A Torre do Terror

A Torre do Terror Jennifer McMahon




Resenhas - A Torre do Terror


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


danda 14/06/2020

Super indico.
Sabe aqueles livros que você não quer deixar de lado um minuto,então..Adorei a narrativa. É contado no passado e presente,por vários personagens(adoro).
A história é bem construída,tudo se encaixa.Pena que acabou. Favoritei.
comentários(0)comente



Thamires 24/04/2020

Fraquinho
A escrita é fluida e rápida, mas é tão fraquinha com relação a tentativa de suspense sobrenatural.
comentários(0)comente



Dani Américo 22/04/2020

Um terror que vale a pena
Considerem bobeira se quiser, mas eu senti medo sim. A descrição das cenas, dos atos, das personagens... O cenário é incrível, o livro é muito empolgante, daqueles que vc fecha e fica pensando nele enquanto está no trabalho ou na escola. Não dá pra se confundir nos diferentes períodos descritos, ainda que tenha uma significativa diferença de épocas. Vc passa a se identificar e ter diferentes sentimentos pela irmã mais nova, não se sabe se ela é injustiçada ou paranóica, e isso faz o leitor se confundir sobre suas próprias conclusões. Tudo indica que o livro trata de um assunto, mas são indícios muito óbvios, da pra perceber que estamos sendo conduzidos para um plot twist, ainda assim, a jogada da autora é genial. Considero o final fechado, mas não negaria a leitura de uma possível continuação.
comentários(0)comente



Isa 09/04/2020

O livro me prendeu do início ao fim, o que já é um fator muito bom. Mas além disso, a autora trabalha muito bem a escrita, conseguindo deixar o leitor tenso como pede a história e oscilando perfeitamente entre passado e presente, sem deixar a história confusa ou com pontas soltas.
comentários(0)comente



Natália 18/03/2020

Misterioso. . .
Contanto a história de duas irmãs: Silvye e Rose Slater, A torre do Terror, consegue manter o mistério até o final. O livro tem uma narrativa gostosa e fluída, você se apega fácil aos personagens, consegue se imergir com facilidade na história e nos ambientes onde se passa tudo, conseguimos sentir as emoções, os sentimentos de revolta e de desespero. Por fim temos um final bom, mas de um certo modo previsível. O livro me fez pensar em várias possibilidades do que estava acontecendo e o motivo que levava a família Slater a manter o silêncio, ainda assim, não houve nenhuma passagem do livro que tenha particularmente me assustado. Contudo, a autora conduziu bem o suspense e a reviravolta da história acontece no momento certo. Gostei bastante!
comentários(0)comente



Fer 10/12/2019

Esperava mais
O livro tem até uma premissa boa.. Uma torre, um hotel que está prestes a ser abandonado porque irão inaugurar uma rodovia e não vai ter mais movimento por aqueles lados (Psicose?).
A história é dividida em três épocas com os mesmos personagens, Piper, Margot e Amy, que são amigas desde criança, e também há a Sylvie e Rose, que são irmãs.
Sem enrolar e sem dar spoilers...A história é arrastada, é lenta, não tem sal, não te assusta em nada, Rose é irritante, Amy é chata. As personagens são rasas, você não sente vínculo com elas, não tem empatia.
A autora poderia ter desenvolvido melhor o clima, a história poderia ter sido melhor, o desfecho até que é interessante, mas só.
Só compre se estiver na promoção e só leia se não tiver mais nada pra ler.

site: @dancadoslivros
comentários(0)comente



Carla 14/11/2019

Clima de terror que não se mantém
A história que a autora conta é bem interessante e ela cria um clima de terror fantástico que faz a gente não querer largar, mas alguma coisa no desfecho e no motivo do terror decepciona.
Não posso dizer o que é para não estragar a experiência...
Vale a pena ler pelos personagens e forma de narrativa, mas não espere levar sustos ou ficar impressionado!
comentários(0)comente



Ronaldo 28/10/2018

Um terror psicológico, com um intrigante suspense e um pouco de drama familiar. A narrativa se divide em três épocas: 2013, quando um crime hediondo choca uma pequena cidade; 1989, que nos apresenta quatro amigos envolvidos com o mistério de um hotel abandonado e 1955, retratando uma família repleta de segredos. Essa foi a parte do livro que mais gostei, principalmente pela primorosa reconstituição de época, nos dando um pamorama sócio político e cultural da época. A autora explora bem os conflitos familiares, principalmente a rivalidade entre as duas irmãs adolescentes. A maneira como as suspeitas de Rose sobre a irmã vão minando sua própria estabilidade emocional, desestabilizando assim a convivência entre seus familiares que já não era das melhores, é bem interessante. E o fato de não sabermos se há realmente um elemento sobrenatural por trás dos acontecimentos nebulosos que permeiam a história dá um toque especial à leitura. Os fatos que se passam em épocas tão distintas, são bem sincronizados, não tornando a leitura confusa. Um livro despretensioso, mas com uma trama original, um texto objetivo e uma abordagem eficiente.
comentários(0)comente

Claudia 28/10/2018minha estante
Não ia ler, vou pôr nos Desejados




Douglas 22/04/2018

A Torre do Terror
Este foi o primeiro livro que eu li de Jennifer McMahon.

"A Torre do Terror" é um suspense muito bem construído e com uma narrativa contada em três tempos sem nunca perder o pique. Acompanhamos três gerações de uma família que guarda um mistério. McMahon passa pelos anos 60, 80 e o tempo atual de forma a ir montando as peças da história aos poucos e cada vez mais intensificando o mistério.

Entretanto, uma vez que o mistério é revelado, as coisas se tornam muito banais e sem muito senso de urgência, algo que eu gostaria de ver em um livro desses. O terceiro ato do livro para mim, é o mais fraco, infelizmente.

O argumento de McMahon é muito bom, o texto é ótimo e a narrativa é envolvente. Apenas o final deixa a desejar, o que é grave para um livro de suspense e mistério.

Mas o que li foi suficiente para me fazer querer ler outros livros da autora.
@leitoralunar /Carol 08/08/2018minha estante
undefined


Paulascrap 26/02/2019minha estante
Penso igual o final destruiu a empolgação de um leitura incrivel até aquele ponto.




@our.little.books 28/03/2018

Um belo livro de fantasia
História é contada em 3 épocas diferentes, sob a perspectivas de 6 pesssoas. Conta a história de Rose e Sylvie. Piper, Amy, Jason e Margot crianças e adultos. A história começa quando Amy é acusada de matar toda a família exceto a filha mais nova. Junto ao corpo de Amy estava uma mensagem escrita :29 quartos, o que faz Piper e Margot se lembrarem de quando eram crianças. A narrativa passeia entre presente e passado, como se tivessemos lendo a mente da personagem. Lendo aqueles devaneios que todos temos, até que algo ou alguém nos puxa de volta para a realidade. É o primeiro livro de terror/suspense que eu li. Particulamente achei mais para fantasia mas gostei muito da história. Ficamos curiosa ( ao menos eu fiquei) para saber o que era o 29° quarto, mas a história se inclina para um outro desdobramento e o quarto passa a ser apenas um detalhe. Gostei muito, é aquele tipo de leitura fácil que você nem percebe o tempo passar. Acho válido para quem quer passar o tempo, em busca de uma boa aventura, mas se você estiver procurando uma história de terror vai se decepcionar. Particulamente gostei muito e recomendo.
comentários(0)comente



Pandora 24/01/2018

Gostei muito dos personagens e a história me agradou, principalmente a parte ambientada nos anos 50/60. A narrativa prende a atenção e nos faz ficar curiosos sobre o desenrolar da trama, tanto que acabei a leitura em um dia. Só a resolução que não me agradou tanto, menos pelo fato de ser fantasiosa e mais pela forma como foi explicada. Não colou.
Mas foi até bom ler algo como este livro num momento em que eu estava com dificuldade de me fixar numa leitura: foi divertido e não exigiu muito de mim.
comentários(0)comente



Fabio Pedreira 20/12/2017

A Torre do Terror
Olá pessoas, vamos falar sobre A Torre do Terror? Mas hey, você leitor que não gosta de terror, tenha calma, leia a resenha até o fim, pois, apesar do nome, esse livro está mais para suspense com resquícios de fantasia do que terror propriamente dito.

E aí eu já devo começar fazendo uma pequena observação, a de que a culpa de passar essa impressão seja da tradução, pois o nome original do livro é “The Night Sister”, o que faria muito mais sentido do que o título que escolheram. A Torre do Terror faz sentido? Faz, mas o original combina muito mais, e talvez não passasse tanto a ideia de terror.

Não que o livro não tenha certos aspectos de terror, mas não é tanto, é algo mais voltado para o suspense, coisas que a gente encontra até em alguns livros policias. A diferença é que existe um tom de fantasia ali envolvido. Mas chega de enrolação e vamos ao que importa.

A história do livro se passa em 3 momentos, um nos anos 50, outro nos anos 80 e outro nos “dias atuais” (que no livro é 2013). Cada tempo conta com personagens de uma mesma família ou amigas das personagens, é tanto que os capítulos se passam através do ponto de vista dos personagens, igual a livros como As Crônicas de Gelo e Fogo. E aqui teremos o ponto de vista de Rose, Amy (filha de Rose), Piper (amiga de Amy), e Jason (cunhado de Piper).

O que vou contar agora não é spoiler já que acontece logo no início do livro. Ele se inicia com Amy se preparando para fazer algo, ela anda meio assustada e preocupada com o que as outras pessoas vão pensar do que ela está prestes a fazer. Ela pega uma espingarda e vai para o quarto. Bom, logo depois Jason recebe um chamado da polícia (ele é policial) avisando que houve uma ocorrência no hotel da família de Amy e ao chegar lá ele descobre que Amy está morta, assim como seu esposo e seu filho pequeno e a única sobrevivente foi a filha dela que também é pequena.

Assim Jason avisa a Margot, sua esposa, que acaba ligando para sua irmã Piper para contar o que aconteceu, já que todos três eram amigos de Amy na infância, fazendo com que Piper pegue o avião para visitá-la. Piper e Margot resolvem que a história deve ser investigada e aquele corre atrás para descobrir o que realmente aconteceu, já que sua irmã Margot está gravida e não pode sair da cama.

Já na parte do passado ela vai mostrar Rose e Sylvia, duas irmãs muito diferentes. A primeira é a famosa esquisitona, que não tem amigos, vive nos cantos, tem ciúme da irmã e etc, enquanto a segunda é a descolada, popular, querida por todos e cheia de qualidades. O problema é que Rose desconfia que sua irmã possa ser mais do que ela aparenta.

Isso porque Sylvia vive sumindo de noite, e de alguma forma sempre consegue estar na cama quando Rose chama a mãe para ver. Então, claro que Rose passa a tentar cada vez mais pegar a irmã no flagra à noite para provar que ela não está errada e daí o título original “The Night Sisters” o que faria muito mais sentido sendo que boa parte da trama se deve aos mistérios que acontecem com elas à noite.

O título em português se dá devido ao fato de que esses mistérios geralmente se passam em uma torre que o pai de Rose construiu para sua esposa, o que também faz sentido, mas não fica tão bom quanto o original. Mas enfim, já disse isso, porém, toda a trama muda a meu ver por isso, em que o primeiro dá o tom de fantasia e o segundo dá o tom de terror e o correto do livro é adivinhe qual? O primeiro.

O livro traz um tom de fantasia maior que o de terror ao colocar a possibilidade de um monstro, chamado Mara, onde ele pode se transformar em qualquer bicho que ele quiser durante a noite, enquanto que, pela manhã, ele volta ser uma pessoa. Aí você me pergunta, “mas Fábio, se é monstro não é terror?” e eu te respondo... Não necessariamente. Depende do rumo que você dá a ele. Um exemplo: O “Monstro” do livro O chamado de monstro ou 7 minutos depois da meia-noite (Título que recebeu após o filme e que terá resenha em breve) ele é mais uma consciência para o personagem principal do que um monstro em si.

Mas falando assim parece até que não gostei do livro e isso não é verdade. Apesar de eu ter acertado o plot twist na metade do livro e de ele ter alguns furos, eu gostei bastante. É um livro bem escrito, a autora conseguiu amarrar todos os tempos de uma forma muito boa sem fazer com que você se perca, e independentemente de você descobrir ou não o final da história, a escrita dela te prende de qualquer jeito, deixando você intrigado com a leitura e querendo ir até o fim, ficando até tenso às vezes com o que pode acontecer.

Os personagens também são muito bem desenvolvidos e fácil de você se identificar com pelo menos um. O único ponto realmente negativo para mim foi o final. Não é nada que estrague a leitura, mas minha reação ao terminar de ler foi “sério que é esse final que vão dar para o livro? Assim, sem mais nem menos?”. Mas enfim, eu dou 4 estrelas para esse livro, só não dou mais pelo final que como eu disse, não é ruim, mas é meio “oxe, tá faltando algo”.

Então até a próxima e cuidado com as mariposas.
comentários(0)comente



Ana Luiza 13/12/2017

Sombrio e impactante
A Torre do Terror é uma deliciosa e cativante mistura de suspense psicológico com terror. Na história, três tempos históricos diferentes, três gerações da mesma família e um antigo hotel se envolvem em mistérios e pesadelos da vida real. Nos anos de 1950, uma garota tenta descobrir se a irmã é um monstro. Nos anos de 1980, três amigas buscam a verdade sobre a tia desaparecida de uma delas. E, nos anos 2010, duas irmãs adultas tentam lidar com a morte sangrenta e misteriosa da amiga de infância.

Com uma trama que consegue manter o suspense a tensão do início ao fim, deixar o leitor arrepiado durante a leitura e chocado com o final intenso e emocionante, eu amei A Torre do Terror. O livro conseguiu me cativar com sua história beirando ao bizarro, mas que, no final, fala sobre os conflitos pessoais de personagens profundos, suas relações consigo mesmos e com suas famílias. Levantando perguntas como “será que uma pessoa normal pode esconder um monstro dentro de si?” e até mesmo se “podemos evitar relações abusivas e tragédias familiares?”, A Torre do Terror se tornou, definitivamente, um dos melhores livros que li em 2017 e me deixou curiosa para devorar mais obras da autora.

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2017/12/resenha-torre-do-terror-jennifer-mcmahon.html
comentários(0)comente



Jaque - Achei o Livro 08/12/2017

Leitura que prende do início ao fim!
Acho que esse foi um dos livros mais difíceis de se resenhar.
É uma estória que te prende de uma maneira que fica impossível abandonar o livro!
Pra se ter uma ideia, comecei só pra ver se gostava e li 70 páginas logo de cara.
A Jennifer McMahon tem uma maneira muito envolvente de escrever. Ela consegue expôr todos os fatos numa narrativa ágil e sem rodeios.

Esse livro vai se dividir em capítulos de datas diferentes.
Irá começar em 2013 (época atual da estória) e vai focar mais nas irmãs Piper e Margot e em Jason, que é policial e marido da Margot, grávida de quase 9 meses.
As duas eram amigas de infância da Amy, que depois de um fato ocorrido ainda na adolescência, se afastaram.
A estória se passa em Londres (Vermont) e começa com o assassinato da família de Amy e seu suposto suicídio.
Jason que é o policial da pequena cidade, é chamado na cena do crime e fica chocado com o que ele encontra.
Margot então liga para a irmã que atualmente mora em Los Angeles, conta da tragédia e pede que ela venha pra cidade.

Depois a estória vai ser contada em 1955, quando o Hotel da Torre está no auge das suas funções. Ele é propriedade de Clarence, um ex combatente da guerra e sua esposa Charlotte e são pais de Sylvie e Rose.
Aqui a estória ficou bem mais interessante em minha opinião. Vai ter muito mistério e desaparecimentos.
Rose é mais nova e a narrativa do passado será em função dela. Ela é uma menina com uma imaginação muito fértil e muito impressionável e depois que recebe a visita de sua avó materna põe na cabeça que sua irmã mais velha é um monstro.
Sylvie é a mais bela das duas. Uma menina inteligente e que sonha em ser atriz de cinema.
Os quatro, mais o tio Fenton, formarão essa família que estará envolta em um mistério que irá se desenvolver durante toda leitura.

Depois teremos a narrativa em terceira pessoa dos amigos Amy, Piper, Margot e Jason e se passará durante a adolescência deles, no final dos anos 80.
Amy é filha de Rose que desapareceu e portanto foi criada pela avó Charlotte.
Quando as meninas descobrem uma mala com roupas e jóias abandonada na torre, elas começam uma investigação para saber o que aconteceu com Sylvie.
Após algumas descobertas, Amy corta definitivamente relações com as amigas e depois disso elas nunca mais se vêem.

É incrível a maneira que a autora conta a estória, com tantos personagens e tempos diferentes e você não precisa voltar as páginas nenhuma só vez para recapitular.
É uma escrita fácil, clara e a narrativa é contagiante! Te prende completamente!
Eu adoro o estilo dessa autora, me apaixonei pelo livro Prisioneiros do Inverno e ele se tornou um dos meus thrillers favoritos.
Porém, apesar de ter adorado a narrativa, ter adorado o mistério e a maneira como ela conduziu a trama sem se tornar cansativa, eu detestei o desfecho. Sim, detestei, o que é uma pena pois estava dando 5 estrelas pro livro.
Achei inverossímil demais, fantasioso demais. Esperava algo e veio uma coisa totalmente diferente, mas não no bom sentido.
Contudo quero alertar que mesmo eu não tendo gostado, tenho certeza que muitos irão amar. Acontece que esse tipo de desfecho não é minha praia, então dificilmente me agradaria.
Pelo final da estória, vou dar 4 estrelinhas para ele mas eu super recomendo.
É um livro incrível, muito bem construído e amarrado e que prende sua atenção do início ao fim!
E que venham mais livros da Jennifer McMahon!

site: http://acheiolivroperdiosono.blogspot.com.br/2017/12/a-torre-do-terror-jennifer-mcmahon.html
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2