagens que fiquei extremamente apegada mas de certa forma eles conseguiram marcar o seu espaço.

Alguns segredos da Ilha são revelados logo nesse primeiro livro e é tudo muito interessante. A mente do Rodrigo é brilhante! Uma coisinha ou outra eu consegui acertar e meu lado detetive ficou com o ego inflado, rs. O final foi de deixar qualquer um louco, querendo sacudir o autor e gritar COMO ASSIM?. Sorte que ele mora a 3 horas daqui e eu tenho preguiça, senão ia ver só.

[...]

LEIA A RESENHA COMPLETA NO LINK

site: http://pobreleitora.blogspot.com.br/2017/06/resenha-os-filhos-da-tempestade-rodrigo.html
comentários(0)comente



21 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2