O Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe Antoine de Saint-Exupéry


Compartilhe


Resenhas - O Pequeno Príncipe


2472 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Davisson 09/01/2009

Traz toda a ingenuidade de uma criança e nos ensina a valorizar o sentimentos alheios e próprios.
Soloh 06/06/2011minha estante
Falou e disse!


Andressa 04/04/2012minha estante
O livro mais fofo, mais lindo e simples que já li...


Pedro Ayres 13/09/2012minha estante
Grande livro.


Isabele 25/03/2013minha estante
"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"

E o Pequeno Príncipe me/nos cativou.
Um dos preferidos.


Dan 30/03/2013minha estante
Extremamente simples mas indiscutivelmente complexo.
Esse livro é perfeito.


Aline 17/10/2013minha estante
Amo este livro!


Thaynary 15/11/2013minha estante
Nossa, com toda a certeza um de meus livros favoritos!
Com toda a simplicidade esse livro consegue expressar em palavras a maioria dos sentimentos que por muitas vezes consideramos indescritíveis. Livro perfeito, metáforas incríveis, digno de nota. E como já dizia a raposa: "O essencial é invisível aos olhos"


Débora 27/08/2016minha estante




Hassiba 31/08/2016minha estante
"Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos". Se fosse regra para o ser humano...


Bruninha.Azevedo 31/08/2016minha estante
Um livro que mais adultos deveriam ler, pois irá ensiná-los muitas coisas. s2


Maria.Angelica 07/10/2016minha estante
O Pequeno Príncipe
O pequeno príncipe escalou uma grande montanha. As únicas montanhas que conheceu foi três vulcões que lhe patiam no joelho de uma montanha tão alta como esta e pensava que ele veria todos o planeta e todos os homens. Mas só viu pedras pontudas como agulha. Também achava o planeta engraçado, ele pensou então que era completamente seco potrudo la é salgado e também os homens não tinham imaginação. Ele conta que o planeta tinha uma flor e era sempre ele que falava primeiro, mas aconteceu que o pequeno príncipe tinha andado muito tempo pelas areias e pelas rochas e neve ,ai ele descobriu uma estrada .
Eu gostei do livro, pois ele fala de um menino que desenvolve a cada capítulo a infância dele e de repente retornam os sonhos. Esse livro ensina como aproveitar a infância.




Jonathan 23/01/2010

A prova concreta de que idéias e sentimentos podem ser expressos de forma simples, tão simples, que parece coisa de criança.
NiaraH 07/08/2011minha estante
concordo plenamente, as coisas são simples, muito simples que parecem coisa de criança, porém, não é bem assim que todos enxergamos, gostamos de complicar as coisas, sempre deixa-las maiores do que realmente são, enquanto a beleza de tudo esta no simples e pequeno.


Jan!nha 22/12/2011minha estante
verdadee' pois "o essencial é invisível aos olhos" !


patita 01/10/2012minha estante
Singelo e, por isso, lindo.


Alemoa 16/08/2016minha estante
Traz toda ingenuidade de uma crianca que nos ensina a valorizar os pequenos detalhes da vida!!!!!!




Júnior 02/07/2010

"Tu te tornas eternamente responsavel por tudo aquilo que cativas"

Mais do que simplesmente um livro... eh uma liçao de moral completa... Esse livro é lindo.

É preciso dizer que não é toda mente que vai compreender o que existe por detrás deste livro. Para muitos pode parecer uma simples obra escrita para crianças, e nao enchergará o que ha de mais puro nele.. Talvez muitos de nós não percebamos o que ha de valor no livro, pois o que ele expoe são valores escassos na nossa sociedade atual.

Respeito, cumplicidade, filosofia humana e valores morais estao sendo deixados de lado... E qnd vem retratado da forma mais simples, na forma de um livro, por ventura ILUSTRADO, aparecem uma serie de pessoas e diz que ele não passa de um livro INFANTIL.

Eh ai que percebemos a profundidade da compreensao humana!!!
Júnior 15/07/2010minha estante
Obrigado, Camyla!!!
:D


Ana 02/08/2012minha estante
Concordo plenamente!


Nayara 18/10/2012minha estante
Afinal, as pessoas grandes só entendem de números. =]


Jack 12/08/2013minha estante
Pessoal... Olha, sinceramente, já li esse livro 3 vezes e nunca vi nada de mais nele. Eu compreendi onde o autor quis chegar, mas não tem nada de incrível. Acho que esse livro é só pra quem realmente esqueceu de viver pra si... Só assim esse livro toca alguém. A mim, esse livro só me fez achar estranho o que a maioria das pessoas acham


Alemoa 16/08/2016minha estante
Traz toda ingenuidade de uma criança ,que nos ensina a valorizar os pequenos detalhes da vida!!!!


Pedro Costa 04/12/2016minha estante
"As pessoas grandes são de fato muito estranhas"


Vanessa 14/09/2017minha estante
Júnior, faço das suas palavras as minhas. Este livro não se trata apenas de uma história para crianças (algo que o autor tratou de deixar claro desde a primeira página), e sim de uma lição completa para a nossa vida. Acho que todos deveriam ler ao menos uma vez este livro. Impressionante o poder que 90 e poucas páginas tem de nos apresentar tanta riqueza de sentimentos e emoções!




Luiza Machado 07/08/2009

O Pequeno Príncipe não é uma história para crianças. É uma história que comenta criticamente os hábitos e vícios das pessoas grandes que nunca são questionados e que não fazem sentido. Fala sobre amizade, sobre o que realmente importa e o que eu mais gosto: ''Tu és responsável por aquilo que cativas.'' Emocionante por vários motivos. Uma história complexa ( sim! ) e muito bem feita.


Os filmes também são ótimos (versão desenho e versão com atores);


Um livro perfeito em todos os sentidos.







Ana Leonilia 03/04/2011minha estante
Concordo! ;)


Maressa 13/03/2012minha estante
Exatamente! E o único defeito do livro é ser tão curto ;(


Fah 19/09/2012minha estante
A parte em que fala sobre "cativar" é realmente emocionante.




William 18/03/2012

O Pequeno Principe
Sabe aquela sensação que você tem quando percebe que não deu o valor necessário a alguma coisa? Antes de começar essa resenha tenho que dizer que isso aconteceu com essa obra. A um termo muito famoso em games que descreve o que achei desse livro na primeiar vez: "Overused", seria algo como "muito adorado mas é ruim" para traduzir melhor, há coisas que são Overuseds, Jhonny Depp por exemplo, TODO personagem dele é a mesma coisa, um cara louco mas com carisma. Isso não é um problema já que ele atua bem como esse personagem, o problema é que ele SEMPRE faz a mesma atuação, em "Edward Mãos de Tesoura", "A Fantastica Fabrica de Chocolates", "Alice no País das Maravilhas", "Piratas do Caribe"... E mesmo assim as pessoas ainda acham ele um "ator versátil".

Quando li "O Pequeno Principe" pela primeira vez, com meus 7/8 anos, ouvi tantas maravilhas sobre o livro que fui esperando encontrar algo maravilhoso, e na época não encontrei, por isso o coloque inessa lista pessoal de "Overused", até que tive que que relê-lo e aí sim pude perceber uma coisa: Como ele é profundo e adulto, a primeira vista a história simples pode até parecer infantil, mas se analisada profundamente (como pude fazer agora e não podia na primeira vez) se mostra uma das melhores obras da literatura mundial.

Talvez pelo fato do principe ter algo que encanta todo tipo de publico: A inocência característica das crianças, A paixão pela flor mesmo com espinhos, tipica da adolescencia, e a vontade de descobrir a razão da vida dos adultos, ele se mostra um dos poucos livros que não é indicado apenas para uma unica faixa etária, e pode cativar tanto uma criança como um idoso em suas poucas páginas, contando a história do pequeno habitante do planeta B612 através do seu processo de crescimento.

A história começa pela visão de um aviador que está perdido no deserto e vivia uma vida simples pois deixou seu talento para desenho ser cercado pela monotomia dos adultos, mas que ao encontrar o principe vê a beleza nas coisas simples, e logo passa para o Principe, que após morar num planeta pequeno decidiu sair para compreender as complexas personalidades que podem ser encontradas no mundo. Junto com ele passamos pelo Rei, que é viciado em mandar mas nos ensina que só podemos exigir o que as pessoas podem nos dar, o Vaidoso, que nos mostra que não necessitamos da atenção dos outros mas precisamos reconhecer nossos próprios valores, o Bebado que tenta escapar de uma realidade que ele mesmo cria, o Homem de Negócios que nos mostra que não podemos gastar todo nosso tempo com as coisas importantes da vida, o Geólogo que sabe das coisas nas teoria mas não se arrisca a sair para ver se encontra algo novo, entre outros personagens que tem todos uma coisa em comum: Todos mostram traços que sempre estarão presentes na humanidade, e o principal, sem tomar partido em nenhum deles, o autor apresenta a situação pelo olhar ingênuo do principe e deixa que o leitor tome suas próprias conclusões sobre a situação.

No final, "O Pequeno Principe" se mostra um livro diferente, não pelo fato de poder ser apreciado por todos, ou por ser a história mais contada de todos os tempos, mas sim por ser um livro que não apenas se lê, mas que também se entende, algo muito raro de se ver...
comentários(0)comente



Márcia 04/07/2009

Bom..
Tenho que adimiti que me decepcionei um pouco. Ou vi sempre maravilhas deste livro e estava crente que não seria infantil, de tanto que falatam. Pois, infelizmente, achei o livro terrivelmente infantil. É agradável, é uma boa mensagem, mas nem por isso deixa de ser infantil. Não me "encantei", nem me deu vontade de ler várias e várias outras vezes. Só é um bom livro pra se ler pro filho à noite.
Craig 11/08/2009minha estante
Não gosto do pequeno principe, acho um livro muito infantil e idiota, [nunca li] mas deve ser mais ou menos isso.


Patrícia 25/08/2009minha estante
Quando você estiver mais madura ou adulta, releia. Se for realmente sensível, vai descobrir o que há por trás desse livro infantil.


Mih Alves 09/10/2009minha estante
o livro também não me encantou... achei que fosse perfeito, magnífico, já que falavam tanto dele..


Jonathan R. 09/07/2010minha estante
"[nunca li] mas deve ser mais ou menos isso" foi tenso!

O livro não é explicitamente inteligente, você tem que tentar ver as inúmeras lições que ele busca passar, por isso que é muito mais do que um livro infantil.


AdrenA 16/07/2010minha estante
Bah, os adultos... perdem mesmo o "encanto"

julgam sempre os livros infantis, infantis demais para os adultos...


Arrieiro 16/12/2010minha estante
Trícia, gosto muito do livro, sim.

Nem por isso, pessoas que não gostam são menos ou mais sensíveis do que os demais. Uma pequena advertência para que não se sinta "superiormente sensível" porque "conseguiu perceber a sofisticação" do livro.

Cara Márcia;

O autor pretende ser infantil no sentido de ver o mundo com os olhos de uma criança. As perguntas sobre o óbvio que as crianças fazem e que surpreendem os adultos só funcionam a partir da predisposição de deixar os olhos cansados de lado e assumir a mesma postura questionadora e serena.

Relembre como se desenvolveu o amor do Príncipe pela Rosa - de como ele atendia às suas exigências, como desejou partir, conhecer outras pessoas, perceber que a Rosa era comum (ordinária) mas que, para ele era especial, perceber seu sentimento de responsabilidade que o liga àquela Rosa e não a qualquer rosa, e desejar voltar, mesmo que por meio da morte. Tudo isso contemplado por uma criança que não sabe e não pretende achar que sabe o que quer que seja sobre a vida.

Espero ter ajudado;

Boa Leitura


@raphaelpcosta 16/03/2011minha estante
vc pode ter se decepcionado pq o livro é totalmente SUPERESTIMADO. Verdade, ele tem uma profundidade legal, mas não é o rei da cocada preta, rs.


Márcia 16/03/2011minha estante
Obrigada ^.^


Gi 20/05/2012minha estante
Li e não gostei simples assim, criança ou adulta é um livro bobinho ao extremo, questão de gosto sou apaixonada pela história de Dom Quixote e sei que muitos detestam entâo....


Cândido 13/08/2012minha estante
Vou tentar ler pela terceira vez e nas vezes anteriores tive a mesma impressão. Guardei e agora vou recomeçar a leitura dele.Quem sabe agora o veja de outra forma.


Lila 31/08/2012minha estante
Eu simplesmente detesto esse livro! Todos ao meu redor falam que ele é muito bom, um dos melhores livros que existe e tal. Pra mim é um dos piores! Já li umas 10 vezes pra entender o motivo das pessoas gostarem tanto dele, mas a cada vez que leio mais eu detesto! Simplesmente não gosto!


Susu 15/11/2012minha estante
Gente pensei que era só eu que tinha detestado....


Bruna Gomes 22/12/2012minha estante
Nada contra quem não gostou do livro, é um direito. O que me deixa zangada são as pessoas julgarem (mal) sem nem conhecerem... é muita presunção! Só um toque pra essas pessoas, é por causa de atitudes assim que o mundo está em decadencia!


Márcia 25/12/2012minha estante
Bruno, não entendi seu comentário. "Julgar mal o que não conhece?" Eu li o livro, viu? "Atitudes assim?" Que atitudes? Não acho que minha pobre resenha tenha influênciado o mundo.


Susu 15/01/2013minha estante
E sabe uma coisa que me deixa muito chateada? é o fato de qdo eu digo que detestei o livro, as pessoas insistirem em dizer que eu não o entendi. Sim entendi, só não gostei...qual o problema?


Márcia 15/01/2013minha estante
Concordo. Por acaso uma tiragem de milhões de vendas tira meu direito de não gostar do livro?


Luana 17/03/2013minha estante
Realmente tem uma linguagem infantil, mas a verdade é que, se contada para uma criança, a história não vai passar a mesma mensagem. O autor quis relembrar os sentimentos de nossa infância e, assim, fazer com o que leitor faça uma auto-análise de seus atos.


Luma Saggin 06/06/2013minha estante
Não gosta pois não entendeu!


Márcia 07/06/2013minha estante
Nossa, esse comentário negativo é tão clichê que nunca mais tinha lido ou ouvido ele sem enfeites de palavras bonitas.

Parabéns pela coragem de se expor assim, Luma. :)


Toni 15/08/2013minha estante
Não seria: ouvi?


flávia 22/11/2014minha estante
Li criança, jovem e adulta (espero reler na terceira idade). E posso dizer que as mensagens são diferentes a cada fase, a cada leitura, portanto, não acho o livro infantil, vez que tirei lições completamente diferentes ao ler em fases distintas. Tente mais tarde, quem sabe...


Joyce 22/01/2015minha estante
"Tu não passas de um cogumelo ! "


Reschl 19/04/2016minha estante
Ser adulto é a mesma que:

Entrar nos padrões para não ser excluído.

É uma tipo uma segunda adolescência, só que agora você tem quer ser "sério".

Se você não é como todos vai ser chamado de:
-Vagabundo
-Irresponsável (a fase adulta só tem pessoas sérias, nunca se esqueça disso. hihihihi)
-Fracassado
-Solitário
-O cara que acha que a vida é brincadeira.
-Criança, imaturo, etc. A mesma coisa que alguns adolescentes dizem para outros adolescente na adolescência dos adolescentes.

Foi o que o meu pai me disse.


Mário 10/06/2016minha estante
Um livro de caráter filosófico e que busca valores sociais pode tornar-se um pouco "pesado de se ler", e embora pareça infantil, afinal, é direcionado ao público infantil, agrega valores morais ao ser social, e sinceramente, este é o verdadeiro valor de um livro, seja ele ficção, romance, acadêmico, ou simplesmente para ler pra o filho à noite. Pra mim é um ótimo livro, e pra crianças então...


Roberto Oliveira 07/09/2016minha estante
Concordo, um dos piores livros na minha opinião, chato demais!!!
Esse livro comprova que nem tudo que a maioria gosta é realmente bom.



Arieny.OLiveira 07/10/2016minha estante
Pequeno principe
Era um menino que só desenhava jiboia, que um dia ele estava sozinho e apareceu um passageiro que mandou ele desenhar um carneiro, só que ele não sabia desenhar, ele desenhava tudo menos o carneiro.
Não,gostei desse livro porque achei muito chato.


Arieny.OLiveira 07/10/2016minha estante
Pequeno principe
Era um menino que só desenhava jiboia, que um dia ele estava sozinho e apareceu um passageiro que mandou ele desenhar um carneiro, só que ele não sabia desenhar, ele desenhava tudo menos o carneiro.
Não,gostei desse livro porque achei muito chato.


Stefany.Pereira 23/02/2017minha estante
Nossa, achei que fosse a única que meio que se decepcionou com esse livro. É fofo? Sim. Mas esperava mais...




Roseli Camargo 03/11/2010

Acreditem, eu nunca tinha lido esse livro. Estava com meu marido no shopping e sempre vamos a livraria. Como íamos ao cinema e faltava 3 horas, resolvi entrar na Cultura e ler esse livro. Alguns pessoas que eu conheço haviam dito que o Príncipe era meio depressivo e blá blá blá. "Destrui" o livro em 40 minutos. Achei fantástico e com certeza o lerei de novo. Li com uma certa vergonha de mim mesma, pq depois de adultos algumas vezes perdemos a visão mais pura que tínhamos quando éramos menores, preferimos as coisas práticas ( até por necessidade ) às coisas mais sublimes e com o olhar inocente de uma criança. Para nós que lemos, os personagens parecem inusitados, mas na verdade são o espelho de nós mesmos, de tudo aquilo que nos preocupa e nos revela o quanto deixamos de nos importar com coisas importantes como abrir o coração de verdade à alguém. Sábia a raposa que disse: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.


Comprarei esse livro para que ele seja o item de minha estante para ler quando eu me tornar um adulto 100%, pois hoje, mesmo sendo " gente grande", ainda não perdi minha visão de amar e acreditar nas pessoas sem ter nada em troca, ou seja, como o coração de uma criança.
Thai Mafra 07/02/2011minha estante
Linda resenha


Carolina 30/06/2011minha estante
Sabe que eu também nunca li?! Mas depois da sua resenha me deu uma tremenda vontade de ler ;)


Roseli Camargo 01/07/2011minha estante
Leia Carolina e não irá se arrepender. Eu achei lindo.


Silvia 12/03/2012minha estante
tambem quero ler este livro kkkkk


Aline 24/12/2012minha estante
Adorei "destrui o livro"... kkkkkk
O livro é d++




Mandark 13/06/2009

Eita livro perfeito! Quando o ganhei do meu primo, ele me disse: "Quando você o ler agora pode não entender tudo que ele tem pra te falar... Mas não se preocupe, esse é um livro para se ler diversas vezes..." Na hora eu não entendi nem o que ele quis dizer... Afinal era um livro infantil. Eu já até tinha visto o desenho na TV... Mas realmente... Eu acho que já o li mais de 8 vezes... E sempre descubro algo novo. Se você tiver um tempo livre, mesmo que já o tenha lido antes, se puder, releia-o... Acredito que não vai se arrepender! Uma história para todas as idades, uma história que cresce e amadurece junto com você! Um livro para ser lido e relido em todas as fazes da vida!
mpin 04/09/2017minha estante
Muito verdade, isso. Eu não sou de ficar relendo livro, mas esse... devo ter relido umas dez vezes. E o livro sempre cresce quanto mais você lê, impressionante. Comprei pela Amazon uma edição com comentários de famosos que o leram, como o Léon Werth e a autora de Mary Poppins. E é impressionante: se entre os mestres da escrita o livro é ímpar, imagine para nós, leitores. Acho que não tem nada mais solitário do que a vida adulta, e o livro reflete sobre isso com tanta propriedade que permanece na memória independentemente de sua idade. Acho que, no final das contas, O pequeno príncipe não é para a criança dentro de você, mas para o adulto dentro de você... a gente apenas se esqueceu de que a criança sempre vai morar dentro de nós. Não sei se isso faz sentido para alguém... mas é como eu disse: é uma obra que se transforma à medida que se relê.




maria 12/12/2009

Impressões
Classico. Eterno.

É impressionante como eu sempre leio esse livro... não sei porque, vira e mexe alguma coisa me faz correr até ele... ontem eu escutei a versão gravada pelo saudoso Paulo Autran, e mais uma vez, e de novo, Eu me apaixono.

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos".

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas".

"Foi o tempo que dedicastes à tua rosa que fez tua rosa tão importante".

Lima Neto 09/01/2010minha estante
um livro perfeito, feito para jovens de todas as idades, dos 8 aos 80 anos. um livro em que, a cada vez em que se lê, se tem uma impressão diferente, se aprende um pouco mais, se bebe a história de uma maneira diferente e mais saborosa que da anterior.


Leo 01/07/2010minha estante
haha oia eu ai (by Maria)




Rafael Palone 20/01/2010

"O Pequeno Príncipe" é um livro leve, porém repleto de significados. Como o próprio autor diz, pode até ser um livro de criança, mas que serve para todas as idades. E, não importa qual a idade, as frases ditas nesse livro são para todas as pessoas.

A frase que mais me marcou quando tive este livro em mãos foi "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". Cativar quer dizer ser responsável... Ser responsável pelo amor de alguém. Pelo amor que você conseguiu de alguém e, quem ia imaginar que em um simples livro de 95 páginas, que algumas pessoas dizem ser "infantil" iria ter uma frase que deveria ser tão valorizada nos dias de hoje, em?

Também adoro a colocação que o principezinho faz com a rosa e com as estrelas. Não lembro ela decor, só sei que é uma passagem muito bonita do livro. Mas ,sem dúvidas, o autor, Antoine de Sant-Exupéry é um autor e tanto que merece muito reconhecimento. Para você, que ainda não leu esse livro, experimente.

É um livro curto, algo que pode-se ler em um dia, mas contém mensagens que serão guardadas para sempre.
comentários(0)comente



Andre 30/04/2009

Um livro que definitivamente não é só para crianças
Este é da série de livros que deveria ter lido quando era criança. Mas este livro não é propriamente para crianças; serve para qualquer um que queira ter uma reflexão da vida e das coisas que cada homem faz dela.
Eu nem ia ler esse livro, mas vi na mão de uma colega minha e decidi lê-lo. E por que lê-lo? Porque eu quis, porque sempre tive curiosidade de lê-lo! E não me arrependi.
A sua linguagem é bem simples, a história é simples, porém, o autor enche o livro com metáforas, que se interpretadas corretamente, tem muita coisa a ver como nosso cotidiano.
Márcia 23/08/2009minha estante
O Livro é realmente simples e encantador. Também o li por pura curiosidade.


J.C. 28/04/2010minha estante
Ao contrário de vocês, este é o livro da minha infância! Eu o li incontáveis vezes, porque achava a história legal, mas no ano passado o reli, e finalmente entendi as metáforas! Este livro deslumbrante, em qualquer ponto de vista!


Aline 11/10/2013minha estante
Li porque esta na lista de muitas pessoas como favorito e depois que li entrou na minha também.
Recomendo para todas as idades!




Breno Melo 03/01/2015

O Pequeno Príncipe

O Pequeno Príncipe é um livro de Saint-Exupéry originalmente escrito para crianças, mas que também agradou em cheio aos adultos. Nele, conhecemos um pequeno príncipe que viaja pelo espaço até chegar à Terra, onde faz companhia a um aviador que havia feito um pouso de emergência no deserto. Um dos livros mais conhecidos – e adorados – da Literatura mundial.



O pequeno príncipe vive num planeta muito, muito pequeno – o asteroide B-612 –, onde cuida de sua rosa, até que um dia, aproveitando uma revoada de pássaros em migração, viaja pelo espaço, de planeta em planeta, conhecendo pessoas diferentes. Sua maior aventura, entretanto, acontece na Terra.

O pequeno príncipe faz companhia a um aviador que havia caído no Saara. Com água racionada e tendo que consertar sua aeronave dentro de alguns dias por questão de sobrevivência, ele perde o humor. O pequeno príncipe, sempre rindo ou bem-humorado, faz toda a diferença.

O pequeno príncipe pede ao aviador que desenhe um carneiro, e esse trecho do livro é antológico. Outras cenas não necessariamente melhores, porém mais conhecidas devido a certas falas que aparecem nelas, são a dos baobás ou a da raposa.

"Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim o único no mundo. E eu serei para ti única no mundo..."

O pequeno príncipe, embora amasse sua rosa, estava cansado de suas exigências – não se davam lá muito bem apesar do amor dele por ela – e aproveitou aquele bando de pássaros migratórios para pegar um carona, por assim dizer. Na Terra, depois de ter passado por outros planetas, é que ele conheceu a raposa e o aviador.

O aviador é quem nos faz o favor de narrar esta história tão simples quanto sublime ou única.

Embora o livro seja para crianças, ele costuma agradar aos adultos de um modo especial ou singular. O livro traz reproduzidas algumas aquarelas do autor. Esses desenhos, embora não essenciais à compreensão da história, são especiais porque foram pintados pelo próprio Saint-Exupéry.



Mas quem é o pequeno príncipe, sua rosa e o aviador que vemos na história?

Quem já viu as aquarelas que aparecem no livro e fotos de infância do autor, deve ter notado a grande semelhança. O fato de o pequeno príncipe viajar pelo espaço, indo de mundo em mundo, não deixa de lembrar o fato de o autor – um aviador – também viajar pelos céus, pelo Velho Mundo (Europa e África) e pelo Novo Mundo (América).

O pequeno príncipe não seria outra pessoa senão o autor quando criança, e o aviador não seria outra pessoa senão o adulto que ele era no momento em que escreveu o livro, mas um adulto que ainda mantinha contato com aquela criança que ele foi um dia. Vontade de retornar à infância é um clichê que alguns poderiam mencionar aqui, mas direi coisa melhor...

A rosa com seus espinhos que o pequeno príncipe deixa para trás em seu asteroide não deixa de nos lembrar a esposa de Saint-Exupéry com quem ele não se entendia lá muito bem, e que ele também deixava para trás, viajando pelos ares como aviador. Embora Saint-Exupéry a amasse muito, eles tinham seus atritos; a relação deles era turbulenta.

As características humanas que o pequeno príncipe atribui à sua rosa não são lá muito diferentes daquelas que Saint-Exupéry atribuía à sua esposa; e os motivos para que o principezinho e Saint-Exupéry voassem por aí são surpreendentemente os mesmos.

Além disso, as cartas do autor adulto à sua mãe e a maneira como ele se dirige a ela – uma maneria mais que carinhosa, quase infantil –, não deixa de nos lembrar a criança que é o pequeno príncipe.

A rosa seria, portanto, a esposa que ele queria proteger, mas de quem se via obrigado a se afastar de quando em quando; e essa rosa tinha seus espinhos.

O jardim cheio de rosas que o pequeno príncipe avista no livro, não são senão outras mulheres na vida do autor. Estamos falando de infidelidade. Mas havia uma rosa que era especial, que era única entre tantas...



Originalidade. Histórias em que outro personagem – uma espécie de segunda versão de nós mesmos – aparece em nosso auxílio como mentor, nos ajudando a evoluir, não são assim tão raras. Não deixa de ser um encontro de nós com nós mesmos, e isso é sempre singular, para não dizer místico ou transcendental. Além disso, melhorar como adultos, voltando à infância, à criança que um dia fomos, embora paradoxal não deixa de ser uma ideia romântica. A originalidade do livro está, mais propriamente, no fato de na verdade ser um livro adulto escrito em linguagem infantil. Desilusão com o amor por uma mulher e também desilusão com a amizade entre os homens são, no fundo, os grandes temas de O Pequeno Príncipe. E isso não é matéria de crianças; é matéria de adultos.

Aqui, o autor se queixa de seu amor pela esposa através das palavras do pequeno príncipe, sendo que as flores são as mulheres:

"Eu nunca deveria tê-la escutado, me confiou ele um dia, não se deve escutar nunca as flores. Devemos somente olhá-las e respirá-las."

Já aqui, o autor se queixa da amizade entre os homens através das palavras da raposa:

"A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!"

Daí podemos concluir que, no momento em que Saint-Exupéry escreveu seu livrinho, seu petit livre, ele se sentia um homem solitário e não completamente feliz no amor. Dessas duas insatisfações, nasceu o pequeno príncipe.

Tradução. Le petit prince... Mon petite maman... etc. Da mesma forma que o autor usa o adjetivo petite para dizer mamãezinha em suas cartas, ele usa a forma masculina petit para dizer pequeno príncipe em seu livro. Pequeno príncipe, portanto, não seria exatamente um príncipe pequeno ou jovem, mas antes de tudo um principezinho, num modo carinhoso de o autor se referir a ele. Ninguém traduziria Mon petite maman como Minha pequena mamãe, mas, sim, como Minha mamãezinha, em tom afetuoso.



Recomendo O Pequeno Príncipe a qualquer leitor que tenha um mínimo de sensibilidade, um mínimo de humanidade, o que não é lá muito raro entre leitores. Não direi que recomendo o livro às crianças, mas a todas as faixas etárias. Certamente uma superleitura para todas as idades.


site: http://superleituras.blogspot.com.br/
Juliana Garcez 25/01/2015minha estante
Amo esse livro!




Renata CCS 15/07/2016

Qual a melhor maneira de contribuir para um mundo melhor se não cativando as crianças?
.
“Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança
Ele vem pra me dar a mão”
(Bola de meia, bola de gude – Milton Nascimento)


Este é um dos livros mais vendido do mundo e o que mais chamou a atenção foi a capacidade que a história tem de encantar leitores de todas as idades, incitando um olhar mais zeloso para o mundo.

O autor de O PEQUENO PRÍNCIPE, Antoine de Saint-Exupéry assume também o papel de narrador, contando sobre o desastroso dia em que seu avião caiu no meio do deserto do Saara. Cansado demais para trabalhar no conserto, ele logo adormece sobre a areia. Acorda com uma voz de criança, pedindo que ele lhe desenhasse um carneiro. Abrindo os olhos, se depara com um menino de cabelos dourados e roupas extravagantes. Eis o nosso principezinho!

O livro todo é narrado de forma poética, com o toque inocente de uma criança. A obra tem uma linguagem muito fácil e próxima do público infantil, sendo que, quando uma palavra mais difícil é utilizada pelos personagens adultos, tem o significado explicitado em seguida, contribuindo para o melhor entendimento das crianças. É uma história simples e facilmente assimilável.

Essa obra vai além de um clássico para o público infantil. É um grande exemplo para crianças e para adultos. Os diálogos questionam condutas e nos mostram como cada mínima coisa tem seu valor, levando o leitor a refletir sobre o objetivo dos próprios atos. Os valores discutidos são perfeitos na formação de um caráter.

Creio que o que torna esse livro um clássico imortalizado entre gerações é sua atemporalidade. As mensagens por trás da leitura dependem da interpretação de cada um, que conforme a idade e do momento que está vivendo, dará um significado diferente cada vez que as páginas forem revisitadas. Cada um é tocado de uma forma única.

Recomendo que seja lido com o coração aberto. Que seja lido com olhos de criança, que são sempre nossos melhores olhos.
Helder 31/07/2016minha estante
Fiquei curioso em saber: Vc já tinha lido este livro antes ou foi a primeira vez agora? Pergunto isso, pois acho que este livro tem que ser lido em diversas idades, pois a cada idade percebemos uma nova mensagem. Lembro de tentar lê-lo quando criança e não conseguia passar da parte da cobra que engoliu um elefante, pois assim como os outros, eu também só via um chapéu e achava aquilo tudo muito idiota. Ate que um dia, já pré-adolescente resolvi passar dali e fui brindado com um dos livros mais especiais que existe. Preciso lê-lo de novo agora nos 40.


Renata CCS 03/08/2016minha estante
Helder, não tinha lido, mas conhecia a história. Estranho, pq conheço muitas pessoas apaixonadas por esse livro, mas nunca o tinha pegado em mãos. Estava no Shopping um dia, entrei na livraria, comprei o livro e um café. Fiquei encantada com o principezinho logo nas primeiras páginas. Lamento não ter lido antes, para poder comparar impressões com uma releitura. Mas é um livro para ser lido e relido, em qq idade.




Isa Martins 18/03/2012

O Pequeno (Grande) Príncipe
O Livro "O Pequeno Príncipe", feito pelo autor francês Antoine de Saint-Exupéry, lembra uma fábula, onde o príncipe conversa com plantas e animais. A história é em primeira pessoa, e o narrador conta como conheceu o pequeno príncipe e nos conta a sua história. Talvez a maioria das pessoas diz que esse livro é infantil, mas quem realmente deveria ler são as "pessoas grandes", que só se preocupam com números e esquecem de procurar a felicidade que está na simplicidade, bem do lado.
O narrador lembra do seu primeiro desenho, mas também lembra de como os adultos não o compreendiam e não apoiavam o seu talento. Com tantas críticas, ele resolveu seguir outro caminho: ser piloto de avião. Um dia, em uma das suas viagens, o avião quebrou e ele teve que fazer um pouso de emergência. Enquanto tentava arrumar, um menino dos cabelos dourados apareceu de repente e pediu para ele desenhar um carneiro. E foi assim, que eles se conheceram.
O pequeno príncipe era um menino muito misterioso, quase não respondia às perguntas que lhes eram feitas, mas era insistente com as suas. Pouco a pouco, o narrador vai descobrindo mais sobre esse garoto, que mora em outro planeta e adora ver o pôr do sol quando está triste.
O menino se encontra ali, naquele momento, por conta da viagem que estava fazendo. Deixando o seu planeta, sua flor e seus vulcões, sai à procura de homens. Passa por vários planetas, onde todos os homens que os ocupam estão preocupados com poder e números. Ao chegar na Terra, ele encontra várias flores, uma raposa e uma serpente que garante que, se ele quiser, pode levá-lo de volta para o seu lugar.
Os dias vão se passando, até que chega o dia em que completa um ano que o príncipe está viajando e ele decide voltar para o seu planeta. O narrador fica muito triste com essa escolha, porque se encantou com o menino e com o seu riso. O pequeno príncipe está decidido e marca de se encontrar com a tal serpente, que o leva para o a terra de onde veio, que o leva para a estrela. Agora, toda a vez que o piloto do avião olha para o céu, escuta o riso do garoto. Agora, as estrelas o fazem rir.
"O Pequeno Príncipe" é um livro que nos faz pensar, que nos mostra que a vida não são só cálculos e poder. Livro para todas as idades, pois "todo homem traz dentro de si o menino que se foi".

comentários(0)comente



Dani 19/12/2010

Muito mais do que um clássico da literatura universal!
O Pequeno Príncipe é com certeza uma leitura obrigatória para os amantes dos livros, e para os que buscam aprender com eles.
Depois de ler um livro como esse, você percebe o quanto é pequeno diante das possibilidades que o mundo e as pessoas te oferecem, dia a dia. Você aprende que o seu amor é o maior do mundo e que tudo o que você sente é singular demais para ser explicado. Você descobre o valor de uma pequena flor e aprende que deve aceitá-la como é, independente de seus espinhos. Afinal, é isso o que o amor faz com a gente: nos faz desconsiderar as possibilidades de orgulho, nos fazendo desistir de julgar para pura e simplesmente ACEITAR! Aceitar no sentido de compreender, e não de se acomodar ou desistir.

Um dia é diferente do outro, mas a gente só percebe essa difereça quando VIVE para si e para quem se ama, buscando o melhor das pequenas coisas e indo sempre aos encontro de nós mesmos.

"-O que é um rito? -Perguntou o Pequeno Príncipe.
-É uma coisa muito esquecida - respondeu a raposa.
-É o que faz um dia ser diferente dos outros dias;
uma hora, diferente das outras."

É isso.

Chris Melo 24/12/2010minha estante
Manooo.... Sem palavras :'(


Kah 31/08/2016minha estante
Melhor livro s2
Tu torna se eternamente responsavel pelo que cativas...




2472 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |