Pegando Fogo

Pegando Fogo Abbi Glines




Resenhas - Arqueiro


39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


estantedasuh 16/12/2017

Nan é conhecida como a irmã megera, todos que estão a sua volta a detestam ou a ignoram, a única pessoa que a ama é seu irmão Rush. Ela é egoísta e só pensa nas aparências, mas ninguém sabe que por baixo de toda essa arrogância tem uma mulher infeliz, insegura e que quer ser amada. Depois de ver Grant, um homem que ela gostava, casar-se com sua meia-irmã, Nan se viu sem esperanças para uma vida de amor e carinho, até Major a convidar para sair.

Major é um cara lindo que ama as mulheres e que sai com todas que vê pela frente. Ele tem um trabalho perigoso e super secreto. Sua missão é fazer com que Nan se apaixone por ele e que consiga tirar algumas informações dela. O que ele não contava é que iria gostar de Nan e até talvez pensar em ter um relacionamento com ela. Mas por causa do seu jeito mulherengo ele acaba colocando tudo a perder e Nan perde o interesse por ele.

Desiludida pelo Major, Nan vai para Las Vegas e lá conhece um homem chamado Gannon. Ela nunca viu um homem tão rude, grande e insuportavelmente sexy. Logo de cara Nan se vê atraída e passa a nutrir sentimentos por esse brutamontes, mas nem tudo é tão perfeito como parece e uma grande confusão vai se formar nessa história.

Confesso que quando peguei para ler o livro já fui com sete pedras na mão. Sempre detestei Nan e não esperava uma redenção para essa mulher. A história começa de forma morna e aos poucos vai ganhando força. De página em página vamos descobrindo um pouco mais da personagem e vendo que sim ela é humana. Passamos a entender um pouco da sua arrogância e até torcer por um final feliz.

Nesse livro a autora quis pregar uma peça nos leitores, porque tudo indicava que não ficaria com um dos personagens, mas eu ia lendo e algumas coisas não se encaixavam e eu ficava me perguntando como isso iria acabar, mas houve uma bela reviravolta e tudo que estava confuso ficou claro e nitidamente os leitores puderam perceber onde tudo iria acabar.

Para mim o melhor personagem desse livro foi Gannon, me apaixonei por ele logo de cara e mesmo ele parecendo mandão, vemos como ele é generoso, carinhoso e super protetor. Ele corre atrás do que quer e não aceita o não como reposta. Ele é um excelente investigador e sempre estava um passo à frente de todos.
Vou confessar a vocês que não acabei a história morrendo de amores pela Nan, mas fiquei satisfeita com o seu final e pude ver que até as megeras podem ter um final feliz. No caso de Nan ela precisou de um homem com pulso firme e que botasse ordem na casa.

A capa está linda e bem ao estilo da protagonista. A diagramação é simples. As folhas são amareladas. A fonte do tamanho ótimo para leitura. A história é narrada na visão de Nan, Major e Gannon.

Recomendo esse livro a todos que acompanham a série Rosemary Beach e que amam ver os vilões se rendendo ao amor.

site: http://www.estantedasuh.com.br/2017/11/resenha-pegando-fogo-rosemary-beach-13.html
comentários(0)comente



Kennia Santos | @LendoDePijamas 15/12/2017

Você quer livro ruim, @?
Classificação: 2/5
Título: Pegando Fogo (Abbi Glines)

Nan Dillon, a bad girl da série Rosemary Beach, como é perceptível através dos outros livros da série, sempre foi chata, mimada e egoísta. Nunca teve preocupação maior do que "onde vou passar as férias esse ano? Las Vegas ou Paris?" ou em manter seu corpo em forma e perfeito. Sempre teve problemas com a família, até com quem não esperava ter (seu irmão, Rush), e sua vida sempre se resumiu a viajar de um lugar a outro sem se apegar a nada ou ninguém.

Quando Major Colt, com seu rosto perfeito e corpo de modelo a convida para sair, ela nem hesita em aceitar o convite e se divertir. Mas com o passar do tempo Nan se cansa do comportamento de "pegador" de Major, e quando ele não cumpre o que diz mais uma vez, ela se rebela e decide ir à Las Vegas aproveitar o que a cidade oferece. É em Vegas que ela conhece Gannon, um empresário sedutor que apesar de não ser o tipo de homem com quem costuma se envolver, a conquista com sua forma misteriosa de agir.

Então Major vai atrás de Nan implorar por uma segunda chance, e ela percebe que nunca terá com ele a imensa conexão que teve com Gannon desde a primeira vez que o viu. Mas a vida segue e as coisas não ocorrem como ela espera, então Nan se vê numa encruzilhada entre aceitar o que está disponível ou ir atrás do que a fez sentir algo diferente de tudo que já sentiu.

"Pegando fogo" é o último livro da série Rosemary Beach, e querem saber de uma coisa? Amém por isso. No começo eu era uma grande fã da série, mas ela se tornou tãaaaaaaaao mais do mesmo, que me cansou. Se se prolongasse mais só se fosse pra contar a história das transas que aconteciam diariamente no clube, e isso seria narrado por um eu-lírico fictício do clube, porque nem sobrou gente interessante pra narrar. Lembro que meses antes de lançar esse livro, a Abbi disse que ele seria uma grande surpresa e ia fazer a gente repensar nossos conceitos sobre a Nan, mas querem saber de outra coisa? MUDA PORCARIA NENHUMA.

Pra mim, NADA, NADA justifica o comportamento dessa réplica de versão de curupira com os pés endireitados. Desculpem a transparência, mas eu NÃO SUPORTO esse ser.

"Meus pais não se importam comigo"
"Meu irmão não tem mais tempo pra mim"
"O cara que eu gostava me trocou pela minha meia-irmã"

BALELA, BALELA.
A grande verdade é que, independente do que a vida de tá, é VOCÊ quem escolhe como seguir a sua. E como se comportar. Grandes exemplos disso são Blaire (DONA DE TUDO), Della (chata e meio sonsa, mas guerreira) e Reese (fofa) personagens da série que passaram por maus bocados grande parte da vida, e nem por isso se tornaram pessoas amargas e horríveis.

Esse livro além de ter a pior personagem, tem a pior história (parece que foi feita nas coxas), os piores dilemas e o PIOR FINAL. Cara que livro SEM NOÇÃO. Mas acabou, amém? AMÉM.

Descanse em paz e jamais pense em voltar porque eu cansei de você, Rosemary Beach.

(P.S.: só dei duas estrelas porque aparece Rush e Blaire, o CASALZÃO DA SÉRIE que reina tudo, e também pelo Natezinho fofo. Se eles não aparecessem, eu daria meia estrela e olhe lá).
comentários(0)comente



umalivraria 12/12/2017

Resenha @umalivraria
Nan Dillon é uma mulher imatura e que só tem uma preocupação: manter o corpo perfeito.

A verdade é que Nan carrega cicatrizes. Ela nunca teve um amor em sua vida, o único homem que ela amou de verdade, a trocou por sua meia irmã.

A personagem mais odiada na série "Rosemary Beach", tem sua história revelada e alguns segredos que chocam, nos levando a entender o motivo de tanto egoísmo. Há um tempo, Nan se envolveu com um cara bem perigoso e, sem saber de nada, está sob investigação.

Major é um homem que se aproveita de seu charme para conseguir o que deseja. Ele usa sua beleza para se divertir e não dispensa uma noite regada a prazer.

Nan e Major se conhecem, e iniciam um romance aberto, aquele tipo de romance de quem não quer se apegar. Vendo isso, a garota acaba desistindo deste relacionamento e vai passar uns dias em Las Vegas para tentar esquecê-lo.

(ISSO MESMO, ENQUANTO UNS TOMAM SORVETE E CHORAM AO SOM DE DUA LIPA, TENTANDO SEGUIR AS REGRAS DE NEW RULES. A GAROTA VAI PARA LAS VEGAS).

E é tentando esquecer Major, que ela conhece Gannon. Um cara misterioso, que oferece a melhor e maior aventura sexual de Nan.

Se eu gostei desse livro? DEMAIS!

Novamente, Abbi Glines vem com uma narrativa ótima e surpreendente. É sempre difícil terminar uma série, principalmente uma como Rosemary Beach. Acredito que vários leitores se emocionaram com esse fim.

A essência de megera foi modificada. No lugar da Nan de sempre, surgiu uma mulher carente e necessitada de amor. Isso pode ter incomodado alguns, mas essa mudança era tão necessária nesta reta final... Foi bom ver a personagem admitindo e se arrependendo de seus erros.


site: https://www.instagram.com/umalivraria/
comentários(0)comente



Fabiana.Martino 12/12/2017

Olha, enrolei pra ler a história da Nan, pq achei que eu fosse me irritar com ela. Cheguei até a pensar em não ler. Mas que surpresa a minha! Foi tranquilo! Muita gente que leu comentou que ela não parecia ser a Nan tão terrível que foi nas outras histórias, mas posso entender bem o papel que a Abbi fez pra ela.
Primeiro: se passou um bom tempo desde que a Nan aprontou, então ela estava um pouco mais amadurecida. Todos ao seu redor estavam casados, com filhos, tocando seus próprios negócios. Então ela começou a pensar mais em suas atitudes.
Segundo: Nan achou um cara a sua altura, sua versão masculina. Perfeito!
Terceiro: ela passou a refletir em como suas atitudes prejudicavam as pessoas. Não digo que a Nan virou santa; ela simplesmente parou de sacanear! Adorei o fato dela estar sempre presente com seu sobrinho Nate!
Agora vamos aos pontos negativos... Sério, Abbi, que vc achou que a história dos sonhos eróticos fosse rolar???? SÉRIO???? Pq, gente... quem é que transa achando que foi apenas um sonho erótico. E não uma vez, mas três????? Ah, fala sério... E, Major, sorry, mas que MALA SEM ALÇA vc foi. Cara, que chato! Q sem noção! E o final dele??????? Que final foi aquele????? kkkkkkk Ahhhhh, e "Gannon" poderia ter aparecido muito mais. Adorei ele!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Atitude Literária 02/12/2017

Só podia ser a Nam
Nam sempre se mostrou poderosa, cheia de si, dona de sua vida, da sua própria verdade, uma mulher indiferente a tudo e a todos - com exceção de seu amado irmão. E era exatamente deste modo que esperava encontrá-la, porém não foi exatamente assim. Em “Pegando Fogo”, encontramos uma Nan solitária, amargurada, frustrada, em um ambiente muito mais intimista e vulnerável. Marcada por um passado de rejeição e insuficiência, temos um vislumbre de um novo lado de Nan, uma mulher carente, cheia de inseguranças, receios e medos. Eu sei que é difícil acreditar, mas Nan é gente como a gente, e encontrou no ataque sua melhor defesa. Tentando de alguma forma ocultar todas as suas dores, ela projetava nas pessoas sua fúria e ódio, contaminando a todos com sua tristeza. E logo nos damos conta de que ela busca exatamente o que sempre repudiou, o amor que todos a sua volta encontraram, ela nutre o desejo de ser amada, de encontrar alguém que se importe, que a enxergue como única, um alguém especial. E ela pensa ter encontrado isso em Major, entretanto ele é mais sapo que príncipe.

“Raiva, autoaversão e sentimentos de inadequação podem transformar uma pessoa em alguém detestável. Amargo. Um monstro.”

Major não nega sua grande paixão – mulheres e sexo -, um exímio conquistador, cheio de artifícios e beleza suficiente para ter aquela que desejar. Ele não é romântico, não é o tipo de homem feito para ter um relacionamento sério, mas por interesses de negócios, acaba se envolvendo com Nan. A princípio isso está ótimo, ela se mostra receptiva a um relacionamento aberto, só que logo passa a precisar de mais e Major que não sabe como lidar com emoções, acaba a empurrando para longe. Abrindo brechas para um concorrente.

Gannon é um empresário bem-sucedido, calado, misterioso, dono de uma figura imponente. Ele sabe o quer, como quer e não aceita nada menos que isso. Não demora para que se sinta atraído pela ruiva maravilhosa que é, Nan. E a atração e tensão sexual entre ambos é eletrizante, faísca por todos os lados. Ele é o oposto do que Nan sempre buscou, sua beleza é mais rustica, dominante, ele gosta de controle, mandar, poder e contra todas as possibilidades, ela aceita se submeter. Só que os interesses de Gannon não são exatamente puros, e essa aproximação pode ser uma completa mentira.

“Minha vida havia sido cheia de decepções. Eu não queria mais uma.”

Sentimentos conflitantes, armações, mentiras, traição. PEGANDO FOGO irá te levar por um jogo, onde até o mais endurecido dos corações está correndo risco de se perder.

Eu gostei de Pegando Fogo, entretanto esperava muito mais. Abbi Glines me decepcionou, esperava uma história muito mais forte, desafiadora, que trouxesse à tona a transformação e redenção de uma protagonista tão dura e fria quanto a Nan. Desejei encontrar aqui uma história mais sólida, emocionante, repleta de reviravoltas e apesar de alguns elementos realmente nos deixarem de queixo caído, não foram suficientes para me deixar apaixonada como aconteceu com os livros anteriores. O triangulo amoroso em si me incomodou muito, não senti verdade, a maneira como os assassinatos e alguns acontecimentos foram tratados com naturalidade me chocaram. Não é algo que julgo normal, aceitável e livre de impunidade. Abbi inovou, encontrou um novo caminho para contar a história da megera, mas para mim pecou pelo excesso e pressa. Apesar de ter enxergado Nan com outros olhos, ter sentido empatia e até carinho em alguns momentos, ainda assim senti falta de algo a mais... algo que me conectasse com ela, que mudasse totalmente minha opinião e me deixasse torcendo por seu final feliz.

“Palavras escritas eram tocantes. E, por mais que eu não quisesse admitir, despertavam algo em mim. Faziam os muros à minha volta cederem um pouco mais a cada toque. Faziam com que eu me sentisse menos inatingível e mais real.”

Enfim, é uma leitura boa, com vários pontos positivos, mas que infelizmente não fecha com chave de ouro, uma das séries mais queridinhas. Agora sigo no aguardo pela nova série da autora que está por vir e tenho certeza que mais uma vez, serei arrebatada.


site: http://www.atitudeliteraria.com.br/2017/11/resenha-pegando-fogo-abbi-glines.html
comentários(0)comente



Neyla 30/11/2017

E eis que chegou o tão comentado livro de Nan! Eu não vou mentir: estava curiosa, principalmente por conta dos comentários divididos que ouvi. Muita gente não gostou do livro, mas uma outra leva de pessoas adorou. Eu sou o tipo que prefere tirar minhas próprias conclusões em vez de deixar me levar pela opinião alheia, portanto não criei expectativas. Comecei a ler já sabendo que nada me faria cair de amores por Nan, mas querendo saber um pouco mais a seu respeito. E o que encontrei me agradou bastante.
Desde o primeiro livro eu criei um certo ranço de Nan. Não tinha como ser diferente, afinal ela sempre fez questão de demonstrar sua falta de respeito com as pessoas, de destilar ódio e veneno contra aqueles que não gostava e de ser aquela pessoa que ninguém suporta. Contudo, sempre fiquei intrigada com seu comportamento e, com o passar dos livros e do amadurecimento da trama, isso só aumentou.
Nan é filha de Georgiana, uma mulher literalmente louca, que nunca ligou para ninguém além dela mesma. Imaginem só uma mãe desse tipo criando uma criança? Desde pequena ela ouvia coisas terríveis sobre si mesma, o que a levou a se fechar para as pessoas e para o mundo. A mãe a odiava, o pai nunca quis saber dela e a única pessoa que a amava de verdade era seu irmão, Rush. As pessoas só se aproximavam dela por interesse e isso fez com que ela assumisse, ainda mais, uma postura arrogante. Ela nunca confiou seu coração a ninguém e, algumas vezes, desejava ser que nem Blaire ou Harllow, e encontrar alguém que a ame pelo que ela é.
Atualmente ela mantém um casinho com Major, primo de Mase, que já apareceu nos livros anteriores da série. Ele, que agora trabalha para DeCarlo, está em Rosemary Beach em uma missão e precisa conquistar a confiança de Nan para poder obter as informações desejadas. Contudo, fazer com que ela confie nele é algo difícil, ainda mais porque ele não é alguém que inspira tanta confiança assim e vive sempre cercado de mulheres. Com o tempo quase esgotando e a probabilidade da missão não ser cumprida por conta das mancadas de Major, Cope entra em ação. Ele sabe que Nan jamais se apaixonará por Major a ponto de contar-lhe segredos, portanto ele mesmo assumirá a tarefa de arrebatar o coração da moça.
Os dois são completamente diferentes e ambos fazem o coração de Nan balançar. Mas, quando o real motivo dos dois estarem próximos a ela vier à tona, como será que nosso mocinha irá reagir? Isso, só lendo para descobrir.
E aí, Neyla, o que você achou do livro? Pois bem, vamos lá. Como já disse anteriormente, não era um livro que estava com expectativas altas. Nunca gostei da Nan e lembro que minha reação a ela no primeiro livro foi a pior possível. Já falei mil vezes, mas vou repetir porque sou dessas, mas eu amo a Blaire e vê-la sendo maltratada era o cúmulo do absurdo. E as coisas só foram piorando, até que chegamos nos livros do Grant e eu pude ter um vislumbre de uma Nan diferente (se você leu sabe do que estou falando) e comecei a pensar no motivo dela ser daquele jeito.
Em Pegando Fogo nós conhecemos Nan por ela mesmo, estamos ali, em contato direto com ela, vivendo o que ela vive e acessando suas lembranças (poucas, é verdade, mas que me ajudaram a juntar as peças desse grande quebra cabeças que é ela). O caso é que Nan foi uma criança rejeitada e sem amor, que cresceu amargurada, querendo descontar sua raiva e frustrações nas pessoas que, de alguma forma, ela queria ser igual. Foi assim com Blaire, que ela julgava ser sua irmã e que tinha todo o amor de seu suposto pai; e foi assim com Harllow, sua irmã de verdade, que sempre teve toda a afeição do pai enquanto ela não passava de uma criadora de confusão. O único amor verdadeiro que encontrou foi de Rush, ele sempre esteve ao seu lado, deixando tudo para cuidar dela em seus piores momentos.
Mas Neyla, isso não justifica nada! Eu sei e concordo plenamente. Nada justifica suas atitudes e o veneno que ela veio destilando desde o primeiro livro, contudo viver a história junto com ela me deu uma perspectiva de uma Nan que eu desconhecia. Alguém que, apesar de ter tido o coração endurecido, ainda tem a capacidade de amar. Não senti que ela se redimiu, como muita gente falou, mas mostrou para o leitor um lado que, até então, era desconhecido.
A química entre ela e os rapazes é boa, mas com um deles a coisa, literalmente, pega fogo! Achei que a escolha do par de Nan foi totalmente condizente com ela e seu jeito de ser. Foi uma pessoa que se encaixou com perfeição em sua vida e que, com certeza, a completa. Mas não vou contar quem é, vão ler!
Achei que ela recebeu um final digno, afinal todo mundo merece ser feliz na vida e se sentir amada por alguém. Nan fez da vida de muita gente um inferno, eu sei, mas nesse livro ela se mostrou muito diferente, talvez por conta do tempo que passou e da maturidade que, finalmente, chegou. Além do mais, se até mesmo Blaire a perdoou, quem sou eu pra atirar minha pedra? Não consegui criar afeição, me sentir próxima ou algo do tipo. Mas consegui enxergar quem ela era de verdade e isso, pra mim, foi o suficiente.
Esse não foi o melhor livro da série, mas também não achei ruim. Achei que foi um bom fechamento e que, assim como os demais livros, teve emoção, cenas quentes e surpresas na medida. Abbi não me decepcionou e espero que novos livros dela sejam lançados aqui no Brasil, afinal virei fã!
Preciso dizer que recomendo a série? Já falo tanto de Rosemary Beach por aqui que vocês já sabem que são histórias que recomendo de olhos fechados. A autora tem uma escrita deliciosa e suas histórias me conquistaram pra valer. Se você ainda não conhece, tá na hora de mudar isso. Vale a pena demais da conta!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mari | @PitacosLiterários 08/11/2017

Chegou ao fim Rosemary Beach, uma das minhas séries favoritas. E o último livro é da the monia mais odiada dos últimos tempos. Aquela que é tão ruim, que só de chegar faz as coisas darem errado. Ô bicha carregada. Se benze, Nan!

Pegando Fogo traz a verdade sobre Nan. Esqueça aquela mulher que a gente achava que está cagando para os homens com quem se envolve. Aqui ela nos mostra a mulher carente, que chegou a se apaixonar, mas nunca sentiu como era ser amada de volta.

Vivendo um caso sem exclusividade com Major, Nan está cansada de ser usada pelos homens. Percebendo que com ele não seria diferente, resolve ir para uma festa em Vegas, onde conhece Gannon, um homem completamente diferente do tipo que costuma se envolver e nosso conhecido. Ele desperta uma paixão avassaladora na ruiva, que nem suspeita das suas verdadeiras intenções.

Major, gente como a gente, se arrepende de não ter valorizado a moça depois que perdeu e corre atrás desesperadamente com a ajuda de quem? Sim, do rival. Mas não adianta. Major está mais com o ego ferido do que outra coisa. E Nan está de quatro - em alguns momentos literalmente - pelo homem que saiu de sua vida deixando apenas uma lembrança.

“Me afastar dela foi como arrancar uma parte do meu próprio corpo, mas era necessário. Não havia lugar para uma mulher na minha vida. Sobretudo uma mulher como Nan. Alguém que precisava ser amado de verdade.”

Os segredos que cercam esse triângulo causam muita dor e sofrimento não só a eles, mas a todos, inclusive nós. Os três precisam tomar decisões que mudarão suas vidas para sempre. E finalizo afirmando que não decepcionaram!

Óbvio que eu odiava a Nan. Mas como ela é fã de Grey’s Anatomy e Gossip Girl, não tem como odiar mais. Brincadeiras à parte, não esqueci o que a Nan fez durante a série, mas acho que a Abbi justificou o comportamento da vilã e nos deu um belo final. Não concordo com as atitudes dela, mas consigo compreendê-la e até simpatizo com a moça agora.

site: https://www.instagram.com/p/BapWkmKnKeW/?tagged=resenhapitacosliterarios
comentários(0)comente



Adriana 28/10/2017

Pegando Fogo de Abbi Glines -
Esse é o ultimo livro da seria Rosemary Beach. E eu sinceramente não sei o que sentimento prevalece, o de amor ou do ódio por este livro. Então vamos por partes.

Nan é a personagem mais odiada de toda a serie, disso eu não tenho a menor duvida. A autora fez o maucaratismo dela no capricho. Desde o inicio ela é uma vaca. E foi exatamente disso que senti falta neste livro. Pois se autora se deu ao trabalho de nos fazer odiar essa infeliz, no minimo eu esperava que a Nan fizesse jus ao se caráter, ou a falta dele.

Para ser sincera eu esperava que a Nan se apaixonasse por um mecânico pobre e que se redescobrisse através de uma vida que ela não teve. E que se rastejasse por esse homem até ser merecedora dele. Mas infelizmente não foi isso que acontece. E esse é o motivo do meu odo por este livro. A Abbi descaracterizou totalmente a personagem.
"Era a garota que todo mundo tinha deixado para trás. A que todo mundo odiava."
Ai você me pergunta, porque você deu quatro estrelas para o livro?

Então, se você deletar da memória que se trata do livro da Nan, e ler como um personagem normal. O livro é maravilhoso, não deixa nada a desejar para os outros livros da serie.

Nan começa o livro num relacionamento aberto com Major (primo de Mase).
A famosa trepada ocasional, porem como Nan vê que nada de mais serio irá sair deste relacionamento, e depois de levar mais um bolo do Major, resolve afogar as magoas em Las Vegas.
"Eu queria ser a Harlow de alguém. Ou a Blaire. Mas eu sempre seria a Nan. E ela não bastava. Nunca havia bastado, e definitivamente não ia mais tentar bastar."
Major tem a missão de tentar descobrir como tirar a Nan de uma enrascada. Anos atrás ela se envolveu com um perigoso mafioso e agora que Major trabalha para uma gente que elimina esse tipinho de ser humano. E ele tem que garantir que Nan não seja eliminada junto.

Em Vegas Nan conhece Gannon um cara misterioso e aparentemente perigoso que vira a vida da Nan de cabeça para baixo. E ela tem que descobrir o que é melhor para seu já "magoado coração"

Enfim, foi uma finalização ótima para uma serie que particularmente roubou meu coração desde o primeiro livro.
comentários(0)comente



Vivi 23/10/2017

O fim...
O fim de uma série de livros que gostei muito. O fim para a menina má e rejeitada Nan. Gostei, porém uma outra coisinha não fizeram sentido, creio que era preciso mais escrita sobre uns fatos em específico. Mais da vida de casado de Nan e Cope, enfim, mais detalhes, mais história.
comentários(0)comente



L 21/10/2017

A história de Nan
Confesso que inicialmente não tive A animação em ler um livro especialmente sobre a Nan, afinal quem conhece as histórias que ocorrem em Rosemary Beach sabe que ela é a "vilã". Mas, inciando a leitura de "Pegando Fogo" comecei a me perguntar: E se eu não soubesse das maldades cometidas por Nan, visse a personagem pela primeira vez... Quais seriam minhas impressões sobre ela? No próprio livro, a autora cita que "Ninguém nasce um vilão". E Glines conseguiu construir uma história coerente e que capta atenção do leitor, o fazendo ler rapidamente.

Não pensem que Nan, do nada fica boazinha e que suas maldades foram justificadas pela falta de amor da mãe e do pai, sendo ela a pobre coitada de tudo. Houve sim uma parcela em que suas maldades foram justificadas pelos pais, mas o mais importante é que Nan cria consciência dos atos dela. Mesmo assim continua com sua personalidade marcante: forte por fora contudo, carente por dentro.

Algo interessante é que o par ideal de Nan é tão problemático quanto ela. Não espere um amor doce e sim algo bem intenso no sentido carnal. Este, é o volume mais hot de todos com um toque de Cinquenta Tons de Cinza.

Há narrativas alternadas entre alguns personagens em certos momentos mas não vou revelar os nomes para não dar spoiler, os que aparecem com mais frequencia são os pontos de vista de Nan já que ela é o foco deste volume e Major.

Algo que chamou minha atenção é que sempre comentei que esta saga daria um ótimo seriado como foi o famoso Gossip Girl e para minha surpresa Abbi coloca Nan como fã da série. Então no livro há diversos momentos de Nan assistindo ao seriado.

A autora foi bem sensível e dedicou este livro para a sua avó que faleceu enquanto ela escrevia esta obra.

"Pegando Fogo" fecha bem a série de Rosemary Beach que já deixa um toque de saudade.

site: https://eternamente-princesa.blogspot.com.br/2017/10/livro-pegando-fogo-abbi-glines.html
comentários(0)comente



Heloo 09/10/2017

:).
:).
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Vivi 23/10/2017minha estante
Concordo com tuas perguntas!! Faltaram vários fechamentos...
Será que virá um livro com todos os personagens e suas famílias (clãs) formados??


Sah 23/10/2017minha estante
Eu li os 2 "meets" de Rosemary Beach e See Breeze, sabe? E tem alguns desses persogens. Mas nenhuma sequencia esperada. As perguntas permanecem.... =/


Sah 23/10/2017minha estante
Ahhh, Blaire e Rush têm 2 filhas depois de Nate (Ophelia e Phoenix) e o filho de Della e Woods é o Cruz (eles tem mais filhos depois)... Mas acho q isso deveria ter nesse livro e não só nas continuações (Like a Memories e Because Of Lila)


Sah 23/10/2017minha estante
**Correção: Like a Memory


Vivi 24/10/2017minha estante
Não sabia que ela já tinha escrito as histórias dos filhos! Mas ainda não foram lançados no Brasil, né??


Sah 24/10/2017minha estante
Não foram. Tem 2 livros spin-off que lugam as 2 séries dela. Mas Sea Breeze tb não foi lançada no Brasil. Mas vc acha todos os livros em tradução livre na internet.


Vivi 26/10/2017minha estante
Ok. Obrigada!


Mary.Freitas 10/11/2017minha estante
Eu fiquei boiando foi com a morte do major, quem matou ele afinal?


Sah 10/11/2017minha estante
Então, o Major não morreu. O Cope finge que o mata para que ele possa "trabalhar". E ninguém nunca vai pensar que é ele que está matando as pessoas malvadas se ele já está morto. Entendeu? (Sim, tb achei péssimo... mas segue a vida rsrs)




39 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3