Alguma Poesia

Alguma Poesia Carlos Drummond de Andrade




Resenhas - Alguma Poesia


34 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Alê | @alexandrejjr 26/07/2020

Prazer, Drummond

Certas coisas me deixam perplexo na vida. Uma dessas perplexidades aconteceu nos últimos anos ao ler este "Alguma poesia", primeiro livro publicado pelo gigante Calos Drummond de Andrade.

Sempre tive curiosidade de ler o poeta mineiro de verdade, fugir das armadilhas proporcionadas pela internet. Despretensiosamente comprei esse livro. Entretanto, vocês não podem imaginar a minha surpresa ao descobrir que essa obra foi a carta de apresentação do poeta ao mundo. Nela estão, simplesmente, três dos principais poemas da língua portuguesa.

Conversando com uma amiga minha que estimo muito, apontei que havia poucas resenhas ou comentários para esse livro, o que chamou a minha atenção. Em resposta, ela me disse: "poesia mexe com os sentimentos, talvez seja por isso". E é a mais pura verdade. Algo tão simples e eu nem tinha percebido...

Em "Alguma poesia" os sentimentos são despertados em cada um de nós, mesmo que a conexão entre o poeta e o leitor seja fraca ou, pior, ainda não exista. A questão é que você vai ler algo que não há igual por aí. Aliás, esse é um livro incrível para apresentar o que foi o movimento modernista do Brasil em todos os seus campos artísticos e, de quebra, mostrar a beleza que só a nossa poesia possui.

Eu tenho problemas com versos livres, confesso. Entretanto, a maneira como Drummond dispõe seus versos no papel, a sua quebra brusca com os formalistas em alguns dos textos, é cativante. Além dos conhecidíssimos "Poema de sete faces", "No meio do caminho" e "Quadrilha", destacaria a ironia fina do eu lírico em "Também já fui brasileiro", "Política literária", "Cidadezinha qualquer" e "Explicação"; a melancolia presente em "Sentimental", "Nota social", "Poesia" e "Música"; e, por fim, não posso deixar de citar a precisão sobrenatural na escolha das palavras em "Cota zero" e "Quero me casar".

Drummond lançou esse livro em 1930 e, 90 anos depois, época em que escrevo minhas humildes impressões, é quase ensurdecedor perceber como ele estava à frente de seu tempo. Uma das leituras mais prazerosas que já tive.
Gabriela 26/07/2020minha estante
Amo Drummond e "Poema de sete faces" é um dos meus poemas preferidos da vida


Alê | @alexandrejjr 26/07/2020minha estante
E é muito massa saber que ele escreveu antes dos 30 anos, né?


Gabriela 27/07/2020minha estante
Talento!


Alice @leituras_da_alice 27/07/2020minha estante
Quando li ?Sentimento do mundo? dele não acreditei que poderia gostar tanto desse gênero, se tornou meu favorito e logo depois fui atrás de ler ?A rosa do povo? e do mesmo jeito fiquei impressionada com seus poemas e sentimentos colocados ali.
Adorei a resenha e já vou colocar esse na lista para uma próxima leitura..


Alê | @alexandrejjr 27/07/2020minha estante
Verdade, Gabriela, só talento explica! E Alice, confiro "Sentimento do mundo" esse ano, esperando para ser surpreendido mais uma vez.


Alexia 27/07/2020minha estante
Alê, você já leu o poema "A máquina do mundo"? É, provavelmente, o meu favorito, está no livro "Claro Enigma" (mas a primeira vez em que o li foi no livro "Os cem melhores poemas brasileiros do século"). Amo Drummond


Alê | @alexandrejjr 27/07/2020minha estante
Ainda não, Alexia, mas esse é outro livro que quero ler dele. Ele é incrível, dispensa apresentações.




Alice @leituras_da_alice 16/08/2020

-Eu me lembro de começar a gostar de poemas e ver a poesia através desse autor incrível que é o Carlos Drummond de Andrade. Comecei lendo A rosa do povo e me apaixonei e um tempo depois já fui atrás de ler Sentimento de mundo e não foi diferente! Amei demais e sempre pensei que qualquer livro dele iria acontecer o mesmo, mas por não ser um gênero que não leio tanto, eu até que demorei a ler outro do autor.
-
Estava eu semana passada lendo um livro que não estava funcionando pra mim, quando me lembrei que uma boa é alternar esse tipo de livro com um mais leve e na hora me lembrei de Drummond.
-
A verdade é que assim que li o primeiro poema eu já queria ler tudo de uma vez! Porém, fui lendo aos poucos e agora venho dizer que se você quer ter uma experiência boa com o gênero, leia Drummond!
-

Amanhã esse post sai lá no meu insta literário, se puderem me seguem lá @leituras_da_alice
comentários(0)comente



mireading 05/02/2020

Drummond.
Meu primeiro livro lido do Drummond.
comentários(0)comente



Esther 18/01/2021

Gostei muito dos poemas! Modernismo é uma das escolas literárias mais interessantes! Mas me questiono se consegui pegar a essência da coisa...
comentários(0)comente



Gabrielli 13/08/2020

Bela poesia modernista
Confesso que sou entusiasta é do romantismo, mas muitos poemas deste livro que inaugurou Carlos Drummond me fizeram rir da ironia que o autor tão bem utiliza. Meu preferido foi Balada do Amor Através das Idades.
Drizzle 13/08/2020minha estante
Amo mais que chocolate




PSarmento 14/11/2020

meu primeiro Drummond
esse foi o primeiro contato que tive com a escrita de Drummond, sempre tive receio de ler algo dele, pois pensava que seria difícil de entender. mas devo dizer que isso era um equívoco! eu adorei a experiência, e como são poemas curtos, foi uma ótima porta de entrada para mim!
comentários(0)comente



Nury 16/01/2013

Claro que o itabirano viria a escrever livros como "Claro enigma", "Sentimento do mundo", "A rosa do povo" - títulos mais importantes, influentes, aclamados e, de certa forma, melhores que seu modesto volume de estreia -, mas, aos olhos deste leitor, não há nada nem em Drummond nem na poesia como um todo tão pungente quanto "Alguma poesia". Cada um de seus quarenta e nove poemas é atemporal, enganosamente simples, repleto do lirismo gauche que marca as primeiras obras de Drummond e, acima de tudo, belíssimo. E, oras, não sei quanto aos demais, mas é apenas e precisamente isso que eu busco na poesia.
comentários(0)comente



Ana Clara Machado 23/08/2020

Nunca esquecerei que no meio do caminho havia uma pedra. Obrigada, Drummond.
comentários(0)comente



Bárbara | @barbaraeoslivros 28/09/2020

Carlos Drummond de Andrade é um dos maiores autores da literatura brasileira, sendo considerado o maior poeta nacional do Séc. XX.

A poesia dele, pelo menos nesse seu primeiro livro, é marcada pela adoção da forma livre do verso, sem sujeição às métricas, à regularidade silábica e à necessidade de rima.
Outro aspecto relevante que percebi na leitura é o uso da linguagem corrente, a utilização de temas do cotidiano e as reflexões sociais. Nesse ponto, é importante frisar que o livro foi publicado no período entreguerras (1930), o que certamente influenciou algumas poesias.

Drummond parece fotografar uma imagem do cotidiano e traduzi-la em versos. Seus poemas versam sobre temas ainda atuais que vão do amor e do nacionalismo à rotina das grandes cidades e à vida em sociedade.
Dentre as poesias desse livro, destacam-se algumas muito famosas com as quais todo aluno do ensino médio já se deparou pelo menos 1 vez!

Algumas vezes eu lia um poema e ele fazia sentido pra mim, outras vezes, li e fiquei sem saber se fui alfabetizada.. Confesso que tinha medo de ler poesia e duvidar da minha capacidade de interpretar textos, mas a experiência foi boa e posso dizer que gosto de ler poesia.
Pretendo me aventurar mais.
comentários(0)comente



Livs 29/04/2020

Não entendi muito
Bom, o livro passa mensagens legais e tal, mas eu não entendi muito. Provavelmente é pq eu não estou acostumada com esse tipo de leitura. :)
Mas recomendo pra quem curte uma poesia
comentários(0)comente



Prof. Edivaldo 15/02/2020

Drummond
Livro curto mas com poemas sensacionais! Recomendo
comentários(0)comente



Leonardo 24/06/2012

O primeiro!
Bem, é Drummond. Acho que tirando Dos Anjos, ele é o poeta que mais me identifico. E para começar nada melhor que o Poema de Sete Faces para resumir o gauche Drummond e o gauche Leonardo.
comentários(0)comente



Pietra 16/02/2021

Alguma Poesia
Alguma Poesia é um livro que contém poesias escritas por Carlos Drummond de Andrade entre 1925 e 1930. Entre seus poemas, temos poemas falando sobre ele, sua visão do mundo e pensamentos irônicos e pessimistas sobre si mesmo e sobre o mundo ao seu redor. Há também poemas que falam sobre sua família e sua infância no interior de Minas Gerais. O conhecimento amoroso é citado satiricamente em poemas como "Quadrilha" e "Quero me casar", em Alguma Poesia, este tema é tratado com muito humor e ironia. O autor também fala sobre a sociedade européia de forma satírica e irônica no poema "Explicação": "Para mim, de todas as burrices a maior é suspirar pela Europa.
A Europa é uma cidade muito velha onde só fazem caso de dinheiro"
O livro é composto por poemas irônicos acerca do mundo ao seu redor, de sua própria vida e de sentimentos como o amor.
comentários(0)comente



Sol 19/02/2021

Drummond mostrando a que veio
Drummond nos surpreende em sua primeira obra, trazendo diversos temas de um jeito que só ele sabe fazer. O sujeito deslocado que aparece em vários poemas, além da "quebra" de expectativa em diversos versos-versos ou poemas-poemas nos mostram a que veio esse grande poeta.
comentários(0)comente



Adriana Scarpin 06/06/2016

Também já fui brasileiro
"Eu também já fui brasileiro
moreno como vocês.
Ponteei viola, guiei forde
e aprendi na mesa dos bares
que o nacionalismo é uma virtude.
Mas há uma hora em que os bares se fecham
e todas as virtudes se negam.

Eu também já fui poeta.
Bastava olhar para mulher,
pensava logo nas estrelas
e outros substantivos celestes.
Mas eram tantas, o céu tamanho,
minha poesia perturbou-se.

Eu também já tive meu ritmo.
Fazia isso, dizia aquilo.
E meus amigos me queriam,
meus inimigos me odiavam.
Eu irônico deslizava
satisfeito de ter meu ritmo.
Mas acabei confundindo tudo.
Hoje não deslizo mais não,
não sou irônico mais não,
não tenho ritmo mais não."
comentários(0)comente



34 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3