Lock & Mori

Lock & Mori Heather W. Petty




Resenhas - Lock & Mori


5 encontrados | exibindo 1 a 5


blueriful 04/07/2018

Lock & Mori
Um livro que vai te fazer morrer de amores e te deixar curiosa
comentários(0)comente



Gramatura Alta 03/03/2018

Existem várias e várias obras literárias, cinematográficas e séries de televisão sobre Sherlock Holmes. Muitas são adaptações fidedignas, outras são apenas inspirações. Assim é com LOCK E MORI, que traz uma versão de Sherlock aos dezessete anos de idade nos dias de hoje, com o Google, celulares e toda a modernidade que preenche nosso cotidiano. Mas a originalidade desta versão não reside nele, mas em seu algoz, Professor Moriarty. Na obra, ele não é ele, mas, sim, ela, uma garota da mesma idade de Sherlock que tem o apelido de Mori, bem como Sherlock tem o apelido de Lock. O casal improvável estuda na mesma escola e, devido a uma série de assassinatos em um parque de Londres, acaba se unindo para descobrir quem é o assassino.

O livro é narrado por Mori, que é a personagem principal. Ela mora junto com o pai policial, extremamente violento, abusivo, e tenta proteger os três irmãos menores de surras diárias. Quando ela se envolve com Lock e os misteriosos assassinatos, fica dividida em se abrir para o garoto e revelar todas as torturas a que é submetida, ou manter o silêncio para evitar que ela e os irmãos sejam tirados do pai e separados por uma vida em orfanatos.

Lock apresenta a genialidade e a frieza do futuro detetive, mas com características mais humanas e mais próximas de um adolescente cheio de hormônios. Ele se interessa quase imediatamente por Mori, porque reconhece nela uma inteligência que rivaliza com a sua própria, algo que ele não esperava encontrar, principalmente no meio dos colegas de escola. A relação dos dois é conflituosa, mas ambos se entregam a um romance que, a princípio, parece um pouco desnecessário, ou que só acontece para tentar agradar aquele público jovem que anseia por beijos e conflitos amorosos. Bem, aos poucos, o leitor vai perceber que o romance tem um outro propósito.

Qual o sentimento que se iguala em intensidade ao amor? O sentimento que é o antagonista do amor, da mesma forma que Moriarty é de Sherlock? Sim, claro, o ódio. E que forma mais verídica de criar um ódio mortal se não através do amor? Então, sim, o objetivo da paixão que acontece entre Mori e Lock tem um objetivo muito claro, mas a longo prazo, uma vez que este é o primeiro volume de uma série de três, que já foram publicados lá fora, mas que ainda não têm prazo para chegar aqui.

LOCK E MORI é uma grata surpresa que aconteceu este ano. O mistério em volta dos assassinatos, que afeta diretamente Mori e toda a sua família, é simples e está ao alcance da inteligência de qualquer leitor, ao contrário das histórias originais de Conan Doyle. Toda a trama consegue dar uma prévia de como se constrói um vilão, ou, nesta caso, uma vilã, que não tem objetivos megalomaníacos, mas apenas tenta manter uma vida digna e tranquila para os irmãos, para si mesma, independentemente dos meios que ela precise utilizar para esse fim.

E é exatamente nessa moral de qualquer ato possa ser justificável se tiver como objetivo o bem de alguém, que divide o mocinho do vilão. Sherlock também quer salvar as pessoas ameaçadas na história, mas ele quer que o vilão seja preso, que seja feita justiça dentro das leis do homem, enquanto Mori que fazer justiça dentro das suas próprias leis. Os dois tem um plano, mas é quando o plano de um se sobrepõe ao plano do outro, que começa a rachadura do relacionamento, mesmo que o plano que vence seja para salvar a vida de um deles.

Essa dualidade, essa existência de uma área cinza na moral de Mori, não cria uma antipatia, pelo contrário, é totalmente compreensível existir uma aproximação e uma compreensão do leitor pela situação que Mori vive e a forma como ela encontra para ficar a salvo, bem como seus irmãos. Aí cabe ao leitor decidir se os fins justificam os meios, ou se uma pessoa, para se manter dentro dos padrões estabelecidos pela sociedade, precisa continuar a viver pelo medo, pela vergonha, sem esperanças de dias melhores. E se um amor consegue sobreviver a tudo isso.

Se você gosta de uma aventura inteligente, de um romance juvenil que tem tudo para dar errado, mas que, mesmo assim, é cheio de momentos fofos e, por isso mesmo, causa um aperto no coração, de um mistério passível de solução por mentes normais, de personagens secundários cheios de referências e donos de atitudes que apoiam de forma convincente os principais, enfim, de um livro bem construído e que dá um prazer enorme ao término da leitura, não deixe de ler LOCK E MORI. É daqueles livros que não se pode deixar fora da estante.

site: http://www.gettub.com.br/2018/03/lock-mori.html
comentários(0)comente



Livroseliteratura 22/01/2018

Resenha do blog Livros & Literatura
Apesar de ser um livro classificado como juvenil, meu palpite é que a obra vai mexer com leitores de todas as idades.

Quem nunca se viu imerso nos enredos de Arthur Conan Doyle sentirá um alvorecer dentro do peito, uma vontade louca de devorar todas as obras do aclamado escritor.

Já quem é fã ardoroso do detetive mais famoso da História da literatura mundial, pode se divertir bastante, tendo em mente que o enredo em questão é uma espécie de fanfic.

Gostei bastante do estilo da autora, apesar de ter me perdido um pouco em umas duas ou três passagens. Algumas datas ficaram em aberto e em alguns momentos, senti um leve atropelo no rumo tomado pela personagem. Porém, nada que desabone o conjunto como um todo.

De uma forma leve, a autora criou um mundo totalmente inspirado no universo original do Sherlock: família, amigos, habilidades, preferências... Até o seu conhecido endereço permanece inalterado no presente enredo.

O que pode agradar profundamente ou desagradar fatalmente os fãs do Holmes é o fato de tudo se passar na adolescência dele, remetendo os leitores a uma época em que o detetive ainda não havia transformado suas brilhantes habilidades em profissão.

Particularmente, gostei bastante dessa aura de ficção sobre ficção. É muito provável que eu finalmente dê um mergulho profundo nas linhas de Doyle!

site: www.instagram.com/livroseliteratura
comentários(0)comente



Denise Crivelli 05/12/2017

Opinião:
Bom a capa desse livro não chama a atenção, mas eu acabei solicitando ele mesmo assim para a editora e gostei da história, claro que não chega a acontecer uma grande investigação, mas a história é envolvente e eu fiquei curiosa para saber o que iria acontecer.
Nessa história conhecemos Mori que é uma garota com uma família cheia de problemas, já que seu pai tem problema com bebidas e quem sofre com isso são seus irmãos e ela, ninguém da casa escapa da irá de um homem bêbado e que sente ódio da própria filha. E o outro personagem é Lock um garoto super inteligente que está preocupado com a mãe, ele logo que conhece a Mori, percebe que ela é como ele inteligente e esperta e acaba propondo um desafio que eles descubram quem foi o assassino do homem do parque e a única regra é compartilhar as informações, mas a Mori acaba quebrando a regra, pois todas as mortes que acontecem estão relacionadas com o passado de uma pessoa da família dela.
Ela vai afundo na investigação desenterrando o passado, além da investigação ela vê em Lock seu porto seguro no momento, mesmo ele sendo um pouco diferente e acabam desenvolvendo um romance que não é o foco principal da história.
O assassino é revelado bem antes do final, mas sua motivação pelos crimes é revelado no final, as informações iam sendo jogadas aos poucos por isso não foi difícil de descobrir, eu estava era curiosa para saber o motivo disso.
Lock e Mori são dois adolescentes inteligentes, espertos e um pouco problemáticos, mas se conectam. Como eu disse no começo a capa engana e a história é envolvente, quando foi pesquisar a sinopse dele pra colocar na resenha acabei descobrindo que é uma trilogia, bom achei que o final foi bom e não via a necessidade de outros, mas já que li os primeiros se tiver chance quando foram publicados lerei eles. Bom Lock é apelido de sherlock e sim o protagonista se chama sherlock a mãe dele gosta de nomes diferentes.
A respeito da capa não gostei dos jovens que estão nela que parecem ser mais novos que os protagonistas dos livros.
Lock & Mori foi um bom entretenimento e fico feliz de ter dado uma chance a essa leitura, as vezes é bom ler histórias de investigações curtas e mais leves que alguns livros. Sei que não revelei muita coisa na resenha e que a história é curta então qualquer detalhe a mais é spoiler.


site: http://momentocrivelli.blogspot.com.br/2017/12/resenha-lock-mori-heather-w-petty.html
comentários(0)comente



Ane Carol 14/11/2017

Lock & Mori
Lock & Mori, escrito por Heather W. Petty é uma obra inspirada na história do detetive Sherlock Holmes e seu arquirrival James Moriarty, criada por Arthur Conan Doyle. Mas antes de tudo gostaria de avisar que este é um livro que você deve ler com a mente aberta e deixar um pouco de lado tudo o que você já leu ou assistiu sobre os personagens. Diferente do que estamos acostumados a ver, aqui temos uma história narrada por James Moriaty, mais conhecida como Mori, uma garota brilhante, mas com uma vida complicada. Órfã de mãe e vivendo com seu três irmãos caçulas e um pai alcoólatra, abusivo e que se acha acima de qualquer lei vemos como sua vida interfere na maneira que ela se relaciona e afeta sua narrativa e motivações. E se você estiver se perguntando cadê o John H. Watson, o fiel parceiro de Sherlock, sinto lhe informar que aqui ele será mero figurante.

Mori e Lock são duas pessoas totalmente diferentes, mas ao mesmo tempo muito parecidas quando analisamos a maneira como enxergam o mundo. Aqui eles não são amigos, nem inimigos, mas duas pessoas distintas que acabam se encontrando graças a um incidente na escola e posteriormente tendo suas vidas ligadas por um assassinato. Não vou entrar em mais detalhes pois a sinopse se entrega muita coisa e esse é o tipo de livro que quando menos você souber sobre melhor vai ser sua experiência durante a leitura.

A narrativa de Heather é agradável e sem enrolações. Essas características aliadas a curiosidade de solucionar um bom mistério faz com que a leitura fluía rapidamente. Os personagens criados por ela conseguem trazer elementos básicos dos personagens originas, porém ela conseguiu ainda assim trazer algo novo, de uma certa forma ela "humanizou" cada um, mudanças essas que possibilitaram o desenvolvimento de um romance, isso mesmo gente tem romance na história e confesso que ele roubou a cena mas vezes do que eu esperava, o que me incomodou um pouco.

Durante a leitura me senti jogando uma partida de detetive, onde antes da metade do livro eu já sabia o assassino, a arma e local, ou seja fim de jogo. Porém ainda assim eu não queria arriscar revelar a descoberta pro achar tudo fácil, poderia ser uma pegadinha. E desejei que eu estivesse errada e esperei por uma reviravolta, mas infelizmente ela não veio. Então me atendei em descobrir a motivação do assassino que também não me convenceu. Nesse quesito achei que a autora não criou um desafio para o leitor. Senti falta do brilhantismo tão conhecido de Sherlock e Moriarty.

Aqui por se tratar de dois adolescentes deu a impressão que a autora desejou pegar leve com a história, fazer algo fácil de explicar e que possibilitasse criar uma base para o que vem pela frente. Lock & Mori como disse aqui eles ainda não são inimigos, mas desenvolvem uma relação afetuosa em meio ao caos e ao que tudo indica é exatamente esse sentimento que nasce entre eles que vai ser o grande divisor de águas quando as coisas se complicarem, afinal a solução que antes era apenas um jogo virá algo pessoal quando conforme as investigações avançam Mori descobre que aquele não é apenas um assassinato qualquer e sim a chave para descobrir a verdade sobre o passado de sua família e quem ela realmente é. Nessa busca pela verdade temos um vislumbre de como essa brincadeira pode ser o começo do processo da criação do antagonismo de Sherlock e Moriarty, uma vez que este é apenas o primeiro livro da série.

site: http://www.profanofeminino.com/2017/11/lock-mori.html
comentários(0)comente



5 encontrados | exibindo 1 a 5