Dumplin

Dumplin' Julie Murphy




Resenhas - Dumplin


63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Dressa Oficial 22/05/2018

Resenha - Dumplin
Olá, tudo bem com você?

Dumplin é um livro que eu estava querendo muito ler pois fala sobre um assunto pouco abordado na literatura que é a beleza de uma pessoa mais gorda.

Todos os livros que lemos os personagens são perfeitos, ótimos, magros, fortes e normalmente ricos, e já em Dumplin isso não é assim.

Willowdean Dickson é uma adolescente do ensino médio quase terminando a escola, ela sabe que é gordinha porém não vê problema em ser assim, lógico que ela não se acha a pessoa mais linda do mundo, mas também não deixa de sair de casa ou aproveitar a sua vida apenas por que está acima do peso.

Ela tem uma melhor amiga Ellen que é super magra, e linda de morrer mas as coisas começam a mudar entre elas, quando Willow começa a trabalhar em uma lanchonete depois da escola e conhece Bo um menino super fofo e que trata Willow muito bem e começa a desejar ficar cada vez mais com ela.

Só que ao invés de Willow sentir orgulho de ficar com um cara super bonito, ela acaba ficando mais insegura, do seu corpo, de falar com Bo sobre o relacionamento deles e ela acaba ficando chateada com ele de certa forma e os dois vão se afastando.

A amizade dela com Ellen acaba e ela acaba ficando um pouco perdida com todas essas mudanças ocorrendo em sua vida e então decide participar do concurso que sua mãe trabalha "Concurso Miss Jovem Flor do Texas" e ela e outras meninas fora do padrão de beleza imposto pela sociedade se inscrevem também e acabam ficando muito animada com isso.

Willow perdeu a sua tia por ser gorda demais e desenvolver muitas doenças e ela sabe como é importante cuidar da sua saúde, sua mãe é magra mas não costuma pegar muito no pé dela desde que sua irmã morreu pois acaba ficando sem jeito.

Achei o livro bem lento para ler, para mim não funcionou a dinâmica da escrita da autora, os dilemas dos personagens são fracos e o livro como um todo não me passou uma mensagem legal, achei o tema super atual e tinha tudo para ser ótimo livro mas infelizmente para mim não funcionou.

Algumas amigas leram e amaram e outras acharam a mesma coisa que eu que o livro não teve uma diferença legal para se tornar muito bom.

Então vai depender de você querer ler e tirar as suas conclusões as vezes não funciona para mim mas acaba funcionando para você!

Beijos

Até mais!

site: http://www.livrosechocolatequente.com.br/2017/10/resenha-dumplin.html
comentários(0)comente



Rebeca 16/05/2018

Achei um pouco monótona a leitura, mas só pelo fato de termos uma protagonista gorda que não termina emagrecendo daria 5 estrelas. Precisamos de representatividade em diversos temas inclusive na literatura, e este livro faz isso! Ser gorda na nossa sociedade ainda é ser/ter uma identidade marcada como diria Guacira Louro (àquela identidade que sofre por fugir da tal norma, isto é, daquela identidade presumida que nem precisa dizer de si porque todas as outras são comparadas à ela).
Além de expor vulnerabilidades, propor reflexão, é uma grande oportunidade para calçarmos o sapato do outro procurando ver como ele se sente/pensa/vive. Também fala de outras personagens com suas diferenças entrando no concurso de beleza unidas, tornando mais confiantes consigo mesmas ao longo de todo processo :)
comentários(0)comente



Rosana 12/05/2018

O livro vai apresentar uma protagonista gorda que se sente muito bem com o próprio corpo, porém em algum momento isso vai mudar e vai deixar nossa protagonista questionando a própria autoestima.

O livro vai contar a a estória da Willowdean, ela é uma adolescente gorda que se sente segura e bem com o próprio corpo. O título do livro se dá pelo fato de sua mãe usar "Dumplin'" como um apelido carinhoso para ela. Will repudia esse apelido e fica muito brava sempre que sua mãe a chama desse jeito, inclusive acontece uma vez em público e Will quase tem um treco por conta disso.

Will é gorda assumida e não tem problema nenhum com o seu peso, e também não se importa com que as pessoas vão pensar por conta disso. Ela não tem problema com o seu peso, mas a sua mãe sim. Sua mãe é a ex-miss de um concurso de beleza da cidade (que acontece todo ano) e com isso, ela está sempre tentando dietas milagrosas e fazendo com que Will também faça essas dietas, mas é claro que elas nunca dão certo. Como Will mesma diz, as dietas funcionam por um ou dois meses e depois sua mãe desiste.

“Eu perdi muito tempo na vida me preocupando com o que as pessoas diriam ou pensariam. E, às vezes, era em relação a coisas bobas, como uma ida à mercearia ou aos correios. Mas houve ocasiões em que me proibi de fazer coisas importantes; E tudo porque estava com medo de que alguém me olhasse e decidisse que eu não tinha valor.”

Por ter um relacionamento bem complicado com a mãe, Will acabou aproximando-se mais de sua tia Lucy, que também sofria por ter sobrepeso. As duas sempre entenderam muito bem, mas Lucy acaba falecendo e Will se vê sem chão e com os julgamentos constantes de sua mãe, que tem medo do mesmo acontecer com sua filha.

Will trabalha em uma lanchonete e acaba descobrindo que seu colega de trabalho gosta muito dela e isso faz com que ela comece a questionar-se e duvidar das próprias capacidades. Sua confiança fica abalada, pois ela não acredita com que o cara gatinho do serviço e o popular da escola possa gostar dela.

"A vida inteira tive um corpo digno de comentários, e se há uma coisa que viver na minha pele me ensinou foi que, se o corpo não é seu, você não tem o direito de dizer nada."

Com o concurso de beleza da cidade chegando, Will decide participar, para provar à ela mesma que ela consegue, para provar para a mãe que subestima a beleza da filha e provar as pessoas que seu peso não muda em nada a pessoa que ela é.

É um livro recheado de auto-aceitação, amor próprio e confiança, não só em si mesmo, mas confiar no próximo também. Os relacionamentos de amizade e amor, aqui representados, parecem reais e verdadeiros. A relação com sua mãe é algo real e aceitável, há discussões, momentos de alegrias e questionamentos, como qualquer relacionamento familiar.

O romance do livro é algo fofo, mas não é meloso. Há um pseudo triangulo amoroso que não faz muito sentido, mas até que é importante para a narração. As relações de amizade com Ellen e com as outras personagens que aparecem, são cheias de altos e baixos, mas são verdadeiras e plausíveis.

Apesar de gostar muito do livro, da narração e da escrita (é um livro muito leve e rápido de ler), parece que a autora deu uma corrida no final para tentar responder todas as questões pendentes. Além do quesito autoestima, o livro apresenta conflitos e situações reais com uma homenagem à Dolly Parton. No geral, gostei bastante e super recomendo a leitura. Mal posso esperar para a continuação que será lançado em Maio lá na gringa *___*

site: http://www.tudoquemotiva.com/2018/03/dumplin-julie-murphy.html
comentários(0)comente



Aline 01/05/2018

Bom, mas...
Que final foi esse?! O livro é bom, mas o final foi de matar, fiquei com raiva quando terminei...
Se não tiver muita expectativa, ele até passa...
comentários(0)comente



Gisele 01/05/2018

Dumplin
Dumplin da @edvalentina 3 ?'s

***
???? O livro vem mostrar a história de Willowdean, uma adolescente acima do peso, fã de Dolly Parton e amiga fiel. Will sofre com os preconceitos acerca de seu peso, apesar de conviver bem com seu próprio corpo. Isso começa a mudar quando ela se envolve com Bo, um garoto "tudo de bom". Will começa a duvidar de se mesma e sentir vergonha dos seus colegas da escola. Em meio a esses conflitos psicológicos, ela decide se inscrever em um concurso de miss - Concurso Miss Jovem Flor do Texas - e acaba incentivando mais garotas fora do padrão de beleza a fazer o mesmo.

***
???? Esperava mais desse livro, pois vi muitas críticas positivas. Achei um bom livro, porém muito repetitivo e com diálogos muito clichês. Além disso, a maior parte do livro se passa com Will se achando inferior e sem se permitir viver, o que deixa o enredo bem chatinho e triste. Quando olho pelo lado de que esses pensamentos e reações são bem reais na vida de pessoas que se acham "fora do padrão", o livro faz mais sentido e foi o que me fez finalizá-lo.

***
???? Além de discussões sobre padrão de beleza, o livro trás muitas lições sobre amizades e amor. Um livro bem filme de sessão da tarde, fofinho e simples.

#ResenhaReadMore #LeiaDumplin #Resenha #livros #leiamais
comentários(0)comente



Léia 28/04/2018

Dumplin'
Pra todos aqueles que sofrem de insegurança, Dumplin é um show de coragem.

A história é linda e contagiante, me fez perceber que todos os seres humanos, por qualquer que seja o motivo, passa por momentos de fraquezas e dúvidas internas, será que faço, será que posso, será que errei, será que fiz certo, será que peço perdão?

Uma dose de coragem, faz com que consigamos fazer coisas que antes jamais teríamos imaginados.

Dumplin é uma menina como qualquer outra, cheia de medo e de inseguranças, mas pelas referências que tem da vida, pela sua formação pessoal decidi fazer algo até então, pra ela e pro seu contexto atual e cotidiano, IMPOSSÍVEL, que sendo gorda, participar de um concurso de beleza.

As cenas são lindas e marcantes, um chacoalhar nas nossas ideias e pensamentos. Amei
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Em algum livro 02/04/2018

Seja o que te faz feliz.
Dumplin foi aquele livro que peguei só para folhear, e quando vi ja estava quase no fim. A escrita e ótima, rapirá, nada canssativo e o mais importante com uma mensagem poderosa que toda garota deve lê.
A mensagem principal do livro é aceitação, é sobre amar a si mesmo. É sobre entender que sempre irá ter dias em que vamos nos sentir inseguras, o importante é erguer a cabeça e ser corajosa. No mundo sempre existirá idiotas porém ligue o f*da-se e seja feliz.
" Às vezes, descobrir quem você é implica em entender que o ser humano é um mosaico de experiências. Eu sou Dumplin'. Will e Willowdean. Gorda. Feliz. Insegura. Corajosa."

site: https://www.instagram.com/emalgumlivro/?hl=pt-br
comentários(0)comente



Book.Obsession 21/03/2018

Em Dumplin’ somos apresentados a jovem estudante Willowdean.

Will é o tipo de garota completamente fora dos padrões de beleza que conhecemos nas histórias e por isso se deferência com o estereotipo da jovem plus size, dona de um bom humor e ainda lida bem com a aceitação de seu corpo.

Morando em Clover City, no Texas, com sua mãe e sua tia Lucy, a quem Will tem grande amor e afinidade como gostar de Dolly Parton. Mas através de um triste episódio, precisou lidar com a saudade, já que sua tia morreu precocemente.

“Não experimento a mesma sensação de progresso que os outros. O que sinto é que estou presa, esperando que a minha vida aconteça.”

Entre sua rotina que inclui seus estudos, seu trabalho na lanchonete, sua casa. Will também conta com a amizade de Ellen e passamos a história conhecendo mais a fundo essas personagens, seus amores e as loucuras pertinentes à idade.

A verdade é que Will, aparenta essa felicidade quando não está fora da sua zona de conforto, mas quando Bo, um rapaz bonito da escola, atleta e que está trabalhando na lanchonete quer estar mais próximo dela, a mesma começa a ficar com receio de como será vista ao lado de um cara bonitão, sendo que ela nada mais é que uma gordinha.

“Linda foi o que ele disse. Gorda, é o que eu penso. Mas será que não posso ser as duas coisas ao mesmo tempo?”

Dentro da sua casa, sua mãe tenta fazer Dumplin’ comer as mais variadas comidas saudáveis, assistir programas sobre cirurgias, programas para emagrecer, justamente por ter sido há muitos anos atrás Miss Jovem Flor na sua cidade, e por ainda estar sempre à frente do comitê desse evento, precisa estar impecável. Claro que a mãe de Will, não é daquelas mulheres fúteis, pelo contrário, faz um trabalho muito bonito cuidando dos idoso. Mas para lidar com a filha, parece não ter tanto empenho e isso gera em Will, um grande desconforto e uma sensação de abandono.

Chegando a temporada de inscrições para o novo concurso da cidade, Will decide encarar esse desafio e de um jeito bem irreverente vamos conhecer um outro lado dessa jovem.

“Não é deprimente? Como se a humanidade inteira tivesse que andar por aí com etiquetas para todo mundo poder se sentir mais tranquilo? Acho que as coisas são menos assustadoras quando as pessoas sabem que nome dar às coisas.”

Que livro mais amor, cheio de empoderamento!

Antes de mais nada, vale a pena destacar o capricho desse projeto gráfico. A capa com letras em alto-relevo, os capítulos com uma diagramação dentro da proposta da história. Como comprei esse livro na Bienal do RJ, ainda ganhei um marcador personalizado dessa personagem brilhante.

Dumplin’ é um grande tapa na cara da sociedade. Narrado em primeira pessoa, com passagens engraçadas, a autora traz à tona reflexões, críticas importantes aos que praticam bullying e todo padrão de beleza imposto pela sociedade.

Porém, o mais importante foi a forma como Julie Murphy, levanta a bandeira sobre combatermos esse tipo de situação degradante, tentarmos continuar nossas vidas exigindo respeito, procurando sermos felizes, e se o próximo não sabe que tudo tem limites, paciência, a gente deve passar por cima com nosso desprezo e não devolvendo na mesma moeda. Às vezes, não é fácil lidar com tantas situações maldosas, mas é necessário esse esforço diário, sendo superior a esses fatos.

Uma história simples e de fácil compreensão, com uma protagonista forte, determinada, que tem muito para ensinas a várias idades, mas é uma ótima dica para os pais darem para os adolescentes, pois certamente muitos vão se conectar com Dumplin’ e suas amigas.

Afinal, todo mundo tem seu valor e é sim especial à sua maneira. Basta acreditar!

Dumplin’ terá sua adaptação cinematográfica e dentre as estrelas confirmadas, teremos Jennifer Aniston, no papel da mãe de Will e Danielle Macdonald, como Willowdean Dickson. Ainda sem data para estreia.

site: http://www.bookobsessionblog.com/2018/03/resenha-dumplin-julie-murphy-editora.html
comentários(0)comente



palavrascruciais 24/02/2018

Extremamente maravilhoso!
Willowdean é adolescente, fã de Dolly Parton e Texana. Melhor amiga de Ellen e apaixonada por Bo, seu colega de trabalho em uma lanchonete. Também é gorda, mas ao contrário do que se é esperado, ela está bem com isso. Afinal, qual o problema em ser gordo? Ou magro demais? Alto ou baixo?

Mesmo que passe por situações de bullying e algumas dificuldades, Willow não abaixa a cabeça diante nenhuma dessas coisas, até que seus sentimentos por Bo começam a ser correspondidos. Ele é perfeito perante os olhos da sociedade e dela também. Mas, por que diabos ela também não seria perfeita? E em busca dessa resposta, Willow faz a única coisa que poderia fazer... Se inscreve no evento mais aclamado de sua cidade. O concurso Miss Jovem Flor do Texas.

Juro que não sei por onde começar a falar desse livro. A primeira vez que ouvi falar sobre ele, me interessei imediatamente e o adicionei a minha wishlist. Na bienal, foi o primeiro que fisguei nas prateleiras da Valentina. Logo, estava realmente empolgada e minhas expectativas foram todas superadas. A obra de Julie é delicada, doce e divertida. Seus personagens são contagiantes e é impossível não gostar de cada um deles! É o tipo de leitura que prende e que quando você se dá conta, já leu cinquenta páginas, assim... em um pulo!

Em Dumplin' encontramos de maneira muito bem trabalhada a forma como a busca da perfeição e do corpo ideal pode nos atingir desde a infância, perseguir pela adolescência e alcançar a vida adulta com força inenarrável. Willow e diversas outras personagens, mostram como a sociedade pode ser capaz de afetar uma pessoa apenas por ela não se encaixar em um padrão que ninguém sabe o porquê de ser imposto como perfeito. Além disso, Julie também nos traz como são os efeitos do primeiro amor, a busca dos sonhos durante a adolescência e como a idade de alguém não o impede de sentir tudo que faz parte da vida humana. Tristeza, felicidade, inseguranças, confiança, incapacidade, medo, força, alegria, dúvidas e o desejo por respostas.

Eu amei a Willow e me identifiquei com ela. Lembrei dos meus tempos de escola e de como ás vezes era complicado estar dentro do meu próprio corpo, de como ainda é. Amei Bo, um adolescente quietão e ao mesmo tempo com um mundo de coisas para falar. Mitch, o grandão com coração molinho. Todos, todos, todos! Não tenho palavras para descrever meu amor por esse livro. Aliás, falando de personagens masculinos, foi maravilhoso ler algo sem qualquer teor machista. Estava me fazendo falta!

Enfim! Falei, falei, falei e não disse metade do quão fantástico é esse livro. Recomendo para todos como leitura necessária! Por favor, leiam Dumplin' mesmo que não sejam muitos chegados no gênero. Prometo que não vão se arrepender.

site: https://www.instagram.com/palavrascruciais/
comentários(0)comente



Coisas de Mineira 05/02/2018

“Há algo no biquíni que faz com que as mulheres achem que precisam conquistar o direito de usá-lo. E isso é um absurdo. Na verdade, o critério é muito simples: você tem um corpo, não tem? Então veste um e manda ver!”

Willowdean Dickson é uma gorda assumida, que nunca teve problemas com a sua aparência. Foi apelidado de Dumplin’, por sua mãe que é ex-miss e não aceita muito bem que a garota não consiga emagrecer, esse fato, fez com que as duas acabassem se afastando e que a garota buscasse refúgio com sua tia, Lucy. Apesar disso, Will tem uma vida normal, é fã da Dolly Parton, tem uma melhor amiga que sempre a apoia, Ellen, e consegue se livrar do bullying de cada dia.

Mas, as coisas começam a mudar na vida de Will, quando ela vai trabalhar em uma lanchonete fast-food e conhece Bo, o garoto da escola particular, que é o típico menino dos sonhos de qualquer garota. Os dois acabam se envolvendo romanticamente, e em vez do fato aumentar sua autoconfiança, acaba fazendo com que Will comece a ter receio sobre o próprio corpo. Com o concurso de miss da cidade chegando, sua mãe cada vez mais envolvida na organização e sua estima sendo colocada em prova, uma descoberta faz com que a menina se inscreva no concurso e desafie a tudo e todos para mostrar que ela merece aquele título como qualquer garota que se encaixe no “padrão de beleza”.

“Eu perdi muito tempo na vida me preocupando com o que as pessoas diriam ou pensariam. E, às vezes, era em relação a coisas bobas, como uma ida à mercearia ou aos correios. Mas houve ocasiões em que me proibi de fazer coisas importantes; E tudo porque estava com medo de que alguém me olhasse e decidisse que eu não tinha valor.”

Os primeiros capítulos do livro faz com que você entre em um universo de autoconfiança, que eu gostei muito. Will não tem vergonha do próprio corpo e de se mostrar, e eu senti uma imensa vontade de ser como ela. Sua história com Bo, o galã da escola com a menina que não entra nos “padrões de beleza” da sociedade, me encantou em um primeiro momento e, as dúvidas que a personagem sentiu, fez com que ela parecesse mais real. Porque por mais que sejamos confiantes, não é sempre que estamos 100%, existem os momentos baixos da vida. O que me incomodou na história, foi o preconceito que Will demonstrou com alguns outros personagens, afinal, se ela está bem com a própria vida, deveria entender os outros também.

Apesar disso, o livro não perdeu pontos comigo, pelo contrário, só foi apresentando mais pessoas que me marcaram profundamente, como Hannah, outra garota que enfrenta muito bullying na escola e acaba surpreendendo quando também entra no concurso. E Mitch, um cara grandalhão que seria tachado como gordo se não fosse um atleta da escola, e que apesar de enfrentar seus próprios problemas, acaba achando um jeito de ajudar Will. Durante a leitura, pensei muito na sociedade em geral, e refleti sobre vários preconceitos que acabamos tendo conosco e com os outros em vários aspectos. Livros que trazem reflexão são sempre muito bem-vindos na minha vida. Outra reação minha com a leitura foi a inclusão da Dolly Parton na minha playlist do Spotify, e o replay em “Jolene”, uma música muito citada por Will na história.

A diagramação do livro ficou muito bonita, a primeira página de cada capítulo teve o texto com as letras grandes e o nome do capítulo foi escrito com a mesma tipografia da capa. A capa toda preta, deu o clima de luxo que um concurso de miss teria, com a personagem em destaque, representada em um vestido vermelho, e uma coroa logo acima da cabeça. Dumplin', lançado pela editora Valentina, é o primeiro livro no Brasil da autora premiada pelo The New York Times, Julie Murphy, que vive no Texas com o marido, o cachorro e os gatos, é ex-bibliotecária, e agora se dedica integralmente a profissão de escritora. Pesquisando um pouco mais, fiquei imensamente feliz em saber que Julie irá lançar “Puddin’” em 2018, um livro que conta um pouco mais sobre outra personagem bem bacana de Dumplin’.

“Não é deprimente? Como se a humanidade inteira tivesse que andar por aí com etiquetas para todo mundo poder se sentir mais tranquilo? Acho que as coisas são menos assustadoras quando as pessoas sabem que nome dar às coisas.”

Por: Ana Elisa Monteiro
Site: http://www.coisasdemineira.com/2017/12/resenha-dumplin-julie-murphy.html
comentários(0)comente



Amandaarrios 04/02/2018

?O sorriso é uma curva que endireita tudo.?
Não tenho palavras pra descrever o quanto esse livro me surpreendeu. Estou completamente apegada a essas personagens.
Hannah.
Millie.
Amanda. (A primeira Amanda retratada que não é uma otária)
E Willowdean.
Willowdean.
Esse nome é quase um novo significado pra mim. Como aqueles milhões de suspiros que a protagonista solta. Mas é aquele suspiro bom, de que foi sofrido, mas encontramos o caminho para felicidade.
Will me ensinou milhares de coisas, mas a que mais me marcou é que: Não importa os nossos defeitos ou o que os outros pensam de nós. Sempre vai ter alguém que te acha incrível.
Não é mesmo, Bo?
Kkkkkk.
Lindoooooo.
comentários(0)comente



Nati 31/01/2018

Palavras chaves: inspirador; divertido; romance clichê, mesmo assim fofo;


Dunplin’ era um daqueles livros que eu estava totalmente enlouquecida para ler, quando enfim surgiu a oportunidade de lê-lo eu comecei a devorar avidamente cada página desse livro que conta a história de Will, nossa protagonista.

Will, ou melhor Willowdean Dickson, é uma garota que a vida toda conviveu com a obesidade, a sua própria e de sua amada tia que faleceu recentemente.
Will não tem problemas com sua aparecia, ela sabe que não se encaixa nos “padrões ideais de beleza da sociedade” e não está nem aí para isso, ela tem uma autoestima invejável (de verdade, sentir muita inveja da autoestima dessa garota, rsrs) e nem o bullying praticado pelos colegas de escola abalam ela.

Mas, quando se vê apaixonada por um cara que ela considera espetacular, Wiil começa a se sentir mal com seu sobrepeso e para piorar o concurso de miss, que todo ano tem sua mãe, uma ex-miss e louca das dietas que sonha em vê Will magra, como parte da organização, invadi sua vida as coisas saem totalmente dos trilhos, levando embora suas certezas e fazendo-a descobri novos horizontes e novas perspectivas em seu relacionamento com a mãe, com a melhor amiga, com ela mesma e com o garoto dos seus sonhos.

Will é uma personagem encantadora, sua força de vontade e fé em si mesma a faz ser inspiradora, mas ela ainda é uma menina e como tal tem os medos, anseios, vontade de se auto afirmar e comete os erros próprios dessa fase da vida e autora mostrou isso muito bem, a personagem não é uma caricatura.

E o romance dela com “o garoto da escola particular” é bem fofinho, Bo é aquele tipo de cara que faz qualquer garota se derreter e ele do tipo garoto de família, mas confesso que também torci bastante pelo líder do time, apesar de nesse livro não haver a menor possibilidade de um triangulo amoroso. E isso é bom.

Outro ponto forte do livro é o relacionamento dela com a mãe, que vai se desenvolvendo ao longo do livro, elas nunca tiveram como acertar as arestas do relacionamento delas, Lucy, tia de Will, sempre esteve ali para mediar os conflitos entre elas e a falta dela fez elas terem que se confrontar e é muito bonito de acompanhar esse desenvolvimento de relacionamento ao longo do livro.

Também com o desentendimento da Will com a Ellen, sua melhor amiga desde a infância, com quem compartilha o amor pela Dolly Parton, ela se abre para novas inusitadas amizades, além de ser bem legal acompanhar como Will cresce longe da sombra da Ellen, que não foi uma da minhas personagens preferidas e não gostei muito a forma que as duas acabam se entendendo, parece que a autora resolveu simplesmente consertar tudo antes que as folhas acabassem.

Por falar nisso, o livro tem um ritmo excelente de leitura até mais ou menos 70% da leitura ( li no kindle) a partir desse ponto, parece que a autora se perdeu um pouco, a leitura começa a se arrastar e no finzinho a autora corre para resolver as questões que foi ficando solta ao longo da narrativa. E quando você vê o livro acabou e você fica procurando o restante das páginas. Não fica inconcluído, mas é incômodo para mim, principalmente depois da parte bem monótona que antecede o ápice da história.

Mesmo assim, eu amei a leitura, acompanhar a nossa Will foi experiência e tanto e esse é um daqueles livros que fica gravado na memória.


“Há algo no bíquini que faz com que as mulheres achem que precisam que conquistar o direito de usá-lo. E isso é um absurdo. Na verdade, o critério é muito simples: você tem um corpo, não tem? Então veste um e manda ver!”


comentários(0)comente



Bruh Silva 27/01/2018

Um livro cheio de empoderamento.
Willowdean, ou como gosta de ser chamada Willow é a nossa protagonista. Gorda assumida que convive bem com o próprio corpo.

Dumplin? é o apelido que recebeu da mãe, quando ainda era criança, porém ela não curte muito ser chamada assim.

A história se passa em uma pequena cidade do Texa, Clover City. Todos os anos, acontece o concurso que é muito aguardado pelas pessoas da cidade, o concurso de Miss Jovem Flor do Texas de Clover Cty. A mãe de Willow venceu o concurso no ano de 1997, e ainda é uma das organizadoras do evento. A história gira em torno desse concurso, e a partir daí veremos com Willow começa a ter uma maior confiança em si própria e percebe que para fazer o que deseja, só é preciso querer.

Após um desentendimento com a mãe, a tristeza pela perda da tia e um afastamento da melhor amiga, Will decide participar do concurso. Mesmo sabendo que o seu biótipo não é o esperado no concurso, ela decide tentar, afinal se todas podem porque ela não?

Aos poucos veremos a evolução da personagem, onde passara por altos e baixos e muitas provações. Veremos a confiança dela ser aflorada de uma forma genuína, mesmo que ela não perceba. A sua coragem de querer viver a vida, independente de onde e como está nos faz ter um pouco de esperança em nós mesmos.

Eu me apaixonei pelo livro, achei a narrativa excelente, muito fluida e rápida. Há partes muito engraçadas e os acontecimentos são bem reais, os sentimentos então nem se fala. É uma historia divertida, sincera e verdadeira. Mostra de uma forma simples e clara como o preconceito com pessoas acima do peso acontecem na vida real, e como a sociedade acaba privando essas pessoas de fazerem aquilo que desejam ou querem, pelo simples fato de não se encaixarem nos padrões de beleza exigidos.

A força que a personagem trás é surpreendente, ela trás uma visão simples e otimista de que não existem diferenças que não possam ser superadas entre as pessoas. Mostra que quando se quer realmente algo, se pode alcançar com alguns esforços. Além disso, veremos como a força e o empoderamento dela refletirá positivamente nos personagem secundários.

A capa é incrível e representa muito o contexto geral da história. O livro é maravilhoso e após a última pagina deixa um gostinho de quero mais.
comentários(0)comente



Larissa 23/01/2018

Blog Por Livros Incríveis
Quando comecei Dumplin' não imaginava, mesmo com os elogios que já havia lido, que ele seria esse livrão todo que me deixou encantada com a protagonista e tudo o que ela tem a ensinar. Comecei a ler despretensiosamente e quando dei por mim já estava devorando página atrás de página e enchendo as folhas de post-it pra marcar as inúmeras citações de que gostei.


Willowdean é gorda e esse é um fato que ela já aceitou, o que não significa que sua autoestima seja baixa, na verdade é o oposto disso. Mas um punhado de situações adversas - como o luto pelo falecimento de sua tia Lucy, uma grande briga com sua amiga de infância e a repentina paixão por Bo Larson, seu lindo colega de trabalho - fazem com que a garota se encha de inseguranças e incertezas sobre si mesma. Num ato impulsivo de rebeldia, Willowdean se inscreve no concurso de beleza Miss Jovem Flor do Texas, um concurso anual que para a pequena cidade de Clover City, onde ela mora, e que é organizado por sua mãe, que já foi uma das vencedoras. Assim, a jovem parte numa jornada nada convencional em busca de respostas e da autoestima perdida.

Essa é uma daquelas resenhas que eu nem sei direito como começar, uma vez que há tanta coisa boa para falar sobre o livro que acabo me perdendo nas ideias e querendo simplesmente falar "Vão ler esse livro, pelo amor de Deus!" haha. Pra início de conversa, então, devo dizer que o ponto alto do livro são os personagens. De personalidades distintas e muito bem delineadas, não há um que seja totalmente bom ou mau. Julie conseguiu criar personagens de atitudes muito reais que cativam, de um modo ou de outro, com muito sucesso.

Dumplin', a protagonista, é forte, decidida e corajosa mesmo com as inseguranças que a enchem de medo ao mesmo tempo em que é leve e divertida. Bem difícil não simpatizar com ela. Ellen, sua melhor amiga, é o seu oposto tanto fisicamente quanto em personalidade mas ambas não conseguem viver uma sem a outra desde que foram unidas ainda crianças pelo amor em comum pelas canções de Dolly Parton. Sempre se apoiando mutuamente, a amizade das duas é linda de se ver.
Há vários outros personagens louváveis a sua maneira, mas discorrer sobre cada um acabaria tirando o prazer da descoberta de quem for ler, então vou parar por aqui.

Narrado em primeira pessoa, o livro é dividido em capítulos curtinhos que deixam a leitura bem ágil e fluida, também por conta da escrita agradável da autora e dos diálogos cheios de sarcasmo, o que torna a leitura bastante divertida.

"Só porque é fácil não quer dizer que seja certo."
De modo geral, Dumplin' é um livro encantador que proporciona um belo entretenimento mas que ao mesmo tempo faz com muito afinco o leitor refletir acerca dos padrões de beleza que cercam a sociedade e do tratamento que as pessoas que não se encaixam nesses padrões recebem, assim como a forma como elas mesmas se veem. Willowdean veio pra mostrar que a graça do mundo é ter seres humanos tão diferentes uns dos outros, afinal se todos fossemos iguais, qual seria a graça? Com muito bom humor, ensinamento e uma boa dose de romance, esse é um livro que vale muito a pena ser lido.

Sobre o livro:

Dumplin' vai ser adaptado ao cinema e será estrelado por Danielle Macdonald e Jennifer Aniston mas ainda não há previsão de lançamento.
O livro contará com uma sequência que será lançada esse ano nos EUA e ainda não possui previsão de lançamento por aqui.

Leia mais resenhas em:

site: http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/2018/01/resenha-dumplin-julie-murphy.html
comentários(0)comente



63 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5