No Seu Pescoço

No Seu Pescoço Chimamanda Ngozi Adichie




Resenhas - No Seu Pescoço


223 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |


Vanessa 01/11/2020

Difícil escolher, mas ouso dizer que meu conto preferido é justamente o que dá nome ao livro. Primeiro contato que tenho com a escrita da Chimamanda e minha vontade de ler outros livros dela só aumentou. É bem verdade que não sou a mais fã de contos... mas os aqui encontrados além de bem escritos, possuem assuntos fortíssimos. Alguns necessitam de tempo pra serem digeridos. Acho que só uns dois não me envolveram tanto.

"Porque ela realmente pertencia àquele país agora, aquele país de curiosidades e crueldades, um país onde era possível dirigir à noite sem ter medo de bandidos armados, onde os restaurantes serviam para uma pessoa, comida o suficiente para três."

"É claro que têm ressentimentos, e estão certos por tê-los, mas, de alguma maneira, conseguiam manter o ânimo intacto."
comentários(0)comente



Jamile Joazeiro 28/10/2020

Muito bom
Um conto melhor que outro. As realidades apesar de diferentes nas histórias têm diversas lisas em comum, principalmente a cultura, mesmo que seja no sentido de rejeita-la.
comentários(0)comente



Gabi 28/10/2020

Chimamanda é sempre maravilhosa!
Não gosto muito de contos, e por isso demorei tanto pra terminar este livro. Chimamanda, porém, é sempre incrível! Uniu histórias de várias mulheres e suas perspectivas.
Apaixonante acompanhar e identificar-se aqui e ali com elas.
comentários(0)comente



Gabriel 27/10/2020

Surpreendente
É incrível como a Chimamanda consegue construir contos tão simples e curtos, mas ao mesmo tempo tão tocantes e cheios de significado.

Cada um dos contos presentes no livro "No Seu Pescoço" representa histórias muito próximas da realidade de algumas pessoas. Vivências de pobreza, miséria, negligência e abuso de poder na Nigéria, de preconceito e discriminação dos imigrantes africanos nos Estados Unidos e de apropriação cultural em relação aos costumes nigerianos.

Gostei bastante da leitura, foi meu primeiro contato com a autora e depois dessa experiência posso dizer com certeza que irei ler os romances da mesma.
comentários(0)comente



Jamayra Greyce 24/10/2020

EU TE AMO PRA SEMPRE CHIMAMANDA <3
De acordo com minhas estimativas, eu li, mais ou menos, 200 livros e umas 1000 revistas até hoje. Nessas andanças nunca percorri se quer um par de palavras que se aproximassem do estilo de Chimamanda. Essa obra foi extraordinária para mim, pq às vezes enxergo grandes semelhanças até entre Machado de Assis e outros autores - provavelmente pq maluco copia ele na cara dura msm kkkkk. Então é difícil eu ler alguma coisa que me pareça bastante inédita, diferente do que aconteceu com o memorável "No seu pescoço".

Não sou muito fã de contos, até pensei que não gostaria muito desse livro e tive receio disso, mas absolutamente todos eles foram inacreditáveis de tão bons!! Cada um me emocionou profundamente de uma forma diferente e agr mal posso esperar pelas minhas próximas leituras da brilhante Chimamanda Ngozi Adichie. STO TAUM APX *-*
comentários(0)comente



Manços 23/10/2020

Mundo chimammanda
As histórias, em teoria são independentes, mas versam sobre um núcleo meio comum: as ações que eclodem em uma sociedade desigual, seja falando sobre o preconceito, a mulher, a imigração, a religião, a tradição, enfim... o mundo Chimamanda.
Claro que, como em todo livro de contos, alguns são maravilhosos e outros outros meio sonolentos, mas ainda assim vale a leitura.
comentários(0)comente



Mari 22/10/2020

Dores em forma de contos
Como pessoa branca, não tenho lugar de fala na questão racial, que deve ser entregue àqueles como Chimamanda que, por meio de contos, brilhantemente mostra o racismo, em diferentes contextos de acordo com cada história contada no livro. Como mulher, tenho espaço de fala na questão de desigualdade de gênero, e esse livro escancara dolorosamente diversas vivências do machismo.
O racismo e machismo vividos por mulheres negras é duro. Chimamanda, sendo essa a terceira obra que leio da autora, novamente não decepciona, e com histórias muito bem escritas, fala muito do que ninguém gosta de falar.
Confesso que sou leiga na história da Nigéria, e durante a leitura me vi pesquisando termos, acontecimentos e personalidades que são mencionados em alguns contos, sendo uma obra com ótimo conhecimento embutido e capacidade de abrir os olhos para outros contextos de vida.
comentários(0)comente



Kelen.Forner 18/10/2020

Arrebatador!
Doze contos e nem sei dizer qual o melhor...mas uma coisa é certa: cada conto é um soco no estômago!
comentários(0)comente



Thá Cherilli 16/10/2020

Super Recomendo!
Não tenho o costume de ler livro de contos.
Mas esse me encantou da primeira a última página.
Cada conto te leva a uma reflexão.
A autora aborda temas como racismo, feminismo, religião, homossexualidade, desigualdade de gênero, injustiça social, preconceito contra imigrantes com segurança e delicadeza.
É um livro excelente.
Não consigo escolher um conto como predileto. Todos merecem ser absorvidos e significados.
Super recomendo.
comentários(0)comente



Babi 07/10/2020

Os contos não são tão breves e, além disso, carregam temáticas fortes...cada história necessita de uma reflexão, dessa forma, a leitura acaba sendo mais arrastada. "Fantasmas" e a "A historiadora obstinada" foram os meus contos preferidos.
Não sou fã número 1 desse gênero, mas continuo encantada pela escrita de Adichie!
comentários(0)comente



Lorena.Mireia 06/10/2020

Realidades pungentes
No seu pescoço consiste numa antologia composta de doze contos. Embora sejam histórias relativamente curtas, não deixam de ser intensas e seus personagens tem suas idiossincrasias tão bem retratadas como se fosse um gênero de romance.
Cada conto aborda uma perspectiva de crítica social dentro do contexto atual. Entre as temáticas propostas, podemos destacar o preconceito contra os imigrantes nos EUA, desigualdades sociais, atentados terroristas, casamentos arranjados ou concebidos por motivos meramente étnicos, assédio sexual, desvalorização da cultura nativa, racismo, repressão política, relacionamentos abusivos, choque cultural, famílias disfuncionais, religião, imposição cultural e religiosa.
Tratados de maneira direta e verossímil, as histórias dos personagens, a grosso modo, reflete as lutas e infortúnios dos africanos para preservar sua identidade cultural, sua história e elevar a sua voz mediante tantas tentativas de sufocá-las.
comentários(0)comente



Luiza.Campello 30/09/2020

No seu pescoço
?Jumping Monkey Hill? e ?Amanhã é tarde demais? foram os meus preferidos ? Amei todos, a escrita da Chimamanda é essencial.
comentários(0)comente



Gil 27/09/2020

Boas reflexões.
Primeiro livro que li da autora, nos primeiros contos, não gostei muito, por mais que continha toda uma reflexão social, mas as histórias considerei arrastadas, contudo mais para o final do livro os contos conseguiram ser mais envolventes e despertar a empatia pelos personagens. Talvez não tenha sido a melhor escolha começar por esse livro da autora, mas Hibisco Roxo já está na tbr, enfim, de qualquer forma uma leitura necessária.
comentários(0)comente



@livrosdajan 26/09/2020

No seu pescoço...
Meu primeiro livro da escritora nigeriana Chimamanda. No seu pescoço é um livro de contos com uma escrita muito envolvente e bonita. Não consegui parar de ler até terminar. E já estou me aventurando por outros livros dela. Quero ler todos.

Um dos principais temas das histórias é a imigração para os EUA e o choque que o encontro de culturas tão diferentes como a americana e a nigeriana pode trazer. Situações como o desperdício de comida numa praça de alimentação de um shopping, o que deixa os nigerianos chocados, mas é tão normal para os americanos. E para nos também...

As narrativas são um mergulho nos sentidos das personagens. Vemos e sentimos tudo o que elas veem e sentem. Mas com uma lente diferente, o olhar de uma cultura diferente. E isso nos leva a entender muitas coisas e questionar nossos próprios valores. É um exercício de pura empatia. Mas também de identificação, pois muitas alegrias, tristezas, desejos são universais.

A maioria dos contos têm personagens mulheres e também falam de temas como racismo, conflitos religiosos, sexismo, colonialismo britânico e relacionamentos.

Grifei vários trechos, difícil escolher um:

"Você pensava que todo mundo nos Estados Unidos tinha um carro e uma arma; seus tios, tias e primos pensavam o mesmo. Logo depois de você ganhar a loteria do visto americano, eles lhe disseram: daqui a um mês, você vai ter um carro grande. Logo, uma casa grande. Mas não compre uma arma como aqueles americanos. "

" Porque ela realmente pertencia àquele país agora, aquele país de curiosidades e crueldades, um país onde era possível dirigir à noite sem ter medo de bandidos armados, onde os restaurantes serviam para uma pessoa comida o suficiente para três. "
comentários(0)comente



Renata 20/09/2020

Não curto livros de contos, mas abri exceção e comecei a ler por se tratar de Chimamanda. Cada conto uma historia riquíssima, personagens complexos, criticas a sociedade sem ser maçante ou óbvio. Após cada leitura, eu tinha que dar um tempo para processar e iniciar o próximo. Ela deu a profundidade aos personagens, mesmo no curto espaço que o conto proporciona.
comentários(0)comente



223 encontrados | exibindo 31 a 46
3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 |