O Príncipe Corvo

O Príncipe Corvo Elizabeth Hoyt




Resenhas - O Príncipe Corvo


61 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Laura 09/12/2017

Muito bom!

Que livro! A começar pela capa que a editora acertou na mosca, ou no caso nessa leitora aqui e por isso merece os meus parabéns. Depois que história boa gente! Além da autora escrever muito bem, tudo na medida certa, quantidade páginas, de descrições, linguagem, romance e drama, ainda temos os personagens principais que fogem ao padrão básico dos romance de época, para começar tem o mocinho que não é um galã propriamente dito, ele tem marcas de varíola (e gurias, fiz uma pesquisa no titio Google e fiquei chocada como as marcas dessa doença podem ser terríveis, ui!) um gênio horroroso e também deixa um pouco a desejar no quesito modos e elegância (risos!) Mas não tem como não se apaixonar por ele no decorrer do livros e torcer muito para que ele tenha seu felizes para sempre. A mocinha também foge do padrão, ela é viúva e te 34 anos, é uma batalhadora, boa ate dizer chega e corajosa para caramba, virei amiga dela no ato (risos!) Eu sei estou rindo demais (mais risos!!!) Mais não tem como não ficar feliz quando a gente pega uma bom livro.
comentários(0)comente



infinitivo 04/12/2017

Curta Resenha [Infinitivo]
Vemos aqui uma mulher independente e forte, ousada e amigável. Uma plebeia apaixonada por um Conde, um Conde sombrio que foge da pebleia. Mas, ela o alcança ao se desfarçar e entrar nesta aventura no minimo excitante. O melhor da série.
comentários(0)comente



Leth 22/11/2017

FAVORITOOO
O primeiro livro da trilogia dos Príncipes!
A Historia acontece no seculo XVIII
Viúva à seis anos Anna Wren, tenta sobreviver junto à sogra com as finanças deixadas pelo falecido marido.
Sendo uma dama viúva sem filhos ela se vê em apuros quando as finanças não vai nada bem, sendo assim ela procura um emprego e onde ela vai parar?
Na Abadia do Conde de Swartingham
Ela só não esperava que o conde tivesse um mau humor terrível, mas ela é diferente dos secretários anteriores e não se deixa intimidar.
Ela é um criatura pequena sem muitos atrativos, com personalidade forte, ela é inteligente e não se importa de falar sobre agricultura por exemplo, o que acaba chamando muito a atenção de Edward o conde, já que uma dama normalmente não tem interesse em vários assuntos que o conde vive no seu dia a dia.
Como ela não se intimida com o temperamento forte do Conde isso acaba atraindo ele mais ainda, e ela é claro que não deixa de se sentir também seduzida pelo conde de Swartingham.
Mas o conde não pode se envolver com a sua secretária, já que a consideram estéril e ele tem que dar continuidade a sua linhagem, sendo o ultimo herdeiro ele não pode se dar ao luxo de se apaixonar como um garotinho.
A Anna Wren por seu lado não quer se submeter a uma nova paixão depois e ter o coração destruído pelo seu marido pouco antes de sua morte.
A química entre Edward e Anna é muito forte, então a autora trouxe um jogo de sedução para a história, onde eles se entregam a paixão de seus corpos sem conseguirem pensar com clareza nenhuma.
No Inicio de cada capitulo a autora traz um trecho do livro Príncipe Corvo (livro que a Anna descobre na biblioteca do Conde) e lê no decorrer da trama, achei muito com pois acompanhou a historia do conde com sua secretária perfeitamente.

site: https://www.youtube.com/watch?v=q60LiUYXRoA&t=1s
comentários(0)comente



LOHS 18/11/2017

Leitura recomendada para todo fã de romance de época
Estava muito curiosa para conhecer os romances de época de Elizabeth Hoyt porque ela é sempre uma recomendação constante de Eloisa James, uma das escritoras do gênero que mais gosto. Aliás, na obra Quando a Bela Domou a Fera (publicado pela editora Arqueiro no Brasil), Eloisa cita um lugar muito importante da história de O Príncipe Corvo. Acho sempre muito interessante quando as autoras amigas fazem esses tipos de citações.

O Príncipe Corvo é o primeiro da Trilogia dos Príncipes, sendo que os três volumes já foram publicados no Brasil pela editora Record. O lado bom é que acabei de receber em casa o segundo título da série, O Príncipe Leopardo, e já estou esperando chegar o terceiro também. Então, prometo trazer resenha da trilogia completa assim que for possível! :D

O livro nos apresenta a jovem viúva Anna Wren que está passando por dificuldades. Desde a morte do marido, as finanças já não iam muito bem, mas agora estão em uma situação muito complicada. Como Anna é responsável pela sogra e por uma garota órfã que acolheu, ela toma a difícil decisão de fazer algo bem vergonhoso para sua posição: arrumar um emprego.

Quando ela descobre que o conde de Swartingham precisa de um novo secretário, ela não pensa duas vezes antes de se oferecer ao cargo para o administrador do nobre, que a aceita imediatamente e com muito alívio por resolver essa questão - afinal, o conde é um homem assustador.

Edward de Raaf, o conde de Swartingham, é mal-humorado e rude. Seu comportamento já fez com que dois secretários fugissem na calada da noite em pouco mais de algumas semanas. Ele voltou há pouco para a casa da família em Little Battleford, no interior da Inglaterra, onde pretende começar de novo com uma nova esposa e muitos filhos para garantir a continuação da família.

Quando criança, Edward perdeu toda a família (mãe, pai e irmãos) para a varíola. Ele foi o único sobrevivente, mas as cicatrizes da doença continuam marcando seu rosto. O primeiro casamento do conde não foi feliz, já que sua mulher não podia suportar suas cicatrizes na pele. Ela acabou morrendo durante o trabalho de parto do primeiro filho do casal, que também não sobreviveu.

Depois de tantas perdas, Edward quer encontrar uma dama que não repudie suas cicatrizes e que seja capaz de ter filhos. Ele quer, em resumo, uma família de verdade.
Mas, em vez de se focar no seu manuscrito e na busca por sua nova esposa, os pensamentos do conde estão sendo invadidos por imagens indecorosas de sua nova secretária, uma pequena viúva muito respeitável da comunidade que não tem medo algum dele e sabe exatamente como lidar com seu comportamento rude.

É assim que ele decide ir para Londres resolver assuntos importantes, incluindo uma visita a um famoso bordel da cidade para atender a “suas necessidades masculinas”.

Quando Anna descobre quais são os “importantes” assuntos que o conde trata na cidade, ela decide - pela primeira vez na vida - arriscar sua reputação e viver uma aventura. Afinal, ela também deseja satisfazer suas “necessidades femininas”. A questão é que ela quer que o conde seja o seu amante, mesmo que ele não saiba que ela é a sua amante misteriosa.

Essa relação complicada entre Anna e Edward terá muitos contratempos devido a todos os segredos que cada um guarda do outro. Mas, quando a verdade for revelada, será que Edward será capaz de arriscar um casamento com Anna, que não tem linhagem, tradição, dinheiro e talvez nem seja capaz de ter filhos? Será que Anna se permitirá ser feliz?
Mas, para responder essas perguntas, vocês deverão ler o livro! ;)

"Ela descobriu que estava chorando, e lágrimas pingavam por seu rosto e se misturavam com a umidade do corpo de Edward. Não fazia sentido, mas Anna não conseguia impedir as lágrimas. Não mais do que poderia impedir seu corpo de querer este homem ou seu coração de... amá-lo."
p. 265

O Príncipe Corvo tem muitas questões que o diferencia dos romances de época que estou acostumada. Primeiro porque o protagonista não é um galã de Hollywood, mas sim um homem bom e forte, que carrega na pele cicatrizes que muitas pessoas naquela época tinham repúdio. Ele é solitário e busca ter sua própria família feliz.

Outro ponto que me chamou a atenção na história, é o fato de que ambos os protagonistas são viúvos e já passaram por relacionamentos difíceis, sendo que cada um foi marcado negativamente de diversas formas pelos ex-marido e ex-mulher.

E o último ponto que gostei muito dessa história é a pegada mais hot, sem exageros e sem frescura. Normalmente, os romances de época atuais até acrescentam uma cena de sexo ao longo da história para demonstrar o crescimento da intimidade do casal. Mas é sempre algo bem leve.
Em O Príncipe Corvo, uma das principais questões da trama é que Anna decide que o conde será seu amante, mesmo que ele não saiba disso. Você tem toda a questão do empoderamento feminino - que naquela época era inexistente - e também algumas cenas de Anna mascarada seduzindo e sendo seduzida por Edward em Londres. São cenas quentes mesmo, já aviso. Mas são ótimas, na medida certa do que o enredo pede e combinam perfeitamente com a história.

De uma forma geral, eu gostei muito de todo o desenvolvimento da história. A autora vai criando um enredo cheio de problemas e todos eles vão se resolvendo de formas diferentes, mas que acabam evoluindo a trama. Ambos os personagens são muito bem escritos e a evolução deles próprios e da relação que vivem é muito legal de acompanhar.
Em resumo, é a história de duas pessoas com passados sofridos que ainda sonham em encontrar a felicidade, mas devem enfrentar todas as regras impostas pela sociedade antes de conseguirem de fato alcançarem tal ideal.

Recomendo muito para todos que gostam de romances de época e também para quem gostaria de conhecer uma narrativa diferente. ;)


site: http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/2017/11/o-principe-corvo-trilogia-dos-principes.html
comentários(0)comente



Natacha 18/11/2017

Leitura deliciosa, autora descreve o livro de modo fácil de ler, prendendo do início ao fim, contendo dois contos maravilhosos. Livro terminado em apenas 3 dias, ansiando com firmeza o segundo e terceiro livro da coleção. Recomendo !
comentários(0)comente



Lindaiá 16/11/2017

Maravilhoso
Bom, hoje vamos falar de um romance de época, um pouco fora do tradicional afinal, chega uma hora
na vida de uma dama que ela tem que fazer o inimaginável...
Anna Wren é uma linda jovem viúva, que vive num chalé simples com sua sogra. O fato da renda
herdada pelo marido não ser suficiente, ela resolveu procurar emprego, acabou indo trabalhar na casa de um conde temível, Eduard.


Super mal comportado e com um humor menos ainda vai aos poucos se familiarizando com Anna. Um dia ela descobre que dentre algumas viagens do conde, ele frequentava casas de mulheres e Anna fica incrivelmente furiosa com isso. Como pode ser aceito pela sociedade que os homens não permaneçam em castidade enquanto as mulheres sim? Isso não é justo, segundo ela.


Movida pelo instinto natural de solidariedade, ao ajudar certa dama em situação de perigo, acabou descobrindo que, em muitas casas de prostíbulos algumas damas de verdade colocam máscaras pagam a madame, para que envie o cavalheiro que elas querem para passarem a noite. Daí resolve fazer o mesmo, começa então a seguinte jornada:

.....Quer saber mais? Confira o meu blog.

site: www.vocenaopodedeixardeler.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Arautos de Lettera 16/11/2017

Quando só a palavra erotismo já cria tanto preconceito em nossa mente
A história de O Príncipe Corvo é envolvente do início ao fim. A sua escrita é fluída, e seus acontecimentos são narrados de uma maneira tão espontânea, que nos sentimentos como parte daquele universo. Um estereótipo que sempre construí com livros hots é que suas tramas seriam apelativas, e de certa forma, só sexo e mais sexo e nada de conteúdo. Contudo, a cada momento que eu lia e me aprofundava mais naquela história, eu percebia que estava completamente enganada, já que vários sentimentos participam de sua composição, desde um aspecto mais sedutor ao mais puro e verdadeiro amor. Houve sim momentos em que eu me senti fogosa – veeergonha de dizer isso – mas teve também momentos em que meu espírito romântico se sentiu nutrido, e revigorado. E obviamente, as reviravoltas e sentimentos entre os protagonistas faziam com que o livro tivesse sim conteúdo e uma essência doce.

Eu me surpreendi de várias maneiras positivas com o que encontrei. Esperava encontrar uma obra repleta de piegas e personagens acéfalos. E novamente, encontrei justamente o contrário. Anna é uma mulher batalhadora, corajosa e forte. Não é uma mocinha que precisa ser resgatada, ou uma tola inocente que se ilude com situações irreais. É uma mulher acima de seu tempo, que não concorda com a sociedade misógina em que vive, no qual homens podem sim ter um amante, enquanto as mulheres devem sempre ser santas e até mesmo desprezarem os prazeres carnais. Ela não aceitava nada disso, sabia do seu poder feminino, e sabia também do que queria. Ela é incrível.

Já Edward, apesar de seu jeito carrancudo, é na verdade um amante fiel e apaixonado, estando disposto a fazer qualquer coisa para garantir que seus felizes para sempre, e de sua amada, aconteça.
Os personagens construídos por Elizabeth são completos e apaixonantes. Ambos são marcados por más experiências de vida e temem o amor. Porém, acabam descobrindo o conforto um no outro, e curando juntos suas próprias inquietações. Awnssss, quer coisa mais fofinha?! NÃO ME JULGUEM ruuun’.

Eu adorei a experiência de ler um livro hot e adorei mais especificamente O Príncipe Corvo. Como fã de romances de época, e apaixonada por histórias de amor, amei descobrir uma obra tão completa de vários aspectos,e tão rica em sensações. E para você, que assim como eu, tem um certo preconceituzinho com o estilo, larga de bobagem e se arrisque, quem está perdendo é só você.

Resenha completa disponível em: https://arautosdelettera.blogspot.com.br/2017/11/resenha-o-principe-corvo-elizabeth-hoyt.html

site: https://arautosdelettera.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Vanessa 16/11/2017

Delicioso e envolvente
Anna Wren tem 31 anos é viúva há seis anos. Mora com sua sogra em uma cidade pequena do interior da Inglaterra e se vê em tempos difíceis precisando de um emprego para melhorar a complicada situação financeira que se encontram.
Edward de Raaf é o Conde de Swartingham, perdeu toda a família quando criança por uma epidemia de varíola, sendo o único sobrevivente. Ele tem o temperamento forte, e os que o rodeiam o temem por ser explosivo e intimidador. Está a procura de um novo secretario, já que os seus dois últimos foram embora na calada da noite.
Anna se esbarra sem querer no administrador do Conde que está a procura desse secretario e se candidata imediatamente a vaga o deixando sem muita opção.
Assim que os dois se conhecem, Edward é surpreendido pela inteligência e ousadia de Anna, ela por outro lado também se vê atraída e age com naturalidade na sua presença sem deixar ser intimidada por ele.
Eles passam muito tempo juntos trabalhando e a paixão entre eles só se faz aumentar, mas Anna sabe que não deve se envolver com um homem para não perder sua boa reputação e Edward por outro lado já esta noivo de outra mulher. Edward disposto a aliviar a seu desejo por Anna resolve ir a Londres finalizar os últimos detalhes do seu casamento e também visitar um luxuoso bordel para tirar de vez a viúva de sua cabeça.
Anna por sua vez descobre a ida dele a esse bordel e organiza sua ida para lá, a fim de matar seus desejos pelo menos uma vez, usando uma mascara para que ele nunca saiba que é ela a dama que ele encontrara naquela noite. E a partir daí fica mais interessante, porque Anna se contentara somente com uma noite? Edward não vai descobrir que é a desejada viúva atrás daquela mascara?
O príncipe Corvo é o primeiro livro da Trilogia dos Príncipes só digo>> Leiam Leiam Leiam e mais uma vez Leiam!
O livro é absurdamente sensual, mas sem ser vulgar sabe? Não foca somente nas partes eróticas, tem toda uma historia bem desenvolvida, com cenas criativas cheias de dose de humor, romance e ação.
E eles fogem do padrão de beleza que é normal nos romances de época, ela uma mulher comum e ele têm marcas por todo o corpo devido à varíola. Anna não é aquela mocinha passiva, ela demonstra força e personalidade em alguns momentos, saindo um pouco do papel de donzela.
A Cada novo capitulo acompanhamos a história do Príncipe Corvo, que é um livro que Anna está lendo durante o seu trabalho com o conde e assim vamos conhecendo enredo e achei que ficou super legal, pois, é como se o leitor tivesse duas historias para acompanhar e ambas são capazes de nos prender e atrair cada vez mais a atenção.

A leitura é deliciosa e nos faz comparar o papel da mulher naquela época com os dias de hoje, onde tantos assuntos ainda são tabus, tantas coisas proibidas para “mulheres direitas” e fica a pergunta se era problema daquela época ou ainda é um problema nos dias de hoje?
E essa capa não pode passar despercebida não é? É maravilhosaaa, amei a leitura, super leve e envolvente, só achei o final um pouco rápido, mas nada que tire a beleza da obra.
Super recomendo!


site: https://www.instagram.com/entrelivros_e_filho/?hl=pt-br https://www.facebook.com/Entrelivros_e_filho-1710703565630784/
comentários(0)comente



Tudinha's 08/11/2017

Amei!
Simplesmente encantada pela escritea da autora Elizabeth Hoyt!
Amei O Principe Corvo do início ao fim. Ando viciado há meses em livros de época e históricos, e iniciei esse sem nem ao menos ler a sinopse. Mas foi uma grata surpresa.
Já ansiosa prá ler O Príncipe Leopardo, segundo livro.
Meu Deus, como faz prá deixar de ler livros de época?...rsrs
Para os amantes de livros de época, não deixem de ler a história fascinante do Conde de Swartingham e da viúva Anna Wren.
Vcs vão amar!
comentários(0)comente



Brunna 06/11/2017

Romance de época bonitinho <3
Sinopse: o livro é sobre o romance entre Anna e o Conde Edward. Anna é uma um jovem viúva que vive com a sua sogra em uma casa deixada pelo marido, enquanto que Edward é o Conde de Swartingham - um homem solitário que teve sua vida devastada após sua família inteira falecer durante um surto de varíola. Seus destinos se cruzam, definitivamente, quando Anna decide romper com as regras da sociedade da época arranjando um emprego, sendo nada mais nada menos que a secretária de Edward. A partir dai, os dois desenvolvem um sentimento tão forte que jamais imaginariam sentir um pelo o outro.

Esse livro foi o primeiro romance de época que eu li. Confesso que eu não fui com muita expectativa por achar que se tratava mais de um romance erótico, mas o livro trás também críticas às regras sociais da época (que aliás, podem ser aplicadas também à nossa sociedade atual). Questões como o papel da mulher em uma sociedade; o casamento como uma aliança de negócios ou como uma forma de obter um herdeiro; e a forma livre como o homem explora a sua sexualidade, ao passo que a mulher deve ser uma "dama" e "recatada", sem dar importância aos seus desejos são abordadas pela autora.
Eu gostei bastante do livro. O romance entre os dois vai se desenvolvendo gradualmente. Há situações e diálogos engraçados, contando, é claro, com alguns clichês. As cenas eróticas são bem detalhadas (devo alertar que se você não curtir textos eróticos muito explícitos, talvez se sinta incomodado(a) com essas partes). E por fim, posso dizer que a leitura é bem rápida e leve (Eu terminei em 2 dias rs).
comentários(0)comente



Rafa 05/11/2017

Envolvente
Anna Wren é uma viúva que, por motivos financeiros, arruma um emprego como secretária na grande propriedade do Conde de Swartingham, ou apenas Edward mesmo.

Desde o início vemos uma protagonista bem insatisfeita com seu papel na sociedade. Sempre fez tudo que lhe era esperado, nunca discutia com cavalheiros, não tivera amantes e, mesmo estando viúva há 6 anos, não arrumou nenhum outro homem. Mas depois que passou a trabalhar para Edward se sentia estranhamente diferente.
Ele, por outro lado, sempre pôde satisfazer seus desejos em determinados lugares, e estava contente com sua posição. Porém Anna despertava uma inevitável sensação nele, e aquilo já estava o incomodando.

O Conde decidiu que um dos bordéis mais bem frequentados de Londres seria sua solução. E quando Anna descobriu, por acaso, ficou extremamente irritada. Então, em um ato preciptado resolveu que ela não ficaria para trás.

Confesso que depois de ler uma resenha negativa eu fiquei com bastante receio de começar a leitura. O que foi bom pois superou todas as minhas espectativas. O livro é ótimo! Talvez para as pessoas um pouco mais sensíveis, muito acostumados com a escrita censurada da Júlia Quinn, achem o linguajar mais explícito. Para mim não foi um problema, pois mesmo assim ele permaneceu fiel aos romances de época e bem distante de um tal gênero que envolve homens muito ricos, mulheres muitos ingênuas e acordos muito estranhos.

A escrita é maravilhosa do tipo que, mesmo lendo por horas, sua cabeça não dói nem um tiquinho. Eu recomendo muito pra quem gosta de romance de época. E com certeza vou reler esse livro o mais rápido possível.

site: https://www.instagram.com/minhaestantedecasa/
comentários(0)comente



Mads 02/11/2017

Primeiro Romance de época!!!
Acredito que escolhi o melhor para iniciar minha leitura por esse gênero que tem me chamado tanto a atenção...
O que dizer sobre essa história, apaixonada fiquei a cada página pelo Edward e Anna.
Anna se mostrou uma personagem muito forte e muito iniciativa em fazer aquilo que achava certo, o que inspira muito se for olhar como a sociedade tratava as mulheres naquela época.
O conto do príncipe corvo é uma bela fábula, mesmo sendo recontada dessa maneira, mostrou-se muito original.
Definitivamente pretendo ler mais romances de época..
comentários(0)comente



Fernanda.Granzotto 01/11/2017

4,5 estrelas
Tão bom!
Apenas leia,você não vai se arrepender.
comentários(0)comente



Giiovannaayres 01/11/2017

Minha primeira experiência com romance de época.
Nunca fui fã do gênero, já tentei ler vários livros e nunca consegui, mas depois de ver muitas resenhas positivas sobre esse livro minha curiosidade ficou gigante! Confesso que eu amo a capa desse livro, o que me incentivou a ler também.
Bom, nesse livro nós conhecemos Anna Wren uma viúva que vai precisar trabalhar pra ajudar a sustentar a sogra, as economias que seu falecido marido deixaram estão no fim e ela não tem mais como se sustentar, mas ela não consegue emprego em lugar nenhum, até descobrir que um conde muito grosseiro está precisando de um secretário, porque ninguém consegue ficar mais do que uma semana trabalhando com ele. Os dois começam desde o começo um relacionamento estranho, a Anna sempre tem uma resposta na ponta da língua e isso deixa o Edward muito intrigado.
Gostei do livro, o romance me cativou, adorei ver como a Anna era pra frente do tempo dela e não ligava pra o que iriam pensar dela, sempre querendo ajudar as pessoas independente da sua condição na sociedade que era extremamente preconceituosa na época. Mas não foi um livro 5 estrelas, porque achei que a autora correu um pouco no final, e eu também fiquei muito curiosa pra saber o que tinha na carta da Felicity que ela passou o livro todo preocupada com isso. Mas foram pequenos detalhes, o que não atrapalhou eu nada a obra! Com certeza vou continuar a série, e começar a dar uma chance pra outros livros do gênero.
comentários(0)comente



Sara Sayuri 29/10/2017

Bom, mas esperava mais!
O livro conta a historia da viúva Anna Wren e de Edward de Raaf, conde Swartingham. Ele precisava urgentemente de um secretario, e ela de dinheiro para sustentar sua família. Com um arranjo perfeito, ela se tornará sua mais competente secretaria e em troca conseguiu um ótimo salario. O que poderia dar de errado? A menos que uma noite disfarçada de cortesã, Anna se entregasse a Edward, e despertasse sentimentos que estavam adormecidos.
O Conde tem o corpo com marcado pela doença de varíola, que levou toda sua família, o considerando um homem feio, e Anna Wren uma viúva sem graça e sem atrativos, juntos descobrem que o amor e a beleza é muito mais do que sua aparecia externa, com um toque bem hot.
Um tema que achei bem diferente e interessante abordado pelo livro foi: Por que o homem pode se satisfazer sexualmente sem manchar o seu nome, mas a mulher tem que ser recatada e somente se satisfazer com o seu marido? Essa é uma questão que percorre até os dias de hoje.
Mas no contexto geral, eu esperava muito mais da historia. A narrativa não cativou, se tornando meio maçante e previsível. Eu senti muita falta da conclusão de alguns personagens (muitos). Muita expectativa, para no fim, me decepcionar.
comentários(0)comente



61 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5