Os Criadores de Coincidências

Os Criadores de Coincidências Yoav Blum




Resenhas - Os Criadores de Coincidências


45 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Jéssica B. 10/10/2017

Simplismente incrivel!
Eu não sou de fazer resenhas, mas esse livro é perfeito demais pra alguém ficar sem falar dele. Ele é leve, encantador e surpreendente. Eu devorei ele em poucos dias, depois fiquei ao mesmo tempo feliz e triste ao terminar. O autor soube escrever de forma dinâmica e clara, que te envolve totalmente . EU AMEI!
comentários(0)comente



Ladyce 04/01/2018

Os criadores de coincidências de Yoav Blum, tradução de Fal Azevedo, é um livro divertido, uma mistura de thriller e romance; leitura rápida, inconsequente, amena. É um dos maiores sucessos de vendas em Israel, traduzido e publicado no Brasil antes mesmo de atingir o mercado americano, onde será lançado em março de 2018.

Produzir coincidências é o trabalho de três agentes Guy, Eric e Emíly que recebem ordens para produzirem coincidências na vida de pessoas comuns. Estas ordens aparecem de maneira misteriosa, indicando a existência de uma organização maior, acima de todos nós simples mortais, onisciente, toda poderosa, com poderes de influenciar diretamente nos nossos destinos. A partir daí esses agentes, treinados na tal organização, usam de análises matemáticas e complexos projetos, para construir diversos eventos que em cadeia levam a um acontecimento final quando duas ou mais partes se encontram.

A ideia é interessante e divertida. Depois desta leitura você vai pensar duas vezes quando perder um documento num táxi, quando manchar sua camisa com café depois de esbarrar num obstáculo, e certamente jamais achará que existem encontros casuais com conhecidos ou desconhecidos. Mas houve momentos em que tive a impressão de que o autor estava particularmente orgulhoso de sua obra, e que lhe faltou um bom editor, para ajudá-lo a reduzir algumas ideias bastante astutas. Os capítulos dedicados às cartilhas dos agentes, às regras a que se submetem, são pela primeira vez que aparecem, e interrompem a narrativa, uma curiosidade repleta de humor, mas quando a história é interrompida mais de uma vez por esses capítulos, temos um artifício cansativo na composição da história.

Através desta leitura tive a sensação de estar acompanhada do espírito do filme Agentes do Destino (2011), com Matt Damon e Emily Blunt, baseado no conto do escritor de ficção cientifica já falecido PKD [Philip K. Dick] Adjustment Team, originalmente publicado em 1954. Não conheço o conto. Mas vi o filme mais de uma vez, já que é uma das minhas comédias românticas favoritas. Não se trata de cópia, mas a ideia é semelhante.

Se você precisa de distração, este pode ser o livro ideal para colocar na mala e ler nas férias, depois da piscina ou numa rede à beira-mar. É uma leitura leve, divertida, sem consequências, um pouco de mistério, um pouco de romance. Agradável.
Letícia 04/01/2018minha estante
Gente, que livrinho bacana! e como assim, eu não vi esse filme, vi que tá no Telecine Play e vou ver!


Letícia 04/01/2018minha estante
Gente, que livrinho bacana! vi esse filme há muito tempo, acho que tá na hora de rever! Ainda está no Telecine Play!


Ladyce 04/01/2018minha estante
Adoro o filme. Está na Netflix, ainda.




Bia 18/07/2018

ESSE LIVRO É UM HINOOOOOOOO.
Criadores de coincidências foi um livro que me pegou pela sinopse, eu demorei muito tempo pra ler ele e por isso tive medo de ter criado expectativas demais.

Foi um medo bobo, nada jamais teria me preparado para esse livro, ele não é de forma alguma previsível.

Mas talvez, você que está lendo essa resenha, deva levar em conta que eu sou uma pessoa que não sabe prever fins e a menos que eles sejam completamente clichês eu não vou descobrir o que acontece no final.

Vou tentar resenhar essa história com o máximo de cuidado para não soltar spoilers, pois é nos detalhes que estão as respostas que vão te levar ao grande final.

Primeiro temos o Guy, um criador de coincidências muito bom em unir casais, na primeira união de casais dele eu já derreti, confesso.

Depois temos a Emilly uma outra criadora de coincidências misteriosa sobre seu passado (e que passado meu povo) e um pouco (muito) controladora, mas ela é uma criadora de coincidências, é claro que ela é uma pessoa controladora.

E o Erick, seria o Erick meu novo crush da vida? O Erick é amigo do Guy e da Emilly e também é um criador de coincidências, um criador bem habilidoso, tanto que o Guy e a Emilly deixaram ele de fora de alguns desafios porque ele terminava tudo em uma semana.

A coisa que mais me fez ficar apaixonada por esse livro é como tudo se une, o autor vai criando tudo bem na frente dos seus olhos e você não percebe até que buuuum, uma bomba explode bem no meio da sua cara e te mostra todas as junções que você não viu.

Além disso o livro não mostra só o ponto de vista do Guy ele transita entre todos os personagens da história e mostra bem a teia de aranha que é o universo.

Se esse não é meu livro favorito do ano eu sinceramente não sei qual é.
Raíra 24/07/2018minha estante
Me senti assim lendo também haha, muito linda a história ;-)


Bia 26/07/2018minha estante
Não é uma coisa fofa e linda e incrível? Não sei se sou capaz de amar mais nada depois dessa lindeza




Caah 30/10/2017

I N T E L I G E N T E
Esse é o melhor livro que já li. Uma história em que são apresentadas as peças do quebra cabeça que vão se encaixando perfeitamente durante a leitura.
A história foi perfeitamente estruturada de maneira a surpreender o leitor, que descobre uma coisa a cada capítulo, e a cada descoberta feita, temos a nossa curiosidade cada vez mais aguçada. É um livro que mexe com o raciocínio. A história vai crescendo de maneira a apresentar cada vez mais peças de uma gigantesca engrenagem que vai se encaixando de forma magistral e surpreendente.
Obrigada editora Planeta por trazer essa preciosidade para o Brasil e por favor, publiquem os outros dois livros do autor, Yoav Blum, porque ele é um gênio.
comentários(0)comente



Francisco 03/09/2017

E se as Coincidências fossem criadas por agentes secretos?
Vamos fazer juntos um retrospecto do seu dia de hoje. Quantas pessoas você viu hoje que provavelmente não verá nunca mais? Que imprevistos aconteceram que talvez fique pra sempre em sua memória? Quais conversas surgiram do nada e talvez deram um "insight" que poderá mudar sua história? E os Crushes? Hoje foram quantos? Você acredita em coincidências, ou acha que tudo que foi posto em sua vida foi milimetricamente pensado? E se eu dissesse para vocês que existem pessoas quase invisíveis que são responsáveis pelas coincidências da sua vida? Esses são os Criadores de Coincidências, criados por Yoav Blum

QUEM SÃO?

“As pessoas não se distinguiam uma das outras apenas por ocuparem espaços diferentes. Elas também atuavam em tempos diferentes. Até certa medida, moviam-se dentro de uma bolha pessoal criada por elas mesmas. Parte do trabalho de Guy [como criador de coincidência]. como o General dissera, era unir esses tempos diferentes sem que o encontro parecesse artificial" (p.11)


Criadores de Coincidências são pessoas, que quase invisíveis ajustam situações para que o "acaso" tenha um objetivo nas nossas vidas. Esses seres podem ser responsáveis, tanto por um desiquilíbrio que nos leve ao chão e coloque outra pessoa para nos ajudar, como também aquela voz do subconsciente que nos induz a fazer algo, claro, nunca influindo em nosso livre-arbítrio, mas nos levando a sair da zona de conforto em algum nível.

Para ser um criador de Coincidência, é necessário passar por um curso intensivo, com objetivo de aprender técnicas, contextos, previsão de escolhas. Enfim, essas pessoas tem de estar preparadas para enfrentar a pisque humana e também a matemática, física da vida para realizar seus atos com alta precisão para que o objetivo seja atingido. Tanto que a cada turma, somente três alunos participam dela. O que foi o caso de Guy, Emilly e Eric.

Os três jovens fizeram cursos juntos, tanto que vez ou outra eles se encontram para contar como foram os seus dias, as suas coincidências. Guy é quase um especialista em coincidências românticas, foi algo que ele se aproximou logo de cara, por acreditar fielmente no amor, especialmente depois da desilusão amorosa que ele teve enquanto ele era amigo imaginário. Emilly é um pouco mais medrosa, ela não é nem um pouco adepta de coincidências que precisem criar situações negativas na vida de uma pessoa, a exemplo de um acidente, ou que alguém perca o emprego. E ela tem uma queda por Guy. E o Eric é o "criador de coincidências ativo", ou seja, ele não simplesmente faz o que mandam, ele toma iniciativa, faz e acontece, apesar de que é visto por outros profissionais, como um perigo, mas que de certa forma, também é necessário.




PARA ONDE VAI ESSA HISTÓRIA?

Aos poucos, entre reflexões filosóficas sobre as coincidências, sobre o que fazemos da vida e ainda detalhes sobre o curso que eles fizeram, a história caminha para um aspecto mais romântico, porém não é aquele melodrama, visto em algumas obras, e sim traz um carga também questionadora sobre o amar. Sobre estar vulnerável ou não para entrar em um relacionamento, e sobre oportunidades de amar, que as vezes são desperdiçadas.

Conforme a trama corre, surgem algumas subtramas, umas mais, outras menos importante para a história. Algo, que lembra Stephen King. Uma dessas subtramas, e talvez a mais importante é a de um jovem rapaz, que acabou sobrevivendo a um assalto, mas o pai do assaltante que morreu o leva para ele matar outras pessoas, porém, no momento que ele vai matar as pessoas, elas acabam morrendo "por acaso" (com alguns parágrafos já deu pra sacar que não existe acaso por aqui né, heheheh). E o criador de coincidências dessa trama convoca Guy para trabalhar para ele, porém ele acaba por reencontrar coincidentemente alguém do seu passado que irá mexer com ele.

Agora Guy terá que fazer escolhas que poderão mudar o curso da sua vida.




O ENVOLVENTE E TORTUOSO CAMINHO DAS COINCIDÊNCIAS

Essa história caiu de supetão nas minhas mãos. Eu não sabia nada sobre ela, e quando fui pesquisando, ficava mais interessado. Esse é o primeiro livro do autor israelense Yoav Blum, lançada em 2011, no qual o mundo só tomou conhecimento no ano passado. Ao longo da história, houveram alguns altos e baixos, especialmente quando surgiam outras subtramas, no qual eu entendo a presença de algumas que tinha como objetivo levar a abstração de um tema como esse para prática, deixando a história mais palatável.

Porém algumas subtramas deram uma truncada no texto, porque de fato elas pouco acrescentaram a história. Além disso, o autor trouxe uns flashbacks dos três durante o curso, que na minha opinião poderiam iniciar a história, pois assim evitava algumas quebras no enredo que aconteceram, especialmente próximo a 50% do livro.

As últimas 100 páginas foram as mais cativantes da história, quando o enredo começou a se fechar, e assim começamos a resgatar parte de tudo que foi colocado anteriormente, com várias revelações dignas de um suspense de alta qualidade.

As reflexões imputadas nessa história são importantes, para que os seres humanos não fiquem sempre em constante busca do inicio da sua linha do tempo, mas escolha por onde começar. A maioria das coisas da vida não são lineares, fazem movimentos bem tortos, mas que quando chega ao ponto final, vale a pena. Isso significa, que a felicidade sempre esteve conosco, só depende do nosso olhar. E foi mais ou menos como eu me senti, quando eu terminei esse livro, que coincidentemente caiu no meu colo, para mudar meu olhar sobre eu mesmo. E por isso, eu agradeço a Yoav Blum, o meu criador de coincidências (Foi uma criação junta com a Editora Planeta, hehehhehe).

site: https://sobreosolhosdaalma.blogspot.com.br/2017/08/resenha-os-criadores-de-coincidencias.html
comentários(0)comente



Gabe | @gabereader 16/09/2018

Uma boa história com uma construção confusa
"A maioria das suas regras é só uma invenção que você projetou para se proteger. Quebrar essas regras em específico é um ato de coragem. Quebrar qualquer uma das outras é só preguiça."

E se todas as nossas ações fossem regidas por algo ou alguém que está secretamente intervindo para que as coisas se encaixem devidamente?

Guy é um criador de coincidência, alguém capaz de mudar vidas, mexer com as ações das pessoas, com os momentos, fazer vidas se cruzarem e descruzarem, ele influencia na vida das pessoas. Apresentado nessa história junto com seus amigos Emily e Eric, também criadores de coincidências, vamos acompanhar todos eles intervirem no destino das pessoas, eles recebem missões e discutem entre si como farão as mudanças, como, porque e com quem.

Algumas reviravoltas acontecem, Emily tem um segredo, Guy carrega outro do passado, coisas impensáveis acontecem, decisões equivocadas são tomadas, pessoas misteriosas surgem e tudo vira a vida de Guy pelo avesso.

É difícil falar sobre o livro, ele segue um ritmo excelente mas o autor parece ter se perdido na construção. Também vamos acompanhar algumas histórias paralelas, algumas coincidências importantes ou não que as vezes tornam a leitura um pouco confusa. No final de alguns capítulos temos trechos do manual dos criadores com orientações que eles devem seguir, um material didático que para o leitor pouco acrescenta. As histórias desconexas me incomodaram, o foco foi desviado mas ainda assim não deixa de ser uma boa história.

O livro todo levanta questionamentos sobre decisões, as causas e efeitos de nossas atitudes, o autor ainda arriscou entrar no terreno do luto e depressão por perdas em relacionamentos. Criou uma metáfora para amigos imaginários e solidão. Ainda conseguiu desenvolver um leve romance, despretensioso mas que funcionou, é um romance bonito e significativo. Repito, ele apenas se perdeu na construção.

De qualquer forma indico a leitura, é leve e fluida, além de te fazer pensar sobre os acasos da vida.

"Mapas, ruas, gráficos, direções . Eu confundo tudo. Agora, por exemplo. Só tem dois lugares em que posso estar: ao seu lado ou longe de você. Como posso conseguir lembrar o caminho até o cinema assim."
comentários(0)comente



zoni 27/08/2018

Com um enrendo muito bom, diálogos fracos e personagens pouco desenvolvidos, temos uma história que deixa a desejar.
Segundo o autor, todo ser humano possui o livre arbítrio, mas no fundo nossas ações são guiadas por criadores de coincidência, que têm a função de gerar pequenos eventos imperceptíveis que permitam que as vidas dos clientes sejam alteradas. E é assim que um funcionário de uma fábrica de carros pode se tornar um cantor famoso, uma garçonete pode ser demitida, e ao sair da lanchonete trombar com um agente de modelos que vai a transformar na maior top model do mundo, ou um casal pode ser sequestrados juntos, lutarem para salvar suas vidas e acabarem se apaixonando, e iniciando assim uma linda história de amor. O enrendo a principio me remeteu muito aquele filme chamado Agentes do Destino, que se eu não me engano tem na netflix, assistam pois Matt Damon de terno. Mas o autor deixa sua história mais original colocando além desses criadores de coincidências, algumas pessoas que trabalham como amigas imaginárias, que é um trabalho bastante triste como aos poucos vamos descobrindo no livro, chorei com algumas falas de uma amiga imaginária, pesado isso aí.

Mas vamos aos fatos, o livro foi meio que decepcionante pra mim, e isso se deu pelo fato de que a premissa do livro é muito melhor que o livro em si. Em alguns momentos eu senti que o autor se perdeu na execução dos fatos que resolveu contar deixando a história totalmente chata, cansativa e tediosa, sem contar que os personagens não foram bem explorados, e isso deve ter sido intencional, mas me incomodou. Levei dias pra ler esse livro, porque ele acabou me levando pra uma ressaca literária e de vida, já que a melhor parte do livro está nas frases que o autor vai colocando no texto, e que nos fazem pensar sobre nossa própria vida, que diferente da ficção só cabe a nós mesmos, mas a gente fica ali com aquele pensamento e se... E se na minha vida estiver acontecendo isso... e é por isso que eu to dando 3,5 ou 4 sei lá. No momento vai um 3,5 veremos mais pra frente.


site: www.instagram.com/nomeiodatravessia
comentários(0)comente



Luhran 10/09/2018

❝Você tem de cavar fundo no solo firme de sua personalidade até encontrar a água que vai oferecer a outra pessoa, ainda que você mesmo esteja morrendo de sede❞
Guy, Emily e Eric são três amigos que possuem algo em comum: eles são criadores de coincidências. Isso mesmo, eles são responsáveis pelo “nada acontece por acaso”. Eles planejam tudo para atingirem suas missões, desde mudar programações de T.V. até causar demissões.

Guy é especialista em coincidências amorosas. Seu ritmo é calmo, calculista, mas ainda sofre por um amor do passado. Emily também é dedicada, mas neste livro é caracterizada como uma mulher desesperada por um amor não correspondido. Já Eric é aquela alma boba de todo bom grupo, já que usa sua profissão para próprios afins.

Formados num curso por um Mestre de identidade misteriosa, os três amigos agora recebem envelopes com suas missões por alguém tão misterioso quanto. Diante planejamentos e imprevistos do acaso, os criadores de coincidências vão nos ensinar que existe um porque para tudo.

Não consigo dizer qual é o foco do livro até chegar no final, já que a leitura muda de rumo o tempo inteiro. Existem personagens que pensei que teriam alguma significância já que foram narradas páginas e mais páginas sobre os mesmos, mas no fim das contas não passaram de conteúdo descartável.

No final de alguns capítulos são apresentados alguns métodos que os criadores de coincidências estudavam no curso. E quando digo método, me refiro a conteúdo realmente didático. Outra parte totalmente desnecessária e cansativa.

Sabe quando alguém escreve um conto e acaba enchendo de conteúdo desnecessário só para catalogar o conto como um livro? É isso o que parece ter acontecido.

A ideia em si da essência dos Criadores de coincidências é genial! Envolve até metáforas sobre Amigos Imaginários! Vemos que o autor é muito inteligente, mas infelizmente são soube conduzir a história para que prendesse o leitor.

Maçante, sem objetivos e drasticamente mal trabalhado.


site: https://www.instagram.com/p/BnhHtdul9Bo/?taken-by=preconceitoliterario
comentários(0)comente



Nati Amend @livrosdanati 26/03/2018

Merece ser aplaudido de pé!
"Há dois tipo de pessoas no mundo: aquelas que veem em todas as escolhas a possibilidade de ganhar alguma coisa e aquelas que veem em cada escolha a concessão que têm de fazer."

Você já parou para pensar que a sua vida pode não ser composta de eventos aleatórios? Que por detrás de cada caminho ou decisão que tomamos, existe alguém induzindo estas escolhas? Pois eles são “Os Criadores de Coincidências”.

Para estes profissionais, timing é tudo! Considerados agentes secretos, são pessoas praticamente invisíveis, muitos eficientes e que estudam uma ciência exata. Para alterar o curso da vida de alguém é necessário ter o domínio estatístico sobre inúmeras probabilidades e compreender a teoria de causa e efeito.

Guy é um desses agentes. Há 3 anos como Criador de Coincidências, ele adora unir casais e lidar com missões amorosas. Mas antes de atuar nesse cargo, ele era apenas um “A.I. – Amigo Imaginário”, que são os profissionais que vivem dentro da imaginação das crianças ou de pessoas muito solitárias.

Repleto de análises e muitas reflexões sobre a vida humana, este livro é narrado de forma desconexa e, por isso, aconselho a não intercalar a leitura com outros títulos. Mas não pense que essa obra é uma distopia, uma fantasia ou um thriller improvável. Na verdade, a estória se revela um romance incrivelmente lindo, daqueles que aquecem o nosso coração e mudam algo dentro de nós.

É impossível não se sentir tocado por esta leitura e pela belíssima escrita do autor israelense Yoav Blum. Singelo, inteligente e genial! Eu jamais poderia imaginar que um livro tão diferente e original como este, pudesse tocar tão fundo na minha alma. Merece ser aplaudido de pé!

"Nós sentimos o amor tão raramente e somos levados por ele de forma tão completa que nunca conseguimos definir para nós mesmos o quanto queremos e precisamos amar algo.”

site: https://www.instagram.com/p/BgpAKc0jExx/?hl=pt-br&taken-by=livrosdanati
comentários(0)comente



Renato 04/05/2018

Poderia ter sido diferente, mas o livro é chato pra caramba!
Mesmo sendo um leitor assíduo, eu nunca compareci a uma Bienal. Meu sonho! Mas ainda vou estar presente em uma. Por que estou falando desse evento? Porque foi procurando notícias sobre o de 2018 que acabei me deparando com “Os Criadores de Coincidência”, de Yoav Blum, que estará na Bienal deste ano. Parecia ser um livro memorável. Me enganei.

E se por trás de todas as coincidências nas nossas vidas houvesse pessoas que planejassem para que todas elas acontecessem visando a um bem maior? A proposta deste livro é justamente mostrar como funciona a rotina desses “trabalhadores” e o que eles passam para que todas as engrenagens de nossas vidas se encaixem perfeitamente.

Criei expectativas assim que li a sinopse. Tudo apontava para um livro inovador, com um tema nunca antes abordado, em uma história de suspense, romance e aventura. Imediatamente providenciei o e-book e me vi lendo metade dele de uma vez. “Então é bom mesmo a obra, não é?”. Infelizmente não.

O que era expectativa aos poucos foi se tornando fracasso. A história parece que sempre vai nos apresentar um grande acontecimento, uma reviravolta, mas, quanto mais lemos em busca desse momento, nos frustramos de ele não ocorrer. Sabe quando nada acontece em uma obra? Multiplique isso por dois. São páginas e páginas de construção, frases de efeito (que por sinal é a única coisa boa do enredo), construção de personagens e nada que nos faça entender aonde o autor quer chegar. Tudo bem, ele tem todo o direito de ligar tudo nas últimas páginas e revelar qual era o sentido de tudo. Mas só nas últimas páginas? Depois de tanta monotonia? Não é o suficiente para conter a decepção.

O que fico com mais raiva é que poderia ser uma história incrível e marcante, o tema é algo completamente novo, mas foi mal trabalhado. Não se gasta tantas páginas em desenvolvimento arrastado para um enredo de apenas 300 páginas. É cansativo demais. O final seria impactante se tudo antes dele não tivesse sido tão chato. As únicas coisas bastante positivas na obra foram as frases de efeito, salvei um monte delas (risos). Só por isso a nota não é zero. Mas sobre a história não recomendo, horrível!
Franciele 18/10/2018minha estante
Faço das tuas palavras as minhas!!! Excelente resenha. Descreveu minha decepção com o livro.




Helder 18/05/2018

Boa ideia original
Hoje você saiu do metrô na Estação da Sé junto com aquela multidão. Todos se direcionando para a escada rolante. Enquanto você descia, sem pensar em nada especifico, você percebe de repente que no sentido contrario vem subindo uma garota. Sem querer vocês se encaram, mas cada um segue seu fluxo, sua direção. Terá sido uma coincidência este encontro? E se aquela garota fosse a mulher da sua vida? Será que você não deveria ter olhado para trás novamente? Será que ela olhou para trás e você não estava olhando? Existe destino ou este encontro foi só uma coincidências sem maiores consequencias?
De acordo com o israelense Yoav Blum, não é tão simples assim. O ser humano possui livre arbítrio, mas no fundo nossas ações são guiadas por uns “funcionários” chamados Criadores de Coincidência, que tem como função gerar pequenos eventos imperceptíveis que permitam que as vidas sejam alteradas. Desta maneira, um contador pode tornar-se um poeta, um casal pode se apaixonar e iniciar uma linda família, ou um rapaz pacato pode virar um mafioso que vai terminar com o terrorismo no mundo.
Premissa muito louca? Com certeza, e foi o que me atraiu para este livro.
Temos aqui a estória de Guy, Emily e Eric. Eles se conhecem quando são aprovados para o curso de Criador de Coincidência. Ali eles vão aprender a traçar planos que permitam mudar a realidade sem que as pessoas percebam. Usando matemática, física, mas principalmente o conhecimento da psique humana, eles vão aprendendo toda a teoria necessária para se aprimorarem nesta nova profissão para a qual foram escolhidos.
Guy é romântico. Gosta de criar coincidências onde casais possam se encontrar. Emily não gosta de criar coincidências que machuquem as pessoas e Eric é o criador de coincidência “ativo”, que age de maneira mais impulsiva e às vezes legisla em causa própria, criando coincidências amorosas para si mesmo.
Mas a criatividade do autor não para por ai. Além de Criadores de Coincidências, descobrimos que existem “pessoas” que trabalham como Amigos Imaginários, um trabalho bastante triste, e também como Iniciadores, um trabalho que deve ser bastante gratificante.
Muita maluquice? Sim, mas é o que torna esta estória em algo tão original. Existe um filme chamado Agentes do Destino com o Matt Damon que tem uma premissa parecida, mas aqui a viagem é maior. É preciso abrir sua cabeça e ter paciência para embarcar neste mundo proposto pelo autor. Confesso que a sinopse e as resenhas são melhores que o livro, que parte de ótimas ideias, mas que se perde um pouco na execução das mesmas. Parece que faltou um toque de editor para aparar algumas arestas. O autor muitas vezes segue por estórias paralelas que nos tiram a atenção do principal, apesar de que se revermos a obra no final, veremos que tudo que foi citado teve um porque, mas poderia ter sido mais fácil. Outro ponto que a meu ver prejudica a leitura é a narrativa muito entrecortada. Durante grande parte do livro é como se o autor não engatasse a segunda marcha. A maioria dos capítulos começa e demoramos perceber quem são os personagens e em que tempo estão realizando tal ação. Grande parte do livro parece que vai acontecer algo grandioso e este momento nunca chega. O que deveria nos deixar curioso acaba nos cansando e fazendo que deixemos de nos preocupar com os personagens principais.
Mas lá para o final todas as pontas soltas vão se direcionando para um único foco: A grande Coincidência. E então percebemos o quão difícil é o trabalho para se criar uma Coincidência. Difícil não dizer que o autor pensou muito antes de bolar esta estória. Assim, como Emily, deve ter montado um esquema em muitas paredes para não se perder.
Por fim, um ponto muito positivo do livro são as diversas frases de efeito que o autor vai colocando no texto e que nos fazem pensar sobre nossa vida. O que é previsível e o que depende de nosso esforço para existir.

”É impossível amar alguém que faz e diz tudo o que você quer, que responde a cada um de seus pensamentos ocultos. Eu era só uma extensão deles próprios. E que tipo de amor é esse? O amor deriva do atrito entre duas pessoas. Como fósforos, como patins no gelo, como estrelas cadentes que arranham o céu, nós precisamos do atrito para que alguma coisa aconteça em nossa vida."

“A diferença é simples: pessoas felizes olham suas vidas e veem uma série de escolhas. Pessoas infelizes veem apenas uma série de sacrifícios.”

A leitura deste livro não foi tudo o que eu esperava, mas acho que vale a pena dar uma chance a ele pela sua originalidade e acredito que daria um ótimo roteiro de filme para o Christopher Nolan escrever e filmar. Quem sabe, né?
Renato 21/05/2018minha estante
Mesma visão que eu, hehe. Ótima resenha, Helder!




Rodox 14/12/2017

História leve e cheia de tapas na cara
Prepare-se para uma história com um ritmo próprio, calmo e cativante. Prepare-se para conhecer uma realidade diferente e alguns pedacinhos de teoria da criação de coincidências.
Um livro gostoso de ler, que te abre os olhos para os pequenos acontecimentos, da sequência lógica de um simples encontro inesperado.
Te abre os olhos e te estapeia a face mostrando como as coisas acontecem com uma ajudinha dos criadores de coincidência, mas que no fim a escolha é de cada um.
A história tem partes um pouco previsíveis, mas a forma como acontecem e os pequenos tesouros escondidos, conseguem te emocionar e surpreender.
Pega o livro agora e vai ler.
comentários(0)comente



Blog Stalker Literária 23/01/2018

Um livro doidinho, porém é simplesmente incrível!
"A missão podia ser mudar a visão mundial sobre algum assunto, unir famílias, garantir a paz entre inimigos, plantar a semente da inspiração para uma obra de arte, uma nova teoria, uma grande inovação científica, se ele tivesse sorte... quem poderia saber?"

Os Criadores de Coincidências trás a história de três amigos que começaram esse curso juntos, Guy, Emily e Eric. E durante essas páginas vamos intercalando entre passado e presente, algumas visões das aulas e até mesmo o material didático do curso, tudo para explicar como esses três trabalham em seus casos, como essa profissão funciona e porque ela é tão importante para fazer os acontecimentos do mundo darem certo.

Eu gostei bastante dessa leitura pois ela trás lindos ensinamentos sobre como os mínimos acontecimentos podem mudar nossa vida, fala muito sobre o amor, sobre sentimentos, sobre vida e morte, livre arbítrio, sobre como ás vezes uma mínima inspiração pode mudar os nossos sonhos, mudar a nossa vida para sempre.

É um livro com um toque de fantasia que faz você refletir a cada página, cada missão que os personagens têm que desempenhar toca o leitor de alguma maneira, e você acaba salvando várias quotes incríveis, diálogos cheios de verdades e inteligência.

Não há uma gota de clichê nessa história, e garanto que ao inicia-la você não vai conseguir mais largar, eu terminei essa leitura em um dia, e com certeza ela entrou para meus queridinhos da vida, e que vou lembrar sempre com carinho de cada detalhe.

Resenha completa no blog!

site: http://www.stalker-literaria.com/2018/01/resenha-os-criadores-de-coincidencias.html
comentários(0)comente



Romulo.Guimaraes 02/07/2018

Os criadores de coincidência.
Este livro me fez lembrar um pouco o filme "Agentes do Destino" do Mark Wahlberg. Onde todas as maiores decisões em nossa vida, na verdade são obras de seres responsáveis por colocar essas pistas para seguirmos, aparentando não haver um livre arbítrio, mas sim um destino pré definido, que devemos seguir, mas o que aconteceria se esses seres escolherem seguir outros caminhos para nós?
Muito interessante e descontraído, para alguém que quer uma leitura leve e sem compromisso vale a dica.
Diego 12/02/2019minha estante
Na verdade, é com o Matt Damon o filme.




Wendy 19/11/2017

As Coincidências da vida :p
Pausa para respirar...
Peguei esse livro e prometi a mim mesma que não poria montes de expectativas para depois não me frustrar no final.
Aqui fui meio que no escuro, pensei comigo que queria uma leitura diferente mas que ao mesmo tempo fosse maravilhosa e sim fui muito feliz na escolha.
É uma temática diferente, consegui me agarrar a tal ponto que por incrível que pareça me emocionei em algumas partes do livro, fui catando os caquinhos do meu coração, respirei e continuei a leitura.
São três personagens principais que fazem toda a diferença na vida um do outro, estão interligados e cada um tem um papel importante pra estória se desenvolver e mostrar lá no final que algo que vinha acontecendo era uma coincidência digamos que contínua.
Amei os personagens.
Amei a estória.
Só faço ressalva ao ponto que eu queria mais.
Quando a gente ama certos livros sempre queremos mais.
Super indico para todos aqueles que assim como eu amam livros com temáticas diferentes. Ando cansada de certos livros com as mesmas estórias de sempre onde se muda os personagens e nome do autor e aqui vai meu muito obrigada ao Yoav s2.

Quotes favoritos;

"Mas, quando eu tentava chamar seu nome, você desaparecia. Era assim no sonho e, no final das contas, foi assim na vida também. Na noite passada eu não sonhei com você. Agora você está livre. Estou partindo para meu próximo papel, independentemente do que for. E desejo a você muita felicidade com suas lembranças e sua imaginação. E espero que algum dia alguém consiga quebrar o feitiço que você jogou em si mesmo. Para seu próprio bem.
Ainda sentindo a mesma coisa,
Sua, Para sempre,
E talvez nunca mais, Emily."

Momento coração partido em caquinhos :'(

"E assim, com as páginas da carta de Emily coladas em seu corpo e com um pequeno sorriso nos lábios, cujo significado pleno ainda não havia entendido, (...), caminhou decidido, com a passagem nas mãos, e entrou pelo portão um, animado por seu pequeno ato rebelde, o último de sua velha vida."

Maravilhoso s2
Como amo ler com música, escolhi uma bem velhinha que amo e achei perfeita para o livro, Fix you - Coldplay s2!!!
Marina.Morgan 20/11/2017minha estante
Vc pode me contar o final? Peguei o livro emprestado e tive que devolve-lo na metade. Gostaria de saber o final de cassandra, o que era aquela missão de Guy e qual foi a profissao de Emily antes de ser uma criadora de coincidência.


Wendy 21/11/2017minha estante
Vc realmente quer spoiler? Que pena que teve que devolver antes. Pode me chamar que te conto sim :)


Marina.Morgan 23/11/2017minha estante
Siiiim! Quero saber o final!




45 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3