O Príncipe Corvo

O Príncipe Corvo Elizabeth Hoyt




Resenhas - O Príncipe Corvo


42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Lisandra.Vieira 17/07/2017

O Príncipe e sua Afrodite.
O Príncipe e sua Afrodite.

Amores, que livro é esse?! Meu Deus!!!

Adorei tudo! Que escrita gostosa!!!
Super bem elaborada essa trama. Foi tudo muito bem armado e amarrado.
Anna Wren é uma viúva humilde. Ela vive com a sogra em uma pequena casa, em uma cidade pequena no interior da Inglaterra.
Ela percebe que a renda delas já não é suficiente e então vai à procura de emprego, e depois de muitas negativas ela literalmente esbarra no administrador do Conde de Swartingham que estava à procura de um novo secretário para o seu senhor.
Anna se candidata a vaga e não dá muita escolha ao homem! Então aí se estreitam o seu caminho com o de Edward de Raaf, o conde do condado, rescém instalado na casa ancestral após 20 anos afastado.
É imediata a atração que assola esses dois.
Edward é uma figura um tanto intimidadora. Todas as pessoas do seu convívio o temem por causa do seu temperamento explosivo e língua afiada... Mas Anna não demonstra qualquer sentimento de inferioridade perante ele. Ela o encara de frente e nunca demonstra se intimidar.
Ele gosta muito dessa atitude. Ela é um sopro de alegria, um feixe de luz na sua vida há tempos obscurecida por lamentos passados.
Edward acaba se mostrando muito terno e uma companhia mais que agradável. Anna começa a ficar atormentada com a presença constante do convívio deles... Ela percebe que a atração é correspondida, porém ele não se atreve a passar a linha da honra e do decoro. Ele a considera uma mulher de princípios, e jamais tentaria nada contra uma indefesa e virtuosa viúva, por mais louco que seu corpo se comportasse perante a presença dela!
Daí começa a parte interessante...
Anna questiona porque os homens podem escolher seus pares e desfrutar dos prazeres de um encontro, e uma mulher é julgada se o fizer?
Edward parte para Londres em busca de alívio numa casa exclusiva e Anna consegue por intermédio de alguns contatos ir até este local e esperar por ele num quarto particular, para poder satisfazer seus desejos e por não querer ver ele nos braços de ninguém mais...
Gente! É fantástica essa parte do livro!
Adorei principalmente a forma com que foi descrita... Super sensual e nem um pouco vulgar.
E depois o livro corre para como ele descobrirá a identidade dessa mulher mascarada... Como ele ficará com a Anna... É muito bom ver como a autora nos deixa sempre com uma nova questão em mente. Ela não para de nos presentear com novos empaces!
Adorei o humor que envolve o livro... Amei o cachorro do conde... Amei tudo. É sensacional! De verdade!!!

Curiosa pra ler os livros 2 e 3!

Ahhh! O epílogo é uma delícia também!
Nick 18/07/2017minha estante
Tira uma duvida por favor. É muito new adult? É que eu nao gosto de cenas muito hots.


Isa 18/07/2017minha estante
Nossa eu já estava doida para ler, depois o que vc escreveu, vou comprar hoje haahhahah, obrigada.


Susu 19/07/2017minha estante
Não resisti e comprei! Vc sempre me faz aumentar minha estante de desejados e tenho kkkkkk


Lisandra.Vieira 20/07/2017minha estante
Haha! Vc vai simplesmente AMAR! É muito bom... ?


Isa 21/07/2017minha estante
Já comprei o meu :D


Lisandra.Vieira 21/07/2017minha estante
?????


Isa 22/07/2017minha estante
Gosteiiiiii, li em um dia ahahahahaahahahahaha.


Lisandra.Vieira 23/07/2017minha estante
Ei tbm não conseguia largar o meu!!!


Kyoko 17/08/2017minha estante
Eu li, amei


Lisandra.Vieira 17/08/2017minha estante
É ótimo né Kioko?! Nossa! Cada cena mais q perfeita!!!!


Lisandra.Vieira 17/08/2017minha estante
Kyoko*
Desculpa, escrevi errado. Bj.


Kyoko 18/08/2017minha estante
Sim, maravilhoso.


Bia M 22/08/2017minha estante
Moça mas que habilidade na escrita, depois dessa eu quero ler esse livro AGORA!




Desi Lyra 24/07/2017

SEGURA ESSE TIRO
Só pra adiantar que esse É UM DOS LIVROS MAIS SENSUAIS QUE JÁ LI NA VIDA.


Um dos melhores livros de época, na verdade não só de época, que já li. Sei que provavelmente parece que eu digo isso de todos, mas esse é diferente!

A ELIZABETH HOYT É, OFICILAMENTE, MINHA AUTORA PREFERIDA DE ROMANCES DE ÉPOCA!
Guardem essa informação pra posteridade pessoal!

Nós amamos tia Julia, tia Lisa, Tia MAya, eu amo muto, o encanto que os livros delas possuem, alguns a delicadeza, outros são cativantes, MAS AS TRAMAS QUE A ELIZABETH CRIA TIRAM SEU TAPETE E TE FAZEM CAIR COM A BUNDA NO CHÃO!


As tramas que ela cria são incríveis e surpreendentes! Virei fã.


QUANDO AO EDWARD LINDO MARAVILHOSO TESUDO PERFEITO, gente, que personageeeeeeeem, um brutamontes que só precisa de amor, QUEM RESISTE A ALGO ASSIM BRASEL????? Fora que ele é engraçado demais!

E a Anna, a Anna é maravilhosa! Nada de mocinhas tímidas, virginais, imaturas, ah não my people, A Anna sabe o que quer
E
ELA
PEGA
E PEGA TUDO
E PEGA COM GOSTO

MAI GODI


O livro é ABSURDAMENTE SENSUAL AND

SEM SER VULGAR
O que é uma grande proeza, num mundo com infinitos autores e autoras que acham que conseguem escrever algo sexy, sensual e no final fazem tudo cagado!


O livro tem história, que é maravilhosamente bem desenvolvida, é engraçado, SENSUAL (SOU OBRIGADA A REPETIR PQ CES NÃO TEM NOÇÃO), a escrita é muito delícia, você lê e não quer parar! Li de uma sentada só,

Ps. Não posso deixar de mencionar ESSA CAPA PIKA MASTER BLASTER DAS GALÁXIAS!

Ps. Vocês notaram quantas exclamações usei nesse texto?
LEIAM!
LEIAM!
LEIAM!
LEIAM!
Michele 25/07/2017minha estante
Ai Jesus, agora quero ler esse rs


LAI 04/08/2017minha estante
Tô doida pra comprar, mas tô esperando serem lançados o segundo volume e outro que também me interessei.


Bianca Arantes 19/08/2017minha estante
Essa foi a melhor resenha que já li na minha vida. Você simplesmente arrasou. Fiquei super curiosa para ler.




Camila.Pires 16/07/2017

meus metos de classificação são baseados nas seguintes formas:
1) gente...gente...gente, genteeeee
2) leria de novo, com certeza.
3) legalzinho/não cheira e nem fede, não leria de novo.
4) não, pela amor de deus, não!


E esse livro seria um belo 2! Eu tava meio curiosa pra ler, devida a propaganda que estava sendo feita e também pela capa maravilhosa, até ai ok.
Mas sabe quando o livro não tem nada demais, mas ele tem aquele encanto que por algum motivo você gosta? e se pega querendo ler de novo? então, foi assim comigo. Porque a história em si, são de dois viúvos que se sentem atraídos um pelo outro e querem se pegar, mas rola aquele lance idiota de "a sociedade não permite"; mas o que mais me encantou foi a Anna pq ela é uma mulher que não se permite viver em uma sociedade que a julgue, ela vive da maneira que ela acha certo e que se lasque o resto, foi ela que deu aquela pitada de crítica no livro; pq um homem pode fazer bem o que quer e uma mulher não?


É aquele romance de época com uma pitada de feminismo
Michelli Prado 19/07/2017minha estante
Ótima resenha sobre o livro,como disse esta sendo bem falado ( e isso deixa a gente mega curiosa)...Esta no topo dos livros desejados!! Beijooo?


Lu Portasio 26/07/2017minha estante
undefined


Camila.Pires 26/07/2017minha estante
?


Lu Portasio 26/07/2017minha estante
Nao estou conseguido sair dos primeiros capítulos... espero começar a gostar logo




Milena.Caduda 18/07/2017

Livro mais fofo do ano ?
Amei o livro, a historia é super envolvente, o amor dos protagonistas não é algo que surge do nada, é construído de uma maneira muito engraçado e maravilhosa, o final é incrível, sem contar a pequeno conto que vai sendo contado em cada capítulo ??????
comentários(0)comente



Desi Gusson 14/08/2017

Não é o Seu Romance de Todo Dia
Querido leitor, antes de qualquer coisa você deve saber que li esse livro em uma noite só, e que agora me encontro incapaz de agir normalmente, provavelmente porque tenho corações no lugar dos olhos e uma overdose de romantismo. Vou tentar explicar de forma coerente a razão para esse ser meu mais novo romance “água com açúcar”, mas a chance maior é de falhar miseravelmente.

Vamos lá:

Acho que a primeira coisa que podemos dizer sobre O Príncipe Corvo é que a protagonista não é uma virgem indefesa. Não sou nenhuma especialista em romances de banca (só tenho fases em que leio 10 de uma vez), mas todos, TODOS que li até agora tinham como heroínas garotas espirituosas porém inocentes, que precisavam ser guiadas a cada passo.

Outra coisa, tanto Anna quanto Edward já passaram dos 30 e nenhum dos dois é cover de modelos de passarela. São sensuais a sua maneira, mas quantos mocinhos você conhece nesses livros que não são perfeitamente lindos de morrer??? Eu te desafio, leitor!

Ambos tem problemas palpáveis e passados sombrios, mas não ficam de mimimi e, logo de cara, enxergam qualidades um no outro que passaram despercebidas pelo resto do mundo. Principalmente pelo falecido marido idiota de Anna. Sim, é possível odiar um personagem postumamente.

E por último, mas não menos importante, eu achei G-E-N-I-A-L a parte que a Anna resolve ir atrás de “aliviar suas necessidades”. Pois é, pois é, o livro se passa em pleno séc. XVIII e nossa heroína vai para um bordel famosíssimo escolher um cara pra… se conhecerem melhor. Tipo, muito melhor. Eu sou dessas que simplesmente abomina a ideia de prostituição, principalmente a coisa terrível e exploratória mostrada por algumas personagens do livro, mas a ideia de uma mulher se permitir ter esse tipo de desejo e ainda por cima agir para satisfazê-lo é incrível num livro de época. Quem aqui não tinha lido várias e várias vezes que ‘libertinagem’ era coisa de menino? E quantos heróis não tinham um verdadeiro cartão de fidelidade nas casas de prazer antes de conhecerem suas musas? Anna ganhou seu lugar em meio as minhas personagens favoritas e vou defende-la.

Mas não só de ‘aliviar necessidades’ se faz esse livro. Temos romance romântico, daquele de dar inveja. Temos uma vilã que chega a dar pena, de tão egocêntrica que é. Temos o núcleo familiar de Anna, com sua sogra e a jovem que acolheram, que é simplesmente inspirador demais para passar batido. E temos, principalmente Anna e Edward que são pessoas incríveis, de um jeito pouco convencional, mas que me levaram a me apaixonar perdidamente pela história e pela escrita da autora. Ah, mencionei que no começo de cada capítulo tem trechos de uma outra história? Anna encontra um livro, o que dá o nome para a nossa história, e começa um lindo jogo com o conde…

Os detalhes são mágicos e os personagens bem reais. Pra mim, além de amor, essa é uma história sobre preconceito e a habilidade de ver através da casca. O Príncipe Corvo elevou meus padrões para a “literatura de banca” e com certeza me deixou querendo mais. #sóvem O Príncipe Leopardo!

Para essa e outra resenhas cheias de maluquices, acesse o blog!

site: www.desigusson.wordpress.com
Lila 14/08/2017minha estante
Eu li por aqui, mas vou dar um pulo no blog porque ADORO os gifs que acompanham as resenhas.


Desi Gusson 14/08/2017minha estante
Oooownnnt Obrigada!! *gif de corações* rsrs




amanda.turkoco.9 07/10/2017

Achei o livro bom, enredo leve e gostosinho. Não dei 5 estrelas por achar o final meio corrido e as tramas secundárias um pouco mal desenvolvidas. Edward é uma graça, de longe a melhor coisa do livro, um ogro com um coração de banana que só precisava de amor ! Gostei da participação dos protagonistas dos dois outros livros e espero rever Edward neles. Vale a leitura e vou guardar com carinho este ebook que li no meu kindle.
comentários(0)comente



Lídia Maria 13/08/2017

Resenha O Príncipe Corvo | Por Lídia Maria
Eu jurei que não ia fazer uma resenha desse livro, porque esse livro é muito especial e não queria estragar a história. Mas, como eu não me contenho, tenho que demostrar o que achei dessa história perfeita. Desde que houve o lançamento desse livro, eu fiquei namorando-o na Amazon.

Como toda a leitura, eu gosto de refletir sobre o que o autor quer mostrar para nós leitores. Marquei várias partes do livro que achei muito interessantes sobre a inclusão da mulher no mercado de trabalho e como nós mulheres somos vistas na sociedade.

Anna Wren é uma viúva e tem a aparência considera normal na sociedade, reside em um pequeno chalé com sua sogra, mais conhecida como Mãe Wren e a criada Fanny. Seis anos após a morte de Peter, seu marido, Anna e Mãe Wren estão tentado sobreviver com a venda de vestidos, mas o negócio não está indo nada bem. Anna está a procura de um emprego, pois a horta nos fundos no chalé não está produzindo o necessário para uma alimentação adequada. Ana decidiu que precisava arrumar um emprego.

Hoppe é o administrador da Abadia Ravenhill. Tem uma grande missão de encontrar um secretário para o Conde em apenas dois dias, pois, devido ao temperamento forte do Conde os seus secretários sempre fogem na calada da noite. Mas quem poderia conviver com o Edward de Raff? Edward é o único herdeiro vivo da família. Ele é um homem alto, e seu rosto é marcado por uma doença que é considerada repulsiva na sociedade. Desde o início da doença ele aprendeu a conviver com a sua diferença. Edward não é somente um Lorde que fica atrás das mesas enviando ordem aos seus empregados, ele gosta de cavalgar na companhia de seu cão e cuidar dos problemas recorrentes de suas terras.

Anna encontrou ocasionalmente o administrador Hoppe e descobriu que o Lorde está contratando um secretário. Logo, não perdeu tempo e se candidatou ao cargo, que foi uma surpresa para Hoppe, pois nenhuma mulher havia trabalhado em tal cargo na sociedade. O tempo de Hoppe para encontrar um novo secretário estava acabando, então aceitou a Sra. Wren com a nova secretária do Lorde Swartingham. Anna está ansiosa para conhecer o Lorde Swartingham. Ninguém nunca o via em qualquer evento na comunidade, mas já estava trabalhando à alguns dias na Abadia e nenhum sinal do Lorde Swartingham. Anna se perguntava onde o Lorde passava o seu tempo. O trabalho de Anna era simples e ela fica a maior parte do tempo na biblioteca. Ela encontrou um livro chamado “O Príncipe Corvo” que chamou sua atenção. Ela estava em sua mesa na biblioteca e ouviu passos. O Lorde a encarava. Anna se apresentou e informou que seria a sua nova secretária. Em um primeiro momento Edward não entendeu o porquê de uma mulher estar em sua biblioteca, mas após o esclarecimento de Hoppe, ele se apresentou a mulher da boca mais bonita que ele já vira. Com o passar dos dias Anna aprendeu a lidar com o temperamento forte de Edward, e sempre o acompanhava quando era solicitada a presença do Lorde na fazenda. Ela queria estar perto dele e Edward pensava em Anna da mesma forma. Seu corpo reagia na presença dela e precisava tirá-la da cabeça. Ana descobriu que Lorde Swartingham está indo para Londres saciar seus desejos em um bordel chamado “Grotto”, aonde algumas damas da sociedade vão com os rostos cobertos por máscaras para fingir ser uma prostituta e passar a noite com o homem desejado sem ser julgada. Através de um favor, Anna conseguiu se inserir dentro do Grotto desejando encontrar o Lorde Swartingham e saciar seu desejo por ele. Duas noites de prazer fez com que Anna tivesse a certeza que o Edward é o homem perfeito. Edward sem saber que Anna era a “prostituta” que se relacionava, queria a terceira noite de prazer, mas a mulher não apareceu. Ficou se perguntando o motivo da mulher não aparecer. Foi a sua doença que espantou a mulher? E, ao invés de saciar seu desejo por Anna, agora pensava também na “prostituta”.
Após voltar para Abadia, Anna nunca se imaginou nessa situação, pois sua vida simples e sem graça estava longe de voltar ao que era depois dessa experiência. Não podia contar ao Lorde que ela esteve no “Grotto”. E se o conde descobrisse a verdade? Ela perderia seu emprego? A sociedade iria descriminá-la? Mas não é só a Anna que está enrolada, pois, Raff estava planejando um futuro bem diferente, e precisava tirar Anna da sua cabeça. Mas quando um amor aparece tudo é possível.

Uma passagem do livro que mais me chamou atenção foi quando a Anna estava conversando com sua amiga Rebecca:

“Ora, um homem pode visitar uma cortesã regularmente, todos os dias da semana até, e ainda ser perfeitamente respeitável. Mas a pobre garota que se envolver no mesmo ato é considerada suja.”

No início de cada capítulo há algumas passagens da história do “O príncipe Corvo”. O livro não aparecia para Anna por acaso. As duas histórias são lindas e me fizeram acreditar no verdadeiro amor. Me surpreendi a cada gesto de Raff. No início todos falam que ele é rude, nervoso, mas ao logo da história eu me esqueci de tudo isso. Ele é um amor de pessoa. Desde o início Anna já ganhou um lugar nos meus protagonistas prediletos. Ela é frágil, batalhadora e possui uma personalidade forte quando as coisas estão feias. Eu amei a forma que a autora conduziu a história. Um Romance que supera as aparências e o preconceito. É maduro e divertido. Estava cansada de ler romances que os casais brigam por coisas bobas e vão embora... Achei bem maduro o enredo de Elizabeth. Já quero ler "O Príncipe Leopardo".



Jackelynne.Paiva 14/08/2017minha estante
Amo esse livro!!!




LadyRoob 07/09/2017

Amei 💕
Sem dúvidas, o melhor livro de 2017!
Eu ja tinha lido um romance da Elizabeth Hoyt, um que nem sequer tinha sido publicado no Brasil e confesso que gostei! Mas esse? Esse eu amei! Livro maravilhoso, história maravilhosa! Estou completamente apaixonada por Edward, Conde de Swartingham!
Anna Wren é uma viuva que sempre se comportou como o decoro manda, em matrimônio e na viuvez. Mas agora, com a familia passando dificuldades financeiras, ela consegue um emprego não muito bem visto pela sociedade, ela se torna secretaria do Conde de Swartingham, um homem solteiro!
Poucos no condado conheciam o conde pessoalmente, ele não era lá muito sociável! Com demônios causados pela perda da família para a varíola há anos, Edward chega até assustar alguns.
Mas não a Sra. Wren, desde o momento que a doce viuva conhece o conde ela nao baixa a cabeça para ele, pelo contrário ela é até um tanto petulante para com o patrão. E é isso que tanto agrada o Conde, isso e a boca tentadora da Sra. Wren, uma boca que o deixa louco de desejo pela sua secretária.
Mas parece que não é só ele que está tendo pensamentos nada puros nessa relação, Anna também sente desejo pelo patrão, mesmo sabendo que nunca despertaria seu desejo. Enganada está ela, que nem imagina que Edward está tão louco por ela, que é capaz de tudo.
Como eu falei no início, eu amei! Elizabeth Hoyt simplesmente me levou aquele castelo, me fez acompanhar cada briga, cada beijo e me deixou completamente apaixonada por Edward.
A autora conseguiu envolver doses de erotismo em uma tenra e linda historia de amor, deixando a imaginação do leitor correr solta, Elizabeth nos presenteia com esse livro delicioso.
O Príncipe Corvo conquista e encanta e ainda por cima, nos deixa completamente loucos para ler os outros livros da trilogia. Um livro pra se ler, se reler, comentar, indicar e nunca esquecer!


site: https://www.instagram.com/p/BYwoFI4hnda/?taken-by=leitoresestranhezas
comentários(0)comente



@mamaetalendo 04/10/2017

#OPrincipeCorvo é o primeiro livro da trilogia dos príncipes de @elizabethhoytauthor, série de romance de época. Primeiro - o que é esta capa? Maravilhosa! Segundo- estou numa "vibe" romances de época... Os personagens Anna e Edward são divertidos, irônicos, apaixonados e apaixonantes! A leitura flui! Achei o máximo que no início de cada capítulo tem a história do príncipe corvo! Então são duas histórias em um mesmo livro! O livro é sensual, há passagens eróticas explícitas, porém há sensualidade e romantismo na maneira como as cenas são descritas, assim não torna cansativo e sim um romance atrativo. #indico #recomendo ?#sinopse "Anna Wren está tendo um dia difícil. Depois de quase ser atropelada por um cavaleiro arrogante, ela volta para casa e descobre que as finanças da família, que não iam bem desde a morte do marido, estão em situação difícil.
O conde de Swartingham não sabe o que fazer depois que dois secretários vão embora na calada da noite. Edward de Raaf precisa de alguém que consiga lidar com seu mau humor e comportamento rude.
E encontrar um emprego.
Quando Anna começa a trabalhar para o conde, parece que ambos resolveram seus problemas. Então ela descobre que ele planeja visitar o mais famoso bordel em Londres para atender a suas necessidades ?masculinas?. Ora! Anna fica furiosa ? e decide satisfazer seus desejos femininos? com o conde como seu desavisado amante". #editorarecord #elizabethhoyt #osprincipes #oprincipecorvo #ler #leitura #leiamais #lerevida #lersempre #livros #livros #libro #book #bookaholic #booklivers #instabook #instalivro #amoler #amolivros #mamaeindica #mamaetalendo
comentários(0)comente



Dri @oasisliterario 29/09/2017

Livro recomendadíssimo para fãs do gênero e para leitores que amam uma boa história de amor.
Anna Wren se encontra em uma situação difícil. A viúva descobre que as finanças da família estão péssimas e ela simplesmente não consegue arranjar nenhum emprego. Anna descobre que o conde de Swartingham precisa de um secretário e vê isso como uma oportunidade de resolver seus problemas. Quando Anna começa a trabalhar para o conde mal humorado, percebe que ele esconde muitos costumes, incluindo o gosto por um bordel famoso em Londres. Entre segredos e mentiras, Anna e Edward passarão a se conhecer e a história promete ser polêmica.

Através de capítulos rápidos, "O Príncipe Corvo" nos apresenta um romance de época erótico bem diferente. O livro me supreendeu ao contar a história de uma mulher espirituosa e nada inocente. Gostei de ver Anna indo atrás de suas vontades, frequentando o bordel em busca de seus desejos sem se importar que poderia ser pega no flagra e ter sua vida arruinada. Anna, um viúva sem filhos, percebe que nada a impede de agir da maneira que ela acredita ser a correta.

Estamos acostumados com protagonista fortes, mas que muitas vezes se limitam devido aos costumes da época. É exatamente nessa questão que "O Príncipe Corvo" se destaca. Muito mais que mais um romance de época clichê, o livro aborda questões polêmicas como a prostituição, por exemplo, e mostra que amor pode surpreender até aqueles que levantam muros para manter os sentimentos afastados.

Confesso que, inicialmente, a linguagem usada pela autora me chocou um pouco, principalmente nas cenas mais quentes. Mas ao longo da narrativa fui me acostumando mais e logo a sensação incômoda passou. Vale ressaltar que leitores mais sensíveis podem ter dificuldade em apreciar a leitura.

O livro também conta com alguns detalhes encantadores como os trechos de um livro homônimo encontrado pela protagonista. A editora também caprichou nos detalhes, diagramação e revisão. A capa é maravilhosa em mãos.

Com um plano de fundo baseado nos costumes da época e em questões como o preconceito, a narrativa cumpre com o prometido e entrega uma apaixonante história de amor. Livro recomendadíssimo para fãs do gênero e para leitores que amam uma boa história de amor.


Link: https://www.instagram.com/p/BZpUlC6jBXV/
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 05/09/2017

Originalmente postada em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/
O Príncipe Corvo é o primeiro livro da Trilogia dos Príncipes. Pela nota, nem preciso dizer que gostei, né?

Gostei muito da Anna por vários motivos. Ela é viúva que depois da morte do marido continuou a cuidar da sogra e sua protegida, não tem preconceitos, mete a mão na massa se for necessário. Pra terminar o combo, é uma mulher esperta e decidida.

Adorei a Elizabeth ter levantado algumas questões no livro, partindo do ponto de vista da Anna. A principal delas é justamente o que Anna faz: ir atrás de saciar suas necessidades sexuais. Ela fica naquela “se o homem pode, por que a mulher não pode também?”. Claro que ela sabe que, se for descoberta, seria um escândalo na pequena vila que ela mora, mas nem esse detalhe a fez desistir.

Edward foi um mocinho que me surpreendeu bastante. De início, ele parece ser aquele homem bruto que fica irritado com tudo e todos, mas ao longo da história vemos que ele é um cara que se importa não só com as pessoas mais próximas dele, mas também com as outras pessoas que moram em suas terras.

Edward possui cicatrizes desde que pegou varíola quando criança e esse detalhe o deixa muito inseguro em relação com as mulheres. Achei interessante a autora abordar essa insegurança do mocinho. Sim, ele pode ser até um libertino que frequenta bordéis, mas isso não exclui o fato que pode ser inseguro.

Anna também tem sua cota de insegurança. Durante os quatro anos que fora casada, ela não conseguiu gerar uma criança, o que fez com seu marido lhe desse alguns enfeites na cabeça. Por saber que Edward quer ter um herdeiro, ela tenta não sucumbir a seus sentimentos.

Um ponto super positivo na história é a amizade entre Anna e Edward. Desde o começo, Edward não se incomodou sobre o fato do seu secretário ser, de fato, uma mulher. Edward valoriza a opinião de Anna em vários assuntos que, na época, homem nenhum discutia com mulheres por acharem que elas não entenderiam. Edward ganhou muitos pontos comigo.

Outro ponto super legal na história é a amizade entre Anna e sua ex-sogra, Sra. Wren. Depois da morte do marido, as duas ainda moram juntas e vemos que há uma amizade super sincera entre as duas. Algumas vezes, essa relação é quase de mãe e filha..

No início de cada capítulo, temos trechos da história que dá nome ao livro. Assim como esse detalhe acontece em outros romances, cada trecho tem a ver com os futuros acontecimentos do capítulo. Eu, particularmente, gostei dessa história paralela.

A escrita da Elizabeth é bem fluída e envolvente ao mesmo tempo. As cenas sensuais são relativamente poucas se comparadas com outros livros, mas muito bem escritas e dosadas na medida certa. Os mocinhos dos próximos livros foram introduzidos em um certa cena nesse, mas pelo que vi não é de muita interferência não ler na ordem... (Minha Lua em Virgem super se revolta com isso)

O Príncipe Corvo foi uma leitura maravilhosa e bem gostosa de acompanhar. Claro que recomendo para os fãs do gênero.

Leia mais resenhas em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/

site: http://balaiodebabados.blogspot.com/2017/09/resenha-202-o-principe-corvo.html
comentários(0)comente



Lu 10/10/2017

Parece que são dois livros dentro de um só
Não, não é sobre o conto que tem dentro do livro que estou falando. Parece mesmo que são duas histórias distintas, uma até a página 250 e poucos e a outra daí em diante. Se eu fosse avaliar a primeira parte e desistir do livro ficaria com um gosto amargo na boca, porém eu persisto e vou até o fim, e depois disso a história melhora muito. Sério, parece que foram duas autoras diferentes escrevendo. E nessas 70 e poucas páginas finais ela conseguiu me fazer mudar a nota de 3 para 4.
comentários(0)comente



Lane @juntodoslivros 10/10/2017

Muito apaixonante
Quando se é uma dama, não deve trabalhar, porém Anna Wren não é uma dama que fica parada enquanto sua sogra Wren, sua criada Fanny e ela mesma podem vir a passar fome. Seu falecido marido acabou as deixando em uma situação financeira difícil, mas com uma boa criação de berço, Anna vai à procura de um emprego e acaba descobrindo que o conde de Swartingham está à procura de um novo secretário, já que o último ‘fugiu‘ por conta de seu temperamento difícil. Disposta a encarar as grosserias do conde por sua família, Anna não imaginava quem ele fosse...

Edward de Raaf, conde de Swartingham, precisa de modo desesperado de um secretário novo para transcrever seu manuscrito antes das palestras da Sociedade Agrícola. O último acabou alegando outros compromissos e o deixou na mão. Quando seu administrador lhe diz que encontrou alguém para ocupar o cargo, ele não imaginava que seria uma mulher.

Eu estava me divertindo muito com esse livro! Edward com seu sarcástico me conquistou muito! Anna com sua paciência quase infinita foi a melhor. Rsrs... E claro que o romance começa de modo leve e vai ganhando força no decorrer da narrativa. Anna uma moça sem graça e Edward um homem marcado pela varíola. Duas pessoas nada atraentes, mas com muitas coisas em comum.

Anna Wren era o tipo de dama que ficava quieta, mas ela vai se transformando no tipo de mulher que não se deixa levar pelos outros e sempre faz o que acredita ser o certo, mesmo que isso gere alguns mexericos dos aldeões da cidade. Achei maravilhoso ver o empoderamento que ela vai criando ao longo do livro. E Edward, apesar do título de nobreza, não se abala quando Anna discute com ele de igual para igual. Uma mulher sabe que conversar de verdade ao invés de concordar com tudo o que ele pensa.

Também temos em paralelo ao romance de Anna e Edward, uma fábula que dá nome ao título do livro. A cada início de capítulo temos um trecho dessa outra história e ela vai combinando com o que o capitulo que nos passar. Temos duas histórias por preço de uma.

Os romances de época sempre me deixam com o coração aquecido e com O Príncipe Corvo não foi diferente. Adorei o livro e o modo de escrita da Elizabeth Hoyt. A autora tem uma leveza na escrita que quando vi já estava no final do livro e querendo mais dessa história. Divertido, envolvente e com uma boa dose de romance, O Príncipe Corvo tem que ser lido para os amantes desse gênero.

Ouvi algumas pessoas falando que o livro tinha cenas muito explícitas de sexo, mas para quem já leu Lisa Kleypas, Sarah MacLean, Loretta Chase, entre outros autoras desse gênero, não tem nada para se assustar. As cenas são quentes, mas nada que venha a ser além do que já lemos com essas outras autoras.

site: http://www.lagarota.com.br/2017/10/livro-o-principe-corvo-elizabeth-hoyt.html
comentários(0)comente



LT 29/08/2017

Anna e Edward, uma combinação de tirar o fôlego!
Anna era uma mulher forte, decidida, viúva e pobre. Morava com sua sogra e uma criada, mas estavam passando necessidade, pois seu marido não deixou muitas economias para o seu sustento.

Ela resolveu que tinha que trabalhar, apesar da sociedade em que vivia, Anna não estava dentro dos parâmetros de escolher algum tipo de trabalho. Mas, por ironia do destino, o secretário do conde de Swartinghan foi embora sem avisar.

Edward de Raaf, Conde de Swartinghan, é um homem arrogante, de comportamento rude e autoritário. Como ele estava sem secretário, Anna oferece seus serviços ao seu administrador, e como ele não tinha escolha lhe deu o trabalho, apesar de ser mulher, pois ninguém queria trabalhar naquela casa, com o conde.

Edward, no passado, perdeu toda a família – pais e irmãos – por conta da varíola. Depois de casar-se, descobriu que sua primeira esposa sentia asco por ele, pois tinha rosto e o corpo marcado pela doença, ele é um sobrevivente e carregará suas cicatrizes para sempre. Acreditando que jamais alguém apaixonar-se-ia verdadeiramente por ele, o Conde resolve ter outro casamento, um apenas por conveniência – um arranjo – porque necessitava de um herdeiro.

Durante o trabalho, Anna descobre que o Conde tinha encontros escondidos em um bordel chamado Grotto de Aphrodite, Anna ficou muito irada, pois os homens podiam fazer esse tipo de coisa sem manchar suas reputações. No entanto, as mulheres, mesmo as viúvas, elas não tinham esse direito, afinal sua dignidade estaria em jogo.

Com a convivência, a mocinha vai percebendo seus novos sentimentos. Anna viu uma oportunidade de passar a noite com Edward, ela estava se apaixonando por ele, e por isso foi para Londres onde colocou seu plano em ação.

Edward não era indiferente a Anna, porque o amor e ódio estavam andando lado a lado, as faíscas entre os dois eram bem claras, a sedução em cada palavra e a cada olhar. O Conde estava gostando verdadeiramente de Anna, ela tinha um ar autoritário, não tinha medo de desafia-lo, a vontade de toca-la estava o deixando louco, então ele tinha que procurar outro lugar para satisfazer suas necessidades. Edward não poderia ficar com sua secretária e para piorar a situação, Anna era estéril, não poderia ter filhos e ele precisava de um herdeiro.

"O Grotto de Aphrodite era uma farsa esplêndida, refletiu Anna naquela noite ao espiar pela janela da carruagem.A carruagem se aproximou dos estábulos, atrás do edifício, e parou."

Ana volta para casa, está mais apaixonada do que antes, não poderia dizer ao Conde quem era a mulher misteriosa, isso a estava deixando muito triste e de consciência pesada.

Temos muitos acontecimentos após essa noite, e as coisas se complicam. Rola chantagem e ciúmes ao longo da história. O enredo me divertiu bastante. Anna vive a frente de seu tempo, tem como sua responsabilidade sustentar a casa, pois sua sogra e a criada dependem dela. Todavia, com o fato de não gostar de receber ordens, às vezes isso a colocava em maus lençóis e a deixava mal vista aos olhos do povo. No entanto, ela não se importava com o que as pessoas falavam, ajudava a todos que precisavam, era uma mulher lutadora e determinada.

O Conde acaba descobrindo num simples gesto de Anna que ela era mulher que estava no bordel esperando-o, e é aqui, meus amigos, que a casa caiu. Edward não conseguia acreditar, parecia armação, e para piorar, ele tinha certeza de que já amava Anna.

Será que ele conseguiria perdoar essa traição? O que ele pensará dela? Como se sentirá com todo o mistério que envolve Anna e aquela noite, ela teria outras noites por lá? Bem, vou deixar para vocês descobrirem o que ele pensa, se o amor falará mais alto do que o ego e os costumes da época. Se ela será condenada ou perdoada por tê-lo enganado? Se ele a jogará as traças, a manterá como sua secretária ou se vai rolar algo mais... Descubram lendo.

"Edward ignorou o protesto dela e caminhou de volta para a trilha. Enquanto ele a observava, Anna ergueu a mão e, com o dedo mindinho, puxou um cacho de cabelo para trás do ouvido. Ele congelou."

Tem um mistério a ser revelado, mas só no final do livro. Esse romance tem algumas cenas picantes no decorrer da história. Então, faça como eu, que ficava vermelha e com vergonha, mas não deixe de ler!

A narrativa é simples, os personagens cativantes e vale ressaltar que tem um conto paralelo a esse, até o final do livro.

O livro é narrado na terceira pessoa, intercalando as falas entre Edward e Anna, as páginas são amareladas, e a edição conta com a uma fonte de tamanho confortável para leitura. A capa é muito bonita. Recomendo para quem adora romances de época ou deseja se aventurar por um. Esse é bem humorado e a leitura é deliciosa.

Elizabeth Hoyt mora em Minneápolis, Minnisota. É casada e formada em antropologia. A autora tem mais de vinte livros publicados. Ela escreve romances contemporâneos, divertidos sob o nome de Julia Harper. A trilogia Os Príncipes é a série mais vendida da escritora, sendo best-seller do New York Times, do USA Today e da Publishers Weely.

Até mais ver!

Resenhista: Cris Santana.

site: http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Pedro.Morais 03/09/2017

Maravilhoso em cada detalhe.
Quer se encantar após um livro com um final triste? Embarque nesta leitura.
O Príncipe Corvo terá um romance cheio de surpresas ao longo dos capítulos, Anna Wren uma jovem viúva passará por uma crise financeira e vai aceitar o trabalho de secretaria na Abadia do Lorde Edward de Raaf, um homem com um temperamento difícil.
Anna para cuidar da sua sogra e uma empregada totalmente atrapalhada mergulhará num mar obscuro e descobrirá um livro que contém um conto de um corvo que se apaixona por uma princesa e descobrirá que o Edward frequenta um prostibulo em Londres.
Após acolher uma jovem ferida em sua casa e descobrir que ela era uma prostituta Anna aproveita a oferta e decide ir ter uma noite de amor com o Lorde no Grotto de Afrodite.
Mas pra toda ação terá uma reação...
O segredo poderá ser descoberto por um simples vacilo e o Lorde tornará a vida da jovem um jogo de sedução.
Neste cenário você vai descobrir que o amor supera classe social e que uma dama quando ama faz qualquer coisa pra ser feliz e um jovem Conde apaixonado é capaz de lutar por este amor.

BOA LEITURA.
comentários(0)comente



42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3