Não Conte Nosso Segredo

Não Conte Nosso Segredo Julie Anne Peters




Resenhas - Não Conte Nosso Segredo


31 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Pipoca Nerd 07/10/2019

Resenha do livro “Não conte nosso segredo” da autora Julie Anne
Preciso dizer e lembrar a todos que esse livro pode assustar muita gente. Infelizmente, ainda vivemos no século 19… ops. Pera. Bom, sem querer polemizar nem nada, ainda temos um preconceito quando se trata de homossexualidade isso não muda na literatura. Portanto se você é um pipoca com a mente um pouco menos tolerante, tchau, até mais.

Se não é, seja bem vindo, essa é a resenha de: Não conte nosso segredo! (shiiiii)

Esse livro fala de paixão. Fala de medo. Fala de amor nu e cru. Holland tem tudo que precisa pra ser feliz no colégio: amigos, um namorado bonitão, boas notas, popularidade… mas parece que falta algo que ela nem mesmo sabe dizer.
No meio do caminho ao final do colegial, aparece Ceci.

A menina que se auto-afirma e que é bem resolvida com a vida. Ela é gay e se assume. Se entende e se aceita da forma que é. Nem tudo são flores, já que o Colégio novo mostra à Ceci que ainda existe muito preconceito e muito o que vencer para ser aceita. Nesse meio tempo, Holland parece notar Ceci. Ela percebe os pequenos detalhes e antes do que podemos piscar, ela gamou. E é aí, “mon amoures”, que a parada fica complicada. Como explicar para os pais caretas e para a sociedade toda que menina com menina também pode?

O livro nos mostra todos os questionamentos básicos para esse tipo de situação e também mostra como a adolescência é um bicho mau. Preciso dizer que não foi o melhor livro da minha vida. Em alguns momentos achei maçante e repetitivo. Mas eu precisava saber o final e segui até o fim. É a hora de dizer que POR FAVOR, JULIE ANNE PETERS, nos forneça mais.

Sem dar spoilers é só o que posso comentar aqui.

Do mais, livro bom e razoável. Sincero e relativamente amoroso. Você sente uma empatia com a Holland e ao mesmo tempo sente vontade de dar três tapas em sua linda face. Haha (diga não à violência, queridos). Personagens paralelos bem criados e cada um com uma personalidade bem definida. Amei a Leah de todo meu coração e já shippo com alguém bem legal e descolado. Não julgue um livro pela capa (que é linda, por sinal) e jamais conte nenhum segredo de algum amigo. Fica meu conselho maravilhoso para a vida de vocês. É o outro é: Leia comigo e vem comentar.

Eu ADORO e juro não contar para ninguém.

site: http://pipocanerd.com/livros/resenha-do-livro-nao-conte-nosso-segredo-da-autora-julie-anne/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Isabella.Bortoleto 10/07/2019

Bom
Achei a leitura bem leve sabe, mais achei que faltou algo faltou um final ...esperei tanto por vários outros acontecimentos é como se houvesse uma continuação ainda não revelada...
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Teka 08/07/2019minha estante
terminei de ler ele agora e foi exatamente o que eu pensei. Um livro ótimo, me identifiquei em vários momentos com a Holland, mas o final deixou a desejar infelizmente.




Maysusu 28/05/2019

Não é ótimo e nem medíocre.
Não conte o nosso segredo é relativamente agradável, fácil de ler e as vezes divertido. Não há muito ruim para dizer sobre o livro exceto pelo sentimento raso que ele carrega. As protagonistas sentem "amor" rápido demais sem nenhuma razão pra isso, uma vez que o livro não trabalha direito o desenvolvimento do relacionamento delas. Mesmo no final do livro, ainda parece que elas não se conhecem direito. É o famoso "te conheço a uma semana, mas já te amo". Não é desagradável de ler, mas não vai deixar nenhum impacto e mudar a vida de ninguém (a não ser que a pessoa seja muito facilmente impressionável).
comentários(0)comente



Taize @viagemliteral 21/05/2019

"Estavam errados quando chamavam isso de "estar no armário". Era uma prisão. Confinamento em solitária. Eu estava trancada do lado de dentro, dentro de mim, no escuro, com medo e sozinha."
?
Holland sempre foi uma garota cheia de desafios na vida. Sempre pressionada para ter boas notas; como presidente da classe era solicitada para defender causas um tanto inusitadas e participar de eventos extremamente chatos, mas por insistência de sua mãe, ela tentava se arrastar, ser uma aluna exemplar e uma filha dos sonhos. Ah! Ainda tinha Seth, seu namorado, que "exigia" bastante antenção.
.
Em meio a toda essa carga física e emocional, ela conhece Ceci, "lésbica, assumida e com orgulho", a atração de ambas é instantânea.
Apesar de ter sentido algo diferente por meninas na sua infância e adolescência, Holland nunca imaginou que realmente fosse lésbica, talvez bissexual?
Não! Ela tinha um namorado lindo e o amava muito.
.
Em meio a toda pressão e incertezas, a garota ainda precisa tomar essa grande decisão em sua vida, e, dessa vez, não poderia ser tomada por sua mãe. Estava ela, apaixonada por Ceci e tinha que resolver isso sozinha.
?
A partir do momento em que elas começaram a se relacionar, a vida de Holland ficou mais alegre. A garota esgotada emocionante, havia dado lugar a uma mulher cheia de luz. ?
No entanto, na vida nem tudo são flores, sua mãe descobre o relacionamento e tudo vira de pernas pro ar.
Ela se mostrou uma mulher fria, extremamente homofóbica, pois não passou todos os apuros da vida para criar uma filha para ser lésbica.
.
"Não conte o nosso segredo" fora lançado em 2003 em outros países, mas ainda hoje podemos perceber que os traços de preconceitos permanecem a todo vapor.
É possível reconhecer em todos os ângulos a luta e sofrimento de um LGBT pela aceitação e pelo apoio principalmente da família, e o questionamento diário: se estou feliz, o que há de errado comigo?"
Deparamo-nos com um livro nada romantizado, as questões do lado bonito do amor vem com a carga do lado feio, triste e desolador.
?
comentários(0)comente



Naah 25/04/2019

Mt bom!
É boom
comentários(0)comente



Lenne 04/04/2019

Maravilhoso ❤

Ao ler esse livro, esqueça a ideia de garotas frágeis e amor à primeira vista. O divertido do livro é observar como Holland entenderá o que sente por Ceci e lidará com a pressão das outras pessoas diante dessa descoberta. Afinal, no inicio, deve ser bem assustador descobrir isso sem querer, mas, o mais importante, foi viver assim, principalmente em meio aos problemas que essa descoberta acarretou. Posso dizer que Holland é muito corajosa, mais do que eu e você juntos. Sem dúvidas, é um livro que eu recomendo muito, principalmente por nos fazer entender e respeitar o outro e, acima de tudo, aceitar que ele é e pode diferente de nós.
Cacau 07/04/2019minha estante
Li a poucos dias esse livro é sinceramente eu o amei


Lenne 08/04/2019minha estante
E incrível SIIM. Gostei muito ?




Vanessa @LarLiterario 06/03/2019

Holland está aprisionada de todos os lados de sua vida, precisa ser a filha perfeita, a aluna perfeita e a namorada perfeita. Sua mãe tem muitas expectativas para ela, uma vez que engravidou na adolescência e não teve o apoio dos pais, precisou se virar sozinha. Ela espelha em Holland quem não pode ser, então espera da filha um currículo escolar perfeito para que conquiste uma bolsa de estudos em uma universidade privilegiada.

Sendo Presidente de Classe, espera-se que além de manter esse currículo perfeito, Holland seja capaz de organizar todos os eventos sociais da escola. E como namorada, Seth espera que eles possam levar esse relacionamento a um novo nível de comprometimento.

Acontece que Holland está sobrecarregada e indecisa sobre seu futuro, cansada de deixar sua mãe tomar decisões que só cabem a ela, mas sem forças para lutar contra e acabar decepcionando a mãe.

Em meio a toda essa pressão e incertezas, ela conhece Ceci. A nova estudante da Southglenn é linda, artística e lésbica assumida com orgulho — como mostram suas camisetas. A atração é imediata e quando Holland percebe que também é possível que seja recíproca, ela precisa adicionar mais uma importante decisão para o seu futuro.

"Tem a ver com superar aquela pergunta, o que há de errado comigo, sabendo que não há nada de errado, que você simplesmente nasceu assim. Você merece viver, e viver com dignidade e mostrar as pessoas o seu orgulho."

Acho que Não Conte o Nosso Segredo não é um young adult de tirar o fôlego, mas com certeza traz muito conhecimento. Os comentários e reações homofóbicas, a falta de ação dos adultos responsáveis em parar esse tipo de comportamento dói. Mas, infelizmente, são reações ainda muito atuais.

O livro, apesar de ter sido publicado em 2003, ainda é extremamente atual e relevante. Muitas das reivindicações que Ceci faz ao longo das páginas, é o que a comunidade LGBTQI+ ainda precisa reivindicar nos dias de hoje, e os medos que os personagens passam no livro, ainda é o mesmo em pleno 2019.

Senti falta de um final mais impactante, confesso, mas acredito que a mensagem foi muito bem passada.
comentários(0)comente



Cris 20/02/2019

Adorei!
O livro conta a história de Holland, uma garota com uma vida tipicamente adolescente, cursando o ensino médio, dedicada aos estudos e integrada a escola. Presidente do conselho estudantil, namorado perfeito, amigos. Porém apesar disso, Holl sente-se perdida, vazia, eu diria, com as escolhas que precisa fazer e com as que fez até ali. Pressionada sobre faculdades e com as expectativas da mãe (Que claramente quer um futuro que Holl não deseja), vai levando tudo meio que "empurrando com a barriga", até que seus olhos esbarram em Ceci, através do reflexo do espelho do seu armário e, um estranho interesse surge em saber mais sobre aquela garota, uma atração que intriga e fascina Holl e que a faz querer chegar cada vez mais perto de Ceci.
.
.
"Senti uma vontade enorme de segui-la. Mais do que uma vontade, uma necessidade."
.
.
Eu gostei bastante da forma como o romance foi desenvolvido, sem amores avassaladores logo no primeiro "oi", até porque, Holland é "hétero", não é? E mesmo Ceci sendo assumida, respeitou o entendimento de Holl sobre o que estava acontecendo, respeitando o tempo e espaço dela. E confesso que foi maravilhoso acompanhar todo aquele clima de flerte e descoberta sendo construído entre elas, de forma natural e real.
.
.
O livro ainda mostra conflitos e dificuldades em "se assumir", assim como lidar com as consequências disso. .
.
"Estavam errados quando chamavam isso de “estar no armário”. Era uma prisão. Confinamento em solitária."
.
.
Eu realmente curti bastante a leitura, apesar de sentir uma sensação de que "faltava algo" ao chegar a última página. Sabe quando você tenta passar para próxima página e estranha por não ter mais? Pois é! Mas não porque o livro foi maravilhoso e você queria mais, mas porque você precisava de algumas respostas, entende?
No entanto, apesar disso, eu AMEI!
comentários(0)comente



mai 14/02/2019

Sabe aqueles livros que terminam e o coração da aquecida?
Não me lembro a última vez que terminei um livro com o olho cheio de lágrimas e sorrindo ao mesmo tempo.
Ja fazia um bom tempo que eu estava procurando esse tipo de romance (sem ser necessariamente LGBTQ) Eu só queria um romance com crescimento de personagem, que eles fossem cativantes, que a história fluisse e ainda tivesse aquele toque de realidade.
De início eu não gostava muito da Holland, mas bem no início mesmo, já a cece eu a amei do início ao fim.
O livro relatou bem como é sair do armário e principalmente, sair do armário para si mesmo e se reconhecer e aceitar isso. A holland internamente sempre soube que era lésbica só não aceitava ou não entendia, várias vezes ela comentava a atração por outras meninas e com o namorado eu tinha a sensação que ela estava se obrigando a amar ele (romanticamente falando).
Enfim, não tenho muito que falar, eu simplesmente amei do início ao fim
comentários(0)comente



Nicole 26/12/2018

Não Conte Nosso Segredo
Holland Jaeger tem uma vida "chata e previsível" (segundo ela mesma) tendo que satisfazer a vontade de todos a sua volta sem poder se preocupar consigo mesma. Holland está indecisa se quer ou não frequentar uma faculdade, mas para agradar sua mãe, ela desgasta horas de seu dia para conseguir uma vaga em qualquer lugar que a aceite. Seu namorado, Seth, é um grande babaca que só pensa em fazer sexo o tempo inteiro sem ao menos perguntar se ela quer. Holl se vê no que parece ser um inferno, mas quando Ceci Goddard é transferida para sua escola tudo parece mudar. Juntas, elas criam uma amizade que não demora se transformar em amor. Lutando contra o preconceito dentro e fora de casa, Ceci e Holland precisam passar por muitas coisas para poderem ficar juntas. Ignorando o clichê em algumas partes, o livro tem uma descrição impressionante que faz você sentir na pele tudo o que a protagonista passa.
comentários(0)comente



Cleber Stefanini 11/12/2018

Minha Opinião 📚 Livro LGBT
Apesar de eu não gostar de livros com temática LGBT, ( eu sou um pouco curioso em relação aos casais lésbicos :) ) é um romance que fala sobre os jovens e suas descobertas sobre a sexualidade, preconceitos, aceitação de familiares e amigos, um romance maravilhoso que vale muito a pena .. amei o lviro
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Juliana 26/11/2018

Não conte nosso segredo - Resenha
Se tem um livro que eu posso dizer que amo, esse é ele!
O livro narra a vida corrida e cheia de tarefas de Holland Jaeger. Ela tem o namorado dos sonhos, está feliz sendo presidente do Conselho Estudantil quando conhece Ceci Goddard e sua vida vira de cabeça pra baixo. Ou de cabeça pra cima?
De uma forma leve e realista, Julie Anne Peters mostra de uma forma realista como é lidar com o preconceito, os pais e consigo mesma quando descobre que gosta de uma garota.
Durante a leitura tem momentos pra todo tipo de sentimento. Há partes em que o leitor está extremamente bravo, em outras, feliz, em outras o leitor chora. De emoção, felicidade, tristeza.
Um livro que mexe com a gente, e quando você está passando por coisas parecidas com Holland, tudo se torna mais intenso e real.
comentários(0)comente



31 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3