Uma História de Verão

Uma História de Verão Pam Gonçalves




Resenhas - Uma história de verão


40 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Ricardo Coutins 21/03/2018

A maior decepção da vida
Acompanho o canal da Pam e fiquei super empolgado para ler esse livro quando lançou. Nunca havia lido nada dela e então decidi começar com esse. Pensei ?bom, a Pam avalia livros de autores renomados e também da diversas dicas de escrita, sendo assim o livro dela tem chances enormes de ser excelente?. Nunca estive tão errado em toda minha vida.
Eu não vou falar sobre a história do livro, até por que tem a sinopse aqui, mas cara, que personagens chatos são esses? Todos muito sem graça, não cativa e eu não dava a mínimo pro que ia acontecer com eles. O enredo é RECHEADO DE CLICHÊS que você já viu em outros 219415573 livros/filmes. Tinha cenas que eu não conseguia acreditar que a autora colocou ali de tão forçada que era. Umas coisas que não condiziam com a realidade muito menos com os personagens. E os diálogos? Recheados de ?frases de impacto? (que só me fez revirar bastante os olhos) e nada críveis.
Bom, respeito quem gostou, mas sinceramente, foi a maior decepção de todas.
Esqueci de dizer que o verão em si mal aparece, digamos assim. Se você pensa que vai ler uma história sobre uma road trip ou dias na praia com os amigos, tá muito enganado. A maior parte do tempo é a personagem, coitadinha dela, lidando com seus problemas amorosos e supérfluos.
Ainda não desisti da Pam, pretendo ler Boa Noite, mas já vou sem expectativas nenhuma.
Gustavo 05/05/2018minha estante
Boa noite é melhor! (eu achei) Mas, o melhor é realizar leituras sem expectativas mesmo




carlos 15/09/2017

Melhores amigos do mundo.
Uma História de Verão acompanha Analu em suas últimas férias antes do início da faculdade e da tão temida vida adulta. Entre problemas familiares e fantasmas do passado que surgem (do inferno) de volta em sua vida, ela e seus melhores amigos fortalecem os laços de sua amizade na Praia do Rosa em uma história emocionante e viciante.

Sei que sou suspeito pra falar porque adoro o canal da Pam no Youtube, mas mesmo se tivesse a conhecido através de suas publicações, eu teria me tornado seu fã e o resultado seria o mesmo. A escrita dela é uma delícia de se ler, e ela consegue fazer você sentir o que os personagens estão sentindo. Na primeira cena do livro, Analu e seus amigos estão esperando o resultado do processo seletivo de uma universidade, e eu só fui perceber o quão apreensivo estava junto com eles quando (desculpem o clichê) expirei o ar que eu não sabia que estava segurando. Sem falar na frustração que eu senti sobre certos personagens e nas vezes que ri alto durante a leitura. E na vontade de comer camarão com batata frita, claro.

Apesar de não ser o foco da história, o que mais me comoveu foi a amizade entre Analu, Gisele e Yuri. A dinâmica entre eles me deixou com vontade de virar amigo deles também e, principalmente, de ler mais sobre a Gisele e o Yuri. Melhor grupo de apoio do mundo, e olha que apoio é uma coisa da qual a Analu realmente precisa nessas férias.

Ao contrário de Boa Noite, seu primeiro livro, Uma História de Verão é bem mais leve, mas a Pam não deixou de incluir discussões sociais importantes no enredo – dessa vez abordadas de maneira mais sutil, mas nem por isso menos eficaz do que em seu livro de lançamento. Também percebi a inspiração que ela tirou da Colleen Hoover para escrever UHV, misturando leveza, humor e emoção na medida certa e colocando algumas surpresas na narrativa para os leitores que a acompanham. Só sei que agora já estou esperando ansiosamente pelo próximo livro.
Esdras 15/09/2017minha estante
Hmmm...Camarão com batata frita! Adoro! kkkkk


Esdras 15/09/2017minha estante
Ótima resenha! Tá na minha lista!




50livros 03/04/2018

Livro bom para ficar na mesma
Quem olhar essa nota vai achar que se trata de um livro ruim, mas não, o livro é bonzinho. Só que nem por isso não tem falhas que me desestimularam.

O livro tem uma história fácil, fluida e bem tranquila de ler, focada diretamente na literatura infanto-juvenil. Infelizmente, a história não tem nada de original: romance mais uma viagem entre amigos, tema bem comum e revisitado por inúmeros autores nacionais, como, por exemplo, Thalita Rebouças.

Até aí tudo bem, ninguém é obrigado a ser extremamente visionário, só precisa escrever uma boa obra. A escrita da autora é bem boa, mas não consegue fazer com que o leitor imerja na história, fazendo parte dela. Na verdade, a escrita não consegue fazer com que quem leia sinta empatia pela personagem principal.

E aí vem o problema maior: os personagens. O modelo de criação desse grupo de personagens é simples: principal fonte do drama, intensificador do drama, amigo âncora, alívio cômico e sedutor fora da curva. Tudo para dar certo, mas muita coisa aí ficou superficial e simples demais. A personagem fonte do drama ficou sendo a pessimista do rolê que não consegue viver fora do drama, parecendo que sua meta de vida é sofrer, tudo é motivo para sofrer, presa demais dentro de si. O intensificador do drama, no caso o ex da personagem principal, é o que melhor convence, mas não é suficiente. O amigo âncora não convence e o alívio cômico se perde depois do primeiro terço do livro. O sedutor, um possível peguete, é diminuído, principalmente por conta das falhas da personagem egocêntrica.

Não quero dar spoilers, mas acontece uma parada com um dos amigos que exigiria uma ação maior da personagem principal, afinal é algo um pouco doloroso para esse amigo, mas a história passa direto por isso, como se não fosse nenhum tabu. Além disso, a protagonista passa direto por aquilo, colocando seu drama pessoal (um coração adolescente partido por outro adolescente) como algo muito maior e mais triste.

Existem pontos dramáticos muito importantes no livro que poderiam ser explorados de maneira muito mais consciente, mas a decisão da autora foi diminuir esses problemas para focar no drama adolescente. No final, o livro não causa nenhum tipo de vínculo com leitores adultos e não acho que consiga trazer pensamentos profundos ao público-alvo.

Por fim, acho que faltou um pouco de maturidade na autora para fazer o que tinha que ser feito. Ao invés de trazer uma catarse de maturidade, ela só consegue formar uma personagem auto-centrada que não quer amadurecer, mas sim somente fugir pelo caminho da vida adulta. Um resultado para o futuro? Um adulto sem maturidade emocional.

Ainda não desisti da autora. Adoro o canal dela e confesso que minha expectativa estava muito alta, coisa que não se cumpriu. Ainda lerei "Uma Viagem Inesperada" e "Boa Noite" para ter uma opinião final sobre sua obra.

site: www.50livros.com/single-post/2018/02/18/RESENHA-de-Uma-História-de-Verão-de-Pam-Gonçalves---FOLIALITERARIA2018
Blog Eu Aprendia a Ler 11/04/2018minha estante
Adorei sua resenha, concordo plenamente com os pontos que VC abordou, achei a personagem principal muito egocêntrica, na minha opinião a autora queria construir uma personagem forte, mas o resultado não convenceu. ?


Je Fachini 14/04/2018minha estante
Concordo, mas ainda me decepcionei um pouco


Gustavo 05/05/2018minha estante
Adorei sua resenha, disse tudo e mais um pouco sobre o que eu achei do livro... foi um pouco precipitado da autora focar só na garota, enfim... acho que o melhor dela, ainda é o boa noite..




LeiturasDaJ 28/03/2018

Um livro que não emociona
Sabe o que eu senti durante e no fim desta leitura?
Nada.
Por isso eu não vou me alongar para falar sobre ele... Já basta o tempo perdido ao lê-lo.
comentários(0)comente



Hemy Gomes 28/09/2017

Algumas vezes a gente não entende a escolha das outras pessoas. Mas existem coisas na vida que só cabe a elas decidirem. (Página 283)
Pam Gonçalves dessa vez, nos apresenta "Uma História de Verão", contando a história da Analu e seu último verão antes de começar a faculdade.

Analu é uma jovem de uma família "perfeita" e sendo parte dela, é esperado que ela também seja perfeita como nos planos dos pais, mas ela parecia destinada a ser a ovelha negra da família: corte de cabelo e roupas diferentes, quando finalmente ultrapassa os limites: troca o curso de Direito pelo curso de Cinema. Ela decepciona toda a sua família perfeita, que na verdade é toda despedaçada e hipócrita: a mãe ignora as inúmeras traições do pai desprezível e o irmão não se importa com ninguém.
Aproveitando seu último verão com os amigos Gisele e Yuri, ela espera ter paz em sua vida, mas acaba reencontrando alguém que ela não gostaria de ver nunca mais, alguém que a machucou bastante no passado: Murilo, sua maior paixão.

Confesso que estava com boas expectativas pra esse livro e me decepcionei. A capa é maravilhosa e a escrita também, mas a história, infelizmente, não é. Primeiramente, achei a ideia muito parecida com a de Fazendo Meu Filme da Paula Pimenta e achei que seria igual, mas até que não. Analu é uma personagem legal, mas muito indecisa e trouxa: não quer nunca mais ver o cara, mas não perde a oportunidade de dar uns pegas nele e depois quer acabar com tudo do nada, não é assim que se faz. Após acontecer algumas reviravoltas na família dela, onde ela deveria ficar com a mãe, é o momento exato que Analu vai mudar sua vida em São Paulo, deixando um monte de pontas soltas em sua "vida antiga".

Eu realmente espero que esse livro tenha continuação, porque começou bem, mas depois fugiu do foco principal e acabou ficando muito bagunçado e terminou de um jeito ridículo, não trouxe a solução de nenhum conflito da história, então imagino que em uma continuação isso se resolveria. Ainda vou ler "Boa Noite" e "O amor nos tempos de #likes" e espero não me decepcionar dessa maneira, porque esse livro parece mais um rascunho ou um conto mal feito.

Nota 3 de 5
Lizzie - @capricornbooks 16/10/2017minha estante
Infelizmente eu concordo totalmente com você, depois de Boa Noite eu esperava demais desse livro, mas ele é exatamente como você diz ??


Hemy Gomes 16/10/2017minha estante
Espero que Boa Noite seja melhor mesmo, dizem que é mais pesado e talvez assim eu goste mais


Lizzie - @capricornbooks 16/10/2017minha estante
Ele é sim, acho um livro necessário




spoiler visualizar
comentários(0)comente



pietraolsen 05/05/2018

Uma História de Verão, Pam Gonçalves
“Uma História de Verão” conta a história do último verão da Analu antes de se mudar de Tubarão pra fazer faculdade. A história começa no dia em que sai a lista dos aprovados pra faculdade e é aí que começa as tretas: os pais dela queriam que ela cursasse Direito e achavam que ela tinha se inscrito mesmo pra esse curso, mas no ímpeto do momento ela se inscreve pra Cinema, que é o curso que ela realmente quer cursar, porém não conta pra ninguém.

Tem mais no post do blog

site: pietraolsen.com/livros/uma-historia-de-verao-pam-goncalves/
comentários(0)comente



Ale 15/10/2017

'Uma História de Verão' no blog 'Estante da Ale'
A história de Analu começa quando as férias chegam. O último ano de colégio acabou e é preciso se adaptar a vida adulta, ou seja, é necessário se afastar dos amigos e iniciar a vida na cidade grande. E é nesse clima de despedida e descontração (afinal, é verão) que Analu reencontra Murilo, um canalha que quebrou seu coração anos atrás. Claro, isso não seria problema se nossa protagonista não ficasse balançada cada vez que Murilo se aproxima. (Agora me diz: quem nunca???)

Quando eu peguei a obra para ler, confesso que não sabia da importância que ela teria na minha vida. E se eu pudesse descrevê-la em uma palavra seria: necessária. "Uma História de Verão" é necessária para a sociedade atual. O enredo é tão verdadeiro que chega a ser nostálgico. Eu não quero dar spoilers, mas o fato da Analu ser ela mesma, admitir que gosta do Murilo, mesmo ele sendo alguém que a magoou, isso nos mostra que podemos fazer o mesmo, não é errado sentir. Nós só precisamos saber escolher o que é melhor para nossa vida.

E é exatamente aqui que quero chegar, quero falar sobre a temática central: o poder da escolha. Não sei se a Pam escreveu pensando nisso, mas é exatamente o que me deixa encantada. Não importa o certo ou errado, importa o que você quer! Claro, é preciso aguentar as consequências de cada escolha, mas fora isso, a vida pode ser simples sim. Aprender a lidar com os erros e acertos é um problema pessoal, que cada um tem que resolver internamente.

A família da Analu é cheia de problemas e pode ser bem irritante às vezes, mas é essa família que nos mostra (mais do que todos) que não é possível você querer mudar a vida do outro se este outro não quer mudar. É injusto? Sim. É triste? Sim. Mas não deixe que isso afete sua vida, siga em frente, faça escolhas, mude. Se for isso que você quer.

A presença de Nico é importante, ele mostra a Analu a grandiosidade do mundo e que nem sempre Murilo precisa ser a escolha dela. Chega a ser apaixonante o modo como ele a olha... Mas confesso que meu coração batia pelo idiota do Murilo, rs.

E sobre o final... É polêmico, mas eu AMEI TAAAAANTO!!!! Acho que faz parte da proposta apresentada pelo livro desde o início e repito: necessário. Queria compartilhar com o mundo, sabe? Olha, leia e aprenda sociedade!!! Ah, eu vou ter que dar um mini spoiler, porque eu não me aguentei ao ver Analu no meu bairro aqui em SP!!!

site: http://estante-da-ale.blogspot.com.br
comentários(0)comente

Luísa Nolasco 15/10/2017minha estante
Me interessou muito o livro. Só fiquei preocupada com esse final polêmico rs


Ale 15/10/2017minha estante
Não fique! Ele faz sentido. É muito bom!!!!


Becca 18/12/2017minha estante
Super assino embaixo! Concordo com tudo o que você disse! :D




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Malu 23/05/2018

Nesse livro, a Pam conta a história de Analu, uma jovem que está prestes a começar a vida como universitárias, mas ainda pretende aproveitar o verão antes de iniciar essa nova fase de sua vida. Porém, não será tão simples assim. Para começar, Analu foi aprovada para o curso de Cinema, em São Paulo, porém, seus pais planejavam que ela fosse estudar Direito em uma universidade próxima. Esse pequeno ato de rebeldia vai abalar ainda mais sua relação com a família, que já não é das melhores.

Para quem olha de fora, a vida deles pode até parecer perfeita, mas são apenas aparências. Os pais de Analu vivem um casamento de fachada, o irmão gêmeo dela está se tornando uma versão mais jovem do pai enquanto posa de filho modelo, e ela sofre com as constantes comparações com o irmão e as cobranças por não se encaixar no modelo esperado por sua família.

E, se não bastassem os problemas dentro de casa, Analu ainda precisa lidar com o retorno de Murilo, o cara que foi seu grande amor, mas que também mais a machucou. Ele está disposto a tudo para reconquistá-la, mas será que vale a pena se arriscar novamente? Em meio a um turbilhão de sentimentos, Analu vai tentar aproveitar as últimas férias com os amigos, em um lugar muito especial, antes de se despedir de todos para começar a faculdade.

Uma das coisas que mais gostei em Uma história de verão foi a facilidade com que me envolvi com a leitura. O livro já começa em um momento muito importante da vida da protagonista, a espera pelo resultado do ENEM, o que permite ao leitor se conectar rapidamente com ela e entender o momento que ela está passando. A partir daí, vamos entendo melhor o que esse resultado representava para ela e como isso poderia abalar muito mais do que o seu futuro profissional.

A Analu é uma protagonista muito real, que conquista a empatia do leitor desde o início. Gostei de ver o quanto ela foi corajosa ao escolher o seu sonho, ao invés de tentar se encaixar nas expectativas da família, e as inseguranças que ela tem em relação ao futuro e ao início de uma nova vida em outra cidade, longe dos amigos e de tudo que ela conheceu, são muito críveis e é fácil se identificar com ela. No entanto, o que mais gostei mesmo foi como a Pam abordou a relação de Analu com os pais e o irmão.

Fica claro desde o início que, por trás da fachada de perfeição, há muitos problemas naquela família. Os pais dela têm problema seríssimos dentro do casamento, mas escondem tudo em nome das aparências. O irmão gêmeo de Analu finge não perceber o que acontece e segue à risca o modelo do pai. Enquanto isso, todos ignoram o fato de que estão sufocando Analu com as constantes comparações com o irmão e as tentativas de tentar transformá-la em alguém que ela não é. Assim, é uma relação tão tóxica e hipócrita que torna totalmente compreensível a revolta que Analu sente.

No entanto, o foco do livro não é apenas a relação da Analu com a família e as inseguranças dela quanto à faculdade. Há espaço para o romance, com o contorno de um triângulo amoroso. De um lado, acompanhamos Analu se aproximando de Nicolas, um rapaz carismático e que rapidamente mexe com ela. Por outro, tem o Murilo ressurgindo do passado e querendo reconquistá-la.

A forma como a Pam desenvolveu a relação da Analu com o Murilo foi interessante e ajudou muito a compreender as ações da protagonista. Ao mesmo tempo em que ele tenta se reaproximar dela, vai sendo explicado o que aconteceu entre eles no passado e os motivos que Analu tinha para ter medo de se envolver novamente. Já o envolvimento dela com Nicolas me incomodou um pouco. Ele é um personagem muito cativante, mas não senti que tenha acrescentado muito na história e a relação deles foi tão abrupta que não me convenceu.

O desfecho foi outro aspecto que deixou um pouco a desejar. Gostei das decisões da Analu e senti que ela e alguns personagens amadureceram bastante durante o livro. No entanto, as últimas páginas me soaram tão banais, que me deixou com uma sensação de que faltava algo. Não é um final ruim, mas não acrescentou muito e preferia que o livro tivesse terminado algumas páginas antes.

Leia a resenha completa no bog.

site: http://www.dicasdemalu.com.br/2018/03/resenha-uma-historia-de-verao.html
comentários(0)comente



Amanda Campelo 21/04/2018

Resenha no ig @booksdaamanda
Analu acabou de saber que passou no vestibular para cursar cinema, algo que vai contra os desejos de sua família, que está dando uma festa para comemorar, que ela vai cursar Direito (sqn) e o seu irmão gêmeo, André Luís, cursará Engenharia Civil. Então, Analu toma as rédeas da situação, depois de algumas taças de champanhe, ela anuncia a todos os convidados e sua família que na verdade, vai estudar cinema e seguir o seu sonho.

Depois do não apoio do pai, e uma cautelosa aceitação da sua mãe, Analu avisa que vai se mudar para SP e seguir com suas realizações. Ela conseguiu juntar dinheiro e vai tentar se manter com a grana que tem guardada e conseguir o emprego na nova cidade.

Mas pode parar por aí, porque antes de toda essa mudança, Analu tem que curtir suas férias de verão com os seus amigos, Gisele e Yuri. E ainda ver como vai ficar sua situação com um antigo namorado, o Murilo (embuste), e nesse rolo todo com a mudança para a fase adulta e cheia de responsabilidades.

"Às vezes tudo que você precisa é se afastar para crescer."

Adorei a história, a Pam conseguiu mostrar e representar uma família em conflitos. A mãe que só quer saber da aparência da família, mesmo que o seu marido a traia, o filho que só quer se dar bem, não importa como, seguindo os passos do pai, e a filha que enxerga a realidade e quer mostrar pra eles que não são perfeitos e estão vivendo uma farsa.

Gostei muito que deu pra perceber a evolução na escrita da Pam e isso foi algo muito bom de se ler. Além do mais, como sempre, ela não deixou a representatividade de lado, mesmo Analu tendo 18 anos, ela mostra que já é um pouco madura e luta pelas suas realizações, não deixa os amigos de lado e ainda lida com os crushes. Temos um gostinho de uma personagem do livro Boa Noite e deixa a história ainda mais legal. Recomendo a leitura, é rápida e fluida.
comentários(0)comente



Galáxia de Ideias 16/02/2018

Uma melhora significativa da autora

Sabe aquele livro que você termina, mas não sabe muito bem o que sentir? Confesso que essa foi uma das resenhas mais difíceis que já escrevi até hoje em todos meus anos de blogueira. Não que o livro seja ruim, mas senti que faltou algo para que fosse marcante. Uma história de verão trata de muitos assuntos que são bem pouco comentados, tanto na literatura, como em meio à sociedade como a decisão de uma mulher em manter um casamento de fachada. Filhos que sempre tentam em vão alcançar as expectativas dos pais. E o que mais me chamou atenção, relacionamentos que sabemos que não vão dar certo, mas investimos mesmo assim.

Infelizmente Analu é como boa parte das jovens do mundo. Mora com uma família que vive de fachada e sempre tentando estar à altura das expectativas da mãe. Senti um misto de emoções junto com a protagonista, e em alguns momentos até mesmo desgosto por ela cometer os mesmos erros da mãe. Há tempos a jovem se fechou para o amor após flagrar o pai com a amante em seu escritório. Após relatar o fato pra mãe, as coisas se rompem entre elas e de alguma forma, a mãe da Analu a culpa por trazer à família tal realidade (o que não faz o menor sentido já que a mãe dela já sabia das traições do marido). Nem preciso dizer que a relação pai / filha acabou de vez não é mesmo? Ela se sente presa no mundo de faz de conta macabro. A mãe finge que não vê as escapadas, o irmão puxa o saco do pai e também finge que não vê, e ela se mantém lúcida e cheia de horror olhando tudo.

Pra complementar essa onda de sufoco que a protagonista vive, ainda tem o fato de ela criar e alimentar um rancor monstro sobre o ex. Eles passaram um período curto juntos, porém marcante, e aí ele a trai bem na sua frente como se não fosse nada. E foi nesse momento que começou o meu maior desgosto sobre a história, mas tenho a consciência que isso realmente acontece porque somos seres humanos e desejamos fazer as coisas darem certo de algum jeito, e, mesmo sabendo que vai dar errado, só desistimos depois que esgotaram todos os recursos.

Murilo é o "bicho-papão" da Analu. Ele é o típico cara cafajeste que só se importa com seu próprio nariz. Como disse antes, eles tem um envolvimento relâmpago o qual acabou mal para a Analu, após alguns anos eles voltam a se reencontrar e ele tenta novamente fazer com que a relação dê certo. Falar em questões do coração é algo complicado, pois a relação que a Pam descreveu no livro é justamente a de muitas pessoas. Aqui vemos exatamente aquilo que falei na resenha de 99 dias. Nós como pessoas precisamos de um encerramento para entender que certas fases de nossas vidas acabaram. Algumas pessoas entendem isso sem precisar de uma prova concreta, conseguem observar ao seu redor e perceber que aquilo já acabou, mas outros precisam quebrar a cara e sentir na pele. Muitos relacionamentos são levados pra frente dessa forma, rola desgaste emocional, sentimental e feridas são feitas. Analu é um exemplo claro disso.

O maior ponto positivo da história são os personagens secundários. Eles são fantásticos e dão aquele sentimento gostoso de que seriam incríveis se fossem reais. Os dois melhores amigos da protagonista dão um show de companheirismo. Gisele com seu jeito descontraída, alegre e cheia de razão, ela é daquelas pessoas que prevê a merda antes de acontecer, avisa, e ainda no final fala que avisou. Adorei-a e desejei muito um livro inteirinho com ela arrasando na faculdade. O mesmo acontece com Yuri, ele, no entanto é mais na dele e está ainda em busca do seu lugar no mundo. O irmão gêmeo da Analu é um verdadeiro embuste e o odiei desde a primeira cena, o mesmo vale para o pai. Já a mãe da Analu foi um misto de sensações despertadas, foi desde incredulidade até empatia. Chega até ser conflitante, pois entendi e ao mesmo tempo não entendo sua decisão de viver com um marido traidor e tão pouco respeitoso.


Realizei a leitura em e-book e não encontrei erros. Amei a capa do livro, mas ela remete à uma história leve, descontraída e divertida, coisa que passa longe no livro. Acredito que esse foi o maior problema do livro pra mim, esperava algo mais descontraído, realmente como as férias de verão são na maioria das vezes, mas o enredo tenta ir a questões relevantes, mas não se aprofunda em nenhuma deixando algumas até mesmo superficiais. O livro em si é mediano, mas é notável a melhora da Pam como autora em relação ao seu primeiro livro Boa Noite, a escrita está mais viva, os diálogos mais críveis e até mesmo os cenários descrito com maestria.

Uma história de verão é um livro que pode dividir opiniões. Vi pessoas que o amaram e outras que o detestaram, eu como sempre acabo em cima do muro. Acredito que seja um livro que cada um deveria ler para tirar suas conclusões.


Resenha postada originalmente e na integra no blog Galáxia de Ideias por Stéfani Almeida

site: http://www.galaxiadeideias.com/2018/02/resenha-uma-historia-de-verao-por-pam.html
comentários(0)comente



Fernanda.Granzotto 12/02/2018

3,5 estrelas
Posso dizer com certeza que a razão pela qual eu gostei muito deste livro foi que eu li no momento certo,acho que,se eu não tivesse lido o livro no momento certo,não gostaria tanto assim.

Eu recomendo este livro a todos que estão prestes a entrar na faculdade.
comentários(0)comente



Raquel 14/01/2018

Eu tô indignada, INDIGNADA que já acabou. Sério, eu devorei esse livro e com certeza já é um dos meus preferidos. A escrita da Pam é maravilhosa, ela conseguiu construir a história de um jeito bem leve onde conseguimos achar com facilidade o começo de uma história o meio e o fim. O que quero dizer é que finalmente achei uma escritora (TÁ FICANDO CADA VEZ MAIS RARO) que não escreveu a história com pressa de terminar pra ir na padaria comprar pão antes que acabe. Eu amei tudo nesse livro, mas ainda tô em uma relação de amor e ódio com o final. Espero que seja o início de uma série :)
comentários(0)comente



Dai 11/02/2018

Mas eu gostei tanto desse livro!
É uma historia bastante realista, e isso é que me deixou encantada.
Sao coisas tao comuns de acontecer que nao tem como vc nao se identificar com nada nesse livro. As ferias de nossa protagonista , Analu, me lembraram muito da minha adolescencia. E foi tao gostoso dar uma voltinha la no passado...

Analu é filha de gente rica. Seus pais ja tem planos para ela e seu irmao gemeo. No entanto, Analu se mostra muito forte quando decide fazer o vestibular para o que ela quer, e nao seus pais, e ela passa. E e apartir dai que começa nossa historia. Analu tem problemas com seus pais, seu irmao, seus amores. Assim como todo adolescente. Acho que a Pam soube muito bem escrever um adolescente. Nada daquilo exagerado, de revoltas e tudo mais. Como disse, muito a realidade. O fato de ela trazer muito Santa Catarina nesse livro, tambem foi incrivel!
comentários(0)comente



40 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3