O Dossiê Pelicano

O Dossiê Pelicano John Grisham




Resenhas - O Dossiê Pelicano


15 encontrados | exibindo 1 a 15


CarolSeco Revisora 29/10/2010

Intrigante. Tenso. Cheio de Ação.
O livro é muito bom.
No começo, parece que a história tende a ficar maçante, mas aos poucos as coisas vão se encaixando e a história fica perfeita.

Tudo começa com duas mortes, de pessoas importantes e influentes nos EUA, e as investigações do FBI, CIA e de particulares (estudantes de Direito curiosos) parecem não avançar. As circunstâncias das mortes foram comprometedoras e, apesar do autor deixar explícito que foi apenas um assassino, todas as agências do governo acham impossível um homem ter feito tudo sozinho.

No entanto, uma estudante de Direito descobre algumas coisas intrigantes, que, é claro, não são reveladas logo de cara, mas imagina estar errada e desacredita de sua teoria, na qual após enumerar três opções, tudo leva a crer que o motivo dos assassinatos é manipulação. Fazer com que os mortos fossem substituídos por pessoas que ajudassem alguém ou algo comprometedor.

O professor da Universidade com quem ela está tendo um caso, lê o dossiê que ela fez sobre sua descoberta e leva para um amigo que trabalha no FBI. Daí, o dossiê espalha-se para todos os cantos, CIA, Casa Branca, mas parece que não acham que a história seja verdadeira, e, a pedido do presidente, o FBI deixa a investigação de lado; mas a CIA é autorizada/obrigada a investigar por baixo dos panos.

Está claro para todos os envolvidos que o dossiê não deve ter nenhum efeito prejudicial e provavelmente é uma mentira. Mas a situação se complica quando uma pessoa envolvida com o dossiê morre, apesar de outra ter conseguido escapar.

Aí começa uma corrida de gato e rato, onde a estudante que publicou o dossiê teme pela sua vida, não em vão, já que logo depois, uma segunda pessoa envolvida com o dossiê também é assassinada.

Tem também um repórter que obtém algumas informações de uma fonte interna da Casa Branca e publica algumas coisas suspeitas ou comprometedoras, nada muito grande. A estudante consegue contato com ele e promete contar exatamente o que havia no dossiê. Então outra pessoa morre. E a situação fica cada vez mais difícil para ela que tenta salvar sua vida para poder revelar tudo o que sabe à imprensa, para isso ela usa de todo seu conhecimento e astúcia para despitar seus perseguidores que não tem nenhum escrúpulo e para os quais, matar é apenas um trabalho, diga-se de passagem, muito bem remunerado. Mais uma pessoa morre e o desfecho da história é impressionante.

O autor combina com maestria várias emoções, com um bocado bom humor que deixa o livro mais leve. A trama envolve, além dos assassinatos, manipulação, corrupção, exploração de petróleo, muitos bandidões que não tem medo de nada e que tem dinheiro suficiente para fazerem o que quiserem com quem quiserem. O livro prende a atenção de maneira que você só para de ler quando chega ao fim querendo logo descobrir todo o desfecho da história.

Mais algumas informações em http://www.skoob.com.br/estante/livro/6959948 onde coloquei alguns trechos do livro.
comentários(0)comente



laura 06/04/2011

Esperava mais suspense...
Um bom livro, a história é bem leve sem muito suspense apesar de envolver a suprema corte americana, com o assassinato de dois juizes, a trama central do livro envolve a trabalho de um reporte do Washington Post, um homem obstinado que procura a verdade a todo custo, correndo todos os riscos e tentando proteger a mocinha genial que desencadeou toda a historia com seu dossiê, com a ajuda de suas fontes desvenda toda a conspiração, achei bem interessante também aparte que fala sobre os pelicanos-marrons da Louisiana que estão ameaçados de extinção.
comentários(0)comente



Só Sobre Livros 24/05/2013

Conspiração em "O Dossiê Pelicano"
Confira resenha no blog http://sosobrelivros.blogspot.com.br/2012/07/conspiracao-em-o-dossie-pelicano-renata.html
comentários(0)comente



Mahfud, Fábio 28/09/2011

Não é o nome que faz o dossiê
A primeira coisa que lembrei quando peguei esse livro nas mãos foi de já ter visto o título de um filme com esse nome. Mas as lembranças pararam por aí. Não sei quem são os atores, de quando é o filme e nem mesmo se eu já o assisti alguma vez. E mesmo com o título não me chamando muito a atenção – pelicano?! – resolvi que era
tempo de ele sair da estante.
O enredo da história é até bacana; após dois juízes da Suprema Corte serem assassinados, sem nenhuma pista ser deixada, um dossiê é escrito por uma estudante de direito, Darby Shaw, que depois de uma pesquisa resolveu colocar no papel supostas ideias sobre uma grande conspiração ligando muita gente do alto escalão do governo ao crime. Ao passar de mão em mão, o dossiê causou a ira de pessoas que resolveram “apagar” Darby e quem mais soubesse do documento antes que fosse tarde demais.
O maior problema que achei no livro foi Darby - apesar de ser uma personagem interessante, inteligente e bonita - se livrar algumas vezes muito facilmente de perseguidores experientes. Para uma simples estudante de direito ela sabia muito bem como driblar os assassinos sem deixar muitas pistas. Outra coisa é o estilo de escrita de Grisham... É bom, mas não causa o efeito esperado para uma história de suspense.
Mesmo assim o livro vale a pena. Vários outros personagens tem passagens bem bacanas e algumas reviravoltas são bem interessantes.
Naldinho 18/08/2016minha estante
Você queria que ela fosse pega pelos assassinos ?
Acho que encurtaria bastante a história se isso acontecesse né verdade ?




Eddington 04/12/2014

Livro fascinante
Mais um livro de John Grisham que leio e mais um que me surpreendo com a qualidade da trama, desenvolvimento dos personagens e fluidez da leitura. Livro que vale a pena ler cada palavra e que só faz crescer ainda mais a minha admiração por este autor.
comentários(0)comente



Tatiana 03/11/2012

Livro: O dossiê pelicano
Ver blog: http://tatizanon.blogspot.com/2011/03/livro-o-dossie-pelicano-john-grisham.html
comentários(0)comente



Annie 17/09/2011

Idealismo de uma estudante...O poder de uma corporação
CAPA: http://www.rsraridades.com.br/sebo/images/john%20grisham%20o%20dossie%20pelicano.jpg

Editora: Rocco
Autor: JOHN GRISHAM
Lançamento Nacional: 1996
Número de páginas: 392

TRAILER do FILME: http://www.youtube.com/watch?v=4k9bqqLUge0

DISCUSSÃO ACADÊMICA SOBRE O LIVRO - "Direito e Literatura - Dossiê Pelicano" - http://vimeo.com/13493747

Grisham usa os artifícios conspiratórios de grandes corporações e interesses privados com o aval velado do governo, já visto em seu livro anterior A FIRMA, para criar uma história que poderia até ser considerada impossível à primeira vista. Porém ele vai além disso. Ele nos dá dois assassinatos nitidamente relacionados, mas completamente limpos: primeiro um juiz hiper-super-ultra liberal, já velho e doente o suficiente para não durar muito tempo no cargo; segundo um jovem promissor na carreira da corte, no estilo moderado e mantendo em segredo o fato de ser homossexual.

O assassino é eficaz, frio e em alguns momentos muito clichê (mas foi criado para ser assim). Passa desapercebido na maior parte das vezes, executa seu trabalho e cai fora, sem nem sequer ter contato com quem seu empregador. Dinheiro transferido para contas em paraísos fiscais, bilhetes passados por baixo de portas e telefonemas sem citar nomes. Uma foto com o alvo e o dinheiro em mãos é tudo que Khamel precisa para o trabalho.

No centro de tudo, Darby Shaw: uma estudante de Direito cheia de ideologias e apaixonada tanto pelo Direito Constitucional (e toda as garantias defendidas pelo povo americano), como pelo professor da matéria, com quem mantém um caso. Não há dúvidas de que ela é a heroína que você espera encontrar num meio de uma grande farsa: aquela pessoa que terá todo seu idealismo na justiça destruído conforme vê seu Dossiê ser confirmado a cada vez que alguém morre depois de lê-lo.

Em 48 horas depois do ‘Dossiê Pelicano’ chegar inocentemente nas mãos de uma agente do FBI, amigo de Thomas Callaham (amante e professor de Constitucional de Darby), o carro onde Darby deveria estar junto com Thomas, explode e como não é tola, no meio de pessoas se apresentando como oficiais da polícia e fazendo mil perguntas à ela, seu rastro some e sua fuga incessante começa. Quem poderia contratar Khamel? Que interesse se movem ao ter 2 cadeiras vazias na Suprema Corte? Darby parece ser a única pessoa não envolvida (e que ainda está viva) que sabe exatamente a resposta, por mais absurda que possa parecer.

Quem viu o filme e não leu o livro, perdeu no mínimo 75% da emoção que ocorre na história, embora o filme mostre algumas questões jurídicas interesantes (que inclusiva são discutidas no programa ‘Direito e Literatura’). Grisham foi brilhante e levou a ambição dos tribunais e corporações da indústria do petróleo até extremos assustadores. Até onde a morte de um juiz durante o mandato de um presidente com determinada legenda pode tornar um prejuízo astronômico em uma sentença favorável? E quem é capaz de se arriscar tanto sem temer consequências?

São muitas perguntas, recheadas de melindres e com respostas escondidas entre o ‘nada a declarar’ do Governo, e o ‘off the record’ de agentes que não querem morrer, mas acima de tudo não querem perder a vantagem numa oportunidade como essas.Apesar de não ser um livro tão surpreendente depois que se lê A FIRMA, o livro é muito interessante. Como sempre o autor mostra uma realidade americana, marginalizada pelo ‘American Way of Live’ que é sempre tão perfeito. Valeu a pena conferir.
comentários(0)comente



Demóstenes Siqueira 28/09/2010

Primeiro livro do autor John Grisham que tenho o prazer de ler e até o momento está superando todas as expectativas. Leitura rápida, fácil e um drama/suspense envolvente. A história demonstra como poder ser fundamental um processo envolvendo o direito ambiental, a garantia à preservação dos ecossistemas, bem como até que ponto o ser humano pode ser vil e sem sentimentos. Grisham, com a habilidade de um advogado experiente, nos trás para dentro dos fatos narrados, fazendo-nos parte da trama.
comentários(0)comente

Anna 21/10/2010minha estante
eu gosto muito desse livro, mas tenho medo de reler e ele ser pego na regra dos 15 anos, sabe? eu li tinha doze anos, acho. mas segue lendo que o Grishan é uma boa pedida pra esse tipo de leitura.


Lucia Sousa 28/11/2010minha estante
John Grisham é o melhor que há em literatura forense!Infelizmente,só consegui ler O Advogado,mas foi um livro inesquecível!




Raquel Lima 06/08/2010

Não sou fã...
Confesso. Mas este livro talvez seja para mim o melhor do JOhn, não sei se fiquei influenciada pela maravilhosa interpretação da Julia Roberts. Vale a pena. Grande intriga, suspense.
comentários(0)comente



Estante da Rai 27/06/2016

Uma noite, dois juízes da Suprema Corte dos Estados Unidos assassinados. No dia seguinte, em meio ao choque, todos começam a se questionar o por quê, afinal eles tinham posicionamentos bem distintos, um Democrata, mais liberal, e o outro um Republicano, mais conservador. Seria vingança por um julgamento passado? Ou uma tentativa de modificar a configuração da Suprema Corte para beneficiar um futuro julgamento?

Resenha completa no link \/

site: http://ilustrese.blogspot.com.br/2016/06/o-dossie-pelicano.html
comentários(0)comente



Ana Paula 23/04/2015

O Dossiê Pelicano
"O Dossiê Pelicano" é um dos livros mais famosos da literatura norte-americana no gênero suspense policial. Virou filme da década de 90 com Julia Roberts e Denzel Washington. Conta a história de uma estudante de direito que escreve uma teoria que explica o assassinato de dois importantes juízes. A história toma uma proporção inacreditável e isso contribui obviamente para o livro se tornar mais emocionante. Para quem adora conspiração política, suspense e curte uma escrita simples e direta, O Dossiê Pelicano é ideal. O autor te dará poucas coisas mastigadas, sua imaginação terá que funcionar. Vale à pena conferir.
comentários(0)comente



AIL 29/08/2012

Resenha no AIL
http://www.apenasimpressoesliterarias.com.br/2012/08/resenha-o-dossie-pelicano-de-john.html
comentários(0)comente



Thiago 02/02/2017

Quando a realidade supera a ficção
O Dossiê Pelicano talvez seja o livro mais famoso do autor John Grisham, notável por seus livros de suspense jurídico. Foi transformado em um filme de sucesso nos anos 90.
O livro começa com o assassinato de dois juízes da Suprema corte norte-americana na mesma noite. Uma jovem estudante de Direito chamada Darby Shaw resolve pesquisar os casos que poderiam chegar à Suprema Corte e receber votos desfavoráveis desses dois juízes e assim motivar os assassinatos.
Incrivelmente, ela monta o "Dossiê Pelicano" (nome sugestivo, que será explicado oportunamente durante o decorrer da história), mostra o documento para seu namorado e professor, que por sua vez o leva para um amigo que trabalha no FBI. Daí por diante, o dossiê chega aos mais altos escalões da política americana, e Darby Shaw começa a ser perseguida implacavelmente por assassinos profissionais.
Não é um grande mistério quem comete e quem manda cometer os assassinatos. lá pela metade da história isso é revelado. O livro foca mais na busca de Darby por sua sobrevivência, à medida em que um a um de seus "protetores", se podemos usar esse termo, vai sendo morto e ela pode contar somente com a ajuda de um repórter do Washington Post, interessado na publicação da história que pode lhe render um Pulitzer e custar a reeleição do Presidente.
Em minha opinião, o livro não é o melhor do autor. A história é engenhosamente montada, mas a motivação da trama é um pouco artificial, ao contrário de outros livros que já li de Grisham. Qual a probabilidade de alguém pesquisar milhares de processos (que já estão na Suprema Corte e aqueles que podem chegar lá) e acertar na mosca o vilão?
Outra coisa que me incomodou, embora seja um detalhe pequeno, é a quantidade de dinheiro de Darby. A moça troca de quatro de hotel, muda de guarda roupa, pega táxis toda hora e o dinheiro nunca acaba. Estava quase pedindo pra ela me contar o segredo!
Enfim, o livro é bom pra passar o tempo, mas eu esperava mais.
Mas ele deixa a reflexão de o quanto a democracia é verdadeiramente o regime político em que o povo é soberano. Será que os políticos e o povo não são simples marionetes do poder econômico e das grandes corporações?
Em tempos em que um ministro do STF, justamente o relator do maior caso de corrupção da história morre em um trágico acidente de avião, parece que a realidade suplantou a ficção.
comentários(0)comente



Chiara 14/02/2016

Recomendo com restrições
A sobrevivência de Darby acaba sendo o ponto nevrálgico de toda a narrativa, deixando o mistério da morte dos juízes da suprema corte como pano de fundo. Isso até que todas as peças do xadrez estejam em seus quadrantes e cheguemos ao clímax que arremata todas as pontas da história ao nos revelar do que, afinal, se trata o dossiê. Claro que vou deixar para vocês o prazer de ver a teoria se revelar naturalmente através de algumas poucas páginas, mas tenho que dizer que ela é, realmente, chocante, visto que é tão possível quanto realmente o é no universo criado por Grisham.

O autor sabe muito bem criar reviravoltas na história, mas muito mais que isso, sabe como e quando fazê-las de modo a te manter grudado nas páginas. E é assim que o jornalista Gray Grantham forma um contrapeso à trama de Darby. Tão importante quanto ela no desenrolar da história por trás do dossiê, sempre que o bicho está pegando com Darby, a cena é cortada para Grantham e vice-versa, o que faz com que o livro tenha mais cliffhangers que a série The Walking Dead (!), com a diferença de que você não precisa esperar até a semana seguinte para saber o que vai acontecer (amém!). Sério, a nível de cliffhangers, acho que Grisham só perde pro Dan Brown – mas este escreve sempre a mesma história mudando apenas os nomes das personagens, então, pra mim, ele não conta (:P). Portanto, se você pretende ler o livro (e do meu ponto de vista, você deve) prepare-se para perder algum tempo com ele na cabeça, pois com as quase 400 páginas, só estando de férias para realizar a vontade de lê-lo de uma vez só. E tenha paciência, pois apesar da narrativa ter um bom ritmo, John Grisham gosta de dar todas as respostas para suas perguntas no clímax do livro. E, vai por mim, o desenrolar da trama é tão alinear que você chegará a este ponto sem estar esperando por ele; quando se der por si, estará lendo as páginas mais importantes da trama.

LEIA A RESENHA COMPLETA NO GURU DA LEITURA!

site: https://gurudaleitura.wordpress.com/2016/02/15/o-dossie-pelicano-john-grisham/#more-103
comentários(0)comente



Cris 29/12/2017

Nota: 4,5.
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15