A Pedra Pagã

A Pedra Pagã Nora Roberts




Resenhas - Arqueiro


48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Adriana 08/12/2017

A Pedra Pagã de Nora Roberts
A Editora Arqueiro lançou o último livro da Trilogia A Sina do Sete – A Pedra Pagã, da Diva Nora Roberts e tive o prazer de escrever esta resenha. Uma trilogia para os apaixonados por um livro de ficção com altas doses de suspense, aquela doce certa de terror, drama e uma pitada de romance.
A primeira coisa que você precisa saber é que este livro é literalmente uma continuação dos anteriores, então se você não leu os dois primeiros livros ou uma resenha deles, poderá ficar sem entender esta resenha.
A Nora sempre buscou inovação em sua escrita e sempre foi fã declarada também de vários autores e nesta trilogia ela fez algo totalmente diferente dos seus livros de ficção/fantasia anteriores, nesta trilogia ela homenageou em sua escrita a suas inspirações literárias, sendo destaque neste último livro, a autora Daniele Steel, pra quem conhece sua maneira de escrever, consegue perceber porque a Nora pôs tanto drama/sofrimento no final.
Uma coisa a Nora não mudou, ela sempre buscou em suas trilogias, para cada livro, dar algum destaque a um personagem principal por vez, principalmente ao seu romance, por mais que a historia se entrelace e fale dos outros personagens. No primeiro temos em destaque Caleb e Quinn, no segundo o Fox e Layla e agora neste último, teremos mais detalhes da vida do Gage e da Cybil.
Este último livro te fará sentir, sofrer, chorar e se envolver até o final.
“Eles haviam nascido no mesmo dia, no mesmo ano e, até onde se podia dizer, no mesmo momento. Gage não conseguia se lembrar de um tempo em que os três não tivessem sido... uma unidade, supôs. O garoto de classe média, o hippie e o filho do bêbado abusivo. Não tinham nada em comum, mas eram família, irmãos desde muito antes de terem feito aquele pacto estúpido”.
Gage Tuner fugiu da vida que tinha com seu pai e da cidade assim que se formou no ensino médio, trabalhou em vários tipos de serviços, mas descobriu que tinha uma habilidade especial para o jogo e foi assim que passou a viver e a ganhar dinheiro, nas cartas, viajando de uma cidade para outra, vivendo em quartos de hotel; mas sem nunca esquecer seu passado, a cidade e principalmente seus irmãos, por isso, sempre retornava para visitas e principalmente para o período dos sete. Desta vez ele sabia que seria pior que os outros, que seria o final. Será que eles finalmente conseguiriam deter o mal?
“E um jogador não precisava de um lar. Só precisava de um jogo”.
Este era o lema da vida de Gage e por isso mesmo, após ver Cal e Fox se apaixonarem por suas parceiras, ele ficava com um baita pé atrás para trabalhar com a Cybil, ele não deseja se envolver com ela, por mais que ela seja incrível e que o sexo seria provavelmente fantástico. Ele não tinha nascido para relacionamentos de longo prazo.
Cybil Kinsky veio a Hawkins Hollow para ajudar sua amiga, mas descobriu que esta cidade tinha tudo a ver com seu passado e sua vida e que precisava ajudar a salvá-la, não apenas pela Quinn, mas por todos, afinal eles eram seus amigos, sua família. Ela tem seus próprios traumas para enfrentar, mas ao conhecer melhor o Gage, percebe que não conseguirá manter seu coração fechado para ele, não pode continua vivendo se fechando para o amor, mas ela precisa se concentrar para tentar descobrir como utilizar a arma que eles finalmente conseguiram, ela precisa desvendar como todos poderão sobreviver.
Gage e Cybil compartilham muito mais que o mesmo dom, eles possuem a tragédia em seu passado os que os tornaram pessoas mais fechadas, a não ser para aqueles a quem amam. Gage é o típico personagem masculino, o que por mais que te irrite, faz você gostar dele, a Nora faz você ter uma empatia enorme pelo personagem nesta ultima história devido ao seu passado e suas atitudes no presente faz você amá-lo. A alguns momentos na história que eu me emocionei bastante; a Nora sempre destaca que o amor existe, o que dá os momentos de leveza necessários para mim em toda história, mas também é sua marca registrada.
Este livro tinha tudo para ser fantástico, até porque o final é como sempre, bem estilo da Nora e te pega de surpresa. Depois de todo o suspense para tentar descobrir os enigmas que a antepassada deles deixa em suas aparições e de todas as visões do Gage e Cybil, você tem um final que nem os próprios personagens imaginavam. Mas para mim teve um pouco de drama em excesso e a Nora querendo deixar a humanidade dos personagens em evidência, apesar dos dons recebidos e por mais espertos que ela os faz parecer, eles acabam sendo um pouco é burros mesmo. Porém vale destacar, que apesar da Nora ter colocado um demônio na história, ela não nos leva para um lado religioso para detê-lo, ela nos leva para a magia, por isso é uma ficção americana.
Eu admiro a Nora pelo respeito e consideração que ela tem para abordar todos os assuntos que permeiam nossa vida e sociedade, ela não escreve nada de maneira que possa ofender alguém em suas crenças e já li todos os livros dela lançados no Brasil para afirmar isto. Ela nos leva para dentro da história de tal forma, e escreve de uma maneira tão brilhante, que nos sentimos vivendo o mesmo que os personagens e por isso ou os amamos ou ficamos com raiva deles, mas mesmo assim nos apaixonamos pela história. Sendo assim dou nota 4/5 para este livro.


site: www.meupassatempoblablabla.com
Fabi 16/12/2017minha estante
Excelente resenha. E concordo com você sobre a Nora, ela é brilhante.


Adriana 18/12/2017minha estante
Obrigado Fabi ?




Drika 26/11/2017

O mais esperado....
Fiquei tanto na expectativa por esse livro! Achei q ia ser de me acabar. Que o sacrifício seria o pai do Gage...

Mas como disse, ou a titia NR acerta o #3 livro ou caga a porra toda.

A série é boa. Mas juro q esperava mais!
Kelly 13/12/2017minha estante
HahahH pensei a mesma coisa




Lari 11/02/2018

A Pedra Pagã
Em A Pedra Pagã, último volume da trilogia A Sina dos Sete, nossos personagens precisam matar Hollow, que ficou mais forte do que todas as outras vezes e ameaça não só os três amigos, mas as suas respectivas mulheres. Toda a cidade também corre perigo, e é nela onde estão todos os familiares e amigos dos protagonistas. Mas como a autora é Nora Roberts, não poderia faltar o romance mesmo que ele fique em segundo plano: casal deste livro será Cybill e Cage.

O romance não se tornou o ponto alto desta trilogia, pois a autora preferiu focar no enredo primário, da cidade e do mal que a ataca. Contudo, ela soube colocá-lo em momentos adequados, porque todos nós somos humanos e querendo ou não, uma hora ou outra precisamos de um abraço, um carinho ou até mesmo um beijo. Não acho que é comum um personagem ficar uma história inteira sem se relacionar com ninguém.

No livro anterior, nossos personagens conseguiram uma arma para parar o inimigo, mas ainda não descobriram uma forma de usá-la, então não foi de grande ajuda. Assim, todos continuam procurando formas de descobrir como conter a ameaça. O monstro está mais forte e não perde tempo em mostrar isso para todos.

Em um determinado momento, Hollow pega todos sozinhos e desprevenidos, então ataca. Os homens conseguem se livrar mais facilmente, pois estão acostumados com tudo o que ele planeja, mas infelizmente as mulheres precisam de ajuda. Cybill, uma personagem feminina, também consegue se virar, mas o monstro ataca de uma forma que fiquei tão abalada que não consegui segurar as lágrimas com o acontecimento, e Nora não deixa escapar detalhes, o que me deixou angustiada. Entendo o motivo da autora de escrever tudo, pois é como se quisesse que a gente entendesse algo muito maior por trás do acontecimento.

Como de praxe da autora, todos os outros personagens são envolvidos nesta premissa, já que toda a trilogia gira em torno dos três amigos. Todos são bem próximos, mas acontece uma briga muito séria neste último volume, pois Cage e Cybill tiveram um sonho-pesadelo onde ele era o "escolhido" para matar o monstro. É claro que isso traria consequências não muito legais, mas Nora trouxe uma grande reviravolta que conseguiu me deixar boquiaberta.

Algo que me incomoda nos livros da Nora Roberts é que ela raramente consegue fazer um desfecho fechadinho. Tipo, temos três livros de casais diferentes, mas ela pouco mostra como todos eles ficaram após os acontecimentos no último livro. Existe um epílogo, mas tão curto que não conseguiu me satisfazer de forma alguma, para mim não faria diferença alguma se ela não o tivesse escrito. Vocês me entendem não é? Me digam que eu não sou a única louca, por favor!

Fora esse pequeno defeito, trilogia A Sina dos Sete é mais uma série perfeita, impactante, cheia de mistérios e romances da Nora Roberts, que mais um vez mostra que pode escrever qualquer gênero literário quase sempre deixar a desejar. Quer dizer, em alguns pontos nós não podemos cobrar a perfeição de um ser humano, certo?

site: http://www.roendolivros.com.br/2018/02/resenha-pedra-paga.html#more
comentários(0)comente



Nina 09/02/2018

A Trilogia Sina dos Sete chega ao fim trazendo a história de Gage e Quinn, o casal que, na minha opinião, é o mais interessante.

Desde que fizeram um pacto de sangue aos dez anos de idade, Cal, Fox e Gage enfrentam a dura missão de defender a cidade de Hawkins Hollow de uma maldição: a cada sete anos, por sete dias no sétimo mês, o demônio Twisse toma conta da cidade, transtornando os cidadãos com atos de violência e loucura. Agora, 21 anos depois e prestes a enfrentar o terceiro Sete, eles sentem que enfim têm uma chance de vencer.

Com a ajuda de Quinn, Layla e Cybil, as três mulheres ligadas à eles pelo destino, eles descobriram a chave para matar o demônio e libertar a cidade. Eles conseguiram unir o jaspe-sanguíneo e agora tem uma arma poderosa para lutar, o problema é saber como usá-la. Outro grande problema é que o tempo está se esgotando, agora eles têm poucas semanas antes de começar o próximo Sete. Cybil e Gage compartilham o estranho dom de ver o futuro e vão trabalhar juntos para entenderem como usar o jaspe-sanguíneo. Mas, nessas dolorosas visões, eles percebem que Gage não sairá vivo do encontro com Twisse. Começa então uma busca por um meio de vencer o demônio sem sacrificar a vida de Gage.

Desde que comecei a ler a trilogia, já estava louca pela história de Cybil e Gage porque para mim eles são os personagens mais interessantes. Ambos vêm de famílias disfuncionais e sofreram com os pais. O de Cybil cometeu o suicídio para fugir de dívidas, deixando a família sozinha e desamparada e ela não consegue perdoá-lo por isso. O pai de Gage é alcoólatra e abusivo e o espancou durante toda sua infância. Hoje ele é cínico e sarcástico e ganha a vida jogando pôker. Os dois não se sentem presos à Hawkins Hollow e não veem a hora de partir, mas lutarão por amor e lealdade aos amigos.

Lar nem sempre é um lugar. Às vezes o lar é uma pessoa.

Além disso, eles são muito práticos: aceitam a atração que tem um pelo outro e decidem vivê-la sem culpa. Mas como eles não querem se envolver e não sabem se o que sentem é uma atração genuína ou apenas efeito do destino, a sedução está proibida entre eles. Ou seja, nada de se apaixonar. Mas como comandar o coração?

Gage, quando eu decidir que quero um homem não será porque o destino me enfiou isso goela abaixo. E, ao contrário do que você com sua estupidez sexista poderia pensar, nem todas as mulheres procuram relacionamentos a longo prazo. Principalmente com um canalha como você. Você está a salvo de meus truques e caprichos, seu idiota narcisista. Se isso não o tranquilizar, azar o seu.

Como no livro anterior, Nora Roberts focou bem mais no romance do que na ação e no mistério. Eu esperava ver muito sangue e magia, a acabei recebendo um livro mais amorzinho. Mas um excelente livro de amorzinho! Gage e Cybil tem muita química juntos e são muito parecidos: debochados e irônicos, mas donos de um coração enorme. Por lealdade aos amigos, eles estão dispostos a se sacrificarem por uma cidade pela qual não sentem a menor afinidade. A única coisa que realmente me incomodou nesse livro foi o final. Depois de tudo, eu esperava uma batalha épica, mas não foi isso o que recebi. Foi tudo fácil demais, simples demais.

Mas eu nunca deixo de recomendar Nora Roberts! Para quem gosta da escrita dela, assim como eu, vai adorar essa série, especialmente esse último livro, porque sabe que Nora escreve romances e seus sobrenaturais têm apenas uma pitada de terror ou suspense. Imagino que essa série escrita por Stephen King iria deixar muita gente sem dormir por muito tempo. Mas como eu sou medrosa, prefiro esse tipo de terrorzinho água com açúcar e com muito romance!


site: http://www.quemlesabeporque.com/2018/02/a-pedra-paga-nora-roberts.html
comentários(0)comente



Camila (Book Obsession) 18/12/2017

E o tão aguardado desfecho para esses amigos finalmente chegou. Agora com Gage estando em evidência, Cal e Fox, assim como Quinn, Layla e Cybil, vão reunir suas forças para lutarem com esse grande mal que afeta suas vidas e transforma a cidade de Hawkins Hollow a cada período de sete anos.

Como nas histórias anteriores, já havíamos conhecido os amigos Fox e Cal, nessa vamos conhecer intimamente a vida de Gage, um rapaz que teve uma infância difícil com a perda precoce de sua mãe e com as atitudes abusivas e violentas de seu pai que se entregou ao vício e viva batendo em Gage para punir de alguma forma a frustração de ter perdido a sua esposa.
“- Eu acho que os fortes têm obrigação de proteger os fracos. É por isso que eles são fortes. E acho que um pai tem obrigação de proteger o filho. É por isso que é pai.”

O fato é que Gage foi crescendo até que deu um basta e a maior parte do seu tempo na fase adulta era fora daquela cidade que tanto lhe causa más lembranças. Agora como um exímio jogador, Gage passa sua vida em meio a jogatina, apostas e levanta um bom dinheiro.

Mas desde o último confronto com o demônio há sete anos atrás, esses amigos fizeram novas descobertas e conseguiram reforços com a ajuda de Cybil, Layla e Quinn, a entender e esperarem pelo próximo passo para agirem. Agora prestes a acontecer o próximo ciclo de sete anos será que eles estariam realmente prontos para acabarem com essa terrível maldição que assola as suas vidas?
“Ela lhe traria sorte. Se boa ou má, ainda não sabia. Mas uma mulher assim tinha uma forte influência e ele estava disposto a apostar que lhe seria benéfica.”

Na outra ponta dessa história, temos a oportunidade de conhecer um pouco mais de Cybil, que veio para a cidade com intuito de ajudar Quinn, uma amiga muito querida, mas o que ela não esperava é que no meio de todo redemoinho iria se apaixonar por Gage e ainda seria parte importante para as recém descobertas.

“Na Pedra Pagã, a chuva se transformou em fogo, e o fogo se transformou em luz. Seu clarão transformou a escuridão em fumaça. O demônio começou a revirar os olhos, não de fome ou de prazer, mas de choque, dor e fúria.”

Em meio aos diálogos desses amigos e a busca para solucionar essa grande questão, os acontecimentos gerados por Twisse, vão se tornando mais eficazes e com consequências bem arrasadoras. Sobretudo ao que diz respeito aos medos que cada um precisa travar em uma guerra particular.

Gage e Cybil, acabam se aproximando e além da afinidade que vai surgindo, o envolvimento pessoal que a cada vez cresce, ainda descobrem que juntos seus dons poderão ajuda-los a solucionar essa onda de terror.

E o final foi emocionante!

Nora fecha essa trilogia de forma brilhante. Sua escrita nos envolve e nos traz para esse mundo de fantasia, horror, drama e ainda somos agraciados com um romance cheio de suspense.
Gage e Cybil são personagens fortes, repleto de química e quando se descobrem fica impossível não torcer e se apaixonar por eles. A inteligência de Cybil é algo notável e suas descobertas enriqueceram a trama deixando-a envolvente. Assim como os amigos que por mais que o livro tenha como protagonistas Gage e Cybil, o sucesso dessa história se dá porque Cal, Fox, Layla e Quinn estão a todo momento compondo as cenas.

Para conhecer mais dessa história, você precisará ler os dois primeiros livros, para que possa entender todos os acontecimentos. A ordem de leitura é: IRMÃOS DE SANGUE, A MALDIÇÃO DE HOLLOW e A Pedra Pagã, todos resenhados aqui no blog e lançados pela Editora Arqueiro.

Uma história que vai além de enigmas, fantasia, suspense e romance. Onde a amizade segue seu curso e se fortalece a cada dia e o amor ao próximo se faz presente em todas as ocasiões. Principalmente se for a família que nosso coração escolhe!

site: http://www.bookobsessionblog.com/2017/12/resenha-pedra-paga-nora-roberts-editora.html
comentários(0)comente



Aimée 24/06/2019

A Pedra Paga – Nora Roberts
Sempre que ouvia falar de Nora Roberts vinha a mente romance água com açúcar, e justamente com esse pré-conceito me surpreendi com a sinopse dessa trilogia.

“— Nós nascemos dez anos atrás, na mesma noite, na mesma hora, no mesmo ano. Somos irmãos. Na Pedra Pagã juramos lealdade, verdade e fraternidade. Misturamos aqui nosso sangue.
Cal conteve a respiração e reuniu coragem para passar a faca em seu pulso primeiro.
— Ai.
— Misturamos nosso sangue.
Fox cerrou os dentes enquanto Cal lhe cortava o pulso.
— Misturamos nosso sangue.
Gage ficou impassível enquanto a faca passava por sua pele.
— Três em um e um em três.
Cal estendeu o braço. Fox e depois Gage esfregaram seus pulsos marcados no dele.
— Irmãos em espírito e mente. Irmãos de sangue para todo o sempre”.

Em Irmãos de Sangue, o primeiro volume da trilogia, conhecemos o trio de amigos Caleb, Fox e Gage. Nascidos no mesmo dia e ano os garotos decidem comemorar seu décimo aniversário acampando na de sua cidade Hawkins Hollow, ao lado da misteriosa Pedra Pagã. La, os meninos acabam fazendo um pacto de sangue e libertando algo maligno, como também adquirindo alguns poderes sobrenaturais.
Após esse evento acontecimentos macabros atormenta a cidade durante sete dias, no sétimo mês em um intervalo de sete anos.
Vinte e um anos depois a força maligna que assola a cidade está mais forte e os três amigos pretendem acabar de vez com a maldição de Hawkins Hollow.
Inesperadamente os amigos tem a ajuda de Quinn, Layla e Cybil, três mulheres que através de seus ancestrais possuem alguma conexão com a origem da maldição. Desta forma, os seis acabam unindo forças para desvendar os mistérios da Pedra Paga e derrotar as forças malignas.

“Mais uma vez as velas arderam. Mais uma vez a faca que unira três garotos como irmãos verteu sangue, e eles se deram as mãos feridas. Mas desta vez, pensou Cybil, não eram só três ou seis, mas havia o potencial de nove. Na Pedra Pagã, seis velas arderam, cada uma representando um deles e uma sétima simbolizando seu objetivo único. Dentro do círculo de fogo três velas brancas pequenas brilhavam representando as luzes que haviam criado”.

A Sina dos Ste foi uma ótima oportunidade de apresentação da autora, já que esses foram os primeiros livros da autora que li. Uma história com romance e leves toques de terror. Uma escrita fluida e envolvente, deixando o leitor a cada página mais ansioso para o desfecho. Entretanto, para mim a autora deixou a desejar nos desfechos de cada livro, eventos isolados que ocorreram no decorrer da história acabaram sendo mais interessantes do que as cenas finais de ação.
Um dos pontos que não sei ao certo se acabei gostando ou não, foi o fato que em cada livro temos um casal como protagonista. Por um lado, foi bom, pois assim o leitor conheceu uma pouco mais dos personagens, e por outro lado caímos na síndrome da Barbie, onde apenas o protagonista pode resolver os problemas.
Como sou uma pessoa que ama histórias sobrenaturais, achei essa trilogia bem leve e uma boa opção para quem não curte muito livros de terror ou que estão iniciando esse gênero.
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 24/12/2017

Nora é sempre Nora
E
chegamos a reta final dessa empreitada com o demônio!!! Depois de acompanhar a evolução dos dois outros casais chegamos enfim a Gage e Cybil, o casal que unidos premeditam o futuro.
"Você leva seu passado consigo pela jornada, arrastando-o como uma grossa e inquebrável corrente. Pode tentar ignorá-lo por um bom tempo, mas não consegue escapar."
Gage não é do tipo enamorado, e quando percebeu que seus irmãos estavam se apegando a Quinn e Layla e que no pacote estava sobrando a Cybil ele tentou fugir de todas as formas, sua alma de jogador sabia que era questão de tempo, mas ainda sim ele se esforçou.

Com o 7 de julho se aproximando, Twisse se torna cada vez mais forte e mais ousado, tomando formas e agora até conseguindo infligir dor no nosso sexteto, mas eles ainda não desistiram e cada dia estão mais unidos e mais dispostos a aniquilar esse demônio custe o que custar, é preciso correr contra o tempo, e por maior que seja a dedicação de pesquisa das meninas, elas ainda estão longe de descobrir para que serve a bendita pedra que agora está unida graças a mais um ritual de sangue.

Apesar do terror em que a cidade esta adentrando, os amigos continuam unidos, e os casais já formados estão cada vez mais conectados e mais dedicados a um futuro. Independente do porque de cada um estar ali, o importante é que agora todos são uma família, e juntos vão passar por mais um 7 de julho, e se tudo der certo, o último com Twisse.

"Lar nem sempre é um lugar. Às vezes o lar é uma pessoa."

Eu esperei muita ação desse volume, e não posso negar que o demônio fez bem o seu trabalho, bem mais assustador e com ataques bem mais surpreendentes Twisse chega nesse livro com força total se preparando para enfim libertar sua maldade.

O sexteto continua pesquisando e lutando bravamente para se manterem mais fortes e mais espertos, mas fica cada vez mais difícil escapar das ciladas do demônio, e se já não bastasse isso ainda existe o fato de que não se sabe para que serve a pedra e como ela deve ser utilizada. E o fantasma de Ann não esta ajudando muito, suas charadas estão cada vez mais complexas.

Gage é um jogador, trabalha com as probabilidades e acredita estar sempre no poder de escolher, mas no quesito amor ele vai descobrir que não há escolha, e que quanto mais ele tentar se afastar mais difícil vai ser ficar longe da Bela cigana.

Cybil é uma mulher inteligente e sensata, sabe o que quer e como quer, e apesar de se sentir atraída por Gage, não esta desesperada por um romance, ela só quer alvar seus mais novos amigos, mas claro, em meio ao caos, um pouco de distração sexual não faz mal a ninguém, e já que Gage esta disposto, porque não?

Mais uma vez Nora desenvolve um romance com maestria, Cybil e Gage são o casal mais complexo e ao mesmo tempo mais apaixonante e quente da trilogia, mas enquanto explode amor falta magia, esperava bem mais e sinto que no final resolveram tudo rápido demais... muitas pesquisas e pouca explicação.

Noventa por cento do livro é formado por especulações de como matar o demônio e o casal se ajeitando, os últimos dez uma guerra que ao meu ver passou muito rápido, para mim tinha que ter mais sangue, não me veja mal, mas eu queria ver até onde Twisse ia.

Resumindo o livro é bom, um romance muito gostoso com um pouco de magia e fantasia, mas não espere muito terror, apesar do demônio ser assustador em alguns momentos, na maioria ele está em sono profundo.

A capa da trilogia é bem bacana, com relação a diagramação não posso opinar já que recebi como cortesia o e-book, no mesmo localizei alguns erros de revisão, mas não sei se os mesmos estarão no físico.

Se você gosta de romances Nora Roberts é a pedida, coloque uma pitada de magia e a trilogia pode ser uma ótima pedida.



site: https://paraisodasideas.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Monie 17/05/2020

Perfeito
Não é o fim que eu queria, mas é o fim perfeito para os personagens!
comentários(0)comente



Debyh 04/10/2018

E chegamos ao final da trilogia da Sina do Sete da Nora! Para quem está por fora essa é uma história de romance com terror, e um pouco de ação. Como este é o desfecho poderá ter alguns spoilers das edições anteriores: Irmãos de Sangue e A Maldição de Hollow.
O sete finalmente chegou, e lógico Cal, Fox e Gage começam a ficar ansiosos, afinal já viveram muitos destes dias amaldiçoados. E agora para agravar tudo isso eles precisam proteger Quinn, Layla e Cybil, já que todos viraram praticamente uma família. Desde que encontraram elas, eles acham que agora realmente é o fim, precisam de uma vez por todas terminar com a maldição. No meio disso tudo Gage está cada vez mais atraído por Cybil, mesmo que os dois não gostem de jeito nenhum dessas coisas de destino e que queiram até o fim negar o que sentem um pelo outro está ali bem forte. Mas, o importante é sobreviver à maldição.

(resenha completa: http://euinsisto.com.br/a-pedra-paga-a-sina-do-sete-3-nora-roberts/ )

site: http://euinsisto.com.br/a-pedra-paga-a-sina-do-sete-3-nora-roberts/
comentários(0)comente



Kelly 12/08/2018

E chegamos a reta final dessa empreitada com o demônio!!! Depois de acompanhar a evolução dos dois outros casais chegamos enfim a Gage e Cybil, o casal que unidos premeditam o futuro.

"Você leva seu passado consigo pela jornada, arrastando-o como uma grossa e inquebrável corrente. Pode tentar ignorá-lo por um bom tempo, mas não consegue escapar."

Gage não é do tipo enamorado, e quando percebeu que seus irmãos estavam se apegando a Quinn e Layla e que no pacote estava sobrando a Cybil ele tentou fugir de todas as formas, sua alma de jogador sabia que era questão de tempo, mas ainda sim ele se esforçou.

Com o 7 de julho se aproximando, Twisse se torna cada vez mais forte e mais ousado, tomando formas e agora até conseguindo infligir dor no nosso sexteto, mas eles ainda não desistiram e cada dia estão mais unidos e mais dispostos a aniquilar esse demônio custe o que custar, é preciso correr contra o tempo, e por maior que seja a dedicação de pesquisa das meninas, elas ainda estão longe de descobrir para que serve a bendita pedra que agora está unida graças a mais um ritual de sangue.

Apesar do terror em que a cidade esta adentrando, os amigos continuam unidos, e os casais já formados estão cada vez mais conectados e mais dedicados a um futuro. Independente do porque de cada um estar ali, o importante é que agora todos são uma família, e juntos vão passar por mais um 7 de julho, e se tudo der certo, o último com Twisse.

"Lar nem sempre é um lugar. Às vezes o lar é uma pessoa."

Eu esperei muita ação desse volume, e não posso negar que o demônio fez bem o seu trabalho, bem mais assustador e com ataques bem mais surpreendentes Twisse chega nesse livro com força total se preparando para enfim libertar sua maldade.

O sexteto continua pesquisando e lutando bravamente para se manterem mais fortes e mais espertos, mas fica cada vez mais difícil escapar das ciladas do demônio, e se já não bastasse isso ainda existe o fato de que não se sabe para que serve a pedra e como ela deve ser utilizada. E o fantasma de Ann não esta ajudando muito, suas charadas estão cada vez mais complexas.

Gage é um jogador, trabalha com as probabilidades e acredita estar sempre no poder de escolher, mas no quesito amor ele vai descobrir que não há escolha, e que quanto mais ele tentar se afastar mais difícil vai ser ficar longe da Bela cigana.

Cybil é uma mulher inteligente e sensata, sabe o que quer e como quer, e apesar de se sentir atraída por Gage, não esta desesperada por um romance, ela só quer alvar seus mais novos amigos, mas claro, em meio ao caos, um pouco de distração sexual não faz mal a ninguém, e já que Gage esta disposto, porque não?

Mais uma vez Nora desenvolve um romance com maestria, Cybil e Gage são o casal mais complexo e ao mesmo tempo mais apaixonante e quente da trilogia, mas enquanto explode amor falta magia, esperava bem mais e sinto que no final resolveram tudo rápido demais... muitas pesquisas e pouca explicação.

Noventa por cento do livro é formado por especulações de como matar o demônio e o casal se ajeitando, os últimos dez uma guerra que ao meu ver passou muito rápido, para mim tinha que ter mais sangue, não me veja mal, mas eu queria ver até onde Twisse ia.

Resumindo o livro é bom, um romance muito gostoso com um pouco de magia e fantasia, mas não espere muito terror, apesar do demônio ser assustador em alguns momentos, na maioria ele está em sono profundo.

A capa da trilogia é bem bacana, com relação a diagramação não posso opinar já que recebi como cortesia o e-book, no mesmo localizei alguns erros de revisão, mas não sei se os mesmos estarão no físico.

Se você gosta de romances Nora Roberts é a pedida, coloque uma pitada de magia e a trilogia pode ser uma ótima pedida.

site: http://www.paraisodasideias.com
comentários(0)comente



C. Aguiar @coelhoobrancoo 09/01/2019

Nesse último livro da trilogia, temos a história de Gage e Cybil, e também acompanhamos de perto a evolução dos outros casais.
Gage não é tipo de homem que se apaixona! Quando ele percebeu que seus melhores amigos estavam ficando apaixonados, ele e Cyb fizeram um pequeno acordo, com certeza não seria algo estúpido como o destino que os uniria só porque eles tem o mesmo poder. Então um não deveria tentar seduzir o outro, mas talvez essa seja uma tarefa quase impossível.

Cyb é misteriosa e diferente de todas as mulheres com que Gage interagiu. Ela sabe um pouco de tudo que se possa imaginar e a medida que Gage vai descobrindo um pouco mais sobre o passado dela, ele percebe que era apenas questão de tempo para se ver completamente encantando pela mulher maravilhosa que ela é.

Nessa leitura iremos acompanhar o demônio lutando de todas as formas possíveis para derrotar Gage e seus amigos. Cada integrante do grupo tem seus piores medos e é isso que o demônio irá usar contra cada um.
Gage sofreu muito na infância nas mãos de um pai abusivo, até hoje seu pai tenta falar com ele, mas Gage se recusa de todas as formas a lhe dirigir a palavra. Então nada pior do que fazer com que Gage reviva seus piores dias.

Cybil e Gage tem o dom de ver como será o futuro; o ruim disso tudo é que talvez a interpretação que você esteja tendo sobre determinada visão não seja aquilo que você acredita que é. Por isso eles dois tem que ter bastante cuidado com suas interpretações. Sem contar que eles estão tentando mudar o futuro de todas as formas, porque até então ao que parece, o demônio sairá triunfante dessa luta.
Vamos acompanhando os demais casais ao longo da leitura, a medida que vemos o romance acontecendo entre Gage e Cyb. Temos ataques mais direcionados a eles dois nesse livro; vemos que a influência da criatura está cada vez mais forte a ponto dele manipular moradores e animais para atacar os integrantes do grupo.

Eu estava esperando muito dessa leitura e o demônio realmente atacou um pouco mais violento em alguns momentos, mas como nas leituras anteriores parece que algo está faltando na história.
Talvez misturar fantasia com romance não seja o ponto forte da autora, porque ela se perde em diversas situações.
O grupo passa tempo demais especulando sobre o que deve ou não fazer, analisando cada coisinha devido ao livro que Quinn está escrevendo sobre a cidade e em inúmeros momentos isso fica bastante chato.

A luta final não dura basicamente nada, tudo passa muito rápido! Talvez se eles passassem menos tempo contando tudo detalhado uns para os outros toda vez que se encontravam, teria dado um número menor de páginas e a autora poderia concentrar-se mais na mitologia que criou e aprimorado o final.
Se eu for comparar esse livro ao anterior, esse foi bem menos empolgante. Na verdade, em alguns momentos pensei em abandonar a leitura.

Não tenho nada para citar de negativo sobre a diagramação ou a capa, tudo segue o mesmo estilo dos anteriores e não encontrei erros enquanto lia.
Caso queira dar uma chance para a trilogia, sugiro que não vá com muita sede ao ponte. Apenas leia e aproveite.

site: http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br/
comentários(0)comente



Pretenses 24/03/2018

Este último livro te fará sentir, sofrer, chorar e se envolver até o final.
Uma trilogia para os apaixonados por livro de ficção com altas doses de suspense, aquela doce certa de terror, drama e uma pitada de romance. A primeira coisa que você precisa saber é que este livro é literalmente uma continuação dos anteriores, então se você não leu os dois primeiros livros ou uma resenha deles, poderá ficar sem entender esta resenha, então aconselho ler pelo menos as resenhas anteriores.

A Nora sempre buscou inovação em sua escrita e sempre foi fã declarada também de vários autores e nesta trilogia ela fez algo totalmente diferente dos seus livros de ficção/fantasia anteriores, nesta trilogia ela homenageou em sua escrita a suas inspirações literárias, sendo destaque neste último livro, a autora Daniele Steel, pra quem conhece sua maneira de escrever, consegue perceber porque a Nora pôs tanto drama/sofrimento no final, mas o final da história é totalmente no estilo Nora, pura emoção.

Uma coisa a Nora não mudou, ela sempre buscou em suas trilogias, para cada livro, dar algum destaque a um personagem principal por vez, principalmente ao seu romance, por mais que a historia se entrelace e fale dos outros personagens. No primeiro temos em destaque Caleb e Quinn, no segundo o Fox e Layla e agora neste último, teremos mais detalhes da vida do Gage e da Cybil.

“Eles haviam nascido no mesmo dia, no mesmo ano e, até onde se podia dizer, no mesmo momento. Gage não conseguia se lembrar de um tempo em que os três não tivessem sido... uma unidade, supôs. O garoto de classe média, o hippie e o filho do bêbado abusivo. Não tinham nada em comum, mas eram família, irmãos desde muito antes de terem feito aquele pacto estúpido”.
.
.
.
Quer saber mais? Leia no blog Pretenses!

site: http://www.blogpretenses.com.br/2017/12/resenha-pedra-paga_9.html
comentários(0)comente



Carla Cássia - @contra.capa 21/03/2018

Resenha: A Pedra Pagã
Pedra Pagã é o terceiro volume da trilogia A sina dos sete. Desde já devo dizer que o final foi um pouco decepcionante para mim, pois esperava grandes coisas. E tudo aconteceu um tanto rápido e fácil de mais para a luta contra um demônio milenar.

Sim sim, eu sei, esses livros da Nora são mais focados no romance. Mas há uma proposta de paranormal e desafio, são três livros para aquilo ter um desfecho, os outros dois cumpriram bem seu papel, mas o terceiro foi insatisfatório.

Não só o fim, como algumas escolhas e tomadas de decisões para a finalização da trilogia me incomodaram. Vejam bem, eu amei o casal Cyblil e Cal, eles são pé para frente, divertidos, cada um tem seu passado e lidam com isso a sua maneira. Esse último fato os fazem os personagens mais libertos, diferente dos outros dois casais que vimos nos livros anteriores. Então meu caros, quando você vê essa clara diferença de interação dos personagens, objetivos de vida, e ocorre que todos eles tem um acontecimento em comum é bem chato.

Como explicar isso sem dar spoliers, é como se você e suas amigas, que são diferentes uma das outras tivesse que vestir a mesma roupa, apenas porque são amigas e fazem parte de um grupo. Para alguns grupos de amigos isso é normal, todos são muito parecidos, porém para outros, isso não funcional, e isso claramente não funciona para esses seis. Eles são diferentes em sua essencial então PORQUE RAIOS dar a mesma roupa? Não consigo entender, e quanto lia aqueles acontecimentos o desanimo era forte.

Confesso que o que me levou realmente na leitura foram os personagens e a curiosidade para saber como tudo acaba. O livro não é ruim, mas não funcionou para mim. Eu adorei o começo dessa trilogia, realmente foi bem empolgante. Assim como tudo da Nora, a narrativa e fluida e você é levado pela história, mas na hora de avaliar e ver o que esta ocorrendo, algumas coisas deixam a desejar. Pelo menos nessa saga foi assim.
comentários(0)comente



Clarissa Coral 29/08/2020

Maravilhoso
O último livro da Trilogia é o mais perfeito de todos. Amei do começo ao fim, e me emocionei demais com o desenrolar da história, e principalmente com o amor de Cybil e Gage.
comentários(0)comente



48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4