O Silêncio das Águas

O Silêncio das Águas Brittainy C. Cherry
Brittainy C Cherry




Resenhas - O Silêncio das Águas


202 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Tânia (@ritmoliterario) 06/11/2017

A capa me enganou direitinho.
Vou tentar falar sem dar spoiler, mas confesso que será um tarefa difícil, tamanha minha indignação com essa estória.

Eu já tinha lido dois livros dessa autora, e gostei bastante, então quando fui desafiada por uma amiga a ler esse imaginava que seria uma leitura fácil e agradável, mas foi justamente o contrário. Fiquei dias empacadas nesse livro, uma estória onde os personagens principais não me cativaram e os personagens secundários salvaram um pouquinho.

Já no começo senti meio que desnecessário esse “envolvimento amoroso” entre aos personagens, caramba, são crianças e já pensam em coisas de adulto. Tudo bem que a autora quis dar um ar de inocência e fofo, mas para mim não colou, ficou prematuro e bobo demais.

Quando acontece o grande “bum” da estória, me animei, porque sabia que a partir desse ponto o relacionamento dos personagens seria construído e teríamos um trauma a ser tratado e superado certo? Errado. Claro que o que aconteceu com Maggie foi grave, foi sério e drástico, e coisas desse tipo deixam marcas profundas e para que se possa superar é necessário luta, empenho, apoio, amor e tempo, muito tempo aliás. Mas o que vi aqui foi só o tempo, tempo, tempo, tempo e tempo. A autora foi empurrando a situação a diante como se tudo fosse se resolver num passe de mágica.

A mocinha se afastou do mundo, e criou outro mundo no qual ela tinha o controle das paredes. Ela simplesmente desistiu, se escondeu no canto escuro e assistiu a vida dos outros seguirem, e os que ficaram, assistiram ela desistir de viver de camarote. Fiquei me perguntando como uma família que sabe a gravidade do problema da filha, não procura ajuda especializada, não houve médico, psicólogos, psiquiatras. Nada. Somente silêncio e braços cruzados.

E sobre o relacionamento entre Maggie e Brooks, eu bem que tentei me envolver, torcer, suspirar. Mas como gostar de um casal que se deixa levar, que mesmo diante de tantas limitações, ao invés de tirar forças para superar, não, deixam passar e só se lamentam e se conformam.

Uma garota/mulher que tem sérios problemas, mas não luta para se curar e poder viver o que mais sonha desde pequena. Ela sabe que tem o poder de começar a se reerguer, mas prefere deixar os medos vencerem. Ela sabe o que esta perdendo. Ela sabe a quem esta afetando. Ela sabe que o tempo não perdoa, e mesmo assim nem ao menos tenta, desiste fácil. E isso realmente me irritou
E temos um garoto/homem que espera pacientemente um “milagre” acontecer para que ele se torne completo. E enquanto isso ele dá à Maggie o que acha certo, o tempo. Me poupe né!

E o mais “controverso” foi que depois que acontece algo grave com Brooks ela entende que esta na hora de enfrentar seus demônios, porque pelo amor dele vale esse esforço. E então começa a ter vida que deixou de viver há muito tempo. Agora ela luta por eles, ela se abre e grita para o mundo, como num verdadeiro passe de mágica. Porque agora ela percebeu que é tudo ou nada, e esta profundamente magoada. Será mesmo? (essa cena ainda esta entalada na minha garganta)

Enfim, não gostei, achei que muita coisa não teve sentido. Faltou profundidade nos fatos, e eu não estou dizendo que pessoas que passaram pelo o que Maggie passou não devem sofrer, pelo contrário, devem sim e é muito traumático. Mas tem que ter coerência, e aqui faltou e muito. Tudo se enrola ao máximo para acontecer e depois se resolve do nada. Era para esse “sentimento” ser capaz de curar, certo? Não foi o que senti, acho que autora é daquelas que pensa que o tempo resolve tudo sozinho. Vamos sentar e esperar que logo passa. Já eu sou daquelas que sim, o tempo é necessário, mas se você não fizer nada para ajudar, no final só terá perdido oportunidades e o que passou não volta, não recupera.

Bom, essa é minha opinião.
Jade Ricieri - @semprelivros 06/11/2017minha estante
Adorei a resenha amiga, mas confesso que fiquei um pouquinho chocada hahaha eu sou apaixonada pelos outros livros da autora, esse ainda não li, mas admito que estava esperando maravilhas desse livro, igual aos outros da série.


Tânia (@ritmoliterario) 07/11/2017minha estante
Então amiga, eu fiquei decepcionada com esse pois tinha tudo pra me ganhar. Mas não se basei em mim tá, eu sou diferentona kkkk e a maioria ama esse livro??


Erineia 08/11/2017minha estante
Amei sua resenha, VC é como eu, uma das poucas pessoas que não gostaram desse livro. Já odiei no começo o envolvimento das crianças e o pai apoiar. Mesmo que inocente. E se eu falar tudo que penso, acho que apanho. Mas achei muito pouco o que ela passou pra perder a voz. Sei lá minha opinião. Os pesadelos concordo, o fato de querer ficar sozinha. Mas conheço pessoas que passaram por um trauma muito maior e não ficaram assim. É claro que cada pessoa reage de um jeito. Mas o fato de ela perder a voz realmente me incomodou e achei forçado.


Entre Livros e Batons 19/11/2017minha estante
Exatamente tudo o que penso até agora onde li (40%) tá me irritando essa Maggie, não reage


Tânia (@ritmoliterario) 22/11/2017minha estante
Ainda bem que não sou única que não gostou desse livro, porque é quase unânime o amor por essa estória (fraca) na minha opinião. Mas gosto é assim né, cada um com o seu.


Jackelynne.Paiva 25/01/2018minha estante
Comecei ontem, não li muito ainda, mas não estou gostando nadinha, vou fazer igual ao que fiz com o segundo livro, vou passando as páginas, lendo por cima, até chegar à alguma cena interessante, pois não estou com paciência para ficar esperando ela acordar pra vida, rsrs, muito sem graça essa Maggie, e é como vc falou, não é que pessoas que passaram por um trauma assim não sofreram, mas essa Maggie, sei lá, se deixou vencer muito fácil.


Ju 09/02/2018minha estante
Eu chorei no início e em uma parte dos 18 anos porque era um período de infância e depois adolescência, mas depois q passou mais um período de tempo e ela já era adulta passei a sentir raiva e indignação pela falta de esforço dela em se recuperar, por ela assistir de camarote o casamento dos pais ruir, perder o amor da vida dela e mesmo assim continuar acomodada, sem fazer nada. Ficou tanto tempo aterrorizada de sair de casa aí quando enfim saiu começou a passear bem de boa. A parte que ela voltou a falar também achei bem fraca, ela passou por outras situações bem piores que ela poderia ter "estourado" e voltado a falar. Acho ainda que a autora não precisava ter esticado tanto, passado tantos anos, a Maggie poderia ter se recuperado mais cedo.


Andreia.Ribeiro 27/02/2018minha estante
Comecei ontem a leitura pois já li outros 4 livros da autora, mas hoje mesmo acho q desanimei.


Liene.Eveli 25/04/2018minha estante
Disse tudo!!... Adorei os outros livros desta série, mas esse, pelo amor de Deus, não consegui terminar de ler, e olha que me esforcei e muito!!!!!


Lisa 30/07/2018minha estante
COMENTÁRIO COM SPOLIER!!!!!
Concordo! Como uma pessoa que passou 18 anos sem voz por causa de um trauma, volta a falar tranquilamennte como se nada tivesse acontecido?
A autora perdeu uma ótima oportunidade de explorar mais essa parte. Durante todo o livro eu imaginei que essa cena seria a mais dramática. No entanto, vi uma Marggie desembuchar normalmente como se tivesse acabado de se curar de uma faringite...
Achei desnecessário os longos anos que se passaram. O autor do seu trauma tirou sua voz por anos e quando ela esteve cara a cara com ele, simplesmente o encarou falando tudo.
Aff... Uma simples barata me faria correr gritando.
Chorei tanto durante uma boa parte do livro. Onde foi parar o drama no final?
Amei o livro em parte...


Vanessa Motaa 05/08/2018minha estante
Ufa! Ainda bem que não sou a única. Foi muito difícil ler esse livro. Achei arrastado :(




Pick a Book 18/08/2017

O Silêncio das Águas ( Elementos 3)
Resenha re-postada. Livro lido em setembro de 2016.

4,5 " BAM para sempre" estrelas

"As vezes as palavras eram mais vazias do que o silêncio"

Este é o terceiro livro da série ELEMENTS. Como os outros dois anteriores, pode ser lido separadamente, já que nenhuma história faz referência a outra. A única coisa que os liga são os elementos. Em THE AIR HE BREATHES (O ar que ele respira) vimos Tistan e Liz tentando descobrir o motivo que os faz respirar, viver. Em THE FIRE BETWEEN HIGH & LO conhecemos Logan e Alyssa e vimos que mesmo com o fogo criado entre duas pessoas que se amam, as vezes, esse fogo não só esquenta/conforta como também pode queimar.

Em THE SILENT WATERS o casal da vez é Brooks e Maggie May que se conhecem desde de crianças. Brooks é o tipico menino que briga com a menina porque na verdade gosta dela e Maggie May era uma criança faladeira, divertida e feliz. Até que em um momento tudo isso é tirado dela. Maggie May se torna outra pessoa. Ela perde sua alegria, perde seus sorrisos, perde sua voz. Ela se torna reclusa, sempre com medo e isso muda a vida de todo mundo ao redor dela também. Brooks se apega muito ela, e, o que antes era amizade, se torna cada vez mais em amor. Entretanto como duas pessoas que em certos momentos não gostam de si mesmas podem se abrir para dar o amor que o outro merece?

Como nos outros livros, o simbolismo do elemento escolhido é bem forte. A água purifica, cura, mas também é traiçoeira. Água da chuva, do lago, do mar... pode destruir, mas pode também reconstruir. As vezes só aqueles que se predispõe a dar um mergulho que irão descobrir o que se encontra dentro daquela água silenciosa. As vezes só se encontra mais calmaria. Um tranquilo momento para relaxar. As vezes o que se vê, o que tava escondido ali no fundo, não é nada bonito.

Com capítulos alternados, a história começa fofa. Com as vozes de Brooks e Maggie com 6 anos de idade, a autora captura muito bem a inocência deles. Até esquecemos que estamos lendo um drama. E pra quem já conhece o trabalho dela, sabe que o drama é de apertar o coração. Sim, vai te fazer sofrer, te fazer chorar, entretanto a história vale a pena.

O que mais gosto nos livros da Brittainy que mesmo a gente não tendo passado por aquilo que os personagens estão passando, a gente compreende os seus sentimentos, se vê neles, em seus pensamentos em seu sofrimento. Algumas falas até parecem um deja vu, do tipo "já ouvi isso" "já me senti exatamente assim"... São histórias das quais sempre podemos tirar uma lição.

"Nem todas as coisas quebradas precisam ser consertadas. As vezes elas só precisam ser amadas. Seria uma vergonha se somente quem fosse completo fosse merecedor do amor."

Em THE SILENT WATERS a autora usa sua escrita para "gritar" ao leitor o que tá escondido na cabeça daqueles que não conseguem se expressar, utilizando a voz e dor daquela garota que sofreu quando criança. Brooks a escuta em sua falta de palavras, mas nós também escutamos. Seus medos, sua angustia, as marcas que foram deixadas nela...

Entretanto, em contraste com todo esse silencio, a música também toma grande parte do enredo. Em alguns momentos, a cenas eram tão intensas que, se eu não conhecia a música, ia atras dela no Youtube para conhecer, para vivenciar aquele momento ali com eles.

O Brooks é perfeito. Não tenho outra palavra para defini-lo. Claro que, mesmo ele não sendo, de fato, perfeito, errando como qualquer um, senti que o amor dele era verdadeiro desde o começo. Era aquele cara que a gente procura pra ser nosso. O cara que a gente sonha ter do lado.

"É isso que significa amor verdadeiro. Amor verdadeiro significa que você poderia rir dos erros. Amor verdadeiro significa que você poderia sussurrar segredos. Amor verdadeiro significa que você nunca teria que dançar sozinho".

THE SILENT WATERS é mais um livro excelente dentre todos os maravilhosos livros dessa autora. Da primeira pagina até a nota no final, mexem com a gente. Brittainy, suas histórias são lindas. Não são letras jogadas num papel, são palavras que desaguam no coração do leitor, faz ele sentir, chorar e mostram sutilmente a beleza e sensibilidade da sua escrita, da pessoa que você é. Obrigada por trazer mais essa história linda. Por fazer eu me apaixonar pelo BAM. Você merece todo esse sucesso.
"Eu não sabia que poderia ouvir a voz de alguém tão claramente nos momentos silenciosos"

*Recebi o ARC desse livro. Obrigada!
* livro lido em inglês. Trechos com tradução livre.

site: www.facebook.com/PickBookAndGoRead
Renata.Bastos 22/08/2017minha estante
Esse livro é muito bom , não nego como os demais da serie elementos , mais confesso que esperava muito mais .


Beatriz Soares 22/08/2017minha estante
Concordo com cada palavra dita! Melhor livro da série, ainda não consegui superar a leitura. Brittainy acabou com todas as minhas forças.


Pick a Book 22/08/2017minha estante
Ahhh! Eu amo todos rs.


Renata.Bastos 23/08/2017minha estante
O ultimo e o meu predileto


Elis 30/09/2017minha estante
O BAM aqui virou BEM! Amei sua resenha. O livro é tudo isso!!!


Di Marina 10/10/2017minha estante
Estou louca pra ler, amo demais a escrita dessa autora... Apesar de ter achado A chama dentro de nós fraco, acredito que este não vai me decepcionar (espero)... Bjs


Pick a Book 10/10/2017minha estante
Obrigada, Elis!!!!!!! Livro lindo neh. Amo td da Brittainy.


Pick a Book 10/10/2017minha estante
Marina, eu amo A chama dentro de nós, mas de todos os 4 livros ele é o último da lista ( mas ainda amo rs). Espero que curta esse. Depois conta o que achou.


Ju Dantes 28/09/2018minha estante
É um bom livro, mas não é surpreendente como esperava. Acho que três estrela tá de bom tamanho. Bj!!




spoiler visualizar
Gigi Toste 08/10/2017minha estante
Nossa! Fiquei com a mesma sensação quando terminei de ler o livro.
Também li os outros três e acho que esse foi com certeza o pior deles.


Tainara 17/10/2017minha estante
Vixe comecei a ler o livro agora é vamos ver no que dá.
Mas honestamente todas as histórias da Brit ficam meio vagas.
Os problemas são resolvidos em um piscar de olhos.
Falta mais alguma coisa na Estória.


jaquelindy 30/10/2017minha estante
Tainara, o que você achou do livro?


Tânia (@ritmoliterario) 08/11/2017minha estante
Muito decepcionante para mim também, a capa e o titulo me enganaram. Faltou coerência nessa estória, e aquela cena que ela volta a falar foi péssimaaaa.




Conchego das Letras 29/11/2017

Resenha Completa
A espera pelo terceiro dos quatro livros da série ELEMENTOS, da autora Brittainy C. Cherry, finalmente terminou. A editora Record lançou o livro no ano de 2017, arrebatando corações. Tanto no skoob quanto no Goodreads é possível ver chuva de classificações 4 e 5 estrelas; por este motivo que devo prevenir nossos leitores: essa resenha não segue tal tendência.

Como é possível conferir nas resenhas das obras anteriores dessa série, o estilo de escrita da autora é cativante e as histórias costumam trazer temas complexos, trabalhados de forma leve. O silêncio das águas não foge a essa última regra, trazendo um tema até bastante interessante.

Maggie May é uma menina alegre, sonhadora e romântica de apenas seis, que está perdidamente apaixonada pelo melhor amigo de seu meio-irmão mais velho. Em um final de tarde que tinha tudo para ser gracioso, ela testemunha algo terrível e acaba sofrendo um grande trauma que a faz deixar de falar e transformar-se em uma reclusa, com medo de colocar os pés para fora de casa.

Brooks Griffin sente culpa. Ele deveria ter encontrado com Maggie May para o casamento deles na floresta, mas se atrasou; quando ele a encontrou, a menina simplesmente não era mais a mesma, algo havia acontecido. Ele jura ficar ao ledo dela para sempre a partir daquele momento, para que ela sempre tenha ao menos um amigo, um porto seguro.

Os anos passam, Brooks visita Maggie diariamente, nos mesmos horários, e o leitor acompanha como o trauma de Maggie, que acaba tendo que ser educada em casa pela madrasta, acaba alterando o curso não apenas da vida dela, mas também de toda a família.

A história tinha tudo para ser um tremendo sucesso em meu coração, mas...

"Shhhhh", foi o que o homem mau falou para ela, e com isso ela parou de falar "para sempre"... mas escrever tudo o que ela queria (tudo, menos o motivo de ela não falar) não tinha problema, porque o medo de o homem mau ir atrás dela por ela ter contado o que viu, na forma escrita, não existe, só na forma falada.

"Ah, Mari, deixa de ser insensível! O trauma tem formas estranhas de se configurar." É verdade, leitor, você está certo nisso e eu considerei esse fator. Engolindo meu desconforto a esse respeito, continuei a leitura tentando ser mais compreensiva. Consegui superar o fato de, depois de mais de uma década de esforços imensuráveis para ajudar a filha, uma psicóloga nem foi considerada porque "ela não queria"; engoli a seco, mas engoli, o fato de Maggie ler uns 100 livros por ano (desde clássicos da literatura até NA e terror) e ainda ser considerada mentalmente infantil; consegui até mesmo acreditar no romance dos protagonistas! Só que aí vem o momento que todos sabemos que irá chegar, aquele pelo qual esperávamos com afinco e... Sério que a autora fez isso? Com tantas oportunidades perfeitas para fazer esse momento vir a tona, ela escolheu aquele instante com motivo completamente 'zero profundidade'?

Dali em diante, como em um filme Disney, a menina infantilizada passa a ter a resposta para todos os dilemas da vida, é o ser mais consciente, mais profundo, mais sensato e ao qual TODOS resolvem que precisam ouvir e seguir. Poucas páginas depois, o livro termina.

É... Desculpem todos que amaram, a capa é realmente linda e eu gostei bastante dos livros anteriores, mas esse definitivamente não combinou comigo, não me desceu.

site: http://www.conchegodasletras.com.br/2017/11/leituras-da-mari-o-silencio-das-aguas.html
Cris 22/12/2017minha estante
Ai, agora tô com medo de me arrepender de ter comprado. Se for como "Sr, Daniels", já sei que não vou gostar também.




mylena.suarez 20/09/2017

maravilhosamente dramatico
- No primeiro minuto : eu me vi criança escrevendo recadinhos sonhadores de amor junto com Maggie May para um lindo príncipe encantado;
- No segundo minuto : entrei em choque ;
- No terceiro minuto : esse héroi guerreiro veio resgatar a princesa e eu me apaixonei por sua doçura e musicalidade ;
- No quarto minuto : junto com esse casal mergulhei no mundo literário e mais a frente vivi novo choque
- No ultimo minuto : Fomos Felizes para Sempre...

Ao melhor estilo Brittainy C.Cherry ,mergulhei fundo nessa história repleta de alegrias, dor e muito amor. Com personagens fortes e humanos, cheios de defeitos e tentando avidamente sobreviver, pude experimentar tanto de aguas tranquilas e revigorantes como de águas turbulentas e tempestuosas capazes de me levar a questionamentos e reflexões sobre muitas coisas da vida.
Não vou falar muito para não lançar spoiler, pois ainda estou muito emocionada e isso é um perigo para minha língua traidora. Dai então vou falar como foi emocionante viver esta aventura que se inicia de forma tão doce com a chegada de Maggie (ainda criança) ao mundo de uma nova família e novas amizades.

Maggie e Brooks de uma forma tão linda e intensa com uma sintonia melodiosa e silenciosa , me fizeram flutuar. Em muitos momentos , sublimei com o casal e em outros meu demônio interior tomou conta de mim e quase esmurrei minha parede.

Fico me perguntando a cada livro de Brittainy que leio se ela é uma escritora-poetisa ou uma poetisa -escritora tamanho é o lirismo que lança em suas historias sempre tão românticas e cheias de frases de efeito. Mas uma coisa é certa, ela não so me faz sonhar como também me faz colocar os pés no chão e questionar minhas atitudes.

Amei vários personagens ( praticamente todos, a bem da verdade) porem alguns se destacaram no meu coração:
- Mrs. Boone ,uma verdadeira fada-madrinha
- o pai de Maggie May e Calvin, dois verdadeiros príncipes encantados
- e os gêmeos da banda que trouxeram humor a uma historia tão forte e densa.

Amei também a parte dos agradecimentos( amo sempre esta parte, é tão fascinante ver o autor se revelando ali), onde Brittainy revela que é muito tímida e que Maggie reflete um pouco de sua personalidade. Emocionante !

Mas o que mais amei foi ver como o casal fez valer o pensamento marcante de O Pequeno Principe :

“ Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

O que dizer diante disso, não é?....Silêncio.....

E a capa? Meu Deus do ceu ! As capas desta serie são simplesmente magnificas. Sem palavras.....

Tive a chance de fazer leitura antecipada no lançamento americano e agora estou feliz da vida que terei o fisico na minha estante.Nem preciso dizer que recomendo o livro. Junto com Sr. Daniels e Space in Between se tornou meu Top One da escritora e meu Top Top One da vida .Muito mais que milhões de estrelinhas para ele.
6/5.
Beijos,Myl
comentários(0)comente



Fabi 25/08/2018

5 ESTRELAS + S2 DE FAVORITO!
''Ela estava certa sobre mim, sobre ela e nós dois.
Ela era a garota que eu amaria para sempre.''

Para quem não sabe, este é o terceiro livro da série Elementos. Neste livro a autora fala do elemento Água. O livro é dividido em 3 partes.
No Prólogo, Maggie e Brooks se conhecem quando são apenas crianças. Ela tem apenas 6 anos de idade.
Já na Primeira Parte, vemos ela com 10 anos de idade, mandando recados planejando seu casamento com Brooks, e que ele não é nada a favor, e aí começa aquela briguinha de criança, que achei fofinha no início do livro . *-*
Só que Maggie mesmo criança, nunca poderia imaginar o que ocorreria no encontro que ela planejou para o ensaio de seu casamento. Brooks está atrasado alguns minutos para o encontro deles, e Maggie logo fica nervosa e começa andar pela floresta, e percebe que se encontra perdida. Como criança é curiosa, Maggie escuta conversas e decide ver de perto o que é. Pobre Maggie...
Resumindo, porque não vou dar spoiler: Maggie ficará com um trauma e se esconderá dentro de si mesma, se recusando a falar com qualquer pessoa. O pior disso, é que ela também não vai querer sair de casa e começa a viver reclusa.
Brooks promete que sempre estará perto dela quando precisar.
Na Segunda Parte do livro, Maggie tem 18 anos e continua morando com seus pais, faz tudo dentro de casa. Brooks sempre a visita, e são os melhores momentos do dia de Maggie.
Em certo momento, eles começam a ter um relacionamento, só que Maggie percebendo que eles mantendo o relacionamento deles, impedirá de Brooks seguir seu sonho, em tocar em uma banda, decide romper o namoro, deixar Brooks seguir seu sonho e não ficar o impedido de conquistar o que ele almeja.
Não gostei nada dessa decisão da Maggie. E a mãe dela está uma chata nesta parte, na verdade em boa parte do livro. Ela acha que o melhor lugar para Maggie é dentro de casa, que não tem como dar certo o relacionamento dela com Brooks. Que megera!
No final, eles ficam longe um do outro por 10 anos, o que resulta na Terceira Parte do livro. Nesta parte, os dois são adultos, Maggie já se encontra nos seus 28 anos.
Um dia, em que ela se encontra com seus demônios, ela não vê outra alternativa e liga para Brooks. Gostei do reencontro deles, e também gostei do que a autora escreveu sobre o que ocorre com ele, o acidente, que aproximará o casal.
Bem, o livro é um cadinho cansativo. Tá que a protagonista do livro sofreu um trauma, até aí entendo. Mas tantos anos remoendo isso e silenciar sua fala por tanto tempo? =/
Tirando isso, o livro para mim foi uma ótima leitura. Esta autora faz mágica em sua escrita! Quando vemos, já estamos terminando mais uma memorável obra sua. S2
O epílogo mais uma vez foi perfeito! Eu amo a escrita dessa autora, e continuarei lendo essa série, que só falta mais um livro, o elemento Terra, e que estou ansiosa para ler.
Seus personagens possuem cada um, um jeito único de ser. Enquanto Tristan é sarcástico, Logan é sem esperanças, já Brooks é animador. Todos personagens masculinos dela eu gostei, quebrados e sofridos em sua vida.
O livro tem sua escrita poética e tem tantos trechos lindos de se anotar!
Recomendo este livro, não é o melhor da série na minha opinião, mas a história do casal é de amadurecimento e buscar forças um no outro. Vale a pena conhecê-los!

''— As batidas do seu coração fazem o mundo continuar girando.''

''Uma pessoa nunca relê um livro excepcional e segue em frente com as mesmas crenças. Ele sempre surpreende e desperta novas ideias, novas formas de olhar para o mundo, não importa quantas vezes as palavras foram lidas.''

''O amor não vinha com explicações. Ele fluía das pessoas apenas com a esperança como fio condutor. Não havia uma lista de regras a serem seguidas para que ele se mantivesse vivo. Não havia instruções para mantê-lo puro. Ele simplesmente aparecia de modo sereno e implorava para que não o deixassem escapulir por entre os dedos.''

''— Nem tudo que está em pedaços precisa ser consertado. Às vezes, só precisa ser amado. Seria uma pena se só as pessoas inteiras fossem merecedoras de amor.''

''Quando se ama alguém, você o deixa voar para longe, mesmo que não voe junto.''

''Amar alguém não significava estar junto só nos dias ensolarados. Significava permanecer ao lado da pessoa durante as noites de tempestade também.''
Ary@na 25/08/2018minha estante
Menina, essa sua resenha me deixou morrendo de vontade de ler esse livro.


Pri 25/08/2018minha estante
ah quanto amor por esse livro ! É muito fofo mesmo.


Débora 25/08/2018minha estante
Assim eu não aguento!


Fabi 25/08/2018minha estante
Quem ainda não leu, leia!


Amanda.Santos 25/08/2018minha estante
Esse foi o que menos gostei da série,achei muito parado o início e não compactuei com a Maggie ficar sem falar por tanto tempo. O meu preferido da série foi A chama dentro de nós.




Ketlyn.Silva 15/12/2017

Que livro agonioante
Me deixou aflita, com raiva, me fez chorar a amar e a me perguntar ate quando um trauma pode ser levado a diante...
Claro que as vezes me achava que prolongou de mais a a historia junto com as crises, mas que com o decorrer da narrativa fez todo o sentido no fina.
Traumas podem destruir pessoas e acho que a autora conseguiu passar bem esse aspecto no livro e nós fazer refletir que nessas horas toda a compreensão ajuda e amor é valido.
Mais um livro que ganha 5 estrelinhas. Vale muito a pena ler!!!!
comentários(0)comente



Luhran 20/03/2018

O Silêncio das Águas é um resgate de si mesmo na imensidão do mar de solidão.
O silêncio das águas - Brittainy C. Cherry

Editora: Galera

Vamos então para uma resenha difícil de fazer:

Primeiramente, vamos pensar juntos. Sabe quando dizem que você precisa passar por algo para saber o que é? Depois desse livro, creio que essa afirmação serve apenas para enfermidades. Por que eu digo isso? Porque ainda existem pessoas que não apoiam o movimento lgbt, ou o feminismo, porque não são gays ou mulheres. Você não precisa ser parte da causa para apoiar a causa.

Entendem? Vou ser direto e reto: é como se dissessem que não apoiam o fim do massacre na Síria porque não vivem lá.

Mas por que explicar a diferença dessas duas dores para resenhar este livro? Porque Maggie May Riley sofre de ataques de pânico. E eu não consegui viver totalmente este livro, porque eu não sei o que é viver com isso.
Eu amo livros que tratam a depressão, a solidão, a não aceitação de si mesmo, como tema. Porque eu vivi tudo isso. Eu sei como é.

O Silêncio das Águas é perfeito para quem já sofreu de ataques de pânico. Brittainy viveu calada e com medo a sua vida toda. E é por isso que ela vai ler a sua alma neste livro.
Brooks Tyler Griffin é a âncora da solidão de Maggie. É um romance que busca a voz da protagonista.

Após ver um assassinato e ser ameaçada a ser a próxima vítima, a garota nunca mais disse uma palavra. E isso foi o que me incomodou no livro. Ela não falar por causa do que viveu. Mas eu não me permiti ter raiva dela, porque como eu disse, eu não sei o que é viver isso.

O terceiro livro da série Elementos também tem um laço familiar, mas o seu foco é derrotar ataques de pânico.

Um romance que envolve fidelidade, dores que não podem ser explicadas e superação. O Silêncio das Águas é um resgate de si mesmo na imensidão do mar de solidão.
Sandy 21/03/2018minha estante
Resenha maravilhosa ?




Carol Santos 26/12/2017

Um dos melhores da série!
Sempre ouvia de algumas amigas leitoras que esta seria uma das melhores leituras da série Elementos. E tenho que concordar. Quando temos uma história que envolve traumas aliados a música, eu simplesmente me encanto. E tendo a escrita da Brittainy C. Cherry que é uma das autoras que mais gosto, fica difícil não se encantar.

Maggie May aos 10 anos de idade é apaixonada pelo Brooks Griffin. Amigo de seu irmão, ele jura de pé junto que nunca irá querer nada com ela pois nesta idade que menino quer saber de garotas!? Mesmo ela insistindo que irão casar-se, ainda que de mentirinha, Brooks nunca deu atenção. Até que ele percebe que ela não é tão irritante assim. No dia que nossa garota mais ansiava, o dia do casamento, ao ficar esperando Brooks que estava atrasado, Maggie vê uma cena que mudará completamente sua vida.

Traumatizada, ela vê seu mundo cor de rosa caindo, mudando para uma realidade cruel em que perde sua voz. Mesmo após anos e anos, com pesadelos, com ataques de pânico, nada do que ela faça faz sua voz voltar. Tendo o carinho do pai, e do seu agora melhor amigo Brooks, ela descobre que talvez sua afeição por ele seja maior que amizade. Nosso rapaz também sente a mesma coisa porém, acontecimentos da vida ou o destino faz com que eles coloquem esse amor em jogo. Será que mesmo após todas as tragédias e mudanças de rotina eles conseguirão ficar juntos?!

Pela sinopse pode-se perceber o drama enorme que teremos na narrativa né?! Não está enganada. Brittainy tem um jeito peculiar e diferente de esmagar seu coração e suas esperanças, reconstruindo de maneira única. Sofri, chorei, ri, chorei sorrindo e no final tudo valeu a pena. Gosto de acompanhar crescimento de personagens, e por temos um enredo que segue a linha de crescimento deles fica fácil ser conquistada. Principalmente quando conhecemos o trauma da Maggie. Pensei que não saberíamos o que a fez ficar muda pois é um recurso muito utilizado por escritores — no entanto para minha surpresa temos essa informação. E isso propicia uma angústia maior, afinal teremos seus familiares e amigos não tendo esse conhecimento. Vamos vê-los sofrendo sem saber o que de fato transcorreu.

"Naquele momento, soube que ela estava certa sobre tudo, o tempo todo. Ela estava certa sobre mim, sobre ela e nós dois. Ela era a garota que eu amaria para sempre. Não importava o quanto a vida tentasse mudar." pág. 67

Este pacote todo por si só dá um tom de catástrofe, entretanto a autora soube quando trazer os elementos de alegria. São de uma leveza na escrita que você se pega sorrindo ou rindo. Temos a dose certa de tragédias versus felicidade. Mostra basicamente o que poderia passar-se na vida real, mostra que nem tudo é só júbilo.

Se tem algo absurdamente bem desenvolvido e analisado são os protagonistas que fazem a trama render. Maggie e Brooks é uma dupla que deu certo e se encaixou mesmo com as diferenças. Geralmente fico irritada com certas atitudes tomadas ao longo das cenas, o que não verificou-se aqui, mostrando o acerto na conectividade deles. Até nas situações ruins onde não veremos uma saída ou uma solução fácil eles tem a química. É um casal fácil de apostar e torcer ao longo das páginas.

Novamente tenho que elogiar a evolução da escrita que torna-se poética em determinados tempos, pois é visível o amadurecimento. Fiquei curiosa em saber em como a autora iria colocar o elemento água na narrativa, e ele apareceu em diversos etapas de modo apropriado. Aliás uma das reviravoltas que mais te angustiam tem a ver com a água. Confesso que fiquei abalada nela porque muda tudo o que esperamos e é um choque. Acho que poucas pessoas das quais conversei sobre o exemplar imaginavam esta situação.

De uma forma geral classifico como um dos melhores romances lidos. Por A Chama Dentro de Nós, antecessor, não ter atingindo tantos minhas expectativas fui com menos ansiedade neste. Acho que este ponto fez com que eu ficasse mais feliz quando vi algo que me conquistou. Ainda que não o coloque como o melhor da série — O Ar Que Ele Respira é o meu favorito — ele pode ser considerado o segundo melhor. Tem todas as qualidades desejados em uma obra do gênero. Recomendo!

"Eu me apaixonei por centenas de homens de centenas de livros. Achava que sabia como era o amor com base nas palavras impressas nas páginas que li. Amor era união, força e algo pelo que valia a pena viver." pág. 160

Na parte física mais uma vez vemos os modelos representados serem compatíveis com o conteúdo. Fora o tom azul remetendo a água. Aprovado! A diagramação é a padrão da editora com o diferencial de ser dividido em partes, que são de acordo com a idade transcorrida. A narrativa é feita pelo ponto de vista da dupla principal em primeira pessoa. Um adendo é que logo no início tem uma nota da autora. LEIAM, LEIAM, LEIAM! Irão entender melhor o quanto algumas coisas colocadas tem ligação com a vida pessoal da Brittainy.

Terceiro e penúltimo livro de Elementos finalizado, e agora só falta o último A Força que Nos Atrai. Tenho pretensão de lê-lo ainda em 2017 por ser relativamente "pequeno". Nem parece que vai fez 2 anos quando comecei a coleção.

site: http://diariasleituras.blogspot.com.br/2017/12/resenha-o-silencio-das-aguas-brittainy-c-cherry-grupo-editorial-record-serie-os-elementos-the-elements.html
Lúh Muniz 26/12/2017minha estante
Dos 3 p mim, esse é o melhor. Agora só falta o 4°.


Carol Santos 26/12/2017minha estante
Ainda tenho um apego pelo Pluto, apesar de concordar que este é muito bom


JAssica.Weizenmann 27/12/2017minha estante
Tb achei o melhor!! O primeiro é lindo tb, mas meio clichê. O 2 achei mt ruim e o 4 é mais romântico, a história dói o coração, mas não é tão triste quanto os outros!! Amei essa série




Flavia 09/10/2017

Até o momento, o livro que menos gostei da Brittainy
Brooks é maravilhoso, a história como as outras contadas pela autora são bastante impactantes, comoventes... mas achei que o livro morno o tempo todo. Não me apreendeu.
Mariane 19/10/2017minha estante
Concordo com você.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jade Ricieri - @semprelivros 07/01/2018

"As batidas do seu coração fazem o mundo continuar girando."
Que livro! Que história! Não tem erro, eu sempre me apaixono pelos livros dessa mulher. A cada nova leitura é uma surpresa diferente e encantadora, sou fã da Brittainy e não nego, se tem livro dela na parada com toda certeza eu sou uma das primeiras da fila.

Em "O Silêncio das Águas" vamos acompanhar a história da Maggie que desde criança sempre sonhou em se casar com Brooks, melhor amigo de seu irmão. A vontade de passar o resto da vida com Brooks era tanta que Maggie ficava horas planejando como seria o casamento perfeito. Até que em um determinado dia decide que realizará o seu grande sonho, porém na véspera do que seria o momento mais feliz da sua vida, ela infelizmente presencia uma cena chocante e acaba perdendo a voz em decorrência do trauma.

Com o passar dos anos os dois desenvolvem uma amizade muito bonita e verdadeira. Brooks é o único que entende Maggie e seu silêncio, ela se torna sua âncora, enquanto para Maggie, ele é seu porto seguro. Essa forte amizade vai se transformando em um amor inevitável e lindo demais, um amor que cresce mais a cada dia que passa. Porém, como nada no mundo é baseado em certezas, os dois precisarão enfrentar diversas dificuldades e obstáculos se realmente quiserem ficar juntos. E agora? Será que o amor é mesmo capaz de suportar tudo? Será que esse incrível casal vai conseguir driblar os contratempos do destino para finalmente serem felizes? Bem, essas são respostas que vocês terão quando resolverem fazer a leitura desse livro maravilhoso.

Eu nem sei explicar o quanto eu amei a história e os personagens, me emocionei em diversas cenas do livro e fiquei torcendo muito pela felicidade do casal. A escritora mais uma vez nos enche de amor, fé e esperança com esse romance lindo, construído em cima de altos e baixos, dor, sofrimento e superação. Eu simplesmente amo essa autora, a escrita dela que é super envolvente e a sua criatividade em criar histórias tão mágicas e repletas de sentimentos. Recomendo de olhos fechados, na verdade recomendo todos os livros dessa mulher que é magnífica!

"Nem tudo que está em pedaços precisa ser consertado. Às vezes só precisa ser amado. Seria uma pena se só as pessoas inteiras fossem merecedoras de amor."
comentários(0)comente



Suélen.Sousa 07/10/2017

" Descobri que sentir saudade de alguém nunca fica mais fácil, só mais tranquilo. Você aprende a viver com a dor da saudade dentro do peito, se entristece pelos instantes que compartilharam e, às vezes, se permite sofrer um pouco também. "
#osilênciodaságuas
#brittainyccherry
comentários(0)comente



Aline Lima - Liliteratura 14/09/2018

Bom, mas não o melhor da Brittainy
Antes de mais nada, quero declarar meu amor por essa mulher hahaha já li outros livros dela e sou completamente apaixonada pelo estilo de escrita da Brittainy. Esse livro é o terceiro da série Elementos, mas eles podem ser lidos fora de ordem, porque cada um deles tem uma história independente. Os dois primeiros livros dessa série são incríveis, então eu estava ansiosíssima pra ler esse. Mas, o que eu posso dizer? É um livro ok. Final ok. Eu fiquei meio bleh, sei lá. Tem partes que me fizeram suspirar? Com certeza. Mas quando eu paro pra pensar no livro como um todo, não posso dizer NOOOOOSSA, QUE LIVRO!, é só um livro bom. Talvez o que me deixou mais desanimada foi uma das cenas que eu estava esperando demais e aconteceu em 5 minutos, assim, do nada, e eu fiquei tipo 🤷‍♀️ se você não gosta de spoiler, pula essa próxima linha (̶f̶o̶i̶ ̶a̶ ̶c̶e̶n̶a̶ ̶q̶u̶e̶ ̶e̶l̶a̶ ̶v̶o̶l̶t̶a̶ ̶à̶ ̶f̶a̶l̶a̶r̶,̶ ̶q̶u̶e̶m̶ ̶j̶á̶ ̶l̶e̶u̶ ̶c̶o̶m̶e̶n̶t̶a̶ ̶c̶o̶m̶i̶g̶o̶,̶ ̶p̶o̶r̶ ̶f̶a̶v̶o̶r̶ ̶h̶a̶h̶a̶h̶a̶)̶. Antes da história começar, a autora escreve uma nota contando um pouco da sua história e o porquê ela se identifica tanto com a Maggie, que é a personagem principal, e é emocionante! Enfim, esse livro leva 4 estrelas, porque quem leu os outros livros dela, não pode dar nota máxima pra esse rs

site: https://www.instagram.com/liliteratura/
comentários(0)comente



Crika || @PitacosLiterarios 29/12/2017

O livro começa com um depoimento da autora relatando que tem muito dela na personagem. Assim como Maggie, ela sofreu no passado e precisou de ajuda para se reerguer.

"Nunca desista de si mesmo. Você é importante, é amado, e a sua linda voz importa."

Maggie May é uma garotinha alegre e sorridente. Aos seis anos, após seu pai ter alguns relacionamentos ruins, ele finalmente encontra alguém decente, o que dá à Maggie uma nova família.

Aos 10 anos, já totalmente integrada à família, Maggie decide que vai se casar e escolhe Brooks, melhor amigo de seu irmão. Ele diz que a odeia, mas gosta da menina tagarela. Ela leva tudo isso muito a sério e marca o dia do ensaio, no bosque. E é quando o impensável acontece e a vida de Maggie muda para sempre.

Maggie vê algo que não deve e isso lhe garante um trauma tão grande que a faz perder a voz, literalmente. Maggie não consegue mais falar. Ela fica triste, sente medo, se fecha e não sai mais de casa. E os anos passam.

Maggie se adapta à nova realidade. Através dos livros, ela vive diferentes vidas e tem o desejo de realizar muitas coisas. As pessoas ao seu redor aprendem a lidar com ela e nem todas lidam muito bem. Mas, existe uma constante em sua vida: Brooks. Desde crianças, é forte a ligação entre eles e ninguém a entende tão bem. A amizade vira algo mais e ele está sempre por perto, carinhoso e companheiro.

Mas o tempo não para, não é mesmo? Todos seguem a vida e surpresas acontecem, enquanto Maggie continua presa na própria mente sem conseguir sair de casa. Mas agora, uma pessoa que Maggie ama está precisando de ajuda e o passado e o presente podem se chocar.

"Nem tudo que está em pedaços precisa ser consertado. Às vezes, só precisa ser amado. Seria uma pena se só as pessoas inteiras fossem merecedoras de amor."

Eu gostei da história e me solidarizei com a Maggie. Quem somos nós para julgar um trauma? Que eu saiba, cada trauma e ser humano é diferente. É fácil criticar, mas e tentar compreender? A palavra aqui é empatia, coisa que falta a muita gente. Mas eu gosto de ter fé na humanidade. Um dia a gente chega lá!

site: https://www.instagram.com/p/Bb-GVKJn7L_/?taken-by=pitacosliterarios
comentários(0)comente



202 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |