No Seu Pescoço

No Seu Pescoço Chimamanda Ngozi Adichie




Resenhas - No Seu Pescoço


222 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |


@gezaine_ 16/09/2020

É difícil ter um livro de contos em que se goste de todos eles, mas isso aconteceu comigo em No seu pescoço. A escrita de Chimamanda é fluida, tocante, gostosa de ler.
Os contos abordam religião, imigração, preconceito racial, luta por aceitação. Leitura recomendadíssima.
comentários(0)comente



Mari 15/09/2020

Comecei a ler esse livro porque recebi de uma amiga uma versão em pdf e decidi me aventurar, ando em uma fase de gostar de ler contos e textos mais curtos. Já esperava que fosse uma leitura ótima, mas, mesmo assim, me surpreendi com a qualidade da escrita. São todas histórias envolventes, que te fazem viajar pelos cenários nigerianos descritos e sentir as dores dos personagens. Não sei escolher um conto favorito, todos são geniais. Quero comprar a versão física para ter na coleção e ler e reler sempre que tiver vontade, é um livro que, com certeza, vale a pena ter na estante. Recomendo a todos que querem sair um pouco da própria realidade, conhecer outras vivências e se emocionar com as histórias. Todos os contos são incríveis de maneiras diferentes. Sem palavras para descrever a maravilhosa que é esse livro. Simplesmente fantástico. 5 estrelas e favoritado com muita certeza!
comentários(0)comente



Laura Finesso | @livrosecappuccinos 10/09/2020

“À noite, algo se enroscava no seu pescoço, algo que por muito pouco não lhe sufocava antes de você cair no sono.”
Que eu sou apaixonada pela escrita da Chimamanda desde Americanah, já é de conhecimento de muitos dos que me acompanham a mais tempo por aqui; porém, com No Seu Pescoço, essa paixão se transformou em uma imensa admiração.
Composto por 12 contos, o livro aborda temas dos mais diversos: racismo, imigração, relacionamentos tóxicos, machismo, relações familiares, e por aí vai. Mas a beleza está na experimentação que a Chimamanda fez no livro, usando narrativas em primeira ou terceira pessoa, e colocando o leitor como foco narrativo.
Ela nos apresenta não só a Nigéria, mas a história nigeriana, o passado doloroso do país e a vivência nele. Ademais, ela nos mostra como é ser um imigrante nigeriano nos Estados Unidos, os preconceitos sofridos e as expectativas impostas sobre eles.
Além disso, a escrita dela permanece mágica como sempre. A beleza das palavras que ela escolhe, a forma dela de representar coisas intensas com uma simplicidade poética… isso me envolveu, e quando menos percebi, estava chorando e com o peito aperto junto dos personagens.
Há algo de muito diferente em como ela escolhe descrever os sentimentos e observações dos personagens, mas não sei se consigo pôr como me sinto em relação a isso, em palavras. É algo que se faz lembrar, como o amargor de alguma comida, ou até aquela angústia no fundo da alma que se faz presente, como uma sombra.
Ela tem em suas mãos o poder de atenuar os sentimentos mais excruciantes, e intensificar os sentimentos mais suaves; ao seu bel prazer, da forma que só ela faz. Por isso esse livro foi o único que fui capaz de ler durante a ressaca literária em que estive em Agosto, e também foi favoritado.
Apenas leiam Chimamanda, meus caros. É uma experiência diferente, e é encantador.

“Mais tarde, no chuveiro, você começou a chorar. Observou a água diluir suas lágrimas, sem saber por que estava chorando.”

site: https://olivrosecappuccinos.blogspot.com/2020/09/no-seu-pescoco-chimamanda-ngozi-adichie.html
comentários(0)comente



Lais Porto (@umaleitoranegra) 10/09/2020

No seu pescoço
No seu pescoço é um livro de contos, 12 contos extremamente potentes, envolventes e perturbadores, pra cada leitura você vai precisar tomar um fôlego, não são contos muito longos, mas a história é tão rica, tão bem escrita e apresentada para nós leitores que parece que cada conto é na verdade um longo romance e que o livro possui somente a sua história.

Chimamanda discorre sobre diversos assuntos em sua narrativa, todos com personagens negros seja em África ou em estado de imigração. Ela mexe com os valores, sentimentos, ideologias dos seus personagens e cada movimento desse reverbera de forma intensa no leitor ou leitora.

A imigração é um dos temas que mais aparece, a escritora aborda questões burocráticas, do choque e da diversidade cultural, ela consegue desmistificar ideias sobre uma vida melhor nos EUA, de que neste lugar pode-se alcançar um status superior, fica explícito que uma pessoa negra independente de sua qualificação educacional não deixa de ser um uma ameaça nos EUA.

Cada conto nos aproxima mais de África, local este que Chimamanda consegue exaltar a beleza e também não poupa intensas críticas, questiona questões culturais, sociais e políticas. No conto A embaixada americana fica evidente a forma que está posta essas críticas.

O livro começa e termina com contos que se passam em África, sendo o último conto um escrito de esperança e de conexão com toda a ancestralidade, o título é A historiadora obstinada, vou deixar um trecho do final do capítulo, literalmente o final do livro, possibilitando terminarmos toda a caminhada de leitura de No seu pescoço com o coração aquecido.

“Foi Grace quem, cercada por seus prêmios, seus amigos, seu jardim de rosas inigualáveis, mas sentindo-se, sem saber explicar bem por que, distante de suas raízes no fim da vida, foi a um cartório em Lagos mudar oficialmente seu primeiro nome de Grace para Afamefuna.

Mas, naquele dia, ao se sentar ao lado da cama da avó à luz do crepúsculo, Grace não estava nem contemplando o futuro. Ela simplesmente segurou a mão da avó, com sua palma áspera de tantos anos fazendo cerâmica.”

No seu pescoço é o primeiro livro de contos de Chimamanda, pra mim fica evidente o quanto ela tem uma escrita espetacular, seja na produção teórica, seja em romance, seja nos contos, recomendo demais que conheçam essa versatilidade da sua escrita.

site: https://leitoranegra.blogspot.com/
comentários(0)comente



Patty 06/09/2020

Primeiro livro de contos que leio de Chimamanda e me impressionou como eu perdi tanto tempo protelando essa leitura. Cada conto te faz pensar um pouco sobre a vida, se irritar, sentir pena, torcer pela protagonista além de te transportar para uma Nigéria ou outro país que se passe a história em época diferentes e você percebe isso em cada história de cada mulher que mesmo vivendo momentos diferentes em suas vidas, tu vê a força de mudar seus destinos continuar com seus costumes apesar dos pesares
comentários(0)comente



Angel 03/09/2020

Importante
Bora lá, esse aqui é o livro "No Seu Pescoço" da autora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie li ele no mês passado em epub.

Ele é um livro com uma coletânea de 12 contos, onde seus personagens tem diferentes classes sociais e são de ambos os sexos. Sua leitura nos remete a pensar sobre diferentes temáticas por pontos de vistas diferentes, e a linha central comum que liga todos os personagens é a nacionalidade. Todas as histórias centram-se em pessoas nigerianas, sejam imigrantes, mais precisamente da etnia Igbo.

Detalhe, cada conto é independente então você pode ler na ordem que desejar.
Um dos meus contos preferidos foi "Uma Experiência privada" que conta a história de uma jovem estudante de medicina da cidade de Lagos que ao visitar sua tia em Kano, acaba sendo surpreendida por uma onda de violência no mercado local, e na busca por um lugar seguro se perde de sua irmã, e acaba dentro de uma loja abandonada junto com uma senhora muçulmana.

Ademais, os pontos comuns que ligam todas as histórias são as temáticas que tratam de imigração, preconceito racial, e relações familiares. A autora traz uma mescla de carga emocional com a crítica social que enriquece a obra. Além de ser um livro que traz reflexões acerca da importância da valorização da cultura africana.
comentários(0)comente



Bruna Antonieta 02/09/2020

Se você nunca leu Chimamanda, No seu pescoço pode ser uma boa opção para começar, já que, em seu primeiro livro de contos, a autora traz temas centrais que também perpassam outras de suas obras. A escrita da autora carrega um tom extremamente fluido, que não te prepara para a força dos contos e te atinge profundamente ao abordar dilemas próprios da essência do ser humano e de nossa sociedade. Os nigerianos e nigerianas protagonistas de suas histórias trazem aqui questões sobre raça, imigração, machismo, permeados, muitas vezes, pela própria história da Nigéria e de regimes opressores, por histórias e sonhos desfigurados ao encontrar um EUA muito menos colorido do que parece ser pintado nas telas do imperialismo norte-americano.

Aqui, Adichie também traz, em alguns contos, um tom experimental, que coloca você no centro da narrativa, como que para experimentar o sentimento da alteridade e empatia em níveis mais profutos. Por exemplo, no conto que dá título ao livro, a autora nos apresenta como protagonistas em uma história de uma imigrante e sua condição ao encarar um Estados Unidos muito distinto do que fora idealizado.

E a conclusão que tenho ao terminar mais um livro da autora é: ler Chimamanda só me faz querer conhecer ainda mais a autora.
comentários(0)comente



Rober 01/09/2020

Em nosso pescoço
Livro de contos maravilhoso, a história que dá título ao livro tornou-se uma de minhas favoritas.
comentários(0)comente



Gabslareine 31/08/2020

Uma viagem através da Nigéria
Quando tive disciplina de África na faculdade de História uma das primeiras figuras que me foi apresentada foi a Chimamanda Ngozi Adichie. Guardei na memória que ela seria uma das primeiras autoras do continente africano que eu procuraria ler.

Demorou um pouco mais do esperado, mas esse mês me propus a ler mais autores mulheres e ela me veio na mente. Peguei o livro as cegas e me surpreendi por perceber que na verdade se tratava de uma coletânea de histórias. Li e li interessada pois cada história era uma versão de uma Nigéria que se mostrava plural, contraditória, muito diferente da história única contada sobre os povos africanos, de que são gente pobre/miserável. Existe na Nigéria gente pobre sim, assim como gente rica, e a autora passa essa leitura maravilhosamente! A Nigéria não é tão diferente do Brasil, assim como não tão diferente dos Estados Unidos (comparação que a autora faz, graças a sua própria experiência do choque cultural que a mesma sofreu).

Eu amei! E meu conto preferido é o último, ?A historiadora obstinada? que fecha de forma maravilhosa uma coletânea de história e vivencias nigerianas.
comentários(0)comente



nathymjp 28/08/2020

Eu imaginei que fosse gostar desse livro, pois acompanho Chimamanda há alguns anos e adoro as obras dela, mas nunca pensei que fosse amar tanto.
Recheado de histórias duras e sensíveis ao mesmo tempo, a coletânea de contos trata de assuntos complexos (imigração, preconceito, feminismo, religião...) e que me tiraram completamente da minha zona de conforto ao longo da leitura.
comentários(0)comente



thamaralho 20/08/2020

os contos "jumping monkey hill", "no seu pescoço" e "a historiadora obstinada" foram os meus preferidos, nunca vou esquecer como me senti enquanto lia eles.
comentários(0)comente



Flá Costa 18/08/2020

Ela é demais
Foi bom conhecer este outro lado de Chmamanda.... Ela é boa em tudo o que faz e com os contos não foi diferente. Senti vontade de continuar a maiorua das histórias.
comentários(0)comente



Victoria (Vic) 17/08/2020

No seu pescoço, para mim, não é um livro para ser lido rápido. As histórias são extremamente intensas, dolorosas e te deixam com uma sensação horrível de injustiça, tristeza e solidão.

É uma leitura tocante e necessária, trazendo diversos temas importantíssimos como racismo, colonialismo, religião violência sexual, violência policial, imigração, relacionamentos abusivos, entre outros.

Os contos que mais me marcaram foram Uma Experiência Privada, No seu pescoço, O tremor e Uma historiada obstinada, com o destaque para o último, que teve o melhor final de todos os contos e fechou o livro com chave de ouro.

Alguns contos não me prenderam muito, achei que tiveram menos destaques do que outros fortíssimos, outros achei com algumas partes um pouco confusas, mas a principal coisa que me incomodou foram que alguns contos terminavam na melhor parte, no clímax, na epifania, e eu precisava de mais! Eu queria saber mais!

Chimamanda tem uma escrita poderosa e belíssima. Apesar de não gostar muito do gênero Contos, lembrarei sempre desse livro por ter sido uma obra que me tocou enormemente. Já quero ler outros livros da autora e conhecer mais do seu trabalho fantástico.
comentários(0)comente



Bia 17/08/2020

Excelente
Livro perfeito, alguns contos são leves e outros mais pesados, mas que te fazem ver a realidade, boa e ruim, da vida na Nigéria. Chimamanda escreve com muita leveza dando uma aula sobre a cultura Nigeriana e os problemas que esse povo enfrenta. Simplesmente incrível.
comentários(0)comente



bels 15/08/2020

Se houvesse na escola a disciplina de "ensinamentos fundamentais/intermediários para a vida", esse livro seria uma das leituras obrigatórias. Cada conto narra dificuldades e dilemas comuns e, ao mesmo tempo, ignorados por nós. A questão é que, no geral, ainda cometemos o erro de achar que o problema do outro não é nosso problema e de virar o rosto ou fingir não ver quem nitidamente está passando por maus bocados.

Ler No Seu Pescoço é sentir incômodo, frustração, as vezes medo, receio, de vez em quando algum alívio, mas é sempre um exercício de se colocar no lugar do personagem. Para tentar compreender de verdade seus sentimentos, é preciso ler sem fechar os olhos, sem pular, é preciso digerir e continuar. Ao final, quem realmente pode dizer "eu sei como é" é alguém que já esteve em lençóis parecidos, mas se você terminar as leituras com essa sensação distinta, provavelmente conscienciosa, creio que o livro cumpriu seu propósito (e você também, por ora).
comentários(0)comente



222 encontrados | exibindo 46 a 61
4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |