Árion

Árion Pablo Madeira




Resenhas - Árion


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Carolina 13/11/2017

Resenha pelo Blog Arsenal de Ideias
Este é o terceiro livro do autor que tenho o prazer de ler, e gostei de ver que ele tem uma facilidade de passar de um gênero para outro. Fantasia é, de longe, um dos meus preferidos, então quando fiquei sabendo que ele estava escrevendo um livro do gênero, é claro que fiquei louca para ler.

De começo, preciso falar que gostei muito do trio de personagens principal. São personagens simples e totalmente relacionáveis, e desde o começo já senti um certo apego a eles. Laura é decidida e destemida, sempre levando os outros dois para as aventuras, já Igor parece quieto mas esconde um grande coração e uma coragem incomparável. Felipe, para mim, foi o que mais teve crescimento no decorrer da história, eu comecei o livro com uma opinião um pouco negativa dele mas isso mudou no final da obra, a personagem teve uma tremenda evolução!

A mitologia por trás de todo o mundo de Árion é muito bem construída! Temos criaturas que já conhecemos, mas com características diferentes que combinaram muito bem com o mundo que o autor criou. Temos também personagens secundários desse mundo que se tornam muito importantes para as aventuras do nosso trio principal.

O que eu mais gostei na obra em questão foi que não há aquela enrolação que geralmente vemos no gênero. O autor foi direto ao ponto, o que tornou o livro uma delícia de ler, rápido e com ação a todo instante. Sim, temos cenas de ação em quase todos os capítulos, o que foi ótimo porque assim eu não conseguia simplesmente parar de ler. Além de ser consideravelmente pequeno, é perfeito para uma leitura rápida em um fim de semana.

O final, é claro, ficou em aberto por haver mais um volume depois desse, para fechar a duologia. E que eu espero que saia logo viu, Pablo?

Esse é também o primeiro livro da Editora Xeque-Matte que pego em mãos, e fiquei surpresa com a qualidade do trabalho deles quanto à edição. A fonte está em um tamanho ótimo e a página não cansa a nossa vista. Apenas achei vários erros de revisão durante a leitura, alguns que até poderiam passar batidos e outros que realmente me irritaram, mas nada que atrapalhou a experiência geral da leitura.

Pablo Madeira vem com um ótimo exemplar de fantasia nacional. Bem construído e narrado, é uma dica essencial para quem é fã do gênero.

site: https://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/2017/11/13/resenha-95-arion-o-reflexo-de-um-outro-mundo-pablo-madeira/
comentários(0)comente



Cacio Silva 28/10/2017

Pelo velho espelho trincado.
Árion é o novo livro do autor Pablo Madeira, e meu primeiro contato com sua escrita. A história? Uma fantasia que usa e abusa de aspectos já conhecidos pela grande massa e que se ousa a criar muito mais.
O mundo de Árion está em guerra, e após uma invasão noturna, o trio Laura, Felipe e Igor são sugados por um espelho e vão parar neste lugar. Com isso, é descoberto que eles são parte de uma antiga profecia e que podem ser a chave da salvação de Árion.
Confesso que não sou chegado a livros de fantasia. Me arrisquei com este, pois além de ter sido escrito pelo Pablo, a capa maravilhosa feita pela Helena Dias, a história em si já é chamativa. Durante a narrativa vamos mudando de aspectos e pontos de vistas para os três personagens, vendo cada um se envolver em suas próprias confusões e mostrando como cada um age individualmente. A construção dos personagens é incrível, o Pablo sabe como descrever as cenas de batalhas, nunca deixando você perdido, buscando entender o que se passa. É IMPOSSÍVEL você terminar de ler e não querer proteger os personagens e torcer para que tudo dê certo (e claro ter o seu favorito, que no meu caso é Felipe).
Terminei o livro com a sensação de quero mais, e arrisco dizer que o que vem pela frente será grandioso. Neste somos apresentado a este novo mundo, como tudo funciona. É como se o estopim da guerra estivesse prestes a eclodir, mas só saberemos quando lermos o segundo. A vilã Befana tem tudo para dominar a história, pois só pelo que li no epílogo, já entendi o porquê de ser tão temida.
Termino a resenha dizendo que ao término da leitura o saldo foi positivo, e posso dizer que perdi o preconceito pelo gênero. Recomendo para todos, independente de sua idade, e estou ansioso pelo fim da aventura do trio. A torcida para que tudo dê certo é grande.
Pablo Madeira veio com tudo neste livro, e mostra que não está aí para brincar.
comentários(0)comente



Mandy Nunes 16/11/2017

Árion - Magia e Amizade!

Laura, Felipe e Igor invadem uma velha casa abandonada que julgam ser mal-assombrada, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Durante a exploração do grupo de amigos a casa, eles descobrem um enorme espelho em um dos cômodos. E, ao serem arrastados para dentro do objeto e “acordarem” em outra dimensão, o grupo descobre que o espelho na verdade é um portal para Árion, um mundo paralelo e mágico repleto de elfos, duendes, ninfas, feiticeiros e diversas criaturas. Logo, o grupo descobre a história de Árion e que a terra mágica está em guerra há tempos.


“— Na verdade, nós anjos, somos destinados ao bem. Nascemos para ajudar os necessitados e não pergunte quem inventou essa regra, sempre foi assim. Não sei quem é Deus, mas estamos aqui para proteger todos do mal e acompanha-los em suas missões de vida.”


Agora, os jovens precisam voltar para casa. O portal que os levará para a Terra novamente, o espelho, está em posse da tirânica feiticeira Befana, e, como se não bastasse, o grupo precisa encontrar ainda um segundo elemento para que a mágica funcione e os ajude a voltar.


Para achar esse importante elemento, o trio precisará se aventurar nas terras mágicas de Árion em busca de aliados contra a rainha Befana, enfrentando todo o tipo de criaturas mágicas e desconhecidas.

“— É legal, mas não muito diferente de Árion. O mundo de vocês é como alguns séculos passados do nosso, só que aqui existe magia. Na Terra, também há guerras com armas de fogo e bombas, coisas que nesse lado do espelho não tem — sorriu para o nada, rindo da própria piada. — Mas a maldade e a ganância por poder, acredito que exista em todo lugar”


E é com uma leitura agradável, cenários e personagens bem-construídos, que Pablo nos introduz na sua história fantástica. Repleta de seres mágicos já conhecidos nos livros de fantasias, mas muito deles com características próprias do mundo que o autor criou. Temos a Laura, uma personagem que me pareceu forte e determinada, o Igor, que é mais tímido e reservado, mas se revela uma pessoa de enorme coração, e o Felipe, que, com o decorrer da história, se mostra uma pessoa muito fiel à amizade.

Os personagens secundários também têm uma presença marcante na história, cada um com sua característica e personalidade, que são de extrema importância para o desenrolar dos acontecimentos. Cheguei a comentar sobre isso nos Primeiras Impressões que fiz do livro, e torno a repetir: as descrições de personagens e lugares deste mundo paralelo são feitos sem excessos que possam atrapalhar e desviar a leitura nem a falta dela que pode deixar o leitor deslocado , sem saber como imaginar esse mundo. O ritmo dos acontecimentos foi ideal e extremamente agradável, nem rápido demais, nem enrolado demais, e nem complicado de entender, e muito disso se deve à escrita do Pablo que é gostosa e flui com facilidade.

O desfecho do livro fica em aberto, pois há uma continuação dessa aventura. Árion é meu primeiro contato com a escrita do Pablo, e posso somente elogiá-lo pela bela história construída, repleta de emoção, aventura e magia.
comentários(0)comente



Bruno Marukesu 09/01/2018

ÁRION - O REFLEXO DE UM OUTRO MUNDO
O REFLEXO DE UM OUTRO MUNDO acompanha a aventura de três jovens chamados Laura, Igor e Felipe em um mundo desconhecido e que segue regras diferentes da nossa.
Logo de início foi chocante ver referências As Crônicas de Nárnia e olha que o autor nunca leu ou viu os filmes! Essa questão de jovens serem os escolhidos para trazer mudanças profundas ao reinado por conta de uma profecia não é nova, mas Pablo sabe lapidar esse traço clichê e moldar o seu mundo mágico onde existe de tudo um pouco desde elfos, passando por anões e sereias.
Laura é uma jovem bastante perspicaz, digna de nota mesmo achando que por vezes ela me foi uma mera coadjuvante possuindo papéis de destaque. Admirei as atitudes dela, mas não me tornei seu fã ou admirador. Um dos motivos que pode ter influenciado a não empatia pela personagem é o fato dela parecer esquecer tão facilmente o que Felipe fez para ela no passado. Eles são ex-namorados, claro que não espero que ela guarde rancor, mas a forma como a aproximação deles foi moldada demonstra que Felipe só não gosta de perder o que um dia foi dele e Laura parece não enxerga isso.
Felipe não é flor que se cheire mesmo o autor apresentando provas que li errado o personagem trazendo a reflexão que humanos erram. Não consegui perdoar esse jovem. Minha grande vontade era pular os parágrafos em que ele era o foco.
Igor é sem sombras de dúvida alguém querido que seria uma honra ter como amigo. Leal e pronto para estar ao seu lado em qualquer desafio, ele se destaca e traz todo um brilho especial e discussão racial ao enredo fantástico nos aproximando mais da nossa realidade do que ao mundo de Árion. Novamente Pablo Madeira se destaque ao trazer a reflexão para o nosso dia-a-dia através de uma fantasia juvenil.
O cuidado em criar personagens secundários é uma característica marcante nessa obra. Além dos três jovens me vi torcendo por alguns habitantes de Árion mesmo ciente que podia estar torcendo pela galera malvada da história. FORÇA, TRUYAN!!!
Como havia mencionando antes, a obra não traz grandes elementos inéditos para uma fantasia onde profecias são apresentadas aqui e acolá e grupos são formados para realizar uma jornada nunca antes feita por caminhos perigosos, mas os trechos onde a humanidade e o sentimento falam mais alto tocam em nosso íntimo.
A grande vilã é apresenta nos últimos parágrafos desse primeiro volume da duologia que tem tudo para culminar numa grande batalha final no próximo livro que espero confiantemente que seja lançado nesse ano de 2018!
Com narrativa em terceira pessoa, a obra física possui uma capa linda (e olha que ODEIO modelos mostrando seus rostos em capas de livros), folhas amareladas, capítulos medianos e fonte da letra grande que traz um conforto aos olhos e permite uma leitura mais agradável e rápida para os ávidos por palavras.
Sobre a escrita do autor devo dizer que a cada obra lançada Pablo Madeira sobe um degrau no amadurecimento escrito demonstrando ser um excelente autor que usa e abusa da fluidez nas linhas traçadas.
Para alguém que busca um enredo light e nada pesado para passar uma tarde na tranquilidade e que acima de tudo é a favor da inserção de seres mitológicos variados em um mesmo enredo fantástico vai ai minha dica: se joga em ÁRION - O REFLEXO DE UM OUTRO MUNDO.

site: http://www.refugioliterario.com.br/2018/01/arion-o-reflexo-de-um-outro-mundo.html
comentários(0)comente



CuraLeitura 09/01/2018

Resenha do blog CuraLeitura
Em Árion - o reflexo de um outro mundo, Pablo Madeira nos presenteia com a história de três amigos humanos: Laura, Felipe e Igor.

Os três adolescentes de Juiz de Fora (MG) resolvem "invadir" um casarão abandonado e com fama de mal assombrado da cidade, apenas por diversão. Entretanto, no meio da brincadeira encontram um espelho e acabam sendo sugados para um outro mundo.

Árion é um mundo que tem de tudo: fadas, duendes, elfos, feiticeiras e muitas outras criaturas. Só não tem humanos lá. E quando os três surgem e são encontrados, dá-se início ao cumprimento de uma antiga profecia, tendo os jovens como peças fundamentais: eles são os responsáveis por livrar Árion das mãos de Befana, uma poderosa feiticeira negra que tem causado destruição por todo o mundo.

Para os três tudo é ao mesmo tempo fascinante e assustador e a todo momento se perguntam se serão mesmo capazes de trazer a paz de volta a Árion.

Em sua jornada, eles descobrirão em si qualidades que jamais imaginaram possuir: coragem, força, lealdade, determinação.

"- MEU FILHO, POR FAVOR, SALVEM O MEU FILHO! - gritava uma mulher em meio aos prantos em toda aquela confusão.
[...] Um garotinho de aproximadamente sete anos de idade estava na janela vendo todo aquele caos e com as mãos formando uma concha próximas a boca, aparentemente gritando pela mãe ou por ajuda.
Laura contou de um até dez, chegou a cogitar a possibilidade de seguir em frente e deixar a mulher gritando por ajuda, mas não fazia parte de seu caráter esse tipo de atitude. Ela começou a correr em direção a casa, indo de encontro aos lestrigões que se aproximavam do estabelecimento. [...]"
p.142-143

O povo bom de Árion, que ansiava pela chegada dos três, fará de tudo para protegê-los e guiá-los nessa perigosa aventura, alguns darão suas vidas na esperança de que o mundo um dia esteja em paz novamente.

As coisas que eu mais gostei na obra foram:
- Os personagens serem brasileiros e viverem em uma cidade real brasileira (Juiz de Fora, cidade do autor do livro);
- A jornada de auto-descoberta dos três, passando pelas qualidades já citadas até sentimentos de amor uns pelos outros e pelo povo que acabaram de conhecer;
- A leveza com que o autor escreve a história, de modo que o livro em momento algum se torna cansativo e a leitura pode ser concluída rapidamente.

A parte negativa foi algumas falhas na revisão (algumas palavras escritas erradas), e a mudança de tempo na narrativa - as narrativas normalmente são feitas no tempo passado, mas houve alguns escorregões e às vezes a narrativa estava no tempo presente. Não foi algo que atrapalhou a leitura, mas é algo a ser levado em consideração para os próximos livros do autor.

Em contrapartida, a qualidade gráfica do livro, como todos os livros da Editora Xeque-Matte, está espetacular. A capa magnífica, com a Laura linda em Árion, a diagramação também muito boa, fonte em tamanho e espaçamento bons e papel levemente amarelado, deixando a leitura bastante confortável. O material do livro também é de ótima qualidade.

Foi uma leitura que me agradou bastante, não só pela aventura da história, mas pelos valores passados. Amizade, lealdade, companheirismo, amor, coragem... A todo momento vemos os personagens colocarem os outros à frente de sua própria segurança e bem-estar, se arriscar e se doar pela missão, pelo coletivo, na esperança de um futuro melhor.

É um livro inspirador e que eu recomendo. Pode ser lido por todas as idades.

site: www.curaleitura.com.br
comentários(0)comente



Livros da Beta 23/05/2018

Viciante
Laura, Igor e Felipe não podiam imaginar a aventura em que embarcariam ao invadirem uma casa abandonada e supostamente assombrada. Um espelho antigo, que na verdade era um portal construído pelo mago Hagnarock, que passou muitos anos na Terra, os levou para Árion, um mundo mágico e em guerra há muitos anos. E as descobertas não param por aí, de acordo com uma profecia, três humanos seriam imprescindíveis para o fim dessa tormenta. SIM, eles eram os escolhidos!
Fiz as Primeiras impressões de “Árion – O Reflexo de um Outro Mundo” e fiquei bastante curiosa em saber como a história terminava, uma vez que fiquei encantada logo nas primeiras páginas. Não me enganei, a leitura foi viciante! Fui, juntamente com os três adolescentes, transportada para este novo mundo e pude sentir toda a emoção da história, presenciei cenários magníficos, me apaixonei pelos personagens (Ou seriam habitantes do local? Pois para mim são reias!) e acompanhei tudo, aventuras, perigos, treinamentos, amores. Pablo Madeira tem uma escrita que prende e cativa o leitor, a leitura flui tão bem que fica difícil parar.

site: https://livrosdabeta.blogspot.com.br/2017/12/resenha-arion-o-reflexo-de-um-outro.html
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6