A Garota das Sapatilhas Brancas

A Garota das Sapatilhas Brancas Ana Beatriz Brandão




Resenhas - A Garota das Sapatilhad Brancas


52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


JANA 16/06/2020

EMOCIONANTE
Não posso garantir que não irá chorar...
"Se chorei ou se sofri o IMPORTANTE é que emoções VIVI"

Que nem todo fim era definitivo, e que podia, sim, existir um recomeço.

Brandão, Ana Beatriz. A garota das sapatilhas brancas . Verus. Edição do Kindle.
comentários(0)comente



Jessie.lopes 05/03/2020

Sobre o livro...
Eu achei bem melhor que o primeiro livro, porém ja li livros melhores.. COM TODA CERTEZA!
comentários(0)comente



Rosinha.Correia 19/06/2020

Eu esperava mais desse livro, achei que seria uma continuação e não um spin-off. Continuação no sentido de falar mais sobre oq aconteceu depois.
Então depois de ter lido tudo, chego a conclusão de que poderia ter passado para o final facilmente, só o final é interessante nessa história.
comentários(0)comente



Kelly Moura 18/07/2020

Um tema novo pra mim
Primeira vez que leio algo com essa temática de fundo.
No começo estranhei e fiquei um pouco confusa pelo modo como a história é contada, sempre voltando ou avançando no tempo sem uma lógica. Mas, comecei a perceber que existia um fato central e o tempo era contado com base neste único fato. Claro que há um casal jovem apaixonado no enredo.
Leiturinha legal.
comentários(0)comente



Patti Spissoto 25/05/2018

Acho que li um livro diferente dos outros
Achei o livro chato e confuso...
Li o primeiro "O garoto do cachecol vermelho" e já achei a Melissa chata, ftesca e muito mala... só sabia xingar o Daniel...
Resolvi dar mais uma chance e li esse. Mas essa mudança no tempo e confusa e a Melissa se mostrou mais chata ainda. Sorry
Julliana.Cristina 07/09/2018minha estante
E sem contar que mostrou um Daniel muito fraco, indeciso, imaturo, sem fée o primeiro livro não mostra. A autora inverteu os papéis no segundo livro. O primeiro já achei repetitivo e segundo intragável.


Patti Spissoto 13/09/2018minha estante
Concordo com você...


Marcia 22/04/2019minha estante
Sou da mesma opinião... Achei que só eu não tinha gostado




Vitória | @viajantesdopapel 15/08/2020

Estamos indo de volta pra casa...
Já mandei muitas mensagens pra Ana (autora) pra agradecer que nem sei mais o que falar aqui. É incrível ver todos esses pensamentos do Daniel e as aflições dele sabe? Só me fez amar ele ainda mais. Me fez confiar mais em mim e nos meus propósitos. Quero levar pra sempre a alegria e o amor que levo pras pessoas. Quero ser esse pontinho de luz na vida delas e quero se lembrada assim. Obrigada Dani-Dani. Obrigada.
comentários(0)comente



sirlani.lopes 01/04/2020

Melhor que o primeiro com toda certeza
comentários(0)comente



Tracinhas 09/09/2020

por Lídia Rayanne
Quem leu minha resenha de “O Garoto do Cachecol Vermelho” sabe o quanto eu me apaixonei pela história da Melissa e do Daniel. Então, quando descobri que existia um livro extra sobre esses dois, fiquei ansiosa para conferir também.

Ao contrário do que pensei inicialmente, esse livro não é uma sequência e se propõe a mostrar o ponto de vista do DaniDani que não tivemos a oportunidade de conferir na versão original, além de alternar com flashbacks de antes dele conhecer a Melissa.

Eu curti bastante “A Garota das Sapatilhas Brancas”, porém tenho duas ressalvas. A primeira é de que acredito que teria aproveitado mais a leitura se tivesse lido ele logo após o primeiro, pois, como faz mais de um ano que li, acabei me esquecendo de algumas coisas e demorava um pouco para me situar sobre qual ponto da história a autora estava referenciando.

A segunda é que esse livro não é narrado de forma linear. Como mencionei anteriormente, a história alterna entre antes e depois de Daniel e Melissa se conhecerem, e nem sempre segue uma ordem cronológica. Por exemplo, num capítulo mostra “três meses antes” (esse “antes” se refere não ao encontro deles, mas ao clímax do primeiro livro, que não vou falar aqui para não dar spoiler), e o capítulo seguinte mostra “dois anos antes”, para depois “nove meses antes”. Não que isso seja exatamente um problema, mas bugava meu cérebro a cada novo capítulo, além de que reduzia o impacto de algumas cenas.

Apesar de não ter curtido muito a maneira não linear que a história foi contada, amei conhecer mais do ponto de vista do Daniel e de outros personagens, como a Helena e a Regina, irmã do Daniel e mãe da Melissa, respectivamente. Mesmo sendo alguém otimista e que enxergava o melhor em cada pessoa e situação, pudemos conhecer mais o que se passava na cabeça do nosso mocinho, que está longe de ser perfeito e sofre com inúmeros conflitos internos que não ficam tão transparentes no primeiro livro. Rever a cena do hospital pela perspectiva dele (e aqui eu tenho que elogiar a autora pelo recurso que ela usou para ilustrar essa cena) me emocionou ainda mais do que da primeira vez que li.

Concluindo, foi interessante rever parte da história de "O Garoto do Cachecol Vermelho” por outros olhos. Se você gostou do primeiro livro, com certeza vai se encantar por esse também!

site: https://jatracei.com/post/628794549233385472/resenha-361-a-garota-das-sapatilhas-brancas
comentários(0)comente



Clara.Pamponet 13/02/2020

Livro muito bom
Neste spin-off de O Garoto do Cachecol Vermelho, Ana Beatriz traz todos os acontecimentos pelo olhar dos personagens, sendo a maioria lembranças do Daniel, mostrando as lembranças dele do passando e de todo o relacionamento com a Melissa. 

O que eu mais gostei nesse livro foi o salto no tempo, onde mostra o pequeno Dani seguindo os passos do pai. 
comentários(0)comente



Dai Angelina 18/11/2018

Meu coração continua pertencendo a Daniel
Toda história tem mais de um ponto de vista e com esse livro temos a chance de ver a história pelo olhos do meu vândalo preferido. E não só dele, pois há capítulos narrados também pela irmã de Daniel e pela mãe de Melissa, o que torna a história ainda mais rica e se eu já gostava dela antes, agora gosto muito mais.
O mais legal é que não há apenas cenas do livro anterior, é claro que algumas se repetem, porém tem várias outras inéditas e é disso o que mais gostei. Foi tão bom conhecer a história desse casal mais a fundo.
E não só isso, agora os sentimentos de Daniel também estão mais expostos, até porque, é claro que ele não era apenas aquele garoto alegre e bem-humorado, que gostava de ajudar todo mundo. Como toda pessoa normal, ele tinha seus altos e baixos e por mais que tentasse esconder, a doença o afetava como a todo mundo.
Sofri demais em alguns momentos, pois me colocava no lugar dele e conseguia sentir a raiva e a frustração de saber que o futuro não era nada promissor e que a vida podia ser muito injusta.

Preciso confessar que a princípio, não gostei muito dos capítulos estarem fora da ordem cronológica, pois sou extremamente metódica, mas depois percebi que a autora acertou em cheio, pois mesclando os capítulos felizes com os tristes, ela fez com que o sofrimento fosse parcelado. Mas em contrapartida, me senti em uma montanha-russa de emoções, rs.

O desfecho é aquele que já conhecíamos, mas amei ver a despedida de Melissa e Daniel. Foi triste, mas ao mesmo bonita e emocionante e talvez o capítulo que mais desejei ler.
O epílogo foi um belo presente, não só porque tivemos a chance de saber o que foi da vida de cada personagem, mas porque vimos o pequeno Daniel crescido e sentimos o imenso amor que ele sentia pelo pai.

Bom, após finalizar a leitura, só posso dizer que agora tenho ainda mais certeza de que o final foi o melhor, pois foi exatamente o que Daniel queria e sendo quem era, ele merecia ser livre e não uma vítima do próprio corpo.
Pra ser sincera, não pensei que esse livro poderia ser tão lindo quanto o anterior, mas me enganei, porque ele é sim. E se eu juntasse todas as lágrimas que derramei por causa deles, com certeza o nível do sistema da cantareira em São Paulo aumentaria, kkk. Isso é só pra deixar claro o quanto me emocionei com Melissa e Daniel.
Infelizmente, nem toda história termina em felizes para sempre, mas isso não quer dizer que ela não mereça ser contada.
comentários(0)comente



lbfbueno 27/07/2020

Ana Beatriz Brandão com a escrita impecável, como sempre. Muito lindo poder revisitar a história além de entender sua sequência.
comentários(0)comente



mari 03/08/2020

kkk então né... já tinha sido destruída com o outro, aí veio o spin-off e só piorou.
incrível como podemos nos apegar tanto a uma história e a personagens fictícios, só sei que nunca sofri tanto (sou muito dramática, mas dessa vez nao tô exagerando real).
a saudade bateu, chorei muito por ver como a vida da pessoa tava indo depois de tudo que aconteceu... ai gabi só quem viveu sabe
comentários(0)comente



Napolitano 01/07/2020

O choro é livre
Se você leu "O garoto do cachecol vermelho" e se emocionou então prepara o coração antes de ler esse livro aqui. Eu terminei o livro quase sem enxergar nada de tanto que chorei.

Eu achei o complemento perfeito para o primeiro livro. É tudo incrível.
Um conselho leiam os últimos capítulos ouvindo "Por enquanto - Cássia Eller".
comentários(0)comente



deixa_que_eu_leio 13/11/2017

Meu novo nenê
Esse é um livro sem ordem cronológica, e sim, eu recomendo ler o cachecol vermelho antes desse pq vai ter partes q tu não vai entender do q estão falando.
Eu amei de mais, tem olhares e comentários de outros personagens e isso torna a leitura/curiosidade ainda mais encantadora
comentários(0)comente



Mayara 28/01/2019

Legalzinho
Algumas partes desse spin-off achei bem desnecessária, mas tem umas cenas a mais que valeram a pena a leitura.
comentários(0)comente



52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4