Mulheres Sem Nome

Mulheres Sem Nome Martha Hall Kelly




Resenhas - Mulheres Sem Nome


109 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gabi 27/04/2021

Maravilhoso!!!
Eu adoro ler sobre a guerra, por mais sofrida que seja, são leituras que sempre agregam algo à minha vida. Empatia e gratidão pela vida que levo são os principais.

Nessa história temos três protagonistas: Caroline, americana que trabalha no consulado da França em NY. Kasia, jovem polonesa. Herta, uma médica alemã.

Cada capítulo é narrado por uma delas e, só por isso, esse livro já pode ser considerado único!

Caroline, uma mulher de coração enorme, que doa seu tempo e dinheiro em prol de crianças órfãs na França. A guerra começa e seu trabalho se intensifica.

Kasia, uma jovem cabeça dura, muito difícil de se lidar e teimosa. A guerra começa e seu sofrimento também.

Herta, tornou-se médica com muita determinação. Lidou com pessoas abusivas e o preconceito de ser mulher na medicina. A guerra começa e uma oportunidade de emprego em um "centro de reabilitação para mulheres polonesas" lhe atrai.

A história dessas mulheres se entrelaçam.

Difícil, brutal, emocionante. Único!

Amei e recomendo à todos!
Lyne 29/04/2021minha estante
Sua avaliação só me deu mais vontade de ler esse livro. Parece maravilhoso mesmo, um livro edificante. Já há um tempo que ele tá na minha lista.


Gabi 30/04/2021minha estante
Lyne, leia assim que puder. Ele fez aniversário na minha estante antes que eu pegasse para ler. Me arrependi de ter demorado tanto. É maravilhoso!!!


Ane 30/04/2021minha estante
Tem dois anos que planejo ler esse livro. Depois de sua resenha, vou acelerar definitivamente a aquisição do meu, para ler este ano.




Raposinha 11/03/2021

Intenso
O assunto realmente é dos mais relevantes e mexe com meus sentimentos. Achei intenso, mas ainda assim não foi o Ó não.
Bom!
comentários(0)comente



Millena.Prado 06/08/2020

Um livro realmente chocante!!! Que traz histórias realmente perturbadoras. Aborda o holocausto de diversos pontos de vista, assim proporcionando uma experiência mais ampla sobre a vivência da época.
Com certeza um livro que vale a pena ser lido!!
comentários(0)comente



Acsa Micaela 19/12/2020

Mulheres sem Nome
Extremamente válido conhecer todas as mulheres e suas histórias citadas nesse livro.
comentários(0)comente



Lu 05/01/2021

Esse livro acabou comigo
"Mulheres sem nome" de Martha Hall Kelly, foi com certeza, a melhor leitura para iniciar 2021. Não posso falar muito, pois sou suspeita, amo livros com as temáticas das grandes guerras, com mulheres fortes, ficção e realidade se misturando e um bom drama. Para mim esse livro foi, com toda certeza, um prato cheio.

O livro é dividido em duas partes, a primeira traz os relatos do início da segunda guerra mundial. Somos apresentados a três mulheres extremamente diferentes: Caroline Ferriday (real), Herta Oberheuser (real) e Kasia (fictícia). Caroline foi uma socialite americana que prestava serviços voluntários auxiliando os franceses que fugiam para os EUA durante a guerra.
Herta foi uma médica (a única mulher) alemã que trabalhou para o partido Nazista, e que foi designada a trabalhar no campo de concentração de Ravensbruck.
Kasia é uma jovem polonesa que vê seu país sendo invadido pelos Nazistas e acaba sendo presa e enviada a Ravensbrück.
O livro é narrado pela visão dessas três mulheres, que trazem com elas seus dramas pessoais, profissionais, medos e esperanças.
A segunda parte mostra como a vida dessas mulheres continuou após o final da guerra, com relatos emocionantes (e revoltantes) que dão ao leitor uma boa reflexão sobre os limites dos seres humanos. Vale ressaltar que as histórias se entrelaçam de formas bastante diferentes, mas muito bem escritas.

Ravensbruck foi um campo de concentração exclusivo para mulheres, para lá foram mandadas: judias, ciganas e presas políticas de vários países. Foi lá que a personagem real Herta Oberheuser, juntamente com a equipe de medicina nazista, operaram milhares de mulheres com o intuito de fazer experimentos. Essas mulheres ficaram conhecidas como coelhas.
O livro mostra de forma bastante detalhada esses terríveis experimentos, e por diversas vezes me perguntei se a maldade humana teria limite. A resposta que encontrei foi um sonoro não que ecoa até hoje em mim.
Em contrapartida temos a incrível Caroline Ferriday que com a ajuda de muitas pessoas auxiliou diversas vidas daqueles que fugiam ou eram libertados da guerra. O que me trouxe a segunda grande reflexão: se não existe limite para a maldade, não há também limite para a bondade e caridade humana.
Chorei muito lendo o livro, e parabenizo Martha Hall Kelly por construir uma narrativa tão íntima e profunda.
Para os sensíveis vale repensar a leitura.

Esse é certamente um livro que precisa ser lido, pois nos traz uma boa descrição histórica com vários fatos que muitas vezes não aprendemos na escola.
Natalia 05/01/2021minha estante
Perfeito este livro!




Heb 14/06/2021

??
??Sem dúvidas um dos melhores livros que li este ano. Mulheres sem nome definitivamente é um livro que nos marca de várias formas. Nos faz olhar tudo com outros olhos, entender e valorizar o lugar da mulher no mundo e na nossa história.
??Baseado em fatos reais, ele retrata histórias de dor e de superação. Histórias de mulheres guerreiras, muitas que estão no anonimato até hoje. Nos mostra a dor e a destruição que a guerra pode causar.
??O livro é riquíssimo em detalhes. Houve momentos que tive que parar a leitura e refletir sobre os acontecimentos. Me emocionei, me revoltei.
Três histórias, três mulheres, três visões de um mesmo acontecimento: A guerra e tudo que ela traz e as marcas que deixa.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Patrícia Emydio 10/06/2021

Ainda estou me recompondo...
Sabe aquele livro que, mesmo depois de você ter terminado, ainda te dar arrepios? Foi isso que me aconteceu depois de ler Mulheres sem nome da Martha Hall Kelly!
Inspirado em personagens reais da Segunda Guerra Mundial, a história narra o sofrimento e a luta de mulheres que viveram no holocausto e de como suas vidas mudaram completamente.
Os capítulos são intercalados entre os relatos das personagens Caroline, Herta e Kasia que acabam tendo suas vidas cruzadas.
Esse é o terceiro livro com temática da guerra que leio, e posso falar com toda a certeza que foi o que mais me comoveu.
História forte, sofrida e envolvente, Mulheres sem nome foi com certeza mais um favorito desse ano!
comentários(0)comente



Gomor 14/09/2020

Livro excelente para aqueles que, como eu, gostam de histórias da segunda grande guerra mundial. Três personagens, três histórias que se juntam. Super recomendo.
comentários(0)comente



Laislla 29/08/2020

Relatos da guerra sempre tendem a ser tristes, mas também cheios de força e superação. Esse não é diferente. É um livro que você lê páginas e páginas de uma vez sem conseguir parar, pois as histórias dessas mulheres são realmente encantadoras.
comentários(0)comente



Lívia 14/02/2020

Amizade
Livro longo, mas flui com facilidade. Recomendo!
comentários(0)comente



Jeh 15/07/2020

Diferente de tudo que já li!!!
Um livro incrivel, que retrata um periodo de 20 anos (de 1939 á 1959) que foi o que mais gostei, pois relata o antes o durante e o depois da segunda guerra mundial e nó dá uma visão do mundo durante a invasão da Alemanha em varios paises.
Outros 2 pontos que me chamaram atenção foi que: 1° o livro nos traz uma visão de uma medica alemã, que esteve a frente de um campo de concentração em Ravensbruck e fez experimentos com as mulheres de lá.
2° diferente do que estou habituada, conta a historia, não de uma judia que foi para o campo de concentração, mas sim de um prisioneira politica.
Caroline; Uau, que mulher incrivel. Todas os eventos e doações de caridade que fez, a forma que ajudou as "Coelhas"... Só gostaria que tivesse vivido um grande amor!! Ainda sim, isso não impede do livro ser maravilhoso.
comentários(0)comente



Thalita Branco 22/11/2017

Resenha ~ Mulheres Sem Nome - Martha Hall Kelly
Em Mulheres Sem Nome acompanhamos a Segunda Guerra Mundial pelo ponto de vista de três jovens mulheres: a socialite americana Caroline Ferriday que trabalha voluntariamente no consulado francês; a alemã Herta Oberheuser, uma médica recém formada e a polonesa Kasia Kuzmerick.

Caroline vê seus dias cada vez mais atarefados conforme a guerra avança. São inúmeros apelos de franceses que querem ou entrar ou sair dos Estados Unidos e ela se desdobra entre o trabalho no consulado, jantares beneficentes, envios de roupas a orfanatos e sua paixão pelo ator Paul Rodierre. Já Herta é uma recém formada sem perspectiva. Ainda que hesite, abraça o trabalho no campo de concentração feminino Ravensbrück onde pode usar suas habilidades de cirurgiã sem parcimônia. Já Kasia resolve trabalhar para a resistência polonesa, até ser capturada junto da irmã e mãe e ser enviada para Ravensbrück, onde passará por duras provações.

Os capítulos, narrados em primeira pessoa, vão se intercalando entre as personagens que em algum ponto da história se encontram. O livro segue em um ritmo bom, mas dependendo da personagem em questão ele desacelera. Apesar das atitudes nobres tive dificuldade com os capítulos da Caroline. Seu romance com Paul destoa do resto do livro e diversas vezes fiquei na dúvida se torcia para eles ficarem juntos ou separados. As descrições de seus eventos beneficentes se tornam cansativas com a enxurrada de detalhes de vestidos e citações a marcas de grife.

Gostaria de ter visto mais da Herta. Sua decisão de trabalhar ou não em Ravensbrück foi abrupta e ainda que seja minimamente possível entender o que a levou a cometer tais atos senti falta de um drama maior em torno da personagem. Já Kasia brilha! Sua personalidade forte faz frente ao que está acontecendo e seu desenvolvimento foi muito bom. O bacana é que o livro não termina junto do fim da guerra. Ele segue anos adiante e vemos as sequelas em diversos personagens.

Não demorei para ler Mulheres Sem Nome e posso dizer que a leitura foi prazerosa e interessante, mas no decorrer dela fiquei com a impressão que alguns acontecimentos foram corridos, ainda que ele seja um livro relativamente longo. Baseado em fatos e pessoas reais, a autora explica no fim do livro de onde surgiu a ideia de escrevê-lo e como foi sua extensa pesquisa para chegar onde chegou, além de acrescentar o que há de fictício e real em sua narrativa.

Apesar de tudo os pontos positivos se sobressaem e gostei muito da história. Quantas não mediram esforços para fazer o bem como Caroline, deixaram-se levar e cometeram atrocidades como Herta ou resistiram bravamente como Kasia? Três mulheres que representam milhares.

site: www.entrelinhasfantasticas.com.br
MIkaely Alves 27/11/2017minha estante
Bela produção textual ! Sem dúvidas me incentivou a saber quais foram as atrocidades de Herta e o motivo pelo qual levou a fazer .


Luyde Gomes 10/04/2018minha estante
Tive a mesma opinião. Parabéns pela resenha!


Thalita Branco 14/09/2018minha estante
Obrigada :)


Angelica.Silva 22/11/2018minha estante
Quando você diz que não demorou para ler o livro é a pura verdade. Comecei a lê-lo ontem e é uma leitura maravilhosa e tão cheia de fatos e de acontecimentos e sonhos de Caroline, Kasia e Herta que o que mais quero é chegar ao fim pra saber de tudo e tbm sinto aquela tristeza pq vai chegar ao fim! São mais de 400 páginas que vão ser engolidas em pouco dias. É uma excelente leitura.




Laís 12/05/2021

Aprender através da ficção: a vida não é um conto de fadas!
“Mulheres sem nome”, de Martha Hall Kelly, nos faz pensar nas tantas mulheres que padeceram sob as crueldades do holocausto.
Esse romance histórico retrata o período histórico da segunda guerra mundial, tendo com espaço da narrativa Estados Unidos, França, Alemanha e Polônia. Dentro desse espaço “amplo”, temos o foco no campo de concentração (ou de “reeducação” como era chamado) de Ravensbrück só para mulheres.
Partindo desse tempo e desse espaço, temos as histórias de três mulheres, Caroline, Kasia e Herta, cujas histórias se cruzam em determinado momento.

Martha Hall Kelly intercala os capítulos de cada uma das personagens, fazendo-nos ter contato com perspectivas diferentes a respeito de um mesmo momento histórico.
Nós vemos mulheres extremamente fortes que, mesmo expostas às situações mais indignas e violentas, conseguem resistir, conseguem até brincar, sorrir, imaginar um fim honrado, já que suas vidas podem estar nas mãos de pessoas abomináveis.
Nós vemos como toda uma mentalidade pode ser disseminada e comprada por pessoas “aparentemente” de bem (Chega a arrepiar!).
Nós vemos como que há pessoas que são genuinamente bondosas e doam sua vida e seus esforços pelos outros.
Quanto aprendizado retirado de um livro tão bom de ler, apesar de duro pela realidade que apresenta.

Eu gosto muito de aprender sobre o que aconteceu através da ficção. Quando comento o que estou lendo, sei que nem todos entendem “por que ela lê coisas que a fazem chorar, sentir raiva, angustia?” Eu acho que leio, porque quero aprender sobre o ontem, para ser melhor hoje... acho que é sobretudo importante para eu me melhorar. E isso é doloroso mesmo, mas acho que é o mínimo que posso fazer. A vida não é um conto de fadas!
comentários(0)comente



Gigi 26/03/2021

Imperdível leitura
Baseado em fatos reais, o livro conta a história de três mulheres, sendo que duas delas realmente existiram. A terceira personagem fora criada pela autora de acordo com as suas pesquisas sobre as prisioneiras e o campo de concentração de RAVENSBRÜCK, o campo exclusivamente feminino.
Eu li o livro Ravensbrück, de Sarah Helm e a história contada em Mulheres Sem Nome foi fidelíssimo aos relatos do livro. Muito cuidadosa e honesta, o autora te leva a vivenciar àquela época, naquele campo, torcendo para que suas histórias não sejam tão aterradoras quanto eu já sabia que era.
Eu me emocionei enormemente neste livro. Eu me apaixonei pela sensibilidade da autora. Eu conheci um ser humano incrível chamado Caroline Ferriday.
Recomendo, ardorosamente, este livro! Já é o meu 2º melhor livro de 2021.
comentários(0)comente



109 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |